SlideShare uma empresa Scribd logo
Diagnóstico da Situação das Crianças e 
Adolescentes do município
SECRETARIA MUNICIPAL 
DE EDUCAÇÃO
DO DIREITO DE APRENDER
OBJETIVO 
Todas as crianças e adolescentes acessando, permanecendo e 
concluindo a educação básica de qualidade na idade certa, 
com sucesso na aprendizagem.
Cenário das Escolas Rede Municipal 
35 
8 
6 
Escolas multisseriadas Escolas seriadas Creches
Escolas e Creches: Urbana e Rural 
35 
30 
25 
15 
10 
5 
0 
20 
Escolas 
Multisseriadas - 
Zona Rural 
Escolas Seriadas - 
Zona Urbana Escolas Seriadas - 
Zona Rural Creches - Zona 
Urbana Creches - Zona 
Rural 
35 
5 
3 4 
2
Escolas e Creches: Zona Rural 
16 
14 
12 
10 
8 
6 
4 
2 
0 
Escolas Zona 
Rural Ilhas 
Escolas Zona 
Rural / Cerqueiro 
Escolas Zona 
Rural / Ribeirinho 
Escolas / Distritos 
15 
11 
10 
2
PROGRAMAS 
50 
45 
40 
35 
30 
20 
15 
10 
5 
0 
25 
PNAIC- I ciclo 
ALFABETIZAR COM 
SUCESSO - I e II 
ciclo 
CORREÇÃO DE 
FLUXO - Se Liga 
(Distorção idade-série) 
PROGRAMA MAIS 
EDUCAÇÃO - 
Semi-integral 
TRILHAS - 
Incentivo a 
leitura/alunos de 5 
e 6 anos 
ESCOLAS DA 
TERRA/CAMPO I 
e II ciclo 
CAQI - Educação 
Infantil 
43 
8 
3 
9 
46 
35 
5
INDICADORES DE 
IMPACTO SOCIAL DO 
SELO
Taxa de abandono no Ensino Fundamental Distorção idade-série 
Benefício de Prestação Continuada (BPC) 
que estão na escola. 
Percentual de escolas municipais que 
atingiram ou ultrapassaram a meta do IDEB, 
anos iniciais – MEC/INEP 2011 
1.8 
4.9 
2012 2013 
1.8 
4.9 
2012 2013 
52.4 52.5 
2012 2013 
0% 
100% 
2012 2013
Cenário Municipal 2011 – Zona Urbana 
SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 
960 
940 
920 
900 
880 
860 
840 
820 
M 
F 
949 
873 
2000 
1500 
1000 
500 
0 
BRANCA 
PARDA 
NEGRA 
124 
1610 
98 
1400 
1200 
1000 
800 
600 
400 
200 
0 
ALVENARIA 
TAIPA 
1391 
356
Cenário Municipal 2011 – Zona Rural 
SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 
980 
960 
940 
920 
900 
880 
860 
840 
820 
978 
880 
M F 
1400 
1200 
1000 
800 
600 
400 
200 
0 
267 
1251 
247 
BRANCA PARDA NEGRA 
810 
800 
790 
780 
770 
760 
750 
809 
770 
ALVENARIA TAIPA
Cenário Municipal – Zona Urbana 2012 
SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 
1800 
1600 
1400 
1200 
1000 
800 
600 
400 
200 
0 
109 
1619 
119 
BRANCA PARDA NEGRA 
980 
960 
940 
920 
900 
880 
860 
840 
820 
976 
883 
M F 
805 
800 
795 
790 
785 
780 
804 
791 
ALVENARIA TAIPA
Cenário Municipal – Zona Rural 2012 
SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 
880 
860 
840 
820 
800 
780 
760 
740 
720 
869 
778 
M F 
1200 
1000 
800 
600 
400 
200 
0 
245 
1146 
253 
BRANCA PARDA NEGRA 
750 
740 
730 
720 
710 
700 
690 
711 
742 
ALVENARIA TAIPA
Cenário Municipal – Zona Urbana 2013 
SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 
840 
820 
800 
780 
760 
740 
720 
700 
830 
744 
M F 
1400 
1200 
1000 
800 
600 
400 
200 
0 
93 
1379 
103 
BRANCA PARDA NEGRA 
1400 
1200 
1000 
800 
600 
400 
200 
0 
1207 
302 
ALVENARIA TAIPA
Cenário Municipal – Zona Rural 2013 
SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 
900 
880 
860 
840 
820 
800 
780 
760 
740 
881 
797 
M F 
1400 
1200 
1000 
800 
600 
400 
200 
0 
233 
1204 
243 
BRANCA PARDA NEGRA 
1000 
900 
800 
700 
600 
500 
400 
300 
200 
100 
0 
961 
512 
ALVENARIA TAIPA
AÇÕES DESENVOLVIDAS 
• Melhoria das condições de oferta da educação escolar da rede 
municipal: transporte, merenda, condições de acessibilidade, 
construção e reforma de prédio escolar. 
• Adesão ao PNAIC, implementando a prática pedagógica do 
professor. 
• Ampliação do Atendimento educacional especializado com 
realização de avaliação fonoaudióloga e psicopedagógica nas salas 
de recursos da Escola Manoel Jacinto e Celestino Nunes.
• Fomento à formação continuada do professor a partir das 
temáticas que apresentem conteúdos significativos à 
formação integral do aluno. 
• Participação no Projeto Ler Bem da Associação 
Pernambucana 
de Atacadistas e Distribuidores - ASPA 
• Aquisição de material para instalação da sala de Recursos da 
Escola Sinfrônio Joaquim do Nascimento e da Escola 
Carolina Augusta. 
• Implementação de grupos de estudos a partir da devolutiva 
das avaliações, realizando análises e planejamento de novas 
estratégias de ensino.
• Disponibilidade de equipes da SEDUC e das Unidades de Ensino para 
aplicar a Provinha Brasil, dentro dos procedimentos formais da avaliação 
diagnóstica. 
• Fortalecimento das atividades do Programa Mais Educação, 
empreendendo a valorização da cultura local como agente de 
identificação pessoal e social. 
• Resgate à valorização das atividades e o modo de vida do semiárido 
com base na aquisição de conhecimentos proporcionados pela 
implementação de Projetos de Educação Ambiental. 
• Constante busca pelo envolvimento dos pais na vida escolar do filho, 
através de encontro de pais e mestres e o Projeto Família na Escola.
• Revisão e construção do Projeto Político Pedagógico das escolas, 
atendendo a um currículo interdisciplinar e em conformidade com 
as leis 10.639/03 e 11.645/08, na perspectiva do respeito às 
diferenças e à diversidade nas relações etnicorraciais. 
• Oferta do Programa Mais Educação na perspectiva da Educação 
Integral. 
• Garantia do acompanhamento sistemático do desenvolvimento 
