SlideShare uma empresa Scribd logo
AAccttiivviiddaaddee ssííssmmiiccaa
O que é um sismo?
O que é um sismo? 
Sismos – são movimentos bruscos da superfície 
terrestre.
Sismo = Tremor de terra
Sismos - provocam alterações na 
superfície terrestre.
Sismologia – É a ciência que estuda os 
sismos e os seus efeitos. 
Sismólogos – São geólogos que se 
dedicam ao estudo da origem dos sismos 
e das suas manifestações.
Origem dos Sismos
Origem dos Sismos 
• Causas naturais
Fracturação e deslizamento das rochas
Fracturação e deslizamento das rochas
Causas naturais: 
A) Movimentação de magma; 
Sismos de origem vulcânica 
B) Deslizamentos e desmoronamentos de 
terras;
CCaauussaass nnaattuurraaiiss:: 
C) Deslizamento brusco de blocos rochosos, 
ao longo do plano de falha. 
Sismos de origem tectónica
Sismos resultantes da actividade 
. explosões em pedreiras; 
. testes nucleares; 
. desabamento de terrenos; 
. etc. 
do Homem:
Hipocentro ≠ Epicentro 
Epicentro 
Hipocentro
Hipocentro ≠ Epicentro
Propagação das ondas sísmicas
Hipocentro ou foco sísmico → É o 
ponto ou local, no interior da Terra, onde se 
origina um sismo. 
Epicentro → É o ponto da superfície 
terrestre, situado na vertical do hipocentro, 
onde o sismo se faz sentir com maior 
intensidade.
Ondas Sísmicas 
É a propagação da energia libertada a 
partir do hipocentro, em todas as 
direcções.
O epicentro de um sismo pode situar-se: 
 Na zona continental 
Terramoto 
 Na zona oceânica 
Maremoto
“Tsunami”
“Tsunamis” 
 São ondas de grande dimensão que se 
podem formar quando o epicentro se 
localiza numa área oceânica. 
 Deslocam-se a grande velocidade e 
sempre que atingem as regiões costeiras, 
provocam grande destruição.
““TTssuunnaammii””
SISMOS 
Macrossismos Microssismos
 Macrossismos – São sismos de grande 
intensidade, sentidos pela população. 
- Podem provocar um grande número de mortes em  Microssismos – São sismos de fraca 
intensidade e que nos passam 
despercebidos.
Abalos premonitórios 
Sismo principal 
Réplicas
Sismógrafos 
- São aparelhos 
que registam os 
movimentos na 
superfície da 
Terra.
Sismógrafos 
Existem 2 tipos: 
 Sismógrafos horizontais 
(registam os movimentos 
horizontais) 
 Sismógrafos Verticais 
(registam os movimentos 
verticais)
Sismograma 
- É o registo dos movimentos provocados 
pelo sismo.
Ondas Sísmicas
EEssccaallaa ddee MMeerrccaallllii 
IInntteennssiiddaaddee – É a medida dos efeitos de 
um sismo num determinado local, em 
pessoas e estruturas. 
EEssccaallaa ddee RRiicchhtteerr 
MMaaggnniittuuddee –– ÉÉ aa mmeeddiiddaa ddaa eenneerrggiiaa 
dduurraannttee uumm ssiissmmoo..
Escala de Mercalli (modificada) 
 Avalia aa iinntteennssiiddaaddee ddee uumm 
ssiissmmoo ppeellaa ffoorrmmaa ccoommoo éé sseennttiiddoo 
ppeellaass ppooppuullaaççõõeess ee ppeellooss eeffeeiittooss 
qquuee pprroovvooccaa nnaass ccoonnssttrruuççõõeess 
hhuummaannaass.. 
 II aa XXIIII ggrraauuss.. 
 BBaasseeiiaa--ssee nnaass oobbsseerrvvaaççõõeess ee 
nnooss rreellaattooss ddee tteesstteemmuunnhhaass..
Escala de Richter 
• Utilizada para medir a energia 
libertada durante um sismo 
(magnitude). 
• 0 – 8,9 graus. 
• A magnitude é determinada 
através da interpretação de 
sismogramas.
Propagação das ondas sísmicas
Carta de Isossistas do sismo de 1755 (Lisboa)
IIssoossssiissttaass 
Linhas curvas e irregulares que unem 
pontos de igual intensidade sísmica.
Sismo de 1755 - Lisboa
Actividade sísmica   7º
Actividade sísmica   7º
Distribuição mundial de sismos
Zonas de Maior Actividade Sísmica 
nos Açores 
Carta epicentral referente ao período 1980-89 (J.C. Nunes, 1991)
Zonas de Maior Actividade Sísmica 
em S. Miguel 
Carta epicentral para a ilha de S. Miguel referente ao período 1980-89 
(J.C. Nunes, 1991)
Terramoto no México, 
em 1985
Terramoto no México, em 1985 
Sismo em Los Angeles, 1994 
Sismo no Japão, 1995
Sismo – Faial, Pico, 
S. Jorge 
9 de julho de 1998
9 de Julho de 1998, 5h 19 da manhã, um sismo de magnitude 
5.8 graus na escala de Richter, a nordeste do Faial, atinge 
a Ribeirinha, a freguesia mais próxima do epicentro.
Actividade sísmica   7º
Actividade sísmica   7º
Sismos 
tem origem no fazem-se sentir 
no 
são avaliados por 
Hipocentro Epicentro Escalas 
Mercalli Richter 
a partir do 
qual se 
propagam 
Ondas sísmicas 
registadas pelos 
Sismógrafos 
originam 
Sismogramas 
permite avaliar permite medir 
Intensidade Magnitude 
permite traçar 
Isossistas
Actividade sísmica   7º
Prevenção sísmica
Antes de um sismo 
Obter informações sobre os fenómenos sísmicos e 
partilhe com a sua família; 
Elabore um plano de emergência para a sua família; 
Organize o seu kit de emergência: 
 lanterna 
 rádio portátil 
 pilhas de reserva 
 extintor 
 estojo de primeiros socorros
Antes de um sismo 
Identifique os locais mais seguros: 
 Vão das portas 
 Cantos de paredes mestras 
 Debaixo de mesas e camas 
Conheça os locais mais perigosos: 
 Junto a janelas, espelhos, 
candeeiros, móveis e outros objectos. 
