SlideShare uma empresa Scribd logo
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Fonte. Exame. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/fotografa-retrata-urso-polar-no-artico-em-pele-e-
osso>. Acesso em: 12 nov. 2015.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
A fotógrafa Kerstin Langenberger é uma das
centenas de turistas que viajam todos os anos para o
fiórde de Svalbard, no ártico norueguês, para
observar ursos polares. Mas o que ela viu,
recentemente, a deixou perplexa: Kerstin encontrou,
repetidas vezes, animais famintos e com pouco mais
do que pele e osso.
Em um post comovente em seu perfil no
Facebook, a fotógrafa publicou a imagem de um
urso polar raquítico vagando atrás de alimento.
Ela atribuiu a situação chocante ao degelo recorde do
Ártico, associado ao aumento das temperaturas em
meio às mudanças climáticas. (...)
“Sim, eu vi ursos em boa forma - mas também tenho
visto [ursos] mortos e morrendo de fome. Ursos
andando nas margens à procura de comida, ursos
tentando caçar renas, comer ovos do pássaro, musgo
e algas", escreveu a fotógrafa.
Segundo os cientistas, a diminuição do gelo do Ártico reduz a oferta de comida para os animais (o principal alimento dos ursos são
focas). Em junho deste ano, um grupo de cientistas observou ursos polares comendo golfinhos-de-bico-branco, pela primeira vez, no
fiórde de Svalbard, o mesmo lugar retratado por Kerstin.
Fonte. Exame. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/fotografa-retrata-urso-polar-no-artico-em-pele-e-
osso>. Acesso em: 12 nov. 2015.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Alteração climática no planeta
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Alteração climática no planeta
O que é clima?
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Alteração climática no planeta
O que é clima?
clima: conjunto de características atmosféricas que mais se repetem ao longo de um período de
tempo(comportamento que mais vai se repetir).
Brasil quente e úmido.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Quando ocorrem muitas construções (desenvolvimento) de uma cidade, a vegetação é retirada
em grande quantidade.
Só essa mudança já vai gerar uma possibilidade de grande alteração climáticas (vegetação tem
uma absorção menor de calor)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Por exemplo: Ilhas de Calor
pontos urbanos com maior
temperatura do que seus arredores)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Por exemplo: Ilhas de Calor
pontos urbanos com maior
temperatura do que seus arredores)
O grande fenômeno causador das mudanças globais é o chamado AQUECIMENTO GLOBAL (aumento geral da temperatura
próximo à superfície)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Efeito Estufa  fenômeno natural e vital para o planeta.
É importante que essa temperatura seja aprisionada na atmosfera terrestre para que possibilite o surgimento das plantas, o não
congelamento das águas, o desenvolvimento do animais....
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Quando a radiação solar chega à Terra, parte dela vai retornar, vai subir novamente (uma parte
da radiação emitida pelo sol fica retida pelo Efeito Estufa em formato de calor)
Atmosfera (basicamente é
feita de oxigênio e hidrogênio)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Quando a radiação solar chega à Terra, parte dela vai retornar, vai subir novamente (uma parte
da radiação emitida pelo sol fica retida pelo Efeito Estufa em formato de calor)
Atmosfera (basicamente é
feita de oxigênio e hidrogênio)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Fenômenos que rompem as barreiras locais, agindo no global.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Emissão de gases (chamados gases estufa) aumentou rapidamente após a experiência industrial.
-Dióxido de Carbono
-Metano
-Óxido Nitroso
Diversos gases que contêm flúor
Ilustração da paisagem inglesa durante a Revolução Industrial. As grandes chaminés expelindo fumaça representava desenvolvimento.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Emissão de gases (chamados gases estufa) aumentou rapidamente após a experiência industrial.
-Dióxido de Carbono
-Metano
-Óxido Nitroso
Diversos gases que contêm flúor
Ilustração da paisagem inglesa durante a Revolução Industrial. As grandes chaminés expelindo fumaça representava desenvolvimento.
GEE (Gases do Efeito Estufa)  conjunto de
gases que quando estão na atmosfera vão reter
parte do calor.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Emissão de gases (chamados gases estufa) aumentou rapidamente após a experiência industrial.
-Dióxido de Carbono: (CO2) Uma grande parte é gerado pela
queima de combustíveis fóseis (petróleo,carvão), bem
como -de maneira indireita- pela perda das florestas, principais
fornecedoras de CO2, que são destruídas como o objetivo de
obter mais terras para desenvolver a agricultura e a madeira.
-Metano: (CH4) pecuária, o cultivo de arroz, a queima de
biomassa.
-Óxido Nitroso: (NH2) Gerado nos processos industriais,
bem como pelo emprego de fertilizantes industriais e pelo
desmatamento.
Diversos gases que contêm fluor (fluorhidrocarbonos –usados na
refrigeração- , perfluorocarbonos –produção de aluminio- e na
industria eletrônica.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global.
1° Revolução Industrial carvão mineral
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global.
1° Revolução Industrial carvão mineral
2° Revolução Industrial petróleo
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global.
1° Revolução Industrial carvão mineral
2° Revolução Industrial petróleo
3° Revolução Industrial petróleo ainda é utilizado
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global.
1° Revolução Industrial carvão mineral
2° Revolução Industrial petróleo
3° Revolução Industrial petróleo ainda é utilizado
Desde 1789 ocorre a atividade industrial no planeta (e a partir dessa data estamos queimando
combustíveis fósseis na Terra).
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Aumentou muito o consumo do homem.
A Revolução Industrial e sua grande produção prega e necessita do desenvolvimento em massa.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
O principal modelo de sociedade, uma sociedade urbano-industrial, utiliza uma grande rede de
transportes, com muita queima de combustível, com muita produção e muita exploração de
recursos.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Os países desenvolvidos são os que mais emitiram gases estufa ao longo dos anos, mas deve-se
observar a emissão de 3 países emergentes: Brasil, China e Índia (além de possuírem importantes
parques industriais, grandes queimas de combustíveis fósseis, grandes populações, grandes
consumos, eles aparecem como um importante alterador do clima)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
No Brasil grande parte dos impactos ambientais são provocados pelo avanço da agropecuária e
das queimadas.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
É verdade que o pum das vacas aumenta o efeito estufa?
É, sim! Durante a digestão, bois e vacas produzem muito metano, um gás que contribui com 23% do efeito estufa e é 21 vezes
mais ativo que o gás carbônico na retenção dos raios solares que aquecem o globo! No Brasil, os rebanhos de bovinos e outros
ruminantes (cabras, ovelhas, búfalos...) são responsáveis por 90% do metano gerado no país - no mundo, esse índice cai para
28%. O gás é produzido por bactérias do rúmen (uma das quatro cavidades do estômago dos bichos), que ajudam a retirar a
energia dos alimentos que o gado come. O mais curioso é que a maior parte dos gases não sai estrondosamente pelo ânus do
bicho, mas pela boca, como se fosse um arroto, junto com a respiração. Mas, antes que alguém resolva dar nome aos bois e
mandar as vacas para o brejo por causa do efeito estufa, vale lembrar que o maior responsável pelo excessivo aquecimento
global é o gás carbônico emitido por fábricas e carros." No caso dos ruminantes, dá para reduzir a emissão de metano mexendo
na dieta dos animais e diminuindo o tempo para o abate", afirma o agrônomo Sérgio Raposo, da Embrapa.
Bufando e andandoRuminantes emitem 28% do metano produzido no mundo
Fontes produtoras de metano no planeta
Animais ruminantes - 28%
Gás natural - 15%
Aterros - 13%
Cultivo de arroz - 11%
Esgoto - 10%
Outros - 23%
Fonte: Painel intergovernamental em mudanca do clima (IPCC)
http://mundoestranho.abril.com.br/materia/e-verdade-que-o-pum-das-vacas-aumenta-o-efeito-estufa
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Idealizada na ditadura militar e inaugurada em 1989, ela custou, na época, US$ 1 bilhão.
Inundou 2,6 mil quilômetros quadrados de riquíssimas florestas nativas. Os milhões de árvores
que tiveram suas raízes submersas não foram retirados e transformados em madeira produtiva –
estão lá apodrecendo. As águas do lago imenso produzem hoje apenas de 120 MW a
130 MW de energia; é a unidade de geração mais ineficiente entre as 113 hidrelétricas do