do aluno no universo letrado, através do Programa Alfabetizar 
com Sucesso, PNAIC, o Projeto Trilhas e o Projeto de Intervenção 
Pedagógica- PIM.
AÇÕES DESENVOLVIDAS
ENTRAVES 
• Estrutura física elementar da maioria das escolas. 
• Dificuldades na realização de ações por ineficiência das parcerias 
e recursos financeiros. 
• Carência de acervo literário na Educação Infantil e Ensino 
Fundamental. 
• Sentimento de impotência dos professores em relação à prática 
docente junto as alunos com deficiência. 
• Falta de transporte para melhor monitoramento da prática 
pedagógica e do desenvolvimento escolar do aluno da zona rural. 
• Ausência de compromisso da família para minimizar às questões 
que envolvem o desenvolvimento escolar do filho.
DESAFIOS 
• Viabilizar o envolvimento da sociedade nas questões 
educacionais, na perspectiva de impulsionar a participação efetiva 
nas ações da educação, elevando a formação cidadã das crianças 
e adolescentes. 
• Nuclear escolas do campo em cada região, conforme a demanda 
do alunado e a disponibilidade de transporte, possibilitando 
maior qualidade da estrutura física às escolas da rede municipal. 
• Garantir transporte para maior assistência às necessidades da 
Secretaria Municipal de Educação, junto às unidades escolares.
PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DE 
DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO 
• Atingir o Ensino Básico universal 
• Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das 
mulheres 
• Garantir a sustentabilidade ambiental
DO DIREITO DE PROTEGER-SE 
E SER PROTEGIDO DO HIV/AIDS
OBJETIVO 
Reduzir a transmissão vertical (da mãe para o bebê) e os casos 
de HIV/aids entre adolescentes, especialmente meninas.
AÇÕES DESENVOLVIDAS 
• Promoção de palestras e campanhas envolvendo 
profissionais da saúde, junto a comunidade e a equipe 
escolar, na perspectiva da prevenção e o bem estar familiar. 
• Projeto em Família e o Programa Mais Educação, ambos 
viabilizados pelas escolas da rede municipal.
AÇÕES DESENVOLVIDAS
ENTRAVES 
• Ineficiência das parcerias com os órgãos municipais. 
• Concentração da formação integral do aluno na escola, 
isentando a família do seu papel educacional.
DESAFIOS 
• Fortalecer o diálogo com a família, adotando medidas de 
prevenção via trabalho articulado entre os órgãos municipais 
afins. 
• Fomentar a parceria com a Secretaria Mul. de Saúde e a 
Secretaria Mul. de Assistência Social para viabilizar projetos 
intersetoriais, que atendam às necessidades de atendimento 
e conscientização da proteção à saúde das crianças e 
adolescentes.
PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DO 
DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO 
• Combater o HIV/aids, a malária e outras doenças.
DO DIREITO DE CRESCER 
SEM VIOLÊNCIA
OBJETIVO 
Diminuir a violência, a exploração e os abusos contra crianças 
e adolescentes; e fortalecer o Sistema de Garantia de Direitos 
nos municípios, garantindo a realização equitativa dos direitos 
e levando em consideração as dimensões de gênero, 
raça/etnia e deficiências.
AÇÕES DESENVOLVIDAS 
• Atenção à frequência do aluno através do monitoramento efetivo 
do Programa Alfabetizar com Sucesso. 
• Retenção do aluno na escola por mais tempo, através do 
Programa Mais Educação, que desenvolve atividades 
diversificadas dentro do contexto de fortalecimento do Sistema 
de Garantia de Direitos. 
• Solicitação constante da atuação do Conselho Tutelar, junto às 
escolas. 
• Estímulo à pratica docente afetiva, otimizando valores 
dimensionados no respeito ao aluno na sua integridade.
AÇÕES DESENVOLVIDAS
ENTRAVES 
• Dificuldade da escola em realizar as ações do Projeto 
Político Pedagógico que atenda às perspectivas da formação 
do aluno nas dimensões: pessoal, social, físico e efetivo. 
• Ausência de impulso às práticas educativas que elevem a 
autoestima da criança e do adolescente, considerando as 
dimensões de gênero, raça/etnia e deficiências.
DESAFIOS 
• Investimento na qualificação dos profissionais dos órgãos 
municipais, especialmente os lidam diretamente com a 
criança e o adolescente. 
• Fomento à relação escola-comunidade e professor-aluno 
no caminho das superação dos desafios inerentes à 
educação escolar na perspectiva da igualdade de 
oportunidades. 
• Intensificação do uso da tecnologia na difusão de ideias e 
práticas de valorização da igualdade de gêneros.
PRINCÍPIOS OBJETIVOS DE 
DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO 
Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das 
mulheres.
DO DIREITO DE SER 
ADOLESCENTE
OBJETIVO 
Adolescentes acessando políticas públicas multissetoriais e 
sendo reconhecidos pela sociedade por sua capacidade de 
contribuir para transformar a sua realidade.
AÇÕES DESENVOLVIDAS 
• Apropriação de conhecimentos mediante a promoção de 
projetos didáticos, envolvendo temáticas de interesse do 
adolescente. 
• Acesso do aluno aos instrumentos tecnológicos através do 
Laboratório de Informática da escola. 
• A implantação do Projeto Craque na Escola Craque na Bola, 
em parceria com a Diretoria de Esporte, evitando a 
ociosidade e o acesso a situação de risco. 
• Promoção de oficinas de informática, música, teatro e 
artesanato através do Programa Mais Educação.
