SlideShare uma empresa Scribd logo
URBANIZAÇÃO
X
IMPACTOS AMBIENTAIS
PROCESSO DE URBANIZAÇÃO DAS
CIDADES
 Urbanização é o aumento proporcional da população urbana em relação à população
rural.
 O processo de urbanização, principalmente nos países em desenvolvimento, é uma das
mais agressivas formas de relacionamento entre o homem e o meio ambiente.
 A partir da revolução industrial, o processo do crescimento das cidades se acelerou pelas
duas razões já apontadas:
A necessidade de mão-de-obra nas indústrias e a redução do número de
trabalhadores no campo.
O fenômeno urbano chegou acompanhado por uma série de
problemas:
1° Aglomerações urbanas da Inglaterra e França quanto a poluição
atmosférica, falta de saneamento básico e condições precárias de vida
para os seus habitantes;
2° Devido a urbanização do Brasil ter sido tardia, o crescimento do
país ocorreu sem planejamento;
3° Êxodo rural no Brasil provocou um inchamento das cidades
conhecidas como macrocefalia urbana.
URBANIZAÇÃO CONTEMPORÂNEA
Características essenciais da urbanização contemporâneo são a:
Sua velocidade e generalização;
Devido ao congestionamento de migrantes para as cidades, nascem bairros,
subúrbios e a periferia, que podem originar novas cidades.
Cultura Urbana: No plano material, essa cultura cria um meio técnico e
inúmeras exigências concretas: água, esgotos e serviços em geral. No plano
psicossocial, manifesta-se pelo aparecimento de uma nova personalidade.
OCUPAÇÃO DESORDENADA URBANA
Engarrafamentos quilométricos geradores de fumaça e ruídos que interferem na
qualidade de vida, a volumosa produção de lixo, o que exige espaço para o seu
depósito e cuidados ecológicos com o seu manejo, a carência de áreas verdes para
o lazer e o entretenimento das pessoas são problemas comuns decorrentes da
urbanização que causou a ocupação desordenada de indivíduos.
1950: O brasil tinha 36% da população vivendo em áreas urbanas; em
2000, o índice já somava um total de 81%. Outra característica da
urbanização problemática é que o aumento da população urbana é muito
maior do que sua capacidade de gerar empregos:
“Como resultado desse desnível entre urbanização e oferta de novos
empregos urbanos, são comuns nas grandes cidades do sul as paisagens
que mostram lado a lado o moderno e o tradicional, o excessivamente
luxuoso e o paupérrimo: bairros ricos ao lado de imensas favelas,
modernos edifícios de escritórios ao lado de prédios deteriorados e
cheios de cortiços, o empresário em seu carro com motorista particular
passando numa avenida onde mendigos pedem esmolas e crianças ou
subempregados vendem bugigangas”. (José William Vesentini, “A capital
da geopolítica”)
CAUSAS
Surgimento das máquinas, migração de habitantes rurais para
o centro urbano, esperança de uma boa qualidade de vida e
de novas oportunidades para manter a subsistência.
CONSEQUÊNCIAS
Desmatamento, a impermeabilização do solo, no
assoreamento de rios e córregos com a freqüência
ainda maior de cheias e inundações, que atingem
exatamente os estratos mais pobres da população,
poluição atmosférica, do solo, das águas, enchentes,
deslizamentos, etc.
FAVELIZAÇÃO
A Favelização é o processo de surgimento e crescimento do número de favelas em uma
dada cidade ou local.
Trata-se de um problema social, pois tais moradias constituem-se a partir das
contradições econômicas, históricas e sociais, o que resulta na formação de casas sem
planejamento mínimo, oriundas de invasões e ocupações irregulares.
A problemática da formação de favelas no espaço da cidade está diretamente ligada a
dois principais fatores: a urbanização e a industrialização.
O Brasil já ultrapassou a marca de 11 milhões de pessoas morando em favelas;
Relatório do programa habitat, órgão ligado à ONU, revela que 52,3 milhões de
brasileiros - cerca de 28% da população - vivem nas 16.433 favelas cadastradas
no país, contingente que chegará a 55 milhões de pessoas em 2020.
O processo de favelização revela as consequências das desigualdades socioeconômicas
que marcam a produção do espaço e contribuem para a segregação urbana e cultural
das classes menos afastadas da sociedade.
Em uma situação socioeconômica como a que vivenciamos hoje, discutir à respeito do
‘morar’ nos grandes centros urbanos acaba esbarrando nos desafios das ocupações
irregulares. Onde há vinte anos atrás era comum encontrar casas com grandes jardins,
crianças brincando na rua, vizinhos trocando experiências de vida; não é surpresa
caminhar hoje e, paralelo ao muro de um grande condomínio com edifícios de alto
padrão, encontrar um córrego com Área de Preservação Ambiental violada e ocupações
irregulares em situação de risco. De um lado, a ‘segurança’ de grandes muros e sistemas
de câmeras de alta tecnologia, e do outro, a tecnologia do improviso.
IMPACTOS GERADOS PELA URBANIZAÇÃO
IRREGULAR
HIDROSFERA;
FAUNA E FLORA;
ATMOSFERA;
SOLOS;
SUPERFICIE TERRESTRE.
HIDROSFERA
A questão dos impactos ambientais na hidrosfera vai do desperdício ao usar a água
desde a falta de saneamento, esgoto a céu aberto proporcionando todos os tipos de
poluição hídrica.
Poluição das águas doces: A contaminação das águas doces é um fenômeno muito
antigo. Contudo, hoje em dia reveste-se de particular importância, devido ao elevado
nível de desenvolvimento das atividades econômicas e domésticas, como consequência
do crescimento demográfico e da melhoria do nível de vida das populações. Para
menor consumo deste recurso implica uma diminuição da qualidade da água, pondo
em perigo o equilíbrio dos ecossistemas e do próprio Homem.
A POLUIÇÃO AGRO-PECUÁRIA
A poluição agro-pecuária e a maciça utilização de fertilizantes químicos
azotados, e pesticidas na agricultura moderna, as descargas de esgotos
por tratar e ainda a criação intensiva de gado, que produz desperdícios
ricos em nitrados solúveis, o que tem como consequência, além da
