SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Conteúdos
• Conceitos gerais
• Funções do sistema nervoso
• Principais tipos de células nervosas
• Mecanismo de acção e liberação de neurotransmissores
• Arcos reflexos
Introdução
• O Sistema nervoso é um meio complexo de comunicação e controlo
no corpo do animal, em alguns invertebrados pode ser inexistente,
difuso ou composto por gânglios e dois cordões ventrais, nos
vertebrados é formado por encéfalo, medula e nervos, os quais
estabelecem ligações entre essas partes centrais (encéfalo e medula) e
as demais partes do corpo.
Introdução
• Juntamente com o Sistema Hormonal, controla todas as funções
orgânicas.
• O sistema nervoso é o mais complexo e diferenciado do organismo,
sendo o primeiro a se diferenciar embriologicamente e o último a
completar o seu desenvolvimento.
Funções básicas do sistema nervoso
• Função Integradora
• Função Sensorial
• Função Motora
• Função Adaptativa
Funções básicas do sistema nervoso
Função Integradora => Coordenação das funções do vários órgãos.
↓Frequência respiratória
Hipotálamo
Sistema Nervoso
Coração ↓força de contração Rins↑filtração renal
↑Pressão arterial
↓ Pressão arterial
Funções básicas do sistema nervoso
Função Sensorial => Sensações gerais e especiais.
a) Visão
b) Audição
c) Olfacto
d) Paladar
e) tacto
Funções básicas do sistema nervoso
Função Motora => Contrações musculares voluntárias ou Involuntárias
Funções básicas do sistema nervoso
Função Adaptativa => Adaptação do animal ao meio ambiente (sudorese,
calafrio)
Tipos celulares
Neurônios
Células da
glia
Neuroglia
Tipos celulares (Neurónio)
Neurônio - é a unidade anatômica ou estrutural do sistema nervoso
Consiste de quatro regiões distintas:
corpo celular ( núcleo + citoplasma + organelas)
dendritos
axônio
terminal pré-sináptico (telodendro)
Tipos celulares (Imagem de neurónio e sua
constituição)
Tipos celulares (Neurónio)
• AXÓNIOS
Podem ou não conter uma substância branca a ele aderida, chamada de mielina.
No encéfalo e na medula encontramos:
• Área Acizentada (Substância Cinzenta) - Contém agregados de corpos celulares
• Área Clara (Substância Branca) - Contém fibras nervosas mielinizadas
NÓDULOS DE RANVIER
• São intervalos circunferenciais que ocorrem intermitentemente na bainha de mielina
e garantem a condução saltatória do impulso nervoso.
TIPOS DE NEURÓNIOS
1. Quanto à morfologia: Interneurónios (bipolar), Sensitivo ou
sensorial (pseudo unipolar), Neurónio motor ou Moto neurónio (bipolar)
TIPOS DE NEURÓNIOS
2. Quanto à posição:
NEURÔNIO AFERENTE
NEURÔNIO EFERENTE
NEURÔNIO INTERNUNCIAL OU DE ASSOCIAÇÃO
TIPOS DE NEURÓNIOS
3. Quanto à velocidade de condução
• TIPO A => grande calibre mielinizado (ALFA, BETA E GAMA)
Alfa: proprioceptores dos músculos esqueléticos
Beta: mecanorreceptores da pele (tato)
Gama: dor e frio
TIPOS DE NEURÓNIOS
• TIPO B => médio calibre mielinizado - pré-ganglionares do SNA.
• TIPO C => pequeno calibre não mielinizado - pós-ganglionares do
SNA.
• A epinefrina e nor-epinefrina agem em ambos os receptores (alfa e
beta), mas os efeitos da Epinefrina são mais potentes sobre os Alfas e
da nor-epinefrina sobre os Betas.
Tipos celulares (CÉLULAS DA GLIA)
CÉLULAS DA GLIA
• São células lábeis capazes de exercer uma importância vital aos
neurônios, sendo a principal função a nutrição.
• Não produzem potencial de ação.
CLASSIFICAÇÃO DAS CÉLULAS DA GLIA
1.MACRÓGLIA: Astrocitos e Células ependimárias
a) Astrócitos : tem como função a nutrição e o metabolismo.
b) Células ependimárias: Revestimento dos ventrículos e canal
espinhal.
2. MICRÓGLIA
a) Oligodendrólia: Síntese de mielina
b) Hortegáglia: Células de limpeza
Tipos celulares (Nervos)
NERVOS
São cordões esbranquiçados constituídos por feixes de fibras nervosas
reforçadas por tecido conjuntivo, que unem o sistema nervoso central aos
órgãos periféricos.
São três as bainhas de tecido conjuntivo:
• EPINEURO
• PERINEURO
• ENDONEURO
Tipos celulares (Nervos e sua constituição)
SINAPSES
Definição: são pontos de união entre as células nervosas e entre as
células efectoras (músculo ou glândula).
Classificação
• De acordo com a localização
CENTRAIS => Localizadas no cérebro e medula espinhal
PERIFÉRICAS => Gânglios e placas motoras
SINAPSES
• De acordo com a função
EXCITATÓRIAS
INIBITÓRIAS
• De acordo com as estruturas envolvidas
Axo-somática
Axo-dendrítica
Axo-axônica
Dendro-dendríticas
Axo-somática-dendrítica
Tipos celulares (Neurotransmissores)
Neurotransmissores
Definição: são substâncias encontradas em vesículas próximas as
