SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 128
Baixar para ler offline
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
No mundo contemporâneo, a questão nuclear é das mais
               sérias e complicadas.




                         Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
No mundo contemporâneo, a questão nuclear é das mais
                sérias e complicadas.


  A humanidade vive sob o uso de armamentos desse tipo
 desde que, em agosto de 1945, os EUA despejaram bombas
atômicas sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki, matando
     ou incapacitando centenas de milhares de pessoas.




                            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
2° Guerra         vestígios mal resolvidos no final da 1°
   Mundial                      Guerra Mundial

-Alemanha, junto com Itália e com o império Austro-Húngaro
       Tríplice Aliança) perde a 1° Guerra Mundial




                            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
2° Guerra          vestígios mal resolvidos no final da 1°
    Mundial                       Guerra Mundial

-Alemanha, junto com Itália e com o império Austro-Húngaro
       Tríplice Aliança) perde a 1° Guerra Mundial

-As potências vencedoras (Tríplice Entente – Inglaterra, França
    e Rússia) reuniram-se em Versalhes-França onde foram
           elaboradas pesadas multas à Alemanha.




                              Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
2° Guerra          vestígios mal resolvidos no final da 1°
    Mundial                       Guerra Mundial

-Alemanha, junto com Itália e com o império Austro-Húngaro
       Tríplice Aliança) perde a 1° Guerra Mundial

-As potências vencedoras (Tríplice Entente – Inglaterra, França
    e Rússia) reuniram-se em Versalhes-França onde foram
           elaboradas pesadas multas à Alemanha.

O país que já estava arrasado, caiu no desemprego, miséria e
                            fome.

                              Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A maior parte dos alemães deu-se conta de que a crise
socioeconômica que se abateu pelo país era resultado direto
          das resoluções impostas em Versalhes.




                            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A maior parte dos alemães deu-se conta de que a crise
socioeconômica que se abateu pelo país era resultado direto
          das resoluções impostas em Versalhes.
Por isso, gradualmente, cresceu na Alemanha um rancoroso sentimento
  nacionalista, que induzia a Alemanha a se tornar forte novamente.



                         Um clima de vingança pairava sobre o país.




                                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A maior parte dos alemães deu-se conta de que a crise
socioeconômica que se abateu pelo país era resultado direto
          das resoluções impostas em Versalhes.
Por isso, gradualmente, cresceu na Alemanha um rancoroso sentimento
  nacionalista, que induzia a Alemanha a se tornar forte novamente.



                         Um clima de vingança pairava sobre o país.


                             Na década de 30, subiu ao poder na
                            Alemanha, um grupo que pregava essa
                          vingança. Era o Partido Nacional Socialista,
                            mais conhecido como Partido Nazista.

                                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
-Hitler foi um dos grandes responsáveis pela eclosão da
Segunda Guerra Mundial. (1939 – 1945)
             -Ataque a Pearl Harbor (07/dez/1941)




                              Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Pela primeira vez na história em agosto de 1945 (06 e 09),
 artefatos com tal poder mortífero foram lançados sobre
                     populações civis.


 Nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki.




                            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Maquete de Hiroshima ANTES da bomba nuclear
                                         Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Maquete de Hiroshima DEPOIS da bomba nuclear
                                         Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
HIROSHIMA   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
NAGASAKI antes e depois


Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Hiroshima antes e depois da explosão


                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Bush chamou líderes da Coréia do Sul, Rússia, Japão e China para reafirmarem o compromisso
com uma península coreana livre de armas nucleares. Na ONU, os EUA propuseram sanções
duras, como proibição do comércio de artigos militares e de luxo, inspeção de mercadorias
importadas ou exportadas do país e congelamento de bens ligados às armas. O embaixador
americano, John Bolton, ameaçou: a Coréia do Norte possui uma história de sucesso em
intimidar outros países, mas não terá sucesso conosco., acrescentou..Diário Popular, 11 de outubro de 2006, p. 24.

O texto acima faz referência ao suposto teste nuclear realizado pela Coréia do Norte. No passado, o Japão foi alvo de duas
bombas atômicas. Sobre este assunto todas as opções estão corretas, com exceção daquela que afirma que




Universidade Católica de Pelotas                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Bush chamou líderes da Coréia do Sul, Rússia, Japão e China para reafirmarem o compromisso
com uma península coreana livre de armas nucleares. Na ONU, os EUA propuseram sanções
duras, como proibição do comércio de artigos militares e de luxo, inspeção de mercadorias
importadas ou exportadas do país e congelamento de bens ligados às armas. O embaixador
americano, John Bolton, ameaçou: a Coréia do Norte possui uma história de sucesso em
intimidar outros países, mas não terá sucesso conosco., acrescentou..Diário Popular, 11 de outubro de 2006, p. 24.

O texto acima faz referência ao suposto teste nuclear realizado pela Coréia do Norte. No passado, o Japão foi alvo de duas
bombas atômicas. Sobre este assunto todas as opções estão corretas, com exceção daquela que afirma que


a)a derrota do imperialismo militarista nipônico implicou, também, a perda de mercados
consumidores dos seus produtos e fornecedores de matérias-primas.

b)passados alguns anos após o ataque das duas bombas atômicas, o Japão vivenciou uma
extraordinária e rápida recuperação econômica, fato que ficou conhecido como o .milagre japonês..

c)as bombas atômicas lançadas pelos Estados Unidos em Hiroshima e Nagasaki levaram os nipônicos a
revidarem por meio do ataque japonês à base americana de Pearl Harbor.

d)o lançamento das duas bombas atômicas levou o governo japonês a solicitar o armistício dias depois das
explosões ocorridas em Hiroshima e Nagasaki.

e)as bombas de Hiroshima e Nagasaki lançadas pelos Estados Unidos, em agosto de 1945,
causaram a curto prazo milhares de mortes e, a longo prazo, a incidência de muitas doenças
causadas pela radioatividade.
Universidade Católica de Pelotas                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Bush chamou líderes da Coréia do Sul, Rússia, Japão e China para reafirmarem o compromisso
com uma península coreana livre de armas nucleares. Na ONU, os EUA propuseram sanções
duras, como proibição do comércio de artigos militares e de luxo, inspeção de mercadorias
importadas ou exportadas do país e congelamento de bens ligados às armas. O embaixador
americano, John Bolton, ameaçou: a Coréia do Norte possui uma história de sucesso em
intimidar outros países, mas não terá sucesso conosco., acrescentou..Diário Popular, 11 de outubro de 2006, p. 24.

O texto acima faz referência ao suposto teste nuclear realizado pela Coréia do Norte. No passado, o Japão foi alvo de duas
bombas atômicas. Sobre este assunto todas as opções estão corretas, com exceção daquela que afirma que


a)a derrota do imperialismo militarista nipônico implicou, também, a perda de mercados
consumidores dos seus produtos e fornecedores de matérias-primas.

b)passados alguns anos após o ataque das duas bombas atômicas, o Japão vivenciou uma
extraordinária e rápida recuperação econômica, fato que ficou conhecido como o .milagre japonês..

c)as bombas atômicas lançadas pelos Estados Unidos em Hiroshima e Nagasaki levaram os nipônicos a
revidarem por meio do ataque japonês à base americana de Pearl Harbor.

d)o lançamento das duas bombas atômicas levou o governo japonês a solicitar o armistício dias depois das
explosões ocorridas em Hiroshima e Nagasaki.

e)as bombas de Hiroshima e Nagasaki lançadas pelos Estados Unidos, em agosto de 1945,
causaram a curto prazo milhares de mortes e, a longo prazo, a incidência de muitas doenças
causadas pela radioatividade.
Universidade Católica de Pelotas                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UFMS


Os atentados terroristas, ocorridos em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América,
foram comparados, por analistas políticos e pela imprensa internacional, com o ataque japonês
à base naval norte-americana de Pearl Harbor e com o assassinato, na cidade de Sarajevo, do
herdeiro do trono austríaco, arquiduque Francisco Ferdinando. Esses dois últimos fatos
marcaram, respectivamente:




                                             Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UFMS


Os atentados terroristas, ocorridos em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América,
foram comparados, por analistas políticos e pela imprensa internacional, com o ataque japonês
à base naval norte-americana de Pearl Harbor e com o assassinato, na cidade de Sarajevo, do
herdeiro do trono austríaco, arquiduque Francisco Ferdinando. Esses dois últimos fatos
marcaram, respectivamente:


a) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra do Vietnã.

b) o início da Guerra do Iraque e o início da Guerra do Vietnã.

c) o início da Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra dos Sete Dias.

d) o início da Primeira Guerra Mundial e o início da Segunda Guerra Mundial.

e) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Primeira Guerra
Mundial.




                                                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UFMS


Os atentados terroristas, ocorridos em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América,
foram comparados, por analistas políticos e pela imprensa internacional, com o ataque japonês
à base naval norte-americana de Pearl Harbor e com o assassinato, na cidade de Sarajevo, do
herdeiro do trono austríaco, arquiduque Francisco Ferdinando. Esses dois últimos fatos
marcaram, respectivamente:


a) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra do Vietnã.

b) o início da Guerra do Iraque e o início da Guerra do Vietnã.

c) o início da Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra dos Sete Dias.

d) o início da Primeira Guerra Mundial e o início da Segunda Guerra Mundial.

e) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Primeira Guerra
Mundial.




