SlideShare uma empresa Scribd logo

Simulado lit-prise 3 ok

O documento apresenta 14 questões sobre literatura para um simulado, abordando poemas de Cruz e Sousa e Camilo Pessanha, além de questões sobre o Simbolismo. As questões analisam características dos poemas apresentados e alternativas sobre os movimentos literários em questão.

1 de 4
Baixar para ler offline
QUESTÕES PARA O SIMULADO DE LITERATURA 
( CEADEP) – PROFª. SHISLAINE CARVALHO 
14 QUESTÕES DE MULTIPLA ESCOLHA- 3º ANO DO ENSINO 
MÉDIO-PRISE 3 E ENEM 
1) Leia o poema abaixo : 
LITANIA DOS POBRES 
Os miseráveis, os rotos. 
são as flores dos esgotos. 
São espectros implacáveis 
os rotos, os miseráveis. 
São prantos negros de furnas 
caladas, mudas, soturnas. 
São os grandes visionários 
dos abismos tumultuários. 
As sombras das sombras mortas, 
cegos, a tatear nas portas. 
Procurando o céu, aflitos 
e varando o céu de gritos. 
Faróis à noite apagados 
por ventos desesperados. 
Inúteis, cansados braços 
pedindo amor aos Espaços. 
Mãos inquietas, estendidas 
ao vão deserto das vidas. 
Figuras que o Santo Ofício 
condena a feroz suplício. 
Arcas soltas ao nevoento 
dilúvio do Esquecimento. 
Perdidas na correnteza 
das culpas da Natureza. (...) 
(CRUZ E SOUSA, Os melhores poemas de Cruz e Sousa, p.89) 
Analise as afirmações sobre o poema “Litania dos pobres”, de 
Cruz e Sousa e, em seguida, assinale as verdadeiras (V) e as 
falsas (F). 
( ) O poema é composto por dísticos rimados que lhe conferem 
musicalidade – característica comum do Simbolismo. 
( ) A temática central gira em torno da denúncia social, muito 
comum entre os simbolistas que se preocupavam 
demasiadamente com as questões sociais. 
( ) Ele possui alto poder sugestivo, trazendo, através de adjetivos, 
qualificadores para definir os miseráveis. 
( ) Apresenta várias características típicas do Simbolismo como a 
subjetividade, o universalismo e a racionalidade. 
A sequência correta é: 
a) F, V, V, F. 
b) V, F, V, F. 
c) F, F, F, V. 
d) V, F, F, V. 
e) V, V, V, F. 
2) Leia o seguinte poema de Cruz e Sousa. 
VIDA OBSCURA 
Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro, 
Ó ser humilde entre os humildes seres. 
Embriagado, tonto dos prazeres, 
O mundo para ti foi negro e duro. 
Atravessaste num silêncio escuro 
A vida presa a trágicos deveres 
E chegaste ao saber de altos saberes 
Tornando-te mais simples e mais puro. 
Ninguém Te viu o sentimento inquieto, 
Magoado, oculto e aterrador, secreto, 
Que o coração te apunhalou no mundo. 
Mas eu que sempre te segui os passos 
Sei que cruz infernal prendeu-te os braços 
E o teu suspiro como foi profundo! 
SOUSA, João da Cruz e. Vida obscura. In: MOISÉS, Massaud. A 
literatura brasileira através dos textos. 21 ed. São Paulo: Cultrix, 
2000. p. 314. 
No final do século XIX, a arte simbolista surgiu, como uma 
proposta voltada para a hegemonia do sujeito e contrária à 
supremacia do materialismo. Sabendo disso, assinale a alternativa 
que apresenta elementos simbolistas presentes no texto. 
(A) Linguagem precisa / descrição objetiva / utilização de 
assonâncias e aliterações. 
(B) Cruzamento de sensações (sinestesia) / conflito entre matéria 
e espírito / racionalismo. 
(C) Subjetivismo / emprego de iniciais maiúsculas para atribuir 
um valor absoluto a determinados termos / materialismo. 
(D) Angústia / linguagem figurada (“silêncio escuro”; “cruz”) / 
integração cósmica: tema da redenção pelo sofrimento. 
(E) Transcendência espiritual / Linguagem vaga, que busca 
sugerir em vez de nomear / impessoalidade. 
3) Leia o poema a seguir: 
CREPUSCULAR 
Há no ambiente um murmúrio de queixume, 
De desejos de amor, dais comprimidos... 
Uma ternura esparsa de balidos, 
Sente-se esmorecer como um perfume. 
As madressilvas murcham nos silvados 
E o aroma que exalam pelo espaço, 
Tem delíquios de gozo e de cansaço, 
Nervosos, femininos, delicados. 
Sentem-se espasmos, agonias dave, 
Inapreensíveis, mínimas, serenas... 
Tenho entre as mãos as tuas mãos pequenas, 
O meu olhar no teu olhar suave. 
As tuas mãos tão brancas danemia... 
Os teus olhos tão meigos de tristeza... 
É este enlanguescer da natureza,
Este vago sofrer do fim do dia. 
Camilo Pessanha é considerado o expoente máximo da 
poesia simbolista portuguesa. Os seus versos reúnem o que há de 
mais marcante nesse estilo de época por traduzirem sugestões, 
imagens visuais, sonoras e estados de alma, além de notória 
ausência de elementos que se detenham em descrição ou em 
referência objetiva. É correto afirmar que os versos do soneto 
“Crepuscular” transcritos nas opções, a seguir, traduzem as 
considerações postas nesses comentários, com exceção de: 
(A) “Uma ternura esparsa de balidos,”. 
(B) “As madressilvas murcham nos silvados” 
(C) “É este enlanguescer da natureza,”. 
(D) “Há no ambiente um murmúrio de queixume,”. 