AÇÕES DESENVOLVIDAS
ENTRAVES 
• Falta de adoção de critérios na seleção dos monitores para 
atuar nas oficinas do Programa Mais Educação. 
• Espaço escolar inadequado para atender os alunos no 
horário das oficinas. 
• Falta de engajamento no direcionamento das atividades do 
Programa Mais Educação. 
• Excesso de programas, fazendo os pais optarem por 
aqueles com retorno financeiro, ao invés, daqueles que 
beneficiem o processo da aprendizagem escolar.
DESAFIOS 
• Investimento na melhoria do espaço escolar. 
• Maior envolvimento da equipe escolar com as atividades do 
Mais Educação. 
• Fortalecimento da parceria com a família e os órgãos com 
funções relacionadas ao Sistema de Garantia dos Direitos da 
Criança e do Adolescente. 
• Adoção de estratégias que viabilizem a superação da visão de 
que a educação é papel exclusivo da escola e não de toda 
sociedade.
PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DE 
DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO 
Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
DO DIREITO DE SER PRIORIDADE 
NAS POLÍTICAS PÚBLICAS
OBJETIVO 
Todas as comunidades do município com acesso à informação 
e conhecimentos sobre a situação das crianças e adolescentes 
e promovendo iniciativas pela redução das desigualdades.
AÇÕES DESENVOLVIDAS 
• Atuação do Conselho Municipal de Educação como órgão de 
fiscalização e deliberação junto às atividades viabilizadas pelo 
Município. 
• Realização da I Conferência Municipal de Educação. 
• Promoção à contribuição para redução das desigualdades 
educacionais, protegendo a criança, o adolescente e o jovem em 
situação de risco. 
• Implementação de projetos e programas que determinam esforços 
de aperfeiçoamento do currículo escolar, zelando pelo efetivo 
respeito aos direitos fundamentais especiais do infanto-juvenil. 
• Atuação do Fórum Municipal de Educação nas atividades de 
acompanhamento, avaliação e implementação dos impactos da 
Política Municipal de Educação.
AÇÕES DESENVOLVIDAS
ENTRAVES 
• Ausência de disponibilidade e responsabilidade solidária. 
• Desempenho do tripé família – sociedade - Estado 
desarticulado das reais necessidades da população 
infanto-juvenil. 
• Montante de recursos não equivalente às perspectivas do 
sistema socioeducativo. 
• Falta de critérios na indicação dos membros das entidades 
para atuarem como conselheiros .
DESAFIOS 
• Fortalecimento dos órgãos colegiados: Conselho Escolar, 
Unidade Executora, Associação de Pais e Mestres, Conselho de 
representação Estudantil. 
• Necessidade de maior prevalência da política, das ações, das 
metas, das estratégias na promoção de iniciativas pela 
redução das desigualdades. 
• Investimento na formação dos membros indicados para 
atuarem como conselheiros do Conselho Municipal de 
Educação.
PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DO 
DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO 
Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
DO DIREITO DE BRINCAR, 
PRATICAR 
ESPORTES E DIVERTIR -SE
OBJETIVO 
Todas as crianças e adolescentes com oportunidade de 
acesso a esporte seguro e inclusivo, brincando e 
divertindo-se em centros de educação infantil, escolas e 
comunidades.
AÇÕES DESENVOLVIDAS 
• Implementação das atividades esportivas na escola através dos 
jogos interclasses, abrangendo diversas modalidades. 
• Realização anualmente dos jogos municipais. 
• Implantação do Projeto O Esporte Transformando a Educação das 
Crianças na Escola Municipal Tia Zita. 
• Realização de oficinas esportivas através do Programa Mais 
Educação.
• Implantação do Projeto Craque na Escola Craque na Bola em 
parceria com a Diretoria de Esportes. 
• Participação nos jogos regionais. 
• Construção de 02 Academias da Cidade. 
• Construção de 01 quadra esportiva no Bairro do Inocoop. 
• Construção de 02 quadras esportivas cobertas.
AÇÕES DESENVOLVIDAS
ENTRAVES 
• Instituições de ensino sem uma estrutura mínima de 
vivência de diversas modalidades e acaba se limitando. 
• Falta de envolvimento da escola com a prática do esporte. 
• Profissionais atuando na Educação Física sem preparação 
específica. 
• Falta de implementação da diversidade esportiva.
DESAFIOS 
• Constituição de políticas públicas de incentivo, com 
investimento no espaço, equipamentos e também preparação de 
pessoal para trabalhar a iniciação e formação esportiva de 
qualidade nas escolas públicas. 
• Implementação e execução de projetos de educação física, 
envolvendo profissionais da área, no intuito de promover o 
desenvolvimento de valores humanos fundamentais 
indispensáveis ao pleno desenvolvimento das atitudes físicas, 
intelectuais e morais do ser humano, em função da melhoria de 
sua qualidade de vida.
PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DO 
DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO 
Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
É necessário... 
“Compreender a cidadania como participação social e política, 
assim como exercício de direitos e deveres políticos, civis e 
sociais, adotando, no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, 
cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e 
exigindo para si o mesmo respeito.”(PCN/Matemática). 
Equipe Secretaria Municipal de Educação 
Agosto/2014

