SlideShare uma empresa Scribd logo
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DE FRADES
Índice

   Índice;
   O que é a Revolução Francesa?
   O ambiente pré-revolucionário;:
   Dos Estados Gerais à Assembleia Constituinte;
   A Convenção e o Terror;
   Do Diretório à queda do Império Napoleónico;
   O carácter universalista da revolução francesa;
    Conclusão;
   Bibliografia.
Congresso de Viena e
                      Golpe de Estado                         derrota definitiva de
                                                                   Napoleão



   1789                 1799               1804                   1815

Inicio da revolução
      francesa.                         Napoleão declara-se
                                            Imperador
O que é a Revolução Francesa?



   É um movimento revolucionário
   em que a população francesa se
   revolta contra o absolutismo de
   modo a alcançar as ideias
   iluministas.
O ambiente pré-revolucionário
Em meados do século XVIII a França vivia sob uma
monarquia absoluta que se considerava a ela própria de
direito divino. A sociedade era típica do Antigo Regime:


                                Grupos não privilegiados
      Grupos privilegiados
                                      (3º Estado)

       Clero      Nobreza       Burguesia    Camponeses
França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário


                                 Sociedade francesa em 1789

                    População                                   Distribuição da propriedade
  Nobreza e Clero           Burguesia               3º Estado
                                                                  Nobreza e Clero     Burguesia            3º Estado


                        2%                          14%                20%
                                                                                                          40%



84%
                                                                 40%




        Fonte: Manual do 8º ano “Viva a História”                               Fonte: Manual do 8º ano “HISTÓRIA8”
França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário

Grupos privilegiados
Clero e Nobreza

    Estavam isentos de pagar
    impostos;
    Constituíam 2% da
    população;
    Ocupavam os mais
    importantes cargos públicos;
    Eram Julgados em tribunais
    próprios.
França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário

Grupos não privilegiados (3º Estado)
• Burguesia
   • Possuía poder económico;
   • Constituíam 14% da população;
   • Elevado grau de cultura;
   • Não era permitido desempenhar altos cargos na
     politica, na administração do Estado, no exercito ou na
     igreja;
• Camponeses, artesãos e assalariados.
   • Constituíam 84% da população;
   • Sujeitos a pesadas obrigações ( ex. impostos);
   • Lutavam conta o desemprego e baixos salários;
França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário


O descontentamento social agravou-se ainda mais com uma
crise económica e financeira causada por vários fatores:
  Maus anos agrícolas
  Concorrência dos produtos ingleses
  Défice financeiro
Dos Estados Gerais à Assembleia
               Constituinte
        Os Estados Gerais, é uma
espécie de Parlamento de aquela
altura, foi convocado por Luís XVI
para solucionar a crise. Coisa que
já não sucedia desde 1614.




                                     Joseph Siffred Duplessis
                                     Retrato de Luís XVI com os trajes da coroação
                                     Museu do Palácio de Versalhes
                                     1777
França: a grande revolução -Dos Estados Gerais à Assembleia Constituinte.



Por causa da tentativa de dissolução
desta assembleia pelo rei e o envio
de tropas para a cidade de Paris
gerou revolta na população.

A 14 de Julho de 1789, o povo de
Paris assaltou a prisão-fortaleza da
Bastilha, símbolo do poder do rei.
O povo em fúria atacou o
forte,          libertou          os
prisioneiros, matou o governador
da fortaleza e passeou a sua
cabeça espetada num pau pelas
ruas de Paris
França: a grande revolução -Dos Estados Gerais à Assembleia Constituinte.


