SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Virgem em majestade
Painel Central do Retábulo de Colonna, Rafael, cerca de
1504, Florença.
Mona Lisa,
Leonardo da Vinci,
1502, Florença.
Estudo anatômico de Leonardo da Vinci, 1510.
RENASCIMENTO OU
CLASSICISMO
(séc. XVI)
-clareza, racionalismo
-equilíbrio, contenção lírica

-valorização da cultura clássica
-antropocentrismo
-universalismo (ex.: não o amor, mas
o Amor)
Portugal (1527-1580):

-influência de Petrarca, Dante, Sannazzaro,
Boiardo, Ariosto

-mescla da poesia medieval¹ com a clássica²,
o "dolce still nuovo"² (medida velha¹-nova²)
1. Medieval
-redondilhas
-motes e glosas
2. Clássica:
a) versos decassílabos
b) novos tipos de composição:
-soneto
-oitava: estrofe de Os Lusíadas

-epístola: poema em forma de carta
-égloga: poesia de tema pastoril
-elegia: poema sobre sentimentos dolorosos
-ode: poema de tom grave e solene
-epitalâmio: poesia nupcial
-epigrama: poema satírico
-canção: em que o mote está depois da glosa

c) narrativa histórica e heroica: epopeia, poesia
épica
d) teatro (regido pela "lei das 3 unidades":
tempo,lugar,ação):
-tragédia grega
-comédia latina
Memorizar:
O que está em destaque:
versos redondilhos,
sonetos e oitavas em
versos decassílabos;
poesia épica
#.Poetas menores
a)Bernardim Ribeiro

b)Cristóvão Falcão
c)Sá de Miranda (introdutor)

d)Antônio Ferreira
Luís Vaz de CAMÕES
LUÍS VAZ DE CAMÕES (biografia incerta)
a) RIMAS (1595, poesia lírica, organizadas por
Fernão Rodrigues Lobo Soropita a partir de
fragmentos esparsos do perdido O Parnaso
Lusitano)
-3 fases:
1ª) redondilhas; mulher mais próxima
2ª) sonetos clássicos; concepção platônica;
recriação artística (mímesis) de Petrarca;
equilíbrio
Transforma-se o amador na coisa amada,
Por virtude do muito imaginar;
Não tenho logo mais que desejar,
Pois em mim tenho a parte desejada.
Se nela está minha alma transformada,
Que mais deseja o corpo de alcançar?
Em si somente pode descansar,
Pois consigo tal alma está liada.
Mas esta linda e pura semideia,
Que, como o acidente em seu sujeito,
Assim como a alma minha se conforma,
Está no pensamento como ideia;
O vivo e puro amor de que sou feito,
Como a matéria simples busca a forma.
3ª) sonetos de antecipação barroca;
pessimismo, conflito manifesto com antíteses
(expressa oposição), paradoxos (expressa
contradição) e oxímoros (contradições sintéticas) –
Maneirismo
-temas: Amor, religiosidade, mulher, reflexões
filosóficas, transitoriedade, amargura...
Ó vós que Amor obriga a ser sujeitos
A diversas vontades! Quando lerdes
Num breve livro casos tão diversos
Verdades puras são, e não defeitos.
E sabei que, segundo o amor tiverdes,
Tereis o entendimento de meus versos!
Tanto de meu estado me acho incerto,
Que em vivo ardor tremendo estou de frio;
Sem causa, juntamente choro e rio,
O mundo todo abarco e nada aperto.
É tudo quanto sinto, um desconcerto;
Da alma um fogo me sai, da vista um rio;
Agora espero, agora desconfio,
Agora desvario, agora acerto.
Estando em terra, chego ao Céu voando,
Numa hora acho mil anos, e é de jeito
Que em mil anos não posso achar uma hora.
Se me pergunta alguém porque assi ando,
Respondo que não sei; porém suspeito
Que só porque vos vi, minha Senhora.
Busque Amor novas artes, novo engenho,
Para matar-me, e novas esquivanças;
Que não pode tirar-me as esperanças,
Que mal me tirará o que eu não tenho.
Olhai de que esperanças me mantenho!
Vede que perigosas seguranças!
Que não temo contrastes nem mudanças,
Andando em bravo mar, perdido o lenho.
Mas, conquanto não pode haver desgosto
Onde esperança falta, lá me esconde
Amor um mal, que mata e não se vê.
Que dias há que n'alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde,
Vem não sei como, e dói não sei por quê.
Macau
D. Sebastião
Vasco da Gama sobre Calicute
Monumento aos descobrimentos, Lisboa
Escola de Sagres
Julgamento de Inês de Castro
Fonte dos amores de Inês - Coimbra
Rio Mondego, Coimbra
Relicário no Mosteiro de Alcobaça
Túmulo de Camões
Mosteiro dos Jerônimos, Lisboa
Túmulo de
Fernando Pessoa,
no mesmo
Mosteiro dos
Jerônimos, Lisboa
O Velho do Restelo
Cabo das Tormentas
b) OS LUSÍADAS (1572, poesia épica)

-5 Partes (Modelo de A Eneida)
-caráter de modernidade da viagem de Vasco da Gama:
o ser humano vencendo seus limites
-heróis: povo português (principal) e Vasco da Gama
-fontes históricas: crônicas humanísticas
-divisão em 10 cantos³
-mitologia: VÊNUS (+ Marte) X Baco (+ Netuno)

-estrofação em oitava-rima (1.102 estâncias);
versos decassílabos (8.816)
“No mar tanta tormenta e tanto dano,
Tantas vezes a morte apercebida:
Na terra, tanta guerra e tanto engano,
Tanta necessidade aborrecida!
Onde pode acolher-se o fraco humano,
Onde terá segura a curta vida,
Que não se arme e se indigne o céu sereno
Contra um bicho da terra tão pequeno?”

A
B
A
B
A
B
C
C

3. canto (na epopeia) = capítulo (no romance)
(Modelo de
A Eneida)

-Proposição (cheia de ufanismo, nacionalismo)
-Invocação às Tágides (musas do rio Tejo)
-Dedicatória a D. Sebastião
-Narração: a história de Portugal e a viagem às
Índias (feita por Vasco da Gama ao rei de
Melinde)

-Epílogo (cheio de desencanto, pessimismo)
"Concílio dos deuses"
"Inês de Castro“

"Velho do Restelo"
"Gigante Adamastor"
"Ilha dos Amores”
Renascimento
Renascimento

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Parnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e SimbolismoParnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e Simbolismo
CrisBiagio
 
Slide: Prosa gótica, Literatura.
Slide: Prosa gótica, Literatura.Slide: Prosa gótica, Literatura.
Slide: Prosa gótica, Literatura.
agendab
 
Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)
Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)
Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)
Chrys Novaes
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
rafabebum
 
Classicismo nota de aula biografia
Classicismo nota de aula biografiaClassicismo nota de aula biografia
Classicismo nota de aula biografia
Péricles Penuel
 
Revisando o parnasianismo, 01
Revisando o parnasianismo, 01Revisando o parnasianismo, 01
Revisando o parnasianismo, 01
ma.no.el.ne.ves
 

Mais procurados (20)

Parnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e SimbolismoParnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e Simbolismo
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Camões lírico
Camões líricoCamões lírico
Camões lírico
 
Luis de camões 1
Luis de camões 1Luis de camões 1
Luis de camões 1
 
Barroco 2.0
Barroco 2.0Barroco 2.0
Barroco 2.0
 
Parnasianismo 2.0
Parnasianismo 2.0Parnasianismo 2.0
Parnasianismo 2.0
 
Slide: Prosa gótica, Literatura.
Slide: Prosa gótica, Literatura.Slide: Prosa gótica, Literatura.
Slide: Prosa gótica, Literatura.
 
Camões lírico: vida obra
Camões lírico: vida obraCamões lírico: vida obra
Camões lírico: vida obra
 
Camoes Lirica
Camoes LiricaCamoes Lirica
Camoes Lirica
 
Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)
Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)
Barroco ou seiscentismo brasileiro (1601 1768)
 
Fernando Pessoa Heterónimos
Fernando Pessoa   HeterónimosFernando Pessoa   Heterónimos
Fernando Pessoa Heterónimos
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Simbolismo autores
Simbolismo   autoresSimbolismo   autores
Simbolismo autores
 
Prosagtica
ProsagticaProsagtica
Prosagtica
 
Classicismo nota de aula biografia
Classicismo nota de aula biografiaClassicismo nota de aula biografia
Classicismo nota de aula biografia
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Revisando o parnasianismo, 01
Revisando o parnasianismo, 01Revisando o parnasianismo, 01
Revisando o parnasianismo, 01
 
Camões sonetos
Camões sonetosCamões sonetos
Camões sonetos
 

Destaque

Health related national programs and legislations list
Health related national programs and legislations listHealth related national programs and legislations list
Health related national programs and legislations list
Rizwan S A
 

Destaque (13)

Mattdoc.1
Mattdoc.1Mattdoc.1
Mattdoc.1
 
Решетнікова О.П. Узагальнення. Тематичне оцінювання. стародавній єгипет
Решетнікова О.П. Узагальнення. Тематичне оцінювання. стародавній єгипетРешетнікова О.П. Узагальнення. Тематичне оцінювання. стародавній єгипет
Решетнікова О.П. Узагальнення. Тематичне оцінювання. стародавній єгипет
 
Evaluation
EvaluationEvaluation
Evaluation
 
BE
BEBE
BE
 
12 giugno 2015 | "Un'impresa possibile" a San Benedetto Po
12 giugno 2015 | "Un'impresa possibile" a San Benedetto Po12 giugno 2015 | "Un'impresa possibile" a San Benedetto Po
12 giugno 2015 | "Un'impresa possibile" a San Benedetto Po
 
IRISH AND SPANISH
IRISH AND SPANISHIRISH AND SPANISH
IRISH AND SPANISH
 
GRADE 12
GRADE 12GRADE 12
GRADE 12
 
Lipolaserbarcelona
LipolaserbarcelonaLipolaserbarcelona
Lipolaserbarcelona
 
Health related national programs and legislations list
Health related national programs and legislations listHealth related national programs and legislations list
Health related national programs and legislations list
 
Presentacion ITSZO
Presentacion ITSZOPresentacion ITSZO
Presentacion ITSZO
 
What Egyptians Say in These Situations
What Egyptians Say in These SituationsWhat Egyptians Say in These Situations
What Egyptians Say in These Situations
 
The presentationforyou
The presentationforyouThe presentationforyou
The presentationforyou
 
Presentazione Luca Vastarella
Presentazione Luca VastarellaPresentazione Luca Vastarella
Presentazione Luca Vastarella
 

Semelhante a Renascimento

Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
rosangelajoao
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
Zofia Santos
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
Zofia Santos
 
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanhaQuestões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanha
ma.no.el.ne.ves
 
O classicismo em portugal
O classicismo em portugalO classicismo em portugal
O classicismo em portugal
ma.no.el.ne.ves
 

Semelhante a Renascimento (20)

Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesHerança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
 
literatura-classicismo: AULA SOBRE LITERATURA
literatura-classicismo: AULA SOBRE LITERATURAliteratura-classicismo: AULA SOBRE LITERATURA
literatura-classicismo: AULA SOBRE LITERATURA
 
1º ANO - ENSINO MÉDIO classicismo-ppt.ppt
1º ANO - ENSINO MÉDIO classicismo-ppt.ppt1º ANO - ENSINO MÉDIO classicismo-ppt.ppt
1º ANO - ENSINO MÉDIO classicismo-ppt.ppt
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
 
Movimentos literários
Movimentos literáriosMovimentos literários
Movimentos literários
 
Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
 
Revisão – literatura
Revisão – literatura Revisão – literatura
Revisão – literatura
 
Revisão – literatura II
Revisão – literatura IIRevisão – literatura II
Revisão – literatura II
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
 
Literatura Medieval
Literatura MedievalLiteratura Medieval
Literatura Medieval
 
Gregório de Mattos. O grande poeta brasileiro
Gregório de Mattos. O grande poeta brasileiroGregório de Mattos. O grande poeta brasileiro
Gregório de Mattos. O grande poeta brasileiro
 
Classicismo
Classicismo Classicismo
Classicismo
 
Simulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 okSimulado lit-prise 3 ok
Simulado lit-prise 3 ok
 
Classicismo 2. revisado
Classicismo 2. revisadoClassicismo 2. revisado
Classicismo 2. revisado
 
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanhaQuestões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanha
 
Liricacamoniana
LiricacamonianaLiricacamoniana
Liricacamoniana
 
Romantismo no brasil
Romantismo no brasilRomantismo no brasil
Romantismo no brasil
 