País.
Desde o início desse projeto, muitos cientistas reclamaram, mostrando os erros, mas foram
ignorados pelo governo. Quando a usina entrou em funcionamento parcial, em 1988, até
mesmo o governo reconheceu que ela é uma verdadeira tragédia.
Balbina é uma tragédia econômica, ecológica e social.
represa de Balbina, município de Presidente
Figueiredo, no estado do Amazonas
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Alguns estudos
mostram que o
metano pode poluir
até 30 vezes mais que
o CO2 natural
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Em um futuro próximo, o Brasil estará na lista dos maiores poluidores
-muitas hidrelétricas
-muito gado
-muitos automóveis
O Pará é o terceiro no ranking nacional dos rebanhos de bois e bubalinos, com quase 20 milhões cabeças. O estado só perde
para Minas Gerais e Mato Grosso. Fonte:http://www.zedudu.com.br/par-o-terceiro-no-ranking-nacional-dos-rebanhos-de-bois-e-bubalinos/
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Albedo trata-se da relação de reflexão da radiação solar
As superfícies vão reter/absorver e refletir (em alguns casos chega a ficar em 10% de calor retido
e 90% de calor devolvido)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
90%30%5% 8% 20% 45%
Irradiação da energia solar segundo diferentes superfícies
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
No caso das calotas polares, a maior parte da radiação
vai ser refletida e não absorvida, portanto, ajuda a
região a continuar congelada.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Diminuir o albedo das regiões polares aumenta a taxa
de absorção da radiação e o calor.
A atuação humana tem diminuído as áreas
congeladas na Terra.
Imagina se, com o Aquecimento Global, o gelo
começar a derreter. Uma parte da superfície vai ficar
exposta.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Diminuir o albedo das regiões polares aumenta a taxa
de absorção da radiação e o calor.
A atuação humana tem diminuído as áreas
congeladas na Terra.
Imagina se, com o Aquecimento Global, o gelo
começar a derreter. Uma parte da superfície vai ficar
exposta.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
A superfície pode chegar até a 80% de absorção e
apenas 20% de retenção.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
A superfície pode chegar até a 80% de absorção e
apenas 20% de retenção.
Sem contar que a superfície quente vai acabar
ajudando a derreter mais gelo e expor mais a
superfície ainda...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
O derretimento do gelo da Groenlândia é alvo de
intensos estudos sobre sua participação na
elevação global do nível do mar. No entender de
Yan Jiang, que também assina o trabalho, se a
aceleração da elevação e do derretimento
continuar na atual taxa, a Groenlândia poderá em
breve tornar-se o maior contribuinte para o
aumento global do nível do mar.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Parte da água potável que estava nas geleiras pode ir parar no oceano.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Parte da água potável que estava nas geleiras pode ir parar no oceano.
Uma grande preocupação da humanidade no futuro será a questão do acesso à água potável pelas populações,
portanto, além da questão do aumento do nível dos oceanos ainda existe a questão da perda de água potável que
vai se misturar com a salgada.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
A água doce do degelo ao se misturar com a água salgada dos oceanos significa perda de água potável.
Essa preocupação é maior ainda, pois passa das questões climáticas (que já são graves) para as questões sociais.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Toda essa alteração pode ganhar proporções globais, por exemplo: algumas correntes quentes podem ter suas
temperaturas também diminuídas e acabar interferindo no regime de chuvas
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Toda essa alteração pode ganhar proporções globais, por exemplo: algumas correntes quentes podem ter suas
temperaturas também diminuídas e acabar interferindo no regime de chuvas
Em alguns locais pode chover mais (mais água no sistema: vai evaporar mais e ter mais água na atmosfera). Em
outros locais, pela água estar mais fria pode ocorrer a diminuição do regime de chuvas, ou seja, pode gerar chuva de
um lado, seca de outro.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
As florestas fazem um importante processo de ciclagem, além do processo óbvio de oxigênio, essas florestas tem
uma posição forte na questão de liberação de água na atmosfera, a proteção do solo com a radiação solar.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Também chamado de DESFLORESTAMENTO, trata-se da destruição gradativa das áreas florestais causadas pela ação antrópica.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Processo que tem início
com o surgimento das
cidades e mais tarde,
com o desenvolvimento
das industrias.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
No filme A Bruxa de Blair, sucesso de bilheteria do cinema alternativo americano, há uma cena que fez meu sangue de ecologista
amador brasileiro e defensor do crescimento sustentável literalmente borbulhar.
Os três estudantes do longa estão totalmente perdidos numa floresta da Nova Inglaterra e a garota começa a entrar em pânico
achando que nunca mais sairia daquela selva.
Seu colega então diz algo parecido com:
"Não seja idiota, nós destruímos todas as nossas florestas temperadas.
É só andarmos mais meia hora em linha reta que logo sairemos daqui".
Se alguém se perder na Floresta Amazônica, poderá ter de
andar por noventa dias até achar uma saída, tal o nível de
preservação de nossa Amazônia, comparada com as demais
florestas.
http://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/blogs/107194-
rio20-salvem-as-florestas-temperadas.html#.VzO16mz2bIU
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
A busca por novos solos para a prática agropecuária também contribuiu para aumentar o desmatamento.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
DOMÍNIOS VEGETAIS
BRASILEIROS
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
DOMÍNIOS VEGETAIS
BRASILEIROS
#AMAZÔNIA
ÁREA DE ABRANGÊNCIA: *Totalmente  RR, PA, AC, AP, AM
*Parcialmente  RO (98%), MT (54%), MA (34%) e TO (9%)
*AMAZÔNIA TOTAL Amazônia em nove países: Brasil, Colômbia, Peru,
Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa
*CLIMA Equatorial
*MASSA DE AR MAIS ATUANTE mEc
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de GeografiaBrasil, Colômbia, Peru, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
No Brasil, o processo de desmatamento foi intensificado durante a instalação do sistema de plantation de cana de açúcar. Mais
tarde a construção das cidades, estradas e implantação dos sistemas de transporte.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
AMAZÔNIA
DESMATADA
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de GeografiaSinop (MT).
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
#MATA ATLÂNTICA
*CLIMA Subtropical, Tropical de Altitude
*MASSA DE AR MAIS ATUANTE mEc, mTa
BIOMA mais desmatado.
-Espaço natural que foi mais devastado pela intensa urbanização
e industrialização que ocorreram no Brasil
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Devastação da
Mata Atlântica
Mata Atlântica, hoje reduzido a
7% de sua configuração original
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Devastação da
Mata Atlântica
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
EXTRATIVISMO VEGETAL - MADEIRA
Atualmente, as principais causas do desmatamento são:
-a derrubada de árvores cuja madeira tem valor comercial elevado
-retirada da vegetação para o pasto
-queimada para preparar a terra para o cultivo
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
EXTRATIVISMO VEGETAL - MADEIRA
Como consequência dessas ações antrópicas, há:
-a redução da biodiversidade
-redução dos índices pluviométricos
-aumento da temperatura
-intensificação da erosão.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
http://www.infoescola.com/historia/revolucao-industrial/
http://www.samicultura.com.br/pt-br/curiosidade/pesca-na-balbina
http://www.aultimaarcadenoe.com.br/represa-de-balbina-am/
https://psicosaber.wordpress.com/2011/04/14/balbina-a-hidreletrica-do-caos/
http://www.cepa.if.usp.br/energia/energia1999/Grupo2B/Hidraulica/balbina.htm
http://www.apolo11.com/mudancas_climaticas.php?posic=dat_20100519-090401.inc
http://www.megabuzz.com.br/fique-ligado-nas-causas-e-consequencias-aquecimento-global/
http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2014/09/o-gelo-da-groenlandia-esta-ficando-cinza.html
http://www.brasil247.com/pt/247/revista_oasis/167897/Salvar-as-florestas-A-batalha-pela-preserva%C3%A7%C3%A3o-das-
matas-tropicais.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório de campo
Relatório de campoRelatório de campo
Relatório de campo
PoderFx
 
