19/10/13 Derivativos
conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 1/6
contato@conhecimentosbancarios.com.br
Operações ...
19/10/13 Derivativos
conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 2/6
ação. Poderá fazer isso porque, embora não conte...
19/10/13 Derivativos
conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 3/6
Fonte: Site bmfBovespa
O Mercado de Opções
O Mer...
19/10/13 Derivativos
conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 4/6
Como Funciona
O Mercado Futuro de Ações da BM&FB...
19/10/13 Derivativos
conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 5/6
prestadas em duas formas: cobertura ou margem.
C...
19/10/13 Derivativos
conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 6/6
investidores assumem a ponta vendedora (a do dól...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Derivativos

173 visualizações

Publicada em

Material de apoio - desenvolvido por terceiros - ao curso de Ciências Atuariais

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Derivativos

  1. 1. 19/10/13 Derivativos conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 1/6 contato@conhecimentosbancarios.com.br Operações a Termo São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. Termo Flexível Termo em Pontos Termo em Dólar Preços O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Garantias Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. Cobertura: um vendedor a termo que possua os títulos-objeto pode depositá-los na CBLC , como garantia de sua obrigação;Margem: valor igual ao diferencial entre o preço a vista e o preço a termo do papel, acrescido do montante que represente a diferença entre o preço a vista e o menor preço a vista possível no pregão seguinte, estimado com base na volatilidade histórica do título. Estratégias Por que comprar ações a Termo - as principais vantagens desse tipo de operação consistem em permitir ao investidor: Proteger Preços: um aplicador que espera uma alta nos preços de uma ação ou de um conjunto delas pode comprar a termo, fixando o preço e beneficiando-se da alta da ação. Poderá fazer isso porque, embora não conte, no momento, com dinheiro Opere Forex com FxPro www.fxpro.pt Broker MT4 ForexPremiado. Abra Já uma Conta e Comercialize!
  2. 2. 19/10/13 Derivativos conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 2/6 ação. Poderá fazer isso porque, embora não conte, no momento, com dinheiro suficiente para a compra do lote desejado, aguarda a entrada de novos recursos dentro do prazo para o qual realizou a operação. Diversificar Riscos: um aplicador quer comprar algumas ações cujas cotações estima estarem deprimidas, porém não quer concentrar todos os seus recursos em apenas um ou dois papéis, para não assumir riscos muito elevados. Adquire a termo quatro papéis mais atrativos, desembolsando apenas a margem de garantia. Essa diversificação envolve riscos menores do que uma aplicação em ações de uma única empresa, já que a eventual perda com uma ação pode ser compensada com ganhos com as outras três. Obter Recursos (operação caixa): para detentores de carteiras que precisam de recursos para uma aplicação rápida, mas não querem se desfazer de nenhuma ação. A alternativa de vender a vista para imediata compra a termo do mesmo papel permite ao aplicador fazer caixa e, ao mesmo tempo, manter sua participação na empresa. Alavancar Ganhos: a compra a termo confere ao investidor que, num dado instante, possua um determinado volume de recursos a possibilidade de adquirir uma quantidade de ações superior à que sua disponibilidade de adquirir uma quantidade de ações superior à que sua disponibilidade financeira permitiria comprar a vista naquele momento, proporcionando-lhe uma taxa de retorno maior, no caso de elevação dos preços a vista. Por que vender a Termo - principalmente, para obter renda adicional: Para Financiar: nesse tipo de operação - de financiamento - o aplicador compra ações no mercado a vista e as vende a termo, no prazo que deseja financiar, com o objetivo de ganhar a diferença existente entre os preços à vista e a termo, ou seja, os juros da operação; Aumentar a Receita: tomada a decisão