“Este vago sofrer do fim do dia.” ·. 
4) 
Água Morrente 
Meus olhos apagados, 
Vede a água cair. 
Das beiras dos telhados, 
Cair, sempre cair. 
Das beiras dos telhados, 
Cair, quase morrer... 
Meus olhos apagados, 
E cansados de ver. 
Meus olhos, afogai-vos 
Na vã tristeza ambiente. 
Caí e derramai-vos 
Como a água morrente. 
No conhecido poema de Camilo Pessanha, o sujeito 
reserva a si uma atitude passiva diante do mundo, fazendo sentir 
sobre si os efeitos da paisagem natural; desse modo, há um 
desequilíbrio existencial sugerido através de uma metáfora. A esse 
propósito marque a opção CORRETA. 
A) A imagem do Homem que emerge do caos sugere a resistência 
ao tempo, o desejo de sobreviver a ele. 
B) A submersão sugere que, existencialmente, o Homem vê-se 
desgastado e empurrado para o Fim. 
C) O navegar por entre águas insinua a busca humana por novos 
desafios que lhe dê sentido à vida. 
D) O desejo de emergir em meio a águas agitadas sugere a 
vontade humana de acompanhar as mudanças socioeconômicas 
do início do século XX. 
E) Todo o ambiente criado no poema impressiona pelo misticismo 
vaporoso que sugere o mistério para além da materialidade. 
5) Assinale a alternativa INCORRETA a respeito do Simbolismo: 
a) Utiliza o valor sugestivo da música e da cor. 
b) Dá ênfase à imaginação e à fantasia. 
c) Procura a representação da realidade do subconsciente. 
d) É uma atitude objetiva, em oposição ao subjetivismo dos 
parnasianos. 
e) No Brasil, produziu, entre outras, a poesia de Cruz e Sousa e, 
em Portugal, a de Antônio Nobre. 
6) 
Chorai, arcadas 
Do violoncelo! 
Convulsionadas 
Pontes aladas 
De pesadelo ... 
Trêmulos astros... 
Soidões lacustres... 
- Lemes e mastros... 
E os alabastros 
Dos balaústres! 
Camilo Pessanha 
Assinale a alternativa CORRETA sobre o texto 
a) Destaca a expressão egocêntrica do sofrimento amoroso, de 
nítida influência romântica. 
b) Recupera da lírica trovadoresca a redondilha maior, a estrutura 
paralelística e os versos brancos. 
c) A influência do Futurismo italiano é comprovada pela presença 
de frases nominais curtas e temática onírica. 
d) A linguagem grandiloqüente, as metáforas cósmicas e o 
pessimismo exacerbado comprovam o estilo condoreiro. 
e) A valorização de recursos estilísticos relacionados ao ritmo e à 
sonoridade é índice do estilo simbolista. 
7) Considere as alternativas abaixo, relativas ao Simbolismo: 
I - No plano temático, o Simbolismo foi marcado pelo mistério e 
pela inquietação mística com problemas transcendentais do 
homem. No plano formal, caracterizou-se pela musicalidade e 
certa quebra no ritmo do verso, precursora do verso livre do 
modernismo. 
II - O Simbolismo, surgido contemporaneamente ao materialismo 
cientificista, enquanto atitude de espírito, passou ao largo dos 
maiores problemas da vida nacional. Já a literatura realista-naturalista 
acompanhou fielmente os modos de pensar das 
gerações que fizeram e viveram a Primeira República. 
III - O Simbolismo, com Cruz e Sousa e Alphonsus de 
Guimaraens, nossos maiores poetas do período, legou-nos uma 
produção poética que se caracterizou pela busca da "arte em 
arte", isto é, uma preocupação com o verso artesanal, friamente 
moldado. Devido a essa tendência à objetividade na composição, 
o movimento também se denominou "decadentista". 
Assinale a alternativa CORRETA: 
a) I é falsa; II e III verdadeiras. 
X b) I, II e III são verdadeiras. 
X c) I é verdadeira; II e III, falsas. 
X d) I e II são verdadeiras: III é falsa. 
e) I e III são falsas; II, verdadeira. 
8) 
[...] os novos poetas buscavam algo mais: transcender os seus 
mestres para reconquistar o sentimento de totalidade que parecia 
perdido [...] A arte pela arte [...] é assumida por eles, mas 
retificada pela aspiração de integrar a poesia na vida cósmica e 
conferir-lhe um estatuto de privilégio que tradicionalmente caberia 
à religião ou à filosofia. 
BOSI , Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São 
Paulo: Cultrix, 1977, p. 293. 
Alfredo Bosi, nesse fragmento, faz menção aos poetas
(A) românticos. 
(B) parnasianos. 
(C) simbolistas. 
(D) barrocos. 
(E) árcades 
9) "A língua sem arcaísmo. Sem erudição. Natural e neológica. A 
contribuição milionária de todos os erros. Como falamos. Como 
somos". 
Neste trecho do Manifesto Pau-Brasil, de Oswald de Andrade, 
depreende-se um dos programas propostos pelos modernistas: 
a) A invenção de uma nova língua, estruturalmente diferente da 
falada e escrita pelos portugueses. 
b) a incorporação da fala brasileira à língua literária nacional. 
c) o repúdio à literatura dos escritores do passado, porque eles 
demonstravam uma intensa valorização ao índio. 
d) A produções literárias sem erudição não podem ser exemplo de 
poesia. 
e) N.D.A 
Texto para a questão 10 
Poética 
Estou farto do lirismo comedido 
