SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
IST: conhecer
para se
proteger
Você sabe o que é IST?
IST (Infecção Sexualmente
Transmissíveis) é uma sigla utilizada
para representar todas as infecções que
podem ser transmitidas através de
relações sexuais.
Quais são as IST mais
comuns?
Herpes
Genital?
Condiloma
Acuminado?
Gonorréia?
Aids?
Sífilis?
Tricomoníase?
BACTÉRIANAS
-Sífilis
-Cancro Mole
-Gonorreia
-Clamidia
VIRAIS
-Herpes
-HPV
-Hepatite
-HIV
PARASITICAS
-Tricomoníase
Sintomas
• Manifesta por meio de feridas,
corrimentos ou verrugas, órgão genital
• (ex: palma das mãos, olhos, língua).O
corpo deve ser observado durante a
higiene pessoal, o que pode ajudar a
identificar uma IST no estágio inicial.
Sempre que se perceber algum sinal
ou algum sintoma, deve-se procurar o
serviço de saúde. E, quando indicado,
avisar o (a) parceiro (a) sexual.
Detalhes e Informações
sobre DST
Condiloma Acuminado
Também conhecido como verrugas venéreas, “couve-flor” ou “crista de
galo”. São pequenas verrugas que aparecem nos órgãos genitais e,
geralmente, não doem e nem ardem. A doença é causada por um vírus
chamado HPV, transmitido através da relação sexual (vaginal, anal e
oral) ou da mãe para o bebê durante o parto. Quando não tratada pode
causar câncer (de colo de útero, por exemplo). Embora exista
tratamento para as verrugas e manchas que surgem nos órgãos
genitais, ainda não existe cura para a doença.
Tricomoníase
A mulher apresenta corrimento amarelado-esverdeado, espumoso e de
mau cheiro; coceira na vulva; vermelhidão na área vaginal; dor ao
urinar e durante a relação sexual. Geralmente os homens são
assintomáticos e não apresentam nenhum sintoma da doença. O
agente causador da Tricomoníase é um protozoário, transmitido através
da relação sexual.
Gonorréia
Também conhecida como Blenorragia, “esquentamento”, “pingadeira” e
“gota matinal”. Os sintomas da doença são corrimento amarelo-
esverdeado e mal cheiroso, dor e ardência ao urinar, lesões na pele
dos órgãos genitais e íngua na região da virilha. É causada por uma
bactéria, transmitida através do contato direto com as regiões afetadas
durante as relações sexuais e pela mãe durante o parto.
Detalhes e Informações
sobre DST
Herpes Genital
A doença manifesta-se através do surgimento de pequenas bolhas nos
órgãos genitais ou ânus e pela presença de ardor e coceira intensa. Após
o período de uma a três semanas esses sintomas desaparecem, porém,
a pessoa permanece infectada. O herpes genital é causado por um vírus
e sua transmissão ocorre através das relações sexuais, pelo contato
direto com a secreção eliminada pelas bolhas que estouram. É
importante não confundir essa doença com o herpes labial pois, apesar
de algumas semelhanças, são causados por diferentes tipos de vírus.
Sífilis
A doença apresenta três fases, caracterizadas pelos seguintes sintomas:
Fase primária: ínguas nas virilhas e feridas arredondadas (cancro duro)
na vagina, pênis e ânus. Essas feridas não coçam, não doem, não ardem
e aparecem duas ou três semanas após a relação sexual.
Fase secundária: manchas avermelhadas por todo o corpo (inclusive nas
palmas das mãos e solas dos pés) e queda de cabelo em alguns casos.
Fase terciária: manifesta-se no coração, nos ossos e no cérebro, não é
contagiosa nesta fase. Embora a doença não tenha mais cura, a pessoa
ainda poderá viver muitos anos.
O agente causador é uma bactéria, transmitida através das relações
sexuais, durante a gestação e no momento do parto.
Detalhes e Informações
sobre DST
Aids
Ela é causada pelo vírus da imunodeficiência humana – o HIV, que ataca
o sistema de defesa do corpo e diminui sua capacidade de se defender
de doenças. Entretanto, ter o vírus não significa estar com Aids, ele pode
ficar no corpo durante anos e não manifestar nenhum sinal da doença.
Por isso, muitas vezes a pessoa contaminada não sabe que tem o vírus e
acaba transmitindo-o.
Os sintomas da Aids não são os mesmos em todas as pessoas e são
comuns a várias outras doenças. Os primeiros sintomas são febre
persistente; manchas na pele; ínguas embaixo do braço, no pescoço ou
na virilha e que demoram a desaparecer. Com o avanço da doença
surgem doenças oportunistas, tais como tuberculose, pneumonia,
meningites, etc.
A transmissão ocorre através das relações sexuais; do compartilhamento
de seringas; da transfusão de sangue contaminado; da mãe para o bebê
durante a gravidez, o parto e a amamentação; de instrumentos que furam
ou cortam e não são esterilizados.
Prevenção e Tratamento
Embora dentre todas as DST a Aids seja a mais grave e ainda não
possua cura, muitos adolescentes desconsideram sua importância
(acham que nunca vai acontecer com eles) e acabam contaminados. Por
isso, para se prevenir contra a Aids e qualquer outra DST é necessário:
 O uso de camisinha em todas as relações sexuais;
 Nunca utilizar seringas e agulhas já usadas, escolha sempre os
descartáveis de uso individual;
 Em caso de transfusão sangüínea, exija sempre sangue testado;
 Não usar instrumentos que furam ou cortam não esterilizados,
como por exemplo alicates de unha e barbeadores;
 Caso a mãe esteja infectada pelo HIV, não amamentar o bebê com
seu próprio leite.
Também é de grande importância que as gestantes façam um pré-natal
de qualidade. Assim, será possível a rápida identificação e o tratamento
de DST ou outras doenças que possam prejudicar a saúde do bebê.
Prevenção e Tratamento
O tratamento das DST deve ser feito por um médico, no centro de saúde
responsável pelo atendimento de seu bairro. É importante que o
tratamento seja seguido corretamente até o final, mesmo após o
desaparecimento dos sintomas, caso contrário o adolescente poderá
ficar resistente ao medicamento e continuar doente.
Link de apoio
https://slideplayer.com.br/
slide/17244532/

