SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
HISTÓRIA 1 
William convidou Suzana para passear. Conversaram um pouco, lancharam e 
William a convidou para ir a um motel, dizendo que ele tinha dinheiro para 
passarem algumas horas lá. Suzana disse que sim. Eles foram para o motel e 
começaram a se beijar. William começou a tirar sua roupa. Mas Suzana disse a 
ele que não queria transar. William ficou furioso. Disse a ela que havia gastado 
muito dinheiro com o quarto, e falou: “O que é que os meus amigos vão dizer?” 
Ele queria forçar uma barra para convencê-la. 
Pontos para a discussão: 
1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. 
3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 
4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer 
algum tipo de violência? Por quê? 
5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em 
quais os contextos de ocorrência? 
6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que 
os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, 
emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam 
essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 
7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o 
tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 
8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa 
que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 
9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
HISTÓRIA 2 
Susana tem um filho de 11 anos, Henrique, que é muito criativo e cheio de 
energia. Entretanto, ele está sempre tendo problemas na escola por uma coisa 
ou outra. O marido de Susana, João, geralmente a culpa pelo mau 
comportamento do filho, dizendo que ela gasta muito tempo em seu trabalho, 
quando deveria estar em casa, cuidando de Henrique. Um dia, Susana e seu 
marido entraram em uma discussão e ele bateu nela. Machucada e nervosa, 
Susana deu uns tapas em Henrique, dizendo que ele era um filho ingrato que 
só lhe trazia problemas. 
Pontos para a discussão: 
1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. 
3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 
4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer 
algum tipo de violência? Por quê? 
5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em 
quais os contextos de ocorrência? 
6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que 
os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, 
emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam 
essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 
7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o 
tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 
8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa 
que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 
9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
HISTÓRIA 3 
Maria namora Ricardo há poucos meses. Recentemente, Ricardo começou a 
questionar o seu comportamento. Ele sempre pergunta a Maria com quem ela 
conversa na aula, por que ela não estava em casa quando ele ligou e por que 
ela passa parte do seu dia conversando com suas amigas, quando poderia 
estar com ele. Maria tenta não dar muita atenção a estes comentários, mas 
ultimamente Ricardo tem falado de forma rude e muito nervoso. Tem xingado e 
gritado com ela nos corredores da escola e depois pede desculpas. Na noite 
passada, ele bateu nela. Ele diz que está chateado porque ele a ama, mas ela 
“o deixa louco” de ciúmes. 
Pontos para a discussão: 
1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. 
3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 
4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer 
algum tipo de violência? Por quê? 
5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em 
quais os contextos de ocorrência? 
6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que 
os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, 
emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam 
essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 
7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o 
tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 
8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa 
que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 
9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
HISTÓRIA 4 
Fernanda mal tinha começado o Ensino Médio quando conheceu João. Ele era 
diferente dos outros caras que ela já tinha conhecido. Foi o primeiro amor da 
vida dela e ela queria passar todo seu tempo livre com ele. Parou de sair com 
suas amigas e as suas notas caíram. Ela estava mentindo constantemente 
para seus pais sobre com quem estava e, por isso, não poderia vê-lo o tempo 
todo. Ele era muito ciumento e Fernanda não poderia ter nenhum amigo 
homem sem que ele ficasse com raiva. Depois de saírem por dois meses, eles 
começaram a brigar muito porque ela não queria transar com ele. Um dia eles 
tiveram uma briga feia e ele bateu nela. 
Pontos para a discussão: 
1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. 
3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 
4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer 
algum tipo de violência? Por quê? 
5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em 
quais os contextos de ocorrência? 
6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que 
os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, 
emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam 
essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 
7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o 
tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 
8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa 
que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 
9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
HISTÓRIA 5 
Ana tem 21 anos de idade e mora numa cidade turística. No ano passado, ela 
conheceu um estrangeiro, banqueiro, com quem começou a namorar. Ela não 
contou sobre o namoro para sua família. Apesar de ser mais velho, ela gostava 
de sair com ele, especialmente quando ele levava para restaurantes caros e 
boates chiques. No fim de sua viagem, ele a convenceu a acompanhá-lo a seu 
país de origem. Ele prometeu que seria fácil conseguir um emprego, e Ana 
aceitou o convite. Depois de chegar lá, ele imediatamente pegou seu 
passaporte e mostrou-se extremamente controlador, e às vezes fisicamente 
agressivo. Ela também descobriu que ele não era banqueiro e que não tinha 
muito dinheiro. Ana se sentiu muito isolada, sem amigos ou família e sem 
conhecer a língua local. Ele a pressionou para trabalhar como stripper, um 
trabalho duro, e que incluía ofertas diárias para se prostituir. 
Pontos para a discussão: 
1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. 
3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 
4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer 
algum tipo de violência? Por quê? 
5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em 
quais os contextos de ocorrência? 
6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que 
os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, 
emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam 
essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 
7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o 
tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 
8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa 
que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 
9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa 
para o grupo. 
10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as 
consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das 
histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

I atividade de geografia 5º ano andré
I atividade de geografia 5º ano   andréI atividade de geografia 5º ano   andré
I atividade de geografia 5º ano andréAndré Moraes
 
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetizaçãoAvaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetizaçãoIsa ...
 
Atividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividade
Atividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividadeAtividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividade
Atividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividadeMary Alvarenga
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos TalentosasAtividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos TalentosasAlex Santos
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semanaWashington Rocha
 
Textos sobre bullying dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying  dos alunos do 6º anoTextos sobre bullying  dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying dos alunos do 6º anoVera Mln Silva
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - MúsicaMary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Word: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Modelo editável
Word: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Modelo editávelWord: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Modelo editável
Word: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Modelo editável
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
respeito as pessoas.
respeito as pessoas.respeito as pessoas.
respeito as pessoas.
 
Atividades arte e cultura brasileira
Atividades arte e cultura brasileiraAtividades arte e cultura brasileira
Atividades arte e cultura brasileira
 
At cidadania-pav
At cidadania-pavAt cidadania-pav
At cidadania-pav
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
 
I atividade de geografia 5º ano andré
I atividade de geografia 5º ano   andréI atividade de geografia 5º ano   andré
I atividade de geografia 5º ano andré
 
A arte africana
A arte africanaA arte africana
A arte africana
 
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetizaçãoAvaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
Avaliação de Língua Portuguesa _alfabetização
 
Atividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividade
Atividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividadeAtividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividade
Atividade de Ciência - Saneamento básico texto e atividade
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos TalentosasAtividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
Atividade avaliativa sobre o filme Mãos Talentosas
 
Consciencia negra
Consciencia negraConsciencia negra
Consciencia negra
 
7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana7 ano atividades complementares 4 semana
7 ano atividades complementares 4 semana
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
 
Tópico 3 cidadania e direitos sociais (idh)
Tópico 3 cidadania e direitos sociais (idh)Tópico 3 cidadania e direitos sociais (idh)
Tópico 3 cidadania e direitos sociais (idh)
 
Textos sobre bullying dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying  dos alunos do 6º anoTextos sobre bullying  dos alunos do 6º ano
Textos sobre bullying dos alunos do 6º ano
 
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
 
Atividades lei maria da penha
Atividades lei maria da penhaAtividades lei maria da penha
Atividades lei maria da penha
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
 

Semelhante a ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção

Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02becastanheiradepera
 
Violência no namoro
Violência no namoroViolência no namoro
Violência no namoropief2
 
QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?
QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?
QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?Nit Portal Social
 
Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3
Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3
Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3grizzdesign
 
Aula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptxAula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptxrosemendes2001hotmai
 
Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...
Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...
Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...Florêncio M. Costa Jr
 
Sensibilização com autores de violência doméstica.pptx
Sensibilização com autores de violência doméstica.pptxSensibilização com autores de violência doméstica.pptx
Sensibilização com autores de violência doméstica.pptxAnderayneAraujoNobre
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1ap8dgrp4
 
Violência conjugal vivências expressas em
Violência conjugal  vivências expressas emViolência conjugal  vivências expressas em
Violência conjugal vivências expressas emLeonardo Faria
 
Projeto Pensar, Refletirslides
Projeto Pensar, RefletirslidesProjeto Pensar, Refletirslides
Projeto Pensar, RefletirslidesAlice Bispo
 
RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)
RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)
RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)GlauciaAS
 

Semelhante a ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção (20)

Namoro sobral
Namoro sobralNamoro sobral
Namoro sobral
 
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
 
Violência no namoro
Violência no namoroViolência no namoro
Violência no namoro
 
Violência no Namoro
Violência no NamoroViolência no Namoro
Violência no Namoro
 
QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?
QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?
QUEM DISSE QUE UM “TAPINHA” NÃO DÓI?
 
Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3
Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3
Um caso de codependência marcado pelo amor e violencia v3
 
Aula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptxAula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptx
 
Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...
Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...
Leituras sobre a sexualidade em filmes Behaviorismo, terapias contextuais e s...
 
Sensibilização com autores de violência doméstica.pptx
Sensibilização com autores de violência doméstica.pptxSensibilização com autores de violência doméstica.pptx
Sensibilização com autores de violência doméstica.pptx
 
Projeto de monografia
Projeto de monografiaProjeto de monografia
Projeto de monografia
 
Homofobia e homossexualidade
Homofobia e homossexualidade Homofobia e homossexualidade
Homofobia e homossexualidade
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Cris
CrisCris
Cris
 
Bullying na escola
Bullying na escolaBullying na escola
Bullying na escola
 
Violência doméstica
Violência domésticaViolência doméstica
Violência doméstica
 
APRESENTAÇÃO SAÚDE
APRESENTAÇÃO SAÚDEAPRESENTAÇÃO SAÚDE
APRESENTAÇÃO SAÚDE
 
Violência conjugal vivências expressas em
Violência conjugal  vivências expressas emViolência conjugal  vivências expressas em
Violência conjugal vivências expressas em
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
 
