SlideShare uma empresa Scribd logo
* Sismos *
Um sismo é mais vulgarmente conhecido como terramoto. É um fenómeno natural causado por movimentos súbitos dentro da crosta terrestre. Estes movimentos libertam tensões  que tem vindo a ser exercidas sobre as rochas devido ao movimento das placas tectónicas que constituem a crosta terrestre.
O local onde é gerado denomina-se foco sísmico ou hipocentro. O epicentro fica em linha recta na superfície, sendo o local onde o sismo é sentido com maior intensidade. Para quantificar um sismo existem duas grandezas: a magnitude e a intensidade.
A magnitude de um sismo indica a quantidade de energia libertada por esse evento sísmico. É baseada em medições precisas da amplitude das ondas sísmicas nos sismogramas, para distâncias conhecidas entre o epicentro e a estação sísmica.
  Magnitude (Richter)   Efeitos    <3,5 geralmente não sentido pelas popula ç ões   3,5 - 5,4 frequentemente sentido, mas raramente causa danos materiais 5,4 - 6,0   danos ligeiros em edif í cios bem constru í dos; danos maiores em edif í cios degradados 6,1 - 6,9   pode ser destruidor em  á reas at é  100km do epicentro 7,0 - 7,9   grande sismo; pode provocar grandes danos em vastas  á reas >8,0   sismo muito grande; pode provocar grandes destrui ç ões em  á reas afastadas centenas de quil ó metros
A intensidade sísmica é uma medida qualitativa que descreve os efeitos produzidos pelos terramotos em locais da superfície terrestre. A classificação da intensidade sísmica é feita a partir da observação “in loco” dos danos provocados nas construções, pessoas ou meio ambiente. Esses efeitos são denominados macro sísmicos.
Intensidade (Mercalli) Efeitos I Não sentido II Sentido por pessoas em repouso ou em andares superiores III Objectos pendurados são balan ç ados um pouco. Vibra ç ão leve IV Vibra ç ão como a causada pela passagem de caminhões pesados. chocalhar de janelas e lou ç as. Carros parados são balan ç ados V Sentido fora de casa. Acorda gente. Objectos pequenos tombados. Quadros são movidos VI Sentido por todos. Deslocamento de mob í lia. Danos: lou ç a e vidraria quebradas, queda de mercadorias. Rachadura no reboco VII Percebido por motoristas dirigindo. Dificuldade em manter-se em p é . Sinos tocam ( igrejas, capelas, etc.).Danos: quebra de chamin é s e ornamentos arquitect ó nicos, queda de reboco, quebra de mob í lia, rachaduras consider á veis em reboco e alvenaria, algumas casas de adobe tombadas/desabadas VIII Pessoas dirigindo autom ó veis são perturbadas. Galhos e troncos quebrados. Rachaduras em solo molhado. Destrui ç ão: torres d  á gua elevadas, monumentos, casas de adobes. Danos severos a moderados: estruturas de tijolo, casas de madeira (quando não estão firmes com funda ç ão), obras de irriga ç ão, diques IX Solo conspicuamente rachado ( “ crateras de areia ” ).Desabamentos. Destrui ç ão: alvenaria de tijolo não armado. Danos severos a moderados: estruturas inadequadas de concreto armado, tubula ç ões subterrâneas X Desabamentos e solo rachado muito espalhados. Destrui ç ão: pontes, t ú neis, algumas estruturas de concreto armado. Danos severos a moderados: maioria das alvenarias, barragens, estradas de ferro XI Dist ú rbios permanentes no solo XII Danos quase totais.
A previsão dos sismos baseia-se no conhecimento do risco sísmico. Com este fim, realizou-se e realiza-se em muitos países onde os riscos de ocorrência de sismos são elevados (Japão, Estados Unidos da América, China, Rússia, etc.) o inventário histórico dos sismos, com a sua localização e a sua intensidade.
Para se prevenir um sismo  e reduzir os seus prejuízos é muito importante examinar os registos históricos e construir  cartas de riscos sísmicos,  estabelecer normas de construção anti-sísmica e aumentar a investigação científica . As populações das zonas mais prejudicadas e ameaçadas devem fazer  regularmente exercícios de simulação e conhecer as normas de protecção pessoal.
Obter informação sobre os desastres sísmicos que poderão ocorrer na região onde vive.  Assegurar-se que existem planos de emergência.  Informar-se sobre ele e exigir aos responsáveis a realização de exercícios de emergência.  Apoiar programas de preparação para actuação em caso de tremor de terra. As escolas e as organizações cívicas podem fornecer um serviço altamente benéfico, neste aspecto.  Estudar quais os locais de maior segurança em sua casa.  Saber onde ficam as saídas de emergência e com se desliga o alarme de incêndios.  Preparar a sua casa contra diversos perigos durante os sismos.
O terramoto de magnitude 7.8 na escala de Richter que abalou a China fez mais de 8700 mortos, de acordo com o último balanço avançado pelas autoridades chinesas, citadas pela agência governamental Xinhua.  A agência noticiosa refere que estas mortes se verificaram na região de Sichuan, no sudoeste do país, onde haverá ainda pelo menos 10 mil feridos. Pouco antes das 14h00 em Lisboa registaram-se novas réplicas do sismo.  Ainda em Sichuan, cerca de 900 crianças ficaram soterradas numa escola. As últimas informações dão conta que foram retirados dos escombros 50 corpos. A agência Reuters refere que no município de Beichuan Qiang 80 por cento dos edifícios chocaram.  Estão envolvidos nas operações de emergência milhares de pessoas.  12/5/2008
 