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Conheça as IST e se proteja

Comportamentos de risco
Comportamentos de riscoComportamentos de risco
Comportamentos de riscoFilipe Eros
 
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Pelo Siro
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]Cristina0910
 
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveisDoenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveisTookmed
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivoslucia_nunes
 
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdfPrevisão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdfPaulino98
 
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELdst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELLuanMiguelCosta
 

Semelhante a Conheça as IST e se proteja (20)

Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
 
Ist inês e carla
Ist inês e carlaIst inês e carla
Ist inês e carla
 
Comportamentos de risco
Comportamentos de riscoComportamentos de risco
Comportamentos de risco
 
DST
DSTDST
DST
 
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
 
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveisDoenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
 
Dst
DstDst
Dst
 
Dst
DstDst
Dst
 
Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdfPrevisão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
 
Turma 3002
Turma 3002Turma 3002
Turma 3002
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Dst’s
Dst’sDst’s
Dst’s
 
Dst
DstDst
Dst
 
Dst e gravidez na adolescência
Dst e gravidez na adolescênciaDst e gravidez na adolescência
Dst e gravidez na adolescência
 
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELdst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
 
PALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdfPALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdf
 

Último

Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfGiza Carla Nitz
 
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadJordanPrazeresFreita1
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdfGiza Carla Nitz
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoDjalmadeAndrade2
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfmarrudo64
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfamaroalmeida74
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIAArtthurPereira2
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfRodrigoSimonato2
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfGiza Carla Nitz
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdfThiagoAlmeida458596
 

Último (17)

Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalho
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
 