sinapses, de natureza química variada, que ao serem liberadas pela fibra
pré-sináptica na fenda sináptica estimulam ou inibem a fibra pós-
sináptica.
Tipos celulares (Neurotransmissores)
Classificação
• CLASSE I Acetilcolina
• CLASSE II Adrenalina (medula da adrenal e cérebro)
Noradrenalina (neurônios pós-ganglionares)
Dopamina
Serotonina
Tipos celulares (Neurotransmissores)
• CLASSE III (aminoácidos) Glicina e Glutamato
• CLASSE IV (peptídeos)
Hipotalâmicos => GnRH, TRH, ADH, Ocitocina
Hipofisários => ACTH, ß-endorfina, MSH
De ação intestinal e cerebral=> Encefalina, substância P, PIV,
Colecistoquinina, insulina, glucagon
Outros peptídeos => Angiotensina II, Bradicinina, Carnosina, Bombesina
Tipos celulares (Neurotransmissores)
Os mais importantes são a acetilcolina e adrenalina e podemos classificar as
fibras como colinérgicas ou adrenérgicas em função do neurotransmissor
liberado.
• O L-glutamato é um aminoácido excitatório que actua na metade das
sinapses do SNC
• O GABA é o principal inibitório do SNC
• O aumento do L-glutamato e a baixa do GABA tem sido observados nos
líquidos cérebro espinhal de cães com epilepsia.
Mecanismo de ação e liberação de neurotransmissores
A chegada do sinal elétrico na terminação nervosa pré-sináptica leva a liberação
do neurotransmissor na fenda sináptica pelo mecanismo de EXOCITOSE.
É um mecanismo Ca++ dependente, que altera a permeabilidade da membrana.
O neurotransmissor atinge os receptores da membrana pós-sináptica ou da
membrana da célula efectora, despolarizando-a e alterando a permeabilidade aos
diferentes íons. Com isto, ocorre a passagem do impulso entre as fibras nervosas
ou entre estas e as células efetoras.
ARCOS REFLEXOS
É uma resposta do Sistema Nervoso a um estímulo qualitativamente
invariável, involuntário, de importância fundamental para a postura e
locomoção do animal e para exame clínico do Sistema Nervoso.
É a unidade fisiológica do Sistema Nervoso.
ARCOS REFLEXOS (Componentes básicos)
• 1 - Receptor - captam alguma energia ambiental e a transformam em
Potencial de Ação
• 2 – Nervo sensorial - conduz o potencial de ação do receptor até a sinapse
no SNC, entrando na medula pela raiz dorsal.
• 3 - Sinapse - pode ser monossináptica ou polissináptica
• 4 – Nervo motor - conduz o P.A. do SNC para o órgão efetuador, saindo da
medula pela raiz ventral.
• 5 – Órgão alvo ou efetuador - normalmente é um músculo
Classificação dos reflexos
Reflexo
segment
ar,
monosin
áptico
ou
simples
Percorre
um único
segment
o do
S.N.C.
Receptor
+
neurônio
aferente
+
Sinapse+
neurônio
eferente
+ Órgão
efetuador
Exemplo
s: reflexo
patelar e
miotático
Classificação dos reflexos
Reflexo
interseg
mentar
ou
polissiná
ptico
Percorre
múltiplos
segmento
s do SNC.
Receptor
+
neurônio
aferente +
sinapse
+
Neurônio
internunci
al
+
Sinapse
+
neurônio
eferente
+ Órgão
efetuador
Classificação dos reflexos
• Reflexo de Retirada SIMPLES 2 neurônios + 1 sinapse
3 neurônios + 2 sinapses
• Reflexo bulbar
Exemplos: reflexos respiratórios, vasomotores e cardiomotores.
Reflexos medulares
Proprioceptivos: originam de receptores nos músculos e tendões
Classificação dos reflexos
Exemplos
1 – Reflexo patelar - percussão do tendão medial reto da patela que leva
a contração do quadríceps femural
2 – Reflexo supracraniano - percussão do tendão do músculo extensor
carpo-radial que leva a extensão da articulação carpiana
3 – Reflexo supra tarsal - percussão do tendão do músculo tibial cranial
que leva a flexão da articulação tarsal
Classificação dos reflexos
Exteroceptivos: originam de receptores cutâneos geralmente derivados da
pressão e dor
1 – Reflexo da cruz - Contrações da musculatura cutânea muito evidente nos
eqüinos e menos em bovinos
2 – Reflexo costal - Flexão da coluna torácica ao beliscar o lombo dos
equinos e bovinos
3 – Reflexo de coçar - quando se estimula regiões do tórax e abdome do cão.
Classificação dos reflexos
4 – Reflexo da cauda - a cauda curva-se ventralmente quando a parte
ventral desta é estimulada
5 – Reflexo escrotal - contração da bolsa escrotal por frio ou toque
• Os reflexos podem ser usados para avaliar clinicamente o Sistema
Nervoso, pois quando se testa um reflexo também se está testando seus
componentes básicos.
• Reflexos mais usados = pupilar, propriocepção, patelar, flexor.
•Fim.
•Duvidas!!!!
Para a próxima aula
Composição do Sistema Nervoso
• Sistema Nervoso Central
• Sistema Nervoso Periférico
• Sistema Nervoso Autónomo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafiaTecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafiaJacqueline Gomes
 
