SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
Modulo VI
SEGURANÇA DO TRABALHO
 As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são causadas por vírus, bactérias ou
outros microrganismos.
 São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o
uso de camisinha masculina ou feminina com uma pessoa que esteja infectada.
◦ A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a
gestação, o parto ou a amamentação.
 O tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de
transmissão dessas infecções.
◦ O atendimento e o tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.
 A terminologia Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) passa a ser adotada em
substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque destaca a
possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas
Como se manifestam as IST?
 As IST podem se manifestar por meio de feridas, corrimentos ou verrugas anogenitais.
 São alguns exemplos de IST:
◦ herpes genital
◦ Sífilis
◦ Gonorreia
◦ Infecção pelo HIV
◦ Infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV)
◦ Hepatites virais B e C.
 A IST aparece, principalmente, no órgão genital, mas pode surgir também em outra parte do corpo (ex.:
palma das mãos, olhos, língua).
 O corpo deve ser observado durante a higiene pessoal, o que pode ajudar a identificar uma IST no
estágio inicial. Sempre que se perceber algum sinal ou algum sintoma, deve-se procurar o serviço de
saúde.
 E, quando indicado, comunicar a parceria sexual.
Como se manifestam as IST?
 São três as principais manifestações clínicas das IST:
Corrimentos
 Aparecem no pênis, vagina ou ânus.
 Podem ser esbranquiçados, esverdeados ou amarelados, dependendo da IST.
 Podem ter cheiro forte e/ou causar coceira.
 Provocam dor ao urinar ou durante a relação sexual.
 Nas mulheres, quando é pouco, o corrimento só é visto em exames ginecológicos.
 Podem se manifestar na gonorreia, clamídia e tricomoníase.
Feridas
 Aparecem nos órgãos genitais ou em qualquer parte do corpo, com ou sem dor.
 Podem ser manifestações da sífilis, herpes genital, cancroide, donovanose e linfogranuloma venéreo.
Verrugas anogenitais
 São causadas pelo Papilomavírus Humano (HPV) e podem aparecer em forma de couve-flor, quando a infecção
está em estágio avançado.
 Em geral, não doem, mas pode ocorrer irritação ou coceira.
HIV/AIDS e hepatites virais B e C
 Além das IST que causam corrimentos, feridas e verrugas anogenitais, existem as infecções pelo HIV e pelas
hepatites virais B e C, causadas por vírus, com sinais e sintomas específicos.
Doença Inflamatória Pélvica (DIP)
 É outra forma de manifestação clínica das IST.
 Decorre de gonorreia e clamídia não tratadas.
 Atinge os órgãos genitais internos da mulher (útero, trompas e ovários), causando inflamações.
 Algumas IST podem não apresentar sinais e sintomas, e se não forem diagnosticadas e tratadas, podem levar a
graves complicações, como infertilidade, câncer ou até a morte.
HIV - AIDS
 HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da AIDS,
 Ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.
 As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+ . E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo.
 Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.
 Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS.
 Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença.
 Mas, podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento seringas
contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação.
 Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.
 Biologia – HIV é um retrovírus, classificado na subfamília dos Lentiviridae. Esses vírus compartilham algumas
propriedades comuns: período de incubação prolongado antes do surgimento dos sintomas da doença, infecção das
células do sangue e do sistema nervoso e supressão do sistema imune.
Sintomas e fases da AIDS:
 Quando ocorre a infecção pelo vírus causador da AIDS, o sistema imunológico