 Elevadores e saídas para a rua.
Ensine todos os familiares como desligar a 
electricidade e a cortar a água e o gás. 
Tenha à mão, em local acessível, os números de 
telefone de serviços de emergência. 
Antes de um sismo
Durante um sismo 
Dentro de casa: 
 Abrigar-se nos locais mais 
seguros da habitação. 
 Afaste-se de janelas e 
mobílias não devidamente fixas 
(moveis, quadros, prateleiras, 
candeeiros).
Durante um sismo 
Fora de casa: 
 Dirige-se para um local aberto. 
 Afaste-se de edifícios e postes de electricidade. 
 Afaste-se de taludes, muros, chaminés e varandas que 
possam desabar 
Se estiver a conduzir: 
 Pare a viatura longe de edifícios, muros, taludes, 
postes e cabos de alta tensão. 
Permaneça na interior da viatura
Depois de um sismo 
 Não se precipite em sair do local 
seguro; 
 Manter a calma e conte com possíveis 
réplicas; 
 Não faça chama. Poderá haver fugas 
de gás; 
 Corte a água e o gás e desligue a 
electricidade; 
 Mantenha-se informado (utilize o 
rádio);
Depois de um sismo 
 Limpe os produtos inflamáveis que tenham, sido 
derramados; 
 Evite passar por locais onde existam fios eléctricos 
soltos; 
 Utilize o telefone apenas em casos de emergências; 
 Auxilie as pessoas feridas ou quem necessite outro 
tipo de ajuda.
Prevenção sísmica
Actividade sísmica   7º
Actividade sísmica   7º
Saídas de emergência 
As saídas para a evacuação ssããoo ttooddaass aass ppoorrttaass ddaa 
eessccoollaa ccoomm ccoommuunniiccaaççããoo ppaarraa oo eexxtteerriioorr:: 
 UUmmaa nnaa ffrreennttee oouu eennttrraaddaa pprriinncciippaall ((ppoorrttaa uumm)) 
 TTrrêêss llaatteerraaiiss ddiirreeiittaass ((pprriimmeeiirraa,, sseegguunnddaa ee tteerrcceeiirraa 
ddiirreeiittaa)) 
 TTrrêêss llaatteerraaiiss eessqquueerrddaass ((pprriimmeeiirraa,, sseegguunnddaa ee 
tteerrcceeiirraa)) 
 UUmmaa nnoo ffuunnddoo oouu ppoorrttaa ppaarraa oo CCoommpplleexxoo DDeessppoorrttiivvoo
Saídas de emergência 
As saídas mencionadas destinam-se a fazer a evacuação 
dos alunos e professores da sala de aula. 
Atenção às escadas!
Saídas de emergência 
 Os docentes que se encontrem na ssaallaa ddee pprrooffeessssoorreess 
ddeevveemm uuttiilliizzaarr aa ppoorrttaa ddaa ffrreennttee.. 
 OOss aalluunnooss qquuee ssee eennccoonnttrreemm nnoouuttrrooss llooccaaiiss ddaa eessccoollaa 
((bbaarr,, bbiibblliiootteeccaa,, aannffiitteeaattrroo,, ccaannttiinnaa ee rreeccrreeiiooss 
ccoobbeerrttooss)) ddeevveerrããoo ddiirriiggiirr--ssee ppaarraa aa ssaaííddaa mmaaiiss 
pprróóxxiimmaa ee jjuunnttaarr--ssee aaooss rreessttaanntteess ccoolleeggaass nnooss llooccaaiiss 
ddee rreeuunniiããoo..
Itinerários 
Os itinerários a seguir devem ser no sentido 
das setas que se encontram colocadas nos 
corredores à saída das salas de aula.
Locais de reunião 
Os locais de reunião serão os ppááttiiooss eexxtteerriioorreess ddaa 
eessccoollaa eemm ffrreennttee ààss ssaaííddaass ddee eemmeerrggêênncciiaa llaatteerraaiiss.. 
OOss aalluunnooss ddeevveemm ppeerrmmaanneecceerr nneesstteess llooccaaiiss,, 
aaccoommppaannhhaaddooss ddoo rreessppeeccttiivvoo pprrooffeessssoorr,, aattéé sseerreemm 
pprrooccuurraaddooss ppeellooss ffaammiilliiaarreess oouu aattéé ooss rreessppoonnssáávveeiiss 
aacchhaarreemm ccoonnvveenniieennttee..
Actividade sísmica   7º
Professores 
Os directores de turma devem iinnffoorrmmaarr ooss aalluunnooss 
ddaa ssuuaa ddiirreeccççããoo aacceerrccaa ddoo pprroocceeddiimmeennttoo aa ttoommaarr 
eemm ccaassoo ddee ccaattáássttrrooffee.. 
DDeevveemm iinnssttrruuiirr oo ddeelleeggaaddoo ddee ttuurrmmaa,, oouu oo aalluunnoo 
ccoonnssiiddeerraaddoo mmaaiiss rreessppoonnssáávveell,, ppaarraa ccoommaannddaarr oo 
rreessttoo ddaa ttuurrmmaa ee sseerr oo pprriimmeeiirroo aa ssaaiirr ee sseegguuiirr oo 
iittiinneerráárriioo aattéé aaoo llooccaall ddee rreeuunniiããoo..
Professores 
Em caso de sismo, o professor ddeevveerráá mmaannddaarr ccoollooccaarr 
ooss aalluunnooss ddeebbaaiixxoo ddaass mmeessaass ee aagguuaarrddaarr qquuee oo ssiissmmoo 
cceessssee.. EEmm ccaassoo ddee ssiimmuullaaççããoo,, ddeevveerrããoo ccoonnttaarr eemm 
ccoonnjjuunnttoo ee eemm vvoozz aallttaa aattéé cciinnqquueennttaa.. 
AAoo ssooaarr oo aallaarrmmee oouu nnoo ffiinnaall ddoo ssiissmmoo,, ddeevvee pprroocceeddeerr 
àà eevvaaccuuaaççããoo ddooss sseeuuss aalluunnooss,, ppeellooss qquuaaiiss éé rreessppoonnssáávveell 
ddeessddee aa ssaaííddaa ddaa ssaallaa aattéé aaoo mmoommeennttoo ddaa ssaaííddaa ddaa 
eessccoollaa.. 
DDeevveemm sseerr ooss úúllttiimmooss aa aabbaannddoonnaarr aa ssaallaa ee cceerrttiiffiiccaarr-- 
ssee,, nnoo llooccaall ddaa rreeuunniiããoo,, ddaa pprreesseennççaa ddee ttooddooss ooss 
aalluunnooss..
Professores 
Os docentes que se encontrem na sala ddee pprrooffeessssoorreess,, 
GGAATT,, bbiibblliiootteeccaa,, ssaallaa ddee rreeuunniiõõeess,, sseeccrreettaarriiaa ee ssaallaa 
ddee ddiirreeccttoorreess ddee ttuurrmmaa ddeevveemm ssaaiirr ppeellaa ppoorrttaa 