Relatório de campo
Relatório de campoRelatório de campo
Relatório de campo
Maria Cristina Marques Mota
 
Biomas terrestres
Biomas terrestresBiomas terrestres
Biomas terrestres
Maria Olandina Machado
 
02 marte efeitos da radiação proteção dos seres vivos e equipamentos
02 marte efeitos da radiação   proteção dos seres vivos e equipamentos02 marte efeitos da radiação   proteção dos seres vivos e equipamentos
02 marte efeitos da radiação proteção dos seres vivos e equipamentos
duartejanuario
 
Poluição
PoluiçãoPoluição
Poluição
jokaeleandro
 
Combustiveis energia e_ambiente1
Combustiveis energia e_ambiente1Combustiveis energia e_ambiente1
Combustiveis energia e_ambiente1
Maria Helena Suldowski
 
Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010
guest900530
 
A quimica no efeito estufa
A quimica no efeito estufaA quimica no efeito estufa
A quimica no efeito estufa
Leandro Da Paz Aristides
 
Aval geo11
Aval geo11Aval geo11
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
Margarida Cardoso
 
CiêNcias 8º
CiêNcias 8ºCiêNcias 8º
CiêNcias 8º
JoeldeBarros
 
Apresentação gees 05.02
Apresentação gees 05.02Apresentação gees 05.02
Apresentação gees 05.02
Marcelo Gomes
 