Medidas aprovadas pela
Assembleia Constituinte:
Abolição dos direitos feudais;

Publicação da Declaração dos
 Direitos do Homem e do Cidadão;

Adoção do regime de Monarquia
 Constitucional;

Separação dos poderes;

Soberania da Nação;

                                                  Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão
                                                  (26 de agosto de 1789)
A Convenção e o Terror
Apesar da formação da nova Assembleia            ABC
                                                  Convenção-
Constituinte, os mais pobre continuavam na        Assembleia responsável pelo
pobreza e sem direito ao voto. Uma guerra         Governo da França entre
entre a França e a Áustria só agravou mais o      1792 e 1795.
problema.
                                                  Sufrágio universal-
Em 1792 os revolucionários mais extremistas       Sistema eleitoral em que
tomaram o poder, os Jacobinos, que                apenas os cidadãos que
dissolveram            a           Assembleia     pagarem uma determinada
                                                  quantia de impostos, tem o
Constituinte, Suspenderam a Monarquia             direito de voto.
Constitucional      e     Proclamaram        a
Republica, pela primeira vez na Europa.
A França passou a ser governada pela
Convenção, escolhida por sufrágio universal.
França: a grande revolução – A Convenção e o Terror.

                                                   Guilhotina
Luís XVI foi acusado de traição à
pátria, condenado à morte na
guilhotina na praça pública, logo no      A guilhotina que deve
                                         seu nome a um médico
início de 1793.                          francês, Guillotin, consi
 Isso fez com que todas as               stia numa estrutura de
monarquias da Europa ficassem               madeira com uma
contra a França.                             lâmina afiada no
                                           topo, que cortava as
                                           cabeças das vitimas.
                                           Durante a Revolução
                                          Francesa ela foi muito
                                          usada para matar não
                                         só o rei e a rainha, mas
                                           também milhares de
                                         nobres, padres, apoiant
                                           es da família real ate
                                               mesmo alguns
                                              revolucionários.
     Condenação de Luís XVI
França: a grande revolução – A Convenção e o Terror.




Em        outubro          de   1793
Robespierre, instaurou um regime que
ficou conhecido por Terror.
Milhares de franceses suspeitos de
atividades contra a Revolução foram                 Robespierre
                                                    1758 - 1794
decapitados pela guilhotina.
                                                  Robespierre, um republicano
                                                  extremista que ficou conhecido
                                                  pelo seu radicalismo, foi a figura
O Grande Terror é o nome da ultima fase           mais destacada deste período.
do terror entre a primavera e o verão de          Foi condenado à morte na
1794, é o período que as execuções se             guilhotina                     em
                                                  1794, terminado, assim, o
multiplicavam , e no qual o clima de              “regime de terror”.
paranoia, em Paris e no resto do pais. As
execuções chegavam a 800 por mês em
Paris.
França: a grande revolução – A Convenção e o Terror.

                              O Novo Calendário Revolucionário foi criado pela Convenção de
                              1792, durante a Revolução Francesa, sendo o primeiro dia do ano 22
                              de Setembro data inicial da República.
Características:
• eliminados os domingos e os
  feriados;
• composto por 12 meses de 30 dias;
• Cada mês tinha 3 semanas e cada
  semana tinha 10 dia;
• 10 horas e cada hora 100
  minutos, cada minuto com 100
  segundos.


Este calendário esteve em vigor de 22
de Setembro de 1792 a 31 de
Dezembro de 1805, ou seja, pouco
mais de 13 anos.
Fonte de informação: oficinadahistoriad.blogspot.pt/2009/02/calendario-revolucionario-frances.html
Do Diretório à queda do Império
                 Napoleónico
       Republica Burguesa uma nova etapa da
Revolução.

        Em 1795 foi aprovada uma nova
Constituição, que entregou o poder executivo a
um Diretório. Foi um período de grande
instabilidade Politica e de crise económica em
que se destacou o jovem general Napoleão
Bonaparte na guerra conta as potência
                                                                    Jacques-Louis David
europeias.                                        Napoleão no seu gabinente de trabalho
                                                     National Gallery of Art, Washington

                                                 ABC
                                                         Diretório
                                                         Cinco diretores
                                                         representantes da
                                                         burguesia moderna.
França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico.

                                                               ABC

       Em 1799, Napoleão Bonaparte                               Golpe de Estado-
                                                                 Apropriação do
derrubou o Diretório através de um golpe de                      poder por parte de
Estado e instaurou o regime do Consulado em                      um grupo de pessoas
que o poder executivo cabia a três cônsules.                     ou apenas uma só
                                                                 pessoa.

