SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Funcionamento da língua –
Língua Portuguesa 3º Ciclo
Contagem das sílabas métricas
• No texto poético, a forma mais comum de fazer a divisão silábica dos
versos é através das sílabas métricas, também chamadas de sílabas
poéticas. As sílabas métricas são diferentes das sílabas gramaticais e a
sua contagem requere o cumprimento de certas regras.
• Logo, a contagem das sílabas gramaticais e das sílabas métricas não
é igual. As sílabas gramaticais, próprias da prosa, não são as mesmas
que as sílabas métricas, mais frequentemente usadas no texto poético, e,
por vezes, não coincidem.
Sílabas métricas e sílabas
gramaticais - comparação
• Como podemos observar ,na imagem que se segue o número de sílabas
métricas e o número de sílabas gramaticais não coincide. Chamamos a contagem
das sílabas métricas escansão dos versos. Escandir os versos é indicar as suas
sílabas métricas, respeitando a acentuação das sílabas gramaticais.
Regras para a contagem das sílabas métricas
1. Só se conta até à última sílaba tónica do verso. Retomando o
exemplo anterior, tem-se:
Não se conta a sílaba “da” porque a última palavra do verso, “lida”, é
uma palavra grave. Na contagem das sílabas métricas a última sílaba da
última palavra não se conta se a palavra for grava ou esdrúxula (a
última sílaba é átona), só se conta se for uma palavra aguda (a última
sílaba é tónica).
2. Quando uma palavra do verso termina numa vogal átona e a palavra
seguinte começa por uma vogal ou por um H (a letra H no início de
uma palavra não se lê, logo não é um fonema, é apenas uma letra), a
última sílaba gramatical da primeira palavra e a primeira sílaba gramatical
da segunda palavra fundem-se numa só sílaba métrica. Retomando o
exemplo anterior tem-se:
3. Se a última sílaba gramatical de uma palavra do verso e a primeira
sílaba gramatical da palavra seguinte correspondem ao mesmo som
vocálico, estas fundem-se numa só sílaba gramatical.
Exemplo: Tí / mi / da es / pe / ra a / bai / la / ri / na.
Classificação dos versos quanto ao número de sílabas métricas
Nº de sílabas métricas Designação do verso
1 Monossílabo
2 Dissílabo
3 Trissílabo
4 Tetrassílabo
5 Pentassílabo ou Redondilha Menor
6 Hexassílabo ou Heroico Quebrado
7 Heptassílabo ou Redondilha Maior
8 Octossílabo
9 Eneassílabo
10 Decassílabo
11 Hendecassílabo
12 Dodecassílabo ou Alexandrino
13 ou mais Bárbaro
Contagem de sílabas métricas em poesia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoAlexandra Canané
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaVanda Sousa
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana SofiaJoana Azevedo
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoDina Baptista
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Lurdes Augusto
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardenteHelena Coutinho
 
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de PortugalMensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de PortugalMaria Teixiera
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerHelena Coutinho
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Lurdes Augusto
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesGijasilvelitz 2
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoGijasilvelitz 2
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagemameliapadrao
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaDina Baptista
 

Mais procurados (20)

Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
Cesário verde
Cesário verdeCesário verde
Cesário verde
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Sísifo- Miguel Torga
Sísifo- Miguel TorgaSísifo- Miguel Torga
Sísifo- Miguel Torga
 
Complemento oblíquo
Complemento oblíquoComplemento oblíquo
Complemento oblíquo
 
Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca Literatura trovadoresca
Literatura trovadoresca
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
 
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de PortugalMensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
Mensagem - D. Sebastião Rei de Portugal
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizer
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Fernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-OrtónimoFernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-Ortónimo
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. Pessoa
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
 

Destaque

Destaque (11)

Exercícios de metrificação
Exercícios de metrificaçãoExercícios de metrificação
Exercícios de metrificação
 
Metrificação
MetrificaçãoMetrificação
Metrificação
 
As funções sintáticas - complemento agente da passiva
As funções sintáticas - complemento agente da passivaAs funções sintáticas - complemento agente da passiva
As funções sintáticas - complemento agente da passiva
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
 
Texto poético
Texto poéticoTexto poético
Texto poético
 
Os refugiados e a crise migratória
Os refugiados e a crise migratóriaOs refugiados e a crise migratória
Os refugiados e a crise migratória
 
Analise de poemas
Analise de poemasAnalise de poemas
Analise de poemas
 
Funções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadoresFunções sintáticas e modificadores
Funções sintáticas e modificadores
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
 

Semelhante a Contagem de sílabas métricas em poesia

Regras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdf
Regras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdfRegras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdf
Regras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdfMaiteFerreira4
 