Medidas de prevenção tomadas: -  realização de exercícios de simulação; - construção de habitações mais resistentes;  - … Medidas tomadas depois do sismo: - Operações de emergência (salvamento de vítimas); - Remoção dos escombros; - Limpeza e restauração  de locais degradados pelo acontecimento;  - … Prejuízos: - Danos imobiliários  e no físico terrestre; - …
No dia 1 de Novembro de 1755, a cidade de  Lisboa foi abalada por um violento tremor de terra. O abalo durou cerca de 9 minutos. Hora e meia mais tarde, as águas agitadas de um maremoto invadiram a parte baixa da cidade. Como se tal não bastasse, um terceiro  cataclismo abateu-se sobre Lisboa – um incêndio que durou seis dias. Muitas das casas que tinham escapado ao sismo e ao maremoto foram consumidos pelo fogo. A cidade ficou , em muitos locais, reduzida a escombros. Os  edifícios do Terreiro do Paço desapareceram. Grande parte dos conventos e palácios ruíram. Apenas 3000 das 20000 que existiam na cidade ficaram em condições de ser habitadas.  No terramoto morreram cerca de 6 a 8 mil pessoas. O sismo também provocou estragos em outros pontos do país. 1/11/1955
 
V Z A M U O N Ç K P R I Ç E R A T F X M L S P C Z F O Q A K Y I O F H C D G K P C S T I D E N H O E J M P  S T I F U N A W O G A T A Z T I H C X K U M V R N X E L L D R A O Y S N Q S E P G B C A T I F U H W A P I R E E N I L R H L O Ç J O A Ç V E M D A
V Z A M U O N Ç K P R I Ç R A T F X M L S P C Z F O Q A K Y I O F H C D G K P C S T I D E N H O E J M P  S T I F U N A W O G A T A Z T I H C X K U M V R N X E L L D R A O Y S N Q S E P G B C A T I F U H W A P I R E E N I L R H L O Ç J O A Ç V E M D A
_ _ _ _ o _ _ g _ a T _ _ r _ _ _ t _ _ _ _ e _ s _ _ a _ e M _ _ c _ l _ i _ i _ h _ e _ P _ _ c _ _  T_ _ _ ó _ _ _ _ s _ _ t _ _ _ _ _ _ e _ D _ _ _ _ a _ _ _ t _ _ _ _ m _ _ r _ _ a _ r _ _ _ a  T _ _ _ _ s _ _ e
Sismologia Terramoto Intensidade Mercalli Richter Placas  Tectónicas Catástrofes Desabamento Sismograma Crosta Terrestre
Jennifer Gomes nº12 Samanta Duarte nº22 8ºD 11/2/2009

