SlideShare uma empresa Scribd logo
Disciplina: Química
______________________________________________________
Projeto desenvolvido pelo Instituto Atitude Social (INSAS). E-mail: insas@yahoo.com.br
A união de atitudes determinando trabalhos sociais.
VESTIBULAR 2016
Prof. Elio Ferreira
Conhecendo o Exame Nacional do Ensino Médio
Do estudante que se
propõe a fazer o ENEM
esperasse que tenha sido
preparado para resolver
questões que simbolizem
os desafios cotidianos que
vão enfrentar à frente.
Nesse contexto, aprender
Química para se torna um
cidadão participativo e
capaz de tomar decisões para si e para sua comunidade
precisa, vejamos isso através de uma questão:
⇒ (Enem/2009) A economia moderna depende da
disponibilidade de muita energia em diferentes formas, para
funcionar e crescer. No Brasil, o consumo total de energia
pelas indústrias cresceu mais de quatro vezes no período
entre 1970 e 2005. Enquanto os investimentos em energias
limpas e renováveis, como solar e eólica, ainda são
incipientes, ao se avaliar a possibilidade de instalação de
usinas geradoras de energia elétrica, diversos fatores devem
ser levados em consideração, tais como os impactos
causados ao ambiente e às populações locais.
RICARDO, B.; CAMPANILI, M. Almanaque Brasil Socioambiental.
São Paulo: Instituto Socioambiental, 2007 (adaptado).
Em uma situação hipotética, optou-se por construir
uma usina hidrelétrica em região que abrange diversas
quedas d’água em rios cercados por mata, alegando-se
que causaria impacto ambiental muito menor que
uma usina termelétrica. Entre os possíveis impactos
da instalação de uma usina hidrelétrica nessa região,
inclui-se
a) a poluição da água por metais da usina.
b) a destruição do habitat de animais terrestres.
c) o aumento expressivo na liberação de CO2 para a
atmosfera.
d) o consumo não renovável de toda água que passa pelas
turbinas.
e) o aprofundamento no leito do rio, com a menor
deposição de resíduos no trecho de rio anterior à represa.
Os três Princípios do Enem
O candidato “deve ver”
a inter-relação entre as
disciplinas, evitando a
simples descrição e/ou
memorização de conceitos
O candidato deve aplicar
conhecimentos obtidos e
relacioná-los com
processos produtivos e
ambientais, ou seja, fatos
de sua vida diária.
Compreensão, o
emprego e a reflexão
pessoal a partir de textos
escritos com o fim de
alcançar metas próprias,
desenvolverem o
conhecimento e o
potencial pessoal e de
participar na sociedade.
O que são Competências e Habilidades?
A prova do Enem visa avaliar no aluno as Competências e
Habilidades adquiridas na vida escolar que o ajudaram a
enfrentar os desafios cotidianos.
As Habilidades são a capacidade técnica de se realizar
tarefas a partir de determinada técnica, desenvolvidas a
partir da teoria e da prática. Ex: dirigir um automóvel.
As Competências são as modalidades estruturais de
inteligência, ou melhor, ações e operações que utilizamos
para estabelecer relações com e entre objetos, situações,
fenômenos e pessoas que desejamos conhecer. uma pessoa
é competente quando tem os recursos para realizar bem
uma determinada tarefa.
A Teoria de Resposta ao Item__________________
A TRI pressupõe que um candidato com certo nível de
proficiência tende a acertar os itens de nível de dificuldade
menor que o de sua proficiência e errar aqueles com nível