                                                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Nas décadas seguintes, negociações diplomáticas procuraram
         regulamentar a utilização dessas armas.




                            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Nas décadas seguintes, negociações diplomáticas procuraram
         regulamentar a utilização dessas armas.




                            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Nas décadas seguintes, negociações diplomáticas procuraram
         regulamentar a utilização dessas armas.




O Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP) entrou em vigor em 1970,
permite que apenas 5 países – EUA, Rússia, China, Reino Unido e França
– mantenham seu arsenal, desde que não repassem a tecnologia para
fins bélicos a outras nações.



                                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O TNP considera as nações divididas em dois blocos:

-De um lado, os 5 países que explodiram alguma bomba antes de 1° de
Janeiro de 1967.
              -EUA
              -Rússia (ex-URSS)
              -China
              -Reino Unido
              -França

-de outro, todos os demais países, que devem se comprometer a não
tentar obter armas nucleares.



                                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O TNP considera as nações divididas em dois blocos:

-De um lado, os 5 países que explodiram alguma bomba antes de 1° de
Janeiro de 1967.
              -EUA
              -Rússia (ex-URSS)                  Grupo integrante do
              -China                            Conselho permanente
                                                      da ONU
              -Reino Unido
              -França

-de outro, todos os demais países, que devem se comprometer a não
tentar obter armas nucleares.



                                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O TNP estipula que as visitas periódicas de inspeção têm de ser
negociadas previamente com cada país e há limites para as verificações.

Os técnicos podem averiguar o grau de enriquecimento do urânio, mas
não o funcionamento das centrífugas (segredo industrial).




                                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O TNP estipula que as visitas periódicas de inspeção têm de ser
negociadas previamente com cada país e há limites para as verificações.

Os técnicos podem averiguar o grau de enriquecimento do urânio, mas
não o funcionamento das centrífugas (segredo industrial).


A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), aprovou, em 1997,
um PROTOCOLO ADICIONAL, que dá aos inspetores da agência poderes
de investigação mais amplos.


                                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O TNP estipula que as visitas periódicas de inspeção têm de ser
negociadas previamente com cada país e há limites para as verificações.

Os técnicos podem averiguar o grau de enriquecimento do urânio, mas
não o funcionamento das centrífugas (segredo industrial).


A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), aprovou, em 1997,
um PROTOCOLO ADICIONAL, que dá aos inspetores da agência poderes
de investigação mais amplos.

O objetivo seria detectar a existência de atividades secretas.
                                    Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O protocolo não se aplica a nenhum dos cinco países dotados de armas,
o que cria uma situação assimétrica.




      Barack Obama      Nicolas Sarkozy    Rainha Elizabeth                Hu Jintau                 Vladmir Putin
     Presidente (EUA)   Presidente (FRA)    (Reino Unido)             Presidente (CHINA)         Primeiro Ministro (RUS)




                                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O protocolo não se aplica a nenhum dos cinco países dotados de armas,
o que cria uma situação assimétrica.




      Barack Obama      Nicolas Sarkozy    Rainha Elizabeth                Hu Jintau                 Vladmir Putin
     Presidente (EUA)   Presidente (FRA)    (Reino Unido)             Presidente (CHINA)         Primeiro Ministro (RUS)


Para a enorme maioria das nações do mundo, que não possuem
bombas, impõe-se um controle rigoroso. Aos detentores dos
armamentos, exige-se o compromisso do desarmamento, sem prazos.
                                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O presidente Mahmoud Ahmadinejad
afirma que seu país tem o ‘direito
inalienável’ de produzir tecnologia
nuclear para fins pacíficos, e por isso
desenvolve o enriquecimento de urânio.




Em níveis baixos, esse enriquecimento é empregado para fins pacíficos,
como a geração de energia elétrica.
                                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Quantidade (%) de enriquecimento de urânio para:




-PRODUÇÃO DE ENERGIA                  3,5                     %


-PRODUÇÃO DA BOMBA NUCLEAR               90,0                                                   %


                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apenas o enriquecimento em nível alto pode ser usado para produzir
armas nucleares.

O índice de enriquecimento de urânio obtido pelo Irã (3,5%) permite a
produção de energia elétrica, mas está longe dos 90% necessários para
a fabricação de bombas atômicas.




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O governo iraniano afirma que o enriquecimento de urânio no nível
realizado pelo país é permitido pelo TNP, desde que o processo seja
inspecionado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA),
organismo vinculado à ONU.




                                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O governo iraniano afirma que o enriquecimento de urânio no nível
realizado pelo país é permitido pelo TNP, desde que o processo seja
inspecionado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA),
organismo vinculado à ONU.



Segundo Ahmadinejad isso vem sendo feito, e as
acusações do Ocidente são só baseadas em
desconfiança política, sem base em fatos.




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Do lado dos EUA existe a pressão para que o Irã dê um passo a mais e
além do TNP, ratifique também o PROTOCOLO ADICIONAL, de 1997, que
amplia muito      as possibilidades de fiscalização.




                        Essa questão afeta também o programa
                        nuclear brasileiro.



                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há
muito mais tempo.




                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há
muito mais tempo.

-1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA)
-1980 Motivados por questões políticas e territoriais, Irã e Iraque
entram numa guerra que dura oito anos. No conflito, os EUA apoiam o
Iraque comandado por Saddan Hussein.




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há
muito mais tempo.

-1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA)
-1980 Motivados por questões políticas e territoriais, Irã e Iraque
entram numa guerra que dura oito anos. No conflito, os EUA apoiam o
Iraque comandado por Saddan Hussein.

Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA:




                                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA:
“Em 2003, o secretário de defesa Donald Rumsfeld, citou o uso de gás venenoso por parte do
Iraque como uma razão para atacar o país, mas, em 1984, ele nem comentava esse tipo de
ataque (que sempre ocorria).” p.37




                                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA:
“Em 2003, o secretário de defesa Donald Rumsfeld, citou o uso de gás venenoso por parte do
Iraque como uma razão para atacar o país, mas, em 1984, ele nem comentava esse tipo de
ataque (que sempre ocorria).” p.37

“Em 1988, as forças de Saddan atacaram civis curdos na cidade de Halabja, com gases
venenosos...ao todo suspeita-se que cerca de 5 mil pessoas morreram nesses ataques. Em
resposta ao ataque a gás, o Senado dos EUA aprovou por unanimidade sanções radicais que
teriam negado ao Iraque acesso à maior parte da tecnologia americana.
A medida foi abolida pela Casa Branca. O motivo? Havia muito dinheiro a ser ganho no Iraque.”

“Em dezembro de 1988, com as sepulturas em Halabja ainda recentes, a Dow Chemical vendeu
para o Iraque o equivalente a US$ 1,5 milhão em pesticidas.”p.38




                                             Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA:
“Em 2003, o secretário de defesa Donald Rumsfeld, citou o uso de gás venenoso por parte do
Iraque como uma razão para atacar o país, mas, em 1984, ele nem comentava esse tipo de
ataque (que sempre ocorria).” p.37

“Em 1988, as forças de Saddan atacaram civis curdos na cidade de Halabja, com gases
venenosos...ao todo suspeita-se que cerca de 5 mil pessoas morreram nesses ataques. Em
resposta ao ataque a gás, o Senado dos EUA aprovou por unanimidade sanções radicais que
teriam negado ao Iraque acesso à maior parte da tecnologia americana.
A medida foi abolida pela Casa Branca. O motivo? Havia muito dinheiro a ser ganho no Iraque.”

“Em dezembro de 1988, com as sepulturas em Halabja ainda recentes, a Dow Chemical vendeu
para o Iraque o equivalente a US$ 1,5 milhão em pesticidas.”p.38

Uma piada circulava pelos EUA durante a invasão do Iraque (2002)
“O Iraque tem armas de destruição em massa! Grita o secretário de defesa dos EUA, Donald
Rumsfeld, para quem quiser ouvir.
“Como você sabe?” pergunta um observador.
“Porque eu tenho os recibos!”. p.38          Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há
muito mais tempo.

-1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA)
-1980 Motivados por questões políticas e territoriais, Irã e Iraque
entram numa guerra que dura oito anos. No conflito, os EUA apoiam o
Iraque comandado por Saddan Hussein.
-2001  George W. Bush, então presidente dos EUA, declara a ‘guerra
contra o terror’ e acusa o Irã de apoiar os terroristas.
-o governo Irã posiciona-se frontalmente contra Israel.
-apoia grupos fundamentalistas islâmicos (Hezbollah e Hamas)


                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
X
A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há
muito mais tempo.

-1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA)
-2001  George W. Bush, então presidente dos EUA, declara a ‘guerra
contra o terror’ e acusa o Irã de apoiar os terroristas.
-o governo Irã posiciona-se frontalmente contra Israel.
-apoia grupos fundamentalistas islâmicos (Hezbollah e Hamas)




Recentemente o presidente iraniano causou indignação internacional ao
por em dúvida a ocorrência do holocausto.
                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Execução por parte dos nazistas, de 6 milhões de judeus
         durante a Segunda Guerra Mundial.



                                          Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O início do programa nuclear iraniano, ocorreu na década de 70, ainda
durante o regime do Xá Reza Phalevi.

Naquela época, a iniciativa tinha o apoio dos EUA e da Europa.




                                   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O início do programa nuclear iraniano, ocorreu na década de 70, ainda
durante o regime do Xá Reza Phalevi.

