SlideShare uma empresa Scribd logo
Tentativas de modernizaçãoe Alterações nas estruturas sociais Portugal  Séc. XIX
Introdução 	Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de história e nele vamos abordar  os seguintes temas: a politica regeneradora e o incremento dos transportes; a dependência do estrangeiro; a tímida industrialização; a ruína dos pequenos produtores e a emigração portuguesa.
A politica regeneradora e o incremento dos transportes A partir de 1851, Portugal viveu um período de estabilidade política e tentou recuperar o atraso económico  em relação aos países industrializados. O primeiro governo dos regeneradores entregou o Ministério das Obras Públicas, comércio e Indústria a Fontes Pereira de Melo, por isso este período ficou conhecido por Fontismo. Este ministro impulsionou os meios de Transportes e as vias de comunicação.
Eis alguns feitos: Construção de Cerca de 400 km de estradas e dezenas de pontes, (por exemplo ponte  D. Maria e de D. Luís, no Porto); Construção do Primeiro  troço da linha férrea( Lisboa -Carregado); Melhorias nos portos; Inauguração do Telégrafo; Introdução dos selos Postais e do telefone;
A dependência do estrangeiro Com finalidade de industrializar o país, o Governo teve de pedir empréstimos  ao estrangeiro, sobretudo  a Inglaterra e à França.  A dívida externa aumentou, colocando Portugal numa situação de dependência face aos outros países. Visto isto Portugal de modo a garantir as exportações ,essencialmente de azeite, cortiça e vinho deixou entrar livremente os produtos estrangeiros em Portugal, o que prejudicou muito as manufacturas e a industria nacional.
	Em Portugal ,(…)as manufacturas e todas as empresas industriais de alguma importância estão quase exclusivamente nas mãos dos estrangeiros (…).Os mais ricos e os mais influentes são os ingleses (…)principais credores da divida publica portuguesa. Charles voguel, Le Portugal et ses colonies, Paris, GuillAumiin ,1860.
A tímida industrialização  A rápida industrialização de Portugal como previam os regeneradores não aconteceu devido à : -falta de matérias primas, de capital e de mão de obra qualificada; -mercado interno pobre ;  - Dependência  económica ao exterior sobretudo  á Inglaterra.
Só mesmo na década de 70 é que a indústria em Portugal progrediu com a mecanização do sector têxtil e com  a criação de novas indústrias.     Desenvolveram-se as indústrias de conservas , cortiça, tabaco, moagem, adubo e a industria metalomecânica .      Acabaram por crescer as concentrações fabris nas cidades de Porto, Covilhã e Lisboa.
A ruína dos pequenos produtores Na segunda metade do século XIX Portugal registou um acentuado crescimento da população assim como  outros países. Este crescimento foi desigual de região para região verificando-se então que no litoral e nas zonas mais industrializadas a população cresceu mais do que nas zonas pobres e interiores do  pais. 	Contudo a fraca economia impossibilitava os pequenos produtores de competirem com os produtos estrangeiros e de investirem na mecanização de modo a aumentar a produção . 	 A situação dos camponeses agravou-se ainda mais quando  se deram sucessivas crises agrícolas e  também por causa do número elevado de filhos que dividiam entre si a mesma pequena propriedade. 	Como resultado muitos pequenos produtores resolveram vender as suas terras à burguesia capitalista.
A emigração portuguesa 	Os aspectos referidos anteriormente causaram o abandono dos campos e muitos camponeses emigraram na esperança de enriquecerem e conseguirem uma vida melhor. 	Partiram principalmente do Porto, Aveiro, Braga, Lisboa e Coimbra . 	O principal destino era o Brasil pois era uma das ex colónias portuguesas e falavam a mesma língua. 	Para alem disso a abolição da escravatura , em 1888 fez com que muitos emigrantes arranjassem trabalho nas plantações de algodão e de café. 	A emigração contribui muito para superar as dificuldades financeiras de Portugal.
Trabalho elaborado por: -Paulo Leite nº15 8ºB -Simão Bessa nº20 8ºB

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pós 25 de abril
Pós 25 de abrilPós 25 de abril
Pós 25 de abril
Carlos Vieira
 
O atraso da agricultura
O atraso da agriculturaO atraso da agricultura
O atraso da agricultura
maria40
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
Carlos Vieira
 
A primeira república portuguesa
A primeira república portuguesaA primeira república portuguesa
A primeira república portuguesa
cattonia
 
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comumA agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
Ilda Bicacro
 
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
Vítor Santos
 
As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesas
jdlimaaear
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
Maria Gomes
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
anabelasilvasobral
 
A Restauração Da Independência
A Restauração Da IndependênciaA Restauração Da Independência
A Restauração Da Independência
Rui Neto
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
Inês Alexandre
 
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIXPortugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Sandra Sousa
 