de dificuldade maior.
Na prática, as questões mais difíceis valem mais. Aquelas
que todos acertam somam menos pontos. Por isso é
importante acertar muitas questões difíceis, mas desde que
você acerte as fáceis também. Do contrário, as difíceis
perdem peso devido à inconsistência das respostas.
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view
=article&id=17319
Contextualização
Interdisciplinaridade
Competência Leitora
Essa questão é típica sobre a produção/consumo de
energia no Brasil. Com isso, estamos no dilema de
produzir energia limpa a partir das hidroelétricas Só que
esta produção de energia causa um impacto ambiental
muito grande, como por exemplo: alagamento de
grandes extensões de terra, expropriação de terras
indígenas, realocação de habitante para outras regiões,
desmatamento das áreas, perda do habitat de fauna e flora
local, entre outros.
Chemie
______________________________________________________
Projeto desenvolvido pelo Instituto Atitude Social (INSAS). E-mail: projetoise@yahoo.com.br
A união de atitudes determinando trabalhos sociais.
H8 – Identificar etapas em processos de obtenção,
transformação, utilização ou reciclagem de recursos
naturais, energéticos ou matérias-primas, considerando
processos biológicos, químicos ou físicos neles envolvidos.
O que é reação de oxirredução?
É todo tipo de reação química em que há uma troca de
elétrons.
São exemplos de fenômenos em que ocorre a oxirredução:
 Combustão Revelação de fotografias
 Corrosão  Pilhas e baterias.
 Fotossíntese  Ustulação
 Tigimentos  Metabolismo dos alimentos
Etc...
O conceito de Oxidação e Redução
 Oxidação é o fenômeno da perda de elétrons pela
espécie:
 Redução é o fenômeno do ganho de elétrons pela
espécie:
 A oxidação e a redução ocorrem ao mesmo tempo,
não existindo de forma independente, pois os elétrons
perdidos por uma espécie devem ser recebidos por
outra.
Número de Oxidação (NOX)
 É a carga elétrica real que ele adquire quando faz uma
ligação iônica ou caráter parcial que ele adquire quando faz
uma ligação predominantemente covalente.
Como determinar o NOX?
a) Nas substâncias simples, o NOX do elemento é
zero. Exemplos:
a) H2 = 0 b) S8 = 0 c) O2 = 0
b) Nos íons simples, o NOX do elemento é igual à
carga do íon. Exemplos?
a) Fe2+ = +2 b) Fe+3 = +3 c) S2- = -2
c) Alguns elementos já possuem NOX fixo, que são
descritos na tabela a lado:
ELEMENTO SITUAÇÃO NOX
Metais Alcalinos (Li,
Na, K, Rb, Cs, Fr),
Ag
Em substâncias
compostas
+1
Metais Alcalino-
terrosos (Be, Mg,
Ca, Sr e Ba), Zn, Cd
Em substâncias
compostas
+2
Al Em substâncias
compostas
+3
Calcogênios (O,
S, Se, Te)
Em compostos que
não possuem oxigênio
-2
Halogênios (Cl,
Br, I)
Em compostos que
não possuem oxigênio
-1
Flúor: F Em substâncias
compostas
Hidroxila: OH- Em substâncias
compostas
Hidrogênio: H Ligados a ametais +1
Ligados a metais -1
Oxigênio: O Em substâncias
compostas, em geral
-2
Em peróxidos -1
Em superóxidos -1/2
Em fluoretos +2
+1
d) Nos compostos, a soma algébrica das cargas totais
é sempre igual a zero. Exemplo:
H3PO4
+3 +5 -8 =0
H3 P O4
+1 +5 -2
e) Nos íons compostos, os formados por dois ou mais
elementos, a soma algébrica das cargas totais é igual a
cargo do íon. Exemplo:
+7 -8 = -1
Mn O4
+7 -2
Transformações Químicas e Energia
Reações de Oxirredução
Chemie