poluição dos solos, a degradação dos recursos hídricos, que traz
consequências graves para a saúde.
A pecuária moderna e a avicultura tornam-se também fontes de poluição.
Dejetos, substâncias químicas componentes das rações, sangue e pedaços
de vísceras oriundas dos matadouros, bem como detergentes utilizados
na lavagem das pocilgas, estábulos e aviários, são lançados sem
tratamento, inquinando as águas superficiais e subterrâneas, alem do seu
mal cheiro, que empesta a atmosfera.
ATMOSFERA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA: é a contaminação da atmosfera por resíduos ou produtos
secundários gasosos, sólidos ou líquidos, que podem ser nocivos à saúde dos seres humanos,
causar danos em plantas, atacar diferentes materiais, reduzir a visibilidade e produzir odores
desagradáveis.
A CADA ANO, OS PAÍSES INDUSTRIALIZADOS GERAM MILHÕES DE TONELADAS DE
CONTAMINANTES. OS CONTAMINANTES MAIS COMUNS E AMPLAMENTE DISPERSOS
SÃO O MONÓXIDO DE CARBONO, O DIÓXIDO DE ENXOFRE, OS ÓXIDOS DE
NITROGÊNIO, O OZÔNIO, O DIÓXIDO DE CARBONO OU AS PARTÍCULAS EM
SUSPENSÃO. O NÍVEL DE POLUIÇÃO É MEDIDO PELA CONCENTRAÇÃO DE
CONTAMINANTES (MICROGRAMAS POR METRO QUADRADO DE AR OU, NO CASO
DOS GASES, O NÚMERO DE MOLÉCULAS DE CONTAMINANTES POR MILHÃO DE
MOLÉCULAS DE AR).
IMPACTOS NA FAUNA E FLORA
Micro ecossistemas: como rodovias e estradas de ferro, cinturões verdes e cemitérios, parques, áreas
residenciais, comerciais e industriais, lixões, etc.
A fauna e a flora atual das cidades é afetada por inúmeros fatores, tanto ecológicos quanto
históricos, sendo um reflexo não apenas de uma depauperação da composição faunística e florística
original (anterior aos processos de urbanização), mas também da repetida introdução de espécies
exógenas; ela é fruto não apenas desta diversidade atual de micro ecossistemas urbanos, mas
também de fluxos de fauna entre tais micro ecossistemas, de efeitos de borda e de gradientes locais
e gerais de urbanização; as intervenções humanas regulares, tais como técnicas de jardinagem, uso
de pesticidas, herbicidas e inseticidas constituem um último e importante fator que define a
composição faunística e florística nas cidades
SOLOS
Problemas como a compactação, a erosão, a poluição, inundações e deslizamentos no
meio urbano podem ser provocados pela utilização inadequada do recurso solo,
resultante da falta de conhecimento do seu comportamento quando submetido às
aplicações urbanas. Portanto, o solo deve ser utilizado conforme sua aptidão de uso,
observando suas potencialidades e respeitando suas limitações e fragilidades. Em todos
estes eventos, há uma degradação da qualidade de vida, e em muitos, os prejuízos são
irreparáveis ou sua recuperação é inviável. Neste sentido, é necessário maior
investimento no estudo e na divulgação do uso do solo e seus efeitos no meio urbano.
SUPERFÍCIE TERRESTRE
A superfície terrestre é composta por irregularidades, apresenta-se de formas
diferentes em todo o planeta, essas modificações são causadas especialmente
pelos agentes modeladores do relevo que agem internamente (interior da
Terra) ou externamente (fora do interior da Terra).
 Processos erosivos.
CONAMA
SEGUNDO A RESOLUÇÃO CONAMA Nº001 DE JANEIRO DE
1986, O IMPACTO AMBIENTAL É DEFINIDO
COMO QUALQUER ALTERAÇÃO DAS PROPRIEDADES
FÍSICAS, QUÍMICAS E BIOLÓGICAS DO MEIO AMBIENTE,
CAUSADA POR QUALQUER FORMA DE MATÉRIA OU
ENERGIA RESULTANTE DAS ATIVIDADES HUMANAS QUE,
DIRETA OU INDIRETAMENTE, AFETAM A SAÚDE, A
SEGURANÇA E O BEM-ESTAR DA POPULAÇÃO; AS
ATIVIDADES SOCIAIS E ECONÔMICAS; A BIOTA; AS
CONDIÇÕES ESTÉTICAS E SANITÁRIAS DO MEIO
AMBIENTE; E A QUALIDADE DOS RECURSOS AMBIENTAIS.
LEI ESTADUAL N° 1356
DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS VINCULADOS À ELABORAÇÃO, ANÁLISE E APROVAÇÃO
DOS ESTUDOS DE IMPACTO AMBIENTAL.
Art. 1º - Dependerá da elaboração de Estudos de Impacto Ambiental e do respectivo Relatório
de Impacto Ambiental - RIMA a serem submetidos à aprovação da Comissão Estadual de
Controle Ambiental - CECA, os licenciamento da implantação e da Ampliação das seguintes
instalações e/ou atividades:
I - estradas de rodagem com duas ou mais pistas de rolamento;
II - ferrovias;
III - portos e terminais de minério, petróleo e produtos químicos;
IV - aeroportos, conforme definidos na legislação pertinente;
LEI FEDERAL N° 6766-79
Dispõe sobre o Parcelamento do Solo Urbano e dá outras Providências.
Parágrafo único. Não será permitido o parcelamento do solo:
I - em terrenos alagadiços e sujeitos a inundações, antes de tomadas as providências para assegurar o
escoamento das águas;
I - em terrenos que tenham sido aterrados com material nocivo à saúde pública, sem que sejam
previamente saneados;
I - em terreno com declividade igual ou superior a 30% (trinta por cento), salvo se atendidas exigências
específicas das autoridades competentes;
IV - em terrenos onde as condições geológicas não aconselham a edificação;
V - em áreas de preservação ecológica ou naquelas onde a poluição impeça condições sanitárias
suportáveis, até a sua correção.
DECRETO Nº 322 DE 3 DE MARÇO DE
1976
Art. 4.º As disposições do Regulamento de Zoneamento que permitam edificação residencial
multifamiliar ou alterem condições de uso e atividades não incidirão sobre áreas de projetos
aprovados de loteamentos com restrições urbanísticas impostas pelo loteador e que tenham sido
objeto de averbação no Registro de Imóveis.
10 - ZE-10 - de recuperação urbana de áreas já consolidadas, constituídas por aglomerações de
habitações subnormais, consideradas de interesse social.
OBRIGADO
CETEP-ES
3° ANO A C.A
GABRIELA SILVA DOS SANTOS
HÁVILA SAID SILVA EVANGELISTA
MARCELA DA ROCHA CRUZ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As cidades e a urbanização
As cidades e a urbanizaçãoAs cidades e a urbanização
As cidades e a urbanização
Marco Santos
 