O classicismo em portugal
O classicismo em portugalO classicismo em portugal
O classicismo em portugal
 
Aula classicismo
Aula classicismoAula classicismo
Aula classicismo
 

Mais de rafabebum

Mais de rafabebum (20)

LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 2.ppsx
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 1.ppsx
 
Dois Irmãos.ppsx
Dois Irmãos.ppsxDois Irmãos.ppsx
Dois Irmãos.ppsx
 
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsxNós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
Nós Matamos o Cão Tinhoso.ppsx
 
Machado de Assis blog.ppsx
Machado de Assis blog.ppsxMachado de Assis blog.ppsx
Machado de Assis blog.ppsx
 
Romanceiro da Inconfidência.ppsx
Romanceiro da Inconfidência.ppsxRomanceiro da Inconfidência.ppsx
Romanceiro da Inconfidência.ppsx
 
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdf
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdfRomanceiro da Inconfidência - análise.pdf
Romanceiro da Inconfidência - análise.pdf
 
Quincas Borba.ppsx
Quincas Borba.ppsxQuincas Borba.ppsx
Quincas Borba.ppsx
 
Quincas Borba - estudo.pdf
Quincas Borba - estudo.pdfQuincas Borba - estudo.pdf
Quincas Borba - estudo.pdf
 
Poemas Escolhidos - análise.pdf
Poemas Escolhidos - análise.pdfPoemas Escolhidos - análise.pdf
Poemas Escolhidos - análise.pdf
 
Nove Noites.ppsx
Nove Noites.ppsxNove Noites.ppsx
Nove Noites.ppsx
 
Angústia - material de aula.pdf
Angústia - material de aula.pdfAngústia - material de aula.pdf
Angústia - material de aula.pdf
 
Angústia.ppsx
Angústia.ppsxAngústia.ppsx
Angústia.ppsx
 
Vinicius de Moraes.pptx
Vinicius de Moraes.pptxVinicius de Moraes.pptx
Vinicius de Moraes.pptx
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
"Caminhos Cruzados", de Érico Veríssimo
 
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
"Minha Vida de Menina", de Helena Morley
 
Minha vida de menina
Minha vida de meninaMinha vida de menina
Minha vida de menina
 
Terra sonâmbula
Terra sonâmbulaTerra sonâmbula
Terra sonâmbula
 

Último

Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptnocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
 