______________________________________________________
Projeto desenvolvido pelo Instituto Atitude Social (INSAS). E-mail: projetoise@yahoo.com.br
A união de atitudes determinando trabalhos sociais.
Agentes Oxidantes e Redutores___________________
Levando-se em consideração o conceito de oxidação e
redução, podemos afirmar que:
 Quando uma espécie química sofre oxidação, ela faz
com que a outra ganhe esses elétrons como ela provoca a
redução de uma substância é chamada de agente redutor.
 Quando uma espécie química sofre redução, ela faz
com que a outra perca elétrons como ela provoca a
oxidação de uma substância é chamada de agente
oxidante.
Concluindo:
 Agente oxidante é a substância que sofre redução;
 Agente redutor é a substância que sofre oxidação.
PRÁTIQUE SUAS HABILIDADES
01. (UEPA/2008) As indústrias de ferro gusa instaladas
no estado do Pará utilizam carvão vegetal extraídos da
floresta para produção de calor. A queima do carbono
contido no carvão obedece à seguinte equação de reação:
Afirma-se que na reação o:
a) carbono é oxidante. b) oxigênio é redutor.
c) carbono é oxidado. d) carbono é reduzido.
02. (UECE) Os metais possuem diferentes tendências
de sofrer corrosão, um processo natural de oxidação. A
corrosão pode ser relacionada com a facilidade de
obter os metais a partir de seus minérios. Essas
informações estão representadas no diagrama, para
alguns metais:
Aumento da facilidade de redução de íons
Zn Fe Ni Cu Ag Pt Au
Aumento da facilidade de oxidação dos metais
Com relação ao exposto acima, assinale a afirmativa
falsa:
a) A maior facilidade de um metal sofrer corrosão
corresponde a uma facilidade para obtê-lo a partir de seu
minério.
b) A prata, a platina e o ouro são considerados nobres pela
sua dificuldade de oxidar-se;
c) Os metais com maior facilidade de oxidação são
encontrados na natureza na forma de substância simples.
d) O zinco metálico é o mais reativo entre os metais listado.
03. (Mackenzie-SP) Na fabricação de certo aço
especial, além de ferro e carbono, adiciona-se cromo,
que pode ser obtido (junto com ferro) pelo processo de
aluminotermia, abaixo equacionado, do qual é correto
dizer que:
a) o Al é o agente oxidante.
b) o número de elétrons envolvidos na transformação de
um mol de ferro e um mol de cromo, do minério usado, é
exatamente a mesma.
c) o ferro oxida-se, enquanto o cromo reduz-se.
d) o cromo e o ferro reduzem-se, enquanto o alumínio
oxida-se.
e) a soma dos menores coeficientes interiores do
balanceamento segundo a reação.
04. (Ulbra-RS) Na equação iônica Zn + Cu2+ → Zn2+
+ Cu
I. O Zn é o redutor porque é oxidado.
II. O íon cúprico e o oxidante, porque ele é reduzido.
III. Não há oxidante, nem redutor, pois não se trata de
uma reação redox.
Dessas alternativas:
a) Apenas I está correta. b) Apenas II está correta.
c) Apenas III está correta. d) Apenas I e II estão corretas.
e) Nenhuma está correta.
05. (Vunesp) O ciclo do nitrogênio na natureza pode
ser representado pelo esquema.
Observação: Representação de uma proteína
Nesse ciclo, o nitrogênio sofre um processo de:
a) oxidação na etapa (V).
b) oxidação em todas as etapas.
c) redução na etapa (I).
d) redução na etapa (VI).
e) redução em todas as etapas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lista de vestibulares 02
Lista de vestibulares 02Lista de vestibulares 02
Lista de vestibulares 02
Leonardo Carneiro
 