Naquela época, a iniciativa tinha o apoio dos EUA e da Europa.



Com a revolução islâmica, os países ocidentais
se voltam contra o Irã, que em 1985 descobre
minas de urânio em seu território.




                                   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A negativa do Irã em paralisar o programa nuclear já havia levado a ONU
a aprovar três pacotes de sanções:

-dezembro de 2006
-março de 2007
-março de 2008.
Entre as medidas adotadas estão:

-proibição ao Irã de comercializar armas
-veto à negociações com determinadas
autoridades ou instituições iranianas.

                                   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Após as primeiras sanções, em 2006, o Irã não permitiu mais visitas de
técnicos da AIEA a locais não vinculados
a atividades atômicas.
Até então o país aceitava
voluntariamente a fiscalização,
prevista no protocolo adicional
(não ratificado pelo Irã), mas que
não faz parte das exigências
básicas do TNP – o tratado define
visitas periódicas só a instalações
nucleares.



                                      Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Hoje o enriquecimento de urânio é uma atividade comercial, que
envolve setores civis, como medicina, engenharia e sobretudo energia,
em um momento que se busca ampliar o uso de energias limpas.




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Logo, a possibilidade de que vários países detenham essa tecnologia,
além da questão de segurança, também engloba um aspecto
econômico.




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Nesse ponto, Brasil e Irã compartilham interesses comuns, pois ambos
enriquecem urânio e podem, num futuro próximo, tornar-se
exportadores nessa área.




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Nesse ponto, Brasil e Irã compartilham interesses comuns, pois ambos
enriquecem urânio e podem, num futuro próximo, tornar-se
exportadores nessa área.




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Nesse ponto, Brasil e Irã compartilham interesses comuns, pois ambos
enriquecem urânio e podem, num futuro próximo, tornar-se
exportadores nessa área.


Por essa razão , temem que
as    inspeções    ilimitadas
previstas pelo protocolo
adicional possam camuflar
alguma           espionagem
industrial.




Assim como o Irã, o Brasil não
assinou o protocolo adicional.   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Em maio de 2010, Lula, o primeiro ministro
turco Recep Tayyp Erdogan e Ahmadinejad
assinaram um acordo pelo qual o governo
iraniano se comprometia a enviar 1,2 mil
quilos de seu urânio de baixo enriqueci-
mento (3,5%) para ficar sob a guarda da Turquia




                                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Em maio de 2010, Lula, o primeiro ministro
turco Recep Tayyp Erdogan e Ahmadinejad
assinaram um acordo pelo qual o governo
iraniano se comprometia a enviar 1,2 mil
quilos de seu urânio de baixo enriqueci-
mento (3,5%) para ficar sob a guarda da Turquia

Em troca, depois de 1 ano, o Irã receberia 120 quilos de combustível
nuclear para uso em pesquisas médicas (urânio enriquecido a 20%)


Apesar disso, um dia após o anúncio do entendimento
entre Irã, Brasil e Turquia, a secretária de Estado dos EUA,
Hillary Clinton, informou que as principais potências
estavam de acordo em impor sanções ao Irã.
                                   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Como votou o Conselho (ONU)...




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Surge após a 2° Guerra Mundial.

Tem como objetivo manter a paz, defender os direitos
humanos e as liberdades fundamentais e promover o
           desenvolvimento dos países.



                         Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Composta por:




                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Composta por:




                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Como votou o Conselho (ONU)...




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Uma mesmo fato pode ser noticiado de maneiras variadas por
diferentes veículos de comunicação.



UMA LEITURA CRÍTICA É FUNDAMENTAL




                            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Revistas:   -VEJA
            -ÉPOCA




Revistas:   -ISTO É
            -CARTA CAPITAL




                             Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã.

Em 10 de julho de 2008, jornais publicaram a foto de quatro lançamentos de mísseis pelo Irã.

Divulgada pelo governo iraniano, ela mostrava um teste com quatro mísseis, com suposto
alcance para atingir Israel e representava uma ‘resposta’ às manobras militares israelenses
realizadas um mês antes no mar Mediterrâneo.


A foto foi vendida por uma agência internacional de notícias – AFP e algumas horas depois, foi
divulgada a mesma foto, mas com um míssel no chão: a imagem anterior tinha sido manipulada.




                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã.




                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã.




                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã.




                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã.




                Dois grandes jornais publicam a foto no dia 10 de Julho de 2008.

No outro dia descobre-se que a foto estava adulterada. Com menos destaque, os jornais
divulgam a falsificação.




                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã.




      A importância desse episódio é verificar uma grande falha de jornalismo: a
agência de notícias divulga uma informação oficial do
Irã sem conseguir checar com outras fontes e publica
          independente de sua veracidade.

                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Verdadeira foto do lançamento de mísseis no IRÃ!
                       Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O Irã reclama pelo fato de ser pressionado e hostilizado, mesmo fazendo
parte do TNP, enquanto Israel – que não é signatário do tratado – dispõe
de armas nucleares e não sofre retaliações, por ser um aliado dos EUA e
dos europeus.




                                   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O Irã reclama pelo fato de ser pressionado e hostilizado, mesmo fazendo
parte do TNP, enquanto Israel – que não é signatário do tratado – dispõe
de armas nucleares e não sofre retaliações, por ser um aliado dos EUA e
dos europeus.




   Israel nunca admitiu nem
       negou a posse de
  armamentos atômicos, mas
  se sabe que o país mantém
      um arsenal nuclear.
                                   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Essa política de dois pesos e duas medidas se aplica também às outras
três nações que, comprovadamente, fizeram testes com explosões
atômicas:




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Essa política de dois pesos e duas medidas se aplica também às outras
três nações que, comprovadamente, fizeram testes com explosões
atômicas:
-Coréia do Norte
-Índia
-Paquistão




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Enquanto a Coréia do Norte, que integrava o TNP e se retirou
 (2003) é alvo de sanções e ameaças, a Índia e o Paquistão,
  que jamais fizeram parte do tratado, são tolerados e não
     precisam submeter-se ao controle internacional.




                             Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O governo dos EUA assinou um pacto nuclear com a Índia em 2006, ao
mesmo tempo em que liderava a ofensiva contra o governo iraniano.


Pelos termos do acordo, os EUA voltam a vender aos indianos
combustível nuclear e componentes de reator.




                                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Porque os            são tão odiados?




            Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Porque os                                 são tão odiados?


Esquema de funcionamento do sistema capitalista:




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Porque os                                 são tão odiados?


Esquema de funcionamento do sistema capitalista:




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Os EUA moldaram um império mais formidável do que qualquer outro do
                                                                 passado. (A Fabricação do Império Americano, p.29)


Trechos do Livro: A FABRICAÇÃO DO IMPÉRIO AMERICANO.


“Nossa confederação tem de ser vista como o ninho a partir do qual toda a América, Norte e Sul,
deve ser povoada”. (Thomas Jefferson, p.22)




                                              Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Os EUA moldaram um império mais formidável do que qualquer outro do
                                                                 passado. (A Fabricação do Império Americano, p.29)


Trechos do Livro: A FABRICAÇÃO DO IMPÉRIO AMERICANO.


“Nossa confederação tem de ser vista como o ninho a partir do qual toda a América, Norte e Sul,
deve ser povoada”. (Thomas Jefferson, p.22)

“Os americanos acreditavam que, para promover a ‘grande lei da autopreservação’, a natureza
lhes havia conferido um direito especial à expansão. (p.23)




                                              Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Os EUA moldaram um império mais formidável do que qualquer outro do
                                                                 passado. (A Fabricação do Império Americano, p.29)


Trechos do Livro: A FABRICAÇÃO DO IMPÉRIO AMERICANO.


“Nossa confederação tem de ser vista como o ninho a partir do qual toda a América, Norte e Sul,
deve ser povoada”. (Thomas Jefferson, p.22)

“Os americanos acreditavam que, para promover a ‘grande lei da autopreservação’, a natureza
lhes havia conferido um direito especial à expansão. (p.23)

“Nenhuma nação tem sido mais afortunada na escolha de inimigos do que os EUA. Os
escolhidos ou eram muito fracos (...) ou já se encontravam muito envolvidos com outros
adversários.”




                                              Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Das 10 maiores fábricas de armas, 8 estão nos EUA.




                        Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A Nova Ordem é um eufemismo para o Império Anglo-
   Americano. É o domínio de Londres e Washington sobre o
                      resto do mundo.




Alex Webster Tarpley (analista geopolítico)   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A Nova Ordem é um eufemismo para o Império Anglo-
   Americano. É o domínio de Londres e Washington sobre o
                      resto do mundo.

  É difícil que as pessoas queiram participar disso tudo se
  chamarmos esse momento de império Anglo-Americano,
porém se chamarmos de Nova Ordem Mundial, então alguém
 pode pensar que vai ganhar também. Mas não é bem assim.




Alex Webster Tarpley (analista geopolítico)   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A Nova Ordem é um eufemismo para o Império Anglo-
   Americano. É o domínio de Londres e Washington sobre o
                      resto do mundo.

  É difícil que as pessoas queiram participar disso tudo se
  chamarmos esse momento de império Anglo-Americano,
porém se chamarmos de Nova Ordem Mundial, então alguém
 pode pensar que vai ganhar também. Mas não é bem assim.