         Napoleão     torna-se    primeiro-
cônsul, foi-se apoderando progressivamente
do poder, tornando-se primeiro-cônsul
vitalício (1802) e depois Imperador dos
Franceses (1804-1814)




                                Napoleão institui um consulado
                                formado por 3 cônsules
França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico.
França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico.



        Como Imperador, desenvolveu
                                                         Em 1801 é assinada uma
e             modernizou           a                     Concordata           entre
França, transformando-a num Estado                       Napoleão e o papa Pio VII.
forte e centralizado.                                    São regulamentadas e
Consolidou o triunfo da revolução                        pacificadas as relações
burguesa, esta classe aumentou o seu                     com         a        Igreja
                                                         Católica,      reconhecida
poder económico e procurou dominar                       como religião maioritária
a Europa através de um politica                          dos franceses.
expansionista.

       O Bloqueio Continental é uma
medida tomada por Napoleão, em
1806, proibindo todos os países
europeus de comercializarem com os
ingleses, isto provocaria a ruina deste                                  Papa Pio VII
país.
França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico.




Os exércitos franceses avançaram por toda a europa, chegando a
                    invadir a Rússia em 1812
França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico.


Os exércitos da nova coligação
europeia
(Áustria, Prússia, Rússia, Inglater
ra e Suíça), em 1814 invadem a
frança e obrigam Napoleão a
render-se.                                                Francisco de Goya
                                                          Retrato do duque de Wellington
No entanto só em 1815, na                                 National Gallery Londres
Bélgica, na Batalha Waterloo, se
                                                         Em 18 de Junho de 1815 é
verificou a derrota definitiva de                        finalmente     derrotado      em
Napoleão.                                                Waterloo, na atual Bélgica, pelas
                                                         forças da Coligação comandadas
                                                         por Arthur Welleslley, o duque de
                                                         Wellington.

                               Clément-Auguste Andrieux (1829-1880)
                               Waterloo
                               Museu Nacional do Palácio de Versalhes
França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico.




Congresso de Viena-Definição do novo mapa político da Europa.
Napoleão é enviado para a ilha de Santa Helena. Aqui
morrerá, em 1821. Em 1840, o corpo foi exumado e
trasladado para Paris, sendo depositado num sarcófago
especialmente desenhado no edifício do Les Invalides.
O carácter universalista da Revolução
                 Francesa.
A mensagem da Revolução
Francesa foi universal: constituiu
um grito de liberdade, igualdade     História e significado da bandeira da França
e fraternidade que se percutiu       • adotada em 15 de fevereiro de
por toda a Europa e pela América        1794, cinco anos após a Revolução
                                        Francesa (1789).
Latina, originando movimentos        • composta por três faixas verticais
autonomistas.                           azul, branca e vermelha.
                                     Estas cores simbolizam a Revolução
                                     Francesa.
                                     • azul representa o poder legislativo;
                                     • branco o poder executivo;
                                     • vermelho o povo francês.
                                     A bandeira tricolor francesa também
                                     simboliza o lema da Revolução Francesa
                                     "Liberdade, Igualdade e Fraternidade".
Conclusão


  Neste trabalho podemos concluir que a revolução
francesa foi um passo muito importante que no qual
consiste na luta pela igualdade e a liberdade de todos
                          nós.
Bibliografia
Manuais:
 “Clube HGP” ( 6º ano) da Porto Editora –Pág. 18;
 “HISTÓRIA 8” (8º anoa) da Texto Editora-Pág. 158-165;
 “VIVA A HISTÓRIA”(8º ano) da Porto Editora –Pág.120-124;

Página web:
• http://oficinadahistoriad.blogspot.pt/
• http://4.bp.blogspot.com
• http://silvana.politicaexterna.com/
• http://www.infoescola.com/wp-content/uploads/2010/05/congresso-de-viena.jpg
• http://1.bp.blogspot.com/
• http://www.history.com
• http://3.bp.blogspot.com
• http://www.ohistoriador.com.br
• http://www.consciencia.org
• http://payingattentiontothesky.files.wordpress.com/2011/07/french-revolution.jpg
• …
EAGRUPAMENTO DE ESCOLA DE OLIVEIRA DE FRADES

       No âmbito da disciplina de História

       Tema- França: a grande revolução.