Aula lig covalente_2013
Aula lig covalente_2013Aula lig covalente_2013
Aula lig covalente_2013
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Gabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalicaGabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalica
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Puc verão 2015
Puc verão 2015Puc verão 2015
Puc verão 2015
Carol Oliveira
 
Aula 10 (funções oxigenadas 1)
Aula 10 (funções oxigenadas 1)Aula 10 (funções oxigenadas 1)
Aula 10 (funções oxigenadas 1)
Elio Junior
 
Ciências - 9º ano
Ciências -  9º anoCiências -  9º ano
Ciências - 9º ano
Patrícia Costa Grigório
 
F.q
F.qF.q
Prova SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º anoProva SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º ano
Patrícia Costa Grigório
 
Exercicio tabela periodica
Exercicio tabela periodicaExercicio tabela periodica
Exercicio tabela periodica
Luiz Carlos Vieira
 
Revisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 anoRevisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 ano
Rodrigo Sampaio
 
Poster- Litio
Poster- LitioPoster- Litio
Poster- Litio
Luís Filipe Marinho
 
CfSd 2016 química 2
CfSd 2016   química 2CfSd 2016   química 2
CfSd 2016 química 2
profNICODEMOS
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
Murilo Henrrique
 
áGua e sais minerais (desporto a)
áGua e sais minerais (desporto a)áGua e sais minerais (desporto a)
áGua e sais minerais (desporto a)
isabelalexandrapinto
 
Matriz 2-maio
Matriz 2-maioMatriz 2-maio
Matriz 2-maio
Fisica-Quimica
 

Mais procurados (15)

Lista de vestibulares 02
Lista de vestibulares 02Lista de vestibulares 02
Lista de vestibulares 02
 
Aula lig covalente_2013
Aula lig covalente_2013Aula lig covalente_2013
Aula lig covalente_2013
 
Gabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalicaGabarito ligaçãometalica
Gabarito ligaçãometalica
 
Puc verão 2015
Puc verão 2015Puc verão 2015
Puc verão 2015
 
Aula 10 (funções oxigenadas 1)
Aula 10 (funções oxigenadas 1)Aula 10 (funções oxigenadas 1)
Aula 10 (funções oxigenadas 1)
 
Ciências - 9º ano
Ciências -  9º anoCiências -  9º ano
Ciências - 9º ano
 
F.q
F.qF.q
F.q
 
Prova SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º anoProva SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º ano
 
Exercicio tabela periodica
Exercicio tabela periodicaExercicio tabela periodica
Exercicio tabela periodica
 
Revisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 anoRevisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 ano
 
Poster- Litio
Poster- LitioPoster- Litio
Poster- Litio
 
CfSd 2016 química 2
CfSd 2016   química 2CfSd 2016   química 2
CfSd 2016 química 2
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 
áGua e sais minerais (desporto a)
áGua e sais minerais (desporto a)áGua e sais minerais (desporto a)
áGua e sais minerais (desporto a)
 
Matriz 2-maio
Matriz 2-maioMatriz 2-maio
Matriz 2-maio
 

Semelhante a Quimica (elio) i

Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
Paola Botelho
 
Química 3ª série em[1]
Química 3ª série em[1]Química 3ª série em[1]
Química 3ª série em[1]
japquimica
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Karol Maia
 
Simulado Enem química
Simulado Enem químicaSimulado Enem química
Simulado Enem química
Maiquel Vieira
 
Questões Química Enem anos anteriores .docx
Questões Química Enem anos anteriores .docxQuestões Química Enem anos anteriores .docx
Questões Química Enem anos anteriores .docx
Walter Bezerra
 
Aula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redoxAula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redox
Janaina Leitinho
 
Prova ENEM de 2005
Prova ENEM de 2005Prova ENEM de 2005
Prova ENEM de 2005
O mundo da FÍSICA
 
Estudo enem
Estudo enemEstudo enem
Estudo enem
San Carvalho
 
Estudo enem
Estudo enemEstudo enem
Estudo enem
San Carvalho
 
Introdução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdf
Introdução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdfIntrodução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdf
Introdução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdf
WallyssonDouglas2
 
Capítulo 2 formulação química e soluções
Capítulo 2   formulação química e soluçõesCapítulo 2   formulação química e soluções
Capítulo 2 formulação química e soluções
Suelen Fabiano Aguiar
 
corrosao: o que é, tipos e formas de prote ção
corrosao: o que é, tipos e formas de prote çãocorrosao: o que é, tipos e formas de prote ção
corrosao: o que é, tipos e formas de prote ção
JoseMelancia
 
Corrosão
CorrosãoCorrosão
CNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdf
CNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdfCNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdf
CNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdf
GernciadeProduodeMat
 