Demografia
DemografiaDemografia
Organização do espaço urbano
Organização do espaço urbanoOrganização do espaço urbano
Organização do espaço urbano
João José Ferreira Tojal
 
O Espaco Urbano
O Espaco UrbanoO Espaco Urbano
O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO
O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãOO EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO
O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO
Maria Olandina Machado
 
Urbanização conceitos
Urbanização conceitosUrbanização conceitos
Urbanização conceitos
Vitor Pereira Rodrigues
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
Fatima Freitas
 
As Cidades E A UrbanizaçãO Brasileira
As Cidades E A UrbanizaçãO BrasileiraAs Cidades E A UrbanizaçãO Brasileira
As Cidades E A UrbanizaçãO Brasileira
Felippe Viêtas
 
Urbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópolesUrbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópoles
Professor
 
Urbanizacao
UrbanizacaoUrbanizacao
Urbanizacao
Almir
 
Urbanização e Meio Ambiente
Urbanização e Meio AmbienteUrbanização e Meio Ambiente
Urbanização e Meio Ambiente
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Planejamento Urbano
Planejamento Urbano Planejamento Urbano
Planejamento Urbano
Jubsilva
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
Prof.Paulo/geografia
 
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
Luciano Pessanha
 
Planejamento urbano
Planejamento urbanoPlanejamento urbano
Planejamento urbano
Paulo Orlando
 
URBANIZAÇÃO
URBANIZAÇÃO URBANIZAÇÃO
URBANIZAÇÃO
Luciana Souza
 
Espaço Urbano e Espaço Rural
Espaço Urbano e Espaço  Rural Espaço Urbano e Espaço  Rural
Espaço Urbano e Espaço Rural
Google
 
Cap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileiraCap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileira
profacacio
 
ABDI Apresentação Cidades Inteligentes
ABDI Apresentação Cidades InteligentesABDI Apresentação Cidades Inteligentes
ABDI Apresentação Cidades Inteligentes
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações
 
Geografia movimentos populacionais
Geografia   movimentos populacionaisGeografia   movimentos populacionais
Geografia movimentos populacionais
Gustavo Soares
 

Mais procurados (20)

As cidades e a urbanização
As cidades e a urbanizaçãoAs cidades e a urbanização
As cidades e a urbanização
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
Organização do espaço urbano
Organização do espaço urbanoOrganização do espaço urbano
Organização do espaço urbano
 