Projeto Pensar, Refletirslides
Projeto Pensar, RefletirslidesProjeto Pensar, Refletirslides
Projeto Pensar, Refletirslides
 
RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)
RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)
RITA MARIA ALVES VASCONCELOS (TCC)
 

Mais de Prof. Noe Assunção

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxProf. Noe Assunção
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxProf. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxProf. Noe Assunção
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe AssunçãoReflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 

Mais de Prof. Noe Assunção (20)

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
 
AULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docxAULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docx
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docxAVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
 
Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe AssunçãoReflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
 

Último

A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 

Último (20)

A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 

ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção

  • 1. HISTÓRIA 1 William convidou Suzana para passear. Conversaram um pouco, lancharam e William a convidou para ir a um motel, dizendo que ele tinha dinheiro para passarem algumas horas lá. Suzana disse que sim. Eles foram para o motel e começaram a se beijar. William começou a tirar sua roupa. Mas Suzana disse a ele que não queria transar. William ficou furioso. Disse a ela que havia gastado muito dinheiro com o quarto, e falou: “O que é que os meus amigos vão dizer?” Ele queria forçar uma barra para convencê-la. Pontos para a discussão: 1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. 3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer algum tipo de violência? Por quê? 5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em quais os contextos de ocorrência? 6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
  • 2. HISTÓRIA 2 Susana tem um filho de 11 anos, Henrique, que é muito criativo e cheio de energia. Entretanto, ele está sempre tendo problemas na escola por uma coisa ou outra. O marido de Susana, João, geralmente a culpa pelo mau comportamento do filho, dizendo que ela gasta muito tempo em seu trabalho, quando deveria estar em casa, cuidando de Henrique. Um dia, Susana e seu marido entraram em uma discussão e ele bateu nela. Machucada e nervosa, Susana deu uns tapas em Henrique, dizendo que ele era um filho ingrato que só lhe trazia problemas. Pontos para a discussão: 1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. 3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer algum tipo de violência? Por quê? 5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em quais os contextos de ocorrência? 6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
  • 3. HISTÓRIA 3 Maria namora Ricardo há poucos meses. Recentemente, Ricardo começou a questionar o seu comportamento. Ele sempre pergunta a Maria com quem ela conversa na aula, por que ela não estava em casa quando ele ligou e por que ela passa parte do seu dia conversando com suas amigas, quando poderia estar com ele. Maria tenta não dar muita atenção a estes comentários, mas ultimamente Ricardo tem falado de forma rude e muito nervoso. Tem xingado e gritado com ela nos corredores da escola e depois pede desculpas. Na noite passada, ele bateu nela. Ele diz que está chateado porque ele a ama, mas ela “o deixa louco” de ciúmes. Pontos para a discussão: 1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. 3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer algum tipo de violência? Por quê? 5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em quais os contextos de ocorrência? 6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
  • 4. HISTÓRIA 4 Fernanda mal tinha começado o Ensino Médio quando conheceu João. Ele era diferente dos outros caras que ela já tinha conhecido. Foi o primeiro amor da vida dela e ela queria passar todo seu tempo livre com ele. Parou de sair com suas amigas e as suas notas caíram. Ela estava mentindo constantemente para seus pais sobre com quem estava e, por isso, não poderia vê-lo o tempo todo. Ele era muito ciumento e Fernanda não poderia ter nenhum amigo homem sem que ele ficasse com raiva. Depois de saírem por dois meses, eles começaram a brigar muito porque ela não queria transar com ele. Um dia eles tiveram uma briga feia e ele bateu nela. Pontos para a discussão: 1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. 3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer algum tipo de violência? Por quê? 5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em quais os contextos de ocorrência? 6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.
  • 5. HISTÓRIA 5 Ana tem 21 anos de idade e mora numa cidade turística. No ano passado, ela conheceu um estrangeiro, banqueiro, com quem começou a namorar. Ela não contou sobre o namoro para sua família. Apesar de ser mais velho, ela gostava de sair com ele, especialmente quando ele levava para restaurantes caros e boates chiques. No fim de sua viagem, ele a convenceu a acompanhá-lo a seu país de origem. Ele prometeu que seria fácil conseguir um emprego, e Ana aceitou o convite. Depois de chegar lá, ele imediatamente pegou seu passaporte e mostrou-se extremamente controlador, e às vezes fisicamente agressivo. Ela também descobriu que ele não era banqueiro e que não tinha muito dinheiro. Ana se sentiu muito isolada, sem amigos ou família e sem conhecer a língua local. Ele a pressionou para trabalhar como stripper, um trabalho duro, e que incluía ofertas diárias para se prostituir. Pontos para a discussão: 1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. 3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer algum tipo de violência? Por quê? 5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias? E em quais os contextos de ocorrência? 6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam essas associações com as respectivas histórias apresentadas. 7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres? 8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos? 9)Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo. 10) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas. Identificar decisões e/ou soluções para o caso.