Aulas de Química .pptx
Aulas de Química .pptxAulas de Química .pptx
Aulas de Química .pptx
DiogoMonteiro443644
 
Gestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade IIIGestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade III
Harutchy
 
Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...
Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...
Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...
Maiquel Vieira
 
Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2
Claudia Cinara Braga
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Rodrigo Sampaio
 
73162.pptx
73162.pptx73162.pptx
73162.pptx
LuizJesus22
 

Semelhante a Quimica (elio) i (20)

Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Química 3ª série em[1]
Química 3ª série em[1]Química 3ª série em[1]
Química 3ª série em[1]
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
 
Simulado Enem química
Simulado Enem químicaSimulado Enem química
Simulado Enem química
 
Questões Química Enem anos anteriores .docx
Questões Química Enem anos anteriores .docxQuestões Química Enem anos anteriores .docx
Questões Química Enem anos anteriores .docx
 
Aula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redoxAula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redox
 
Prova ENEM de 2005
Prova ENEM de 2005Prova ENEM de 2005
Prova ENEM de 2005
 
Estudo enem
Estudo enemEstudo enem
Estudo enem
 
Estudo enem
Estudo enemEstudo enem
Estudo enem
 
Introdução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdf
Introdução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdfIntrodução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdf
Introdução a Química Organica e Conceitos do Carbono.pdf
 
Capítulo 2 formulação química e soluções
Capítulo 2   formulação química e soluçõesCapítulo 2   formulação química e soluções
Capítulo 2 formulação química e soluções
 
corrosao: o que é, tipos e formas de prote ção
corrosao: o que é, tipos e formas de prote çãocorrosao: o que é, tipos e formas de prote ção
corrosao: o que é, tipos e formas de prote ção
 
Corrosão
CorrosãoCorrosão
Corrosão
 
CNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdf
CNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdfCNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdf
CNT - 1ª série - Apostila 3º bimestre -Estudante.pdf
 
Aulas de Química .pptx
Aulas de Química .pptxAulas de Química .pptx
Aulas de Química .pptx
 
Gestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade IIIGestão ambiental Unidade III
Gestão ambiental Unidade III
 
Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...
Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...
Caderno de resposta 1º Simulado Revisão ENEM QUIMICA 2013 - Referente aulas 1...
 
Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2Exercícios de recuperação 2
Exercícios de recuperação 2
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
73162.pptx
73162.pptx73162.pptx
73162.pptx
 

Mais de Elio Junior

Aula 14 (propriedades físicas)
Aula 14 (propriedades físicas)Aula 14 (propriedades físicas)
Aula 14 (propriedades físicas)
Elio Junior
 
Aula 12 (funções nitrogenadas)
Aula 12 (funções nitrogenadas)Aula 12 (funções nitrogenadas)
Aula 12 (funções nitrogenadas)
Elio Junior
 
Aula 12 (funções oxigenadas 2)
Aula 12 (funções oxigenadas 2)Aula 12 (funções oxigenadas 2)
Aula 12 (funções oxigenadas 2)
Elio Junior
 
Aula 8 (propriedades do carbono)
Aula 8 (propriedades do carbono)Aula 8 (propriedades do carbono)
Aula 8 (propriedades do carbono)
Elio Junior
 
Aula 07 (exercicios)
Aula 07 (exercicios)Aula 07 (exercicios)
Aula 07 (exercicios)
Elio Junior
 
Aula 6 (termoquímica)
Aula 6 (termoquímica)Aula 6 (termoquímica)
Aula 6 (termoquímica)
Elio Junior
 
Aula 05 (energia nuclear)
Aula 05 (energia nuclear)Aula 05 (energia nuclear)
Aula 05 (energia nuclear)
Elio Junior
 
Aula 2 (pilhas)
Aula 2 (pilhas)Aula 2 (pilhas)
Aula 2 (pilhas)
Elio Junior
 
Aula 11 (competencia geral do enem)
Aula 11 (competencia geral do enem)Aula 11 (competencia geral do enem)
Aula 11 (competencia geral do enem)
Elio Junior
 
Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)
Elio Junior
 

Mais de Elio Junior (10)

Aula 14 (propriedades físicas)
Aula 14 (propriedades físicas)Aula 14 (propriedades físicas)
Aula 14 (propriedades físicas)
 
Aula 12 (funções nitrogenadas)
Aula 12 (funções nitrogenadas)Aula 12 (funções nitrogenadas)
Aula 12 (funções nitrogenadas)
 
Aula 12 (funções oxigenadas 2)
Aula 12 (funções oxigenadas 2)Aula 12 (funções oxigenadas 2)
Aula 12 (funções oxigenadas 2)
 
Aula 8 (propriedades do carbono)
Aula 8 (propriedades do carbono)Aula 8 (propriedades do carbono)
Aula 8 (propriedades do carbono)
 
Aula 07 (exercicios)
Aula 07 (exercicios)Aula 07 (exercicios)
Aula 07 (exercicios)
 
Aula 6 (termoquímica)
Aula 6 (termoquímica)Aula 6 (termoquímica)
Aula 6 (termoquímica)
 
Aula 05 (energia nuclear)
Aula 05 (energia nuclear)Aula 05 (energia nuclear)
Aula 05 (energia nuclear)
 
Aula 2 (pilhas)
Aula 2 (pilhas)Aula 2 (pilhas)
Aula 2 (pilhas)
 
Aula 11 (competencia geral do enem)
Aula 11 (competencia geral do enem)Aula 11 (competencia geral do enem)
Aula 11 (competencia geral do enem)
 
Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)
 

