SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Questões fechadas sobre

Clepsidra, de Camilo Pessanha
Manoel Neves
TEXTO

revisional de literatura brasileira
Eu	
  vi	
  a	
  luz	
  em	
  um	
  país	
  perdido.	
  
A	
  minha	
  alma	
  é	
  lânguida	
  e	
  inerme.	
  
Oh!	
  Quem	
  pudesse	
  deslizar	
  sem	
  ruído!	
  
No	
  chão	
  sumir-­‐se,	
  como	
  faz	
  um	
  verme	
  
PESSANHA,	
  Camilo.	
  Clepsidra.	
  Lisboa:	
  Ulisseia,	
  1987.	
  	
  
QUESTÃO 01

revisional de literatura
Não	
   é	
   uma	
   leitura	
   perNnente	
   do	
   poema	
   “Inscrição”,	
   que	
   abre	
   o	
   livro	
   Clepsidra,	
   de	
   Camilo	
  
Pessanha	
  
a)	
  Oscila	
  entre	
  o	
  hermeNsmo	
  e	
  a	
  vaguidão	
  ao	
  arNcular	
  um	
  discurso	
  de	
  caráter	
  metaVsico.	
  
b)	
  Há	
  niNdamente	
  um	
  desejo	
  de	
  elevação,	
  de	
  transcendência,	
  por	
  isso	
  é	
  que	
  se	
  fala,	
  de	
  início,	
  
em	
  verme.	
  
c)	
   O	
   sujeito	
   poéNco	
   fala	
   de	
   um	
   estado	
   de	
   espírito	
   bastante	
   pessoal	
   e	
   arNcula	
   seu	
   discurso	
   na	
  
busca	
  de	
  exteriorizar	
  sua	
  vião	
  de	
  mundo.	
  
d)	
  Um	
  tom	
  melancólico	
  e	
  dolorido	
  perpassa	
  o	
  texto,	
  que	
  se	
  arNcula	
  como	
  testemunho	
  da	
  dor	
  de	
  
viver	
  e	
  da	
  incerteza	
  acerca	
  do	
  que	
  ainda	
  há	
  de	
  vir.	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

Não	
   há,	
   no	
   poema	
   em	
   análise,	
   desejo	
   de	
   transcendência.	
   Isso	
   pode	
   ser	
   notado	
   nos	
   desejos	
  
expressos	
  pelo	
  sujeito	
  poéNco	
  principalmente	
  no	
  úlNmo	
  verso.	
  Marque-­‐se,	
  pois,	
  a	
  letra	
  “b”.	
  
TEXTO

revisional de literatura
Tenho	
  sonhos	
  cruéis:	
  n’alma	
  doente	
  
Sinto	
  um	
  vago	
  receio	
  prematuro.	
  
Vou	
  a	
  medo	
  na	
  aresta	
  do	
  futuro,	
  
Embebido	
  em	
  saudades	
  do	
  presente…	
  
Saudades	
  desta	
  dor	
  que	
  em	
  vão	
  procuro	
  
Do	
  peito	
  afungentar	
  bem	
  rudemente	
  
Devendo	
  ao	
  desmaiar	
  sobre	
  o	
  poente,	
  
Cobrir-­‐me	
  coração	
  dum	
  véu	
  escuro!...	
  
Porque	
  a	
  dor,	
  esta	
  falta	
  de	
  harmonia,	
  
Toda	
  a	
  luz	
  desgrenhada	
  que	
  alumia	
  
As	
  almas	
  doidamente,	
  o	
  céu	
  de	
  agora,	
  
Sem	
  ela	
  o	
  coração	
  é	
  quase	
  nada:	
  
Um	
  sol	
  onde	
  expirasse	
  a	
  madrugada,	
  
Porque	
  é	
  só	
  madrugada	
  quando	
  chora.	
  
PESSANHA,	
  Camilo.	
  Caminho	
  I.	
  In.:	
  Clepsidra.	
  Lisboa:	
  Ulisseia,	
  1987.	
  	