Ativ35 rafaelbarbosa
Ativ35 rafaelbarbosaAtiv35 rafaelbarbosa
Ativ35 rafaelbarbosa
Rafael Barbosa
 
Geografia os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiro
Geografia   os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiroGeografia   os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiro
Geografia os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiro
Gustavo Soares
 
Bioma Maritmo Costeiro
Bioma   Maritmo CosteiroBioma   Maritmo Costeiro
Bioma Maritmo Costeiro
Jade
 

Mais procurados (15)

Relatório de campo
Relatório de campoRelatório de campo
Relatório de campo
 
Relatório de campo
Relatório de campoRelatório de campo
Relatório de campo
 
Biomas terrestres
Biomas terrestresBiomas terrestres
Biomas terrestres
 
02 marte efeitos da radiação proteção dos seres vivos e equipamentos
02 marte efeitos da radiação   proteção dos seres vivos e equipamentos02 marte efeitos da radiação   proteção dos seres vivos e equipamentos
02 marte efeitos da radiação proteção dos seres vivos e equipamentos
 
Poluição
PoluiçãoPoluição
Poluição
 
Combustiveis energia e_ambiente1
Combustiveis energia e_ambiente1Combustiveis energia e_ambiente1
Combustiveis energia e_ambiente1
 
Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010Origemda vida completo 08022010
Origemda vida completo 08022010
 
A quimica no efeito estufa
A quimica no efeito estufaA quimica no efeito estufa
A quimica no efeito estufa
 
Aval geo11
Aval geo11Aval geo11
Aval geo11
 
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
 
CiêNcias 8º
CiêNcias 8ºCiêNcias 8º
CiêNcias 8º
 
Apresentação gees 05.02
Apresentação gees 05.02Apresentação gees 05.02
Apresentação gees 05.02
 
Ativ35 rafaelbarbosa
Ativ35 rafaelbarbosaAtiv35 rafaelbarbosa
Ativ35 rafaelbarbosa
 
Geografia os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiro
Geografia   os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiroGeografia   os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiro
Geografia os grandes complexos climaticos e botanicos do territorio brasileiro
 
Bioma Maritmo Costeiro
Bioma   Maritmo CosteiroBioma   Maritmo Costeiro
Bioma Maritmo Costeiro
 

Destaque

Climas 1 2016
Climas 1 2016Climas 1 2016
Climas 1 2016
Fernanda Lopes
 
2 climas do brasil
2  climas do brasil2  climas do brasil
2 climas do brasil
Fernanda Lopes
 
Atmosfera e climas
Atmosfera e climasAtmosfera e climas
Atmosfera e climas
Fernanda Lopes
 
áFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanasáFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanas
Fernanda Lopes
 
China
ChinaChina
União Europeia
União EuropeiaUnião Europeia
União Europeia
Fernanda Lopes
 
Aspectos econômicos do brasil
Aspectos econômicos do brasilAspectos econômicos do brasil
Aspectos econômicos do brasil
Fernanda Lopes
 
America anglo saxonica física final
America anglo saxonica física finalAmerica anglo saxonica física final
America anglo saxonica física final
Fernanda Lopes
 
Terrorismo
TerrorismoTerrorismo
Terrorismo
Fernanda Lopes
 
Oriente medio
Oriente medioOriente medio
Oriente medio
Fernanda Lopes
 
Migrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaaMigrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaa
Fernanda Lopes
 
América central
América centralAmérica central
América central
Fernanda Lopes
 
Atualidades questão nuclear somente
Atualidades questão nuclear somenteAtualidades questão nuclear somente
Atualidades questão nuclear somente
Fernanda Lopes
 
2 cap3 mercosul
2 cap3 mercosul2 cap3 mercosul
2 cap3 mercosul
Fernanda Lopes
 
Conflitos nacionalistas na europa
Conflitos nacionalistas na europaConflitos nacionalistas na europa
Conflitos nacionalistas na europa
Fernanda Lopes
 
Cap4 1 eras geológicas
Cap4 1 eras geológicasCap4 1 eras geológicas
Cap4 1 eras geológicas
Fernanda Lopes
 
2 cap4 brasil-localização_iiiii
2 cap4 brasil-localização_iiiii2 cap4 brasil-localização_iiiii
2 cap4 brasil-localização_iiiii
Fernanda Lopes
 
México
MéxicoMéxico

Destaque (18)

Climas 1 2016
Climas 1 2016Climas 1 2016
Climas 1 2016
 
2 climas do brasil
2  climas do brasil2  climas do brasil
2 climas do brasil
 
Atmosfera e climas
Atmosfera e climasAtmosfera e climas
Atmosfera e climas
 
áFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanasáFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanas
 
China
ChinaChina
China
 
União Europeia
União EuropeiaUnião Europeia
União Europeia
 
Aspectos econômicos do brasil
Aspectos econômicos do brasilAspectos econômicos do brasil
Aspectos econômicos do brasil
 
America anglo saxonica física final
America anglo saxonica física finalAmerica anglo saxonica física final
America anglo saxonica física final
 
Terrorismo
TerrorismoTerrorismo
Terrorismo
 
Oriente medio
Oriente medioOriente medio
Oriente medio
 
Migrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaaMigrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaa
 
América central
América centralAmérica central
América central
 
Atualidades questão nuclear somente
Atualidades questão nuclear somenteAtualidades questão nuclear somente
Atualidades questão nuclear somente
 
2 cap3 mercosul
2 cap3 mercosul2 cap3 mercosul
2 cap3 mercosul
 
Conflitos nacionalistas na europa
Conflitos nacionalistas na europaConflitos nacionalistas na europa
Conflitos nacionalistas na europa
 
Cap4 1 eras geológicas
Cap4 1 eras geológicasCap4 1 eras geológicas
Cap4 1 eras geológicas
 
