SlideShare uma empresa Scribd logo
Parabéns a todos vocês que fizeram um fórum de
muita interatividade e compartilharam muito
conhecimento!
Grupo 18 – 2015 – 1 – AVCM – Tutor : Eleison
Camyle
Eu, particularmente, não gosto de materiais didáticos
com imagens sem outra funcionalidade que não a
estética. Sempre fico me indagando o porquê da
inserção de ilustrações/imagens não significativas no
que diz respeito ao conteúdo.
Claudia Regina
A Educação a Distância é um exemplo de inovação. E,
no bojo dela, o design educacional deve reunir as
condições para o diálogo entre os alunos, lançando
mão de todos os recursos e conhecimentos
disponíveis até o momento, resolvendo questões
relacionadas à estética e à funcionalidade e buscando
minimizar a distância transacional.
Dulce de Fátima
É obvio que a funcionalidade deve ser levada em
consideração, mas, a beleza, o design chama mais a
atenção, por isso a aposta de estudiosos nos designs
didático para melhorias no ensino aprendizagem!
Eduardo de Santana
Um design que não gosto é quando um texto opta por
ilustrar os personagens em vez dos conceitos. Por
exemplo, prefiro ler um texto com ilustrações das
ideias de Vygotsky e Lévy, do que outro que mostre as
fotos deles.
Estevão Domingos
Ken Robinson fala justamente que a escola não
possibilita mais a abertura para processos
criativos/inovadores, tanto em relação a
professores,no processo de ensino-aprendizagem,
quanto em relação aos alunos, no sentido de
incentivá-los.
Luzenir da Rocha
conceito de beleza , de fato , está explícito neles ,
apesar de eu ter gostado mais da primeira forma ,
contudo , é neste ponto que devemos trabalhar , focar
, porque o novo tende a nos confrontar a , até mesmo,
tentar , buscar , usar ... , o novo.
Marcelle Cury
O panorama ideal é que o design consiga equilibrar
beleza e funcionalidade tendo em vista o cliente,
criando uma atmosfera irresistivelmente atraente para
estar por algum tempo, ler, aprender, participar, ou
seja, precisa ser agradável.
Marcelo Simas
Um bom design didático deve possuir algumas
características fundamentais como: clareza na
exposição dos conteúdos, leitura atrativa, uso de
recursos de intertextualidade ou de reforço de
conceitos (Exemplo: Notas explicativas) e possuir
mídias adequadas aos objetivos (Exemplos: imagens,
animações, vídeos,...).
Marcia Montojos
Eu prefiro um ambiente mais limpo, com letras
grandes, frases espaçadas, cores claras, poucos
gráficos, muitos exemplos e curiosidades destacados
em box, raros hipertextos. Não gosto de excesso de
cores ou informações extras no mesmo ambiente,
como vídeos por exemplo, pois me causam uma certa
ansiedade em pensar que " ainda tenho que ler isso,
assistir a aquilo, linkar com aquilo outro"
Marianna Celino
A primeira vista uma grande inovação pode ser um
choque. Nem sempre será garantia de bons
resultados. Mas se não for testada como é que
poderemos saber
Maria Virgínia
Como exemplo temos o espremedor de laranjas em
duas versões, o tradicional e um com design arrojado.
O primeiro atende as necessidades a que se propõe, já
o segundo traz um impacto visual, que remete ao
consumismo, com a possível fala:_Eu quero! Mas será
que só beleza é fundamental? Será que realmente o
espremedor corresponde as expectativas quanto ao
uso?
Marilia Vidigal
Eu, ao contrario de você, gosto muito de materiais
didáticos com imagens. Eles ficam criativos,
dinâmicos e dialógicos, dá a impressão de conversa
em grupo. E acho que isso que motivam e incentiva o
leitor/aluno a continuar lendo/estudando. Abraços.
Regina Lúcia
O belo é um diferencial na escolha. O conteúdo pode
não corresponder, pois fechamos uma ideia que nem
sempre é verdadeira, belo por fora e por dentro. O
design didático é fundamental para o sucesso do
curso. Abraços
Roberto Nunes
Esse fato de repete em diversas paginas, sites e
apresentações ppt que vejo no dia a dia. nos mesmos
se incluem figuras, firulas, sons, etc, que so servem
para dar beleza "sem conteúdo" e a transformam em
um fim em si mesmo!
Rony Wesley
O Design é atraente e enquadrado nos critérios de
usabilidade, com diversos recursos áudio-visuais além
dos textos tradicionais. A reunião das diversas formas
num único objeto de aprendizagem permite
aprofundamento da temática seja pelos textos,
depoimentos e vídeos