pprriinncciippaall ee ddiirriiggiirr--ssee aaooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo.. 
OOss pprrooffeessssoorreess qquuee ssee eennccoonnttrreemm nnooss rreessttaanntteess 
ggaabbiinneetteess,, aannffiitteeaattrroo,, eettcc..,, ddeevveemm ddiirriiggiirr--ssee ppaarraa aa 
ssaaííddaa ddee eemmeerrggêênncciiaa mmaaiiss pprróóxxiimmaa ee jjuunnttaarr--ssee aaooss 
rreessttaanntteess nnooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo..
O delegado oouu aalluunnoo mmaaiiss rreessppoonnssáávveell:: 
Alunos 
 DDeevvee,, nnaa ssaallaa ddee aauullaa,, sseennttaarr--ssee sseemmpprree nnoo llooccaall 
mmaaiiss pprróóxxiimmoo ddaa ppoorrttaa ddee ssaaííddaa.. 
 QQuuaannddoo cceessssaarr oo ssiissmmoo,, aaoo ssooaarr oo aallaarrmmee oouu 
qquuaannddoo oo pprrooffeessssoorr iinnddiiccaarr,, ddeevvee aabbrriirr 
iimmeeddiiaattaammeennttee aa ppoorrttaa ddaa ssaallaa ddee aauullaa.. 
 DDeevvee ccoonndduuzziirr aattrrááss ddee ssii ttooddooss ooss eelleemmeennttooss ddaa 
ttuurrmmaa,, eemm ffiillaa,, sseegguuiinnddoo oo iittiinneerráárriioo iinnddiiccaaddoo 
ppeellaass sseettaass.. 
 DDeevvee ccoonnttaarr sseemmpprree,, nnoo iinníícciioo ddaa aauullaa,, oo nnúúmmeerroo 
ttoottaall ddee aalluunnooss qquuee eessttããoo nnaa ssaallaa ee rreeccoonnttaa--llooss 
aappóóss aa eevvaaccuuaaççããoo ddaa eessccoollaa..
Alunos 
NNOOTTAA:: 
 Aquando do exercício de simulação ddee uumm ssiissmmoo,, ooss 
pprroocceeddiimmeennttooss aa aaddooppttaarr qquuaannddoo ssee iinnddiiccaa oo ““iinníícciioo ddoo 
ssiissmmoo”” ddeevveerrããoo sseerr eexxeeccuuttaaddooss qquuaannddoo ssooaarr oo aallaarrmmee.. 
 PPaarraa qquuee sseejjaamm rreeaalliizzaaddaass aass aaccççõõeess qquuee ssee ddeesseennrroollaarrããoo 
dduurraannttee aa ooccoorrrrêênncciiaa ddoo eevveennttoo,, ooss aalluunnooss ddeevveerrããoo mmaanntteerr-- 
ssee ddeebbaaiixxoo ddaass mmeessaass,, ccoonnttaarr eemm vvoozz aallttaa ee eemm ccoonnjjuunnttoo 
aattéé cciinnqquueennttaa ee,, eemm sseegguuiiddaa,, aaggiirr ccoommoo ssee iinnddiiccaa qquuaannddoo 
tteerrmmiinnaa uumm ssiissmmoo..
Auxiliares de acção educativa 
São responsáveis pela abertura ddaass ssaaííddaass ddee 
eemmeerrggêênncciiaa ddaass ssuuaass zzoonnaass.. 
SSããoo rreessppoonnssáávveeiiss ppeellaa oorriieennttaaççããoo ddaa eevvaaccuuaaççããoo nnooss 
ppoonnttooss ccrrííttiiccooss.. 
NNOOTTAA:: 
 DDeevveemm ppeerrmmaanneecceerr jjuunnttoo ààss eessccaaddaass ddaass zzoonnaass ddaa 
ssuuaa rreessppoonnssaabbiilliiddaaddee ee ssaaiirr ssóó ddeeppooiiss ddee ssee tteerreemm 
cceerrttiiffiiccaaddoo qquuee nnããoo ssee eennccoonnttrraa mmaaiiss nniinngguuéémm nnaa 
ssuuaa áárreeaa ddee vviiggiillâânncciiaa..
Auxiliares de acção educativa 
 Devem dirigir os alunos qquuee ssee eennccoonnttrreemm nnaa ssuuaa 
rreessppeeccttiivvaa áárreeaa ppaarraa aa ssaaííddaa ddee eemmeerrggêênncciiaa mmaaiiss pprróóxxiimmaa,, 
ppeerrmmaanneecceennddoo ccoomm ooss mmeessmmooss ee rreessppeeccttiivvooss pprrooffeessssoorreess 
nnooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo aattéé oorrddeennss ssuuppeerriioorreess eemm ccoonnttrráárriioo.. 
 EEmm ccaassoo ddee iinnccêênnddiioo,, ddeevveemm ddeessllooccaarr oo eexxttiinnttoorr ddaa ppaarreeddee 
ee,, ssee oo iinncciiddeennttee ttiivveerr lluuggaarr nnaa ssuuaa áárreeaa ddee vviiggiillâânncciiaa,, 
uuttiilliizzáá--lloo aanntteess qquuee oo iinnccêênnddiioo aattiinnjjaa ggrraannddeess pprrooppoorrççõõeess..
Auxiliares de acção educativa 
 Os porteiros são responsáveis por iimmppeeddiirr aa ssaaííddaass 
ddooss aalluunnooss sseemm aauuttoorriizzaaççããoo ee aa eennttrraaddaa ddee eessttrraannhhooss.. 
 TTooddooss ooss rreessttaanntteess aauuxxiilliiaarreess ddee aaccççããoo eedduuccaattiivvaa 
ddeevveerrããoo ccoollaabboorraarr ccoomm ooss pprrooffeessssoorreess qquuee ssee 
eennccoonnttrreemm nnaass ssuuaass zzoonnaass..
Pessoal administrativo 
Ao soar o alarme, ou quando cessar o ssiissmmoo,, ddeevveemm ddiirriiggiirr--ssee 
ppaarraa aa rreessppeeccttiivvaa ssaaííddaa ddee eemmeerrggêênncciiaa ee jjuunnttaarr--ssee aaooss ddeemmaaiiss 
nnooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo.. 
AAqquuii ddeevveemm ccoollaabboorraarr ccoomm ooss pprrooffeessssoorreess ee aajjuuddaarr aa mmaanntteerr aa 
oorrddeemm.. 
OO rreessppoonnssáávveell ddeevvee cceerrttiiffiiccaarr--ssee ddee qquuee nnããoo ffiiccaa nniinngguuéémm nnaa 
zzoonnaa ddee ttrraabbaallhhoo ee,, ppoorrttaannttoo,, ddeevveerráá sseerr oo úúllttiimmoo aa ssaaiirr..
Conselho executivo 
Escolhe e nomeia pessoal aauuxxiilliiaarr ppaarraa ffuunnççõõeess 
eessppeeccííffiiccaass eemm ccaaddaa aannoo lleeccttiivvoo ee nnoommeeiiaa ppeessssooaall 
eennccaarrrreeggaaddoo ddee rreecceebbeerr ffoorrççaass ddee sseegguurraannççaa ee 
oorrggaanniizzaaççõõeess ddee ssooccoorrrroo,, iinnddiiccaannddoo--llhheess zzoonnaass ddee 
mmaaiioorr ppeerriiggoo.. AAtteennddee oo ppúúbblliiccoo ((eennccaarrrreeggaaddooss ddee 
eedduuccaaççããoo ee jjoorrnnaalliissttaass))..