começa a ser atacado.
 É na primeira fase, chamada de infecção aguda, que ocorre a incubação do HIV -
tempo da exposição ao vírus até o surgimento dos primeiros sinais da doença.
 Esse período varia de 3 a 6 semanas.
 O organismo leva de 30 a 60 dias após a infecção para produzir anticorpos anti-HIV.
 Os primeiros sintomas são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e
mal-estar.
 Por isso, a maioria dos casos passa despercebido.
Sintomas e fases da AIDS:
 A próxima fase é marcada pela forte interação entre as células de defesa e as
constantes e rápidas mutações do vírus.
 Mas que não enfraquece o organismo o suficiente para permitir novas doenças, pois
os vírus amadurecem e morrem de forma equilibrada.
 Esse período, que pode durar muitos anos, é chamado de assintomático.
 Sintomas e fases da AIDS:
 Com o frequente ataque, as células de defesa começam a funcionar com menos
eficiência até serem destruídas.
 O organismo fica cada vez mais fraco e vulnerável a infecções comuns.
 A fase sintomática inicial é caracterizada pela alta redução dos linfócitos T CD4 -
glóbulos brancos do sistema imunológico - que chegam a ficar abaixo de 200
unidades por mm³ de sangue.
 Em adultos saudáveis, esse valor varia entre 800 a 1.200 unidades.
 Os sintomas mais comuns são: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento.
 Sintomas e fases da AIDS:
 A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, que recebem
esse nome por se aproveitarem da fraqueza do organismo.
 Com isso, atinge-se o estágio mais avançado da doença, a AIDS.
 Quem chega a essa fase, por não saber ou não seguir o tratamento indicado pelos
médicos, pode sofrer de hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e
alguns tipos de câncer.
 Por isso, sempre que você transar sem camisinha ou passar por alguma outra
situação de risco, aguarde 30 dias e faça o teste.
 HIV/AIDS
Como o HIV, vírus causador da AIDS, está presente no sangue, sêmen, secreção vaginal e leite
materno, a doença pode ser transmitida de várias formas:
 Sexo sem camisinha - pode ser vaginal, anal ou oral.
 De mãe infectada para o filho durante a gestação, o parto ou a amamentação - também chamado
de transmissão vertical.
 Uso da mesma seringa ou agulha contaminada por mais de uma pessoa.
 Transfusão de sangue contaminado com o HIV.
 Instrumentos que furam ou cortam, não esterilizados.
 Evitar a doença não é difícil. Basta usar camisinha em todas as relações sexuais e não
compartilhar seringa, agulha e outro objeto cortante com outras pessoas. O preservativo está
disponível na rede pública de saúde. Caso não saiba onde retirar a camisinha, ligue para o
Disque Saúde (136).
Hepatites Virais:
 Em grande parte dos casos, as hepatites virais são doenças silenciosas, o que reforça a
necessidade de ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam os vários
tipos de hepatites.
 Geralmente, quando os sintomas aparecem a doença já está em estágio mais avançado.
 Os mais comuns são:
◦ Febre;
◦ Fraqueza;
◦ Mal-estar;
◦ Dor abdominal;
◦ Enjoo/náuseas;
◦ Vômitos;
◦ Perda de apetite;
◦ Urina escura (cor de café);
◦ Icterícia (olhos e pele amarelados);
◦ Fezes esbranquiçadas (como massa de vidraceiro).
 Hepatites Virais:
 Para saber se há a necessidade de realizar exames que detectem as hepatites
observe se você já se expôs a algumas dessas situações:
 Contágio fecal-oral: condições precárias de saneamento básico e água, de higiene
pessoal e dos alimentos (vírus A e E);
 Transmissão sanguínea: praticou sexo desprotegido, compartilhou seringas,
agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam
(vírus B,C e D);
 Transmissão sanguínea: da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a
amamentação (vírus B,C e D)
 No caso das hepatites B e C é preciso um intervalo de 60 dias para que os
anticorpos sejam detectados no exame de sangue.
Por que usar a camisinha