O Espaco Urbano
O Espaco UrbanoO Espaco Urbano
O Espaco Urbano
 
O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO
O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãOO EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO
O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO
 
Urbanização conceitos
Urbanização conceitosUrbanização conceitos
Urbanização conceitos
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
 
As Cidades E A UrbanizaçãO Brasileira
As Cidades E A UrbanizaçãO BrasileiraAs Cidades E A UrbanizaçãO Brasileira
As Cidades E A UrbanizaçãO Brasileira
 
Urbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópolesUrbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópoles
 
Urbanizacao
UrbanizacaoUrbanizacao
Urbanizacao
 
Urbanização e Meio Ambiente
Urbanização e Meio AmbienteUrbanização e Meio Ambiente
Urbanização e Meio Ambiente
 
Planejamento Urbano
Planejamento Urbano Planejamento Urbano
Planejamento Urbano
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
 
Planejamento urbano
Planejamento urbanoPlanejamento urbano
Planejamento urbano
 
URBANIZAÇÃO
URBANIZAÇÃO URBANIZAÇÃO
URBANIZAÇÃO
 
Espaço Urbano e Espaço Rural
Espaço Urbano e Espaço  Rural Espaço Urbano e Espaço  Rural
Espaço Urbano e Espaço Rural
 
Cap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileiraCap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileira
 
ABDI Apresentação Cidades Inteligentes
ABDI Apresentação Cidades InteligentesABDI Apresentação Cidades Inteligentes
ABDI Apresentação Cidades Inteligentes
 
Geografia movimentos populacionais
Geografia   movimentos populacionaisGeografia   movimentos populacionais
Geografia movimentos populacionais
 

Destaque

Poluição de Solos
Poluição de SolosPoluição de Solos
Poluição de Solos
Luís Filipe Marinho
 
Bioacumulacao2
Bioacumulacao2Bioacumulacao2
Bioacumulacao2
SerranoNeves
 
Avaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atualAvaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atual
João Alfredo Telles Melo
 
Apostila estradas
Apostila estradasApostila estradas
Apostila estradas
Jean Carlos Wittaczik
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
edsonluz
 
EIA - RIMA
EIA - RIMAEIA - RIMA
EIA - RIMA
Beatriz Henkels
 
8. impactos ambientais da urbanização
8. impactos ambientais da urbanização8. impactos ambientais da urbanização
8. impactos ambientais da urbanização
Virna Salgado Barra
 
Poluição dos solos
Poluição dos solosPoluição dos solos
Poluição dos solos
martanoval
 
Estradas
EstradasEstradas
Estradas
Flavio Araujo
 
Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3
Luis Olavo
 
Camada de ozono
Camada de ozonoCamada de ozono
Camada de ozono
Tiago Silva
 
Destruição da camada de ozono
Destruição da camada de ozonoDestruição da camada de ozono
Destruição da camada de ozono
Rita Pereira
 
Poluição do solo
Poluição do soloPoluição do solo
Poluição do solo
Ludimilla Albuquerque
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
victorjunio82
 
Poluição no Solo
Poluição no SoloPoluição no Solo
Poluição no Solo
AlineAiza
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemasPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
filomenacatatua
 
Apostila estradas de rodagem i
Apostila estradas de rodagem iApostila estradas de rodagem i
Poluição dos solos
Poluição dos solosPoluição dos solos
Poluição dos solos
lisamarlenenicole
 
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemasA influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
Leonardo Alves
 
Poluição das Águas
Poluição das  ÁguasPoluição das  Águas
Poluição das Águas
Helena Marques
 

Destaque (20)

Poluição de Solos
Poluição de SolosPoluição de Solos
Poluição de Solos
 
Bioacumulacao2
Bioacumulacao2Bioacumulacao2
Bioacumulacao2
 
Avaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atualAvaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atual
 
Apostila estradas
Apostila estradasApostila estradas
Apostila estradas
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
EIA - RIMA
EIA - RIMAEIA - RIMA
EIA - RIMA
 
8. impactos ambientais da urbanização
8. impactos ambientais da urbanização8. impactos ambientais da urbanização
8. impactos ambientais da urbanização
 
Poluição dos solos
Poluição dos solosPoluição dos solos
Poluição dos solos
 
Estradas
EstradasEstradas
Estradas
 
Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3
 
Camada de ozono
Camada de ozonoCamada de ozono
Camada de ozono
 
Destruição da camada de ozono
Destruição da camada de ozonoDestruição da camada de ozono
Destruição da camada de ozono
 
Poluição do solo
Poluição do soloPoluição do solo
Poluição do solo
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Poluição no Solo
Poluição no SoloPoluição no Solo
Poluição no Solo
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemasPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
 
Apostila estradas de rodagem i
Apostila estradas de rodagem iApostila estradas de rodagem i
Apostila estradas de rodagem i
 
Poluição dos solos
Poluição dos solosPoluição dos solos
Poluição dos solos
 
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemasA influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
A influência das catástrofes no equilíbrio dos ecossistemas
 
Poluição das Águas
Poluição das  ÁguasPoluição das  Águas
Poluição das Águas
 

Semelhante a Urbanização

Cidades sustentáveis exigência do século xxi
Cidades sustentáveis  exigência do século xxiCidades sustentáveis  exigência do século xxi
Cidades sustentáveis exigência do século xxi
Fernando Alcoforado
 