Características do texto poético 7º ano
Características do texto poético 7º anoCaracterísticas do texto poético 7º ano
Características do texto poético 7º anoIlda Oliveira
 
Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]
Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]
Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]Ilda Oliveira
 
Noções de versificação 2
Noções de versificação 2 Noções de versificação 2
Noções de versificação 2 Rosa Maria Mendes
 
O texto lírico - noções de versificação
O texto lírico  - noções de versificaçãoO texto lírico  - noções de versificação
O texto lírico - noções de versificaçãoJosé Luís
 
As formas literárias
As formas literáriasAs formas literárias
As formas literáriasKaren Olivan
 
NoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãONoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãOguestacbec3
 
CritéRios Para Relacionar Letra E MúSica
CritéRios Para Relacionar Letra E MúSicaCritéRios Para Relacionar Letra E MúSica
CritéRios Para Relacionar Letra E MúSicaHOME
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaBrenda Tacchelli
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gabaPéricles Penuel
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gabaPéricles Penuel
 
Ficha informativa_ Texto Poético
Ficha informativa_ Texto PoéticoFicha informativa_ Texto Poético
Ficha informativa_ Texto PoéticoRaquel Antunes
 
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptxae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptxMarleneVieiraSilva
 

Semelhante a Contagem de sílabas métricas em poesia (20)

Regras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdf
Regras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdfRegras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdf
Regras - escansão de versos _ METRIFICAÇÃO.pdf
 
Poesia 3
Poesia 3Poesia 3
Poesia 3
 
Versificacao
VersificacaoVersificacao
Versificacao
 
Versificacao
VersificacaoVersificacao
Versificacao
 
Noesdeversificao2
Noesdeversificao2Noesdeversificao2
Noesdeversificao2
 
Características do texto poético 7º ano
Características do texto poético 7º anoCaracterísticas do texto poético 7º ano
Características do texto poético 7º ano
 
Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]
Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]
Características%20do%20texto%20poético%208º%20ano[1]
 
Noções de versificação 2
Noções de versificação 2 Noções de versificação 2
Noções de versificação 2
 
O texto lírico - noções de versificação
O texto lírico  - noções de versificaçãoO texto lírico  - noções de versificação
O texto lírico - noções de versificação
 
O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)O texto poetico2 (1)
O texto poetico2 (1)
 
As formas literárias
As formas literáriasAs formas literárias
As formas literárias
 
NoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãONoçõEs De VersificaçãO
NoçõEs De VersificaçãO
 
Poesia lírica
Poesia líricaPoesia lírica
Poesia lírica
 
CritéRios Para Relacionar Letra E MúSica
CritéRios Para Relacionar Letra E MúSicaCritéRios Para Relacionar Letra E MúSica
CritéRios Para Relacionar Letra E MúSica
 
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E RimaPara Estudar Metro Ritmo E Rima
Para Estudar Metro Ritmo E Rima
 
A estrutura do texto poético
A estrutura do texto poéticoA estrutura do texto poético
A estrutura do texto poético
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
 
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota  teoria i escansão poemas cecília meire s gabaNota  teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
Nota teoria i escansão poemas cecília meire s gaba
 
Ficha informativa_ Texto Poético
Ficha informativa_ Texto PoéticoFicha informativa_ Texto Poético
Ficha informativa_ Texto Poético
 
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptxae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
ae_pt8_texto_poetico_ed_lit.pptx
 

Mais de 713773

A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...713773
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano713773
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano713773
 
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º AnoSoluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano713773
 
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º AnoProblemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano713773
 
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º AnoOs transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano713773
 
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º AnoAs redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano713773
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano713773
 
O Cavaquinho
O CavaquinhoO Cavaquinho
O Cavaquinho713773
 
Como Elaborar um Relatório Científico
Como Elaborar um Relatório CientíficoComo Elaborar um Relatório Científico
Como Elaborar um Relatório Científico713773
 
Evolução Fonética
Evolução FonéticaEvolução Fonética
Evolução Fonética713773
 
O Texto Expositivo
O Texto ExpositivoO Texto Expositivo
O Texto Expositivo713773
 
O Advérbio
O Advérbio O Advérbio
O Advérbio 713773
 
Utilização Correta dos Pronomes
Utilização Correta dos PronomesUtilização Correta dos Pronomes
Utilização Correta dos Pronomes713773
 
Processos Fonológicos
Processos FonológicosProcessos Fonológicos
Processos Fonológicos713773
 
Orações Coordenadas e Subordinadas
Orações Coordenadas e SubordinadasOrações Coordenadas e Subordinadas
Orações Coordenadas e Subordinadas713773
 