Último

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Quimica (elio) i

  • 1. Disciplina: Química ______________________________________________________ Projeto desenvolvido pelo Instituto Atitude Social (INSAS). E-mail: insas@yahoo.com.br A união de atitudes determinando trabalhos sociais. VESTIBULAR 2016 Prof. Elio Ferreira Conhecendo o Exame Nacional do Ensino Médio Do estudante que se propõe a fazer o ENEM esperasse que tenha sido preparado para resolver questões que simbolizem os desafios cotidianos que vão enfrentar à frente. Nesse contexto, aprender Química para se torna um cidadão participativo e capaz de tomar decisões para si e para sua comunidade precisa, vejamos isso através de uma questão: ⇒ (Enem/2009) A economia moderna depende da disponibilidade de muita energia em diferentes formas, para funcionar e crescer. No Brasil, o consumo total de energia pelas indústrias cresceu mais de quatro vezes no período entre 1970 e 2005. Enquanto os investimentos em energias limpas e renováveis, como solar e eólica, ainda são incipientes, ao se avaliar a possibilidade de instalação de usinas geradoras de energia elétrica, diversos fatores devem ser levados em consideração, tais como os impactos causados ao ambiente e às populações locais. RICARDO, B.; CAMPANILI, M. Almanaque Brasil Socioambiental. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2007 (adaptado). Em uma situação hipotética, optou-se por construir uma usina hidrelétrica em região que abrange diversas quedas d’água em rios cercados por mata, alegando-se que causaria impacto ambiental muito menor que uma usina termelétrica. Entre os possíveis impactos da instalação de uma usina hidrelétrica nessa região, inclui-se a) a poluição da água por metais da usina. b) a destruição do habitat de animais terrestres. c) o aumento expressivo na liberação de CO2 para a atmosfera. d) o consumo não renovável de toda água que passa pelas turbinas. e) o aprofundamento no leito do rio, com a menor deposição de resíduos no trecho de rio anterior à represa. Os três Princípios do Enem O candidato “deve ver” a inter-relação entre as disciplinas, evitando a simples descrição e/ou memorização de conceitos O candidato deve aplicar conhecimentos obtidos e relacioná-los com processos produtivos e ambientais, ou seja, fatos de sua vida diária. Compreensão, o emprego e a reflexão pessoal a partir de textos escritos com o fim de alcançar metas próprias, desenvolverem o conhecimento e o potencial pessoal e de participar na sociedade. O que são Competências e Habilidades? A prova do Enem visa avaliar no aluno as Competências e Habilidades adquiridas na vida escolar que o ajudaram a enfrentar os desafios cotidianos. As Habilidades são a capacidade técnica de se realizar tarefas a partir de determinada técnica, desenvolvidas a partir da teoria e da prática. Ex: dirigir um automóvel. As Competências são as modalidades estruturais de inteligência, ou melhor, ações e operações que utilizamos para estabelecer relações com e entre objetos, situações, fenômenos e pessoas que desejamos conhecer. uma pessoa é competente quando tem os recursos para realizar bem uma determinada tarefa. A Teoria de Resposta ao Item__________________ A TRI pressupõe que um candidato com certo nível de proficiência tende a acertar os itens de nível de dificuldade menor que o de sua proficiência e errar aqueles com nível de dificuldade maior. Na prática, as questões mais difíceis valem mais. Aquelas que todos acertam somam menos pontos. Por isso é importante acertar muitas questões difíceis, mas desde que você acerte as fáceis também. Do contrário, as difíceis perdem peso devido à inconsistência das respostas. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view =article&id=17319 Contextualização Interdisciplinaridade Competência Leitora Essa questão é típica sobre a produção/consumo de energia no Brasil. Com isso, estamos no dilema de produzir energia limpa a partir das hidroelétricas Só que esta produção de energia causa um impacto ambiental muito grande, como por exemplo: alagamento de grandes extensões de terra, expropriação de terras indígenas, realocação de habitante para outras regiões, desmatamento das áreas, perda do habitat de fauna e flora local, entre outros.
