Projeto contra violência 2003

6.356 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.356
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
683
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto contra violência 2003

  1. 1. Projeto contra a Violência
  2. 2. O que é violência?É um comportamento que causa dano ou intimidação moral a outra pessoa.Tal comportamento pode invadir a autonomia, integridade física ou psicológica e até mesmo a vida de outro.
  3. 3. Tipos de violência: Violência contra Criança e Adolescente: É qualquer conduta – ação ou omissão, agressão ou coerção onde a vítima é uma criança ou adolescente, e que cause dano, constrangimento, limitação, sofrimento físico, sexual, moral,psicológico ou social. Violência contra a Mulher: Qualquer conduta – ação ou omissão – de discriminação, agressão ou coerção, ocasionada pelo fato de a vítima ser mulher, e que cause dano, morte, constrangimento, limitação, sofrimento físico, sexual, moral, psicológico, social, político ou econômico ou perda patrimonial. Violência contra o Idoso: Ato único ou repetido ou, ainda, a omissão que cause dano ou aflição ao idoso, tal como: discriminação; agressão ou coerção; morte; constrangimento; limitação; sofrimento físico, sexual, moral,psicológico, social ou perda patrimonial. Violência de Gênero: Violência sofrida pelo fato de ser mulher, sem distinção de raça, classe social, religião, idade ou qualquer outra condição; produto de um sistema social que subordina o sexo feminino.
  4. 4.  Violência Intrafamiliar: Praticada por membros da família (pai, mãe, filha, filho, marido, sogra, padrasto ou outros), por afinidade ou afetividade. Geralmente, expressa-se como abuso físico, sexual, psicológico ou como negligência ou abandono. Violência Física: Qualquer ação que machuque ou agrida intencionalmente uma pessoa, por meio da força física, arma ou objeto, provocando ou não danos e lesões internas ou externas no corpo. Violência Institucional: Essa violência permeia todas as instituições públicas e privadas; apresenta-se na relação de servidores com o paciente/usuário, podendo se dar de diversas formas: ineficácia e negligência no atendimento, discriminação (de gênero, étnico-racial, econômica etc.), intolerância e falta de escuta, desqualificação do saber do paciente, uso de poder, massificação do atendimento e outros. Violência Moral:Ação destinada a caluniar, difamar ou injuriar a honra ou a reputação do indivíduo. Violência Patrimonial: Ato de violência que implique dano, perda, subtração, destruição ou retenção de objetos, documentos pessoais, bens , valores e similares.
  5. 5.  Violência Psicológica:Ação ou omissão destinada a degradar ou controlar as ações, comportamentos, crenças e decisões de outra pessoa, por meio de intimidação, manipulação, ameaça direta ou indireta, humilhação, isolamento ou qualquer outra conduta que implique prejuízo à saúde psicológica, à autodeterminação ou ao desenvolvimento pessoal. Violência Sexual: É toda relação sexual em que a pessoa é obrigada a se submeter, contra a sua vontade, por meio de força física, coerção, sedução, ameaça ou influência psicológica. É considerada crime, mesmo quando praticada por um familiar, seja ele pai, marido, namorado ou companheiro.Considera-se também, como violência sexual o fato de o agressor obrigar a vítima a realizar alguns desses atos com terceiros. Síndrome de Munchausen por Procuração: Situação em que os pais submetem as crianças a consultas médicas, exames clínicos e/ou cirúrgicos,alegando sintomas físicos, patológicos, fictícios, mediante administração de substâncias à criança. Consequência do desequilíbrio emocional dos pais/responsáveis.
  6. 6. Negligência: Negligência é o abandono, a falta de cuidados básicos e a falta deatenção e proteção. Também é considerado negligência deixar vacinas ematraso, não levar ao médico, não fazer os tratamento necessários,perderdocumentos importantes da criança (ex: certidão de nascimento, cartão dacriança), a criança não estar matriculada ou não ir à escola, aparênciadescuidada e suja, falta de supervisão dos responsáveis, crianças pequenassozinhas em casa ou constantemente fora de casa, em festas populares, emcasa de vizinhos, nas ruas, em abandono, acidentes domésticos previsíveiscomo quedas da cama, berço, janelas, escadas, banheiras, asfixias porobjetos pequenos, intoxicações por medicamentos, material de limpeza,veneno de rato, cosméticos, bebida alcoólica, dentre outros; queimaduras noforno quente, tomada, ferro de passar, velas, fósforos, panelas, líquidosquentes, álcool e exposição excessiva ao sol, atropelamentos eafogamentos.
  7. 7.  Negligência contra o idoso: Negar cuidado e supervisão adequados (especialmente em casos de pessoas com incapacidades físicas ou mentais), deixar o idoso passar fome, não dar as medicações que necessita, não levar às consultas marcadas, não prover outros cuidados físicos, isolá-lo dos outros, vesti-lo inadequadamente face ao tempo ou às condições ambientais, deixar o idoso sozinho, entre outros. Autonegligência: comportamentos de uma pessoa idosa que ameaçam a sua própria saúde ou segurança. A definição de autonegligência envolve situações nas quais uma pessoa idosa mentalmente capaz (que compreende as conseqüências das suas ações) toma decisões conscientes e voluntárias de se envolver em atos que ameaçam a sua saúde ou segurança.