Do lirismo bem comportado 
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente 
protocolo e 
[manifestações de apreço ao Sr. diretor. 
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o 
[cunho vernáculo de um vocábulo 
Abaixo os puristas 
............................................................................................ 
Quero antes o lirismo dos loucos 
O lirismo dos bêbedos 
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos 
O lirismo dos clowns de Shakespeare 
— Não quero mais saber do lirismo que não é libertação. 
(BANDEIRA, Manuel. Poesia Completa e Prosa. Rio de 
Janeiro. Aguilar, 1974) 
Com base na leitura do poema, podemos afirmar corretamente 
que o poeta: 
a) critica o lirismo louco do movimento modernista. 
b) critica todo e qualquer lirismo na literatura. 
c) propõe o retorno ao lirismo do movimento clássico. 
d) propõe o retorno ao lirismo do movimento romântico. 
e) propõe a criação de um novo lirismo. 
11) 
Texto 
Quem é pobre, pouco se apega, é um giro-o-giro no 
vago dos gerais, que nem os pássaros de rios e lagoas. O senhor 
vê: o Zé-Zim, o melhor meeiro meu aqui, risonho e habilidoso. 
Pergunto: - Zé-Zim por que é que você não cria galinhas d'angola, 
como todo o mundo faz? - Quero criar nada não... - me deu 
resposta: - Eu gosto muito de mudar... [...] Belo um dia, ele tora. 
Ninguém discrepa. Eu, tantas, mesmo digo. Eu dou proteção [...]. 
Essa não faltou também à minha mãe, quando eu era menino, no 
sertãozinho de minha terra [...]. Gente melhor do lugar eram todos 
dessa família Guedes, Jidião Guedes; quando saíram de lá, nos 
trouxeram junto, minha mãe e eu. Ficamos existindo em território 
baixio da Sirga, da outra banda, ali onde o de-Janeiro vai no São 
Francisco, o senhor sabe... (ROSA, J.G. Grande Sertão Veredas. 
Rio de Janeiro, José Olympio, fragmento) 
Na passagem citada, Riobaldo expõe uma situação 
decorrente de uma desigualdade social típica das áreas rurais 
brasileiras marcadas pela concentração de terras e pela relação 
de dependência entre agregados e fazendeiros. No texto ,destaca-se 
essa relação porque o personagem-narrador: 
a) Relata a seu interlocutor a história de Zé-Zim, demonstrando 
sua pouca disposição em ajudar seus agregados, uma vez que 
superou essa condição graças à sua força de trabalho. 
b) Descreve o processo de transformação de um meeiro – espécie 
de agregado – em proprietário de terra. 
c) Denuncia a falta de compromisso e desocupação dos 
moradores, que pouco se envolvem no trabalho da terra. 
d) Mostra como a condição material da vida do sertanejo é 
dificultada pela sua dupla condição de homem livre e, ao mesmo 
tempo, dependente. 
e) Mantém o distanciamento narrativo condizente com a sua 
posição social, de proprietário de terras. 
12) Observe o texto abaixo e assinale a alternativa correta. 
Maria, ponha isso lá fora em qualquer parte. 
Junto com as outras? 
Não ponha junto com as outras, não. Senão pode vir alguém e 
querer fazer qualquer coisa com elas. Ponha no lugar do outro 
dia.; 
Sim, senhora. Olha, o homem está aí. 
Aquele de quando choveu? 
Não. O que a senhora foi lá e falou com ele no domingo. 
Que é que você disse a ele? 
Eu disse para ele continuar. 
Ele já começou? 
Acho que já. Eu disse que podia principiar por onde quisesse. 
[...]
(Millôr Fernandes. "Trinta anos de mim mesmo". São Paulo: 
Abril Cultural, 1973) 
(A) Trata-se do diálogo entre duas mulheres que não apresentam 
nenhum grau de intimidade. 
(B) O discurso direto, ou diálogo, apesar de atribuir mais 
agilidade ao texto, não passa a impressão de que os fatos 
estejam acontecendo no momento da fala. 
(C) É totalmente viável para alguém, que não participe do dia a 
dia de ambas, identificar vários elementos por elas citados. 
(D) O texto, de maneira jocosa, expõe uma habilidade dos seres 
humanos, notadamente as mulheres, de dialogarem entre si, 
desde que haja alusão aos elementos referenciais; 
possibilitando, assim, a comunicação. 
(E) Percebe-se, entre as personagens, que há total entendimento 
quanto ao que está sendo tratado. 
13) Intertextualidade ocorre quando um texto ou obra utiliza-se de 
outro (a) como ponto de partida, citação ou referência. Verifica-se 
isso em todas as alternativas abaixo, há, porém, uma que buscou 
sua inspiração no mundo musical. Assinale-a: 
(A) 
(B) 
(C) 
(D) 
(E) 
14) 
A conversa entre Mafalda e seus amigos: 
(A) revela a real dificuldade de entendimento entre posições que 
pareciam convergir. 
(B) desvaloriza a diversidade social e cultural e a capacidade de 
entendimento e respeito entre as pessoas. 
(C) expressa o predomínio de uma forma de pensar e a 
possibilidade de entendimento entre posições divergentes. 
(D) ilustra a possibilidade de entendimento e de respeito entre as 
pessoas a partir do debate político de ideias.