  
QUESTÃO 02

revisional de literatura
Só	
  não	
  é	
  traço	
  do	
  discurso	
  simbolista	
  presente	
  no	
  poema	
  
a)	
  consciência	
  agônica	
  da	
  existência;	
  
b)	
  percepção	
  subjeNva	
  do	
  mundo;	
  
c)	
  discurso	
  lírico	
  de	
  caráter	
  metaVsico;	
  
d)	
  fixação	
  por	
  paisagens	
  da	
  memória.	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

O	
  discurso	
  memorialista	
  não	
  é	
  exclusivo	
  da	
  poéNca	
  simbolista.	
  Ele	
  aparece	
  em	
  textos	
  de	
  épocas	
  
bastante	
  variadas.	
  Aliás,	
  a	
  preservação	
  da	
  memória	
  é	
  uma	
  das	
  funções	
  atribuídas	
  à	
  literatura.	
  
Marque-­‐se,	
  pois,	
  a	
  letra	
  “d”.	
  
QUESTÃO 02

revisional de literatura
Marque	
  a	
  alternaNva	
  em	
  que	
  apareça	
  uma	
  imagem	
  de	
  caráter	
  paradoxal.	
  
a)	
  Sem	
  ela	
  o	
  coração	
  é	
  quase	
  nada:/	
  Um	
  sol	
  onde	
  expirasse	
  a	
  madrugada,	
  
b)	
  Saudades	
  desta	
  dor	
  que	
  em	
  vão	
  procuro/	
  Do	
  peito	
  afungentar	
  bem	
  rudemente	
  
c)	
  Porque	
  a	
  dor,	
  esta	
  falta	
  de	
  harmonia,/	
  Toda	
  a	
  luz	
  desgrenhada	
  que	
  alumia	
  
d)	
  Vou	
  a	
  medo	
  na	
  aresta	
  do	
  futuro,/	
  Embebido	
  em	
  saudades	
  do	
  presente…	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

Há,	
   nos	
   versos	
   transcritos	
   na	
   alternaNva	
   “d”,	
   imagem	
   de	
   caráter	
   paradoxal,	
   pois	
   o	
   sujeito	
  
poéNco	
  se	
  desloca	
  em	
  direção	
  ao	
  futuro	
  tendo	
  dentro	
  de	
  si	
  o	
  presente.	
  
TEXTO

revisional de literatura
Eis	
  quanto	
  resta	
  do	
  idílio	
  acabado,	
  
–	
  primavera	
  que	
  durou	
  um	
  momento	
  
Como	
  vão	
  longe	
  as	
  manhãs	
  do	
  convento!	
  
–	
  Do	
  alegre	
  convenNnho	
  abandonado…	
  
Tudo	
  acabou…	
  Anémonas,	
  hidrângeas,	
  
Silindras	
  –	
  flores	
  tão	
  nossas	
  amigas!	
  
No	
  claustro	
  agora	
  viçam	
  as	
  orNgas,	
  
Rojam-­‐se	
  cobras	
  pela	
  velas	
  lájeas.	
  
Sobre	
  a	
  inscrição	
  do	
  teu	
  nome	
  delido!	
  
–	
  Que	
  os	
  meus	
  olhos	
  mal	
  podem	
  soletrar,	
  
Cansados…	
  E	
  o	
  aroma	
  fenecido	
  
Que	
  se	
  evola	
  do	
  teu	
  nome	
  vulgar!	
  
Enobreceu-­‐o	
  a	
  quietação	
  do	
  olvido,	
  
Ó	
  doce,	
  ingénua	
  inscrição	
  tumular.	
  
PESSANHA,	
  Camilo.	
  No	
  claustro	
  de	
  celas.	
  In.:	
  Clepsidra.	
  Lisboa:	
  Ulisseia,	
  1987.	
  	
  
QUESTÃO 03

revisional de literatura
São	
  recursos	
  técnicos	
  presentes	
  no	
  poema	
  em	
  análise,	
  EXCETO:	
  
a)	
  rimas	
  consoantes.	
  
b)	
  caráter	
  clássico.	
  
c)	
  metáforas.	
  
d)	
  metalinguagem.	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

Não	
  há	
  metalinguagem	
  no	
  fragmento	
  em	
  análise.	
  Marque-­‐se	
  a	
  letra	
  “d”.	
  