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Resumo da semana 1

Design nas Escolas
Design nas EscolasDesign nas Escolas
Design nas Escolas
Ferreira, Pedro
 
Catilha para Tutores Iniciantes
Catilha para Tutores IniciantesCatilha para Tutores Iniciantes
Catilha para Tutores Iniciantes
Roni Costa
 
Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?
Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?
Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?
Juliana Soares
 
Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?
Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?
Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?
Juliana Soares
 
13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx
13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx
13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx
Roseli Rose
 
Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)
Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)
Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)
Katia Ampare-se Amparando
 
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do FacilitadorDesign Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Ariana B
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
André Boaratti
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
André Boaratti
 
Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)
Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)
Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)
Eduardo Leopold
 
O PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC's
O PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC'sO PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC's
O PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC's
Sueli Dib
 
Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018
Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018
Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018
Instituto Educadigital
 
Apresentação de slides
Apresentação de slidesApresentação de slides
Apresentação de slides
Genilson Damiao
 
Por Que Aplicar e-learning Na Sua Empresa
Por Que Aplicar e-learning Na Sua EmpresaPor Que Aplicar e-learning Na Sua Empresa
Por Que Aplicar e-learning Na Sua Empresa
Eduardo Leopold
 
MONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptx
MONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptxMONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptx
MONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptx
Cidrone
 
Pigead – lante uff
Pigead – lante   uffPigead – lante   uff
Pigead – lante uff
Niely Freitas
 
Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design ThinkingMini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking
PatriciaSilva794
 
Toolkit de Design Thinking Echos
Toolkit de Design Thinking EchosToolkit de Design Thinking Echos
Toolkit de Design Thinking Echos
Colaborativismo
 
Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking
Beto Lima Branding
 
Curso
CursoCurso
Curso
Ana Bessa
 

Semelhante a Resumo da semana 1 (20)

Design nas Escolas
Design nas EscolasDesign nas Escolas
Design nas Escolas
 
Catilha para Tutores Iniciantes
Catilha para Tutores IniciantesCatilha para Tutores Iniciantes
Catilha para Tutores Iniciantes
 
Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?
Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?
Gestor, como envolver a todos para superar as dificuldades da sua escola?
 
Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?
Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?
Professor, o que fazer quando a sala está uma bagunça?
 
13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx
13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx
13 tipos de metodologias ativas de aprendizagem.docx
 
Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)
Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)
Tarefa3etapa4 katiafranceschiabraçado jardim (1)
 
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do FacilitadorDesign Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
 
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreiraDicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
Dicas para uma boa aula aos docentes em início de carreira
 
Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)
Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)
Motivos para aplicar e-learning na sua empresa (Parte 2 de 5)
 
O PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC's
O PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC'sO PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC's
O PAPEL DO PEDAGOGO NAS TIC's
 
Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018
Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018
Workshop Prisma Globonews - 5/5/2018
 
Apresentação de slides
Apresentação de slidesApresentação de slides
Apresentação de slides
 
Por Que Aplicar e-learning Na Sua Empresa
Por Que Aplicar e-learning Na Sua EmpresaPor Que Aplicar e-learning Na Sua Empresa
Por Que Aplicar e-learning Na Sua Empresa
 
MONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptx
MONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptxMONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptx
MONTAGEM DOS GRUPOS E EMPRESAS.pptx
 
Pigead – lante uff
Pigead – lante   uffPigead – lante   uff
Pigead – lante uff
 
Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design ThinkingMini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking
 