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
Luís Filipe Marinho
 
Estrutura interna da terra
Estrutura interna da terraEstrutura interna da terra
Estrutura interna da terra
catiacsantos
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Isabel Lopes
 
Variação da temperatura geografia
Variação da temperatura   geografia Variação da temperatura   geografia
Variação da temperatura geografia
Thepatriciamartins12
 
Massas de ar
Massas de arMassas de ar
Massas de ar
Sofia Baltazar
 
Vulcanismo Primário e Secundário
Vulcanismo Primário e SecundárioVulcanismo Primário e Secundário
Vulcanismo Primário e Secundário
Luís Reguengo
 
Resumo geografia
Resumo geografiaResumo geografia
Resumo geografia
Thepatriciamartins12
 
Climas e formações vegetais
Climas e formações vegetaisClimas e formações vegetais
Climas e formações vegetais
Ingrid Bispo
 
Os tsunamis
Os tsunamisOs tsunamis
Os tsunamis
José Palma
 
Os Senhorios Cs Ja En
Os Senhorios Cs Ja EnOs Senhorios Cs Ja En
Os Senhorios Cs Ja En
AEDFL
 
A rede hidrográfica
A rede hidrográficaA rede hidrográfica
A rede hidrográfica
Rosária Zamith
 
Sismologia
Sismologia Sismologia
Sismologia
Rita Pereira
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
margaridabt
 
a variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território portuguêsa variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território português
Nigina Ahrorova
 
Pressão atmosférica
Pressão atmosférica Pressão atmosférica
Pressão atmosférica
joanass69
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Rita Pereira
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
Fernanda Pantoja
 
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 anoExercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Catir
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974
Jorge Almeida
 
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos HídricosGeografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Raffaella Ergün
 

Mais procurados (20)

Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
 
Estrutura interna da terra
Estrutura interna da terraEstrutura interna da terra
Estrutura interna da terra
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Variação da temperatura geografia
Variação da temperatura   geografia Variação da temperatura   geografia
Variação da temperatura geografia
 
Massas de ar
Massas de arMassas de ar
Massas de ar
 
Vulcanismo Primário e Secundário
Vulcanismo Primário e SecundárioVulcanismo Primário e Secundário
Vulcanismo Primário e Secundário
 
Resumo geografia
Resumo geografiaResumo geografia
Resumo geografia
 
Climas e formações vegetais
Climas e formações vegetaisClimas e formações vegetais
Climas e formações vegetais
 
Os tsunamis
Os tsunamisOs tsunamis
Os tsunamis
 
Os Senhorios Cs Ja En
Os Senhorios Cs Ja EnOs Senhorios Cs Ja En
Os Senhorios Cs Ja En
 
A rede hidrográfica
A rede hidrográficaA rede hidrográfica
A rede hidrográfica
 
Sismologia
Sismologia Sismologia
Sismologia
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
 
a variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território portuguêsa variação da radiação solar no território português
a variação da radiação solar no território português
 
Pressão atmosférica
Pressão atmosférica Pressão atmosférica
Pressão atmosférica
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Uma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição deUma análise da obra amor de perdição de
Uma análise da obra amor de perdição de
 
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 anoExercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974
 
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos HídricosGeografia A 10 ano - Recursos Hídricos
Geografia A 10 ano - Recursos Hídricos
 

Destaque

Sismos
SismosSismos
Sismos
Isabel Lopes
 
Sismos 1
Sismos 1Sismos 1
Terremoto hipocentro
Terremoto hipocentroTerremoto hipocentro
Terremoto hipocentro
quintocolegiobelen
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
PMoreira19
 
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicosTeoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Bárbara Pereira
 
Deriva continental e teoria expansão oceânica
Deriva continental e teoria  expansão oceânica Deriva continental e teoria  expansão oceânica
Deriva continental e teoria expansão oceânica
nelma13
 
Os sismos[1]
Os sismos[1]Os sismos[1]
Os sismos[1]
manuelaafig
 
Ficha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gico
Ficha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gicoFicha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gico
Ficha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gico
Leonardo Alves
 
Sismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e ruiSismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e rui
8_c_clube
 