QUESTÃO 04

revisional de literatura
O	
  tema	
  do	
  poema	
  “No	
  claustro	
  de	
  celas”	
  é:	
  
a)	
  a	
  apresentação	
  de	
  um	
  cenário	
  campestre	
  e	
  a	
  desolação	
  por	
  que	
  passa	
  o	
  sujeito	
  poéNco.	
  
b)	
  a	
  passagem	
  do	
  tempo	
  e	
  o	
  caráter	
  não	
  permanente	
  da	
  memória	
  daquilo	
  que	
  o	
  homem	
  foi.	
  
c)	
  a	
  mudança	
  de	
  estações	
  e	
  a	
  preferência	
  do	
  locutor	
  pela	
  paisagem	
  floral	
  da	
  primavera.	
  
d)	
  uma	
  paisagem	
  de	
  um	
  convento	
  no	
  qual	
  reconhece	
  a	
  grandeza	
  da	
  obra	
  humana.	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

O	
  poema	
  trata	
  da	
  passagem	
  do	
  tempo	
  e	
  da	
  destruição	
  da	
  memória	
  de	
  tudo	
  o	
  que	
  o	
  homem	
  foi.	
  
Marque-­‐se,	
  pois,	
  a	
  letra	
  “b”.	
  
TEXTO

revisional de literatura
Desce	
  por	
  fim	
  sobre	
  o	
  meu	
  coração	
  	
  
O	
  olvido.	
  Irrevocável.	
  Absoluto.	
  	
  
Envolve-­‐o	
  grave	
  como	
  véu	
  de	
  luto.	
  	
  
Podes,	
  corpo,	
  ir	
  dormir	
  no	
  teu	
  caixão.	
  	
  
A	
  fronte	
  já	
  sem	
  rugas,	
  distendidas	
  
As	
  feições,	
  na	
  imortal	
  serenidade,	
  	
  
Dorme	
  enfim	
  sem	
  desejo	
  e	
  sem	
  saudade	
  Das	
  
coisas	
  não	
  logradas	
  ou	
  perdidas.	
  	
  
O	
  barro	
  que	
  em	
  quimera	
  modelaste	
  	
  
Quebrou-­‐se-­‐te	
  nas	
  mãos.	
  Viça	
  uma	
  flor...	
  	
  
Pões-­‐lhe	
  o	
  dedo;	
  ei-­‐la	
  mucha	
  sobre	
  a	
  haste.	
  
Ias	
  andar,	
  sempre	
  fugia	
  o	
  chão,	
  	
  
Até	
  que	
  desvairavas,	
  do	
  terror.	
  	
  
Corria-­‐te	
  um	
  suor,	
  de	
  inquietação...	
  	
  
PESSANHA, Camilo. Olvido [esquecimento]. In.: Clepsidra. Lisboa: Ulisseia, 1987.
QUESTÃO 05

revisional de literatura
Clepsidra	
   (1920)	
   reúne	
   poemas	
   de	
   Camilo	
   Pessanha	
   (1867-­‐1926),	
   poeta	
   simbolista	
   por	
  
excelência.	
  Acerca	
  do	
  soneto,	
  extraído	
  do	
  referido	
  volume	
  de	
  1920,	
  é	
  CORRETO	
  afirmar:	
  	
  
a)	
   O	
   olvido,	
   segundo	
   o	
   texto,	
   liberta	
   o	
   homem	
   do	
   desejo	
   e	
   da	
   saudade	
   das	
   “coisas	
   não	
   logradas	
  
ou	
  perdidas.”	
  
b)	
   Na	
   terceira	
   estrofe,	
   o	
   barro	
   modelado	
   e	
   a	
   flor	
   traduzem	
   uma	
   idéia	
   de	
   estabilidade	
   a	
   que	
  
aspira	
  o	
  eu	
  lírico.	
  	
  
c)	
   O	
   uso	
   do	
   soneto	
   por	
   Camilo	
   Pessanha	
   contradiz	
   os	
   princípios	
   da	
   estéNca	
   simbolista,	
   que	
  
defendeu	
  uma	
  ruptura	
  radical	
  com	
  as	
  formas	
  poéNcas	
  fixas.	
  
d)	
   O	
   verso	
   “Podes,	
   corpo,	
   ir	
   dormir	
   no	
   teu	
   caixão”	
   consNtui	
   uma	
   retomada	
   de	
   elementos	
  
românNcos.,	
  comum	
  em	
  Camilo	
  Pessanha.	
  
e)	
  O	
  olvido,	
  na	
  primeira	
  estrofe,	
  é	
  comparado	
  ao	
  coração	
  humano,	
  marcado	
  pelo	
  desejo	
  e	
  pela	
  
perda.	
  	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

A	
  alternaNva	
  correta	
  é	
  a	
  letra	
  “a”.	
  