2 cap4 brasil-localização_iiiii
2 cap4 brasil-localização_iiiii2 cap4 brasil-localização_iiiii
2 cap4 brasil-localização_iiiii
 
México
MéxicoMéxico
México
 

Semelhante a Questões ambientaissss

Os Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da AtmosferaOs Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da Atmosfera
guest6226ea1
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
Fernanda Lopes
 
Problemas do continente europeu
Problemas do continente europeuProblemas do continente europeu
Problemas do continente europeu
Fernanda Lopes
 
Efeito estufa e Aquecimento global
Efeito estufa e  Aquecimento globalEfeito estufa e  Aquecimento global
Efeito estufa e Aquecimento global
Thiago Pontes
 
Projeto Minha Terra - Equipe BMDAK
Projeto Minha Terra - Equipe BMDAKProjeto Minha Terra - Equipe BMDAK
Projeto Minha Terra - Equipe BMDAK
Ana Maria Pomarino Monasterios
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
Fernanda Lopes
 
Ciências naturais: Efeito estufa
Ciências naturais: Efeito estufaCiências naturais: Efeito estufa
Ciências naturais: Efeito estufa
Mariana Silva
 
Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)
Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)
Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)
AndreaGama16
 
Efeito de estufa
Efeito de estufaEfeito de estufa
Efeito de estufa
Sara Afonso
 
1002
10021002
1002
Pelo Siro
 
AlteraçOes ClimáTicas F
AlteraçOes ClimáTicas FAlteraçOes ClimáTicas F
AlteraçOes ClimáTicas F
guestc4aaf2
 
Trabalho toxicologia net ateneia
Trabalho toxicologia net ateneiaTrabalho toxicologia net ateneia
Trabalho toxicologia net ateneia
Celso Aquivo
 
CICLOS BIOGEOQUÍMICOS
CICLOS BIOGEOQUÍMICOSCICLOS BIOGEOQUÍMICOS
CICLOS BIOGEOQUÍMICOS
Alexandre Pusaudse
 
Pp tozono2
Pp tozono2Pp tozono2
Pp tozono2
Carlos Jorge
 
EducaçãO Ambiental Efeito Estufa
EducaçãO Ambiental   Efeito EstufaEducaçãO Ambiental   Efeito Estufa
EducaçãO Ambiental Efeito Estufa
Tic Upe
 
O Efeito Estufa
O Efeito EstufaO Efeito Estufa
O Efeito Estufa
Renato Cardoso
 
O Efeito Estufa
O Efeito EstufaO Efeito Estufa
O Efeito Estufa
Renato Cardoso
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Edna Silva
 
AQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICAS
AQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICASAQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICAS
AQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICAS
RyhSouza
 

Semelhante a Questões ambientaissss (20)

Os Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da AtmosferaOs Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da Atmosfera
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Problemas do continente europeu
Problemas do continente europeuProblemas do continente europeu
Problemas do continente europeu
 
Efeito estufa e Aquecimento global
Efeito estufa e  Aquecimento globalEfeito estufa e  Aquecimento global
Efeito estufa e Aquecimento global
 
Projeto Minha Terra - Equipe BMDAK
Projeto Minha Terra - Equipe BMDAKProjeto Minha Terra - Equipe BMDAK
Projeto Minha Terra - Equipe BMDAK
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Ciências naturais: Efeito estufa
Ciências naturais: Efeito estufaCiências naturais: Efeito estufa
Ciências naturais: Efeito estufa
 
Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)
Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)
Aula 03_ Quimica da Atmosfera (Quimica Ambiental)
 
Efeito de estufa
Efeito de estufaEfeito de estufa
Efeito de estufa
 
1002
10021002
1002
 
AlteraçOes ClimáTicas F
AlteraçOes ClimáTicas FAlteraçOes ClimáTicas F
AlteraçOes ClimáTicas F
 
Trabalho toxicologia net ateneia
Trabalho toxicologia net ateneiaTrabalho toxicologia net ateneia
Trabalho toxicologia net ateneia
 
CICLOS BIOGEOQUÍMICOS
CICLOS BIOGEOQUÍMICOSCICLOS BIOGEOQUÍMICOS
CICLOS BIOGEOQUÍMICOS
 
Pp tozono2
Pp tozono2Pp tozono2
Pp tozono2
 
EducaçãO Ambiental Efeito Estufa
EducaçãO Ambiental   Efeito EstufaEducaçãO Ambiental   Efeito Estufa
EducaçãO Ambiental Efeito Estufa
 
O Efeito Estufa
O Efeito EstufaO Efeito Estufa
O Efeito Estufa
 
O Efeito Estufa
O Efeito EstufaO Efeito Estufa
O Efeito Estufa
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
AQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICAS
AQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICASAQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICAS
AQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA CARACTERÍSTICAS
 

Mais de Fernanda Lopes

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Fernanda Lopes
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundo
Fernanda Lopes
 
Mariana tragédia
Mariana tragédiaMariana tragédia
Mariana tragédia
Fernanda Lopes
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
Fernanda Lopes
 
China conteúdo
China conteúdoChina conteúdo
China conteúdo
Fernanda Lopes
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro ano
Fernanda Lopes
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Fernanda Lopes
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
Fernanda Lopes
 
Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2
Fernanda Lopes
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1
Fernanda Lopes
 
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Fernanda Lopes
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Fernanda Lopes
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Fernanda Lopes
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
Fernanda Lopes
 
Rússia país
Rússia paísRússia país
Rússia país
Fernanda Lopes
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentrada
Fernanda Lopes
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Fernanda Lopes
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Fernanda Lopes
 
Segunda guerra mundial face comentários
Segunda guerra mundial  face comentáriosSegunda guerra mundial  face comentários
Segunda guerra mundial face comentários
Fernanda Lopes
 