Atividade sísmica
Atividade sísmicaAtividade sísmica
Atividade sísmica
Ana Beatriz Gonçalves
 
Dinâmica externa da terra
Dinâmica externa da terraDinâmica externa da terra
Dinâmica externa da terra
andrepaiva7a
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
s1lv1alouro
 
dobras e falhas
dobras e falhasdobras e falhas
dobras e falhas
Adrianna Carvalho
 
Sismos
SismosSismos
Deformaçoes
DeformaçoesDeformaçoes
Sismos
SismosSismos
Sismos
SusiPaula
 
A Teoria Da Deriva Dos Continentesf
A Teoria Da Deriva Dos ContinentesfA Teoria Da Deriva Dos Continentesf
A Teoria Da Deriva Dos Continentesf
s1lv1alouro
 
Sismos e Maremotos
Sismos e MaremotosSismos e Maremotos
Sismos e Maremotos
TCHOKAN
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
ivasantos
 
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºanoAtividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Mafaldacmm
 

Destaque (20)

Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos 1
Sismos 1Sismos 1
Sismos 1
 
Terremoto hipocentro
Terremoto hipocentroTerremoto hipocentro
Terremoto hipocentro
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicosTeoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
Teoria da-mobilidade-dos-fundos-oceânicos
 
Deriva continental e teoria expansão oceânica
Deriva continental e teoria  expansão oceânica Deriva continental e teoria  expansão oceânica
Deriva continental e teoria expansão oceânica
 
Os sismos[1]
Os sismos[1]Os sismos[1]
Os sismos[1]
 
Ficha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gico
Ficha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gicoFicha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gico
Ficha de-trabalho-7c2ba-ano-fc3b3sseis-escala-do-tempo-geolc3b3gico
 
Sismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e ruiSismos 8ºc- inês e rui
Sismos 8ºc- inês e rui
 
Atividade sísmica
Atividade sísmicaAtividade sísmica
Atividade sísmica
 
Dinâmica externa da terra
Dinâmica externa da terraDinâmica externa da terra
Dinâmica externa da terra
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
dobras e falhas
dobras e falhasdobras e falhas
dobras e falhas
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Deformaçoes
DeformaçoesDeformaçoes
Deformaçoes
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
A Teoria Da Deriva Dos Continentesf
A Teoria Da Deriva Dos ContinentesfA Teoria Da Deriva Dos Continentesf
A Teoria Da Deriva Dos Continentesf
 
Sismos e Maremotos
Sismos e MaremotosSismos e Maremotos
Sismos e Maremotos
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºanoAtividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
Atividade sísmica; riscos e proteções para sismos- Ciências 7ºano
 

Semelhante a Actividade sísmica 7º

Sismos
SismosSismos
Sismos
estudabem
 
11 sismologia
11 sismologia 11 sismologia
11 sismologia
Vanessa Jorge
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
MINEDU
 
262
262262
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxggggggggggggggggggggggae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
mariagrave
 
Geologia terremoto
Geologia  terremotoGeologia  terremoto
Geologia terremoto
Fellipe França
 
Sismos
SismosSismos
Estudo do Meio- sismos
Estudo do Meio- sismosEstudo do Meio- sismos
Estudo do Meio- sismos
guestb6a2d74
 
VII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIAVII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIA
sandranascimento
 
CatáStrofes Naturais
CatáStrofes NaturaisCatáStrofes Naturais
CatáStrofes Naturais
ap8dgrp1
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
Catir
 
Terrremoto
TerrremotoTerrremoto
Terrremoto
Isaias Ferreira
 
Sismos e vulcões
Sismos e vulcõesSismos e vulcões
Sismos e vulcões
Filipe Leal
 
Catástrofes naturais
Catástrofes naturaisCatástrofes naturais
Catástrofes naturais
Rui Basto
 
Sismos
SismosSismos
Riscos e catástrofes
Riscos e catástrofesRiscos e catástrofes
Riscos e catástrofes
Maria de Sousa
 
Tsunamis
TsunamisTsunamis
Tsunamis
dulcemarr
 
Aula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David FerreiraAula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David Ferreira
dlmc01
 
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
alessandraoliveira324
 
Terremotos
TerremotosTerremotos
Terremotos
Maria da Paz
 

Semelhante a Actividade sísmica 7º (20)

Sismos
SismosSismos
Sismos
 
11 sismologia
11 sismologia 11 sismologia
11 sismologia
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
262
262262
262
 
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxggggggggggggggggggggggae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
ae_mt7_ppt_sismos.pptxgggggggggggggggggggggg
 
Geologia terremoto
Geologia  terremotoGeologia  terremoto
Geologia terremoto
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Estudo do Meio- sismos
Estudo do Meio- sismosEstudo do Meio- sismos
Estudo do Meio- sismos
 
VII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIAVII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIA
 
CatáStrofes Naturais
CatáStrofes NaturaisCatáStrofes Naturais
CatáStrofes Naturais
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Terrremoto
TerrremotoTerrremoto
Terrremoto
 
Sismos e vulcões
Sismos e vulcõesSismos e vulcões
Sismos e vulcões
 
Catástrofes naturais
Catástrofes naturaisCatástrofes naturais
Catástrofes naturais
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Riscos e catástrofes
Riscos e catástrofesRiscos e catástrofes
Riscos e catástrofes
 
Tsunamis
TsunamisTsunamis
Tsunamis
 
Aula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David FerreiraAula sobreTerremoto David Ferreira
Aula sobreTerremoto David Ferreira
 
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
12-ciencias-7o-ano-fenomenos-naturais-tsunamis-terremotos-e-vulcoes-2023-11-2...
 