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sismos
SismosSismos
Sismos
HugoAndre
 
Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1
protecaocivil
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
SismosSismos
Sismos
s1lv1alouro
 
Consequencias dinamica interna_2
Consequencias dinamica interna_2Consequencias dinamica interna_2
Consequencias dinamica interna_2
Pelo Siro
 
Ciências naturais 7 sismologia
Ciências naturais 7   sismologiaCiências naturais 7   sismologia
Ciências naturais 7 sismologia
Nuno Correia
 
Terremoto
TerremotoTerremoto
Terremoto
Inajar
 
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºanoAtividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Mafaldacmm
 
Ch19 terremotos
Ch19 terremotosCh19 terremotos
Ch19 terremotos
Wendell Fabrício
 
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas   daniela 7º eSismos e erupções vulcânicas   daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
protecaocivil
 
Terremotos
TerremotosTerremotos
Terremotos
Maria da Paz
 
Terremotos 1 A
Terremotos 1 ATerremotos 1 A
Abalos Sísmicos
Abalos SísmicosAbalos Sísmicos
Abalos Sísmicos
Maurício Modesto
 
Sismos
SismosSismos
Sismos e Maremotos
Sismos e MaremotosSismos e Maremotos
Sismos e Maremotos
TCHOKAN
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
Isabel Lopes
 
Vulcões e terremotos
Vulcões e terremotosVulcões e terremotos
Vulcões e terremotos
grupo102017
 
Aula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David FerreiraAula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David Ferreira
dlmc01
 
Geologia terremoto
Geologia  terremotoGeologia  terremoto
Geologia terremoto
Fellipe França
 
Terremotos curso mineração materia geologia
Terremotos curso mineração materia geologiaTerremotos curso mineração materia geologia
Terremotos curso mineração materia geologia
Lucas Jordann Alvarenga Drumond
 

Mais procurados (20)

Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Consequencias dinamica interna_2
Consequencias dinamica interna_2Consequencias dinamica interna_2
Consequencias dinamica interna_2
 
Ciências naturais 7 sismologia
Ciências naturais 7   sismologiaCiências naturais 7   sismologia
Ciências naturais 7 sismologia
 
Terremoto
TerremotoTerremoto
Terremoto
 
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºanoAtividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
 
Ch19 terremotos
Ch19 terremotosCh19 terremotos
Ch19 terremotos
 
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas   daniela 7º eSismos e erupções vulcânicas   daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
 
Terremotos
TerremotosTerremotos
Terremotos
 
Terremotos 1 A
Terremotos 1 ATerremotos 1 A
Terremotos 1 A
 
Abalos Sísmicos
Abalos SísmicosAbalos Sísmicos
Abalos Sísmicos
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos e Maremotos
Sismos e MaremotosSismos e Maremotos
Sismos e Maremotos
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Vulcões e terremotos
Vulcões e terremotosVulcões e terremotos
Vulcões e terremotos
 
Aula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David FerreiraAula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David Ferreira
 
Geologia terremoto
Geologia  terremotoGeologia  terremoto
Geologia terremoto
 
Terremotos curso mineração materia geologia
Terremotos curso mineração materia geologiaTerremotos curso mineração materia geologia
Terremotos curso mineração materia geologia
 

Destaque

Atividade sismica
Atividade sismicaAtividade sismica
Sismos
SismosSismos
Sismos
Isabel Lopes
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Gabriela Bruno
 
Sismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e ruiSismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e rui
8_c_clube
 
Sismos
Sismos Sismos
Sismos
TCHOKAN
 
Sismos
 Sismos Sismos
Sismos
Eduardo1
 
VII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIAVII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIA
sandranascimento
 
Teste rochas 7º ano
Teste rochas 7º anoTeste rochas 7º ano
Teste rochas 7º ano
Sofia Ribeiro
 
Sismos
SismosSismos
Atividade vulcânica
Atividade vulcânicaAtividade vulcânica
Atividade vulcânica
acatarina82
 
Sismos
SismosSismos
Area de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos
Area  de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos  Area  de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos
Area de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos
Nilzetec Campos
 
Os Sismos
Os Sismos   Os Sismos
Os Sismos
vialongadt
 
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicosTeoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Bárbara Pereira
 
Sismologia
Sismologia Sismologia
Sismologia
Rita Pereira
 
Trabalho sobre o terramoto 11º e
Trabalho sobre o terramoto 11º eTrabalho sobre o terramoto 11º e
Trabalho sobre o terramoto 11º e
Carla Teixeira
 
Deriva continental e teoria expansão oceânica
Deriva continental e teoria  expansão oceânica Deriva continental e teoria  expansão oceânica
Deriva continental e teoria expansão oceânica
nelma13
 
Os sismos[1]
Os sismos[1]Os sismos[1]
Os sismos[1]
manuelaafig
 
Manifestações secundárias do vulcanismo
Manifestações secundárias do vulcanismoManifestações secundárias do vulcanismo
Manifestações secundárias do vulcanismo
Machado6
 
Actividade sísmica 7º
Actividade sísmica   7ºActividade sísmica   7º
Actividade sísmica 7º
Célia Figueiredo
 

Destaque (20)

Atividade sismica
Atividade sismicaAtividade sismica
Atividade sismica
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Sismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e ruiSismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e rui
 
Sismos
Sismos Sismos
Sismos
 
Sismos
 Sismos Sismos
Sismos
 
VII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIAVII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIA
 
Teste rochas 7º ano
Teste rochas 7º anoTeste rochas 7º ano
Teste rochas 7º ano
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Atividade vulcânica
Atividade vulcânicaAtividade vulcânica
Atividade vulcânica
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Area de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos
Area  de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos  Area  de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos
Area de risco, Apresentação Prof Nilzete Alves Campos
 
Os Sismos
Os Sismos   Os Sismos
Os Sismos
 
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicosTeoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
 
Sismologia
Sismologia Sismologia
Sismologia
 
Trabalho sobre o terramoto 11º e
Trabalho sobre o terramoto 11º eTrabalho sobre o terramoto 11º e
Trabalho sobre o terramoto 11º e
 
Deriva continental e teoria expansão oceânica
Deriva continental e teoria  expansão oceânica Deriva continental e teoria  expansão oceânica
Deriva continental e teoria expansão oceânica
 
Os sismos[1]
Os sismos[1]Os sismos[1]
Os sismos[1]
 
Manifestações secundárias do vulcanismo
Manifestações secundárias do vulcanismoManifestações secundárias do vulcanismo
Manifestações secundárias do vulcanismo
 
Actividade sísmica 7º
Actividade sísmica   7ºActividade sísmica   7º
Actividade sísmica 7º
 

Semelhante a Sismos

Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
MINEDU
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Sérgio Luiz
 
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxggggggggggggggggggggggae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
mariagrave
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
estudabem
 
Terremotos, vulcões e tsunamis
Terremotos, vulcões e tsunamisTerremotos, vulcões e tsunamis
Terremotos, vulcões e tsunamis
Carol Pereira
 
Cartilha sismologia
Cartilha sismologiaCartilha sismologia
Cartilha sismologia
gabrielvm_andrade
 
Atividade sísmica
Atividade sísmicaAtividade sísmica
Atividade sísmica
Ana Beatriz Gonçalves
 
Traabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácidoTraabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácido
protecaocivil
 
Catástrofes naturais
Catástrofes naturaisCatástrofes naturais
Catástrofes naturais
Rui Basto
 
Sismos
SismosSismos
TERRAMOTOS - Trabalho de Projeto
TERRAMOTOS - Trabalho de ProjetoTERRAMOTOS - Trabalho de Projeto
TERRAMOTOS - Trabalho de Projeto
João Pereira
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
luis costa
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
luis costa
 
Sismos
SismosSismos
11 sismologia
11 sismologia 11 sismologia
11 sismologia
Vanessa Jorge
 
Riscos e catstrofes naturais
Riscos e catstrofes naturaisRiscos e catstrofes naturais
Riscos e catstrofes naturais
jottaporto1
 
Sismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºbSismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºb
protecaocivil
 
Os Sismos
Os SismosOs Sismos
Os Sismos
Vitor Dalcégio
 
Guia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmicaGuia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmica
Sara Carvalhosa
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Fernando Martins
 

Semelhante a Sismos (20)

Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxggggggggggggggggggggggae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Terremotos, vulcões e tsunamis
Terremotos, vulcões e tsunamisTerremotos, vulcões e tsunamis
Terremotos, vulcões e tsunamis
 
Cartilha sismologia
Cartilha sismologiaCartilha sismologia
Cartilha sismologia
 
Atividade sísmica
Atividade sísmicaAtividade sísmica
Atividade sísmica
 
Traabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácidoTraabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácido
 
Catástrofes naturais
Catástrofes naturaisCatástrofes naturais
Catástrofes naturais
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
TERRAMOTOS - Trabalho de Projeto
TERRAMOTOS - Trabalho de ProjetoTERRAMOTOS - Trabalho de Projeto
TERRAMOTOS - Trabalho de Projeto
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
11 sismologia
11 sismologia 11 sismologia
11 sismologia
 
Riscos e catstrofes naturais
Riscos e catstrofes naturaisRiscos e catstrofes naturais
Riscos e catstrofes naturais
 
Sismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºbSismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºb
 
Os Sismos
Os SismosOs Sismos
Os Sismos
 
Guia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmicaGuia de estudo - Atividade sísmica
Guia de estudo - Atividade sísmica
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 

Mais de Samanta Duarte

V3r518 Holanda
V3r518  HolandaV3r518  Holanda
V3r518 Holanda
Samanta Duarte
 
Gestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosGestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos Recursos
Samanta Duarte
 
Secas
SecasSecas
Inundações2
Inundações2Inundações2
Inundações2
Samanta Duarte
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
Samanta Duarte
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
Samanta Duarte
 
Inundações
InundaçõesInundações
Inundações
Samanta Duarte
 
Tempestades
TempestadesTempestades
Tempestades
Samanta Duarte
 

Mais de Samanta Duarte (8)

V3r518 Holanda
V3r518  HolandaV3r518  Holanda
V3r518 Holanda
 
Gestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosGestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos Recursos
 
Secas
SecasSecas
Secas
 
Inundações2
Inundações2Inundações2
Inundações2
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
 