     A Nova Ordem Mundial é a VELHA ORDEM
         MUNDIAL, é o império britânico se
       transformando no império americano.
Alex Webster Tarpley (analista geopolítico)   Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UEPB - Assinale a alternativa que faz a correta leitura do tema sobre o qual a charge faz uma
crítica explícita:




                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UEPB - Assinale a alternativa que faz a correta leitura do tema sobre o qual a charge faz uma
crítica explícita:

                                                            a)      A substituição da Inglaterra
                                                                    pelos Estados Unidos na
                                                                    hegemonia     mundial    do
                                                                    capitalismo.

                                                            b) O processo de descolonização
                                                               da África após a II Guerra
                                                               Mundial.



c) O fim da Guerra Fria entre Estados Unidos e ex-União Soviética.

d) A formação da União Européia.

e) A liderança exercida pelos Estados Unidos sobre os demais países americanos
com a formação da ALCA.

                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UEPB - Assinale a alternativa que faz a correta leitura do tema sobre o qual a charge faz uma
crítica explícita:

                                                            a)      A substituição da Inglaterra
                                                                    pelos Estados Unidos na
                                                                    hegemonia     mundial    do
                                                                    capitalismo.

                                                            b) O processo de descolonização
                                                               da África após a II Guerra
                                                               Mundial.



c) O fim da Guerra Fria entre Estados Unidos e ex-União Soviética.

d) A formação da União Européia.

e) A liderança exercida pelos Estados Unidos sobre os demais países americanos
com a formação da ALCA.

                                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Qual é a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido?




                     A Grã-Bretanha é uma ilha                 O Reino Unido é um
                     da Europa que abriga a                    agrupamento político
                     Inglaterra, a Escócia e o                 que     congrega    os
                     País de Gales                             países     da     Grã-
                                                               Bretanha     mais    a
                                                               Irlanda do Norte



                               Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
A bandeira do Reino Unido
(United        Kingdom)      é
composta pela sobreposição
das 3 (três) bandeiras dos 3
(três) países que formam o
reino. São eles: Inglaterra,
Escócia, e Irlanda do Norte.



A bandeira do País de Gales não está
inclusa na bandeira do Reino Unido, por
não se tratar de um país, e sim de um
Principado




                                          Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UFPI


Sobre a economia globalizada:

(   ) Homogeneizou as culturas e reduziu as discrepâncias econômicas entre os países.

(   ) Possibilitou a difusão de hábitos dos lugares pelo mundo.

(   ) Deu visibilidade às minorias, a povos e culturas de recantos isolados do mundo.

(   ) Quase anulou a xenofobia e os conflitos étnicos e religiosos em todo o Planeta.




                                           Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
UFPI


Sobre a economia globalizada:


(   F
    ) Homogeneizou as culturas e reduziu as discrepâncias econômicas entre os países.


(   V  ) Possibilitou a difusão de hábitos dos lugares pelo mundo.


(   V  ) Deu visibilidade às minorias, a povos e culturas de recantos isolados do mundo.


(   F  ) Quase anulou a xenofobia e os conflitos étnicos e religiosos em todo o Planeta.




                                             Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
“Os rumores sobre mim são falsos.
   Não nasci numa manjedoura.
 Na verdade, eu nasci em Krypton
E fui enviado para salvar o planeta
              Terra.”




                     Barack Obama em seu discurso
                          de posse presidencial
                            (Documentário: A Decepção OBAMA)



    Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
7.200

                                                5.113

      300 a 350

     250 a 320

 225

100 a 200

50

40 a 70

5 a 12




                  Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Em 2010, a China anunciou um acordo com o Paquistão para construir
dois reatores nucleares no país para produzir energia elétrica.




                                Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Em 2010, a China anunciou um acordo com o Paquistão para construir
dois reatores nucleares no país para produzir energia elétrica.

Analistas acreditam que se trata da resposta paquistanesa ao acordo
entre EUA e Índia, país fronteiriço com o qual o Paquistão disputa a
Caxemira.


                                                                             A morte “convoca” indianos e
                                                                              paquistaneses para a guerra:
                                                                               note os detalhes das armas
                                                                             atômicas nos três personagens




                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Em 2010, a China anunciou um acordo com o Paquistão para construir
dois reatores nucleares no país para produzir energia elétrica.


Analistas acreditam que se trata da resposta paquistanesa ao acordo
entre EUA e Índia, país fronteiriço com o qual o Paquistão disputa a
Caxemira.


Embora igualmente aliado dos norte-americanos, que ajudam o país a
proteger seu arsenal nuclear, o Paquistão busca apoio também nos
chineses para reforçar sua posição na região.



                                 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
IRÃ no centro da polêmica nuclear




                                       ALTA TENSÃO
      Em meio à intensa pressão contra seu programa nuclear, o Irã testa mísseis (2009)
                                             Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Colocaram
                                   uma
                                 máscara
                                 negra na
                                  Nova
                                Ordem, e
                                  agora
                                 estamos
                                  todos
                               contentes...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Hiroshima
HiroshimaHiroshima
Hiroshima
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Bomba Atômica - Prof. Altair Aguilar
Bomba Atômica - Prof. Altair AguilarBomba Atômica - Prof. Altair Aguilar
Bomba Atômica - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Plano de Aula - Domínios na Guerra Fria
Plano de Aula  - Domínios na Guerra FriaPlano de Aula  - Domínios na Guerra Fria
Plano de Aula - Domínios na Guerra Fria
 
Bomba Atomica
Bomba AtomicaBomba Atomica
Bomba Atomica
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
Hiroshima e Nagasaki
Hiroshima e NagasakiHiroshima e Nagasaki
Hiroshima e Nagasaki
 
Início da 2ª guerra mundial
Início da 2ª guerra mundialInício da 2ª guerra mundial
Início da 2ª guerra mundial
 
Vinicius de Moraes - 100 anos - da Guerra à súplica de Paz - Hiroshima e naga...
Vinicius de Moraes - 100 anos - da Guerra à súplica de Paz - Hiroshima e naga...Vinicius de Moraes - 100 anos - da Guerra à súplica de Paz - Hiroshima e naga...
Vinicius de Moraes - 100 anos - da Guerra à súplica de Paz - Hiroshima e naga...
 
A segunda guerra mundial
A segunda guerra mundialA segunda guerra mundial
A segunda guerra mundial
 
Segunda guerra e guerra fria
Segunda guerra e guerra friaSegunda guerra e guerra fria
Segunda guerra e guerra fria
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
Guerra Fria 3 F
Guerra Fria 3 FGuerra Fria 3 F
Guerra Fria 3 F
 
2.ª Guerra Mundial
2.ª Guerra Mundial2.ª Guerra Mundial
2.ª Guerra Mundial
 
A Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
A Segunda Guerra Mundial (1939-1945)A Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
A Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
 
A construção do mundo atual i
A construção do mundo atual iA construção do mundo atual i
A construção do mundo atual i
 
Eua poderio militar
Eua poderio militarEua poderio militar
Eua poderio militar
 
Questões guerra fria
Questões guerra friaQuestões guerra fria
Questões guerra fria
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 

Destaque

Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaFernanda Lopes
 
Internet e tecnologia final
Internet e tecnologia finalInternet e tecnologia final
Internet e tecnologia finalFernanda Lopes
 
Terrorismo e a morte de bin laden
Terrorismo e a morte de bin ladenTerrorismo e a morte de bin laden
Terrorismo e a morte de bin ladenFernanda Lopes
 
áFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanasáFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanasFernanda Lopes
 
áSia oriente medio e meridonal
áSia oriente medio e meridonaláSia oriente medio e meridonal
áSia oriente medio e meridonalFernanda Lopes
 
Israel e a questão palestina
Israel e a questão palestinaIsrael e a questão palestina
Israel e a questão palestinaFernanda Lopes
 
Problemas do continente europeu
Problemas do continente europeuProblemas do continente europeu
Problemas do continente europeuFernanda Lopes
 
Atualidades nova bipolaridade
Atualidades nova bipolaridadeAtualidades nova bipolaridade
Atualidades nova bipolaridadeFernanda Lopes
 
Migrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaaMigrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaaFernanda Lopes
 
Estados unidos hegemonia politica e economica
Estados unidos hegemonia politica e economicaEstados unidos hegemonia politica e economica
Estados unidos hegemonia politica e economicaFernanda Lopes
 

Destaque (20)

Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
Internet e tecnologia final
Internet e tecnologia finalInternet e tecnologia final
Internet e tecnologia final
 
Terrorismo e a morte de bin laden
Terrorismo e a morte de bin ladenTerrorismo e a morte de bin laden
Terrorismo e a morte de bin laden
 
áFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanasáFrica formação das nações africanas
áFrica formação das nações africanas
 
União Europeia
União EuropeiaUnião Europeia
União Europeia
 
China
ChinaChina
China
 
áSia oriente medio e meridonal
áSia oriente medio e meridonaláSia oriente medio e meridonal
áSia oriente medio e meridonal
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Crise na ucrânia
Crise na ucrâniaCrise na ucrânia
Crise na ucrânia
 
Imagens marcantes
Imagens marcantesImagens marcantes
Imagens marcantes
 
Israel e a questão palestina
Israel e a questão palestinaIsrael e a questão palestina
Israel e a questão palestina
 