TEXTO

revisional de literatura
Chorai,	
  arcadas	
  	
  
Do	
  violoncelo!	
  	
  
Convulsionadas	
  	
  
Pontes	
  aladas	
  	
  
De	
  pesadelo	
  ...	
  	
  
Trêmulos	
  astros	
  
Soidões	
  lacustres...	
  	
  
—	
  Lemes	
  e	
  mastros...	
  	
  
E	
  os	
  alabastros	
  
Dos	
  balaústres!	
  	
  
PESSANHA, Camilo. Clepsidra. Lisboa: Ulisseia, 1987.
QUESTÃO 06

revisional de literatura
Assinale	
  a	
  alternaNva	
  correta	
  sobre	
  o	
  texto.	
  
a)	
  Destaca	
  a	
  expressão	
  egocêntrica	
  do	
  sofrimento	
  amoroso,	
  de	
  níNda	
  influência	
  românNca.	
  	
  
b)	
   Recupera	
   da	
   lírica	
   trovadoresca	
   a	
   redondilha	
   maior,	
   a	
   estrutura	
   paralelísNca	
   e	
   os	
   versos	
  
brancos.	
  
c)	
   A	
   influência	
   do	
   Futurismo	
   italiano	
   é	
   comprovada	
   pela	
   presença	
   de	
   frases	
   nominais	
   curtas	
   e	
  
temáNca	
  onírica.	
  
d)	
  A	
  linguagem	
  grandiloqüente,	
  as	
  metáforas	
  cósmicas	
  e	
  o	
  pessimismo	
  exacerbado	
  comprovam	
  
o	
  esNlo	
  condoreiro.	
  
e)	
  A	
  valorização	
  de	
  recursos	
  esNlísNcos	
  relacionados	
  ao	
  ritmo	
  e	
  à	
  sonoridade	
  é	
  índice	
  do	
  esNlo	
  
simbolista.	
  	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

Posto	
  que	
  a	
  exploração	
  da	
  sonoridade	
  e	
  o	
  principal	
  traço	
  simbolista	
  presente	
  no	
  poema,	
  deve-­‐
se	
  assinalar	
  a	
  alternaNva	
  “e”.	
  
TEXTO

revisional de literatura
Tenho	
  sonhos	
  cruéis;	
  n’alma	
  doente	
  	
  
Sinto	
  um	
  vago	
  receio	
  prematuro.	
  
Vou	
  a	
  medo	
  na	
  aresta	
  do	
  futuro,	
  	
  
Embebido	
  em	
  saudades	
  do	
  presente...	
  	
  
PESSANHA, Camilo. Caminho. Fragmento. In.: Clepsidra. Lisboa: Ulisseia, 1987.
QUESTÃO 07

revisional de literatura
Sobre	
   a	
   aNtude	
   do	
   eu-­‐lírico	
   diante	
   do	
   mundo,	
   deste	
   excerto	
   de	
   poema	
   do	
   Simbolismo	
  
Português,	
  é	
  correto	
  afirmar	
  que	
  ela	
  expressa:	
  	
  
a)	
  o	
  saudosismo	
  das	
  glórias	
  portuguesas	
  do	
  passado;	
  uma	
  forma	
  de	
  sebasNanismo.	
  	
  
b)	
  o	
  culto	
  à	
  modernidade,	
  representada	
  pelos	
  grandes	
  inventos	
  do	
  final	
  do	
  século	
  XIX.	
  	
  
c)	
  a	
  angúsNa	
  existencial	
  que	
  marca	
  a	
  sua	
  relação	
  com	
  o	
  agora	
  e	
  o	
  depois.	
  	
  
d)	
  a	
  fusão	
  entre	
  o	
  real	
  e	
  o	
  ideal	
  materializada	
  pela	
  palavra	
  poéNca.	
  	
  
e)	
   a	
   níNda	
   harmonia	
   entre	
   o	
   inconsciente	
   (“os	
   sonhos	
   cruéis”)	
   e	
   o	
   consciente	
   (a	
   realidade	
  
vivida).	
  	