Problemas sociais e ambientais nas cidades
Problemas sociais e ambientais nas cidades   Problemas sociais e ambientais nas cidades
Problemas sociais e ambientais nas cidades
Anna Vittória
 
Atividades urbanizaçao
Atividades urbanizaçaoAtividades urbanizaçao
Atividades urbanizaçao
Atividades Diversas Cláudia
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
brunadeorce
 
Problemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagemProblemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagem
Genilson Da Mata Silva
 
O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...
O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...
O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...
Fernando Alcoforado
 
7ª aula- Gestão ambiental urbana.
7ª aula- Gestão ambiental urbana. 7ª aula- Gestão ambiental urbana.
7ª aula- Gestão ambiental urbana.
Adriely Negrine Azevedo
 
DESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICA
DESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICADESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICA
DESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICA
Tobias Vier Schwambach
 
Assentamentos urbanos
Assentamentos urbanosAssentamentos urbanos
Assentamentos urbanos
abokaiuka
 
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf  Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Israel serique
 
Meio ambiente Antonio Dalla -Lana CBT 2
Meio ambiente   Antonio Dalla -Lana CBT 2Meio ambiente   Antonio Dalla -Lana CBT 2
Meio ambiente Antonio Dalla -Lana CBT 2
cbtpoars2011
 
Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...
Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...
Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...
Beatriz Soares
 
Questao Urbana Joselia Alves
Questao Urbana   Joselia AlvesQuestao Urbana   Joselia Alves
Questao Urbana Joselia Alves
Myris Silva
 
Revisão 2° fase da u f p e 2010
Revisão 2° fase da  u f p e  2010Revisão 2° fase da  u f p e  2010
Revisão 2° fase da u f p e 2010
landipaula
 
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento UrbanoUrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
vallmachado
 
Trabalho de geografia tema sustentabilidade
Trabalho de geografia tema sustentabilidadeTrabalho de geografia tema sustentabilidade
Trabalho de geografia tema sustentabilidade
norivalfp
 
Urbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de JaneiroUrbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de Janeiro
Juan Da Silva Lemos
 
Trabalho Sobre Urbanização
Trabalho Sobre UrbanizaçãoTrabalho Sobre Urbanização
Trabalho Sobre Urbanização
Tais Rocha
 
Os problemas provocados pelo lixo
Os problemas provocados pelo lixoOs problemas provocados pelo lixo
Os problemas provocados pelo lixo
Clécio Bubela
 

Semelhante a Urbanização (20)

Cidades sustentáveis exigência do século xxi
Cidades sustentáveis  exigência do século xxiCidades sustentáveis  exigência do século xxi
Cidades sustentáveis exigência do século xxi
 
Problemas sociais e ambientais nas cidades
Problemas sociais e ambientais nas cidades   Problemas sociais e ambientais nas cidades
Problemas sociais e ambientais nas cidades
 
Slide romina
Slide   rominaSlide   romina
Slide romina
 
Atividades urbanizaçao
Atividades urbanizaçaoAtividades urbanizaçao
Atividades urbanizaçao
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Problemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagemProblemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagem
 
O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...
O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...
O crescimento desordenado das cidades e o imperativo do desenvolvimento suste...
 
7ª aula- Gestão ambiental urbana.
7ª aula- Gestão ambiental urbana. 7ª aula- Gestão ambiental urbana.
7ª aula- Gestão ambiental urbana.
 
DESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICA
DESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICADESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICA
DESENHO DE ASSENTAMENTOS URBANOS SUSTENTÁVEIS: PROPOSTA METODOLÓGICA
 
Assentamentos urbanos
Assentamentos urbanosAssentamentos urbanos
Assentamentos urbanos
 
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf  Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
 
Meio ambiente Antonio Dalla -Lana CBT 2
Meio ambiente   Antonio Dalla -Lana CBT 2Meio ambiente   Antonio Dalla -Lana CBT 2
Meio ambiente Antonio Dalla -Lana CBT 2
 
Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...
Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...
Os impactos humanos derivados dos problemas ambientais no ambiente urbano - G...
 
Questao Urbana Joselia Alves
Questao Urbana   Joselia AlvesQuestao Urbana   Joselia Alves
Questao Urbana Joselia Alves
 
Revisão 2° fase da u f p e 2010
Revisão 2° fase da  u f p e  2010Revisão 2° fase da  u f p e  2010
Revisão 2° fase da u f p e 2010
 
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento UrbanoUrbanizaçãO e Crescimento Urbano
UrbanizaçãO e Crescimento Urbano
 
Trabalho de geografia tema sustentabilidade
Trabalho de geografia tema sustentabilidadeTrabalho de geografia tema sustentabilidade
Trabalho de geografia tema sustentabilidade
 
Urbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de JaneiroUrbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de Janeiro
 
Trabalho Sobre Urbanização
Trabalho Sobre UrbanizaçãoTrabalho Sobre Urbanização
Trabalho Sobre Urbanização
 
Os problemas provocados pelo lixo
Os problemas provocados pelo lixoOs problemas provocados pelo lixo
Os problemas provocados pelo lixo
 