Bric's
Bric'sBric's
Bric's
 
Problemas do continente europeu
Problemas do continente europeuProblemas do continente europeu
Problemas do continente europeu
 
Atualidades nova bipolaridade
Atualidades nova bipolaridadeAtualidades nova bipolaridade
Atualidades nova bipolaridade
 
áFrica conflitossss
áFrica conflitossssáFrica conflitossss
áFrica conflitossss
 
Oriente medio
Oriente medioOriente medio
Oriente medio
 
Migrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaaMigrações ilegais na europaaa
Migrações ilegais na europaaa
 
América central
América centralAmérica central
América central
 
Estados unidos hegemonia politica e economica
Estados unidos hegemonia politica e economicaEstados unidos hegemonia politica e economica
Estados unidos hegemonia politica e economica
 

Semelhante a Bombas nucleares Hiroshima Nagasaki

SLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.ppt
SLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.pptSLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.ppt
SLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.pptJULIOCARVALHO47
 
Estudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto trumanEstudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto trumanIsabel Moura
 
Exercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra FriaExercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra FriaCarson Souza
 
O holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicaO holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicahistoriando
 
Guerra Fria.pptx
Guerra Fria.pptxGuerra Fria.pptx
Guerra Fria.pptxLviaLivinha
 
II GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIA
II GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIAII GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIA
II GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIAmarlete andrade
 
2ª Guerra Mundial
2ª Guerra Mundial2ª Guerra Mundial
2ª Guerra MundialTiago
 
guerra fria nos EUA.pdf
guerra fria nos EUA.pdfguerra fria nos EUA.pdf
guerra fria nos EUA.pdffelipescherner
 
A Segunda Guerra Mundial 1939 1945
A Segunda Guerra Mundial 1939 1945A Segunda Guerra Mundial 1939 1945
A Segunda Guerra Mundial 1939 1945CRIATIVO
 
Ii Guerra Mundial Pf
Ii Guerra Mundial   PfIi Guerra Mundial   Pf
Ii Guerra Mundial Pfguest2c92ec
 
A guerra fria 1945 a 1989
A guerra fria   1945 a 1989A guerra fria   1945 a 1989
A guerra fria 1945 a 1989historiando
 
Lista de exercícios – Segunda Guerra Mundial
Lista de exercícios – Segunda Guerra MundialLista de exercícios – Segunda Guerra Mundial
Lista de exercícios – Segunda Guerra MundialElton Zanoni
 
Jéssica e Danielle 9 b
Jéssica e Danielle 9 bJéssica e Danielle 9 b
Jéssica e Danielle 9 bDebora Deorio
 

Semelhante a Bombas nucleares Hiroshima Nagasaki (20)

SECULO XX - GUERRA FRIA
SECULO XX - GUERRA FRIASECULO XX - GUERRA FRIA
SECULO XX - GUERRA FRIA
 
SLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.ppt
SLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.pptSLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.ppt
SLIDES SEGUNDA GUERRA MUNDIAL.ppt
 
Estudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto trumanEstudo de um caso concreto truman
Estudo de um caso concreto truman
 
Bomba atômica
Bomba atômicaBomba atômica
Bomba atômica
 
Exercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra FriaExercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra Fria
 
O holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicaO holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômica
 
Guerra Fria.pptx
Guerra Fria.pptxGuerra Fria.pptx
Guerra Fria.pptx
 
II GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIA
II GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIAII GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIA
II GUERRA MUNDIAL E GUERRA FRIA
 
Questoes segunda guerra mundial
Questoes segunda guerra mundialQuestoes segunda guerra mundial
Questoes segunda guerra mundial
 
2ª Guerra Mundial
2ª Guerra Mundial2ª Guerra Mundial
2ª Guerra Mundial
 
guerra fria nos EUA.pdf
guerra fria nos EUA.pdfguerra fria nos EUA.pdf
guerra fria nos EUA.pdf
 
A Segunda Guerra Mundial 1939 1945
A Segunda Guerra Mundial 1939 1945A Segunda Guerra Mundial 1939 1945
A Segunda Guerra Mundial 1939 1945
 
Ii Guerra Mundial Pf
Ii Guerra Mundial   PfIi Guerra Mundial   Pf
Ii Guerra Mundial Pf
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
24. segunda guerra mundial
24. segunda guerra mundial24. segunda guerra mundial
24. segunda guerra mundial
 
A guerra fria 1945 a 1989
A guerra fria   1945 a 1989A guerra fria   1945 a 1989
A guerra fria 1945 a 1989
 
Lista de exercícios – Segunda Guerra Mundial
Lista de exercícios – Segunda Guerra MundialLista de exercícios – Segunda Guerra Mundial
Lista de exercícios – Segunda Guerra Mundial
 
Jéssica e Danielle 9 b
Jéssica e Danielle 9 bJéssica e Danielle 9 b
Jéssica e Danielle 9 b
 
A segunda guerra.pptx
A segunda guerra.pptxA segunda guerra.pptx
A segunda guerra.pptx
 
Fim da velha ordem 2
Fim da velha ordem 2Fim da velha ordem 2
Fim da velha ordem 2
 

Mais de Fernanda Lopes

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Fernanda Lopes
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoFernanda Lopes
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaFernanda Lopes
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro anoFernanda Lopes
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Fernanda Lopes
 
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulFernanda Lopes
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neFernanda Lopes
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaFernanda Lopes
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaFernanda Lopes
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaFernanda Lopes
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllFernanda Lopes
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllFernanda Lopes
 
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasQuestões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasFernanda Lopes
 

Mais de Fernanda Lopes (20)

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundo
 
Mariana tragédia
Mariana tragédiaMariana tragédia
Mariana tragédia
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
China conteúdo
China conteúdoChina conteúdo
China conteúdo
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro ano
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
 
Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1
 
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
 
Rússia país
Rússia paísRússia país
Rússia país
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentrada
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
 
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasQuestões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
 