                  Trabalho de:

   VITÓRIA FONTORA                      (nº15)

    JOÃO MIRANDA                         (nº8)

   ALEXANDRE RIBEIRO                     (nº1)

             Da turma F do 8º ano

           Professor: António Fausto

      Data da proposta:12 de Abril de 2012

      Data de entrega: 30 de Abril de 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
Carlos Vieira
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
Susana Simões
 
Guerra dos cem anos
Guerra dos cem anosGuerra dos cem anos
Guerra dos cem anos
Eduard Henry
 
Pós 25 de abril
Pós 25 de abrilPós 25 de abril
Pós 25 de abril
Carlos Vieira
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Fatima Freitas
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
Maria Gomes
 
Revoluções liberais
Revoluções liberaisRevoluções liberais
Revoluções liberais
Teresa Maia
 
5 03 a geografia dos movimentos revolucionários
5 03 a geografia dos movimentos revolucionários5 03 a geografia dos movimentos revolucionários
5 03 a geografia dos movimentos revolucionários
Vítor Santos
 
A constituição de 1822
A constituição de 1822A constituição de 1822
A constituição de 1822
Maria Cerqueira
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90
BarbaraSilveira9
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Janaína Tavares
 
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder políticoA Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
Susana Simões
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revolução
Carla Teixeira
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
Joana Melo
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Aulas de História
 
Os Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e NaziOs Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e Nazi
Rui Neto
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
Teresa Maia
 

Mais procurados (20)

Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
 
Guerra dos cem anos
Guerra dos cem anosGuerra dos cem anos
Guerra dos cem anos
 
Pós 25 de abril
Pós 25 de abrilPós 25 de abril
Pós 25 de abril
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
 
Revoluções liberais
Revoluções liberaisRevoluções liberais
Revoluções liberais
 
5 03 a geografia dos movimentos revolucionários
5 03 a geografia dos movimentos revolucionários5 03 a geografia dos movimentos revolucionários
5 03 a geografia dos movimentos revolucionários
 
A constituição de 1822
A constituição de 1822A constituição de 1822
A constituição de 1822
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90A crise financeira de 1880-90
A crise financeira de 1880-90
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder políticoA Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
A Europa dos Parlamentos: sociedade e poder político
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revolução
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Os Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e NaziOs Regimes Fascista e Nazi
Os Regimes Fascista e Nazi
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 

Semelhante a Revolução Francesa

Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
ADRIANEMONTAGNER
 
Revolução Francesa
Revolução Francesa Revolução Francesa
Revolução Francesa
secretaria estadual de educação
 
Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799
Rondinelly Silva
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Acácio Souto
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaAcácio Souto
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
gueste79b40
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...
Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...
Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...
MariaCaprichosaPapel
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Bruno da Silva
 
Revolucao francesa (1)
Revolucao francesa (1)Revolucao francesa (1)
Revolucao francesa (1)
Érica Alegre
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio RomanoRevolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
alunoitv
 
Revolução Francesa até o fim do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o fim do Império NapoleonicoRevolução Francesa até o fim do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o fim do Império Napoleonico
alunoitv
 
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio RomanoRevolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
alunoitv
 
Revolução Francesa até o final do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o final do Império NapoleonicoRevolução Francesa até o final do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o final do Império Napoleonico
alunoitv
 
Revolução francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução francesa ate o fim do Imperio RomanoRevolução francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução francesa ate o fim do Imperio Romano
alunoitv
 
A Revolução Francesa.pptx
A Revolução Francesa.pptxA Revolução Francesa.pptx
A Revolução Francesa.pptx
Janaina Pancieri Gottarde Sedel
 
Revolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E D
Revolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E DRevolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E D
Revolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E D
Tâmara Almeida
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
GabrielaLimaPereira
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
seixasmarianas
 