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Parâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantil
Parâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantilParâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantil
Parâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantil
Maria Galdino
 
Power Point Reu Dt
Power Point Reu DtPower Point Reu Dt
Power Point Reu Dt
Paulina
 
Atividades realizadas no âmbito do teip3 boas práticas
Atividades realizadas no âmbito do teip3   boas práticasAtividades realizadas no âmbito do teip3   boas práticas
Atividades realizadas no âmbito do teip3 boas práticas
ProgramaEscolasTEIP
 
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Jornadel Pereira da Silva
 
2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental
2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental
2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental
Sme Otacílio Costa
 
Reunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania Infantil
Reunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania InfantilReunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania Infantil
Reunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania Infantil
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)
APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)
APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)
Paulo David
 
Referencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do Sul
Referencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do SulReferencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do Sul
Referencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do Sul
Tatiane A. Borges
 
Pef final2
Pef final2Pef final2
Relatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestãoRelatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestão
Karina Barbosa
 
"Entrevista com Coordenadora Pedagógica"
"Entrevista com Coordenadora Pedagógica""Entrevista com Coordenadora Pedagógica"
"Entrevista com Coordenadora Pedagógica"
Cléo Lima
 
Canindé2009
Canindé2009Canindé2009
MAIS EDUCACAO
MAIS EDUCACAOMAIS EDUCACAO
MAIS EDUCACAO
cleise32
 
GAAF EAD Lisbon_150311
GAAF EAD Lisbon_150311GAAF EAD Lisbon_150311
GAAF EAD Lisbon_150311
Dianova
 
Apresentação da Escola
Apresentação da EscolaApresentação da Escola
Apresentação da Escola
isabelpinto
 
PPP do Ens. Fundamental
PPP do Ens. FundamentalPPP do Ens. Fundamental
PPP do Ens. Fundamental
João Gomes
 
PAA Saúde 14-15
PAA Saúde 14-15PAA Saúde 14-15
PAA Saúde 14-15
Licínia Simões
 
PPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de TaguatingaPPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de Taguatinga
anapedro44
 
Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1
Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1
Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1
Maria Galdino
 
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
Adilson P Motta Motta
 

Mais procurados (20)

Parâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantil
Parâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantilParâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantil
Parâmetros basicos de infraestrutura para instituições de ed. infantil
 
Power Point Reu Dt
Power Point Reu DtPower Point Reu Dt
Power Point Reu Dt
 
Atividades realizadas no âmbito do teip3 boas práticas
Atividades realizadas no âmbito do teip3   boas práticasAtividades realizadas no âmbito do teip3   boas práticas
Atividades realizadas no âmbito do teip3 boas práticas
 
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
Projeto político pedagógico escolas do campo 2011
 
2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental
2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental
2295 miolo proposta curricular do ensino fundamental
 
Reunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania Infantil
Reunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania InfantilReunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania Infantil
Reunião sobre Primeira Infância: Asas da Florestania Infantil
 
APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)
APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)
APRESENTAÇÃO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO (PME)
 
Referencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do Sul
Referencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do SulReferencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do Sul
Referencial curricular Ensino Médio Mato Grosso do Sul
 
Pef final2
Pef final2Pef final2
Pef final2
 
Relatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestãoRelatório da entrevista sobre gestão
Relatório da entrevista sobre gestão
 
"Entrevista com Coordenadora Pedagógica"
"Entrevista com Coordenadora Pedagógica""Entrevista com Coordenadora Pedagógica"
"Entrevista com Coordenadora Pedagógica"
 
Canindé2009
Canindé2009Canindé2009
Canindé2009
 
MAIS EDUCACAO
MAIS EDUCACAOMAIS EDUCACAO
MAIS EDUCACAO
 
GAAF EAD Lisbon_150311
GAAF EAD Lisbon_150311GAAF EAD Lisbon_150311
GAAF EAD Lisbon_150311
 
Apresentação da Escola
Apresentação da EscolaApresentação da Escola
Apresentação da Escola
 
PPP do Ens. Fundamental
PPP do Ens. FundamentalPPP do Ens. Fundamental
PPP do Ens. Fundamental
 
PAA Saúde 14-15
PAA Saúde 14-15PAA Saúde 14-15
PAA Saúde 14-15
 
PPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de TaguatingaPPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de Taguatinga
 
Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1
Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1
Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Ed. Infantil vol 1
 
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
PPP - Escola Frei Antonio Sinibaldi, 2015
 

Destaque

Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...
Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...
Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...
UNDP Policy Centre
 
Paif trabalho social com familias
Paif trabalho social com familiasPaif trabalho social com familias
Paif trabalho social com familias
Dalila Renata
 
Apresentacao sicon porto alegre 08 12 10
Apresentacao sicon   porto alegre 08 12 10Apresentacao sicon   porto alegre 08 12 10
Apresentacao sicon porto alegre 08 12 10
NandaTome
 
Trabalho: Famílias e violência
Trabalho: Famílias e violência Trabalho: Famílias e violência
Trabalho: Famílias e violência
mluisavalente
 
Orientacoes tecnicas sobre o paif trabalho social com familias vol 2
Orientacoes tecnicas sobre o paif   trabalho social com familias vol 2Orientacoes tecnicas sobre o paif   trabalho social com familias vol 2
Orientacoes tecnicas sobre o paif trabalho social com familias vol 2
NandaTome
 
Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...
Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...
Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...
Seduc MT
 
As famílias de crianças com necessidades educativas especiais
As famílias de crianças com necessidades educativas especiaisAs famílias de crianças com necessidades educativas especiais
As famílias de crianças com necessidades educativas especiais
Lílian Reis
 
cidadao do futuro
 cidadao do futuro cidadao do futuro
cidadao do futuro
Jorge Mineiro
 

Destaque (8)

Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...
Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...
Impactos do bolsa família na alocação do tempo entre escola e trabalho de cri...
 