Bombas nucleares Hiroshima Nagasaki

  • 1. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 2. No mundo contemporâneo, a questão nuclear é das mais sérias e complicadas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 3. No mundo contemporâneo, a questão nuclear é das mais sérias e complicadas. A humanidade vive sob o uso de armamentos desse tipo desde que, em agosto de 1945, os EUA despejaram bombas atômicas sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki, matando ou incapacitando centenas de milhares de pessoas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 4. 2° Guerra vestígios mal resolvidos no final da 1° Mundial Guerra Mundial -Alemanha, junto com Itália e com o império Austro-Húngaro Tríplice Aliança) perde a 1° Guerra Mundial Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 5. 2° Guerra vestígios mal resolvidos no final da 1° Mundial Guerra Mundial -Alemanha, junto com Itália e com o império Austro-Húngaro Tríplice Aliança) perde a 1° Guerra Mundial -As potências vencedoras (Tríplice Entente – Inglaterra, França e Rússia) reuniram-se em Versalhes-França onde foram elaboradas pesadas multas à Alemanha. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 6. 2° Guerra vestígios mal resolvidos no final da 1° Mundial Guerra Mundial -Alemanha, junto com Itália e com o império Austro-Húngaro Tríplice Aliança) perde a 1° Guerra Mundial -As potências vencedoras (Tríplice Entente – Inglaterra, França e Rússia) reuniram-se em Versalhes-França onde foram elaboradas pesadas multas à Alemanha. O país que já estava arrasado, caiu no desemprego, miséria e fome. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 7. A maior parte dos alemães deu-se conta de que a crise socioeconômica que se abateu pelo país era resultado direto das resoluções impostas em Versalhes. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 8. A maior parte dos alemães deu-se conta de que a crise socioeconômica que se abateu pelo país era resultado direto das resoluções impostas em Versalhes. Por isso, gradualmente, cresceu na Alemanha um rancoroso sentimento nacionalista, que induzia a Alemanha a se tornar forte novamente. Um clima de vingança pairava sobre o país. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 9. A maior parte dos alemães deu-se conta de que a crise socioeconômica que se abateu pelo país era resultado direto das resoluções impostas em Versalhes. Por isso, gradualmente, cresceu na Alemanha um rancoroso sentimento nacionalista, que induzia a Alemanha a se tornar forte novamente. Um clima de vingança pairava sobre o país. Na década de 30, subiu ao poder na Alemanha, um grupo que pregava essa vingança. Era o Partido Nacional Socialista, mais conhecido como Partido Nazista. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 10. -Hitler foi um dos grandes responsáveis pela eclosão da Segunda Guerra Mundial. (1939 – 1945) -Ataque a Pearl Harbor (07/dez/1941) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 11. Pela primeira vez na história em agosto de 1945 (06 e 09), artefatos com tal poder mortífero foram lançados sobre populações civis. Nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 12. Maquete de Hiroshima ANTES da bomba nuclear Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 13. Maquete de Hiroshima DEPOIS da bomba nuclear Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 14. HIROSHIMA Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 15. NAGASAKI antes e depois Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 16. Hiroshima antes e depois da explosão Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 17. Bush chamou líderes da Coréia do Sul, Rússia, Japão e China para reafirmarem o compromisso com uma península coreana livre de armas nucleares. Na ONU, os EUA propuseram sanções duras, como proibição do comércio de artigos militares e de luxo, inspeção de mercadorias importadas ou exportadas do país e congelamento de bens ligados às armas. O embaixador americano, John Bolton, ameaçou: a Coréia do Norte possui uma história de sucesso em intimidar outros países, mas não terá sucesso conosco., acrescentou..Diário Popular, 11 de outubro de 2006, p. 24. O texto acima faz referência ao suposto teste nuclear realizado pela Coréia do Norte. No passado, o Japão foi alvo de duas bombas atômicas. Sobre este assunto todas as opções estão corretas, com exceção daquela que afirma que Universidade Católica de Pelotas Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 18. Bush chamou líderes da Coréia do Sul, Rússia, Japão e China para reafirmarem o compromisso com uma península coreana livre de armas nucleares. Na ONU, os EUA propuseram sanções duras, como proibição do comércio de artigos militares e de luxo, inspeção de mercadorias importadas ou exportadas do país e congelamento de bens ligados às armas. O embaixador americano, John Bolton, ameaçou: a Coréia do Norte possui uma história de sucesso em intimidar outros países, mas não terá sucesso conosco., acrescentou..Diário Popular, 11 de outubro de 2006, p. 24. O texto acima faz referência ao suposto teste nuclear realizado pela Coréia do Norte. No passado, o Japão foi alvo de duas bombas atômicas. Sobre este assunto todas as opções estão corretas, com exceção daquela que afirma que a)a derrota do imperialismo militarista nipônico implicou, também, a perda de mercados consumidores dos seus produtos e fornecedores de matérias-primas. b)passados alguns anos após o ataque das duas bombas atômicas, o Japão vivenciou uma extraordinária e rápida recuperação econômica, fato que ficou conhecido como o .milagre japonês.. c)as bombas atômicas lançadas pelos Estados Unidos em Hiroshima e Nagasaki levaram os nipônicos a revidarem por meio do ataque japonês à base americana de Pearl Harbor. d)o lançamento das duas bombas atômicas levou o governo japonês a solicitar o armistício dias depois das explosões ocorridas em Hiroshima e Nagasaki. e)as bombas de Hiroshima e Nagasaki lançadas pelos Estados Unidos, em agosto de 1945, causaram a curto prazo milhares de mortes e, a longo prazo, a incidência de muitas doenças causadas pela radioatividade. Universidade Católica de Pelotas Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 19. Bush chamou líderes da Coréia do Sul, Rússia, Japão e China para reafirmarem o compromisso com uma península coreana livre de armas nucleares. Na ONU, os EUA propuseram sanções duras, como proibição do comércio de artigos militares e de luxo, inspeção de mercadorias importadas ou exportadas do país e congelamento de bens ligados às armas. O embaixador americano, John Bolton, ameaçou: a Coréia do Norte possui uma história de sucesso em intimidar outros países, mas não terá sucesso conosco., acrescentou..Diário Popular, 11 de outubro de 2006, p. 24. O texto acima faz referência ao suposto teste nuclear realizado pela Coréia do Norte. No passado, o Japão foi alvo de duas bombas atômicas. Sobre este assunto todas as opções estão corretas, com exceção daquela que afirma que a)a derrota do imperialismo militarista nipônico implicou, também, a perda de mercados consumidores dos seus produtos e fornecedores de matérias-primas. b)passados alguns anos após o ataque das duas bombas atômicas, o Japão vivenciou uma extraordinária e rápida recuperação econômica, fato que ficou conhecido como o .milagre japonês.. c)as bombas atômicas lançadas pelos Estados Unidos em Hiroshima e Nagasaki levaram os nipônicos a revidarem por meio do ataque japonês à base americana de Pearl Harbor. d)o lançamento das duas bombas atômicas levou o governo japonês a solicitar o armistício dias depois das explosões ocorridas em Hiroshima e Nagasaki. e)as bombas de Hiroshima e Nagasaki lançadas pelos Estados Unidos, em agosto de 1945, causaram a curto prazo milhares de mortes e, a longo prazo, a incidência de muitas doenças causadas pela radioatividade. Universidade Católica de Pelotas Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 20. UFMS Os atentados terroristas, ocorridos em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América, foram comparados, por analistas políticos e pela imprensa internacional, com o ataque japonês à base naval norte-americana de Pearl Harbor e com o assassinato, na cidade de Sarajevo, do herdeiro do trono austríaco, arquiduque Francisco Ferdinando. Esses dois últimos fatos marcaram, respectivamente: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 21. UFMS Os atentados terroristas, ocorridos em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América, foram comparados, por analistas políticos e pela imprensa internacional, com o ataque japonês à base naval norte-americana de Pearl Harbor e com o assassinato, na cidade de Sarajevo, do herdeiro do trono austríaco, arquiduque Francisco Ferdinando. Esses dois últimos fatos marcaram, respectivamente: a) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra do Vietnã. b) o início da Guerra do Iraque e o início da Guerra do Vietnã. c) o início da Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra dos Sete Dias. d) o início da Primeira Guerra Mundial e o início da Segunda Guerra Mundial. e) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Primeira Guerra Mundial. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 22. UFMS Os atentados terroristas, ocorridos em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América, foram comparados, por analistas políticos e pela imprensa internacional, com o ataque japonês à base naval norte-americana de Pearl Harbor e com o assassinato, na cidade de Sarajevo, do herdeiro do trono austríaco, arquiduque Francisco Ferdinando. Esses dois últimos fatos marcaram, respectivamente: a) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra do Vietnã. b) o início da Guerra do Iraque e o início da Guerra do Vietnã. c) o início da Segunda Guerra Mundial e o início da Guerra dos Sete Dias. d) o início da Primeira Guerra Mundial e o início da Segunda Guerra Mundial. e) a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e o início da Primeira Guerra Mundial. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 23. Nas décadas seguintes, negociações diplomáticas procuraram regulamentar a utilização dessas armas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 24. Nas décadas seguintes, negociações diplomáticas procuraram regulamentar a utilização dessas armas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 25. Nas décadas seguintes, negociações diplomáticas procuraram regulamentar a utilização dessas armas. O Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP) entrou em vigor em 1970, permite que apenas 5 países – EUA, Rússia, China, Reino Unido e França – mantenham seu arsenal, desde que não repassem a tecnologia para fins bélicos a outras nações. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 26. O TNP considera as nações divididas em dois blocos: -De um lado, os 5 países que explodiram alguma bomba antes de 1° de Janeiro de 1967. -EUA -Rússia (ex-URSS) -China -Reino Unido -França -de outro, todos os demais países, que devem se comprometer a não tentar obter armas nucleares. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 27. O TNP considera as nações divididas em dois blocos: -De um lado, os 5 países que explodiram alguma bomba antes de 1° de Janeiro de 1967. -EUA -Rússia (ex-URSS) Grupo integrante do -China Conselho permanente da ONU -Reino Unido -França -de outro, todos os demais países, que devem se comprometer a não tentar obter armas nucleares. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 28. O TNP estipula que as visitas periódicas de inspeção têm de ser negociadas previamente com cada país e há limites para as verificações. Os técnicos podem averiguar o grau de enriquecimento do urânio, mas não o funcionamento das centrífugas (segredo industrial). Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 29. O TNP estipula que as visitas periódicas de inspeção têm de ser negociadas previamente com cada país e há limites para as verificações. Os técnicos podem averiguar o grau de enriquecimento do urânio, mas não o funcionamento das centrífugas (segredo industrial). A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), aprovou, em 1997, um PROTOCOLO ADICIONAL, que dá aos inspetores da agência poderes de investigação mais amplos. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 30. O TNP estipula que as visitas periódicas de inspeção têm de ser negociadas previamente com cada país e há limites para as verificações. Os técnicos podem averiguar o grau de enriquecimento do urânio, mas não o funcionamento das centrífugas (segredo industrial). A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), aprovou, em 1997, um PROTOCOLO ADICIONAL, que dá aos inspetores da agência poderes de investigação mais amplos. O objetivo seria detectar a existência de atividades secretas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 31. O protocolo não se aplica a nenhum dos cinco países dotados de armas, o que cria uma situação assimétrica. Barack Obama Nicolas Sarkozy Rainha Elizabeth Hu Jintau Vladmir Putin Presidente (EUA) Presidente (FRA) (Reino Unido) Presidente (CHINA) Primeiro Ministro (RUS) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 32. O protocolo não se aplica a nenhum dos cinco países dotados de armas, o que cria uma situação assimétrica. Barack Obama Nicolas Sarkozy Rainha Elizabeth Hu Jintau Vladmir Putin Presidente (EUA) Presidente (FRA) (Reino Unido) Presidente (CHINA) Primeiro Ministro (RUS) Para a enorme maioria das nações do mundo, que não possuem bombas, impõe-se um controle rigoroso. Aos detentores dos armamentos, exige-se o compromisso do desarmamento, sem prazos. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 33. O presidente Mahmoud Ahmadinejad afirma que seu país tem o ‘direito inalienável’ de produzir tecnologia nuclear para fins pacíficos, e por isso desenvolve o enriquecimento de urânio. Em níveis baixos, esse enriquecimento é empregado para fins pacíficos, como a geração de energia elétrica. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 34. Quantidade (%) de enriquecimento de urânio para: -PRODUÇÃO DE ENERGIA  3,5 % -PRODUÇÃO DA BOMBA NUCLEAR  90,0 % Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 35. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 36. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 37. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 38. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 39. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 40. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 41. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 42. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 43. Apenas o enriquecimento em nível alto pode ser usado para produzir armas nucleares. O índice de enriquecimento de urânio obtido pelo Irã (3,5%) permite a produção de energia elétrica, mas está longe dos 90% necessários para a fabricação de bombas atômicas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 44. O governo iraniano afirma que o enriquecimento de urânio no nível realizado pelo país é permitido pelo TNP, desde que o processo seja inspecionado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), organismo vinculado à ONU. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 45. O governo iraniano afirma que o enriquecimento de urânio no nível realizado pelo país é permitido pelo TNP, desde que o processo seja inspecionado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), organismo vinculado à ONU. Segundo Ahmadinejad isso vem sendo feito, e as acusações do Ocidente são só baseadas em desconfiança política, sem base em fatos. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 46. Do lado dos EUA existe a pressão para que o Irã dê um passo a mais e além do TNP, ratifique também o PROTOCOLO ADICIONAL, de 1997, que amplia muito as possibilidades de fiscalização. Essa questão afeta também o programa nuclear brasileiro. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 47. X A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há muito mais tempo. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 48. X A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há muito mais tempo. -1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA) -1980 Motivados por questões políticas e territoriais, Irã e Iraque entram numa guerra que dura oito anos. No conflito, os EUA apoiam o Iraque comandado por Saddan Hussein. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 49. X A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há muito mais tempo. -1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA) -1980 Motivados por questões políticas e territoriais, Irã e Iraque entram numa guerra que dura oito anos. No conflito, os EUA apoiam o Iraque comandado por Saddan Hussein. Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 50. X Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA: “Em 2003, o secretário de defesa Donald Rumsfeld, citou o uso de gás venenoso por parte do Iraque como uma razão para atacar o país, mas, em 1984, ele nem comentava esse tipo de ataque (que sempre ocorria).” p.37 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 51. X Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA: “Em 2003, o secretário de defesa Donald Rumsfeld, citou o uso de gás venenoso por parte do Iraque como uma razão para atacar o país, mas, em 1984, ele nem comentava esse tipo de ataque (que sempre ocorria).” p.37 “Em 1988, as forças de Saddan atacaram civis curdos na cidade de Halabja, com gases venenosos...ao todo suspeita-se que cerca de 5 mil pessoas morreram nesses ataques. Em resposta ao ataque a gás, o Senado dos EUA aprovou por unanimidade sanções radicais que teriam negado ao Iraque acesso à maior parte da tecnologia americana. A medida foi abolida pela Casa Branca. O motivo? Havia muito dinheiro a ser ganho no Iraque.” “Em dezembro de 1988, com as sepulturas em Halabja ainda recentes, a Dow Chemical vendeu para o Iraque o equivalente a US$ 1,5 milhão em pesticidas.”p.38 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 52. X Trechos do Livro: CORRUPÇÃO À AMERICANA: “Em 2003, o secretário de defesa Donald Rumsfeld, citou o uso de gás venenoso por parte do Iraque como uma razão para atacar o país, mas, em 1984, ele nem comentava esse tipo de ataque (que sempre ocorria).” p.37 “Em 1988, as forças de Saddan atacaram civis curdos na cidade de Halabja, com gases venenosos...ao todo suspeita-se que cerca de 5 mil pessoas morreram nesses ataques. Em resposta ao ataque a gás, o Senado dos EUA aprovou por unanimidade sanções radicais que teriam negado ao Iraque acesso à maior parte da tecnologia americana. A medida foi abolida pela Casa Branca. O motivo? Havia muito dinheiro a ser ganho no Iraque.” “Em dezembro de 1988, com as sepulturas em Halabja ainda recentes, a Dow Chemical vendeu para o Iraque o equivalente a US$ 1,5 milhão em pesticidas.”p.38 Uma piada circulava pelos EUA durante a invasão do Iraque (2002) “O Iraque tem armas de destruição em massa! Grita o secretário de defesa dos EUA, Donald Rumsfeld, para quem quiser ouvir. “Como você sabe?” pergunta um observador. “Porque eu tenho os recibos!”. p.38 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 53. X A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há muito mais tempo. -1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA) -1980 Motivados por questões políticas e territoriais, Irã e Iraque entram numa guerra que dura oito anos. No conflito, os EUA apoiam o Iraque comandado por Saddan Hussein. -2001  George W. Bush, então presidente dos EUA, declara a ‘guerra contra o terror’ e acusa o Irã de apoiar os terroristas. -o governo Irã posiciona-se frontalmente contra Israel. -apoia grupos fundamentalistas islâmicos (Hezbollah e Hamas) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 54. X A pressões internacionais contra o Irã, na realidade começaram há muito mais tempo. -1979 Revolução islâmica derruba o xá Reza Phalevi (aliado dos EUA) -2001  George W. Bush, então presidente dos EUA, declara a ‘guerra contra o terror’ e acusa o Irã de apoiar os terroristas. -o governo Irã posiciona-se frontalmente contra Israel. -apoia grupos fundamentalistas islâmicos (Hezbollah e Hamas) Recentemente o presidente iraniano causou indignação internacional ao por em dúvida a ocorrência do holocausto. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 55. Execução por parte dos nazistas, de 6 milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 56. O início do programa nuclear iraniano, ocorreu na década de 70, ainda durante o regime do Xá Reza Phalevi. Naquela época, a iniciativa tinha o apoio dos EUA e da Europa. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 57. O início do programa nuclear iraniano, ocorreu na década de 70, ainda durante o regime do Xá Reza Phalevi. Naquela época, a iniciativa tinha o apoio dos EUA e da Europa. Com a revolução islâmica, os países ocidentais se voltam contra o Irã, que em 1985 descobre minas de urânio em seu território. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 58. A negativa do Irã em paralisar o programa nuclear já havia levado a ONU a aprovar três pacotes de sanções: -dezembro de 2006 -março de 2007 -março de 2008. Entre as medidas adotadas estão: -proibição ao Irã de comercializar armas -veto à negociações com determinadas autoridades ou instituições iranianas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 59. Após as primeiras sanções, em 2006, o Irã não permitiu mais visitas de técnicos da AIEA a locais não vinculados a atividades atômicas. Até então o país aceitava voluntariamente a fiscalização, prevista no protocolo adicional (não ratificado pelo Irã), mas que não faz parte das exigências básicas do TNP – o tratado define visitas periódicas só a instalações nucleares. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 60. Hoje o enriquecimento de urânio é uma atividade comercial, que envolve setores civis, como medicina, engenharia e sobretudo energia, em um momento que se busca ampliar o uso de energias limpas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 61. Logo, a possibilidade de que vários países detenham essa tecnologia, além da questão de segurança, também engloba um aspecto econômico. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 62. Nesse ponto, Brasil e Irã compartilham interesses comuns, pois ambos enriquecem urânio e podem, num futuro próximo, tornar-se exportadores nessa área. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 63. Nesse ponto, Brasil e Irã compartilham interesses comuns, pois ambos enriquecem urânio e podem, num futuro próximo, tornar-se exportadores nessa área. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 64. Nesse ponto, Brasil e Irã compartilham interesses comuns, pois ambos enriquecem urânio e podem, num futuro próximo, tornar-se exportadores nessa área. Por essa razão , temem que as inspeções ilimitadas previstas pelo protocolo adicional possam camuflar alguma espionagem industrial. Assim como o Irã, o Brasil não assinou o protocolo adicional. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 65. Em maio de 2010, Lula, o primeiro ministro turco Recep Tayyp Erdogan e Ahmadinejad assinaram um acordo pelo qual o governo iraniano se comprometia a enviar 1,2 mil quilos de seu urânio de baixo enriqueci- mento (3,5%) para ficar sob a guarda da Turquia Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 66. Em maio de 2010, Lula, o primeiro ministro turco Recep Tayyp Erdogan e Ahmadinejad assinaram um acordo pelo qual o governo iraniano se comprometia a enviar 1,2 mil quilos de seu urânio de baixo enriqueci- mento (3,5%) para ficar sob a guarda da Turquia Em troca, depois de 1 ano, o Irã receberia 120 quilos de combustível nuclear para uso em pesquisas médicas (urânio enriquecido a 20%) Apesar disso, um dia após o anúncio do entendimento entre Irã, Brasil e Turquia, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, informou que as principais potências estavam de acordo em impor sanções ao Irã. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 67. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 68. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 69. Como votou o Conselho (ONU)... Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 70. Surge após a 2° Guerra Mundial. Tem como objetivo manter a paz, defender os direitos humanos e as liberdades fundamentais e promover o desenvolvimento dos países. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 71. Composta por: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 72. Composta por: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 73. Como votou o Conselho (ONU)... Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 74. Uma mesmo fato pode ser noticiado de maneiras variadas por diferentes veículos de comunicação. UMA LEITURA CRÍTICA É FUNDAMENTAL Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 75. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 76. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 77. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 78. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 79. Revistas: -VEJA -ÉPOCA Revistas: -ISTO É -CARTA CAPITAL Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 80. Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã. Em 10 de julho de 2008, jornais publicaram a foto de quatro lançamentos de mísseis pelo Irã. Divulgada pelo governo iraniano, ela mostrava um teste com quatro mísseis, com suposto alcance para atingir Israel e representava uma ‘resposta’ às manobras militares israelenses realizadas um mês antes no mar Mediterrâneo. A foto foi vendida por uma agência internacional de notícias – AFP e algumas horas depois, foi divulgada a mesma foto, mas com um míssel no chão: a imagem anterior tinha sido manipulada. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 81. Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 82. Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 83. Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 84. Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã. Dois grandes jornais publicam a foto no dia 10 de Julho de 2008. No outro dia descobre-se que a foto estava adulterada. Com menos destaque, os jornais divulgam a falsificação. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 85. Jornais dão destaque para foto falsificada pelo governo do Irã. A importância desse episódio é verificar uma grande falha de jornalismo: a agência de notícias divulga uma informação oficial do Irã sem conseguir checar com outras fontes e publica independente de sua veracidade. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 86. Verdadeira foto do lançamento de mísseis no IRÃ! Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 87. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 88. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 89. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 90. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 91. O Irã reclama pelo fato de ser pressionado e hostilizado, mesmo fazendo parte do TNP, enquanto Israel – que não é signatário do tratado – dispõe de armas nucleares e não sofre retaliações, por ser um aliado dos EUA e dos europeus. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 92. O Irã reclama pelo fato de ser pressionado e hostilizado, mesmo fazendo parte do TNP, enquanto Israel – que não é signatário do tratado – dispõe de armas nucleares e não sofre retaliações, por ser um aliado dos EUA e dos europeus. Israel nunca admitiu nem negou a posse de armamentos atômicos, mas se sabe que o país mantém um arsenal nuclear. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 93. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 94. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 95. Essa política de dois pesos e duas medidas se aplica também às outras três nações que, comprovadamente, fizeram testes com explosões atômicas: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 96. Essa política de dois pesos e duas medidas se aplica também às outras três nações que, comprovadamente, fizeram testes com explosões atômicas: -Coréia do Norte -Índia -Paquistão Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 97. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 98. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 99. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 100. Enquanto a Coréia do Norte, que integrava o TNP e se retirou (2003) é alvo de sanções e ameaças, a Índia e o Paquistão, que jamais fizeram parte do tratado, são tolerados e não precisam submeter-se ao controle internacional. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 101. O governo dos EUA assinou um pacto nuclear com a Índia em 2006, ao mesmo tempo em que liderava a ofensiva contra o governo iraniano. Pelos termos do acordo, os EUA voltam a vender aos indianos combustível nuclear e componentes de reator. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 102. Porque os são tão odiados? Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 103. Porque os são tão odiados? Esquema de funcionamento do sistema capitalista: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 104. Porque os são tão odiados? Esquema de funcionamento do sistema capitalista: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 105. Os EUA moldaram um império mais formidável do que qualquer outro do passado. (A Fabricação do Império Americano, p.29) Trechos do Livro: A FABRICAÇÃO DO IMPÉRIO AMERICANO. “Nossa confederação tem de ser vista como o ninho a partir do qual toda a América, Norte e Sul, deve ser povoada”. (Thomas Jefferson, p.22) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 106. Os EUA moldaram um império mais formidável do que qualquer outro do passado. (A Fabricação do Império Americano, p.29) Trechos do Livro: A FABRICAÇÃO DO IMPÉRIO AMERICANO. “Nossa confederação tem de ser vista como o ninho a partir do qual toda a América, Norte e Sul, deve ser povoada”. (Thomas Jefferson, p.22) “Os americanos acreditavam que, para promover a ‘grande lei da autopreservação’, a natureza lhes havia conferido um direito especial à expansão. (p.23) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 107. Os EUA moldaram um império mais formidável do que qualquer outro do passado. (A Fabricação do Império Americano, p.29) Trechos do Livro: A FABRICAÇÃO DO IMPÉRIO AMERICANO. “Nossa confederação tem de ser vista como o ninho a partir do qual toda a América, Norte e Sul, deve ser povoada”. (Thomas Jefferson, p.22) “Os americanos acreditavam que, para promover a ‘grande lei da autopreservação’, a natureza lhes havia conferido um direito especial à expansão. (p.23) “Nenhuma nação tem sido mais afortunada na escolha de inimigos do que os EUA. Os escolhidos ou eram muito fracos (...) ou já se encontravam muito envolvidos com outros adversários.” Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 108. Das 10 maiores fábricas de armas, 8 estão nos EUA. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 109. A Nova Ordem é um eufemismo para o Império Anglo- Americano. É o domínio de Londres e Washington sobre o resto do mundo. Alex Webster Tarpley (analista geopolítico) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 110. A Nova Ordem é um eufemismo para o Império Anglo- Americano. É o domínio de Londres e Washington sobre o resto do mundo. É difícil que as pessoas queiram participar disso tudo se chamarmos esse momento de império Anglo-Americano, porém se chamarmos de Nova Ordem Mundial, então alguém pode pensar que vai ganhar também. Mas não é bem assim. Alex Webster Tarpley (analista geopolítico) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 111. A Nova Ordem é um eufemismo para o Império Anglo- Americano. É o domínio de Londres e Washington sobre o resto do mundo. É difícil que as pessoas queiram participar disso tudo se chamarmos esse momento de império Anglo-Americano, porém se chamarmos de Nova Ordem Mundial, então alguém pode pensar que vai ganhar também. Mas não é bem assim. A Nova Ordem Mundial é a VELHA ORDEM MUNDIAL, é o império britânico se transformando no império americano. Alex Webster Tarpley (analista geopolítico) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 112. UEPB - Assinale a alternativa que faz a correta leitura do tema sobre o qual a charge faz uma crítica explícita: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 113. UEPB - Assinale a alternativa que faz a correta leitura do tema sobre o qual a charge faz uma crítica explícita: a) A substituição da Inglaterra pelos Estados Unidos na hegemonia mundial do capitalismo. b) O processo de descolonização da África após a II Guerra Mundial. c) O fim da Guerra Fria entre Estados Unidos e ex-União Soviética. d) A formação da União Européia. e) A liderança exercida pelos Estados Unidos sobre os demais países americanos com a formação da ALCA. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 114. UEPB - Assinale a alternativa que faz a correta leitura do tema sobre o qual a charge faz uma crítica explícita: a) A substituição da Inglaterra pelos Estados Unidos na hegemonia mundial do capitalismo. b) O processo de descolonização da África após a II Guerra Mundial. c) O fim da Guerra Fria entre Estados Unidos e ex-União Soviética. d) A formação da União Européia. e) A liderança exercida pelos Estados Unidos sobre os demais países americanos com a formação da ALCA. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 115. Qual é a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido? A Grã-Bretanha é uma ilha O Reino Unido é um da Europa que abriga a agrupamento político Inglaterra, a Escócia e o que congrega os País de Gales países da Grã- Bretanha mais a Irlanda do Norte Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 116. A bandeira do Reino Unido (United Kingdom) é composta pela sobreposição das 3 (três) bandeiras dos 3 (três) países que formam o reino. São eles: Inglaterra, Escócia, e Irlanda do Norte. A bandeira do País de Gales não está inclusa na bandeira do Reino Unido, por não se tratar de um país, e sim de um Principado Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 117. UFPI Sobre a economia globalizada: ( ) Homogeneizou as culturas e reduziu as discrepâncias econômicas entre os países. ( ) Possibilitou a difusão de hábitos dos lugares pelo mundo. ( ) Deu visibilidade às minorias, a povos e culturas de recantos isolados do mundo. ( ) Quase anulou a xenofobia e os conflitos étnicos e religiosos em todo o Planeta. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 118. UFPI Sobre a economia globalizada: ( F ) Homogeneizou as culturas e reduziu as discrepâncias econômicas entre os países. ( V ) Possibilitou a difusão de hábitos dos lugares pelo mundo. ( V ) Deu visibilidade às minorias, a povos e culturas de recantos isolados do mundo. ( F ) Quase anulou a xenofobia e os conflitos étnicos e religiosos em todo o Planeta. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 119. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 120. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 121. “Os rumores sobre mim são falsos. Não nasci numa manjedoura. Na verdade, eu nasci em Krypton E fui enviado para salvar o planeta Terra.” Barack Obama em seu discurso de posse presidencial (Documentário: A Decepção OBAMA) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 122. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 123. 7.200 5.113 300 a 350 250 a 320 225 100 a 200 50 40 a 70 5 a 12 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 124. Em 2010, a China anunciou um acordo com o Paquistão para construir dois reatores nucleares no país para produzir energia elétrica. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 125. Em 2010, a China anunciou um acordo com o Paquistão para construir dois reatores nucleares no país para produzir energia elétrica. Analistas acreditam que se trata da resposta paquistanesa ao acordo entre EUA e Índia, país fronteiriço com o qual o Paquistão disputa a Caxemira. A morte “convoca” indianos e paquistaneses para a guerra: note os detalhes das armas atômicas nos três personagens Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 126. Em 2010, a China anunciou um acordo com o Paquistão para construir dois reatores nucleares no país para produzir energia elétrica. Analistas acreditam que se trata da resposta paquistanesa ao acordo entre EUA e Índia, país fronteiriço com o qual o Paquistão disputa a Caxemira. Embora igualmente aliado dos norte-americanos, que ajudam o país a proteger seu arsenal nuclear, o Paquistão busca apoio também nos chineses para reforçar sua posição na região. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 127. IRÃ no centro da polêmica nuclear ALTA TENSÃO Em meio à intensa pressão contra seu programa nuclear, o Irã testa mísseis (2009) Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  • 128. Colocaram uma máscara negra na Nova Ordem, e agora estamos todos contentes... Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia