Técnico de Design de Interiores 
2012 
Módulo III – Espaços Comerciais 
Visual Merchandising
Vitrina ou Vitrine? Montra? 
“Procurar é mais difícil do que se pensa! 
Não porque não há nada para se achar. 
Mas porque ...
Exemplo de montagem de vitrina com tema Alice no País das Maravilhas
Exemplo de montagem de vitrina para loja de brinquedos infantis
Uma vitrine, vitrina (português brasileiro) ou montra (português europeu) - do francês 
vitrine e montre - é um espaço env...
Existem nos bairros mais pobres e mesmo nas mais 
minúsculas cidades; e sua forma de arte é praticada por 
centenas de mil...
Rápida história da vitrina...
Mostrar, expor, comunicar visualmente, enfim, foram e 
ainda são formas de atrair, criando assim um primeiro 
vínculo entr...
Mercado de Trajano em Roma, construído no sec. I pelo arquiteto Apollodoro Damas. 
Primeiro “shopping center” da história.
As feiras eram feitas em pontes, praças ou 
determinadas ruas, criando áreas de comércio 
especializado, como era o caso d...
Ponte Vecchio em Florença. É uma ponte em arco medieval sobre o Rio Arno, 
construída ainda na Roma Antiga e era feita ori...
A partir do século XVIII, quando as lojas eram comuns 
por toda a Europa, a palavra vitrina começou a entrar 
em uso, junt...
ESTILO 
VITORIANO 
O luxuoso e belo design 
de interiores em estilo 
Vitoriano começou em 
1837, quando a rainha 
Victoria...
Se até o século XX as mercadorias eram empilhadas, a partir de 
1920, com o desenvolvimento do desenho e aperfeiçãomento d...
A partir de 1930, começou realmente a pesquisa de 
vitrinas e estudo do detalhe e da estética. 
Década de 40 foi mais inov...
“A vitrina deve ser concebida de modo que seja a 
essência do que é a loja, e de tudo o que ela 
oferece e simboliza, pois...
Palco de criação e sedução 
A relação do vitrinista com a vitrina criada é similar à do 
artista e o palco; o resultado su...
Localização da loja 
É o primeiro item a ser considerado no planejamento de 
uma vitrina. Se ela é de rua, shopping, galer...
Arquitetura de Vitrina 
Estudar a arquitetura da vitrina é conhecê-la dentro do 
conjunto da qual faz parte e sua relação ...
Podemos classificar em: 
• Panoramicas 
• Suspensas 
• Moduladas 
• Apoiadas
Tipos de comércio 
Cada local transforma-se num ponto de encontro se o 
cliente obtiver na loja uma continuação da atmosfe...
Tipos de comércio 
Sapatos 
Cosméticos 
Decoração 
Cama, mesa e banho 
Brinquedos 
Livrarias 
Comestíveis 
Esportivos 
Som
Planejando o palco 
• Composição – simetria e assimetria 
• Linha – horizontal, oblíqua, vertical, curva e quebrada 
• For...
Exemplo de composição simétrica Exemplo de composição assimétrica
Exemplos de planejamento de linhas 
Linhas oblíquas 
Linhas horizontais
Exemplos de planejamento de linhas 
Linhas horizontais 
Linhas verticais
Exemplos de planejamento de linhas 
Linhas curvas
Exemplos de planejamento de formas 
Forma triangular 
Forma circular
Exemplos de planejamento de formas 
Forma poligonal 
Forma 
quadriculada
Visual Merchandising - Técnico Designer de interiores Senac
Visual Merchandising - Técnico Designer de interiores Senac
Visual Merchandising - Técnico Designer de interiores Senac
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Visual Merchandising - Técnico Designer de interiores Senac

1.714 visualizações

Publicada em

Conceitos de visual merchandising e vitrines

Publicada em: Design
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
146
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Visual Merchandising - Técnico Designer de interiores Senac