 A camisinha é o método mais eficaz para se prevenir contra muitas
doenças sexualmente transmissíveis, como a aids, alguns tipos de
hepatites e a sífilis, por exemplo.
 Além disso, evita uma gravidez não planejada.
 Use camisinha sempre.
Por que usar a camisinha
 O preservativo não deve ser uma opção somente para quem não se infectou com o HIV.
 Além de evitar a transmissão de outras doenças, que podem prejudicar ainda mais o sistema
imunológico, previne contra a reinfecção pelo vírus causador da aids, o que pode agravar ainda
mais a saúde da pessoa.
 Guardar e manusear a camisinha é muito fácil.
 Treine antes, assim você não erra na hora.
 Nas preliminares, colocar a camisinha no(a) parceiro(a) pode se tornar um momento prazeroso.
 Só é preciso seguir o modo correto de uso.
 Mas atenção: nunca use duas camisinhas ao mesmo tempo, a í sim, ela pode se romper ou
estourar.
Cuidados com a higiene:
 Além de usar camisinha em todas as relações sexuais, não compartilhar seringas e outros
objetos que furam ou cortam e fazer acompanhamento durante a gravidez, alguns cuidados com
a higiene são importantes para se evitar a infecção de alguns tipos de hepatites virais (A e E) e
outras doenças sexualmente transmissíveis:
 Lavar as mãos após ir ao banheiro, trocar fraldas e antes de comer ou preparar alimentos;
 Lavar bem, com água tratada, clorada ou fervida, os alimentos que são consumidos crus;
 Cozinhar bem os alimentos antes de consumi-los, principalmente mariscos e frutos do mar;
 Lavar adequadamente pratos, copos, talheres e mamadeiras;
 Orientar creches, pré-escolas, lanchonetes, restaurantes e instituições fechadas para a adoção
de medidas rigorosas de higiene, tal como a desinfecção de objetos, bancadas e chão utilizando
hipoclorito de sódio a 2,5% ou água sanitária;
Cuidados com a higiene:
 Evitar a construção de fossas próximas a poços e nascentes de rios, para não comprometer o
lençol de água que alimenta o poço.
 Deve-se respeitar, por medidas de segurança, a distância mínima de 15 metros entre o poço e a
fossa do tipo seca e de 45 metros, para os demais focos de contaminação, como chiqueiros,
estábulos, valões de esgoto, galerias de infiltração e outros;
 Não tomar banho ou brincar perto de valões, riachos, chafarizes e enchentes ou próximo de onde
haja esgoto a céu aberto;
 Caso haja algum doente com hepatite A em casa, utilizar hipoclorito de sódio ou água sanitária
ao lavar o banheiro;
 Orientar também a lavagem dos alimentos, deixando-os na água tratada com hipoclorito de sódio
por meia hora;
 Exigir material esterilizado ou descartável nos consultórios médicos, odontológicos de
acupuntura, assim como em estúdios de tatuagens;
Cuidados com a higiene:
 Exigir material esterilizado ou descartável nas barbearias e nos salões de manicure/pedicure.
◦ O ideal é que cada pessoa tenha o seu kit de manicure/pedicure, composto de:
 tesourinha,
 alicate,
 cortador de unha,
 lixa de unha,
 lixa de pé,
 empurrador/espátula,
 palito,
 Escovinha
 toalha;
 Exigir material esterilizado ou descartável nos locais de realização de tatuagens e colocação de
piercings;
 Não compartilhar escovas de dente, lâminas de barbear ou de depilar;
Cuidados com a higiene:
 Não compartilhar equipamentos para uso de drogas (agulhas, seringas, cachimbos ou canudos);
 Não compartilhar agulhas ou seringas, em outras situações;
 Não compartilhas lençóis, toalhas e roupas íntimas, em qualquer situação;
 Buscar atendimento médico se apresentar qualquer sinal ou sintoma da doença ou em caso de
exposição a alguma situação de transmissão das hepatites virais;
 Vacinar-se contra a hepatite B. São 3 doses que podem ser aplicadas em qualquer unidade
básica de saúde. Para saber qual é a mais próxima da sua casa, ligue para o Disque Saúde
(136).
PREVINA-SE
USE CAMISINHA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Cartilha de DST
Cartilha de  DST Cartilha de  DST
Cartilha de DST
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
 
Infecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveisInfecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveis
 
O Que é A Sida
O Que é A SidaO Que é A Sida
O Que é A Sida
 
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meioModelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
 
Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Panfleto informativo sobre a sida
Panfleto informativo sobre a sidaPanfleto informativo sobre a sida
Panfleto informativo sobre a sida
 
Dst/aids
Dst/aidsDst/aids
Dst/aids
 
Apresentação sida
Apresentação sida  Apresentação sida
Apresentação sida
 
Sida
Sida Sida
Sida
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
 
Sidahiv
SidahivSidahiv
Sidahiv
 
Cartilha
CartilhaCartilha
Cartilha
 
Manual de controle das dst pelos acs
Manual de controle das dst pelos acsManual de controle das dst pelos acs
Manual de controle das dst pelos acs
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
Aids - Prevenir é melhor do que remediar!
 
Apresentacao dst aids
Apresentacao dst aidsApresentacao dst aids
Apresentacao dst aids
 
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
 

Destaque

Primeiros Socorros Modulo V
Primeiros Socorros Modulo VPrimeiros Socorros Modulo V
Primeiros Socorros Modulo Vemanueltstegeon
 
Primeiros Socorros Modulo II
Primeiros Socorros Modulo IIPrimeiros Socorros Modulo II
Primeiros Socorros Modulo IIemanueltstegeon
 
Primeiros Socorros Modulo I
Primeiros Socorros Modulo IPrimeiros Socorros Modulo I
Primeiros Socorros Modulo Iemanueltstegeon
 
Primeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo IIIPrimeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo IIIemanueltstegeon
 
Primeiros Socorros Modulo IV
Primeiros Socorros Modulo IVPrimeiros Socorros Modulo IV
Primeiros Socorros Modulo IVemanueltstegeon
 
Manual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEM
Manual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEMManual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEM
Manual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEMEmergência Médica
 
Venda de pallets usados
Venda de pallets usadosVenda de pallets usados
Venda de pallets usadosFernando Dias
 
Impossível para os homens, possível para deus
Impossível para os homens, possível para deusImpossível para os homens, possível para deus
Impossível para os homens, possível para deusHugo Machado
 
Enfermedad Diverticular
Enfermedad Diverticular Enfermedad Diverticular
Enfermedad Diverticular Cirugia General
 
Tema8 lapoblaciónespañola
Tema8 lapoblaciónespañolaTema8 lapoblaciónespañola
Tema8 lapoblaciónespañolaosbelo72
 
IML Presentation
IML PresentationIML Presentation
IML Presentationdokyungy
 
Active vs passive
Active vs passiveActive vs passive
Active vs passiveSonia1942
 
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/TransparnciaNr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/TransparnciaAna Paula Santos de Jesus Souza
 
Resgate em espaços confinados
Resgate em espaços confinadosResgate em espaços confinados
Resgate em espaços confinadosRobson Peixoto
 

Destaque (20)

Primeiros Socorros Modulo V
Primeiros Socorros Modulo VPrimeiros Socorros Modulo V
Primeiros Socorros Modulo V
 
Primeiros Socorros Modulo II
Primeiros Socorros Modulo IIPrimeiros Socorros Modulo II
Primeiros Socorros Modulo II
 
Primeiros Socorros Modulo I
Primeiros Socorros Modulo IPrimeiros Socorros Modulo I
Primeiros Socorros Modulo I
 
Primeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo IIIPrimeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo III
 
Primeiros Socorros Modulo IV
Primeiros Socorros Modulo IVPrimeiros Socorros Modulo IV
Primeiros Socorros Modulo IV
 
Manual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEM
Manual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEMManual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEM
Manual de Suporte Básico de Vida (SBV) - INEM
 
Venda de pallets usados
Venda de pallets usadosVenda de pallets usados
Venda de pallets usados
 
COLOMBIA
COLOMBIACOLOMBIA
COLOMBIA
 
T2a1 clasificacion
T2a1 clasificacionT2a1 clasificacion
T2a1 clasificacion
 
Rosaura vargas
Rosaura vargasRosaura vargas
Rosaura vargas
 
VERONIQUE LEROY
VERONIQUE LEROYVERONIQUE LEROY
VERONIQUE LEROY
 
ECO-SHOOT
ECO-SHOOTECO-SHOOT
ECO-SHOOT
 
Impossível para os homens, possível para deus
Impossível para os homens, possível para deusImpossível para os homens, possível para deus
Impossível para os homens, possível para deus
 
Enfermedad Diverticular
Enfermedad Diverticular Enfermedad Diverticular
Enfermedad Diverticular
 