Semelhante a Revolução Francesa (20)

Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Francesa
Revolução Francesa Revolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799Revolucaofrancesa 1789 1799
Revolucaofrancesa 1789 1799
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...
Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...
Aula 5 - 8º HIS - Revolução Francesa e seus desdobramentos Declaração Univers...
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolucao francesa (1)
Revolucao francesa (1)Revolucao francesa (1)
Revolucao francesa (1)
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio RomanoRevolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
 
Revolução Francesa até o fim do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o fim do Império NapoleonicoRevolução Francesa até o fim do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o fim do Império Napoleonico
 
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio RomanoRevolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução Francesa ate o fim do Imperio Romano
 
Revolução Francesa até o final do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o final do Império NapoleonicoRevolução Francesa até o final do Império Napoleonico
Revolução Francesa até o final do Império Napoleonico
 
Revolução francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução francesa ate o fim do Imperio RomanoRevolução francesa ate o fim do Imperio Romano
Revolução francesa ate o fim do Imperio Romano
 
A Revolução Francesa.pptx
A Revolução Francesa.pptxA Revolução Francesa.pptx
A Revolução Francesa.pptx
 
Revolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E D
Revolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E DRevolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E D
Revolução Francesa - Prof André Teixeira 1º A,B,C E D
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
 

Mais de Alexandre Ribeiro

Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)
Alexandre Ribeiro
 
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)
Alexandre Ribeiro
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Alexandre Ribeiro
 
Resumo ambiente sedimentar
Resumo ambiente sedimentarResumo ambiente sedimentar
Resumo ambiente sedimentar
Alexandre Ribeiro
 
Palavra de vida dezembro 2011
Palavra de vida   dezembro 2011Palavra de vida   dezembro 2011
Palavra de vida dezembro 2011
Alexandre Ribeiro
 
DESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMOR
DESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMORDESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMOR
DESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMOR
Alexandre Ribeiro
 
.rochas.sedimentares
.rochas.sedimentares.rochas.sedimentares
.rochas.sedimentares
Alexandre Ribeiro
 
Semelhanca de triangulos
Semelhanca de triangulosSemelhanca de triangulos
Semelhanca de triangulos
Alexandre Ribeiro
 
present simple
present simplepresent simple
present simple
Alexandre Ribeiro
 
Menina do mar
Menina do marMenina do mar
Menina do mar
Alexandre Ribeiro
 
Agrupamento de oliveira de frades
Agrupamento de oliveira de fradesAgrupamento de oliveira de frades
Agrupamento de oliveira de frades
Alexandre Ribeiro
 
Se és Rapaz !!
Se és Rapaz !!Se és Rapaz !!
Se és Rapaz !!
Alexandre Ribeiro
 
Se és rapariga.
Se és rapariga.Se és rapariga.
Se és rapariga.
Alexandre Ribeiro
 
Se és Rapaz
Se és Rapaz Se és Rapaz
Se és Rapaz
Alexandre Ribeiro
 
cristianismo
cristianismocristianismo
cristianismo
Alexandre Ribeiro
 

Mais de Alexandre Ribeiro (16)

Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Matemática)
 
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)
Projeto Testes Intermédios 2012/2013 (Portugues)
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Resumo ambiente sedimentar
Resumo ambiente sedimentarResumo ambiente sedimentar
Resumo ambiente sedimentar
 
Resumo ambiente magmatico
Resumo ambiente magmaticoResumo ambiente magmatico
Resumo ambiente magmatico
 
Palavra de vida dezembro 2011
Palavra de vida   dezembro 2011Palavra de vida   dezembro 2011
Palavra de vida dezembro 2011
 
DESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMOR
DESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMORDESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMOR
DESAFIOS PARA UMA VIVENCIA RESPONSÁVEL DO AMOR
 
.rochas.sedimentares
.rochas.sedimentares.rochas.sedimentares
.rochas.sedimentares
 
Semelhanca de triangulos
Semelhanca de triangulosSemelhanca de triangulos
Semelhanca de triangulos
 
present simple
present simplepresent simple
present simple
 
Menina do mar
Menina do marMenina do mar
Menina do mar
 
Agrupamento de oliveira de frades
Agrupamento de oliveira de fradesAgrupamento de oliveira de frades
Agrupamento de oliveira de frades
 
Se és Rapaz !!
Se és Rapaz !!Se és Rapaz !!
Se és Rapaz !!
 