A 1ª república e o ensino
A 1ª república e o ensinoA 1ª república e o ensino
A 1ª república e o ensino
eb23ja
 
A modernização do reino na 2ª met. do séc. xix
A modernização do reino na 2ª met. do séc. xixA modernização do reino na 2ª met. do séc. xix
A modernização do reino na 2ª met. do séc. xix
cruchinho
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
esa9b
 
A queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª repúblicaA queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª república
Becre Celorico de Basto
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Inês e Beatriz
 
38 portugal no século xix
38   portugal no século xix38   portugal no século xix
38 portugal no século xix
Carla Freitas
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
Ana Barreiros
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 

Mais procurados (20)

Pós 25 de abril
Pós 25 de abrilPós 25 de abril
Pós 25 de abril
 
O atraso da agricultura
O atraso da agriculturaO atraso da agricultura
O atraso da agricultura
 
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso PortuguêsO Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
O Mundo Industrializado no século XIX e o Caso Português
 
A primeira república portuguesa
A primeira república portuguesaA primeira república portuguesa
A primeira república portuguesa
 
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comumA agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
 
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
4 03 15_16triunfo dos estados e dinamicas economicas nos seculos xvii e xviii
 
As Invasões Francesas
As Invasões FrancesasAs Invasões Francesas
As Invasões Francesas
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
 
A Restauração Da Independência
A Restauração Da IndependênciaA Restauração Da Independência
A Restauração Da Independência
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
 
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIXPortugal Na Segunda Metade Do Século XIX
Portugal Na Segunda Metade Do Século XIX
 
A 1ª república e o ensino
A 1ª república e o ensinoA 1ª república e o ensino
A 1ª república e o ensino
 
A modernização do reino na 2ª met. do séc. xix
A modernização do reino na 2ª met. do séc. xixA modernização do reino na 2ª met. do séc. xix
A modernização do reino na 2ª met. do séc. xix
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
 
A queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª repúblicaA queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª república
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
38 portugal no século xix
38   portugal no século xix38   portugal no século xix
38 portugal no século xix
 
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºGA modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
A modernização de Portugal na 2ª metade séc. XIX - trabalho de Beatriz, 6ºG
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 

Semelhante a Tentativas de modernização

Paises de dificil industrialização
Paises de dificil industrializaçãoPaises de dificil industrialização
Paises de dificil industrialização
Dora Alexandra Batista de Sousa Rocha
 
A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90
BarbaraSilveira9
 
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIXHIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
Luís Ferreira
 
00 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_201700 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_2017
Vítor Santos
 
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
Vítor Santos
 
portugal 1850.pptx
portugal 1850.pptxportugal 1850.pptx
portugal 1850.pptx
CarlosAraujo428034
 
H2 o caso português
H2 o caso portuguêsH2 o caso português
H2 o caso português
Vítor Santos
 
História- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escolaHistória- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escola
MariaCaneira1
 
Revoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonialRevoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonial
Fatima Freitas
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícola
Ana Batista
 
Alterações nas estruturas sociais
Alterações nas estruturas sociaisAlterações nas estruturas sociais
Alterações nas estruturas sociais
maria40
 
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptxO Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
RosianneRaimundo
 
A Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, História
A Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, HistóriaA Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, História
A Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, História
Catarina Sousa
 
Industria brasileira 2
Industria brasileira 2Industria brasileira 2
Industria brasileira 2
Sílvia Almada
 
A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)
A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)
A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)
jessica Nogueira
 
Portugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicasPortugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicas
Susana Simões
 
Trabalho ..
Trabalho ..Trabalho ..
Trabalho ..
saramanuelaa
 
Resumos historia
Resumos historiaResumos historia
Resumos historia
Elisa Dias
 
A industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completoA industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completo
Ana Maciel
 
Indústria brasileira
Indústria brasileiraIndústria brasileira
Indústria brasileira
dobtumblr
 

Semelhante a Tentativas de modernização (20)

Paises de dificil industrialização
Paises de dificil industrializaçãoPaises de dificil industrialização
Paises de dificil industrialização
 
A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90
 
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIXHIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
 
00 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_201700 3 preparação_exame_nacional_2017
00 3 preparação_exame_nacional_2017
 
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
6 04 portugal uma sociedade capitalista dependente
 
portugal 1850.pptx
portugal 1850.pptxportugal 1850.pptx
portugal 1850.pptx
 
H2 o caso português
H2 o caso portuguêsH2 o caso português
H2 o caso português
 
História- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escolaHistória- trabalho realizado pelo uma escola
História- trabalho realizado pelo uma escola
 
Revoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonialRevoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonial
 
revolução agrícola
revolução agrícolarevolução agrícola
revolução agrícola
 
Alterações nas estruturas sociais
Alterações nas estruturas sociaisAlterações nas estruturas sociais
Alterações nas estruturas sociais
 
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptxO Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
O Antigo Regime em Portugal - Raquel Bruno nº25; Rosianne Raimundo nº28.pptx
 
A Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, História
A Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, HistóriaA Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, História
A Civilização Industrial do séc. XIX, O Caso Português, História
 
Industria brasileira 2
Industria brasileira 2Industria brasileira 2
Industria brasileira 2
 
A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)
A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)
A família real no brasil ( formação do estado Brasileiro)
 
Portugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicasPortugal e as dificuldades económicas
Portugal e as dificuldades económicas
 
Trabalho ..
Trabalho ..Trabalho ..
Trabalho ..
 