Terremotos
TerremotosTerremotos
Terremotos
 

Último

Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 

Actividade sísmica 7º

  • 2. O que é um sismo?
  • 3. O que é um sismo? Sismos – são movimentos bruscos da superfície terrestre.
  • 4. Sismo = Tremor de terra
  • 5. Sismos - provocam alterações na superfície terrestre.
  • 6. Sismologia – É a ciência que estuda os sismos e os seus efeitos. Sismólogos – São geólogos que se dedicam ao estudo da origem dos sismos e das suas manifestações.
  • 8. Origem dos Sismos • Causas naturais
  • 11. Causas naturais: A) Movimentação de magma; Sismos de origem vulcânica B) Deslizamentos e desmoronamentos de terras;
  • 12. CCaauussaass nnaattuurraaiiss:: C) Deslizamento brusco de blocos rochosos, ao longo do plano de falha. Sismos de origem tectónica
  • 13. Sismos resultantes da actividade . explosões em pedreiras; . testes nucleares; . desabamento de terrenos; . etc. do Homem:
  • 14. Hipocentro ≠ Epicentro Epicentro Hipocentro
  • 17. Hipocentro ou foco sísmico → É o ponto ou local, no interior da Terra, onde se origina um sismo. Epicentro → É o ponto da superfície terrestre, situado na vertical do hipocentro, onde o sismo se faz sentir com maior intensidade.
  • 18. Ondas Sísmicas É a propagação da energia libertada a partir do hipocentro, em todas as direcções.
  • 19. O epicentro de um sismo pode situar-se:  Na zona continental Terramoto  Na zona oceânica Maremoto
  • 21. “Tsunamis”  São ondas de grande dimensão que se podem formar quando o epicentro se localiza numa área oceânica.  Deslocam-se a grande velocidade e sempre que atingem as regiões costeiras, provocam grande destruição.
  • 24.  Macrossismos – São sismos de grande intensidade, sentidos pela população. - Podem provocar um grande número de mortes em  Microssismos – São sismos de fraca intensidade e que nos passam despercebidos.
  • 25. Abalos premonitórios Sismo principal Réplicas
  • 26. Sismógrafos - São aparelhos que registam os movimentos na superfície da Terra.
  • 27. Sismógrafos Existem 2 tipos:  Sismógrafos horizontais (registam os movimentos horizontais)  Sismógrafos Verticais (registam os movimentos verticais)
  • 28. Sismograma - É o registo dos movimentos provocados pelo sismo.
  • 30. EEssccaallaa ddee MMeerrccaallllii IInntteennssiiddaaddee – É a medida dos efeitos de um sismo num determinado local, em pessoas e estruturas. EEssccaallaa ddee RRiicchhtteerr MMaaggnniittuuddee –– ÉÉ aa mmeeddiiddaa ddaa eenneerrggiiaa dduurraannttee uumm ssiissmmoo..
  • 31. Escala de Mercalli (modificada)  Avalia aa iinntteennssiiddaaddee ddee uumm ssiissmmoo ppeellaa ffoorrmmaa ccoommoo éé sseennttiiddoo ppeellaass ppooppuullaaççõõeess ee ppeellooss eeffeeiittooss qquuee pprroovvooccaa nnaass ccoonnssttrruuççõõeess hhuummaannaass..  II aa XXIIII ggrraauuss..  BBaasseeiiaa--ssee nnaass oobbsseerrvvaaççõõeess ee nnooss rreellaattooss ddee tteesstteemmuunnhhaass..
  • 32. Escala de Richter • Utilizada para medir a energia libertada durante um sismo (magnitude). • 0 – 8,9 graus. • A magnitude é determinada através da interpretação de sismogramas.
  • 34. Carta de Isossistas do sismo de 1755 (Lisboa)
  • 35. IIssoossssiissttaass Linhas curvas e irregulares que unem pontos de igual intensidade sísmica.
  • 36. Sismo de 1755 - Lisboa
  • 40. Zonas de Maior Actividade Sísmica nos Açores Carta epicentral referente ao período 1980-89 (J.C. Nunes, 1991)
  • 41. Zonas de Maior Actividade Sísmica em S. Miguel Carta epicentral para a ilha de S. Miguel referente ao período 1980-89 (J.C. Nunes, 1991)
  • 43. Terramoto no México, em 1985 Sismo em Los Angeles, 1994 Sismo no Japão, 1995
  • 44. Sismo – Faial, Pico, S. Jorge 9 de julho de 1998
  • 45. 9 de Julho de 1998, 5h 19 da manhã, um sismo de magnitude 5.8 graus na escala de Richter, a nordeste do Faial, atinge a Ribeirinha, a freguesia mais próxima do epicentro.
  • 48. Sismos tem origem no fazem-se sentir no são avaliados por Hipocentro Epicentro Escalas Mercalli Richter a partir do qual se propagam Ondas sísmicas registadas pelos Sismógrafos originam Sismogramas permite avaliar permite medir Intensidade Magnitude permite traçar Isossistas
  • 51. Antes de um sismo Obter informações sobre os fenómenos sísmicos e partilhe com a sua família; Elabore um plano de emergência para a sua família; Organize o seu kit de emergência:  lanterna  rádio portátil  pilhas de reserva  extintor  estojo de primeiros socorros
  • 52. Antes de um sismo Identifique os locais mais seguros:  Vão das portas  Cantos de paredes mestras  Debaixo de mesas e camas Conheça os locais mais perigosos:  Junto a janelas, espelhos, candeeiros, móveis e outros objectos.  Elevadores e saídas para a rua.
  • 53. Ensine todos os familiares como desligar a electricidade e a cortar a água e o gás. Tenha à mão, em local acessível, os números de telefone de serviços de emergência. Antes de um sismo