  8. 8. Assédio Moral É a exposição dos trabalhadores a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. Caracteriza-se pela degradação deliberada das condições de trabalho que desestabiliza a relação da vítima com o ambiente e a organização, forçando-a a desistir do emprego. Auto-extermínio/Suicídio Ação pela qual alguém põe intencionalmente termo à própria vida. É um ato exclusivamente humano e está presente em todas as culturas. As causas do suicídio são numerosas e complexas.
  9. 9. O que é rede: O conceito de rede se refere a formas de organização e articulação baseadas na cooperação entre organizações que se conhecem e se reconhecem, negociam, trocam recursos e compartilham, em medida variável,de normas e interesses.Uma estrutura em rede corresponde também ao que seu próprio nome indica: seus integrantes se ligam horizontalmente a todos os demais, diretamente ou através dos que os cercam.
  10. 10. Papel da rede: Promover a articulação dos atores sociais, governamentais e não governamentais,envolvidos na elaboração de estratégias de enfretamento do fenômeno; Capacitar profissionais da área para o atendimento especializado de pessoas envolvidas em situações de violência (de ordem física, psicológica ou sexual e em casos de negligência); Ampliar e implantar serviços nessa área; otimizando recursos humanos e materiais na construção de um modelo de atendimento. As organizações fazem parte da rede com equipes multiprofissionais de forma interinstitucional atuando nas seguintes áreas: · Notificação: procedimento básico para a identificação do tipo de violência. Possibilita o planejamento de políticas de prevenção e intervenção. · Diagnóstico: caracteriza a natureza da violência, verificando a gravidade e o risco de quem está submetido a esta situação. · Intervenção: deve ser planejada, tomando as medidas cabíveis mediante a gravidade de cada caso. Áreas de intervenção: saúde (física e mental), social e jurídica; · Formação: é de grande importância para a melhoria da qualidade no atendimento; formação contínua dos atores envolvidos com a causa, podendo ser realizada por intermédio de cursos, seminários,supervisões. · Pesquisa: é importante para construir estatística e teorias confiáveis,o planejamento das ações de intervenção (políticas públicas); · Prevenção: é a estratégia privilegiada para combater a (re)produção da violência.
  11. 11. Guias de Serviços
  12. 12. Secretaria Executiva de Saúde PúblicaPronto Socorro Municipal de Uruguaiana Rua Domingos de Almeida, 3801- São Miguel Tel: (55) 3413-3700- Emergência – 24hSecretaria Municipal de Saúde Av. Presidente Vargas, 2990 Tel: 3412-1558 Ambulatórios das 8h as 12h e das 14h as 18h
  13. 13. Vigilância Epidemiológica – Walkiria 34117367Saúde da Mulher - Marta / Thaís 34121558CAPS- Centro de Atenção Psicossocial - 3412-9480Saúde Mental - Nara – 34121558Vigilância Sanitária - Raqueli – 34110689Setor DST/AIDS – Cida/ Alexandra – 34121558CAMMI – Taciane 34121558EACS – Josi 34121558PIM – Fernanda 34121558CURE/SAMU – Alyni 34121558Policlínica Infantil – Juliana 34121558Odontologia – Dóris 34121558
  14. 14. Unidades Básicas de SaúdePosto 1 – Jennifer Beheregaray ÁvilaPosto 2 – Alessandra KowalskiPosto 3 – Camila Pedroso BianchiPosto 4 – Suzana Luizi MelerPosto 5 – Natalia da Silva PiresPosto 6 – Lisiane M. SoaresPosto 7 – Bruna Furtado GomesPosto 14 – Daniele FerrioliPosto 15 – Charles Jopar HedlundPosto 16 – Lizandra Dalla FaveraPosto 17 – Eulália Eliane CechettiPosto 18 – Bernadete Burguer CerattiPosto 20 – Rafaela Pereira Machado
  15. 15. Conselhos de Direitos de PessoasConselho Tutelar Rua: 7 de setembro, 1712 Tel: 3412-6099 FAX: 3412-1001 (Prefeitura) Atendimento das 08:00-12:00hs e 14:00-18:00hs (dias úteis)Conselho Municipal de Saúde- CMS Rua: Av. Presidente Vargas, 2990 Tel: 3414-4560
  16. 16. Secretaria de Segurança PúblicaDelegacia Especial de Atendimento a MulherDelegacia de Policia CivilInstituto Medico LegalPolicia MilitarCorpo de BombeirosGuarda Municipal
  17. 17. Secretaria Executiva de Assistência SocialCREAS – Centro Especializado de Assistência SocialCRAS – Centro de Assistência Social
  18. 18. Atendimento Jurídico- Defensoria Pública- Promotoria Pública
  19. 19. Fluxo de Atendimento para Crianças e Adolescentes em situação de Violência Sexual Secretária Municipal de Saúde Porta de entrada da violência sexualVigilância Setor Vigilância Saúde Saúde CURE/SAMU Policlínica CAMMI UBS EACS PIM OdontologiaSanitária DST/AIDS Epidemiológica da Mulher Mental REMOÇÃO Infantil Acolhimento Humanizado Preenchimento da ficha de Notificação Compulsória Notificação Obrigatória ao Anamnese da suspeita ou Conselho tutelar Art. 13 – Estatuto da Criança e do adolescente confirmação da violência Avaliação dos Riscos Entregue à Vig. Epidemiológica Nos casos de atendimento de (SINAN/NET) crianças ou adolescentes Setor DST/AIDS Controle de Hepatites Médico para avaliação do uso Contato com Conselho tutelar de quimioprofilaxia para HIV, para monitorar o caso Coleta de exames Hepatites e anticoncepção de Laboratoriais: emergência HIV/VDRL HBV/HCV Encaminhamento ao CREAS (Psicóloga e Ass. Social) Acompanhamento Horário de Atendimento Laboratorial dos Exames: HIV, VDRL Serviços da Secretária de Saúde – Das 8h à 12h e das 14h as 18h E Hepatites Encaminhamento a Brigada Militar e Policia Civil Após este horário ou em finais de semana – Pronto Socorro

×