Inundações
InundaçõesInundações
Inundações
 
Tempestades
TempestadesTempestades
Tempestades
 

Último

Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 

Sismos

  • 2. Um sismo é mais vulgarmente conhecido como terramoto. É um fenómeno natural causado por movimentos súbitos dentro da crosta terrestre. Estes movimentos libertam tensões que tem vindo a ser exercidas sobre as rochas devido ao movimento das placas tectónicas que constituem a crosta terrestre.
  • 3. O local onde é gerado denomina-se foco sísmico ou hipocentro. O epicentro fica em linha recta na superfície, sendo o local onde o sismo é sentido com maior intensidade. Para quantificar um sismo existem duas grandezas: a magnitude e a intensidade.
  • 4. A magnitude de um sismo indica a quantidade de energia libertada por esse evento sísmico. É baseada em medições precisas da amplitude das ondas sísmicas nos sismogramas, para distâncias conhecidas entre o epicentro e a estação sísmica.
  • 5.   Magnitude (Richter)   Efeitos   <3,5 geralmente não sentido pelas popula ç ões   3,5 - 5,4 frequentemente sentido, mas raramente causa danos materiais 5,4 - 6,0   danos ligeiros em edif í cios bem constru í dos; danos maiores em edif í cios degradados 6,1 - 6,9   pode ser destruidor em á reas at é 100km do epicentro 7,0 - 7,9   grande sismo; pode provocar grandes danos em vastas á reas >8,0   sismo muito grande; pode provocar grandes destrui ç ões em á reas afastadas centenas de quil ó metros
  • 6. A intensidade sísmica é uma medida qualitativa que descreve os efeitos produzidos pelos terramotos em locais da superfície terrestre. A classificação da intensidade sísmica é feita a partir da observação “in loco” dos danos provocados nas construções, pessoas ou meio ambiente. Esses efeitos são denominados macro sísmicos.
  • 7. Intensidade (Mercalli) Efeitos I Não sentido II Sentido por pessoas em repouso ou em andares superiores III Objectos pendurados são balan ç ados um pouco. Vibra ç ão leve IV Vibra ç ão como a causada pela passagem de caminhões pesados. chocalhar de janelas e lou ç as. Carros parados são balan ç ados V Sentido fora de casa. Acorda gente. Objectos pequenos tombados. Quadros são movidos VI Sentido por todos. Deslocamento de mob í lia. Danos: lou ç a e vidraria quebradas, queda de mercadorias. Rachadura no reboco VII Percebido por motoristas dirigindo. Dificuldade em manter-se em p é . Sinos tocam ( igrejas, capelas, etc.).Danos: quebra de chamin é s e ornamentos arquitect ó nicos, queda de reboco, quebra de mob í lia, rachaduras consider á veis em reboco e alvenaria, algumas casas de adobe tombadas/desabadas VIII Pessoas dirigindo autom ó veis são perturbadas. Galhos e troncos quebrados. Rachaduras em solo molhado. Destrui ç ão: torres d á gua elevadas, monumentos, casas de adobes. Danos severos a moderados: estruturas de tijolo, casas de madeira (quando não estão firmes com funda ç ão), obras de irriga ç ão, diques IX Solo conspicuamente rachado ( “ crateras de areia ” ).Desabamentos. Destrui ç ão: alvenaria de tijolo não armado. Danos severos a moderados: estruturas inadequadas de concreto armado, tubula ç ões subterrâneas X Desabamentos e solo rachado muito espalhados. Destrui ç ão: pontes, t ú neis, algumas estruturas de concreto armado. Danos severos a moderados: maioria das alvenarias, barragens, estradas de ferro XI Dist ú rbios permanentes no solo XII Danos quase totais.
  • 8. A previsão dos sismos baseia-se no conhecimento do risco sísmico. Com este fim, realizou-se e realiza-se em muitos países onde os riscos de ocorrência de sismos são elevados (Japão, Estados Unidos da América, China, Rússia, etc.) o inventário histórico dos sismos, com a sua localização e a sua intensidade.
  • 9. Para se prevenir um sismo e reduzir os seus prejuízos é muito importante examinar os registos históricos e construir cartas de riscos sísmicos, estabelecer normas de construção anti-sísmica e aumentar a investigação científica . As populações das zonas mais prejudicadas e ameaçadas devem fazer regularmente exercícios de simulação e conhecer as normas de protecção pessoal.
  • 10. Obter informação sobre os desastres sísmicos que poderão ocorrer na região onde vive. Assegurar-se que existem planos de emergência. Informar-se sobre ele e exigir aos responsáveis a realização de exercícios de emergência. Apoiar programas de preparação para actuação em caso de tremor de terra. As escolas e as organizações cívicas podem fornecer um serviço altamente benéfico, neste aspecto. Estudar quais os locais de maior segurança em sua casa. Saber onde ficam as saídas de emergência e com se desliga o alarme de incêndios. Preparar a sua casa contra diversos perigos durante os sismos.
  • 11. O terramoto de magnitude 7.8 na escala de Richter que abalou a China fez mais de 8700 mortos, de acordo com o último balanço avançado pelas autoridades chinesas, citadas pela agência governamental Xinhua. A agência noticiosa refere que estas mortes se verificaram na região de Sichuan, no sudoeste do país, onde haverá ainda pelo menos 10 mil feridos. Pouco antes das 14h00 em Lisboa registaram-se novas réplicas do sismo. Ainda em Sichuan, cerca de 900 crianças ficaram soterradas numa escola. As últimas informações dão conta que foram retirados dos escombros 50 corpos. A agência Reuters refere que no município de Beichuan Qiang 80 por cento dos edifícios chocaram. Estão envolvidos nas operações de emergência milhares de pessoas. 12/5/2008
  • 12.  
  • 13. Medidas de prevenção tomadas: - realização de exercícios de simulação; - construção de habitações mais resistentes; - … Medidas tomadas depois do sismo: - Operações de emergência (salvamento de vítimas); - Remoção dos escombros; - Limpeza e restauração de locais degradados pelo acontecimento; - … Prejuízos: - Danos imobiliários e no físico terrestre; - …
  • 14. No dia 1 de Novembro de 1755, a cidade de Lisboa foi abalada por um violento tremor de terra. O abalo durou cerca de 9 minutos. Hora e meia mais tarde, as águas agitadas de um maremoto invadiram a parte baixa da cidade. Como se tal não bastasse, um terceiro cataclismo abateu-se sobre Lisboa – um incêndio que durou seis dias. Muitas das casas que tinham escapado ao sismo e ao maremoto foram consumidos pelo fogo. A cidade ficou , em muitos locais, reduzida a escombros. Os edifícios do Terreiro do Paço desapareceram. Grande parte dos conventos e palácios ruíram. Apenas 3000 das 20000 que existiam na cidade ficaram em condições de ser habitadas. No terramoto morreram cerca de 6 a 8 mil pessoas. O sismo também provocou estragos em outros pontos do país. 1/11/1955
  • 15.  
  • 16. V Z A M U O N Ç K P R I Ç E R A T F X M L S P C Z F O Q A K Y I O F H C D G K P C S T I D E N H O E J M P S T I F U N A W O G A T A Z T I H C X K U M V R N X E L L D R A O Y S N Q S E P G B C A T I F U H W A P I R E E N I L R H L O Ç J O A Ç V E M D A
  • 17. V Z A M U O N Ç K P R I Ç R A T F X M L S P C Z F O Q A K Y I O F H C D G K P C S T I D E N H O E J M P S T I F U N A W O G A T A Z T I H C X K U M V R N X E L L D R A O Y S N Q S E P G B C A T I F U H W A P I R E E N I L R H L O Ç J O A Ç V E M D A
  • 18. _ _ _ _ o _ _ g _ a T _ _ r _ _ _ t _ _ _ _ e _ s _ _ a _ e M _ _ c _ l _ i _ i _ h _ e _ P _ _ c _ _ T_ _ _ ó _ _ _ _ s _ _ t _ _ _ _ _ _ e _ D _ _ _ _ a _ _ _ t _ _ _ _ m _ _ r _ _ a _ r _ _ _ a T _ _ _ _ s _ _ e
  • 19. Sismologia Terramoto Intensidade Mercalli Richter Placas Tectónicas Catástrofes Desabamento Sismograma Crosta Terrestre
  • 20. Jennifer Gomes nº12 Samanta Duarte nº22 8ºD 11/2/2009