  
SOLUÇÃO COMENTADA
revisional de literatura

O	
  distrator	
  que	
  revela	
  a	
  melhor	
  análise	
  dos	
  fragmentos	
  transcritos	
  é	
  a	
  letra	
  “c”.	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
 
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)Modernismo Brasileiro (1ª fase)
Modernismo Brasileiro (1ª fase)
 
Escolas Literárias - Quinhentismo
Escolas Literárias - QuinhentismoEscolas Literárias - Quinhentismo
Escolas Literárias - Quinhentismo
 
Texto literário e não literário
Texto literário e não literárioTexto literário e não literário
Texto literário e não literário
 
Augusto dos Anjos
Augusto dos AnjosAugusto dos Anjos
Augusto dos Anjos
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Lima Barreto
Lima BarretoLima Barreto
Lima Barreto
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Mário Quintana
Mário QuintanaMário Quintana
Mário Quintana
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Modernismo brasil 1ª fase
Modernismo brasil 1ª faseModernismo brasil 1ª fase
Modernismo brasil 1ª fase
 
Trovadorismo I
Trovadorismo ITrovadorismo I
Trovadorismo I
 
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
 
SEMINÁRIO DE LITERATURA - MODERNISMO
SEMINÁRIO DE LITERATURA - MODERNISMOSEMINÁRIO DE LITERATURA - MODERNISMO
SEMINÁRIO DE LITERATURA - MODERNISMO
 
Gêneros textuais
Gêneros textuais Gêneros textuais
Gêneros textuais
 
Segunda fase do Modernismo no Brasil
Segunda fase do Modernismo no BrasilSegunda fase do Modernismo no Brasil
Segunda fase do Modernismo no Brasil
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
 

Semelhante a Clepsidra de Camilo Pessanha

Semelhante a Clepsidra de Camilo Pessanha (20)

Simulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 okSimulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 ok
 
Simbolismo[1]
Simbolismo[1]Simbolismo[1]
Simbolismo[1]
 
PARNASIANISMO-AUTORES1.ppt
PARNASIANISMO-AUTORES1.pptPARNASIANISMO-AUTORES1.ppt
PARNASIANISMO-AUTORES1.ppt
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
 
Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01
 
Romantismo poesia - 2ª geração
Romantismo   poesia -  2ª geraçãoRomantismo   poesia -  2ª geração
Romantismo poesia - 2ª geração
 
Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01Revisando o romantismo 01
Revisando o romantismo 01
 
Espumas flutuantes
Espumas flutuantesEspumas flutuantes
Espumas flutuantes
 
Revisando o romantismo 02
Revisando o romantismo 02Revisando o romantismo 02
Revisando o romantismo 02
 
Enem literatura
Enem  literaturaEnem  literatura
Enem literatura
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Lira dos vinte anos andré,douglas, luis augusto
Lira dos vinte anos  andré,douglas, luis augustoLira dos vinte anos  andré,douglas, luis augusto
Lira dos vinte anos andré,douglas, luis augusto
 
Vinicius de-moraes-antologia-poetica
Vinicius de-moraes-antologia-poeticaVinicius de-moraes-antologia-poetica
Vinicius de-moraes-antologia-poetica
 
Revisional de estilos de época 13, segunda geração do modernismo brasileiro
Revisional de estilos de época 13, segunda geração do modernismo brasileiroRevisional de estilos de época 13, segunda geração do modernismo brasileiro
Revisional de estilos de época 13, segunda geração do modernismo brasileiro
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Poesia romântica brasileira
Poesia romântica brasileiraPoesia romântica brasileira
Poesia romântica brasileira
 
SIMBOLISMO.pptx
SIMBOLISMO.pptxSIMBOLISMO.pptx
SIMBOLISMO.pptx
 
Questões fechadas sobre espumas flutuantes
Questões fechadas sobre espumas flutuantesQuestões fechadas sobre espumas flutuantes
Questões fechadas sobre espumas flutuantes
 
Navio Negreiro Castro Alves
Navio Negreiro   Castro AlvesNavio Negreiro   Castro Alves
Navio Negreiro Castro Alves
 

Mais de ma.no.el.ne.ves

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artesma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologiasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internetma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literaturama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Físicama.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textualma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artesma.no.el.ne.ves
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010ma.no.el.ne.ves
 

Mais de ma.no.el.ne.ves (20)

Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: LiteraturaSegunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
Segunda aplicação do ENEM-2019: Literatura
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologiasSegunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
Segunda aplicação do ENEM-2019: Internet e tecnologias
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileirasSegunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
Segunda aplicação do ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação FísicaSegunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
Segunda aplicação do ENEM-2019: Educação Física
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textualSegunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
Segunda aplicação do ENEM-2019: Compreensão textual
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do ENEM-2019: Aspectos gramaticais
 