Recomendados

Exercício literatura professor alexandre
 Exercício literatura   professor alexandre Exercício literatura   professor alexandre
Exercício literatura professor alexandretamandarealfamanha
 
Questoes literatura prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏
Questoes literatura   prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏Questoes literatura   prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏
Questoes literatura prof. carlos alexandre(reformado por aluno felipe)‏tamandarealfamanha
 
Gabarito 1o. bim português i
Gabarito 1o. bim   português iGabarito 1o. bim   português i
Gabarito 1o. bim português iLigia Amaral
 
Gabarito 3o. ano língua portuguesa 1 - 2o. bim
Gabarito 3o. ano   língua portuguesa 1 - 2o. bimGabarito 3o. ano   língua portuguesa 1 - 2o. bim
Gabarito 3o. ano língua portuguesa 1 - 2o. bimstjamesmkt
 
Exercícios comentados de interpretação textual
Exercícios comentados de interpretação textualExercícios comentados de interpretação textual
Exercícios comentados de interpretação textualSeduc/AM
 
Interpretação de música
Interpretação de músicaInterpretação de música
Interpretação de músicaMarlene Cunhada
 
Gabarito 1o. bim português ii
Gabarito 1o. bim   português iiGabarito 1o. bim   português ii
Gabarito 1o. bim português iiLigia Amaral
 
Interpretação textual 2
Interpretação textual 2Interpretação textual 2
Interpretação textual 2Fabricio Souza
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exrcícios de t rovadorismo e humanismo II
Exrcícios de t rovadorismo e humanismo IIExrcícios de t rovadorismo e humanismo II
Exrcícios de t rovadorismo e humanismo IIRaquel Dos Santos
 
Exrcícios de t rovadorismo e humanismo
Exrcícios de t rovadorismo e humanismoExrcícios de t rovadorismo e humanismo
Exrcícios de t rovadorismo e humanismoRaquel Dos Santos
 
Avaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidadeAvaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidadeManu Dias
 
linguagens para o enem n 3
   linguagens para o  enem n  3   linguagens para o  enem n  3
linguagens para o enem n 3PATRICIA VIANA
 
Segunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literaturaSegunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literaturama.no.el.ne.ves
 
Prova 2 Em Simulado I 2009
Prova 2 Em Simulado I 2009Prova 2 Em Simulado I 2009
Prova 2 Em Simulado I 2009Pitnews65
 
Avaliação multimídia da 2001
Avaliação multimídia da 2001Avaliação multimídia da 2001
Avaliação multimídia da 2001Tio Pablo Virtual
 
Segunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticaisma.no.el.ne.ves
 
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: LiteraturaTerceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: Literaturama.no.el.ne.ves
 

Mais procurados (19)

Exrcícios de t rovadorismo e humanismo II
Exrcícios de t rovadorismo e humanismo IIExrcícios de t rovadorismo e humanismo II
Exrcícios de t rovadorismo e humanismo II
 
1 ano prof karol
1 ano prof karol1 ano prof karol
1 ano prof karol
 
Exrcícios de t rovadorismo e humanismo
Exrcícios de t rovadorismo e humanismoExrcícios de t rovadorismo e humanismo
Exrcícios de t rovadorismo e humanismo
 