Sistema cardiovascular e linfático - anatomia animal
Sistema cardiovascular e linfático - anatomia animalSistema cardiovascular e linfático - anatomia animal
Sistema cardiovascular e linfático - anatomia animalMarília Gomes
 
Topografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentidoTopografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentidoMarília Gomes
 
Auxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicoleAuxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicoleJosé Palma
 
Sistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaSistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaMarília Gomes
 
Sistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaSistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaMarília Gomes
 
Topografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenTopografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenMarília Gomes
 
Sistema digestório - Anatomia animal
Sistema digestório - Anatomia animal Sistema digestório - Anatomia animal
Sistema digestório - Anatomia animal Marília Gomes
 
Aula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaAula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaRaimundo Tostes
 
Aula 2 Anatomia - Planos e Eixos
Aula 2 Anatomia -  Planos e EixosAula 2 Anatomia -  Planos e Eixos
Aula 2 Anatomia - Planos e EixosJulia Berardo
 
Introdução a Anatomia e Fisiologia Veterinária
Introdução a Anatomia e Fisiologia VeterináriaIntrodução a Anatomia e Fisiologia Veterinária
Introdução a Anatomia e Fisiologia VeterináriaFelipe Damschi
 
Anatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção iiAnatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção iiFrancismara Carreira
 
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Vicente Fernandes
 
Sistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterináriaSistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterináriaMarília Gomes
 
Sistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animalSistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animalMarília Gomes
 
Fisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal VeterináriaFisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal VeterináriaPatrícia Oliver
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesMarília Gomes
 
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - FamaAula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - FamaMarília Gomes
 

Mais procurados (20)

Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafiaTecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
Tecnica cirúrgica veterinária- esofagotomia,traqueostomia e traqueorrafia
 
Sistema cardiovascular e linfático - anatomia animal
Sistema cardiovascular e linfático - anatomia animalSistema cardiovascular e linfático - anatomia animal
Sistema cardiovascular e linfático - anatomia animal
 
Topografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentidoTopografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentido
 
Digestório13.03.15
Digestório13.03.15Digestório13.03.15
Digestório13.03.15
 
Auxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicoleAuxiliar de veterinário nicole
Auxiliar de veterinário nicole
 
Sistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaSistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterinária
 
Sistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaSistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterinária
 
Topografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenTopografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômen
 
Seminário fisiologia
Seminário fisiologiaSeminário fisiologia
Seminário fisiologia
 
Sistema digestório - Anatomia animal
Sistema digestório - Anatomia animal Sistema digestório - Anatomia animal
Sistema digestório - Anatomia animal
 
Aula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaAula de Dermatopatologia
Aula de Dermatopatologia
 