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: ArtesSegunda aplicação do ENEM-2019: Artes
Segunda aplicação do ENEM-2019: Artes
 
ENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: LiteraturaENEM-2019: Literatura
ENEM-2019: Literatura
 
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e TecnologiasENEM-2019: Internet e Tecnologias
ENEM-2019: Internet e Tecnologias
 
ENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileirasENEM-2019: Identidades brasileiras
ENEM-2019: Identidades brasileiras
 
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos GramaticaisENEM-2019: Aspectos Gramaticais
ENEM-2019: Aspectos Gramaticais
 
ENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação FísicaENEM-2019: Educação Física
ENEM-2019: Educação Física
 
ENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão TextualENEM-2019: Compreensão Textual
ENEM-2019: Compreensão Textual
 
ENEM-2019: Artes
ENEM-2019: ArtesENEM-2019: Artes
ENEM-2019: Artes
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e InternetTerceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
Terceira aplicação do ENEM-2017: Tecnologias e Internet
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: LiteraturaTerceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
Terceira aplicação do ENEM-2017: Literatura
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação FísicaTerceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
Terceira aplicação do ENEM-2017: Educação Física
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão TextualTerceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
Terceira aplicação do ENEM-2017: Compreensão Textual
 
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: ArtesTerceira aplicação do ENEM-2017: Artes
Terceira aplicação do ENEM-2017: Artes
 
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
Análise da Prova de Redação da UERJ-2010
 

