SlideShare uma empresa Scribd logo
Serviço Público Federal
         Universidade Federal do Rio Grande – FURG
             Instituto de Ciências Biológicas - ICB
          Semana Acadêmica Biologia CABIO FURG
               Rio Grande 5 de fevereiro de 2013




                           Marcelo Gomes
                      marcelobiosul@hotmail.com
Programa de Pós Graduação em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais
Fluxograma da apresentação:

      Introdução geral
    Conceitos específicos
        Efeito estufa
            IPCC
     Métodos de estudo
     Projeto de mestrado
 Alguns artigos científicos
Mitigações e questionamentos
Google imagens
CFCs

                  CH4
     CO2                                         N2 O



Mudanças climáticas



                                  Liberação GEEs.



Balanço entre emissão e absorção desses gases.
ABSORÇÃO   EMISSÃO




                     Fonte: Adaptado de google
(KHALIL, 1994)
Mudanças climáticas são decorrentes da
liberação dos GEEs, ou seja desequilíbrio no balanço
entre emissão e absorção desses gases (ODUM,
2007).




                                              (KHALIL, 19994)
Fonte: Adaptado de google
4 mudanças básicas na
evolução dos
hominídeo:

1 Aumento do cérebro.

2. Mudança nas mandíbulas
e dentes.

3. Bipedalismo.

4. Mudança no
comportamento Social e
Cultural

(RIDLEY – Evolução, 2008)
Antes da revolução Industrial (1985), a
concentração de CO2 na atmosfera era da ordem de
280ppm, durante os útimos 150 anos, o CO2
atmosférico aumentou para 370ppm. (ODUM, 2007)




                                          (KHALIL, 19994)
A população humana continua a aumentar
em todo o mundo numa taxa de quase 2% ao ano. As
taxas mais altas de aumento estão em alguns países
mais pobres.
                     (RICKLEFS – A economia da Natureza 2003)
Nos Estado Unidos para cada quilojoule de
energia alimentar      que nós consumimos, 10
quilojoule de combustíveis fósseis foram queimados
em     fertilizantes,  máquinas       de   fazenda,
empacotamento e transporte.
                  (RICKLEFS – A economia da Natureza 2003)




                      (RICKLEFS – A economia da Natureza 2003)
(RICKLEFS – A economia da Natureza 2003)
“oikos + logos” que significa estudo da casa. Portanto estudo da
casa ambiental, inclui todos os organismos dentro dela e todos os
processos funcionais que tornam a casa habitável”.

Literalmente estuda a vida em casa.

E a Economia? Que significa gerenciamento da casa.

... A ecologia e a economia deveriam ser disciplinas relacionadas



                                                    (Odum, 2008)
Out put, ou
  In put,               ambiente
entrada de                saída,
             SISTEMA     energia
 Energia e
                        materiais
 materiaia             processados
Video temperatura global ao longo do tempo
            Fonte: nasa.com
Agricultura Convencional                                 Agricultura de base ecológica


Exposição do dos solos


Aparato industrial, Agrotóxicos


Aparato industrial


Monoculturas

Desfragmentarão dos habitats, queimadas
                                                                     Conservação da
                                                                     Biodiversidade


                      Balanço, + ,- do Carbono, estocagem, emissão de
                                        GGEs e C global.
IPCC – Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas:

Estabelecido em 1888 pela Organização Meteorológica e Programa das Nações Unidas
sobre o Clima.

-IPPC, 1º Relatório (1990) - Criação da Convenção do Quadro das Nações Unidas
para a Mudança do Clima.

-IPCC, 2º Relatório (1995) – Protocolo de Kyoto.

-IPCC, 3º Relatório (2001) – Evidencia Efeito estufa.

                          -IPCC, 4º Relatório (2007)
  -(GT I) – Evidências científicas que de que a mudança climática se deve à
                                ação do homem.
-(GT II) –Trata da consequência da mudança para o meio ambiente e saúde
                                da humanidade.
     -(GT III) - Estuda maneiras de combater, alternativas, adaptações.
Pdf free
EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL


SUMMARY FOR POLICYMAKERS:

-1) O aquecimento do sistema climático é inequívoco.

-2) A média da temperatura mundial poderá aumentar de 1,1ºC e 6,4ºC durante o
século XXI.

-3) Há um nível de confiança de 90% que haverá derretimento glacial, ondas de calor
e chuvas torrenciais.

-4) Concentrações atmosféricas globais de CO2, CH4, NO3, tem aumentado
significativamente.




                                    Rio Grande 2012
Fonte: EPA
                  United States
                  Environmental
                  Protection Agency



Rio Grande 2012
Distribuição geral das
zonas úmidas no
mundo.


Zonas úmidas,
wetlands.

Áreas alagadiças, ou
banhados.

Sedimento anóxico.