Tema8 lapoblaciónespañola
Tema8 lapoblaciónespañolaTema8 lapoblaciónespañola
Tema8 lapoblaciónespañola
 
IML Presentation
IML PresentationIML Presentation
IML Presentation
 
ATR - ESPAÇO CONFINADO
ATR - ESPAÇO CONFINADOATR - ESPAÇO CONFINADO
ATR - ESPAÇO CONFINADO
 
Active vs passive
Active vs passiveActive vs passive
Active vs passive
 
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/TransparnciaNr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
Nr.33 Segurança nos Serviços em Espaços confinados/Transparncia
 
Resgate em espaços confinados
Resgate em espaços confinadosResgate em espaços confinados
Resgate em espaços confinados
 

Semelhante a Como se manifestam e prevenir IST (20)

O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DSTO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
 
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.pptAPRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
 
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.pptAPRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
 
Aids 1 E
Aids 1 EAids 1 E
Aids 1 E
 
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdfPrevisão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
Previsão das infecções Sexuais e transmissíveis.pdf
 
Trabalho combate contra a aids edi
Trabalho combate contra a aids  ediTrabalho combate contra a aids  edi
Trabalho combate contra a aids edi
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Modulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdf
Modulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdfModulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdf
Modulo-IV-Apresentacao-DST-Aids-2016.pdf
 
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdfHISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
 
Dst
DstDst
Dst
 
DST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
DST – Doenças Sexualmente TransmisíveisDST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
DST – Doenças Sexualmente Transmisíveis
 
HIV/SIDA
HIV/SIDAHIV/SIDA
HIV/SIDA
 
Herpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hivHerpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hiv
 
Trab sida
Trab sidaTrab sida
Trab sida
 
IST E AIDS.pptx
IST E AIDS.pptxIST E AIDS.pptx
IST E AIDS.pptx
 
Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
ISTS
ISTSISTS
ISTS
 
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdfaids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
 

Mais de emanueltstegeon

Trabalho a quente modulo II
Trabalho a quente   modulo IITrabalho a quente   modulo II
Trabalho a quente modulo IIemanueltstegeon
 
Trabalho a Quente Modulo I
Trabalho a Quente   Modulo ITrabalho a Quente   Modulo I
Trabalho a Quente Modulo Iemanueltstegeon
 
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo III
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo IIINR-33 - Espaço Confinado - Modulo III
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo IIIemanueltstegeon
 
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo II
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo IINR-33 - Espaço Confinado - Modulo II
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo IIemanueltstegeon
 
NR-33 Espaço Confinado - Modulo I
NR-33   Espaço Confinado - Modulo INR-33   Espaço Confinado - Modulo I
NR-33 Espaço Confinado - Modulo Iemanueltstegeon
 
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualNR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção Individualemanueltstegeon
 
Treinamento de CIPA modulo IV - Prevenção e Combate a Incêndio
Treinamento de CIPA   modulo IV - Prevenção e Combate a IncêndioTreinamento de CIPA   modulo IV - Prevenção e Combate a Incêndio
Treinamento de CIPA modulo IV - Prevenção e Combate a Incêndioemanueltstegeon
 
Treinamento de CIPA modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de CIPA   modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de CIPA   modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de CIPA modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção Individualemanueltstegeon
 
Treinamento de CIPA modulo II - Segurança do Trabalho
Treinamento de CIPA   modulo II - Segurança do TrabalhoTreinamento de CIPA   modulo II - Segurança do Trabalho
Treinamento de CIPA modulo II - Segurança do Trabalhoemanueltstegeon
 
Treinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
Treinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de AcidentesTreinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
Treinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentesemanueltstegeon
 

Mais de emanueltstegeon (10)

Trabalho a quente modulo II
Trabalho a quente   modulo IITrabalho a quente   modulo II
Trabalho a quente modulo II
 
Trabalho a Quente Modulo I
Trabalho a Quente   Modulo ITrabalho a Quente   Modulo I
Trabalho a Quente Modulo I
 
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo III
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo IIINR-33 - Espaço Confinado - Modulo III
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo III
 
