Sistema nervoso

10.017 visualizações

Publicada em

Sistema nervoso

Publicada em: Educação
1 comentário
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.017
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
449
Comentários
1
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema nervoso

  1. 1. BASES ANATOMOFISIOLÓGICAS DA PSICOLOGIA Dr. Ezymar Cayana
  2. 2. Sistema Nervoso Periférico (SNP)
  3. 3. Introdução: O sistema nervoso é responsável pelo ajustamento do organismo ao ambiente. Sua função é perceber e identificar as condições ambientais externas, bem como as condições reinantes dentro do próprio corpo e elaborar respostas que adaptem a essas condições. SISTEMA NERVOSO
  4. 4. Sistema Nervoso Organização do sistema nervoso humano: Sistema Nervoso Central (SNC) Encéfalo Cérebro Cerebelo Tronco Encefálico Mesencéfalo Ponte Bulbo Medula Sistema Nervoso Periférico (SNP) Nervos cranianos (12 pares) Nervos raquidianos (31 pares) Terminações nervosas
  5. 5. 12 NERVOS CRANIANOS, 31 RAQUIDIANOS
  6. 6. MEDULA ESPINHAL
  7. 7. Sistema nervoso periférico (SNP): Principal função: Condução de informações entre órgãos receptores de estímulos, o SNC e órgãos efetuadores (músculos, glândulas...) Partes: Nervos e Gânglios*. • é a parte do sistema nervoso que se encontra fora do sistema nervoso central. • Diferentemente do sistema nervoso central, o sistema nervoso periférico não se encontra protegido pela barreira hematoencefálica. • É graças a este sistema que o cérebro e a medula espinhal recebem e enviam as informações permitindo-nos reagir às diferentes situações que têm origem no meio externo ou interno. *Gânglios nervosos são fibras nervosas que possuem nervos. Localizam-se nos órgãos pré-ganglionário(recebe estímulo), enquanto o pós-ganglionário (envia). SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (SNP)
  8. 8. Sistema nervoso Autônomo (SNA): • Sistema nervoso autônomo é a parte do Sistema nervoso que está relacionada ao controle da vida vegetativa, ou seja, controla funções como a respiração, circulação do sangue, controle de temperatura e digestão. No entanto, ele não se restringe a isso. É também o principal responsável pelo controle automático do corpo frente às modificações do ambiente. • Apesar de se chamar sistema nervoso autônomo, ele não é independente do restante do sistema nervoso. Na verdade, ele é interligado com o hipotálamo, que coordena a resposta comportamental para garantir a homeostasia. SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO (SNA)
  9. 9. Homeostasia: função de regular o seu ambiente interno para manter uma condição estável, mediante múltiplos ajustes de equilíbrio dinâmico controlados por mecanismos de regulação inter-relacionados. Regulação térmica: • – Os músculos esqueléticos tremem para produzir calor quando a temperatura corporal é muito baixa. • – Outra forma de gerar calor envolve o metabolismo de gordura. Regulação química: • – O pâncreas produz insulina e glucagon para regular a concentração de açúcar no sangue. • – Os pulmões absorvem oxigênio e expelem dióxido de carbono HOMEOSTASIA
  10. 10. SNP Autônomo Simpático e SNP Autônomo Parassimpático: O SN autônomo (SNA) é dividido em dois ramos: simpático e parassimpático, que se distinguem tanto pela estrutura quanto pela função. Enquanto os gânglios da via simpática localizam-se ao lado da medula espinal, distantes do órgão efetuador, os gânglios das vias parassimpáticas estão longe do sistema nervoso central e próximos ou mesmo dentro do órgão efetuador. SNP AUTÔNOMO SIMPÁTICO E SNP AUTÔNOMO PARASSIMPÁTICO
  11. 11. • O SNA simpático, de modo geral, estimula ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo responder a situações de estresse. • O SNA parassimpático estimula principalmente atividades relaxantes, como a redução do ritmo cardíaco e da pressão sanguínea, entre outras.
  12. 12. DIVISÃO SIMPÁTICA
  13. 13. Sistema Nervoso Sistema nervoso periférico (SNP)  Constituído por: I. Nervos II. Gânglios nervosos III. Terminações nervosas (receptores para dor, tato, frio, pressão, calor, paladar, etc.).
  14. 14. SNP é formado pelas vias que conduzem os estímulos ao SNC ou que levam até aos órgãos efetuadores as ordens emanadas da porção central. SNP compreende os nervos cranianos (12) e espinhais (33), os gânglios e as terminações nervosas. - Nervos: feixes de fibras nervosas envoltas por tecido conjuntivo - Gânglios: aglomerados de corpos de neurônios fora do SNC SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO
  15. 15. Sistema Nervoso Classificação dos nervos: I) Quanto ao tipo de neurônio • Sensitivos ou aferentes (contém apenas neurônios sensitivos) • Motores ou eferentes (contém apenas neurônios motores) • Mistos (contém neurônios sensitivos e motores)
  16. 16. II) Quanto à posição anatômica  Cranianos (ligados ao encéfalo) – 12 pares  Raquidianos ou espinhais (ligados à medula) – 31 pares
  17. 17. Sistema Nervoso Gânglios nervosos o Aglomerado de corpos celulares de neurônios encontrados fora do sistema nervo central. Corpos celulares
  18. 18. Sistema Nervoso Terminações Nervosas Captam estímulos do meio interno ou externo e os levam para o sistema nervoso central.