Toolkit de Design Thinking Echos
Toolkit de Design Thinking EchosToolkit de Design Thinking Echos
Toolkit de Design Thinking Echos
 
Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking Mini Tool Kit Design Thinking
Mini Tool Kit Design Thinking
 
Curso
CursoCurso
Curso
 

Mais de Universidade Federal Fluminense

United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014
United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014
United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014
Universidade Federal Fluminense
 
Resumo da semana 1
Resumo da semana 1Resumo da semana 1
Cyberculture
CybercultureCyberculture
Projeto cata pilhas
Projeto cata pilhasProjeto cata pilhas
Projeto cata pilhas
Universidade Federal Fluminense
 
Cibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educaçãoCibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educação
Universidade Federal Fluminense
 
Cibercultura: O que muda na educação- FINAL
Cibercultura: O que muda na educação- FINALCibercultura: O que muda na educação- FINAL
Cibercultura: O que muda na educação- FINAL
Universidade Federal Fluminense
 
Cibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educaçãoCibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educação
Universidade Federal Fluminense
 
Mídias sociais
Mídias sociaisMídias sociais
A educação através da biologia do amor e
A educação através da biologia do amor eA educação através da biologia do amor e
A educação através da biologia do amor e
Universidade Federal Fluminense
 
A reta
A retaA reta
Ensino com o computador
Ensino com o computadorEnsino com o computador
Ensino com o computador
Universidade Federal Fluminense
 
História da matemática iii resumido2
História da matemática iii   resumido2História da matemática iii   resumido2
História da matemática iii resumido2
Universidade Federal Fluminense
 
História da matemática iii alterado
História da matemática iii   alteradoHistória da matemática iii   alterado
História da matemática iii alterado
Universidade Federal Fluminense
 
Power Point Do José
Power Point Do JoséPower Point Do José
Power Point Do José
Universidade Federal Fluminense
 

Mais de Universidade Federal Fluminense (16)

United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014
United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014
United inflight services-flyerfriendlyannouncements_portugesebrazil_14oct2014
 
Resumo da semana 1
Resumo da semana 1Resumo da semana 1
Resumo da semana 1
 
Cyberculture
CybercultureCyberculture
Cyberculture
 
Mensagem de natal
Mensagem de natalMensagem de natal
Mensagem de natal
 
Projeto cata pilhas
Projeto cata pilhasProjeto cata pilhas
Projeto cata pilhas
 
Cibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educaçãoCibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educação
 
Cibercultura: O que muda na educação- FINAL
Cibercultura: O que muda na educação- FINALCibercultura: O que muda na educação- FINAL
Cibercultura: O que muda na educação- FINAL
 
Cibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educaçãoCibercultura: O que muda na educação
Cibercultura: O que muda na educação
 
Mídias sociais
Mídias sociaisMídias sociais
Mídias sociais
 
A educação através da biologia do amor e
A educação através da biologia do amor eA educação através da biologia do amor e
A educação através da biologia do amor e
 
A reta
A retaA reta
A reta
 
Ensino com o computador
Ensino com o computadorEnsino com o computador
Ensino com o computador
 
História da matemática iii resumido2
História da matemática iii   resumido2História da matemática iii   resumido2
História da matemática iii resumido2
 
História da matemática iii alterado
História da matemática iii   alteradoHistória da matemática iii   alterado
História da matemática iii alterado
 
Novas tecnologias em sala de aulas
Novas tecnologias em sala de aulasNovas tecnologias em sala de aulas
Novas tecnologias em sala de aulas
 
Power Point Do José
Power Point Do JoséPower Point Do José
Power Point Do José
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 