Sustentabilidade na Terra
Sustentabilidade na TerraSustentabilidade na Terra
Sustentabilidade na Terra713773
 
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de ConceitosCiências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos713773
 
Cem Anos de Solidão - Personagens
Cem Anos de Solidão - PersonagensCem Anos de Solidão - Personagens
Cem Anos de Solidão - Personagens713773
 
Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos
Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos
Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos 713773
 

Mais de 713773 (20)

A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
 
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º AnoSoluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
 
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º AnoProblemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
 
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º AnoOs transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
 
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º AnoAs redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
 
O Cavaquinho
O CavaquinhoO Cavaquinho
O Cavaquinho
 
Como Elaborar um Relatório Científico
Como Elaborar um Relatório CientíficoComo Elaborar um Relatório Científico
Como Elaborar um Relatório Científico
 
Evolução Fonética
Evolução FonéticaEvolução Fonética
Evolução Fonética
 
O Texto Expositivo
O Texto ExpositivoO Texto Expositivo
O Texto Expositivo
 
O Advérbio
O Advérbio O Advérbio
O Advérbio
 
Utilização Correta dos Pronomes
Utilização Correta dos PronomesUtilização Correta dos Pronomes
Utilização Correta dos Pronomes
 
Processos Fonológicos
Processos FonológicosProcessos Fonológicos
Processos Fonológicos
 
Orações Coordenadas e Subordinadas
Orações Coordenadas e SubordinadasOrações Coordenadas e Subordinadas
Orações Coordenadas e Subordinadas
 
Sustentabilidade na Terra
Sustentabilidade na TerraSustentabilidade na Terra
Sustentabilidade na Terra
 
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de ConceitosCiências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
 
Cem Anos de Solidão - Personagens
Cem Anos de Solidão - PersonagensCem Anos de Solidão - Personagens
Cem Anos de Solidão - Personagens
 
Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos
Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos
Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos
 

Último

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 

Último (20)

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 

Contagem de sílabas métricas em poesia

  • 1. Funcionamento da língua – Língua Portuguesa 3º Ciclo
  • 2. Contagem das sílabas métricas • No texto poético, a forma mais comum de fazer a divisão silábica dos versos é através das sílabas métricas, também chamadas de sílabas poéticas. As sílabas métricas são diferentes das sílabas gramaticais e a sua contagem requere o cumprimento de certas regras. • Logo, a contagem das sílabas gramaticais e das sílabas métricas não é igual. As sílabas gramaticais, próprias da prosa, não são as mesmas que as sílabas métricas, mais frequentemente usadas no texto poético, e, por vezes, não coincidem.
  • 3. Sílabas métricas e sílabas gramaticais - comparação • Como podemos observar ,na imagem que se segue o número de sílabas métricas e o número de sílabas gramaticais não coincide. Chamamos a contagem das sílabas métricas escansão dos versos. Escandir os versos é indicar as suas sílabas métricas, respeitando a acentuação das sílabas gramaticais.
  • 4. Regras para a contagem das sílabas métricas 1. Só se conta até à última sílaba tónica do verso. Retomando o exemplo anterior, tem-se: Não se conta a sílaba “da” porque a última palavra do verso, “lida”, é uma palavra grave. Na contagem das sílabas métricas a última sílaba da última palavra não se conta se a palavra for grava ou esdrúxula (a última sílaba é átona), só se conta se for uma palavra aguda (a última sílaba é tónica).
  • 5. 2. Quando uma palavra do verso termina numa vogal átona e a palavra seguinte começa por uma vogal ou por um H (a letra H no início de uma palavra não se lê, logo não é um fonema, é apenas uma letra), a última sílaba gramatical da primeira palavra e a primeira sílaba gramatical da segunda palavra fundem-se numa só sílaba métrica. Retomando o exemplo anterior tem-se: 3. Se a última sílaba gramatical de uma palavra do verso e a primeira sílaba gramatical da palavra seguinte correspondem ao mesmo som vocálico, estas fundem-se numa só sílaba gramatical. Exemplo: Tí / mi / da es / pe / ra a / bai / la / ri / na.
  • 6. Classificação dos versos quanto ao número de sílabas métricas Nº de sílabas métricas Designação do verso 1 Monossílabo 2 Dissílabo 3 Trissílabo 4 Tetrassílabo 5 Pentassílabo ou Redondilha Menor 6 Hexassílabo ou Heroico Quebrado 7 Heptassílabo ou Redondilha Maior 8 Octossílabo 9 Eneassílabo 10 Decassílabo 11 Hendecassílabo 12 Dodecassílabo ou Alexandrino 13 ou mais Bárbaro