Mais de Hávila Said

Pampas gaúchas
Pampas gaúchasPampas gaúchas
Pampas gaúchas
Hávila Said
 
Produção de energia elétrica no brasil
Produção de energia elétrica no brasilProdução de energia elétrica no brasil
Produção de energia elétrica no brasil
Hávila Said
 
Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.
Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.
Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.
Hávila Said
 
Mata dos cocais
Mata dos cocaisMata dos cocais
Mata dos cocais
Hávila Said
 
Mata de araucarias
Mata de araucarias Mata de araucarias
Mata de araucarias
Hávila Said
 
Política ambientais
Política ambientaisPolítica ambientais
Política ambientais
Hávila Said
 
BIOMA: MATA ATLÂNTICA
BIOMA: MATA ATLÂNTICA BIOMA: MATA ATLÂNTICA
BIOMA: MATA ATLÂNTICA
Hávila Said
 
Processos sociais urbanos
Processos sociais urbanosProcessos sociais urbanos
Processos sociais urbanos
Hávila Said
 
Acidente da usina nuclear de chernobyl e Fukushima
Acidente da usina nuclear de chernobyl e FukushimaAcidente da usina nuclear de chernobyl e Fukushima
Acidente da usina nuclear de chernobyl e Fukushima
Hávila Said
 

Mais de Hávila Said (9)

Pampas gaúchas
Pampas gaúchasPampas gaúchas
Pampas gaúchas
 
Produção de energia elétrica no brasil
Produção de energia elétrica no brasilProdução de energia elétrica no brasil
Produção de energia elétrica no brasil
 
Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.
Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.
Reciclagem dos resíduos de pneu, metal e vidro.
 
Mata dos cocais
Mata dos cocaisMata dos cocais
Mata dos cocais
 
Mata de araucarias
Mata de araucarias Mata de araucarias
Mata de araucarias
 
Política ambientais
Política ambientaisPolítica ambientais
Política ambientais
 
BIOMA: MATA ATLÂNTICA
BIOMA: MATA ATLÂNTICA BIOMA: MATA ATLÂNTICA
BIOMA: MATA ATLÂNTICA
 
Processos sociais urbanos
Processos sociais urbanosProcessos sociais urbanos
Processos sociais urbanos
 
Acidente da usina nuclear de chernobyl e Fukushima
Acidente da usina nuclear de chernobyl e FukushimaAcidente da usina nuclear de chernobyl e Fukushima
Acidente da usina nuclear de chernobyl e Fukushima
 

Último

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 

Último (20)