  19. 19. Sistema Nervoso Divisão do sistema nervoso periférico Sistema Nervoso Voluntário (somático) Ações conscientes: andar, falar, pensar, movimentar um braço, etc. Sistema Nervoso Autônomo (visceral) Ações inconscientes: controle da digestão, batimentos cardíacos, movimento das vísceras, etc. Simpático Parassimpático
  20. 20. Sistema Nervoso Sistema Nervoso Voluntário (Somático) Formado por nervos motores que conduzem impulsos do sistema nervoso central (SNC) à musculatura estriada esquelética. Determina ações conscientes: Andar, falar, abraçar, correr, etc. SNC Corpos celulares dentro do SNC Axônios controlando a musculatura esquelética
  21. 21. Sistema Nervoso Sistema Nervoso Autônomo (vegetativo ou visceral) Constituído por nervos motores que conduzem impulsos do sistema nervoso central à musculatura lisa de órgãos viscerais, músculos cardíacos e glândulas. Realiza o controle da digestão, sistema cardiovascular, excretor e endócrino. Os nervos do SNP autônomo possuem dois tipos de neurônios: I. I. Pré-ganglionares (corpo celular dentro do SNC) II. Pós-ganglionares (Corpo celular dentro do gânglio) SNC órgãogânglio Neurônio Pós-ganglionar Neurônio Pré-ganglionar
  22. 22. Sistema Nervoso Sistema Nervoso Autônomo É dividido em duas partes: I. Simpático II. Parassimpático • Sistema Nervoso Simpático: Prepara o organismo para o estresse (instinto de fuga ou luta) • Sistema Nervos Parassimpático: Estimula atividades relaxantes (repouso)
  23. 23. Sistema Nervoso Diferenças entre os sistemas nervosos simpático e parassimpático: Sistema Nervoso Autônomo Simpático Parassimpático Fibra pré-ganglionar curta longa Fibra pós-ganglionar longa curta Origem dos nervos Região torácica e lombar da medula (somente nervos raquidianos) Região cervical (nervos cranianos) e região sacral da medula (nervos raquidianos) Mediador químico Fibras pré-ganglionares: Acetilcolina Fibras pós-ganglionares: Adrenalina Fibras pré-ganglionares: Acetilcolina Fibras pós-ganglionares: Acetilcolina
  24. 24. Mediadores químicos no SNA Simpático e Parassimpático Tanto nos gânglios do SNA simpático como nos do parassimpático ocorrem sinapses químicas entre os neurônios pré-ganglionares e os pós-ganglionares. MEDIADORES QUÍMICOS NO SNA SIMPÁTICO E PARASSIMPÁTICO
  25. 25. SINAPSES
  26. 26. Nos dois casos, a substância neurotransmissora da sinapse é a acetilcolina. No SNA parassimpático, o neurotransmissor é a acetilcolina, como nas sinapses ganglionares. Já no simpático, o neurotransmissor é, com poucas exceções, a noradrenalina. A Noradrenalina, também chamada de Noraepinefrina, é uma das monoaminas (também conhecidas como catecolaminas; as monoaminas atuam no corpo humano como neurotransmissores) que mais influenciam o humor, ansiedade, sono e alimentação junto com a Serotonina, Dopamina e Adrenalina.
  27. 27. • A acetilcolina (ACh) foi o primeiro neurotransmissor descoberto. Tem um papel importante tanto no sistema nervoso central(SNC) - constituído pelo encéfalo e pela medula espinhal - no qual está envolvida na memória e na aprendizagem, como no sistema nervoso periférico (SNP) - do qual fazem parte o sistema nervoso somático e pelo sistema nervoso autônomo. SINAPSES
  28. 28. • É o único neurotransmissor utilizado no sistema nervoso somático e um dos muitos neurotransmissores do sistema nervoso autônomo(SNA). É também o neurotransmissor de todos os gânglios autônomos. • No sistema nervoso somático, a contração muscular ocorre devido à liberação desta substância pelas ramificações do axônio. • No sistema nervoso autônomo, os nervos simpáticos também produzem a acetilcolina, além da noradrenalina, diferentemente do parassimpático.
  29. 29. Reflexos: Reflexo é uma reação corporal automática à estimulação (portanto, involuntária), como por exemplo o reflexo patelar. Comportamentos reflexos ou respondentes são interações estímulo resposta (ambiente-sujeito) incondicionadas. REFLEXOS
  30. 30. Ato reflexo • Permitem a reação rápido do organismo em casos de emergência • Resposta rápida sem a participação do encéfalo • Participam o nervo sensorial, medula (nervoso associativo) e nervo motor.
  31. 31. REFLEXOS
  32. 32. • De modo geral, o sistema nervoso simpático tem ação antagônica ao parassimpático em um determinado órgão. • Estão afirmação não é válida em todo os órgãos. – Nas glândulas salivares os dois sistemas aumentam a secreção salivar. • Melhor seria dizer que os dois sistemas agem de forma sinérgica ou seja em harmonia. DIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
  33. 33. • Uma das diferenças fisiológicas entre o simpático e o parassimpático é que este tem ações sempre localizadas a um órgão ou setor do organismo, enquanto as ações do simpático tendem a ser difusas, atingindo vários órgãos. DIFERENÇAS FISIOLÓGICAS
  34. 34. • A base anatômica desta diferença reside no fato de que os gânglios do parassimpático estando próximo das vísceras faz com que o território de distribuição das fibras pós-ganglionares seja necessariamente restrito. • No simpático, os gânglios estão longe das vísceras e uma fibra pré faz contato com um grande número de fibras pós-ganglionares e que se distribuem a territórios consideravelmente maiores.

×