Figuras de linguagem para o enem 2017
Figuras de linguagem para o enem 2017Figuras de linguagem para o enem 2017
Figuras de linguagem para o enem 2017
 
Projetovestibular
ProjetovestibularProjetovestibular
Projetovestibular
 
Simulado lit-prise 2.1 ok
Simulado lit-prise 2.1 okSimulado lit-prise 2.1 ok
Simulado lit-prise 2.1 ok
 
Avaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidadeAvaliaçãoii unidade
Avaliaçãoii unidade
 
linguagens para o enem n 3
   linguagens para o  enem n  3   linguagens para o  enem n  3
linguagens para o enem n 3
 
Revisão enem
Revisão enemRevisão enem
Revisão enem
 
Segunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literaturaSegunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literatura
 
Prova 2 Em Simulado I 2009
Prova 2 Em Simulado I 2009Prova 2 Em Simulado I 2009
Prova 2 Em Simulado I 2009
 
Avaliação multimídia da 2001
Avaliação multimídia da 2001Avaliação multimídia da 2001
Avaliação multimídia da 2001
 
Segunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticaisSegunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticais
Segunda aplicação do enem 2013: Aspectos gramaticais
 
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: LiteraturaTerceira aplicação do enem 2014: Literatura
Terceira aplicação do enem 2014: Literatura
 
Literatura Tipo A
Literatura Tipo ALiteratura Tipo A
Literatura Tipo A
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Lingua Portuguesa
Lingua PortuguesaLingua Portuguesa
Lingua Portuguesa
 
Enem 2012, literatura
Enem 2012, literaturaEnem 2012, literatura
Enem 2012, literatura
 
Revisão (ii)
Revisão (ii)Revisão (ii)
Revisão (ii)
 

Semelhante a Simulado lit-prise 3 ok

Revisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileiraRevisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileiraSeduc/AM
 
Romantismo 2014
Romantismo 2014Romantismo 2014
Romantismo 2014CrisBiagio
 
Simbolismo brasil(1)
Simbolismo brasil(1)Simbolismo brasil(1)
Simbolismo brasil(1)FACETEG - UPE
 
20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestre20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestrePaulo Klein
 
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanhaQuestões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanhama.no.el.ne.ves
 
Simulado de literatura brasileira
Simulado de literatura brasileiraSimulado de literatura brasileira
Simulado de literatura brasileiraJesrayne Nascimento
 
Carlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andradeCarlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andradeAline Almeida
 
5 exercicios arcadismo-literatura_portugues
5   exercicios arcadismo-literatura_portugues5   exercicios arcadismo-literatura_portugues
5 exercicios arcadismo-literatura_portuguesjasonrplima
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1gsbq
 
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasilAlineEliasReisSantos
 
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18   simbolismo em portugal e no brasilAula 18   simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasilJonatas Carlos
 
Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2Sergio Proença
 
Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)Andriane Cursino
 
Atividade avaliativa romantismo
Atividade avaliativa   romantismoAtividade avaliativa   romantismo
Atividade avaliativa romantismoRenato Rodrigues
 

Semelhante a Simulado lit-prise 3 ok (20)

Revisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileiraRevisão poesia romântica brasileira
Revisão poesia romântica brasileira
 
Romantismo
Romantismo Romantismo
Romantismo
 
Romantismo 2014
Romantismo 2014Romantismo 2014
Romantismo 2014
 
Simbolismo brasil(1)
Simbolismo brasil(1)Simbolismo brasil(1)
Simbolismo brasil(1)
 
20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestre20 questões de literatura segundo trimestre
20 questões de literatura segundo trimestre
 
Romantismo slide
Romantismo   slideRomantismo   slide
Romantismo slide
 
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanhaQuestões sobre clepsidra, de camilo pessanha
Questões sobre clepsidra, de camilo pessanha
 
Castro Alves
Castro AlvesCastro Alves
Castro Alves
 
Simulado de literatura brasileira
Simulado de literatura brasileiraSimulado de literatura brasileira
Simulado de literatura brasileira
 
Carlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andradeCarlos Drummond de andrade
Carlos Drummond de andrade
 
5 exercicios arcadismo-literatura_portugues
5   exercicios arcadismo-literatura_portugues5   exercicios arcadismo-literatura_portugues
5 exercicios arcadismo-literatura_portugues
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
 
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18   simbolismo em portugal e no brasilAula 18   simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
 
Enem literatura
Enem  literaturaEnem  literatura
Enem literatura
 
Simbolismo[1]
Simbolismo[1]Simbolismo[1]
Simbolismo[1]
 
Bocage
BocageBocage
Bocage
 
Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2Exercícios especiais literatura 2
Exercícios especiais literatura 2
 
Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)Exercícios Literatura (Romantismo)
Exercícios Literatura (Romantismo)
 
Atividade avaliativa romantismo
Atividade avaliativa   romantismoAtividade avaliativa   romantismo
Atividade avaliativa romantismo
 