  • 54. Durante um sismo Dentro de casa:  Abrigar-se nos locais mais seguros da habitação.  Afaste-se de janelas e mobílias não devidamente fixas (moveis, quadros, prateleiras, candeeiros).
  • 55. Durante um sismo Fora de casa:  Dirige-se para um local aberto.  Afaste-se de edifícios e postes de electricidade.  Afaste-se de taludes, muros, chaminés e varandas que possam desabar Se estiver a conduzir:  Pare a viatura longe de edifícios, muros, taludes, postes e cabos de alta tensão. Permaneça na interior da viatura
  • 56. Depois de um sismo  Não se precipite em sair do local seguro;  Manter a calma e conte com possíveis réplicas;  Não faça chama. Poderá haver fugas de gás;  Corte a água e o gás e desligue a electricidade;  Mantenha-se informado (utilize o rádio);
  • 57. Depois de um sismo  Limpe os produtos inflamáveis que tenham, sido derramados;  Evite passar por locais onde existam fios eléctricos soltos;  Utilize o telefone apenas em casos de emergências;  Auxilie as pessoas feridas ou quem necessite outro tipo de ajuda.
  • 61. Saídas de emergência As saídas para a evacuação ssããoo ttooddaass aass ppoorrttaass ddaa eessccoollaa ccoomm ccoommuunniiccaaççããoo ppaarraa oo eexxtteerriioorr::  UUmmaa nnaa ffrreennttee oouu eennttrraaddaa pprriinncciippaall ((ppoorrttaa uumm))  TTrrêêss llaatteerraaiiss ddiirreeiittaass ((pprriimmeeiirraa,, sseegguunnddaa ee tteerrcceeiirraa ddiirreeiittaa))  TTrrêêss llaatteerraaiiss eessqquueerrddaass ((pprriimmeeiirraa,, sseegguunnddaa ee tteerrcceeiirraa))  UUmmaa nnoo ffuunnddoo oouu ppoorrttaa ppaarraa oo CCoommpplleexxoo DDeessppoorrttiivvoo
  • 62. Saídas de emergência As saídas mencionadas destinam-se a fazer a evacuação dos alunos e professores da sala de aula. Atenção às escadas!
  • 63. Saídas de emergência  Os docentes que se encontrem na ssaallaa ddee pprrooffeessssoorreess ddeevveemm uuttiilliizzaarr aa ppoorrttaa ddaa ffrreennttee..  OOss aalluunnooss qquuee ssee eennccoonnttrreemm nnoouuttrrooss llooccaaiiss ddaa eessccoollaa ((bbaarr,, bbiibblliiootteeccaa,, aannffiitteeaattrroo,, ccaannttiinnaa ee rreeccrreeiiooss ccoobbeerrttooss)) ddeevveerrããoo ddiirriiggiirr--ssee ppaarraa aa ssaaííddaa mmaaiiss pprróóxxiimmaa ee jjuunnttaarr--ssee aaooss rreessttaanntteess ccoolleeggaass nnooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo..
  • 64. Itinerários Os itinerários a seguir devem ser no sentido das setas que se encontram colocadas nos corredores à saída das salas de aula.
  • 65. Locais de reunião Os locais de reunião serão os ppááttiiooss eexxtteerriioorreess ddaa eessccoollaa eemm ffrreennttee ààss ssaaííddaass ddee eemmeerrggêênncciiaa llaatteerraaiiss.. OOss aalluunnooss ddeevveemm ppeerrmmaanneecceerr nneesstteess llooccaaiiss,, aaccoommppaannhhaaddooss ddoo rreessppeeccttiivvoo pprrooffeessssoorr,, aattéé sseerreemm pprrooccuurraaddooss ppeellooss ffaammiilliiaarreess oouu aattéé ooss rreessppoonnssáávveeiiss aacchhaarreemm ccoonnvveenniieennttee..
  • 67. Professores Os directores de turma devem iinnffoorrmmaarr ooss aalluunnooss ddaa ssuuaa ddiirreeccççããoo aacceerrccaa ddoo pprroocceeddiimmeennttoo aa ttoommaarr eemm ccaassoo ddee ccaattáássttrrooffee.. DDeevveemm iinnssttrruuiirr oo ddeelleeggaaddoo ddee ttuurrmmaa,, oouu oo aalluunnoo ccoonnssiiddeerraaddoo mmaaiiss rreessppoonnssáávveell,, ppaarraa ccoommaannddaarr oo rreessttoo ddaa ttuurrmmaa ee sseerr oo pprriimmeeiirroo aa ssaaiirr ee sseegguuiirr oo iittiinneerráárriioo aattéé aaoo llooccaall ddee rreeuunniiããoo..
  • 68. Professores Em caso de sismo, o professor ddeevveerráá mmaannddaarr ccoollooccaarr ooss aalluunnooss ddeebbaaiixxoo ddaass mmeessaass ee aagguuaarrddaarr qquuee oo ssiissmmoo cceessssee.. EEmm ccaassoo ddee ssiimmuullaaççããoo,, ddeevveerrããoo ccoonnttaarr eemm ccoonnjjuunnttoo ee eemm vvoozz aallttaa aattéé cciinnqquueennttaa.. AAoo ssooaarr oo aallaarrmmee oouu nnoo ffiinnaall ddoo ssiissmmoo,, ddeevvee pprroocceeddeerr àà eevvaaccuuaaççããoo ddooss sseeuuss aalluunnooss,, ppeellooss qquuaaiiss éé rreessppoonnssáávveell ddeessddee aa ssaaííddaa ddaa ssaallaa aattéé aaoo mmoommeennttoo ddaa ssaaííddaa ddaa eessccoollaa.. DDeevveemm sseerr ooss úúllttiimmooss aa aabbaannddoonnaarr aa ssaallaa ee cceerrttiiffiiccaarr-- ssee,, nnoo llooccaall ddaa rreeuunniiããoo,, ddaa pprreesseennççaa ddee ttooddooss ooss aalluunnooss..
  • 69. Professores Os docentes que se encontrem na sala ddee pprrooffeessssoorreess,, GGAATT,, bbiibblliiootteeccaa,, ssaallaa ddee rreeuunniiõõeess,, sseeccrreettaarriiaa ee ssaallaa ddee ddiirreeccttoorreess ddee ttuurrmmaa ddeevveemm ssaaiirr ppeellaa ppoorrttaa pprriinncciippaall ee ddiirriiggiirr--ssee aaooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo.. OOss pprrooffeessssoorreess qquuee ssee eennccoonnttrreemm nnooss rreessttaanntteess ggaabbiinneetteess,, aannffiitteeaattrroo,, eettcc..,, ddeevveemm ddiirriiggiirr--ssee ppaarraa aa ssaaííddaa ddee eemmeerrggêênncciiaa mmaaiiss pprróóxxiimmaa ee jjuunnttaarr--ssee aaooss rreessttaanntteess nnooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo..