As duas europas
As duas europasAs duas europas
As duas europas
Fernanda Lopes
 

Mais de Fernanda Lopes (20)

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundo
 
Mariana tragédia
Mariana tragédiaMariana tragédia
Mariana tragédia
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
 
China conteúdo
China conteúdoChina conteúdo
China conteúdo
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro ano
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
 
Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1
 
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
 
Rússia país
Rússia paísRússia país
Rússia país
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentrada
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
 
Segunda guerra mundial face comentários
Segunda guerra mundial  face comentáriosSegunda guerra mundial  face comentários
Segunda guerra mundial face comentários
 
As duas europas
As duas europasAs duas europas
As duas europas
 

Último

A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 

Último (20)

A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 

Questões ambientaissss

  • 1. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 2. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 3. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Fonte. Exame. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/fotografa-retrata-urso-polar-no-artico-em-pele-e- osso>. Acesso em: 12 nov. 2015.
  • 4. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia A fotógrafa Kerstin Langenberger é uma das centenas de turistas que viajam todos os anos para o fiórde de Svalbard, no ártico norueguês, para observar ursos polares. Mas o que ela viu, recentemente, a deixou perplexa: Kerstin encontrou, repetidas vezes, animais famintos e com pouco mais do que pele e osso. Em um post comovente em seu perfil no Facebook, a fotógrafa publicou a imagem de um urso polar raquítico vagando atrás de alimento. Ela atribuiu a situação chocante ao degelo recorde do Ártico, associado ao aumento das temperaturas em meio às mudanças climáticas. (...) “Sim, eu vi ursos em boa forma - mas também tenho visto [ursos] mortos e morrendo de fome. Ursos andando nas margens à procura de comida, ursos tentando caçar renas, comer ovos do pássaro, musgo e algas", escreveu a fotógrafa. Segundo os cientistas, a diminuição do gelo do Ártico reduz a oferta de comida para os animais (o principal alimento dos ursos são focas). Em junho deste ano, um grupo de cientistas observou ursos polares comendo golfinhos-de-bico-branco, pela primeira vez, no fiórde de Svalbard, o mesmo lugar retratado por Kerstin. Fonte. Exame. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/fotografa-retrata-urso-polar-no-artico-em-pele-e- osso>. Acesso em: 12 nov. 2015.
  • 5. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 6. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 7. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 8. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 9. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 10. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 11. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 12. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 13. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Alteração climática no planeta
  • 14. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Alteração climática no planeta O que é clima?
  • 15. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Alteração climática no planeta O que é clima? clima: conjunto de características atmosféricas que mais se repetem ao longo de um período de tempo(comportamento que mais vai se repetir). Brasil quente e úmido.
  • 16. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Quando ocorrem muitas construções (desenvolvimento) de uma cidade, a vegetação é retirada em grande quantidade. Só essa mudança já vai gerar uma possibilidade de grande alteração climáticas (vegetação tem uma absorção menor de calor)
  • 17. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Por exemplo: Ilhas de Calor pontos urbanos com maior temperatura do que seus arredores)
  • 18. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Por exemplo: Ilhas de Calor pontos urbanos com maior temperatura do que seus arredores) O grande fenômeno causador das mudanças globais é o chamado AQUECIMENTO GLOBAL (aumento geral da temperatura próximo à superfície)
  • 19. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Efeito Estufa  fenômeno natural e vital para o planeta. É importante que essa temperatura seja aprisionada na atmosfera terrestre para que possibilite o surgimento das plantas, o não congelamento das águas, o desenvolvimento do animais....
  • 20. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Quando a radiação solar chega à Terra, parte dela vai retornar, vai subir novamente (uma parte da radiação emitida pelo sol fica retida pelo Efeito Estufa em formato de calor) Atmosfera (basicamente é feita de oxigênio e hidrogênio)
  • 21. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Quando a radiação solar chega à Terra, parte dela vai retornar, vai subir novamente (uma parte da radiação emitida pelo sol fica retida pelo Efeito Estufa em formato de calor) Atmosfera (basicamente é feita de oxigênio e hidrogênio)
  • 22. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Fenômenos que rompem as barreiras locais, agindo no global.
  • 23. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Emissão de gases (chamados gases estufa) aumentou rapidamente após a experiência industrial. -Dióxido de Carbono -Metano -Óxido Nitroso Diversos gases que contêm flúor Ilustração da paisagem inglesa durante a Revolução Industrial. As grandes chaminés expelindo fumaça representava desenvolvimento.
  • 24. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Emissão de gases (chamados gases estufa) aumentou rapidamente após a experiência industrial. -Dióxido de Carbono -Metano -Óxido Nitroso Diversos gases que contêm flúor Ilustração da paisagem inglesa durante a Revolução Industrial. As grandes chaminés expelindo fumaça representava desenvolvimento. GEE (Gases do Efeito Estufa)  conjunto de gases que quando estão na atmosfera vão reter parte do calor.
  • 25. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Emissão de gases (chamados gases estufa) aumentou rapidamente após a experiência industrial. -Dióxido de Carbono: (CO2) Uma grande parte é gerado pela queima de combustíveis fóseis (petróleo,carvão), bem como -de maneira indireita- pela perda das florestas, principais fornecedoras de CO2, que são destruídas como o objetivo de obter mais terras para desenvolver a agricultura e a madeira. -Metano: (CH4) pecuária, o cultivo de arroz, a queima de biomassa. -Óxido Nitroso: (NH2) Gerado nos processos industriais, bem como pelo emprego de fertilizantes industriais e pelo desmatamento. Diversos gases que contêm fluor (fluorhidrocarbonos –usados na refrigeração- , perfluorocarbonos –produção de aluminio- e na industria eletrônica.