Último

Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptxAndreia Silva
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMHisrelBlog
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024excellenceeducaciona
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...azulassessoriaacadem3
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...azulassessoriaacadem3
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...azulassessoriaacadem3
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 

Último (20)

Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIA DO DIREITO - 51/2024
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 

Simulado lit-prise 3 ok

  • 1. QUESTÕES PARA O SIMULADO DE LITERATURA ( CEADEP) – PROFª. SHISLAINE CARVALHO 14 QUESTÕES DE MULTIPLA ESCOLHA- 3º ANO DO ENSINO MÉDIO-PRISE 3 E ENEM 1) Leia o poema abaixo : LITANIA DOS POBRES Os miseráveis, os rotos. são as flores dos esgotos. São espectros implacáveis os rotos, os miseráveis. São prantos negros de furnas caladas, mudas, soturnas. São os grandes visionários dos abismos tumultuários. As sombras das sombras mortas, cegos, a tatear nas portas. Procurando o céu, aflitos e varando o céu de gritos. Faróis à noite apagados por ventos desesperados. Inúteis, cansados braços pedindo amor aos Espaços. Mãos inquietas, estendidas ao vão deserto das vidas. Figuras que o Santo Ofício condena a feroz suplício. Arcas soltas ao nevoento dilúvio do Esquecimento. Perdidas na correnteza das culpas da Natureza. (...) (CRUZ E SOUSA, Os melhores poemas de Cruz e Sousa, p.89) Analise as afirmações sobre o poema “Litania dos pobres”, de Cruz e Sousa e, em seguida, assinale as verdadeiras (V) e as falsas (F). ( ) O poema é composto por dísticos rimados que lhe conferem musicalidade – característica comum do Simbolismo. ( ) A temática central gira em torno da denúncia social, muito comum entre os simbolistas que se preocupavam demasiadamente com as questões sociais. ( ) Ele possui alto poder sugestivo, trazendo, através de adjetivos, qualificadores para definir os miseráveis. ( ) Apresenta várias características típicas do Simbolismo como a subjetividade, o universalismo e a racionalidade. A sequência correta é: a) F, V, V, F. b) V, F, V, F. c) F, F, F, V. d) V, F, F, V. e) V, V, V, F. 2) Leia o seguinte poema de Cruz e Sousa. VIDA OBSCURA Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro, Ó ser humilde entre os humildes seres. Embriagado, tonto dos prazeres, O mundo para ti foi negro e duro. Atravessaste num silêncio escuro A vida presa a trágicos deveres E chegaste ao saber de altos saberes Tornando-te mais simples e mais puro. Ninguém Te viu o sentimento inquieto, Magoado, oculto e aterrador, secreto, Que o coração te apunhalou no mundo. Mas eu que sempre te segui os passos Sei que cruz infernal prendeu-te os braços E o teu suspiro como foi profundo! SOUSA, João da Cruz e. Vida obscura. In: MOISÉS, Massaud. A literatura brasileira através dos textos. 21 ed. São Paulo: Cultrix, 2000. p. 314. No final do século XIX, a arte simbolista surgiu, como uma proposta voltada para a hegemonia do sujeito e contrária à supremacia do materialismo. Sabendo disso, assinale a alternativa que apresenta elementos simbolistas presentes no texto. (A) Linguagem precisa / descrição objetiva / utilização de assonâncias e aliterações. (B) Cruzamento de sensações (sinestesia) / conflito entre matéria e espírito / racionalismo. (C) Subjetivismo / emprego de iniciais maiúsculas para atribuir um valor absoluto a determinados termos / materialismo. (D) Angústia / linguagem figurada (“silêncio escuro”; “cruz”) / integração cósmica: tema da redenção pelo sofrimento. (E) Transcendência espiritual / Linguagem vaga, que busca sugerir em vez de nomear / impessoalidade. 3) Leia o poema a seguir: CREPUSCULAR Há no ambiente um murmúrio de queixume, De desejos de amor, dais comprimidos... Uma ternura esparsa de balidos, Sente-se esmorecer como um perfume. As madressilvas murcham nos silvados E o aroma que exalam pelo espaço, Tem delíquios de gozo e de cansaço, Nervosos, femininos, delicados. Sentem-se espasmos, agonias dave, Inapreensíveis, mínimas, serenas... Tenho entre as mãos as tuas mãos pequenas, O meu olhar no teu olhar suave. As tuas mãos tão brancas danemia... Os teus olhos tão meigos de tristeza... É este enlanguescer da natureza,