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 

Urbanização

  • 2. PROCESSO DE URBANIZAÇÃO DAS CIDADES  Urbanização é o aumento proporcional da população urbana em relação à população rural.  O processo de urbanização, principalmente nos países em desenvolvimento, é uma das mais agressivas formas de relacionamento entre o homem e o meio ambiente.  A partir da revolução industrial, o processo do crescimento das cidades se acelerou pelas duas razões já apontadas: A necessidade de mão-de-obra nas indústrias e a redução do número de trabalhadores no campo.
  • 3. O fenômeno urbano chegou acompanhado por uma série de problemas: 1° Aglomerações urbanas da Inglaterra e França quanto a poluição atmosférica, falta de saneamento básico e condições precárias de vida para os seus habitantes; 2° Devido a urbanização do Brasil ter sido tardia, o crescimento do país ocorreu sem planejamento; 3° Êxodo rural no Brasil provocou um inchamento das cidades conhecidas como macrocefalia urbana.
  • 4. URBANIZAÇÃO CONTEMPORÂNEA Características essenciais da urbanização contemporâneo são a: Sua velocidade e generalização; Devido ao congestionamento de migrantes para as cidades, nascem bairros, subúrbios e a periferia, que podem originar novas cidades. Cultura Urbana: No plano material, essa cultura cria um meio técnico e inúmeras exigências concretas: água, esgotos e serviços em geral. No plano psicossocial, manifesta-se pelo aparecimento de uma nova personalidade.
  • 5. OCUPAÇÃO DESORDENADA URBANA Engarrafamentos quilométricos geradores de fumaça e ruídos que interferem na qualidade de vida, a volumosa produção de lixo, o que exige espaço para o seu depósito e cuidados ecológicos com o seu manejo, a carência de áreas verdes para o lazer e o entretenimento das pessoas são problemas comuns decorrentes da urbanização que causou a ocupação desordenada de indivíduos.
  • 6.
  • 7. 1950: O brasil tinha 36% da população vivendo em áreas urbanas; em 2000, o índice já somava um total de 81%. Outra característica da urbanização problemática é que o aumento da população urbana é muito maior do que sua capacidade de gerar empregos: “Como resultado desse desnível entre urbanização e oferta de novos empregos urbanos, são comuns nas grandes cidades do sul as paisagens que mostram lado a lado o moderno e o tradicional, o excessivamente luxuoso e o paupérrimo: bairros ricos ao lado de imensas favelas, modernos edifícios de escritórios ao lado de prédios deteriorados e cheios de cortiços, o empresário em seu carro com motorista particular passando numa avenida onde mendigos pedem esmolas e crianças ou subempregados vendem bugigangas”. (José William Vesentini, “A capital da geopolítica”)
  • 8. CAUSAS Surgimento das máquinas, migração de habitantes rurais para o centro urbano, esperança de uma boa qualidade de vida e de novas oportunidades para manter a subsistência. CONSEQUÊNCIAS Desmatamento, a impermeabilização do solo, no assoreamento de rios e córregos com a freqüência ainda maior de cheias e inundações, que atingem exatamente os estratos mais pobres da população, poluição atmosférica, do solo, das águas, enchentes, deslizamentos, etc.
  • 9. FAVELIZAÇÃO A Favelização é o processo de surgimento e crescimento do número de favelas em uma dada cidade ou local. Trata-se de um problema social, pois tais moradias constituem-se a partir das contradições econômicas, históricas e sociais, o que resulta na formação de casas sem planejamento mínimo, oriundas de invasões e ocupações irregulares. A problemática da formação de favelas no espaço da cidade está diretamente ligada a dois principais fatores: a urbanização e a industrialização. O Brasil já ultrapassou a marca de 11 milhões de pessoas morando em favelas;
  • 10. Relatório do programa habitat, órgão ligado à ONU, revela que 52,3 milhões de brasileiros - cerca de 28% da população - vivem nas 16.433 favelas cadastradas no país, contingente que chegará a 55 milhões de pessoas em 2020. O processo de favelização revela as consequências das desigualdades socioeconômicas que marcam a produção do espaço e contribuem para a segregação urbana e cultural das classes menos afastadas da sociedade. Em uma situação socioeconômica como a que vivenciamos hoje, discutir à respeito do ‘morar’ nos grandes centros urbanos acaba esbarrando nos desafios das ocupações irregulares. Onde há vinte anos atrás era comum encontrar casas com grandes jardins, crianças brincando na rua, vizinhos trocando experiências de vida; não é surpresa caminhar hoje e, paralelo ao muro de um grande condomínio com edifícios de alto padrão, encontrar um córrego com Área de Preservação Ambiental violada e ocupações irregulares em situação de risco. De um lado, a ‘segurança’ de grandes muros e sistemas de câmeras de alta tecnologia, e do outro, a tecnologia do improviso.
  • 11.
  • 12. IMPACTOS GERADOS PELA URBANIZAÇÃO IRREGULAR HIDROSFERA; FAUNA E FLORA; ATMOSFERA; SOLOS; SUPERFICIE TERRESTRE.
  • 13. HIDROSFERA A questão dos impactos ambientais na hidrosfera vai do desperdício ao usar a água desde a falta de saneamento, esgoto a céu aberto proporcionando todos os tipos de poluição hídrica. Poluição das águas doces: A contaminação das águas doces é um fenômeno muito antigo. Contudo, hoje em dia reveste-se de particular importância, devido ao elevado nível de desenvolvimento das atividades econômicas e domésticas, como consequência do crescimento demográfico e da melhoria do nível de vida das populações. Para menor consumo deste recurso implica uma diminuição da qualidade da água, pondo em perigo o equilíbrio dos ecossistemas e do próprio Homem.