Paif trabalho social com familias
Paif trabalho social com familiasPaif trabalho social com familias
Paif trabalho social com familias
 
Apresentacao sicon porto alegre 08 12 10
Apresentacao sicon   porto alegre 08 12 10Apresentacao sicon   porto alegre 08 12 10
Apresentacao sicon porto alegre 08 12 10
 
Trabalho: Famílias e violência
Trabalho: Famílias e violência Trabalho: Famílias e violência
Trabalho: Famílias e violência
 
Orientacoes tecnicas sobre o paif trabalho social com familias vol 2
Orientacoes tecnicas sobre o paif   trabalho social com familias vol 2Orientacoes tecnicas sobre o paif   trabalho social com familias vol 2
Orientacoes tecnicas sobre o paif trabalho social com familias vol 2
 
Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...
Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...
Direitos e deveres das Crianças e Adolescentes. Ministério Público, Escola e ...
 
As famílias de crianças com necessidades educativas especiais
As famílias de crianças com necessidades educativas especiaisAs famílias de crianças com necessidades educativas especiais
As famílias de crianças com necessidades educativas especiais
 
cidadao do futuro
 cidadao do futuro cidadao do futuro
cidadao do futuro
 

Semelhante a Selo unicef 2014 - Belém do São Francisco-PE

Palavra do pedagogico gestores
Palavra do pedagogico   gestoresPalavra do pedagogico   gestores
Palavra do pedagogico gestores
Claudia Souza
 
Smel Ações
Smel AçõesSmel Ações
Reflexoes sobre a evasao escolar da eja
Reflexoes sobre a evasao escolar da ejaReflexoes sobre a evasao escolar da eja
Reflexoes sobre a evasao escolar da eja
Cris Lago
 
Politica do campo 2012
Politica do campo 2012Politica do campo 2012
Politica do campo 2012
luciany-nascimento
 
Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito
Governo do Estado do Ceará
 
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio BritoSeminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio Brito
Governo do Estado do Ceará
 
Seduc2013
Seduc2013Seduc2013
Seduc2013
Seduc Nioaque
 
Folder Walter Diretor
Folder Walter DiretorFolder Walter Diretor
Folder Walter Diretor
walterdiretor
 
Políticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptx
Políticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptxPolíticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptx
Políticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptx
mocardoso
 
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paicUniversidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
Adilio Amorim Martins
 
Calendário Escolar
Calendário EscolarCalendário Escolar
Calendário Escolar
jsaltmann
 
Educacao basica brasil_avancos_desafios
Educacao basica brasil_avancos_desafiosEducacao basica brasil_avancos_desafios
Educacao basica brasil_avancos_desafios
Daliane Nascimento
 
Apresentacao secretarios municipais 28_02_13
Apresentacao secretarios municipais 28_02_13Apresentacao secretarios municipais 28_02_13
Apresentacao secretarios municipais 28_02_13
Todos Pela Escola
 
Sme
SmeSme
Apresentação Todos pela Escola
Apresentação Todos pela Escola Apresentação Todos pela Escola
Apresentação Todos pela Escola
Todos Pela Escola
 
Mulheres mil codir (2)
Mulheres mil   codir (2)Mulheres mil   codir (2)
Mulheres mil codir (2)
miguel zadoreski
 
Apostila ed infantil
Apostila ed infantilApostila ed infantil
Apostila ed infantil
Rute Pereira
 
Proposta governo da Luiza Perdigão para Pentecoste
Proposta governo da Luiza Perdigão para PentecosteProposta governo da Luiza Perdigão para Pentecoste
Proposta governo da Luiza Perdigão para Pentecoste
zedalegnas
 
Sistematização 2012 avaliação do plano municipal de educação (2)
Sistematização 2012   avaliação do plano municipal de educação (2)Sistematização 2012   avaliação do plano municipal de educação (2)
Sistematização 2012 avaliação do plano municipal de educação (2)
SMEC PANAMBI-RS
 
Apresentação do Programa
Apresentação do ProgramaApresentação do Programa
Apresentação do Programa
Vanessa Cestari
 

Semelhante a Selo unicef 2014 - Belém do São Francisco-PE (20)

Palavra do pedagogico gestores
Palavra do pedagogico   gestoresPalavra do pedagogico   gestores
Palavra do pedagogico gestores
 
Smel Ações
Smel AçõesSmel Ações
Smel Ações
 
Reflexoes sobre a evasao escolar da eja
Reflexoes sobre a evasao escolar da ejaReflexoes sobre a evasao escolar da eja
Reflexoes sobre a evasao escolar da eja
 
Politica do campo 2012
Politica do campo 2012Politica do campo 2012
Politica do campo 2012
 
Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância: Márcio Brito
 
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio BritoSeminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio Brito
Seminário Internacional Mais Infância Ceará - Márcio Brito
 