  • 2. Este vago sofrer do fim do dia. Camilo Pessanha é considerado o expoente máximo da poesia simbolista portuguesa. Os seus versos reúnem o que há de mais marcante nesse estilo de época por traduzirem sugestões, imagens visuais, sonoras e estados de alma, além de notória ausência de elementos que se detenham em descrição ou em referência objetiva. É correto afirmar que os versos do soneto “Crepuscular” transcritos nas opções, a seguir, traduzem as considerações postas nesses comentários, com exceção de: (A) “Uma ternura esparsa de balidos,”. (B) “As madressilvas murcham nos silvados” (C) “É este enlanguescer da natureza,”. (D) “Há no ambiente um murmúrio de queixume,”. “Este vago sofrer do fim do dia.” ·. 4) Água Morrente Meus olhos apagados, Vede a água cair. Das beiras dos telhados, Cair, sempre cair. Das beiras dos telhados, Cair, quase morrer... Meus olhos apagados, E cansados de ver. Meus olhos, afogai-vos Na vã tristeza ambiente. Caí e derramai-vos Como a água morrente. No conhecido poema de Camilo Pessanha, o sujeito reserva a si uma atitude passiva diante do mundo, fazendo sentir sobre si os efeitos da paisagem natural; desse modo, há um desequilíbrio existencial sugerido através de uma metáfora. A esse propósito marque a opção CORRETA. A) A imagem do Homem que emerge do caos sugere a resistência ao tempo, o desejo de sobreviver a ele. B) A submersão sugere que, existencialmente, o Homem vê-se desgastado e empurrado para o Fim. C) O navegar por entre águas insinua a busca humana por novos desafios que lhe dê sentido à vida. D) O desejo de emergir em meio a águas agitadas sugere a vontade humana de acompanhar as mudanças socioeconômicas do início do século XX. E) Todo o ambiente criado no poema impressiona pelo misticismo vaporoso que sugere o mistério para além da materialidade. 5) Assinale a alternativa INCORRETA a respeito do Simbolismo: a) Utiliza o valor sugestivo da música e da cor. b) Dá ênfase à imaginação e à fantasia. c) Procura a representação da realidade do subconsciente. d) É uma atitude objetiva, em oposição ao subjetivismo dos parnasianos. e) No Brasil, produziu, entre outras, a poesia de Cruz e Sousa e, em Portugal, a de Antônio Nobre. 6) Chorai, arcadas Do violoncelo! Convulsionadas Pontes aladas De pesadelo ... Trêmulos astros... Soidões lacustres... - Lemes e mastros... E os alabastros Dos balaústres! Camilo Pessanha Assinale a alternativa CORRETA sobre o texto a) Destaca a expressão egocêntrica do sofrimento amoroso, de nítida influência romântica. b) Recupera da lírica trovadoresca a redondilha maior, a estrutura paralelística e os versos brancos. c) A influência do Futurismo italiano é comprovada pela presença de frases nominais curtas e temática onírica. d) A linguagem grandiloqüente, as metáforas cósmicas e o pessimismo exacerbado comprovam o estilo condoreiro. e) A valorização de recursos estilísticos relacionados ao ritmo e à sonoridade é índice do estilo simbolista. 7) Considere as alternativas abaixo, relativas ao Simbolismo: I - No plano temático, o Simbolismo foi marcado pelo mistério e pela inquietação mística com problemas transcendentais do homem. No plano formal, caracterizou-se pela musicalidade e certa quebra no ritmo do verso, precursora do verso livre do modernismo. II - O Simbolismo, surgido contemporaneamente ao materialismo cientificista, enquanto atitude de espírito, passou ao largo dos maiores problemas da vida nacional. Já a literatura realista-naturalista acompanhou fielmente os modos de pensar das gerações que fizeram e viveram a Primeira República. III - O Simbolismo, com Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimaraens, nossos maiores poetas do período, legou-nos uma produção poética que se caracterizou pela busca da "arte em arte", isto é, uma preocupação com o verso artesanal, friamente moldado. Devido a essa tendência à objetividade na composição, o movimento também se denominou "decadentista". Assinale a alternativa CORRETA: a) I é falsa; II e III verdadeiras. X b) I, II e III são verdadeiras. X c) I é verdadeira; II e III, falsas. X d) I e II são verdadeiras: III é falsa. e) I e III são falsas; II, verdadeira. 8) [...] os novos poetas buscavam algo mais: transcender os seus mestres para reconquistar o sentimento de totalidade que parecia perdido [...] A arte pela arte [...] é assumida por eles, mas retificada pela aspiração de integrar a poesia na vida cósmica e conferir-lhe um estatuto de privilégio que tradicionalmente caberia à religião ou à filosofia. BOSI , Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo: Cultrix, 1977, p. 293. Alfredo Bosi, nesse fragmento, faz menção aos poetas