Clepsidra de Camilo Pessanha

  • 1. Questões fechadas sobre Clepsidra, de Camilo Pessanha Manoel Neves
  • 2. TEXTO revisional de literatura brasileira Eu  vi  a  luz  em  um  país  perdido.   A  minha  alma  é  lânguida  e  inerme.   Oh!  Quem  pudesse  deslizar  sem  ruído!   No  chão  sumir-­‐se,  como  faz  um  verme   PESSANHA,  Camilo.  Clepsidra.  Lisboa:  Ulisseia,  1987.    
  • 3. QUESTÃO 01 revisional de literatura Não   é   uma   leitura   perNnente   do   poema   “Inscrição”,   que   abre   o   livro   Clepsidra,   de   Camilo   Pessanha   a)  Oscila  entre  o  hermeNsmo  e  a  vaguidão  ao  arNcular  um  discurso  de  caráter  metaVsico.   b)  Há  niNdamente  um  desejo  de  elevação,  de  transcendência,  por  isso  é  que  se  fala,  de  início,   em  verme.   c)   O   sujeito   poéNco   fala   de   um   estado   de   espírito   bastante   pessoal   e   arNcula   seu   discurso   na   busca  de  exteriorizar  sua  vião  de  mundo.   d)  Um  tom  melancólico  e  dolorido  perpassa  o  texto,  que  se  arNcula  como  testemunho  da  dor  de   viver  e  da  incerteza  acerca  do  que  ainda  há  de  vir.  
  • 4. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura Não   há,   no   poema   em   análise,   desejo   de   transcendência.   Isso   pode   ser   notado   nos   desejos   expressos  pelo  sujeito  poéNco  principalmente  no  úlNmo  verso.  Marque-­‐se,  pois,  a  letra  “b”.  
  • 5. TEXTO revisional de literatura Tenho  sonhos  cruéis:  n’alma  doente   Sinto  um  vago  receio  prematuro.   Vou  a  medo  na  aresta  do  futuro,   Embebido  em  saudades  do  presente…   Saudades  desta  dor  que  em  vão  procuro   Do  peito  afungentar  bem  rudemente   Devendo  ao  desmaiar  sobre  o  poente,   Cobrir-­‐me  coração  dum  véu  escuro!...   Porque  a  dor,  esta  falta  de  harmonia,   Toda  a  luz  desgrenhada  que  alumia   As  almas  doidamente,  o  céu  de  agora,   Sem  ela  o  coração  é  quase  nada:   Um  sol  onde  expirasse  a  madrugada,   Porque  é  só  madrugada  quando  chora.   PESSANHA,  Camilo.  Caminho  I.  In.:  Clepsidra.  Lisboa:  Ulisseia,  1987.    
  • 6. QUESTÃO 02 revisional de literatura Só  não  é  traço  do  discurso  simbolista  presente  no  poema   a)  consciência  agônica  da  existência;   b)  percepção  subjeNva  do  mundo;   c)  discurso  lírico  de  caráter  metaVsico;   d)  fixação  por  paisagens  da  memória.  
  • 7. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura O  discurso  memorialista  não  é  exclusivo  da  poéNca  simbolista.  Ele  aparece  em  textos  de  épocas   bastante  variadas.  Aliás,  a  preservação  da  memória  é  uma  das  funções  atribuídas  à  literatura.   Marque-­‐se,  pois,  a  letra  “d”.  
  • 8. QUESTÃO 02 revisional de literatura Marque  a  alternaNva  em  que  apareça  uma  imagem  de  caráter  paradoxal.   a)  Sem  ela  o  coração  é  quase  nada:/  Um  sol  onde  expirasse  a  madrugada,   b)  Saudades  desta  dor  que  em  vão  procuro/  Do  peito  afungentar  bem  rudemente   c)  Porque  a  dor,  esta  falta  de  harmonia,/  Toda  a  luz  desgrenhada  que  alumia   d)  Vou  a  medo  na  aresta  do  futuro,/  Embebido  em  saudades  do  presente…  
  • 9. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura Há,   nos   versos   transcritos   na   alternaNva   “d”,   imagem   de   caráter   paradoxal,   pois   o   sujeito   poéNco  se  desloca  em  direção  ao  futuro  tendo  dentro  de  si  o  presente.  
  • 10. TEXTO revisional de literatura Eis  quanto  resta  do  idílio  acabado,   –  primavera  que  durou  um  momento   Como  vão  longe  as  manhãs  do  convento!   –  Do  alegre  convenNnho  abandonado…   Tudo  acabou…  Anémonas,  hidrângeas,   Silindras  –  flores  tão  nossas  amigas!   No  claustro  agora  viçam  as  orNgas,   Rojam-­‐se  cobras  pela  velas  lájeas.   Sobre  a  inscrição  do  teu  nome  delido!   –  Que  os  meus  olhos  mal  podem  soletrar,   Cansados…  E  o  aroma  fenecido   Que  se  evola  do  teu  nome  vulgar!   Enobreceu-­‐o  a  quietação  do  olvido,   Ó  doce,  ingénua  inscrição  tumular.   PESSANHA,  Camilo.  No  claustro  de  celas.  In.:  Clepsidra.  Lisboa:  Ulisseia,  1987.    
  • 11. QUESTÃO 03 revisional de literatura São  recursos  técnicos  presentes  no  poema  em  análise,  EXCETO:   a)  rimas  consoantes.   b)  caráter  clássico.   c)  metáforas.   d)  metalinguagem.  
  • 12. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura Não  há  metalinguagem  no  fragmento  em  análise.  Marque-­‐se  a  letra  “d”.  