Aula 2 Anatomia - Planos e Eixos
Aula 2 Anatomia -  Planos e EixosAula 2 Anatomia -  Planos e Eixos
Aula 2 Anatomia - Planos e Eixos
 
Introdução a Anatomia e Fisiologia Veterinária
Introdução a Anatomia e Fisiologia VeterináriaIntrodução a Anatomia e Fisiologia Veterinária
Introdução a Anatomia e Fisiologia Veterinária
 
Anatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção iiAnatomia dos animais de produção ii
Anatomia dos animais de produção ii
 
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
 
Sistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterináriaSistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterinária
 
Sistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animalSistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animal
 
Fisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal VeterináriaFisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal Veterinária
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das aves
 
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - FamaAula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
 

Semelhante a Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx

Semelhante a Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx (20)

Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema Neurológico
Sistema NeurológicoSistema Neurológico
Sistema Neurológico
 
11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso
 
SISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptxSISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptx
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
 
AULA 7 sistema nervoso.pptx
AULA 7 sistema nervoso.pptxAULA 7 sistema nervoso.pptx
AULA 7 sistema nervoso.pptx
 
Aula 20 sistema nervoso
Aula 20   sistema nervosoAula 20   sistema nervoso
Aula 20 sistema nervoso
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
 
Est.mov. m3 - sistema nervoso
Est.mov.   m3 - sistema nervosoEst.mov.   m3 - sistema nervoso
Est.mov. m3 - sistema nervoso
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
Sistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humanaSistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humana
 
Sistema neurohormonal
Sistema neurohormonalSistema neurohormonal
Sistema neurohormonal
 
693153
693153693153
693153
 
Sistema nervoso autnomo aula
Sistema nervoso autnomo aulaSistema nervoso autnomo aula
Sistema nervoso autnomo aula
 
Pbl 12 myasthenia gravis
Pbl 12 myasthenia gravisPbl 12 myasthenia gravis
Pbl 12 myasthenia gravis
 
Sistema nervoso
Sistema nervoso Sistema nervoso
Sistema nervoso
 
3.Aula_Transmisssão Nervosa-Potencial de Ação e SENSÓRIO-MOTORA.pptx
3.Aula_Transmisssão Nervosa-Potencial de Ação e SENSÓRIO-MOTORA.pptx3.Aula_Transmisssão Nervosa-Potencial de Ação e SENSÓRIO-MOTORA.pptx
3.Aula_Transmisssão Nervosa-Potencial de Ação e SENSÓRIO-MOTORA.pptx
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 

Último

AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxLanaMonteiro8
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoPAULOVINICIUSDOSSANT1
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01perfilnovo3rich
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxsaraferraz09
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfWendelldaLuz
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...TaniaN8
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Astrid Mühle Moreira Ferreira
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...quelenfermeira
 
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.pptTreinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.pptFabioSouza270
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoJose Ribamar
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxnarayaskara215
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?carloslins20
 

Último (12)

AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.pptTreinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
 

Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx

  • 1. Conteúdos • Conceitos gerais • Funções do sistema nervoso • Principais tipos de células nervosas • Mecanismo de acção e liberação de neurotransmissores • Arcos reflexos
  • 2. Introdução • O Sistema nervoso é um meio complexo de comunicação e controlo no corpo do animal, em alguns invertebrados pode ser inexistente, difuso ou composto por gânglios e dois cordões ventrais, nos vertebrados é formado por encéfalo, medula e nervos, os quais estabelecem ligações entre essas partes centrais (encéfalo e medula) e as demais partes do corpo.
  • 3. Introdução • Juntamente com o Sistema Hormonal, controla todas as funções orgânicas. • O sistema nervoso é o mais complexo e diferenciado do organismo, sendo o primeiro a se diferenciar embriologicamente e o último a completar o seu desenvolvimento.
  • 4. Funções básicas do sistema nervoso • Função Integradora • Função Sensorial • Função Motora • Função Adaptativa
  • 5. Funções básicas do sistema nervoso Função Integradora => Coordenação das funções do vários órgãos. ↓Frequência respiratória Hipotálamo Sistema Nervoso Coração ↓força de contração Rins↑filtração renal ↑Pressão arterial ↓ Pressão arterial
  • 6. Funções básicas do sistema nervoso Função Sensorial => Sensações gerais e especiais. a) Visão b) Audição c) Olfacto d) Paladar e) tacto
  • 7. Funções básicas do sistema nervoso Função Motora => Contrações musculares voluntárias ou Involuntárias
  • 8. Funções básicas do sistema nervoso Função Adaptativa => Adaptação do animal ao meio ambiente (sudorese, calafrio)
  • 10. Tipos celulares (Neurónio) Neurônio - é a unidade anatômica ou estrutural do sistema nervoso Consiste de quatro regiões distintas: corpo celular ( núcleo + citoplasma + organelas) dendritos axônio terminal pré-sináptico (telodendro)
  • 11. Tipos celulares (Imagem de neurónio e sua constituição)
  • 12. Tipos celulares (Neurónio) • AXÓNIOS Podem ou não conter uma substância branca a ele aderida, chamada de mielina. No encéfalo e na medula encontramos: • Área Acizentada (Substância Cinzenta) - Contém agregados de corpos celulares • Área Clara (Substância Branca) - Contém fibras nervosas mielinizadas NÓDULOS DE RANVIER • São intervalos circunferenciais que ocorrem intermitentemente na bainha de mielina e garantem a condução saltatória do impulso nervoso.
  • 13. TIPOS DE NEURÓNIOS 1. Quanto à morfologia: Interneurónios (bipolar), Sensitivo ou sensorial (pseudo unipolar), Neurónio motor ou Moto neurónio (bipolar)
  • 14. TIPOS DE NEURÓNIOS 2. Quanto à posição: NEURÔNIO AFERENTE NEURÔNIO EFERENTE NEURÔNIO INTERNUNCIAL OU DE ASSOCIAÇÃO
  • 15. TIPOS DE NEURÓNIOS 3. Quanto à velocidade de condução • TIPO A => grande calibre mielinizado (ALFA, BETA E GAMA) Alfa: proprioceptores dos músculos esqueléticos Beta: mecanorreceptores da pele (tato) Gama: dor e frio
  • 16. TIPOS DE NEURÓNIOS • TIPO B => médio calibre mielinizado - pré-ganglionares do SNA. • TIPO C => pequeno calibre não mielinizado - pós-ganglionares do SNA. • A epinefrina e nor-epinefrina agem em ambos os receptores (alfa e beta), mas os efeitos da Epinefrina são mais potentes sobre os Alfas e da nor-epinefrina sobre os Betas.
  • 17. Tipos celulares (CÉLULAS DA GLIA) CÉLULAS DA GLIA • São células lábeis capazes de exercer uma importância vital aos neurônios, sendo a principal função a nutrição. • Não produzem potencial de ação.
  • 18. CLASSIFICAÇÃO DAS CÉLULAS DA GLIA 1.MACRÓGLIA: Astrocitos e Células ependimárias a) Astrócitos : tem como função a nutrição e o metabolismo. b) Células ependimárias: Revestimento dos ventrículos e canal espinhal. 2. MICRÓGLIA a) Oligodendrólia: Síntese de mielina b) Hortegáglia: Células de limpeza
  • 19. Tipos celulares (Nervos) NERVOS São cordões esbranquiçados constituídos por feixes de fibras nervosas reforçadas por tecido conjuntivo, que unem o sistema nervoso central aos órgãos periféricos. São três as bainhas de tecido conjuntivo: • EPINEURO • PERINEURO • ENDONEURO
  • 20. Tipos celulares (Nervos e sua constituição)
  • 21. SINAPSES Definição: são pontos de união entre as células nervosas e entre as células efectoras (músculo ou glândula). Classificação • De acordo com a localização CENTRAIS => Localizadas no cérebro e medula espinhal PERIFÉRICAS => Gânglios e placas motoras
  • 22. SINAPSES • De acordo com a função EXCITATÓRIAS INIBITÓRIAS • De acordo com as estruturas envolvidas Axo-somática Axo-dendrítica Axo-axônica Dendro-dendríticas Axo-somática-dendrítica