  • 3. (A) românticos. (B) parnasianos. (C) simbolistas. (D) barrocos. (E) árcades 9) "A língua sem arcaísmo. Sem erudição. Natural e neológica. A contribuição milionária de todos os erros. Como falamos. Como somos". Neste trecho do Manifesto Pau-Brasil, de Oswald de Andrade, depreende-se um dos programas propostos pelos modernistas: a) A invenção de uma nova língua, estruturalmente diferente da falada e escrita pelos portugueses. b) a incorporação da fala brasileira à língua literária nacional. c) o repúdio à literatura dos escritores do passado, porque eles demonstravam uma intensa valorização ao índio. d) A produções literárias sem erudição não podem ser exemplo de poesia. e) N.D.A Texto para a questão 10 Poética Estou farto do lirismo comedido Do lirismo bem comportado Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente protocolo e [manifestações de apreço ao Sr. diretor. Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o [cunho vernáculo de um vocábulo Abaixo os puristas ............................................................................................ Quero antes o lirismo dos loucos O lirismo dos bêbedos O lirismo difícil e pungente dos bêbedos O lirismo dos clowns de Shakespeare — Não quero mais saber do lirismo que não é libertação. (BANDEIRA, Manuel. Poesia Completa e Prosa. Rio de Janeiro. Aguilar, 1974) Com base na leitura do poema, podemos afirmar corretamente que o poeta: a) critica o lirismo louco do movimento modernista. b) critica todo e qualquer lirismo na literatura. c) propõe o retorno ao lirismo do movimento clássico. d) propõe o retorno ao lirismo do movimento romântico. e) propõe a criação de um novo lirismo. 11) Texto Quem é pobre, pouco se apega, é um giro-o-giro no vago dos gerais, que nem os pássaros de rios e lagoas. O senhor vê: o Zé-Zim, o melhor meeiro meu aqui, risonho e habilidoso. Pergunto: - Zé-Zim por que é que você não cria galinhas d'angola, como todo o mundo faz? - Quero criar nada não... - me deu resposta: - Eu gosto muito de mudar... [...] Belo um dia, ele tora. Ninguém discrepa. Eu, tantas, mesmo digo. Eu dou proteção [...]. Essa não faltou também à minha mãe, quando eu era menino, no sertãozinho de minha terra [...]. Gente melhor do lugar eram todos dessa família Guedes, Jidião Guedes; quando saíram de lá, nos trouxeram junto, minha mãe e eu. Ficamos existindo em território baixio da Sirga, da outra banda, ali onde o de-Janeiro vai no São Francisco, o senhor sabe... (ROSA, J.G. Grande Sertão Veredas. Rio de Janeiro, José Olympio, fragmento) Na passagem citada, Riobaldo expõe uma situação decorrente de uma desigualdade social típica das áreas rurais brasileiras marcadas pela concentração de terras e pela relação de dependência entre agregados e fazendeiros. No texto ,destaca-se essa relação porque o personagem-narrador: a) Relata a seu interlocutor a história de Zé-Zim, demonstrando sua pouca disposição em ajudar seus agregados, uma vez que superou essa condição graças à sua força de trabalho. b) Descreve o processo de transformação de um meeiro – espécie de agregado – em proprietário de terra. c) Denuncia a falta de compromisso e desocupação dos moradores, que pouco se envolvem no trabalho da terra. d) Mostra como a condição material da vida do sertanejo é dificultada pela sua dupla condição de homem livre e, ao mesmo tempo, dependente. e) Mantém o distanciamento narrativo condizente com a sua posição social, de proprietário de terras. 12) Observe o texto abaixo e assinale a alternativa correta. Maria, ponha isso lá fora em qualquer parte. Junto com as outras? Não ponha junto com as outras, não. Senão pode vir alguém e querer fazer qualquer coisa com elas. Ponha no lugar do outro dia.; Sim, senhora. Olha, o homem está aí. Aquele de quando choveu? Não. O que a senhora foi lá e falou com ele no domingo. Que é que você disse a ele? Eu disse para ele continuar. Ele já começou? Acho que já. Eu disse que podia principiar por onde quisesse. [...]
  • 4. (Millôr Fernandes. "Trinta anos de mim mesmo". São Paulo: Abril Cultural, 1973) (A) Trata-se do diálogo entre duas mulheres que não apresentam nenhum grau de intimidade. (B) O discurso direto, ou diálogo, apesar de atribuir mais agilidade ao texto, não passa a impressão de que os fatos estejam acontecendo no momento da fala. (C) É totalmente viável para alguém, que não participe do dia a dia de ambas, identificar vários elementos por elas citados. (D) O texto, de maneira jocosa, expõe uma habilidade dos seres humanos, notadamente as mulheres, de dialogarem entre si, desde que haja alusão aos elementos referenciais; possibilitando, assim, a comunicação. (E) Percebe-se, entre as personagens, que há total entendimento quanto ao que está sendo tratado. 13) Intertextualidade ocorre quando um texto ou obra utiliza-se de outro (a) como ponto de partida, citação ou referência. Verifica-se isso em todas as alternativas abaixo, há, porém, uma que buscou sua inspiração no mundo musical. Assinale-a: (A) (B) (C) (D) (E) 14) A conversa entre Mafalda e seus amigos: (A) revela a real dificuldade de entendimento entre posições que pareciam convergir. (B) desvaloriza a diversidade social e cultural e a capacidade de entendimento e respeito entre as pessoas. (C) expressa o predomínio de uma forma de pensar e a possibilidade de entendimento entre posições divergentes. (D) ilustra a possibilidade de entendimento e de respeito entre as pessoas a partir do debate político de ideias.