Se és rapariga.
Se és rapariga.Se és rapariga.
Se és rapariga.
 
Se és Rapaz
Se és Rapaz Se és Rapaz
Se és Rapaz
 
cristianismo
cristianismocristianismo
cristianismo
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

Revolução Francesa

  • 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DE FRADES
  • 2. Índice  Índice;  O que é a Revolução Francesa?  O ambiente pré-revolucionário;:  Dos Estados Gerais à Assembleia Constituinte;  A Convenção e o Terror;  Do Diretório à queda do Império Napoleónico;  O carácter universalista da revolução francesa;  Conclusão;  Bibliografia.
  • 3. Congresso de Viena e Golpe de Estado derrota definitiva de Napoleão 1789 1799 1804 1815 Inicio da revolução francesa. Napoleão declara-se Imperador
  • 4. O que é a Revolução Francesa? É um movimento revolucionário em que a população francesa se revolta contra o absolutismo de modo a alcançar as ideias iluministas.
  • 5. O ambiente pré-revolucionário Em meados do século XVIII a França vivia sob uma monarquia absoluta que se considerava a ela própria de direito divino. A sociedade era típica do Antigo Regime: Grupos não privilegiados Grupos privilegiados (3º Estado) Clero Nobreza Burguesia Camponeses
  • 6. França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário Sociedade francesa em 1789 População Distribuição da propriedade Nobreza e Clero Burguesia 3º Estado Nobreza e Clero Burguesia 3º Estado 2% 14% 20% 40% 84% 40% Fonte: Manual do 8º ano “Viva a História” Fonte: Manual do 8º ano “HISTÓRIA8”
  • 7. França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário Grupos privilegiados Clero e Nobreza Estavam isentos de pagar impostos; Constituíam 2% da população; Ocupavam os mais importantes cargos públicos; Eram Julgados em tribunais próprios.
  • 8. França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário Grupos não privilegiados (3º Estado) • Burguesia • Possuía poder económico; • Constituíam 14% da população; • Elevado grau de cultura; • Não era permitido desempenhar altos cargos na politica, na administração do Estado, no exercito ou na igreja; • Camponeses, artesãos e assalariados. • Constituíam 84% da população; • Sujeitos a pesadas obrigações ( ex. impostos); • Lutavam conta o desemprego e baixos salários;
  • 9. França: a grande revolução - O ambiente pré-revolucionário O descontentamento social agravou-se ainda mais com uma crise económica e financeira causada por vários fatores: Maus anos agrícolas Concorrência dos produtos ingleses Défice financeiro
  • 10. Dos Estados Gerais à Assembleia Constituinte Os Estados Gerais, é uma espécie de Parlamento de aquela altura, foi convocado por Luís XVI para solucionar a crise. Coisa que já não sucedia desde 1614. Joseph Siffred Duplessis Retrato de Luís XVI com os trajes da coroação Museu do Palácio de Versalhes 1777
  • 11. França: a grande revolução -Dos Estados Gerais à Assembleia Constituinte. Por causa da tentativa de dissolução desta assembleia pelo rei e o envio de tropas para a cidade de Paris gerou revolta na população. A 14 de Julho de 1789, o povo de Paris assaltou a prisão-fortaleza da Bastilha, símbolo do poder do rei. O povo em fúria atacou o forte, libertou os prisioneiros, matou o governador da fortaleza e passeou a sua cabeça espetada num pau pelas ruas de Paris
  • 12. França: a grande revolução -Dos Estados Gerais à Assembleia Constituinte. Medidas aprovadas pela Assembleia Constituinte: Abolição dos direitos feudais; Publicação da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão; Adoção do regime de Monarquia Constitucional; Separação dos poderes; Soberania da Nação; Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão (26 de agosto de 1789)
