Discussão
Caso +
Revisão
Setor de Plástica Ocular
R2 Pietro B. de Azevedo
30.05.2014
• Masculino, 67 anos, aposentado (ex-bancário)
• Hipertireoidismo subclínico
• Oftalmopatia de Graves leve
• Encaminhado p...
AV c/c 1,0 AO J1
PIO: 15/16
Exofltalmometria:
20 <- 106mm -> 19
MRD: D E
Sup 4,5 4
Inf 5 5
Motilidade ocular preservada
Se...
• 1884: 1º caso Nettleship
• “peculiar lines in the choroid” + papilite
• Homem 36 anos tumor encefálico c/ extensão orbit...
• Ondulações no EPR, memb. Bruch, camadas internas da
coroide ± retina
• “Excesso de área da coroide”
• Compressão esclera...
• Idiopática
• “congênita”: hipermétropes (AV Ok)
• Hipermetropia adquirida idiopática: ↑PIC deve ser excluída, mesmo sem ...
• Pouco sintomáticas
• BAV
• Sinais
• linhas escuras e claras intercaladas profundas à retina
• Crista: clara (afinamento ...
Alterações em FO: 19/28
• Provavelmente subdiagnosticadas
• Edema de papila foi a mais comum
• Literatura: dobras de coroi...
Alterações em FO: 19/28
• Provavelmente subdiagnosticadas
• Edema de papila foi a mais comum
• Literatura: dobras de coroi...
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Hipertireoidismo e Dobras de Coroide
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Hipertireoidismo e Dobras de Coroide

393 visualizações

Publicada em

Breve discussão de caso sobre dobras de coroide secundárias a oftalmopatia de Graves

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
393
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hipertireoidismo e Dobras de Coroide

  1. 1. Discussão Caso + Revisão Setor de Plástica Ocular R2 Pietro B. de Azevedo 30.05.2014
  2. 2. • Masculino, 67 anos, aposentado (ex-bancário) • Hipertireoidismo subclínico • Oftalmopatia de Graves leve • Encaminhado pela endócrino HCPA • “olhos saltados, lacrimejamento e diplopia eventual” • Ex-tabagista • HF: 2 irmãs com tireoidopatia
  3. 3. AV c/c 1,0 AO J1 PIO: 15/16 Exofltalmometria: 20 <- 106mm -> 19 MRD: D E Sup 4,5 4 Inf 5 5 Motilidade ocular preservada Sem sinais inflamatórios no momento Leve hiperemia conjuntival AV 1,0 / 0,67 Motilidade ocular: restrição da abdução Diplopia em PPO e supra e infraversão Teste de Ishihara : sem alteração Bio: córnea sem alteração, nada corando Fo: papilas ok, áreas de pregueamento de coroide região macular Ao, mais importante a esquerda. OCT: acúmulo de líquido subretiniano, pregueamento de coróide e retina que podem ser provocadas por compressão orbitária. Membrana epirretiniana
  4. 4. • 1884: 1º caso Nettleship • “peculiar lines in the choroid” + papilite • Homem 36 anos tumor encefálico c/ extensão orbitária
  5. 5. • Ondulações no EPR, memb. Bruch, camadas internas da coroide ± retina • “Excesso de área da coroide” • Compressão escleral / congestão da coroide • Unilateral  lesões malignas Dobras de coroide ≠ dobras de retina (MER)
  6. 6. • Idiopática • “congênita”: hipermétropes (AV Ok) • Hipermetropia adquirida idiopática: ↑PIC deve ser excluída, mesmo sem papiledema • Principal causa? • Papiledema • ↑PIC crônica • BAV • Doença orbitária • Tumores retrobulbares • Oftalmopatia de Graves • BAV • Congestão da coroide • Esclerite posterior • Buckling • Maculopatia hipotônica
  7. 7. • Pouco sintomáticas • BAV • Sinais • linhas escuras e claras intercaladas profundas à retina • Crista: clara (afinamento do EPR?) • Vale: escuro (adensamento EPR?) • Mais frequente: horizontal • Direção dá pista sobre a causa • Polo posterior, mais temporal ao disco • AF e OCT auxiliam no Dx, especialmente nos mais recentes
  8. 8. Alterações em FO: 19/28 • Provavelmente subdiagnosticadas • Edema de papila foi a mais comum • Literatura: dobras de coroide • Quanto maior a proptose, maior a chance de alterações no FO • Intraconal  mais edema de papila e dobras de coroide • Identação é importante, mascongestão da coroide (por obstrução venosa) também é necessária p/ produzir dobras de coroide • BAV ocorre mais por edema de papila • Cirurgia melhorou os achados FO em todos os pctes
  9. 9. Alterações em FO: 19/28 • Provavelmente subdiagnosticadas • Edema de papila foi a mais comum • Literatura: dobras de coroide • Quanto maior a proptose, maior a chance de alterações no FO • Intraconal  mais edema de papila e dobras de coroide • Identação é importante, mascongestão da coroide (por obstrução venosa) também é necessária p/ produzir dobras de coroide • BAV ocorre mais por edema de papila • Cirurgia melhorou os achados FO em todos os pctes

×