Seduc2013
Seduc2013Seduc2013
Seduc2013
 
Folder Walter Diretor
Folder Walter DiretorFolder Walter Diretor
Folder Walter Diretor
 
Políticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptx
Políticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptxPolíticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptx
Políticas-Públicas-de-Educação-Infantil-Raquel.pptx
 
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paicUniversidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
 
Calendário Escolar
Calendário EscolarCalendário Escolar
Calendário Escolar
 
Educacao basica brasil_avancos_desafios
Educacao basica brasil_avancos_desafiosEducacao basica brasil_avancos_desafios
Educacao basica brasil_avancos_desafios
 
Apresentacao secretarios municipais 28_02_13
Apresentacao secretarios municipais 28_02_13Apresentacao secretarios municipais 28_02_13
Apresentacao secretarios municipais 28_02_13
 
Sme
SmeSme
Sme
 
Apresentação Todos pela Escola
Apresentação Todos pela Escola Apresentação Todos pela Escola
Apresentação Todos pela Escola
 
Mulheres mil codir (2)
Mulheres mil   codir (2)Mulheres mil   codir (2)
Mulheres mil codir (2)
 
Apostila ed infantil
Apostila ed infantilApostila ed infantil
Apostila ed infantil
 
Proposta governo da Luiza Perdigão para Pentecoste
Proposta governo da Luiza Perdigão para PentecosteProposta governo da Luiza Perdigão para Pentecoste
Proposta governo da Luiza Perdigão para Pentecoste
 
Sistematização 2012 avaliação do plano municipal de educação (2)
Sistematização 2012   avaliação do plano municipal de educação (2)Sistematização 2012   avaliação do plano municipal de educação (2)
Sistematização 2012 avaliação do plano municipal de educação (2)
 
Apresentação do Programa
Apresentação do ProgramaApresentação do Programa
Apresentação do Programa
 