  • 26. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global. 1° Revolução Industrial carvão mineral
  • 27. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global. 1° Revolução Industrial carvão mineral 2° Revolução Industrial petróleo
  • 28. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global. 1° Revolução Industrial carvão mineral 2° Revolução Industrial petróleo 3° Revolução Industrial petróleo ainda é utilizado
  • 29. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia O uso (a queima) de combustíveis fósseis é um dos maiores causadores do Aquec. Global. 1° Revolução Industrial carvão mineral 2° Revolução Industrial petróleo 3° Revolução Industrial petróleo ainda é utilizado Desde 1789 ocorre a atividade industrial no planeta (e a partir dessa data estamos queimando combustíveis fósseis na Terra).
  • 30. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Aumentou muito o consumo do homem. A Revolução Industrial e sua grande produção prega e necessita do desenvolvimento em massa.
  • 31. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia O principal modelo de sociedade, uma sociedade urbano-industrial, utiliza uma grande rede de transportes, com muita queima de combustível, com muita produção e muita exploração de recursos.
  • 32. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 33. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Os países desenvolvidos são os que mais emitiram gases estufa ao longo dos anos, mas deve-se observar a emissão de 3 países emergentes: Brasil, China e Índia (além de possuírem importantes parques industriais, grandes queimas de combustíveis fósseis, grandes populações, grandes consumos, eles aparecem como um importante alterador do clima)
  • 34. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia No Brasil grande parte dos impactos ambientais são provocados pelo avanço da agropecuária e das queimadas.
  • 35. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia É verdade que o pum das vacas aumenta o efeito estufa? É, sim! Durante a digestão, bois e vacas produzem muito metano, um gás que contribui com 23% do efeito estufa e é 21 vezes mais ativo que o gás carbônico na retenção dos raios solares que aquecem o globo! No Brasil, os rebanhos de bovinos e outros ruminantes (cabras, ovelhas, búfalos...) são responsáveis por 90% do metano gerado no país - no mundo, esse índice cai para 28%. O gás é produzido por bactérias do rúmen (uma das quatro cavidades do estômago dos bichos), que ajudam a retirar a energia dos alimentos que o gado come. O mais curioso é que a maior parte dos gases não sai estrondosamente pelo ânus do bicho, mas pela boca, como se fosse um arroto, junto com a respiração. Mas, antes que alguém resolva dar nome aos bois e mandar as vacas para o brejo por causa do efeito estufa, vale lembrar que o maior responsável pelo excessivo aquecimento global é o gás carbônico emitido por fábricas e carros." No caso dos ruminantes, dá para reduzir a emissão de metano mexendo na dieta dos animais e diminuindo o tempo para o abate", afirma o agrônomo Sérgio Raposo, da Embrapa. Bufando e andandoRuminantes emitem 28% do metano produzido no mundo Fontes produtoras de metano no planeta Animais ruminantes - 28% Gás natural - 15% Aterros - 13% Cultivo de arroz - 11% Esgoto - 10% Outros - 23% Fonte: Painel intergovernamental em mudanca do clima (IPCC) http://mundoestranho.abril.com.br/materia/e-verdade-que-o-pum-das-vacas-aumenta-o-efeito-estufa
  • 36. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Idealizada na ditadura militar e inaugurada em 1989, ela custou, na época, US$ 1 bilhão. Inundou 2,6 mil quilômetros quadrados de riquíssimas florestas nativas. Os milhões de árvores que tiveram suas raízes submersas não foram retirados e transformados em madeira produtiva – estão lá apodrecendo. As águas do lago imenso produzem hoje apenas de 120 MW a 130 MW de energia; é a unidade de geração mais ineficiente entre as 113 hidrelétricas do País. Desde o início desse projeto, muitos cientistas reclamaram, mostrando os erros, mas foram ignorados pelo governo. Quando a usina entrou em funcionamento parcial, em 1988, até mesmo o governo reconheceu que ela é uma verdadeira tragédia. Balbina é uma tragédia econômica, ecológica e social. represa de Balbina, município de Presidente Figueiredo, no estado do Amazonas
  • 37. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Alguns estudos mostram que o metano pode poluir até 30 vezes mais que o CO2 natural
  • 38. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Em um futuro próximo, o Brasil estará na lista dos maiores poluidores -muitas hidrelétricas -muito gado -muitos automóveis O Pará é o terceiro no ranking nacional dos rebanhos de bois e bubalinos, com quase 20 milhões cabeças. O estado só perde para Minas Gerais e Mato Grosso. Fonte:http://www.zedudu.com.br/par-o-terceiro-no-ranking-nacional-dos-rebanhos-de-bois-e-bubalinos/
  • 39. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Albedo trata-se da relação de reflexão da radiação solar As superfícies vão reter/absorver e refletir (em alguns casos chega a ficar em 10% de calor retido e 90% de calor devolvido)
  • 40. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia 90%30%5% 8% 20% 45% Irradiação da energia solar segundo diferentes superfícies
  • 41. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia No caso das calotas polares, a maior parte da radiação vai ser refletida e não absorvida, portanto, ajuda a região a continuar congelada.
  • 42. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Diminuir o albedo das regiões polares aumenta a taxa de absorção da radiação e o calor. A atuação humana tem diminuído as áreas congeladas na Terra. Imagina se, com o Aquecimento Global, o gelo começar a derreter. Uma parte da superfície vai ficar exposta.
  • 43. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Diminuir o albedo das regiões polares aumenta a taxa de absorção da radiação e o calor. A atuação humana tem diminuído as áreas congeladas na Terra. Imagina se, com o Aquecimento Global, o gelo começar a derreter. Uma parte da superfície vai ficar exposta.
  • 44. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia A superfície pode chegar até a 80% de absorção e apenas 20% de retenção.
  • 45. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia A superfície pode chegar até a 80% de absorção e apenas 20% de retenção. Sem contar que a superfície quente vai acabar ajudando a derreter mais gelo e expor mais a superfície ainda...
  • 46. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia O derretimento do gelo da Groenlândia é alvo de intensos estudos sobre sua participação na elevação global do nível do mar. No entender de Yan Jiang, que também assina o trabalho, se a aceleração da elevação e do derretimento continuar na atual taxa, a Groenlândia poderá em breve tornar-se o maior contribuinte para o aumento global do nível do mar.