de vender uma ação - sem a necessidade de uso imediato de recursos -, pode-se optar por uma venda a termo, maximizando ganhos, pois serão recebidos os juros de um período além do preço a vista da ação. Esse período - o prazo do contrato - será escolhido pelo vendedor a termo, de acordo com sua programação de aplicações e seu conhecimento de alternativas futuras. Corretora Todas as negociações de compra e venda a Termo são intermediadas por Corretoras. O investidor deve buscar, nas corretoras, um assessor de investimentos para se aconselhar ou montar uma estratégia. Custos e Tributos As operações realizadas no mercado a Termo estão sujeitas a: taxa de corretagem (livremente pactuada entre o cliente e a Corretora que ele contratar). A taxa incide sobre o movimento financeiro total (compras mais vendas); taxa de registro; emolumentos; taxas de liquidação. O Imposto de Renda incide sobre todas as operações, sendo que os procedimentos são diferenciados para operações financeiras e não financeiras.
  3. 3. 19/10/13 Derivativos conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 3/6 Fonte: Site bmfBovespa O Mercado de Opções O Mercado de Opções é o mercado em que são negociados direitos de compra ou venda de um lote de ações, com preços e prazos de exercício preestabelecidos. Esse mercado foi criado com o objetivo básico de oferecer um mecanismo de proteção ao mercado de ações contra possíveis perdas. Uma vez que os preços e retornos dos instrumentos financeiros estão sujeitos a flutuações imprevisíveis, as opções podem ser usadas para adaptar o risco às expectativas e metas do investidor. Os participantes do mercado que usam opções para limitar os riscos de oscilação de preços (operações de "hedge") são conhecidos como "hedgers". Entretanto, o mercado também precisa de participantes que estejam dispostos a assumir o risco: estes são chamados "especuladores". As opções permitem que o investidor "alavanque" sua posição, aumentando o retorno potencial sobre um investimento sem aumentar o montante do capital investido, pois o capital investido inicialmente para comprar uma opção é relativamente pequeno em comparação com o ganho. Contudo, quando dois investidores se comprometem em uma operação a ser realizada no futuro, os riscos são evidentes. Um dos investidores pode tentar cancelar a operação ou simplesmente pode não ser capaz de honrá-la financeiramente. Por esse motivo, todo capital aplicado em opções pode ser perdido, e o investidor (comprador) deve estar ciente desse risco. Por sua vez, o lançador de uma opção deve ter capacidade financeira para cobrir eventuais prejuízos potencialmente vultosos, bem como dispor de garantias suficientes para atender às exigências de margem. Fonte: Site bmfBovespa Operações no Mercado Futuro de Ações São contratos de compra ou venda de ações, a um preço acordado entre as partes, para liquidação em uma data futura específica, previamente autorizada. Normalmente, o esperado é que o preço do contrato futuro de uma determinada ação seja equivalente ao preço a vista, acrescido de uma fração correspondente à expectativa de taxas de juros entre o momento da negociação do contrato futuro de ações e a respectiva data de liquidação do contrato. Como Funciona Shell Let's Go youtube.com/shell Build a better energy future Get started now on YouTube!
  4. 4. 19/10/13 Derivativos conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 4/6 Como Funciona O Mercado Futuro de Ações da BM&FBM&FBOVESPA enquadra-se na modalidade "com ajuste diário de perdas e ganhos", ou seja, diariamente, todas as posições em aberto são avaliadas em relação a um preço de referência calculado para cada papel, conhecido como preço de ajuste do dia. Preço de Ajuste Diário Preço médio dos negócios realizados com o papel no mercado futuro no período da tarde. Valor do Ajuste Diário É a diferença diária, positiva ou negativa, que será paga ou recebida pelos investidores posicionados no Mercado Futuro de Ações, obtida pela comparação dos preços de ajuste de dois pregões consecutivos, ou entre o preço de ajuste e o preço do negócio a futuro realizado no dia. Vencimento Último dia em que um contrato