Resumo da semana 1

  • 1. Parabéns a todos vocês que fizeram um fórum de muita interatividade e compartilharam muito conhecimento! Grupo 18 – 2015 – 1 – AVCM – Tutor : Eleison
  • 2. Camyle Eu, particularmente, não gosto de materiais didáticos com imagens sem outra funcionalidade que não a estética. Sempre fico me indagando o porquê da inserção de ilustrações/imagens não significativas no que diz respeito ao conteúdo.
  • 3. Claudia Regina A Educação a Distância é um exemplo de inovação. E, no bojo dela, o design educacional deve reunir as condições para o diálogo entre os alunos, lançando mão de todos os recursos e conhecimentos disponíveis até o momento, resolvendo questões relacionadas à estética e à funcionalidade e buscando minimizar a distância transacional.
  • 4. Dulce de Fátima É obvio que a funcionalidade deve ser levada em consideração, mas, a beleza, o design chama mais a atenção, por isso a aposta de estudiosos nos designs didático para melhorias no ensino aprendizagem!
  • 5. Eduardo de Santana Um design que não gosto é quando um texto opta por ilustrar os personagens em vez dos conceitos. Por exemplo, prefiro ler um texto com ilustrações das ideias de Vygotsky e Lévy, do que outro que mostre as fotos deles.
  • 6. Estevão Domingos Ken Robinson fala justamente que a escola não possibilita mais a abertura para processos criativos/inovadores, tanto em relação a professores,no processo de ensino-aprendizagem, quanto em relação aos alunos, no sentido de incentivá-los.
  • 7. Luzenir da Rocha conceito de beleza , de fato , está explícito neles , apesar de eu ter gostado mais da primeira forma , contudo , é neste ponto que devemos trabalhar , focar , porque o novo tende a nos confrontar a , até mesmo, tentar , buscar , usar ... , o novo.
  • 8. Marcelle Cury O panorama ideal é que o design consiga equilibrar beleza e funcionalidade tendo em vista o cliente, criando uma atmosfera irresistivelmente atraente para estar por algum tempo, ler, aprender, participar, ou seja, precisa ser agradável.
  • 9. Marcelo Simas Um bom design didático deve possuir algumas características fundamentais como: clareza na exposição dos conteúdos, leitura atrativa, uso de recursos de intertextualidade ou de reforço de conceitos (Exemplo: Notas explicativas) e possuir mídias adequadas aos objetivos (Exemplos: imagens, animações, vídeos,...).
  • 10. Marcia Montojos Eu prefiro um ambiente mais limpo, com letras grandes, frases espaçadas, cores claras, poucos gráficos, muitos exemplos e curiosidades destacados em box, raros hipertextos. Não gosto de excesso de cores ou informações extras no mesmo ambiente, como vídeos por exemplo, pois me causam uma certa ansiedade em pensar que " ainda tenho que ler isso, assistir a aquilo, linkar com aquilo outro"
  • 11. Marianna Celino A primeira vista uma grande inovação pode ser um choque. Nem sempre será garantia de bons resultados. Mas se não for testada como é que poderemos saber
  • 12. Maria Virgínia Como exemplo temos o espremedor de laranjas em duas versões, o tradicional e um com design arrojado. O primeiro atende as necessidades a que se propõe, já o segundo traz um impacto visual, que remete ao consumismo, com a possível fala:_Eu quero! Mas será que só beleza é fundamental? Será que realmente o espremedor corresponde as expectativas quanto ao uso?
  • 13. Marilia Vidigal Eu, ao contrario de você, gosto muito de materiais didáticos com imagens. Eles ficam criativos, dinâmicos e dialógicos, dá a impressão de conversa em grupo. E acho que isso que motivam e incentiva o leitor/aluno a continuar lendo/estudando. Abraços.
  • 14. Regina Lúcia O belo é um diferencial na escolha. O conteúdo pode não corresponder, pois fechamos uma ideia que nem sempre é verdadeira, belo por fora e por dentro. O design didático é fundamental para o sucesso do curso. Abraços
  • 15. Roberto Nunes Esse fato de repete em diversas paginas, sites e apresentações ppt que vejo no dia a dia. nos mesmos se incluem figuras, firulas, sons, etc, que so servem para dar beleza "sem conteúdo" e a transformam em um fim em si mesmo!
  • 16. Rony Wesley O Design é atraente e enquadrado nos critérios de usabilidade, com diversos recursos áudio-visuais além dos textos tradicionais. A reunião das diversas formas num único objeto de aprendizagem permite aprofundamento da temática seja pelos textos, depoimentos e vídeos