Último

05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

Selo unicef 2014 - Belém do São Francisco-PE

  • 1. Diagnóstico da Situação das Crianças e Adolescentes do município
  • 3. DO DIREITO DE APRENDER
  • 4. OBJETIVO Todas as crianças e adolescentes acessando, permanecendo e concluindo a educação básica de qualidade na idade certa, com sucesso na aprendizagem.
  • 5. Cenário das Escolas Rede Municipal 35 8 6 Escolas multisseriadas Escolas seriadas Creches
  • 6. Escolas e Creches: Urbana e Rural 35 30 25 15 10 5 0 20 Escolas Multisseriadas - Zona Rural Escolas Seriadas - Zona Urbana Escolas Seriadas - Zona Rural Creches - Zona Urbana Creches - Zona Rural 35 5 3 4 2
  • 7. Escolas e Creches: Zona Rural 16 14 12 10 8 6 4 2 0 Escolas Zona Rural Ilhas Escolas Zona Rural / Cerqueiro Escolas Zona Rural / Ribeirinho Escolas / Distritos 15 11 10 2
  • 8. PROGRAMAS 50 45 40 35 30 20 15 10 5 0 25 PNAIC- I ciclo ALFABETIZAR COM SUCESSO - I e II ciclo CORREÇÃO DE FLUXO - Se Liga (Distorção idade-série) PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO - Semi-integral TRILHAS - Incentivo a leitura/alunos de 5 e 6 anos ESCOLAS DA TERRA/CAMPO I e II ciclo CAQI - Educação Infantil 43 8 3 9 46 35 5
  • 9. INDICADORES DE IMPACTO SOCIAL DO SELO
  • 10. Taxa de abandono no Ensino Fundamental Distorção idade-série Benefício de Prestação Continuada (BPC) que estão na escola. Percentual de escolas municipais que atingiram ou ultrapassaram a meta do IDEB, anos iniciais – MEC/INEP 2011 1.8 4.9 2012 2013 1.8 4.9 2012 2013 52.4 52.5 2012 2013 0% 100% 2012 2013
  • 11. Cenário Municipal 2011 – Zona Urbana SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 960 940 920 900 880 860 840 820 M F 949 873 2000 1500 1000 500 0 BRANCA PARDA NEGRA 124 1610 98 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 ALVENARIA TAIPA 1391 356
  • 12. Cenário Municipal 2011 – Zona Rural SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 980 960 940 920 900 880 860 840 820 978 880 M F 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 267 1251 247 BRANCA PARDA NEGRA 810 800 790 780 770 760 750 809 770 ALVENARIA TAIPA
  • 13. Cenário Municipal – Zona Urbana 2012 SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 1800 1600 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 109 1619 119 BRANCA PARDA NEGRA 980 960 940 920 900 880 860 840 820 976 883 M F 805 800 795 790 785 780 804 791 ALVENARIA TAIPA
  • 14. Cenário Municipal – Zona Rural 2012 SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 880 860 840 820 800 780 760 740 720 869 778 M F 1200 1000 800 600 400 200 0 245 1146 253 BRANCA PARDA NEGRA 750 740 730 720 710 700 690 711 742 ALVENARIA TAIPA
  • 15. Cenário Municipal – Zona Urbana 2013 SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 840 820 800 780 760 740 720 700 830 744 M F 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 93 1379 103 BRANCA PARDA NEGRA 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 1207 302 ALVENARIA TAIPA
  • 16. Cenário Municipal – Zona Rural 2013 SEXO COR/RAÇA TIPO DE RESIDÊNCIA 900 880 860 840 820 800 780 760 740 881 797 M F 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 233 1204 243 BRANCA PARDA NEGRA 1000 900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 961 512 ALVENARIA TAIPA
  • 17. AÇÕES DESENVOLVIDAS • Melhoria das condições de oferta da educação escolar da rede municipal: transporte, merenda, condições de acessibilidade, construção e reforma de prédio escolar. • Adesão ao PNAIC, implementando a prática pedagógica do professor. • Ampliação do Atendimento educacional especializado com realização de avaliação fonoaudióloga e psicopedagógica nas salas de recursos da Escola Manoel Jacinto e Celestino Nunes.
  • 18. • Fomento à formação continuada do professor a partir das temáticas que apresentem conteúdos significativos à formação integral do aluno. • Participação no Projeto Ler Bem da Associação Pernambucana de Atacadistas e Distribuidores - ASPA • Aquisição de material para instalação da sala de Recursos da Escola Sinfrônio Joaquim do Nascimento e da Escola Carolina Augusta. • Implementação de grupos de estudos a partir da devolutiva das avaliações, realizando análises e planejamento de novas estratégias de ensino.
  • 19. • Disponibilidade de equipes da SEDUC e das Unidades de Ensino para aplicar a Provinha Brasil, dentro dos procedimentos formais da avaliação diagnóstica. • Fortalecimento das atividades do Programa Mais Educação, empreendendo a valorização da cultura local como agente de identificação pessoal e social. • Resgate à valorização das atividades e o modo de vida do semiárido com base na aquisição de conhecimentos proporcionados pela implementação de Projetos de Educação Ambiental. • Constante busca pelo envolvimento dos pais na vida escolar do filho, através de encontro de pais e mestres e o Projeto Família na Escola.
  • 20. • Revisão e construção do Projeto Político Pedagógico das escolas, atendendo a um currículo interdisciplinar e em conformidade com as leis 10.639/03 e 11.645/08, na perspectiva do respeito às diferenças e à diversidade nas relações etnicorraciais. • Oferta do Programa Mais Educação na perspectiva da Educação Integral. • Garantia do acompanhamento sistemático do desenvolvimento do aluno no universo letrado, através do Programa Alfabetizar com Sucesso, PNAIC, o Projeto Trilhas e o Projeto de Intervenção Pedagógica- PIM.
  • 22.
  • 23.
  • 24. ENTRAVES • Estrutura física elementar da maioria das escolas. • Dificuldades na realização de ações por ineficiência das parcerias e recursos financeiros. • Carência de acervo literário na Educação Infantil e Ensino Fundamental. • Sentimento de impotência dos professores em relação à prática docente junto as alunos com deficiência. • Falta de transporte para melhor monitoramento da prática pedagógica e do desenvolvimento escolar do aluno da zona rural. • Ausência de compromisso da família para minimizar às questões que envolvem o desenvolvimento escolar do filho.
  • 25. DESAFIOS • Viabilizar o envolvimento da sociedade nas questões educacionais, na perspectiva de impulsionar a participação efetiva nas ações da educação, elevando a formação cidadã das crianças e adolescentes. • Nuclear escolas do campo em cada região, conforme a demanda do alunado e a disponibilidade de transporte, possibilitando maior qualidade da estrutura física às escolas da rede municipal. • Garantir transporte para maior assistência às necessidades da Secretaria Municipal de Educação, junto às unidades escolares.
  • 26. PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO • Atingir o Ensino Básico universal • Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres • Garantir a sustentabilidade ambiental
  • 27. DO DIREITO DE PROTEGER-SE E SER PROTEGIDO DO HIV/AIDS
  • 28. OBJETIVO Reduzir a transmissão vertical (da mãe para o bebê) e os casos de HIV/aids entre adolescentes, especialmente meninas.
  • 29. AÇÕES DESENVOLVIDAS • Promoção de palestras e campanhas envolvendo profissionais da saúde, junto a comunidade e a equipe escolar, na perspectiva da prevenção e o bem estar familiar. • Projeto em Família e o Programa Mais Educação, ambos viabilizados pelas escolas da rede municipal.
  • 31. ENTRAVES • Ineficiência das parcerias com os órgãos municipais. • Concentração da formação integral do aluno na escola, isentando a família do seu papel educacional.