  • 13. A Convenção e o Terror Apesar da formação da nova Assembleia ABC Convenção- Constituinte, os mais pobre continuavam na Assembleia responsável pelo pobreza e sem direito ao voto. Uma guerra Governo da França entre entre a França e a Áustria só agravou mais o 1792 e 1795. problema. Sufrágio universal- Em 1792 os revolucionários mais extremistas Sistema eleitoral em que tomaram o poder, os Jacobinos, que apenas os cidadãos que dissolveram a Assembleia pagarem uma determinada quantia de impostos, tem o Constituinte, Suspenderam a Monarquia direito de voto. Constitucional e Proclamaram a Republica, pela primeira vez na Europa. A França passou a ser governada pela Convenção, escolhida por sufrágio universal.
  • 14. França: a grande revolução – A Convenção e o Terror. Guilhotina Luís XVI foi acusado de traição à pátria, condenado à morte na guilhotina na praça pública, logo no A guilhotina que deve seu nome a um médico início de 1793. francês, Guillotin, consi Isso fez com que todas as stia numa estrutura de monarquias da Europa ficassem madeira com uma contra a França. lâmina afiada no topo, que cortava as cabeças das vitimas. Durante a Revolução Francesa ela foi muito usada para matar não só o rei e a rainha, mas também milhares de nobres, padres, apoiant es da família real ate mesmo alguns revolucionários. Condenação de Luís XVI
  • 15. França: a grande revolução – A Convenção e o Terror. Em outubro de 1793 Robespierre, instaurou um regime que ficou conhecido por Terror. Milhares de franceses suspeitos de atividades contra a Revolução foram Robespierre 1758 - 1794 decapitados pela guilhotina. Robespierre, um republicano extremista que ficou conhecido pelo seu radicalismo, foi a figura O Grande Terror é o nome da ultima fase mais destacada deste período. do terror entre a primavera e o verão de Foi condenado à morte na 1794, é o período que as execuções se guilhotina em 1794, terminado, assim, o multiplicavam , e no qual o clima de “regime de terror”. paranoia, em Paris e no resto do pais. As execuções chegavam a 800 por mês em Paris.
  • 16. França: a grande revolução – A Convenção e o Terror. O Novo Calendário Revolucionário foi criado pela Convenção de 1792, durante a Revolução Francesa, sendo o primeiro dia do ano 22 de Setembro data inicial da República. Características: • eliminados os domingos e os feriados; • composto por 12 meses de 30 dias; • Cada mês tinha 3 semanas e cada semana tinha 10 dia; • 10 horas e cada hora 100 minutos, cada minuto com 100 segundos. Este calendário esteve em vigor de 22 de Setembro de 1792 a 31 de Dezembro de 1805, ou seja, pouco mais de 13 anos. Fonte de informação: oficinadahistoriad.blogspot.pt/2009/02/calendario-revolucionario-frances.html
  • 17. Do Diretório à queda do Império Napoleónico Republica Burguesa uma nova etapa da Revolução. Em 1795 foi aprovada uma nova Constituição, que entregou o poder executivo a um Diretório. Foi um período de grande instabilidade Politica e de crise económica em que se destacou o jovem general Napoleão Bonaparte na guerra conta as potência Jacques-Louis David europeias. Napoleão no seu gabinente de trabalho National Gallery of Art, Washington ABC Diretório Cinco diretores representantes da burguesia moderna.
  • 18. França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico. ABC Em 1799, Napoleão Bonaparte Golpe de Estado- Apropriação do derrubou o Diretório através de um golpe de poder por parte de Estado e instaurou o regime do Consulado em um grupo de pessoas que o poder executivo cabia a três cônsules. ou apenas uma só pessoa. Napoleão torna-se primeiro- cônsul, foi-se apoderando progressivamente do poder, tornando-se primeiro-cônsul vitalício (1802) e depois Imperador dos Franceses (1804-1814) Napoleão institui um consulado formado por 3 cônsules