  • 2. Chemie ______________________________________________________ Projeto desenvolvido pelo Instituto Atitude Social (INSAS). E-mail: projetoise@yahoo.com.br A união de atitudes determinando trabalhos sociais. H8 – Identificar etapas em processos de obtenção, transformação, utilização ou reciclagem de recursos naturais, energéticos ou matérias-primas, considerando processos biológicos, químicos ou físicos neles envolvidos. O que é reação de oxirredução? É todo tipo de reação química em que há uma troca de elétrons. São exemplos de fenômenos em que ocorre a oxirredução:  Combustão Revelação de fotografias  Corrosão  Pilhas e baterias.  Fotossíntese  Ustulação  Tigimentos  Metabolismo dos alimentos Etc... O conceito de Oxidação e Redução  Oxidação é o fenômeno da perda de elétrons pela espécie:  Redução é o fenômeno do ganho de elétrons pela espécie:  A oxidação e a redução ocorrem ao mesmo tempo, não existindo de forma independente, pois os elétrons perdidos por uma espécie devem ser recebidos por outra. Número de Oxidação (NOX)  É a carga elétrica real que ele adquire quando faz uma ligação iônica ou caráter parcial que ele adquire quando faz uma ligação predominantemente covalente. Como determinar o NOX? a) Nas substâncias simples, o NOX do elemento é zero. Exemplos: a) H2 = 0 b) S8 = 0 c) O2 = 0 b) Nos íons simples, o NOX do elemento é igual à carga do íon. Exemplos? a) Fe2+ = +2 b) Fe+3 = +3 c) S2- = -2 c) Alguns elementos já possuem NOX fixo, que são descritos na tabela a lado: ELEMENTO SITUAÇÃO NOX Metais Alcalinos (Li, Na, K, Rb, Cs, Fr), Ag Em substâncias compostas +1 Metais Alcalino- terrosos (Be, Mg, Ca, Sr e Ba), Zn, Cd Em substâncias compostas +2 Al Em substâncias compostas +3 Calcogênios (O, S, Se, Te) Em compostos que não possuem oxigênio -2 Halogênios (Cl, Br, I) Em compostos que não possuem oxigênio -1 Flúor: F Em substâncias compostas Hidroxila: OH- Em substâncias compostas Hidrogênio: H Ligados a ametais +1 Ligados a metais -1 Oxigênio: O Em substâncias compostas, em geral -2 Em peróxidos -1 Em superóxidos -1/2 Em fluoretos +2 +1 d) Nos compostos, a soma algébrica das cargas totais é sempre igual a zero. Exemplo: H3PO4 +3 +5 -8 =0 H3 P O4 +1 +5 -2 e) Nos íons compostos, os formados por dois ou mais elementos, a soma algébrica das cargas totais é igual a cargo do íon. Exemplo: +7 -8 = -1 Mn O4 +7 -2 Transformações Químicas e Energia Reações de Oxirredução
  • 3. Chemie ______________________________________________________ Projeto desenvolvido pelo Instituto Atitude Social (INSAS). E-mail: projetoise@yahoo.com.br A união de atitudes determinando trabalhos sociais. Agentes Oxidantes e Redutores___________________ Levando-se em consideração o conceito de oxidação e redução, podemos afirmar que:  Quando uma espécie química sofre oxidação, ela faz com que a outra ganhe esses elétrons como ela provoca a redução de uma substância é chamada de agente redutor.  Quando uma espécie química sofre redução, ela faz com que a outra perca elétrons como ela provoca a oxidação de uma substância é chamada de agente oxidante. Concluindo:  Agente oxidante é a substância que sofre redução;  Agente redutor é a substância que sofre oxidação. PRÁTIQUE SUAS HABILIDADES 01. (UEPA/2008) As indústrias de ferro gusa instaladas no estado do Pará utilizam carvão vegetal extraídos da floresta para produção de calor. A queima do carbono contido no carvão obedece à seguinte equação de reação: Afirma-se que na reação o: a) carbono é oxidante. b) oxigênio é redutor. c) carbono é oxidado. d) carbono é reduzido. 02. (UECE) Os metais possuem diferentes tendências de sofrer corrosão, um processo natural de oxidação. A corrosão pode ser relacionada com a facilidade de obter os metais a partir de seus minérios. Essas informações estão representadas no diagrama, para alguns metais: Aumento da facilidade de redução de íons Zn Fe Ni Cu Ag Pt Au Aumento da facilidade de oxidação dos metais Com relação ao exposto acima, assinale a afirmativa falsa: a) A maior facilidade de um metal sofrer corrosão corresponde a uma facilidade para obtê-lo a partir de seu minério. b) A prata, a platina e o ouro são considerados nobres pela sua dificuldade de oxidar-se; c) Os metais com maior facilidade de oxidação são encontrados na natureza na forma de substância simples. d) O zinco metálico é o mais reativo entre os metais listado. 03. (Mackenzie-SP) Na fabricação de certo aço especial, além de ferro e carbono, adiciona-se cromo, que pode ser obtido (junto com ferro) pelo processo de aluminotermia, abaixo equacionado, do qual é correto dizer que: a) o Al é o agente oxidante. b) o número de elétrons envolvidos na transformação de um mol de ferro e um mol de cromo, do minério usado, é exatamente a mesma. c) o ferro oxida-se, enquanto o cromo reduz-se. d) o cromo e o ferro reduzem-se, enquanto o alumínio oxida-se. e) a soma dos menores coeficientes interiores do balanceamento segundo a reação. 04. (Ulbra-RS) Na equação iônica Zn + Cu2+ → Zn2+ + Cu I. O Zn é o redutor porque é oxidado. II. O íon cúprico e o oxidante, porque ele é reduzido. III. Não há oxidante, nem redutor, pois não se trata de uma reação redox. Dessas alternativas: a) Apenas I está correta. b) Apenas II está correta. c) Apenas III está correta. d) Apenas I e II estão corretas. e) Nenhuma está correta. 05. (Vunesp) O ciclo do nitrogênio na natureza pode ser representado pelo esquema. Observação: Representação de uma proteína Nesse ciclo, o nitrogênio sofre um processo de: a) oxidação na etapa (V). b) oxidação em todas as etapas. c) redução na etapa (I). d) redução na etapa (VI). e) redução em todas as etapas.