  1. 1. Técnico de Design de Interiores 2012 Módulo III – Espaços Comerciais Visual Merchandising
  2. 2. Vitrina ou Vitrine? Montra? “Procurar é mais difícil do que se pensa! Não porque não há nada para se achar. Mas porque entre o banal e o confuso, O pouco que brilha fica perdido Como numa floresta... ...achar na flor-resta urbana, A flor que resta, A flor com o brilho do diamante, Isto é, a vitrina, que resta, A que sai da normalidade, A que se sobressai, Isto é o que tentamos!” Sylvia Demetresco
  3. 3. Exemplo de montagem de vitrina com tema Alice no País das Maravilhas
  4. 4. Exemplo de montagem de vitrina para loja de brinquedos infantis
  5. 5. Uma vitrine, vitrina (português brasileiro) ou montra (português europeu) - do francês vitrine e montre - é um espaço envidraçado dentro de uma loja, onde são dispostos produtos para venda de tal forma, que possam ser vistos da rua pelos transeuntes. Para um número não pequeno de pessoas, na maior parte de nosso planeta, as vitrinas das casas comerciais constituem o único contato pessoal com alguma forma de arte.
  6. 6. Existem nos bairros mais pobres e mesmo nas mais minúsculas cidades; e sua forma de arte é praticada por centenas de milhares de pessoas, os pequenos comerciantess, que não podem recorrer a artistas, arquitetos ou designers para montá-las. A idéia é sempre a de valorizar a vitrina com os produtos, através de cores, complementos de marcenaria, quadros, o que é possível para tais comerciantes. E esperar para ver os transeuntes pararem em frente à vitrina e observar as suas reações, é tão emocionante quanto participar da vernissage de suas próprias obras!
  7. 7. Rápida história da vitrina...
  8. 8. Mostrar, expor, comunicar visualmente, enfim, foram e ainda são formas de atrair, criando assim um primeiro vínculo entre vendedor e comprador em potencial. Aquilo que entendemos hoje por vitrina nasceu dessa necessidade, a atração. Nos seus primórdios, o comércio era feito em feiras, sendo basicamente uma atividade de trocas. Essa atividade foi sendo aprimorada, aparecendo primeiramente as lojas e, mais tarde, os grandes estabelecimentos comerciais, como os mercados do Império Romano.
  9. 9. Mercado de Trajano em Roma, construído no sec. I pelo arquiteto Apollodoro Damas. Primeiro “shopping center” da história.
  10. 10. As feiras eram feitas em pontes, praças ou determinadas ruas, criando áreas de comércio especializado, como era o caso da Ponte Vecchio, em Florença, que reunia joalheiros e artesãos famosos da cidade. Com o passar do tempo, esolveram instalar-se sobre a ponte, ao invés de usá-la unicamente como lugar de comércio; moravam, trabalhavam e vendiam sobre ela, procurando além de expor suas mercadorias, sobressair-se por causa da concorrência, criando assim uma forma de vitrina.
  11. 11. Ponte Vecchio em Florença. É uma ponte em arco medieval sobre o Rio Arno, construída ainda na Roma Antiga e era feita originalmente de madeira. Foi destruída pelas cheias de 1333 e reconstruída em 1345, com projecto da autoria de Taddeo Gaddi. Consiste em três arcos, o maior deles com 30 metros de diâmetro. Desde sempre abriga lojas e mercadores, que mostravam as mercadorias sobre bancas.
  12. 12. A partir do século XVIII, quando as lojas eram comuns por toda a Europa, a palavra vitrina começou a entrar em uso, juntamente com decoração. Foi no século XIX que apareceram as grandes lojas na Europa. Existiam lojas por todo o mundo ocidental, normalmente sem apresentar grande estilo. Pode-se dizer que, na Europa e nos Estados Unidos, as lojas de certo nível queriam mostrar opulência e riqueza. O estilo vitoriano regia a moda, por isso elas eram, em geral, revestidas de madeira entalhada, cheias de cortinas e drapeadas, e a exposição de seus artigos era um desfile de tudo que existia dentro delas. Foi também nesse período que o vidro começou a ser utilizado como divisória entre rua e público.