  • 47. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Parte da água potável que estava nas geleiras pode ir parar no oceano.
  • 48. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Parte da água potável que estava nas geleiras pode ir parar no oceano. Uma grande preocupação da humanidade no futuro será a questão do acesso à água potável pelas populações, portanto, além da questão do aumento do nível dos oceanos ainda existe a questão da perda de água potável que vai se misturar com a salgada.
  • 49. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia A água doce do degelo ao se misturar com a água salgada dos oceanos significa perda de água potável. Essa preocupação é maior ainda, pois passa das questões climáticas (que já são graves) para as questões sociais.
  • 50. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Toda essa alteração pode ganhar proporções globais, por exemplo: algumas correntes quentes podem ter suas temperaturas também diminuídas e acabar interferindo no regime de chuvas
  • 51. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Toda essa alteração pode ganhar proporções globais, por exemplo: algumas correntes quentes podem ter suas temperaturas também diminuídas e acabar interferindo no regime de chuvas Em alguns locais pode chover mais (mais água no sistema: vai evaporar mais e ter mais água na atmosfera). Em outros locais, pela água estar mais fria pode ocorrer a diminuição do regime de chuvas, ou seja, pode gerar chuva de um lado, seca de outro.
  • 52. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia As florestas fazem um importante processo de ciclagem, além do processo óbvio de oxigênio, essas florestas tem uma posição forte na questão de liberação de água na atmosfera, a proteção do solo com a radiação solar.
  • 53. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 54. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 55. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Também chamado de DESFLORESTAMENTO, trata-se da destruição gradativa das áreas florestais causadas pela ação antrópica.
  • 56. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Processo que tem início com o surgimento das cidades e mais tarde, com o desenvolvimento das industrias.
  • 57. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia No filme A Bruxa de Blair, sucesso de bilheteria do cinema alternativo americano, há uma cena que fez meu sangue de ecologista amador brasileiro e defensor do crescimento sustentável literalmente borbulhar. Os três estudantes do longa estão totalmente perdidos numa floresta da Nova Inglaterra e a garota começa a entrar em pânico achando que nunca mais sairia daquela selva. Seu colega então diz algo parecido com: "Não seja idiota, nós destruímos todas as nossas florestas temperadas. É só andarmos mais meia hora em linha reta que logo sairemos daqui". Se alguém se perder na Floresta Amazônica, poderá ter de andar por noventa dias até achar uma saída, tal o nível de preservação de nossa Amazônia, comparada com as demais florestas. http://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/blogs/107194- rio20-salvem-as-florestas-temperadas.html#.VzO16mz2bIU
  • 58. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia A busca por novos solos para a prática agropecuária também contribuiu para aumentar o desmatamento.
  • 59. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 60. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 61. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia DOMÍNIOS VEGETAIS BRASILEIROS
  • 62. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia DOMÍNIOS VEGETAIS BRASILEIROS #AMAZÔNIA ÁREA DE ABRANGÊNCIA: *Totalmente  RR, PA, AC, AP, AM *Parcialmente  RO (98%), MT (54%), MA (34%) e TO (9%) *AMAZÔNIA TOTAL Amazônia em nove países: Brasil, Colômbia, Peru, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa *CLIMA Equatorial *MASSA DE AR MAIS ATUANTE mEc
  • 63. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de GeografiaBrasil, Colômbia, Peru, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa
  • 64. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia No Brasil, o processo de desmatamento foi intensificado durante a instalação do sistema de plantation de cana de açúcar. Mais tarde a construção das cidades, estradas e implantação dos sistemas de transporte.
  • 65. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA
  • 66. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 67. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia AMAZÔNIA DESMATADA
  • 68. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 69. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 70. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 71. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 72. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de GeografiaSinop (MT).
  • 73. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia #MATA ATLÂNTICA *CLIMA Subtropical, Tropical de Altitude *MASSA DE AR MAIS ATUANTE mEc, mTa BIOMA mais desmatado. -Espaço natural que foi mais devastado pela intensa urbanização e industrialização que ocorreram no Brasil
  • 74. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Devastação da Mata Atlântica Mata Atlântica, hoje reduzido a 7% de sua configuração original
  • 75. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Devastação da Mata Atlântica
  • 76. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia EXTRATIVISMO VEGETAL - MADEIRA Atualmente, as principais causas do desmatamento são: -a derrubada de árvores cuja madeira tem valor comercial elevado -retirada da vegetação para o pasto -queimada para preparar a terra para o cultivo
  • 77. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia EXTRATIVISMO VEGETAL - MADEIRA Como consequência dessas ações antrópicas, há: -a redução da biodiversidade -redução dos índices pluviométricos -aumento da temperatura -intensificação da erosão.
  • 78. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 79. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia http://www.infoescola.com/historia/revolucao-industrial/ http://www.samicultura.com.br/pt-br/curiosidade/pesca-na-balbina http://www.aultimaarcadenoe.com.br/represa-de-balbina-am/ https://psicosaber.wordpress.com/2011/04/14/balbina-a-hidreletrica-do-caos/ http://www.cepa.if.usp.br/energia/energia1999/Grupo2B/Hidraulica/balbina.htm http://www.apolo11.com/mudancas_climaticas.php?posic=dat_20100519-090401.inc http://www.megabuzz.com.br/fique-ligado-nas-causas-e-consequencias-aquecimento-global/ http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2014/09/o-gelo-da-groenlandia-esta-ficando-cinza.html http://www.brasil247.com/pt/247/revista_oasis/167897/Salvar-as-florestas-A-batalha-pela-preserva%C3%A7%C3%A3o-das- matas-tropicais.htm