  • 32. DESAFIOS • Fortalecer o diálogo com a família, adotando medidas de prevenção via trabalho articulado entre os órgãos municipais afins. • Fomentar a parceria com a Secretaria Mul. de Saúde e a Secretaria Mul. de Assistência Social para viabilizar projetos intersetoriais, que atendam às necessidades de atendimento e conscientização da proteção à saúde das crianças e adolescentes.
  • 33. PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO • Combater o HIV/aids, a malária e outras doenças.
  • 34. DO DIREITO DE CRESCER SEM VIOLÊNCIA
  • 35. OBJETIVO Diminuir a violência, a exploração e os abusos contra crianças e adolescentes; e fortalecer o Sistema de Garantia de Direitos nos municípios, garantindo a realização equitativa dos direitos e levando em consideração as dimensões de gênero, raça/etnia e deficiências.
  • 36. AÇÕES DESENVOLVIDAS • Atenção à frequência do aluno através do monitoramento efetivo do Programa Alfabetizar com Sucesso. • Retenção do aluno na escola por mais tempo, através do Programa Mais Educação, que desenvolve atividades diversificadas dentro do contexto de fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos. • Solicitação constante da atuação do Conselho Tutelar, junto às escolas. • Estímulo à pratica docente afetiva, otimizando valores dimensionados no respeito ao aluno na sua integridade.
  • 38. ENTRAVES • Dificuldade da escola em realizar as ações do Projeto Político Pedagógico que atenda às perspectivas da formação do aluno nas dimensões: pessoal, social, físico e efetivo. • Ausência de impulso às práticas educativas que elevem a autoestima da criança e do adolescente, considerando as dimensões de gênero, raça/etnia e deficiências.
  • 39. DESAFIOS • Investimento na qualificação dos profissionais dos órgãos municipais, especialmente os lidam diretamente com a criança e o adolescente. • Fomento à relação escola-comunidade e professor-aluno no caminho das superação dos desafios inerentes à educação escolar na perspectiva da igualdade de oportunidades. • Intensificação do uso da tecnologia na difusão de ideias e práticas de valorização da igualdade de gêneros.
  • 40. PRINCÍPIOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres.
  • 41. DO DIREITO DE SER ADOLESCENTE
  • 42. OBJETIVO Adolescentes acessando políticas públicas multissetoriais e sendo reconhecidos pela sociedade por sua capacidade de contribuir para transformar a sua realidade.
  • 43. AÇÕES DESENVOLVIDAS • Apropriação de conhecimentos mediante a promoção de projetos didáticos, envolvendo temáticas de interesse do adolescente. • Acesso do aluno aos instrumentos tecnológicos através do Laboratório de Informática da escola. • A implantação do Projeto Craque na Escola Craque na Bola, em parceria com a Diretoria de Esporte, evitando a ociosidade e o acesso a situação de risco. • Promoção de oficinas de informática, música, teatro e artesanato através do Programa Mais Educação.
  • 45.
  • 46. ENTRAVES • Falta de adoção de critérios na seleção dos monitores para atuar nas oficinas do Programa Mais Educação. • Espaço escolar inadequado para atender os alunos no horário das oficinas. • Falta de engajamento no direcionamento das atividades do Programa Mais Educação. • Excesso de programas, fazendo os pais optarem por aqueles com retorno financeiro, ao invés, daqueles que beneficiem o processo da aprendizagem escolar.
  • 47. DESAFIOS • Investimento na melhoria do espaço escolar. • Maior envolvimento da equipe escolar com as atividades do Mais Educação. • Fortalecimento da parceria com a família e os órgãos com funções relacionadas ao Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. • Adoção de estratégias que viabilizem a superação da visão de que a educação é papel exclusivo da escola e não de toda sociedade.
  • 48. PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
  • 49. DO DIREITO DE SER PRIORIDADE NAS POLÍTICAS PÚBLICAS
  • 50. OBJETIVO Todas as comunidades do município com acesso à informação e conhecimentos sobre a situação das crianças e adolescentes e promovendo iniciativas pela redução das desigualdades.
  • 51. AÇÕES DESENVOLVIDAS • Atuação do Conselho Municipal de Educação como órgão de fiscalização e deliberação junto às atividades viabilizadas pelo Município. • Realização da I Conferência Municipal de Educação. • Promoção à contribuição para redução das desigualdades educacionais, protegendo a criança, o adolescente e o jovem em situação de risco. • Implementação de projetos e programas que determinam esforços de aperfeiçoamento do currículo escolar, zelando pelo efetivo respeito aos direitos fundamentais especiais do infanto-juvenil. • Atuação do Fórum Municipal de Educação nas atividades de acompanhamento, avaliação e implementação dos impactos da Política Municipal de Educação.
  • 53. ENTRAVES • Ausência de disponibilidade e responsabilidade solidária. • Desempenho do tripé família – sociedade - Estado desarticulado das reais necessidades da população infanto-juvenil. • Montante de recursos não equivalente às perspectivas do sistema socioeducativo. • Falta de critérios na indicação dos membros das entidades para atuarem como conselheiros .
  • 54. DESAFIOS • Fortalecimento dos órgãos colegiados: Conselho Escolar, Unidade Executora, Associação de Pais e Mestres, Conselho de representação Estudantil. • Necessidade de maior prevalência da política, das ações, das metas, das estratégias na promoção de iniciativas pela redução das desigualdades. • Investimento na formação dos membros indicados para atuarem como conselheiros do Conselho Municipal de Educação.
  • 55. PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
  • 56. DO DIREITO DE BRINCAR, PRATICAR ESPORTES E DIVERTIR -SE
  • 57. OBJETIVO Todas as crianças e adolescentes com oportunidade de acesso a esporte seguro e inclusivo, brincando e divertindo-se em centros de educação infantil, escolas e comunidades.
  • 58. AÇÕES DESENVOLVIDAS • Implementação das atividades esportivas na escola através dos jogos interclasses, abrangendo diversas modalidades. • Realização anualmente dos jogos municipais. • Implantação do Projeto O Esporte Transformando a Educação das Crianças na Escola Municipal Tia Zita. • Realização de oficinas esportivas através do Programa Mais Educação.
  • 59. • Implantação do Projeto Craque na Escola Craque na Bola em parceria com a Diretoria de Esportes. • Participação nos jogos regionais. • Construção de 02 Academias da Cidade. • Construção de 01 quadra esportiva no Bairro do Inocoop. • Construção de 02 quadras esportivas cobertas.
  • 61. ENTRAVES • Instituições de ensino sem uma estrutura mínima de vivência de diversas modalidades e acaba se limitando. • Falta de envolvimento da escola com a prática do esporte. • Profissionais atuando na Educação Física sem preparação específica. • Falta de implementação da diversidade esportiva.
  • 62. DESAFIOS • Constituição de políticas públicas de incentivo, com investimento no espaço, equipamentos e também preparação de pessoal para trabalhar a iniciação e formação esportiva de qualidade nas escolas públicas. • Implementação e execução de projetos de educação física, envolvendo profissionais da área, no intuito de promover o desenvolvimento de valores humanos fundamentais indispensáveis ao pleno desenvolvimento das atitudes físicas, intelectuais e morais do ser humano, em função da melhoria de sua qualidade de vida.
  • 63. PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
  • 64. É necessário... “Compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito.”(PCN/Matemática). Equipe Secretaria Municipal de Educação Agosto/2014