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo II
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo IINR-33 - Espaço Confinado - Modulo II
NR-33 - Espaço Confinado - Modulo II
 
NR-33 Espaço Confinado - Modulo I
NR-33   Espaço Confinado - Modulo INR-33   Espaço Confinado - Modulo I
NR-33 Espaço Confinado - Modulo I
 
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualNR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
 
Treinamento de CIPA modulo IV - Prevenção e Combate a Incêndio
Treinamento de CIPA   modulo IV - Prevenção e Combate a IncêndioTreinamento de CIPA   modulo IV - Prevenção e Combate a Incêndio
Treinamento de CIPA modulo IV - Prevenção e Combate a Incêndio
 
Treinamento de CIPA modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de CIPA   modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de CIPA   modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de CIPA modulo III - NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
 
Treinamento de CIPA modulo II - Segurança do Trabalho
Treinamento de CIPA   modulo II - Segurança do TrabalhoTreinamento de CIPA   modulo II - Segurança do Trabalho
Treinamento de CIPA modulo II - Segurança do Trabalho
 
Treinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
Treinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de AcidentesTreinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
Treinamento de CIPA modulo I - NR 5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
 

Como se manifestam e prevenir IST

  • 2.  As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos.  São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina com uma pessoa que esteja infectada. ◦ A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.  O tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções. ◦ O atendimento e o tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.  A terminologia Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) passa a ser adotada em substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque destaca a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas
  • 3. Como se manifestam as IST?  As IST podem se manifestar por meio de feridas, corrimentos ou verrugas anogenitais.  São alguns exemplos de IST: ◦ herpes genital ◦ Sífilis ◦ Gonorreia ◦ Infecção pelo HIV ◦ Infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV) ◦ Hepatites virais B e C.  A IST aparece, principalmente, no órgão genital, mas pode surgir também em outra parte do corpo (ex.: palma das mãos, olhos, língua).  O corpo deve ser observado durante a higiene pessoal, o que pode ajudar a identificar uma IST no estágio inicial. Sempre que se perceber algum sinal ou algum sintoma, deve-se procurar o serviço de saúde.  E, quando indicado, comunicar a parceria sexual.
  • 4. Como se manifestam as IST?  São três as principais manifestações clínicas das IST: Corrimentos  Aparecem no pênis, vagina ou ânus.  Podem ser esbranquiçados, esverdeados ou amarelados, dependendo da IST.  Podem ter cheiro forte e/ou causar coceira.  Provocam dor ao urinar ou durante a relação sexual.  Nas mulheres, quando é pouco, o corrimento só é visto em exames ginecológicos.  Podem se manifestar na gonorreia, clamídia e tricomoníase.
  • 5. Feridas  Aparecem nos órgãos genitais ou em qualquer parte do corpo, com ou sem dor.  Podem ser manifestações da sífilis, herpes genital, cancroide, donovanose e linfogranuloma venéreo. Verrugas anogenitais  São causadas pelo Papilomavírus Humano (HPV) e podem aparecer em forma de couve-flor, quando a infecção está em estágio avançado.  Em geral, não doem, mas pode ocorrer irritação ou coceira. HIV/AIDS e hepatites virais B e C  Além das IST que causam corrimentos, feridas e verrugas anogenitais, existem as infecções pelo HIV e pelas hepatites virais B e C, causadas por vírus, com sinais e sintomas específicos. Doença Inflamatória Pélvica (DIP)  É outra forma de manifestação clínica das IST.  Decorre de gonorreia e clamídia não tratadas.  Atinge os órgãos genitais internos da mulher (útero, trompas e ovários), causando inflamações.  Algumas IST podem não apresentar sinais e sintomas, e se não forem diagnosticadas e tratadas, podem levar a graves complicações, como infertilidade, câncer ou até a morte.