  13. 13. ESTILO VITORIANO O luxuoso e belo design de interiores em estilo Vitoriano começou em 1837, quando a rainha Victoria da Inglaterra foi colocado no trono. A rainha governou entre 1837 e 1901 e durante esses período ela deixou sua impressão sobre design de interiores por causa de seu gosto excessivo por ornamentos, móveis e paredes.
  14. 14. Se até o século XX as mercadorias eram empilhadas, a partir de 1920, com o desenvolvimento do desenho e aperfeiçãomento do estilo, limparam-se as lojas e vitrinas, melhorando assim a sua apresentação. As vitrinas ficaram mais surrealistas e era frequente o uso de Trompe-l'oeil. Técnica artística que, com truques de perspectiva, cria uma ilusão óptica que mostre objetos ou formas que não existem realmente.
  15. 15. A partir de 1930, começou realmente a pesquisa de vitrinas e estudo do detalhe e da estética. Década de 40 foi mais inovadora nos Estados Unidos, pois a Europa estava em guerra. Foram utilizadas nessa época muito papel na confecção de vitrinas. Em 1950 tudo mudou! Manequins de fibra, plástico e arame. Pode-se dizer que, no século XX, a loja, que no tempo dos romanos era o habitat do comerciante, torna-se um grande teatro, luminoso, vitrina e entrada. A ação vital passa a ser comprar, aliada às de distrair e passear.
  16. 16. “A vitrina deve ser concebida de modo que seja a essência do que é a loja, e de tudo o que ela oferece e simboliza, pois, quando habilmente apresentada com imaginação e sedução, tem a eficácia da publicidade e triunfa-se, além de atrair os olhares do mundo exterior para si, atrair também o consumidor para dentro da loja.” (1980: Inspiration)
  17. 17. Palco de criação e sedução A relação do vitrinista com a vitrina criada é similar à do artista e o palco; o resultado surge quando o público sente o primeiro impacto, a surpresa visual, a nova descoberta, a nova verdade, o sonho imaginado por uns, realizado por outros. A vitrina afirma aonde comprar antes mesmo de haver dúvida. Nesse sentido ela é a passagem do pensamento do consumidor do espaço-desejo para o espaço-loja. No espaço-vitrina, o consumidor visualiza a fantasia às avessas, do exterior para o interior, e é essa inversão que confere à vitrina tamanho poder de sedução... a vitrina é o objeto de desejo!
  18. 18. Localização da loja É o primeiro item a ser considerado no planejamento de uma vitrina. Se ela é de rua, shopping, galeria, feira, festival, show-room ou outra particularidade importante, pois decorre do conhecimento do público a ser atingido a decisão de como integrar vitrina, produto e consumidor.
  19. 19. Arquitetura de Vitrina Estudar a arquitetura da vitrina é conhecê-la dentro do conjunto da qual faz parte e sua relação entre ela e a loja ou ambiente diretamente a ela ligado. Arquitetonicamente a vitrina possui: • Piso • Teto • Laterais • Fundo (nem sempre) • Iluminação – deve ser trabalhada conforme a proposta
  20. 20. Podemos classificar em: • Panoramicas • Suspensas • Moduladas • Apoiadas
  21. 21. Tipos de comércio Cada local transforma-se num ponto de encontro se o cliente obtiver na loja uma continuação da atmosfera que a vitrina prometeu, seja ela de elite ou de massa. Vestuário – feminino masculino infantil Joalherias Presentes Acessórios
  22. 22. Tipos de comércio Sapatos Cosméticos Decoração Cama, mesa e banho Brinquedos Livrarias Comestíveis Esportivos Som
  23. 23. Planejando o palco • Composição – simetria e assimetria • Linha – horizontal, oblíqua, vertical, curva e quebrada • Forma – quadrado, triângulo, círculo, losango, polígono • Cor – experiência emocional • Luz • Display • Manequim • Produto
  24. 24. Exemplo de composição simétrica Exemplo de composição assimétrica
  25. 25. Exemplos de planejamento de linhas Linhas oblíquas Linhas horizontais
  26. 26. Exemplos de planejamento de linhas Linhas horizontais Linhas verticais
  27. 27. Exemplos de planejamento de linhas Linhas curvas
  28. 28. Exemplos de planejamento de formas Forma triangular Forma circular
  29. 29. Exemplos de planejamento de formas Forma poligonal Forma quadriculada

×