  • 13. QUESTÃO 04 revisional de literatura O  tema  do  poema  “No  claustro  de  celas”  é:   a)  a  apresentação  de  um  cenário  campestre  e  a  desolação  por  que  passa  o  sujeito  poéNco.   b)  a  passagem  do  tempo  e  o  caráter  não  permanente  da  memória  daquilo  que  o  homem  foi.   c)  a  mudança  de  estações  e  a  preferência  do  locutor  pela  paisagem  floral  da  primavera.   d)  uma  paisagem  de  um  convento  no  qual  reconhece  a  grandeza  da  obra  humana.  
  • 14. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura O  poema  trata  da  passagem  do  tempo  e  da  destruição  da  memória  de  tudo  o  que  o  homem  foi.   Marque-­‐se,  pois,  a  letra  “b”.  
  • 15. TEXTO revisional de literatura Desce  por  fim  sobre  o  meu  coração     O  olvido.  Irrevocável.  Absoluto.     Envolve-­‐o  grave  como  véu  de  luto.     Podes,  corpo,  ir  dormir  no  teu  caixão.     A  fronte  já  sem  rugas,  distendidas   As  feições,  na  imortal  serenidade,     Dorme  enfim  sem  desejo  e  sem  saudade  Das   coisas  não  logradas  ou  perdidas.     O  barro  que  em  quimera  modelaste     Quebrou-­‐se-­‐te  nas  mãos.  Viça  uma  flor...     Pões-­‐lhe  o  dedo;  ei-­‐la  mucha  sobre  a  haste.   Ias  andar,  sempre  fugia  o  chão,     Até  que  desvairavas,  do  terror.     Corria-­‐te  um  suor,  de  inquietação...     PESSANHA, Camilo. Olvido [esquecimento]. In.: Clepsidra. Lisboa: Ulisseia, 1987.
  • 16. QUESTÃO 05 revisional de literatura Clepsidra   (1920)   reúne   poemas   de   Camilo   Pessanha   (1867-­‐1926),   poeta   simbolista   por   excelência.  Acerca  do  soneto,  extraído  do  referido  volume  de  1920,  é  CORRETO  afirmar:     a)   O   olvido,   segundo   o   texto,   liberta   o   homem   do   desejo   e   da   saudade   das   “coisas   não   logradas   ou  perdidas.”   b)   Na   terceira   estrofe,   o   barro   modelado   e   a   flor   traduzem   uma   idéia   de   estabilidade   a   que   aspira  o  eu  lírico.     c)   O   uso   do   soneto   por   Camilo   Pessanha   contradiz   os   princípios   da   estéNca   simbolista,   que   defendeu  uma  ruptura  radical  com  as  formas  poéNcas  fixas.   d)   O   verso   “Podes,   corpo,   ir   dormir   no   teu   caixão”   consNtui   uma   retomada   de   elementos   românNcos.,  comum  em  Camilo  Pessanha.   e)  O  olvido,  na  primeira  estrofe,  é  comparado  ao  coração  humano,  marcado  pelo  desejo  e  pela   perda.    
  • 17. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura A  alternaNva  correta  é  a  letra  “a”.  
  • 18. TEXTO revisional de literatura Chorai,  arcadas     Do  violoncelo!     Convulsionadas     Pontes  aladas     De  pesadelo  ...     Trêmulos  astros   Soidões  lacustres...     —  Lemes  e  mastros...     E  os  alabastros   Dos  balaústres!     PESSANHA, Camilo. Clepsidra. Lisboa: Ulisseia, 1987.
  • 19. QUESTÃO 06 revisional de literatura Assinale  a  alternaNva  correta  sobre  o  texto.   a)  Destaca  a  expressão  egocêntrica  do  sofrimento  amoroso,  de  níNda  influência  românNca.     b)   Recupera   da   lírica   trovadoresca   a   redondilha   maior,   a   estrutura   paralelísNca   e   os   versos   brancos.   c)   A   influência   do   Futurismo   italiano   é   comprovada   pela   presença   de   frases   nominais   curtas   e   temáNca  onírica.   d)  A  linguagem  grandiloqüente,  as  metáforas  cósmicas  e  o  pessimismo  exacerbado  comprovam   o  esNlo  condoreiro.   e)  A  valorização  de  recursos  esNlísNcos  relacionados  ao  ritmo  e  à  sonoridade  é  índice  do  esNlo   simbolista.    
  • 20. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura Posto  que  a  exploração  da  sonoridade  e  o  principal  traço  simbolista  presente  no  poema,  deve-­‐ se  assinalar  a  alternaNva  “e”.  
  • 21. TEXTO revisional de literatura Tenho  sonhos  cruéis;  n’alma  doente     Sinto  um  vago  receio  prematuro.   Vou  a  medo  na  aresta  do  futuro,     Embebido  em  saudades  do  presente...     PESSANHA, Camilo. Caminho. Fragmento. In.: Clepsidra. Lisboa: Ulisseia, 1987.
  • 22. QUESTÃO 07 revisional de literatura Sobre   a   aNtude   do   eu-­‐lírico   diante   do   mundo,   deste   excerto   de   poema   do   Simbolismo   Português,  é  correto  afirmar  que  ela  expressa:     a)  o  saudosismo  das  glórias  portuguesas  do  passado;  uma  forma  de  sebasNanismo.     b)  o  culto  à  modernidade,  representada  pelos  grandes  inventos  do  final  do  século  XIX.     c)  a  angúsNa  existencial  que  marca  a  sua  relação  com  o  agora  e  o  depois.     d)  a  fusão  entre  o  real  e  o  ideal  materializada  pela  palavra  poéNca.     e)   a   níNda   harmonia   entre   o   inconsciente   (“os   sonhos   cruéis”)   e   o   consciente   (a   realidade   vivida).    
  • 23. SOLUÇÃO COMENTADA revisional de literatura O  distrator  que  revela  a  melhor  análise  dos  fragmentos  transcritos  é  a  letra  “c”.