  • 6. HIV - AIDS  HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da AIDS,  Ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.  As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+ . E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo.  Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.  Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS.  Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença.  Mas, podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação.  Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.  Biologia – HIV é um retrovírus, classificado na subfamília dos Lentiviridae. Esses vírus compartilham algumas propriedades comuns: período de incubação prolongado antes do surgimento dos sintomas da doença, infecção das células do sangue e do sistema nervoso e supressão do sistema imune.
  • 7. Sintomas e fases da AIDS:  Quando ocorre a infecção pelo vírus causador da AIDS, o sistema imunológico começa a ser atacado.  É na primeira fase, chamada de infecção aguda, que ocorre a incubação do HIV - tempo da exposição ao vírus até o surgimento dos primeiros sinais da doença.  Esse período varia de 3 a 6 semanas.  O organismo leva de 30 a 60 dias após a infecção para produzir anticorpos anti-HIV.  Os primeiros sintomas são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal-estar.  Por isso, a maioria dos casos passa despercebido.
  • 8. Sintomas e fases da AIDS:  A próxima fase é marcada pela forte interação entre as células de defesa e as constantes e rápidas mutações do vírus.  Mas que não enfraquece o organismo o suficiente para permitir novas doenças, pois os vírus amadurecem e morrem de forma equilibrada.  Esse período, que pode durar muitos anos, é chamado de assintomático.
  • 9.  Sintomas e fases da AIDS:  Com o frequente ataque, as células de defesa começam a funcionar com menos eficiência até serem destruídas.  O organismo fica cada vez mais fraco e vulnerável a infecções comuns.  A fase sintomática inicial é caracterizada pela alta redução dos linfócitos T CD4 - glóbulos brancos do sistema imunológico - que chegam a ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue.  Em adultos saudáveis, esse valor varia entre 800 a 1.200 unidades.  Os sintomas mais comuns são: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento.
  • 10.  Sintomas e fases da AIDS:  A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, que recebem esse nome por se aproveitarem da fraqueza do organismo.  Com isso, atinge-se o estágio mais avançado da doença, a AIDS.  Quem chega a essa fase, por não saber ou não seguir o tratamento indicado pelos médicos, pode sofrer de hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer.  Por isso, sempre que você transar sem camisinha ou passar por alguma outra situação de risco, aguarde 30 dias e faça o teste.
  • 11.  HIV/AIDS Como o HIV, vírus causador da AIDS, está presente no sangue, sêmen, secreção vaginal e leite materno, a doença pode ser transmitida de várias formas:  Sexo sem camisinha - pode ser vaginal, anal ou oral.  De mãe infectada para o filho durante a gestação, o parto ou a amamentação - também chamado de transmissão vertical.  Uso da mesma seringa ou agulha contaminada por mais de uma pessoa.  Transfusão de sangue contaminado com o HIV.  Instrumentos que furam ou cortam, não esterilizados.  Evitar a doença não é difícil. Basta usar camisinha em todas as relações sexuais e não compartilhar seringa, agulha e outro objeto cortante com outras pessoas. O preservativo está disponível na rede pública de saúde. Caso não saiba onde retirar a camisinha, ligue para o Disque Saúde (136).
  • 12. Hepatites Virais:  Em grande parte dos casos, as hepatites virais são doenças silenciosas, o que reforça a necessidade de ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam os vários tipos de hepatites.  Geralmente, quando os sintomas aparecem a doença já está em estágio mais avançado.  Os mais comuns são: ◦ Febre; ◦ Fraqueza; ◦ Mal-estar; ◦ Dor abdominal; ◦ Enjoo/náuseas; ◦ Vômitos; ◦ Perda de apetite; ◦ Urina escura (cor de café); ◦ Icterícia (olhos e pele amarelados); ◦ Fezes esbranquiçadas (como massa de vidraceiro).