  • 19. França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico.
  • 20. França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico. Como Imperador, desenvolveu Em 1801 é assinada uma e modernizou a Concordata entre França, transformando-a num Estado Napoleão e o papa Pio VII. forte e centralizado. São regulamentadas e Consolidou o triunfo da revolução pacificadas as relações burguesa, esta classe aumentou o seu com a Igreja Católica, reconhecida poder económico e procurou dominar como religião maioritária a Europa através de um politica dos franceses. expansionista. O Bloqueio Continental é uma medida tomada por Napoleão, em 1806, proibindo todos os países europeus de comercializarem com os ingleses, isto provocaria a ruina deste Papa Pio VII país.
  • 21. França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico. Os exércitos franceses avançaram por toda a europa, chegando a invadir a Rússia em 1812
  • 22. França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico. Os exércitos da nova coligação europeia (Áustria, Prússia, Rússia, Inglater ra e Suíça), em 1814 invadem a frança e obrigam Napoleão a render-se. Francisco de Goya Retrato do duque de Wellington No entanto só em 1815, na National Gallery Londres Bélgica, na Batalha Waterloo, se Em 18 de Junho de 1815 é verificou a derrota definitiva de finalmente derrotado em Napoleão. Waterloo, na atual Bélgica, pelas forças da Coligação comandadas por Arthur Welleslley, o duque de Wellington. Clément-Auguste Andrieux (1829-1880) Waterloo Museu Nacional do Palácio de Versalhes
  • 23. França: a grande revolução –Do Diretório à queda do Império Napoleónico. Congresso de Viena-Definição do novo mapa político da Europa.
  • 24. Napoleão é enviado para a ilha de Santa Helena. Aqui morrerá, em 1821. Em 1840, o corpo foi exumado e trasladado para Paris, sendo depositado num sarcófago especialmente desenhado no edifício do Les Invalides.
  • 25. O carácter universalista da Revolução Francesa. A mensagem da Revolução Francesa foi universal: constituiu um grito de liberdade, igualdade História e significado da bandeira da França e fraternidade que se percutiu • adotada em 15 de fevereiro de por toda a Europa e pela América 1794, cinco anos após a Revolução Francesa (1789). Latina, originando movimentos • composta por três faixas verticais autonomistas. azul, branca e vermelha. Estas cores simbolizam a Revolução Francesa. • azul representa o poder legislativo; • branco o poder executivo; • vermelho o povo francês. A bandeira tricolor francesa também simboliza o lema da Revolução Francesa "Liberdade, Igualdade e Fraternidade".
  • 26. Conclusão Neste trabalho podemos concluir que a revolução francesa foi um passo muito importante que no qual consiste na luta pela igualdade e a liberdade de todos nós.
  • 27.
  • 28. Bibliografia Manuais:  “Clube HGP” ( 6º ano) da Porto Editora –Pág. 18;  “HISTÓRIA 8” (8º anoa) da Texto Editora-Pág. 158-165;  “VIVA A HISTÓRIA”(8º ano) da Porto Editora –Pág.120-124; Página web: • http://oficinadahistoriad.blogspot.pt/ • http://4.bp.blogspot.com • http://silvana.politicaexterna.com/ • http://www.infoescola.com/wp-content/uploads/2010/05/congresso-de-viena.jpg • http://1.bp.blogspot.com/ • http://www.history.com • http://3.bp.blogspot.com • http://www.ohistoriador.com.br • http://www.consciencia.org • http://payingattentiontothesky.files.wordpress.com/2011/07/french-revolution.jpg • …
  • 29. EAGRUPAMENTO DE ESCOLA DE OLIVEIRA DE FRADES No âmbito da disciplina de História Tema- França: a grande revolução. Trabalho de: VITÓRIA FONTORA (nº15) JOÃO MIRANDA (nº8) ALEXANDRE RIBEIRO (nº1) Da turma F do 8º ano Professor: António Fausto Data da proposta:12 de Abril de 2012 Data de entrega: 30 de Abril de 2012