  • 14. A POLUIÇÃO AGRO-PECUÁRIA A poluição agro-pecuária e a maciça utilização de fertilizantes químicos azotados, e pesticidas na agricultura moderna, as descargas de esgotos por tratar e ainda a criação intensiva de gado, que produz desperdícios ricos em nitrados solúveis, o que tem como consequência, além da poluição dos solos, a degradação dos recursos hídricos, que traz consequências graves para a saúde. A pecuária moderna e a avicultura tornam-se também fontes de poluição. Dejetos, substâncias químicas componentes das rações, sangue e pedaços de vísceras oriundas dos matadouros, bem como detergentes utilizados na lavagem das pocilgas, estábulos e aviários, são lançados sem tratamento, inquinando as águas superficiais e subterrâneas, alem do seu mal cheiro, que empesta a atmosfera.
  • 15.
  • 16. ATMOSFERA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA: é a contaminação da atmosfera por resíduos ou produtos secundários gasosos, sólidos ou líquidos, que podem ser nocivos à saúde dos seres humanos, causar danos em plantas, atacar diferentes materiais, reduzir a visibilidade e produzir odores desagradáveis.
  • 17. A CADA ANO, OS PAÍSES INDUSTRIALIZADOS GERAM MILHÕES DE TONELADAS DE CONTAMINANTES. OS CONTAMINANTES MAIS COMUNS E AMPLAMENTE DISPERSOS SÃO O MONÓXIDO DE CARBONO, O DIÓXIDO DE ENXOFRE, OS ÓXIDOS DE NITROGÊNIO, O OZÔNIO, O DIÓXIDO DE CARBONO OU AS PARTÍCULAS EM SUSPENSÃO. O NÍVEL DE POLUIÇÃO É MEDIDO PELA CONCENTRAÇÃO DE CONTAMINANTES (MICROGRAMAS POR METRO QUADRADO DE AR OU, NO CASO DOS GASES, O NÚMERO DE MOLÉCULAS DE CONTAMINANTES POR MILHÃO DE MOLÉCULAS DE AR).
  • 18. IMPACTOS NA FAUNA E FLORA Micro ecossistemas: como rodovias e estradas de ferro, cinturões verdes e cemitérios, parques, áreas residenciais, comerciais e industriais, lixões, etc. A fauna e a flora atual das cidades é afetada por inúmeros fatores, tanto ecológicos quanto históricos, sendo um reflexo não apenas de uma depauperação da composição faunística e florística original (anterior aos processos de urbanização), mas também da repetida introdução de espécies exógenas; ela é fruto não apenas desta diversidade atual de micro ecossistemas urbanos, mas também de fluxos de fauna entre tais micro ecossistemas, de efeitos de borda e de gradientes locais e gerais de urbanização; as intervenções humanas regulares, tais como técnicas de jardinagem, uso de pesticidas, herbicidas e inseticidas constituem um último e importante fator que define a composição faunística e florística nas cidades
  • 19.
  • 20. SOLOS Problemas como a compactação, a erosão, a poluição, inundações e deslizamentos no meio urbano podem ser provocados pela utilização inadequada do recurso solo, resultante da falta de conhecimento do seu comportamento quando submetido às aplicações urbanas. Portanto, o solo deve ser utilizado conforme sua aptidão de uso, observando suas potencialidades e respeitando suas limitações e fragilidades. Em todos estes eventos, há uma degradação da qualidade de vida, e em muitos, os prejuízos são irreparáveis ou sua recuperação é inviável. Neste sentido, é necessário maior investimento no estudo e na divulgação do uso do solo e seus efeitos no meio urbano.
  • 21.
  • 22. SUPERFÍCIE TERRESTRE A superfície terrestre é composta por irregularidades, apresenta-se de formas diferentes em todo o planeta, essas modificações são causadas especialmente pelos agentes modeladores do relevo que agem internamente (interior da Terra) ou externamente (fora do interior da Terra).  Processos erosivos.
  • 23. CONAMA SEGUNDO A RESOLUÇÃO CONAMA Nº001 DE JANEIRO DE 1986, O IMPACTO AMBIENTAL É DEFINIDO COMO QUALQUER ALTERAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS, QUÍMICAS E BIOLÓGICAS DO MEIO AMBIENTE, CAUSADA POR QUALQUER FORMA DE MATÉRIA OU ENERGIA RESULTANTE DAS ATIVIDADES HUMANAS QUE, DIRETA OU INDIRETAMENTE, AFETAM A SAÚDE, A SEGURANÇA E O BEM-ESTAR DA POPULAÇÃO; AS ATIVIDADES SOCIAIS E ECONÔMICAS; A BIOTA; AS CONDIÇÕES ESTÉTICAS E SANITÁRIAS DO MEIO AMBIENTE; E A QUALIDADE DOS RECURSOS AMBIENTAIS.
  • 24. LEI ESTADUAL N° 1356 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS VINCULADOS À ELABORAÇÃO, ANÁLISE E APROVAÇÃO DOS ESTUDOS DE IMPACTO AMBIENTAL. Art. 1º - Dependerá da elaboração de Estudos de Impacto Ambiental e do respectivo Relatório de Impacto Ambiental - RIMA a serem submetidos à aprovação da Comissão Estadual de Controle Ambiental - CECA, os licenciamento da implantação e da Ampliação das seguintes instalações e/ou atividades: I - estradas de rodagem com duas ou mais pistas de rolamento; II - ferrovias; III - portos e terminais de minério, petróleo e produtos químicos; IV - aeroportos, conforme definidos na legislação pertinente;
  • 25. LEI FEDERAL N° 6766-79 Dispõe sobre o Parcelamento do Solo Urbano e dá outras Providências. Parágrafo único. Não será permitido o parcelamento do solo: I - em terrenos alagadiços e sujeitos a inundações, antes de tomadas as providências para assegurar o escoamento das águas; I - em terrenos que tenham sido aterrados com material nocivo à saúde pública, sem que sejam previamente saneados; I - em terreno com declividade igual ou superior a 30% (trinta por cento), salvo se atendidas exigências específicas das autoridades competentes; IV - em terrenos onde as condições geológicas não aconselham a edificação; V - em áreas de preservação ecológica ou naquelas onde a poluição impeça condições sanitárias suportáveis, até a sua correção.
  • 26. DECRETO Nº 322 DE 3 DE MARÇO DE 1976 Art. 4.º As disposições do Regulamento de Zoneamento que permitam edificação residencial multifamiliar ou alterem condições de uso e atividades não incidirão sobre áreas de projetos aprovados de loteamentos com restrições urbanísticas impostas pelo loteador e que tenham sido objeto de averbação no Registro de Imóveis. 10 - ZE-10 - de recuperação urbana de áreas já consolidadas, constituídas por aglomerações de habitações subnormais, consideradas de interesse social.
  • 28. CETEP-ES 3° ANO A C.A GABRIELA SILVA DOS SANTOS HÁVILA SAID SILVA EVANGELISTA MARCELA DA ROCHA CRUZ

Notas do Editor

  1. As favelas apresentam uma concentração de casebres e barracos em situação precária, desprovidos, em sua maioria, de serviços públicos básicos, geralmente estão situadas em áreas de risco e abrigam grandes grupos criminosos, como o tráfico de drogas.