Conheça as IST e se proteja

  • 2. Você sabe o que é IST? IST (Infecção Sexualmente Transmissíveis) é uma sigla utilizada para representar todas as infecções que podem ser transmitidas através de relações sexuais.
  • 3. Quais são as IST mais comuns? Herpes Genital? Condiloma Acuminado? Gonorréia? Aids? Sífilis? Tricomoníase? BACTÉRIANAS -Sífilis -Cancro Mole -Gonorreia -Clamidia VIRAIS -Herpes -HPV -Hepatite -HIV PARASITICAS -Tricomoníase
  • 4. Sintomas • Manifesta por meio de feridas, corrimentos ou verrugas, órgão genital • (ex: palma das mãos, olhos, língua).O corpo deve ser observado durante a higiene pessoal, o que pode ajudar a identificar uma IST no estágio inicial. Sempre que se perceber algum sinal ou algum sintoma, deve-se procurar o serviço de saúde. E, quando indicado, avisar o (a) parceiro (a) sexual.
  • 5. Detalhes e Informações sobre DST Condiloma Acuminado Também conhecido como verrugas venéreas, “couve-flor” ou “crista de galo”. São pequenas verrugas que aparecem nos órgãos genitais e, geralmente, não doem e nem ardem. A doença é causada por um vírus chamado HPV, transmitido através da relação sexual (vaginal, anal e oral) ou da mãe para o bebê durante o parto. Quando não tratada pode causar câncer (de colo de útero, por exemplo). Embora exista tratamento para as verrugas e manchas que surgem nos órgãos genitais, ainda não existe cura para a doença. Tricomoníase A mulher apresenta corrimento amarelado-esverdeado, espumoso e de mau cheiro; coceira na vulva; vermelhidão na área vaginal; dor ao urinar e durante a relação sexual. Geralmente os homens são assintomáticos e não apresentam nenhum sintoma da doença. O agente causador da Tricomoníase é um protozoário, transmitido através da relação sexual. Gonorréia Também conhecida como Blenorragia, “esquentamento”, “pingadeira” e “gota matinal”. Os sintomas da doença são corrimento amarelo- esverdeado e mal cheiroso, dor e ardência ao urinar, lesões na pele dos órgãos genitais e íngua na região da virilha. É causada por uma bactéria, transmitida através do contato direto com as regiões afetadas durante as relações sexuais e pela mãe durante o parto.
  • 6. Detalhes e Informações sobre DST Herpes Genital A doença manifesta-se através do surgimento de pequenas bolhas nos órgãos genitais ou ânus e pela presença de ardor e coceira intensa. Após o período de uma a três semanas esses sintomas desaparecem, porém, a pessoa permanece infectada. O herpes genital é causado por um vírus e sua transmissão ocorre através das relações sexuais, pelo contato direto com a secreção eliminada pelas bolhas que estouram. É importante não confundir essa doença com o herpes labial pois, apesar de algumas semelhanças, são causados por diferentes tipos de vírus. Sífilis A doença apresenta três fases, caracterizadas pelos seguintes sintomas: Fase primária: ínguas nas virilhas e feridas arredondadas (cancro duro) na vagina, pênis e ânus. Essas feridas não coçam, não doem, não ardem e aparecem duas ou três semanas após a relação sexual. Fase secundária: manchas avermelhadas por todo o corpo (inclusive nas palmas das mãos e solas dos pés) e queda de cabelo em alguns casos. Fase terciária: manifesta-se no coração, nos ossos e no cérebro, não é contagiosa nesta fase. Embora a doença não tenha mais cura, a pessoa ainda poderá viver muitos anos. O agente causador é uma bactéria, transmitida através das relações sexuais, durante a gestação e no momento do parto.
  • 7. Detalhes e Informações sobre DST Aids Ela é causada pelo vírus da imunodeficiência humana – o HIV, que ataca o sistema de defesa do corpo e diminui sua capacidade de se defender de doenças. Entretanto, ter o vírus não significa estar com Aids, ele pode ficar no corpo durante anos e não manifestar nenhum sinal da doença. Por isso, muitas vezes a pessoa contaminada não sabe que tem o vírus e acaba transmitindo-o. Os sintomas da Aids não são os mesmos em todas as pessoas e são comuns a várias outras doenças. Os primeiros sintomas são febre persistente; manchas na pele; ínguas embaixo do braço, no pescoço ou na virilha e que demoram a desaparecer. Com o avanço da doença surgem doenças oportunistas, tais como tuberculose, pneumonia, meningites, etc. A transmissão ocorre através das relações sexuais; do compartilhamento de seringas; da transfusão de sangue contaminado; da mãe para o bebê durante a gravidez, o parto e a amamentação; de instrumentos que furam ou cortam e não são esterilizados.
  • 8. Prevenção e Tratamento Embora dentre todas as DST a Aids seja a mais grave e ainda não possua cura, muitos adolescentes desconsideram sua importância (acham que nunca vai acontecer com eles) e acabam contaminados. Por isso, para se prevenir contra a Aids e qualquer outra DST é necessário:  O uso de camisinha em todas as relações sexuais;  Nunca utilizar seringas e agulhas já usadas, escolha sempre os descartáveis de uso individual;  Em caso de transfusão sangüínea, exija sempre sangue testado;  Não usar instrumentos que furam ou cortam não esterilizados, como por exemplo alicates de unha e barbeadores;  Caso a mãe esteja infectada pelo HIV, não amamentar o bebê com seu próprio leite. Também é de grande importância que as gestantes façam um pré-natal de qualidade. Assim, será possível a rápida identificação e o tratamento de DST ou outras doenças que possam prejudicar a saúde do bebê.
  • 9. Prevenção e Tratamento O tratamento das DST deve ser feito por um médico, no centro de saúde responsável pelo atendimento de seu bairro. É importante que o tratamento seja seguido corretamente até o final, mesmo após o desaparecimento dos sintomas, caso contrário o adolescente poderá ficar resistente ao medicamento e continuar doente.