  • 13.  Hepatites Virais:  Para saber se há a necessidade de realizar exames que detectem as hepatites observe se você já se expôs a algumas dessas situações:  Contágio fecal-oral: condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos (vírus A e E);  Transmissão sanguínea: praticou sexo desprotegido, compartilhou seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam (vírus B,C e D);  Transmissão sanguínea: da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação (vírus B,C e D)  No caso das hepatites B e C é preciso um intervalo de 60 dias para que os anticorpos sejam detectados no exame de sangue.
  • 14. Por que usar a camisinha  A camisinha é o método mais eficaz para se prevenir contra muitas doenças sexualmente transmissíveis, como a aids, alguns tipos de hepatites e a sífilis, por exemplo.  Além disso, evita uma gravidez não planejada.  Use camisinha sempre.
  • 15. Por que usar a camisinha  O preservativo não deve ser uma opção somente para quem não se infectou com o HIV.  Além de evitar a transmissão de outras doenças, que podem prejudicar ainda mais o sistema imunológico, previne contra a reinfecção pelo vírus causador da aids, o que pode agravar ainda mais a saúde da pessoa.  Guardar e manusear a camisinha é muito fácil.  Treine antes, assim você não erra na hora.  Nas preliminares, colocar a camisinha no(a) parceiro(a) pode se tornar um momento prazeroso.  Só é preciso seguir o modo correto de uso.  Mas atenção: nunca use duas camisinhas ao mesmo tempo, a í sim, ela pode se romper ou estourar.
  • 16. Cuidados com a higiene:  Além de usar camisinha em todas as relações sexuais, não compartilhar seringas e outros objetos que furam ou cortam e fazer acompanhamento durante a gravidez, alguns cuidados com a higiene são importantes para se evitar a infecção de alguns tipos de hepatites virais (A e E) e outras doenças sexualmente transmissíveis:  Lavar as mãos após ir ao banheiro, trocar fraldas e antes de comer ou preparar alimentos;  Lavar bem, com água tratada, clorada ou fervida, os alimentos que são consumidos crus;  Cozinhar bem os alimentos antes de consumi-los, principalmente mariscos e frutos do mar;  Lavar adequadamente pratos, copos, talheres e mamadeiras;  Orientar creches, pré-escolas, lanchonetes, restaurantes e instituições fechadas para a adoção de medidas rigorosas de higiene, tal como a desinfecção de objetos, bancadas e chão utilizando hipoclorito de sódio a 2,5% ou água sanitária;
  • 17. Cuidados com a higiene:  Evitar a construção de fossas próximas a poços e nascentes de rios, para não comprometer o lençol de água que alimenta o poço.  Deve-se respeitar, por medidas de segurança, a distância mínima de 15 metros entre o poço e a fossa do tipo seca e de 45 metros, para os demais focos de contaminação, como chiqueiros, estábulos, valões de esgoto, galerias de infiltração e outros;  Não tomar banho ou brincar perto de valões, riachos, chafarizes e enchentes ou próximo de onde haja esgoto a céu aberto;  Caso haja algum doente com hepatite A em casa, utilizar hipoclorito de sódio ou água sanitária ao lavar o banheiro;  Orientar também a lavagem dos alimentos, deixando-os na água tratada com hipoclorito de sódio por meia hora;  Exigir material esterilizado ou descartável nos consultórios médicos, odontológicos de acupuntura, assim como em estúdios de tatuagens;
  • 18. Cuidados com a higiene:  Exigir material esterilizado ou descartável nas barbearias e nos salões de manicure/pedicure. ◦ O ideal é que cada pessoa tenha o seu kit de manicure/pedicure, composto de:  tesourinha,  alicate,  cortador de unha,  lixa de unha,  lixa de pé,  empurrador/espátula,  palito,  Escovinha  toalha;  Exigir material esterilizado ou descartável nos locais de realização de tatuagens e colocação de piercings;  Não compartilhar escovas de dente, lâminas de barbear ou de depilar;
  • 19. Cuidados com a higiene:  Não compartilhar equipamentos para uso de drogas (agulhas, seringas, cachimbos ou canudos);  Não compartilhar agulhas ou seringas, em outras situações;  Não compartilhas lençóis, toalhas e roupas íntimas, em qualquer situação;  Buscar atendimento médico se apresentar qualquer sinal ou sintoma da doença ou em caso de exposição a alguma situação de transmissão das hepatites virais;  Vacinar-se contra a hepatite B. São 3 doses que podem ser aplicadas em qualquer unidade básica de saúde. Para saber qual é a mais próxima da sua casa, ligue para o Disque Saúde (136). PREVINA-SE USE CAMISINHA