futuro pode ser encerrado por meio da realização de uma operação oposta no próprio Mercado Futuro de Ações. Após o encerramento desse dia, não mais será possível negociar as posições que se mantiveram abertas no Mercado Futuro de Ações para aquele vencimento, devendo as mesmas ser liquidadas fisicamente. Liquidação Física As operações no Mercado Futuro de Ações que permanecerem em aberto após o fechamento do dia de vencimento terão obrigatoriamente liquidação física. Preço da Liquidação Preço médio dos negócios realizados com o papel no mercado à vista no período da tarde do dia de vencimento. Ações Negociadas Somente as ações previamente autorizadas podem ser negociadas no Mercado Futuro de Ações. Encerramento Antecipado O investidor que não deseje ir para liquidação física pode sair de sua posição no Mercado Futuro de Ações por meio da realização de uma operação de natureza oposta envolvendo os mesmos papéis e mês de vencimento. O resultado será a extinção de posições até então existentes. Garantias Toda posição a futuro requer um depósito de garantia. Essas garantias podem ser prestadas em duas formas: cobertura ou margem.
  5. 5. 19/10/13 Derivativos conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 5/6 prestadas em duas formas: cobertura ou margem. Cobertura: o vendedor que possua os títulos-objeto pode depositá-los na CBLC, como garantia de sua obrigação;Margem: corresponde à perda potencial da carteira de ativos do investidor no caso de um movimento adverso nos preços das ações subjacentes aos contratos. Para tanto, projeta-se o valor de liquidação do portfólio do investidor, baseando-se em dez cenários prováveis (cinco de alta e cinco de baixa), sendo o movimento do mercado estimado com base na volatilidade histórica do papel. Corretora Todas as negociações de compra e venda no mercado futuro de ações são intermediadas por Corretoras. O investidor deve buscar, nas corretoras, um assessor de investimentos para se aconselhar ou montar uma estratégia. Custos e Tributos As operações realizadas no mercado Futuro estão sujeitas a: taxa de corretagem (livremente pactuada entre o cliente e a Corretora que ele contratar); taxa de registro; emolumentos; taxas de liquidação. O Imposto de Renda incide sobre o resultado positivo da soma algébrica dos ajustes diários ocorridos no mês. Fonte: Site bmfBovespa Swap O "swap" é uma operação realizada para liquidação em data futura que implica na "troca" de resultados financeiros entre duas partes durante um determinado período. Um "swap" tem sempre duas pontas, uma que aposta na variação dos juros (compradora) e outra que aposta na variação do dólar (vendedora). Normalmente, o Banco Central assume a ponta compradora (a dos juros) e os investidores assumem a ponta vendedora (a do dólar).
  6. 6. 19/10/13 Derivativos conhecimentosbancarios.com.br/derivativos_7.html 6/6 investidores assumem a ponta vendedora (a do dólar). Isso significa que no fim do prazo do contrato, o BC receberá a variação da taxa de juros no mercado futuro durante o período em que vigorou o contrato e pagará ao investidor a variação do dólar ocorrida no mesmo período, além de uma taxa de remuneração com base anual. O valor do dólar usado nesse ajuste é sempre a Ptax (mediana diária da cotação calculada entre as instituições pelo BC com base no volume de negócios) da véspera. Já a taxa é paga para tornar a operação mais atraente, já que ela representa dívida do governo e está sujeita à aceitação de risco pelo mercado, e tem seu valor determinado durante a negociação de cada operação e paga no vencimento do contrato. O Banco Central passou a operar com "swaps" em março do ano passado. Na época, a autoridade monetária justificou a decisão para "atender com maior eficiência as demandas dos agentes econômicos frente ao aperfeiçoamento dos instrumentos financeiros disponíveis no mercado". As operações de "swap" são sempre conduzidas pelo Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) do BC e registradas na BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros). Fonte: Site Folha Online © Copyright 2010-2013, Conhecimentos Bancários - Todos os direitos Reservados. Site Map

×