Renascimento

  • 1.
  • 2.
  • 3. Virgem em majestade Painel Central do Retábulo de Colonna, Rafael, cerca de 1504, Florença.
  • 4. Mona Lisa, Leonardo da Vinci, 1502, Florença.
  • 5. Estudo anatômico de Leonardo da Vinci, 1510.
  • 7. -clareza, racionalismo -equilíbrio, contenção lírica -valorização da cultura clássica -antropocentrismo -universalismo (ex.: não o amor, mas o Amor)
  • 8.
  • 9. Portugal (1527-1580): -influência de Petrarca, Dante, Sannazzaro, Boiardo, Ariosto -mescla da poesia medieval¹ com a clássica², o "dolce still nuovo"² (medida velha¹-nova²)
  • 10. 1. Medieval -redondilhas -motes e glosas 2. Clássica: a) versos decassílabos b) novos tipos de composição: -soneto -oitava: estrofe de Os Lusíadas -epístola: poema em forma de carta -égloga: poesia de tema pastoril -elegia: poema sobre sentimentos dolorosos
  • 11. -ode: poema de tom grave e solene -epitalâmio: poesia nupcial -epigrama: poema satírico -canção: em que o mote está depois da glosa c) narrativa histórica e heroica: epopeia, poesia épica d) teatro (regido pela "lei das 3 unidades": tempo,lugar,ação): -tragédia grega -comédia latina
  • 12. Memorizar: O que está em destaque: versos redondilhos, sonetos e oitavas em versos decassílabos; poesia épica
  • 13. #.Poetas menores a)Bernardim Ribeiro b)Cristóvão Falcão c)Sá de Miranda (introdutor) d)Antônio Ferreira
  • 14. Luís Vaz de CAMÕES
  • 15. LUÍS VAZ DE CAMÕES (biografia incerta) a) RIMAS (1595, poesia lírica, organizadas por Fernão Rodrigues Lobo Soropita a partir de fragmentos esparsos do perdido O Parnaso Lusitano) -3 fases: 1ª) redondilhas; mulher mais próxima 2ª) sonetos clássicos; concepção platônica; recriação artística (mímesis) de Petrarca; equilíbrio
  • 16. Transforma-se o amador na coisa amada, Por virtude do muito imaginar; Não tenho logo mais que desejar, Pois em mim tenho a parte desejada. Se nela está minha alma transformada, Que mais deseja o corpo de alcançar? Em si somente pode descansar, Pois consigo tal alma está liada. Mas esta linda e pura semideia, Que, como o acidente em seu sujeito, Assim como a alma minha se conforma, Está no pensamento como ideia; O vivo e puro amor de que sou feito, Como a matéria simples busca a forma.
  • 17. 3ª) sonetos de antecipação barroca; pessimismo, conflito manifesto com antíteses (expressa oposição), paradoxos (expressa contradição) e oxímoros (contradições sintéticas) – Maneirismo -temas: Amor, religiosidade, mulher, reflexões filosóficas, transitoriedade, amargura... Ó vós que Amor obriga a ser sujeitos A diversas vontades! Quando lerdes Num breve livro casos tão diversos Verdades puras são, e não defeitos. E sabei que, segundo o amor tiverdes, Tereis o entendimento de meus versos!
  • 18. Tanto de meu estado me acho incerto, Que em vivo ardor tremendo estou de frio; Sem causa, juntamente choro e rio, O mundo todo abarco e nada aperto. É tudo quanto sinto, um desconcerto; Da alma um fogo me sai, da vista um rio; Agora espero, agora desconfio, Agora desvario, agora acerto. Estando em terra, chego ao Céu voando, Numa hora acho mil anos, e é de jeito Que em mil anos não posso achar uma hora. Se me pergunta alguém porque assi ando, Respondo que não sei; porém suspeito Que só porque vos vi, minha Senhora.
  • 19. Busque Amor novas artes, novo engenho, Para matar-me, e novas esquivanças; Que não pode tirar-me as esperanças, Que mal me tirará o que eu não tenho. Olhai de que esperanças me mantenho! Vede que perigosas seguranças! Que não temo contrastes nem mudanças, Andando em bravo mar, perdido o lenho. Mas, conquanto não pode haver desgosto Onde esperança falta, lá me esconde Amor um mal, que mata e não se vê. Que dias há que n'alma me tem posto Um não sei quê, que nasce não sei onde, Vem não sei como, e dói não sei por quê.
  • 20. Macau
  • 22. Vasco da Gama sobre Calicute
  • 25. Julgamento de Inês de Castro
  • 26. Fonte dos amores de Inês - Coimbra
  • 28. Relicário no Mosteiro de Alcobaça
  • 31. Túmulo de Fernando Pessoa, no mesmo Mosteiro dos Jerônimos, Lisboa
  • 32. O Velho do Restelo
  • 34.
  • 35. b) OS LUSÍADAS (1572, poesia épica) -5 Partes (Modelo de A Eneida) -caráter de modernidade da viagem de Vasco da Gama: o ser humano vencendo seus limites -heróis: povo português (principal) e Vasco da Gama -fontes históricas: crônicas humanísticas
  • 36. -divisão em 10 cantos³ -mitologia: VÊNUS (+ Marte) X Baco (+ Netuno) -estrofação em oitava-rima (1.102 estâncias); versos decassílabos (8.816) “No mar tanta tormenta e tanto dano, Tantas vezes a morte apercebida: Na terra, tanta guerra e tanto engano, Tanta necessidade aborrecida! Onde pode acolher-se o fraco humano, Onde terá segura a curta vida, Que não se arme e se indigne o céu sereno Contra um bicho da terra tão pequeno?” A B A B A B C C 3. canto (na epopeia) = capítulo (no romance)
  • 37. (Modelo de A Eneida) -Proposição (cheia de ufanismo, nacionalismo) -Invocação às Tágides (musas do rio Tejo) -Dedicatória a D. Sebastião -Narração: a história de Portugal e a viagem às Índias (feita por Vasco da Gama ao rei de Melinde) -Epílogo (cheio de desencanto, pessimismo)
  • 38. "Concílio dos deuses" "Inês de Castro“ "Velho do Restelo" "Gigante Adamastor" "Ilha dos Amores”