Resumos historia
Resumos historiaResumos historia
Resumos historia
 
A industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completoA industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completo
 
Indústria brasileira
Indústria brasileiraIndústria brasileira
Indústria brasileira
 

Mais de maria40

Novas fontes de energia e indústrias
Novas fontes de energia e indústriasNovas fontes de energia e indústrias
Novas fontes de energia e indústrias
maria40
 
O atraso na agricultura
O atraso na agriculturaO atraso na agricultura
O atraso na agricultura
maria40
 
O mundo industrializado no
O mundo industrializado noO mundo industrializado no
O mundo industrializado no
maria40
 
O mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xixO mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xix
maria40
 
O triunfo do cientismo
O triunfo do cientismoO triunfo do cientismo
O triunfo do cientismo
maria40
 
Revolução agricola e revolução industrial
Revolução agricola e revolução industrialRevolução agricola e revolução industrial
Revolução agricola e revolução industrial
maria40
 
Revolução demográfica
Revolução demográficaRevolução demográfica
Revolução demográfica
maria40
 
Revolução demográfica
Revolução demográficaRevolução demográfica
Revolução demográfica
maria40
 
Revolução demográfica
Revolução demográficaRevolução demográfica
Revolução demográfica
maria40
 
Sociedade portuguesa no século xix
Sociedade portuguesa no século xixSociedade portuguesa no século xix
Sociedade portuguesa no século xix
maria40
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
maria40
 
Sociedade portuguesa no século XIX
Sociedade portuguesa no século XIXSociedade portuguesa no século XIX
Sociedade portuguesa no século XIX
maria40
 
Novos modelos culturais no seculo xix
Novos modelos culturais no seculo xixNovos modelos culturais no seculo xix
Novos modelos culturais no seculo xix
maria40
 
Novas fontes de energia e industria
Novas fontes de energia e industriaNovas fontes de energia e industria
Novas fontes de energia e industria
maria40
 
Mundo industrializado no século xix
Mundo industrializado no século xixMundo industrializado no século xix
Mundo industrializado no século xix
maria40
 
Liberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpointLiberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpoint
maria40
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
maria40
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
maria40
 
Crescimento e limitação da sociedade burguesa
Crescimento e limitação da sociedade burguesaCrescimento e limitação da sociedade burguesa
Crescimento e limitação da sociedade burguesa
maria40
 
Contrastes e antagonismos sociais do século xix
Contrastes e antagonismos sociais do século xixContrastes e antagonismos sociais do século xix
Contrastes e antagonismos sociais do século xix
maria40
 

Mais de maria40 (20)

Novas fontes de energia e indústrias
Novas fontes de energia e indústriasNovas fontes de energia e indústrias
Novas fontes de energia e indústrias
 
O atraso na agricultura
O atraso na agriculturaO atraso na agricultura
O atraso na agricultura
 
O mundo industrializado no
O mundo industrializado noO mundo industrializado no
O mundo industrializado no
 
O mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xixO mundo industrializado no século xix
O mundo industrializado no século xix
 
O triunfo do cientismo
O triunfo do cientismoO triunfo do cientismo
O triunfo do cientismo
 
Revolução agricola e revolução industrial
Revolução agricola e revolução industrialRevolução agricola e revolução industrial
Revolução agricola e revolução industrial
 
Revolução demográfica
Revolução demográficaRevolução demográfica
Revolução demográfica
 
Revolução demográfica
Revolução demográficaRevolução demográfica
Revolução demográfica
 
Revolução demográfica
Revolução demográficaRevolução demográfica
Revolução demográfica
 
Sociedade portuguesa no século xix
Sociedade portuguesa no século xixSociedade portuguesa no século xix
Sociedade portuguesa no século xix
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
 
Sociedade portuguesa no século XIX
Sociedade portuguesa no século XIXSociedade portuguesa no século XIX
Sociedade portuguesa no século XIX
 
Novos modelos culturais no seculo xix
Novos modelos culturais no seculo xixNovos modelos culturais no seculo xix
Novos modelos culturais no seculo xix
 
Novas fontes de energia e industria
Novas fontes de energia e industriaNovas fontes de energia e industria
Novas fontes de energia e industria
 