  • 70. O delegado oouu aalluunnoo mmaaiiss rreessppoonnssáávveell:: Alunos  DDeevvee,, nnaa ssaallaa ddee aauullaa,, sseennttaarr--ssee sseemmpprree nnoo llooccaall mmaaiiss pprróóxxiimmoo ddaa ppoorrttaa ddee ssaaííddaa..  QQuuaannddoo cceessssaarr oo ssiissmmoo,, aaoo ssooaarr oo aallaarrmmee oouu qquuaannddoo oo pprrooffeessssoorr iinnddiiccaarr,, ddeevvee aabbrriirr iimmeeddiiaattaammeennttee aa ppoorrttaa ddaa ssaallaa ddee aauullaa..  DDeevvee ccoonndduuzziirr aattrrááss ddee ssii ttooddooss ooss eelleemmeennttooss ddaa ttuurrmmaa,, eemm ffiillaa,, sseegguuiinnddoo oo iittiinneerráárriioo iinnddiiccaaddoo ppeellaass sseettaass..  DDeevvee ccoonnttaarr sseemmpprree,, nnoo iinníícciioo ddaa aauullaa,, oo nnúúmmeerroo ttoottaall ddee aalluunnooss qquuee eessttããoo nnaa ssaallaa ee rreeccoonnttaa--llooss aappóóss aa eevvaaccuuaaççããoo ddaa eessccoollaa..
  • 71. Alunos NNOOTTAA::  Aquando do exercício de simulação ddee uumm ssiissmmoo,, ooss pprroocceeddiimmeennttooss aa aaddooppttaarr qquuaannddoo ssee iinnddiiccaa oo ““iinníícciioo ddoo ssiissmmoo”” ddeevveerrããoo sseerr eexxeeccuuttaaddooss qquuaannddoo ssooaarr oo aallaarrmmee..  PPaarraa qquuee sseejjaamm rreeaalliizzaaddaass aass aaccççõõeess qquuee ssee ddeesseennrroollaarrããoo dduurraannttee aa ooccoorrrrêênncciiaa ddoo eevveennttoo,, ooss aalluunnooss ddeevveerrããoo mmaanntteerr-- ssee ddeebbaaiixxoo ddaass mmeessaass,, ccoonnttaarr eemm vvoozz aallttaa ee eemm ccoonnjjuunnttoo aattéé cciinnqquueennttaa ee,, eemm sseegguuiiddaa,, aaggiirr ccoommoo ssee iinnddiiccaa qquuaannddoo tteerrmmiinnaa uumm ssiissmmoo..
  • 72. Auxiliares de acção educativa São responsáveis pela abertura ddaass ssaaííddaass ddee eemmeerrggêênncciiaa ddaass ssuuaass zzoonnaass.. SSããoo rreessppoonnssáávveeiiss ppeellaa oorriieennttaaççããoo ddaa eevvaaccuuaaççããoo nnooss ppoonnttooss ccrrííttiiccooss.. NNOOTTAA::  DDeevveemm ppeerrmmaanneecceerr jjuunnttoo ààss eessccaaddaass ddaass zzoonnaass ddaa ssuuaa rreessppoonnssaabbiilliiddaaddee ee ssaaiirr ssóó ddeeppooiiss ddee ssee tteerreemm cceerrttiiffiiccaaddoo qquuee nnããoo ssee eennccoonnttrraa mmaaiiss nniinngguuéémm nnaa ssuuaa áárreeaa ddee vviiggiillâânncciiaa..
  • 73. Auxiliares de acção educativa  Devem dirigir os alunos qquuee ssee eennccoonnttrreemm nnaa ssuuaa rreessppeeccttiivvaa áárreeaa ppaarraa aa ssaaííddaa ddee eemmeerrggêênncciiaa mmaaiiss pprróóxxiimmaa,, ppeerrmmaanneecceennddoo ccoomm ooss mmeessmmooss ee rreessppeeccttiivvooss pprrooffeessssoorreess nnooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo aattéé oorrddeennss ssuuppeerriioorreess eemm ccoonnttrráárriioo..  EEmm ccaassoo ddee iinnccêênnddiioo,, ddeevveemm ddeessllooccaarr oo eexxttiinnttoorr ddaa ppaarreeddee ee,, ssee oo iinncciiddeennttee ttiivveerr lluuggaarr nnaa ssuuaa áárreeaa ddee vviiggiillâânncciiaa,, uuttiilliizzáá--lloo aanntteess qquuee oo iinnccêênnddiioo aattiinnjjaa ggrraannddeess pprrooppoorrççõõeess..
  • 74. Auxiliares de acção educativa  Os porteiros são responsáveis por iimmppeeddiirr aa ssaaííddaass ddooss aalluunnooss sseemm aauuttoorriizzaaççããoo ee aa eennttrraaddaa ddee eessttrraannhhooss..  TTooddooss ooss rreessttaanntteess aauuxxiilliiaarreess ddee aaccççããoo eedduuccaattiivvaa ddeevveerrããoo ccoollaabboorraarr ccoomm ooss pprrooffeessssoorreess qquuee ssee eennccoonnttrreemm nnaass ssuuaass zzoonnaass..
  • 75. Pessoal administrativo Ao soar o alarme, ou quando cessar o ssiissmmoo,, ddeevveemm ddiirriiggiirr--ssee ppaarraa aa rreessppeeccttiivvaa ssaaííddaa ddee eemmeerrggêênncciiaa ee jjuunnttaarr--ssee aaooss ddeemmaaiiss nnooss llooccaaiiss ddee rreeuunniiããoo.. AAqquuii ddeevveemm ccoollaabboorraarr ccoomm ooss pprrooffeessssoorreess ee aajjuuddaarr aa mmaanntteerr aa oorrddeemm.. OO rreessppoonnssáávveell ddeevvee cceerrttiiffiiccaarr--ssee ddee qquuee nnããoo ffiiccaa nniinngguuéémm nnaa zzoonnaa ddee ttrraabbaallhhoo ee,, ppoorrttaannttoo,, ddeevveerráá sseerr oo úúllttiimmoo aa ssaaiirr..
  • 76. Conselho executivo Escolhe e nomeia pessoal aauuxxiilliiaarr ppaarraa ffuunnççõõeess eessppeeccííffiiccaass eemm ccaaddaa aannoo lleeccttiivvoo ee nnoommeeiiaa ppeessssooaall eennccaarrrreeggaaddoo ddee rreecceebbeerr ffoorrççaass ddee sseegguurraannççaa ee oorrggaanniizzaaççõõeess ddee ssooccoorrrroo,, iinnddiiccaannddoo--llhheess zzoonnaass ddee mmaaiioorr ppeerriiggoo.. AAtteennddee oo ppúúbblliiccoo ((eennccaarrrreeggaaddooss ddee eedduuccaaççããoo ee jjoorrnnaalliissttaass))..