  • 23. Tipos celulares (Neurotransmissores) Neurotransmissores Definição: são substâncias encontradas em vesículas próximas as sinapses, de natureza química variada, que ao serem liberadas pela fibra pré-sináptica na fenda sináptica estimulam ou inibem a fibra pós- sináptica.
  • 24. Tipos celulares (Neurotransmissores) Classificação • CLASSE I Acetilcolina • CLASSE II Adrenalina (medula da adrenal e cérebro) Noradrenalina (neurônios pós-ganglionares) Dopamina Serotonina
  • 25. Tipos celulares (Neurotransmissores) • CLASSE III (aminoácidos) Glicina e Glutamato • CLASSE IV (peptídeos) Hipotalâmicos => GnRH, TRH, ADH, Ocitocina Hipofisários => ACTH, ß-endorfina, MSH De ação intestinal e cerebral=> Encefalina, substância P, PIV, Colecistoquinina, insulina, glucagon Outros peptídeos => Angiotensina II, Bradicinina, Carnosina, Bombesina
  • 26. Tipos celulares (Neurotransmissores) Os mais importantes são a acetilcolina e adrenalina e podemos classificar as fibras como colinérgicas ou adrenérgicas em função do neurotransmissor liberado. • O L-glutamato é um aminoácido excitatório que actua na metade das sinapses do SNC • O GABA é o principal inibitório do SNC • O aumento do L-glutamato e a baixa do GABA tem sido observados nos líquidos cérebro espinhal de cães com epilepsia.
  • 27. Mecanismo de ação e liberação de neurotransmissores A chegada do sinal elétrico na terminação nervosa pré-sináptica leva a liberação do neurotransmissor na fenda sináptica pelo mecanismo de EXOCITOSE. É um mecanismo Ca++ dependente, que altera a permeabilidade da membrana. O neurotransmissor atinge os receptores da membrana pós-sináptica ou da membrana da célula efectora, despolarizando-a e alterando a permeabilidade aos diferentes íons. Com isto, ocorre a passagem do impulso entre as fibras nervosas ou entre estas e as células efetoras.
  • 28. ARCOS REFLEXOS É uma resposta do Sistema Nervoso a um estímulo qualitativamente invariável, involuntário, de importância fundamental para a postura e locomoção do animal e para exame clínico do Sistema Nervoso. É a unidade fisiológica do Sistema Nervoso.
  • 29. ARCOS REFLEXOS (Componentes básicos) • 1 - Receptor - captam alguma energia ambiental e a transformam em Potencial de Ação • 2 – Nervo sensorial - conduz o potencial de ação do receptor até a sinapse no SNC, entrando na medula pela raiz dorsal. • 3 - Sinapse - pode ser monossináptica ou polissináptica • 4 – Nervo motor - conduz o P.A. do SNC para o órgão efetuador, saindo da medula pela raiz ventral. • 5 – Órgão alvo ou efetuador - normalmente é um músculo
  • 30. Classificação dos reflexos Reflexo segment ar, monosin áptico ou simples Percorre um único segment o do S.N.C. Receptor + neurônio aferente + Sinapse+ neurônio eferente + Órgão efetuador Exemplo s: reflexo patelar e miotático
  • 31. Classificação dos reflexos Reflexo interseg mentar ou polissiná ptico Percorre múltiplos segmento s do SNC. Receptor + neurônio aferente + sinapse + Neurônio internunci al + Sinapse + neurônio eferente + Órgão efetuador
  • 32. Classificação dos reflexos • Reflexo de Retirada SIMPLES 2 neurônios + 1 sinapse 3 neurônios + 2 sinapses • Reflexo bulbar Exemplos: reflexos respiratórios, vasomotores e cardiomotores. Reflexos medulares Proprioceptivos: originam de receptores nos músculos e tendões
  • 33. Classificação dos reflexos Exemplos 1 – Reflexo patelar - percussão do tendão medial reto da patela que leva a contração do quadríceps femural 2 – Reflexo supracraniano - percussão do tendão do músculo extensor carpo-radial que leva a extensão da articulação carpiana 3 – Reflexo supra tarsal - percussão do tendão do músculo tibial cranial que leva a flexão da articulação tarsal
  • 34. Classificação dos reflexos Exteroceptivos: originam de receptores cutâneos geralmente derivados da pressão e dor 1 – Reflexo da cruz - Contrações da musculatura cutânea muito evidente nos eqüinos e menos em bovinos 2 – Reflexo costal - Flexão da coluna torácica ao beliscar o lombo dos equinos e bovinos 3 – Reflexo de coçar - quando se estimula regiões do tórax e abdome do cão.
  • 35. Classificação dos reflexos 4 – Reflexo da cauda - a cauda curva-se ventralmente quando a parte ventral desta é estimulada 5 – Reflexo escrotal - contração da bolsa escrotal por frio ou toque • Os reflexos podem ser usados para avaliar clinicamente o Sistema Nervoso, pois quando se testa um reflexo também se está testando seus componentes básicos. • Reflexos mais usados = pupilar, propriocepção, patelar, flexor.
  • 37. Para a próxima aula Composição do Sistema Nervoso • Sistema Nervoso Central • Sistema Nervoso Periférico • Sistema Nervoso Autónomo