Mundo industrializado no século xix
Mundo industrializado no século xixMundo industrializado no século xix
Mundo industrializado no século xix
 
Liberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpointLiberalismo económico powerpoint
Liberalismo económico powerpoint
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Expansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrialExpansão da revolução industrial
Expansão da revolução industrial
 
Crescimento e limitação da sociedade burguesa
Crescimento e limitação da sociedade burguesaCrescimento e limitação da sociedade burguesa
Crescimento e limitação da sociedade burguesa
 
Contrastes e antagonismos sociais do século xix
Contrastes e antagonismos sociais do século xixContrastes e antagonismos sociais do século xix
Contrastes e antagonismos sociais do século xix
 

Último

Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 

Último (20)

Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 

Tentativas de modernização

  • 1. Tentativas de modernizaçãoe Alterações nas estruturas sociais Portugal Séc. XIX
  • 2. Introdução Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de história e nele vamos abordar os seguintes temas: a politica regeneradora e o incremento dos transportes; a dependência do estrangeiro; a tímida industrialização; a ruína dos pequenos produtores e a emigração portuguesa.
  • 3. A politica regeneradora e o incremento dos transportes A partir de 1851, Portugal viveu um período de estabilidade política e tentou recuperar o atraso económico em relação aos países industrializados. O primeiro governo dos regeneradores entregou o Ministério das Obras Públicas, comércio e Indústria a Fontes Pereira de Melo, por isso este período ficou conhecido por Fontismo. Este ministro impulsionou os meios de Transportes e as vias de comunicação.
  • 4. Eis alguns feitos: Construção de Cerca de 400 km de estradas e dezenas de pontes, (por exemplo ponte D. Maria e de D. Luís, no Porto); Construção do Primeiro troço da linha férrea( Lisboa -Carregado); Melhorias nos portos; Inauguração do Telégrafo; Introdução dos selos Postais e do telefone;
  • 5. A dependência do estrangeiro Com finalidade de industrializar o país, o Governo teve de pedir empréstimos ao estrangeiro, sobretudo a Inglaterra e à França. A dívida externa aumentou, colocando Portugal numa situação de dependência face aos outros países. Visto isto Portugal de modo a garantir as exportações ,essencialmente de azeite, cortiça e vinho deixou entrar livremente os produtos estrangeiros em Portugal, o que prejudicou muito as manufacturas e a industria nacional.
  • 6. Em Portugal ,(…)as manufacturas e todas as empresas industriais de alguma importância estão quase exclusivamente nas mãos dos estrangeiros (…).Os mais ricos e os mais influentes são os ingleses (…)principais credores da divida publica portuguesa. Charles voguel, Le Portugal et ses colonies, Paris, GuillAumiin ,1860.
  • 7. A tímida industrialização A rápida industrialização de Portugal como previam os regeneradores não aconteceu devido à : -falta de matérias primas, de capital e de mão de obra qualificada; -mercado interno pobre ; - Dependência económica ao exterior sobretudo á Inglaterra.
  • 8. Só mesmo na década de 70 é que a indústria em Portugal progrediu com a mecanização do sector têxtil e com a criação de novas indústrias. Desenvolveram-se as indústrias de conservas , cortiça, tabaco, moagem, adubo e a industria metalomecânica . Acabaram por crescer as concentrações fabris nas cidades de Porto, Covilhã e Lisboa.
  • 9. A ruína dos pequenos produtores Na segunda metade do século XIX Portugal registou um acentuado crescimento da população assim como outros países. Este crescimento foi desigual de região para região verificando-se então que no litoral e nas zonas mais industrializadas a população cresceu mais do que nas zonas pobres e interiores do pais. Contudo a fraca economia impossibilitava os pequenos produtores de competirem com os produtos estrangeiros e de investirem na mecanização de modo a aumentar a produção . A situação dos camponeses agravou-se ainda mais quando se deram sucessivas crises agrícolas e também por causa do número elevado de filhos que dividiam entre si a mesma pequena propriedade. Como resultado muitos pequenos produtores resolveram vender as suas terras à burguesia capitalista.
  • 10. A emigração portuguesa Os aspectos referidos anteriormente causaram o abandono dos campos e muitos camponeses emigraram na esperança de enriquecerem e conseguirem uma vida melhor. Partiram principalmente do Porto, Aveiro, Braga, Lisboa e Coimbra . O principal destino era o Brasil pois era uma das ex colónias portuguesas e falavam a mesma língua. Para alem disso a abolição da escravatura , em 1888 fez com que muitos emigrantes arranjassem trabalho nas plantações de algodão e de café. A emigração contribui muito para superar as dificuldades financeiras de Portugal.
  • 11. Trabalho elaborado por: -Paulo Leite nº15 8ºB -Simão Bessa nº20 8ºB