Bactérias
metanogênicas




(MITSCH 2000).
Rio Grande 2012
EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL




Os banhados correspondem aproximadamente a 40% do total
do metano emitido na atmosfera (DLUGOKENKY 1994).



De acordo com CAO 1998 145Tg/ano e essa taxa tem
aumentado 1% ao ano




A emissão de metano: BOLHAS E DIFUSÃO através da
lâmina d’água.                                            Fonte: nasa.com




(temperatura da água, substrato, velocidade
dos ventos, pH, O2 dissolvido)
EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL



            Zonas úmidas e banhados são formados de diversas maneiras (FORD, 1993 ):

1)   Através de rios, lagos e até mesmo oceanos, que ao retornarem a seu nível natural, deixam
porção significativa de água nessas terras.
2) Onde a drenagem do solo é ruim devido a impermeabilidade da rocha, ou camada de argila, ou
quando a taxas de precipitação excedem a evaporação.
3)   Devido a acumulação de matéria orgânica no sedimento de lagos ou como consequência da
     atividade humana.
EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL




     A Internacional Union for the Conservation of Nature and Natural Resources

(IUCN), adotou a seguinte definição: “Áreas alagadas são regiões com solos saturados

de água, ou submersas, naturais ou artificiais, permanentes ou temporárias, onde a

água pode ser estática ou com fluxo, salinas, salobras ou água doce”.




      IMPORTANTES COMPONETES DA
              BIOSFERA


                                  CICLAGEM E BALANÇO DO
                                     CARBONO GLOBAL

                                                                 TIPOLOGIA: GEOLOGIA,
                                                             TOPOGRAFIA E CLIMAS REGIONAIS
                                             Fonte: google
ESTIMAR A EMISSÃO DE METANO ATRAVÉS DA TÉCNICA DAS
CAMARAS ESTÁVEIS EM UM BANHADO DE CLIMA
SUBTROPICAL.


PORTANTO, CONTRIBUIR PARA ELEBORAÇÃO DE UMA
ESTIMATIVA DE EMISSÃO DE METANO EM BANHADO PARA ESTE
CLIMA.
DESENHO EXPERIMENTAL
(PALMA e OLIVEIRA, 2012)



Projeto: Emissão de metano no verão e
inverno em um pequeno banhado
subtropical

Objetivo: estimar emissão de metano
em um pequeno banhado.

Resultados esperados: coleta do gás
através do hatspace das bambonas:

Horário: primeira horas da manhã.




                                        M gomes, BAC 2012
A hipótese Gaia, também denominada
          como hipótese biogeoquímica, é hipótese controversa
           em ecologia profunda que propõe que a biosfera e os
                                             componentes físicos
        da Terra (atmosfera, criosfera, hidrosfera e litosfera) são
intimamente integrados de modo a formar um complexo sistema
                                     interagente que mantêm as
         condições climáticas e biogeoquímicas preferivelmente
                                               em homeostase.
SURGIMENTO DA HIPÓTESE DE QUE A
 TERRA FORMA UM ÚNICO SISTEMA, UM
SUPERORGANISMO VIVO, chamado... GAIA
Serviço Público Federal
        Universidade Federal do Rio Grande – FURG
            Instituto de Ciências Biológicas - ICB
         Semana Acadêmica Biologia CABIO FURG
              Rio Grande 5 de fevereiro de 2013




                           Marcelo Gomes
                      marcelobiosul@hotmail.com
Programa de Pós Graduação em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais
“Feliz aquele que transfere o
que sabe e aprende o que
ensina.” CORA CORALINA
                                ITAIMBÉSINHO – SERRA GAÚCHA 2010 M.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ambiente
AmbienteAmbiente
Ambiente
Vale Rodrigues
 
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E EcossistemasC:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
guest5b12783
 
Fontes de energia slideshare
Fontes de energia slideshareFontes de energia slideshare
Fontes de energia slideshare
Israel Pufavo
 
Energias renovaveis
Energias renovaveisEnergias renovaveis
Energias renovaveis
Rui Cunha
 
1 intervenção do homem ...
1   intervenção do homem ...1   intervenção do homem ...
1 intervenção do homem ...
margaridabt
 
Energia e matéria nos ecossistemas
Energia e matéria nos ecossistemasEnergia e matéria nos ecossistemas
Energia e matéria nos ecossistemas
mainamgar
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Sucessões ecológicas
Sucessões ecológicasSucessões ecológicas
Sucessões ecológicas
Angela Boucinha
 
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
Margarida Cardoso
 
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Renata Lemos Garcia
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
marco :)
 
Introdução a geoengenharia
Introdução a geoengenhariaIntrodução a geoengenharia
Introdução a geoengenharia
PET. EAA
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Mudanças climáticas
Mudanças climáticas
Marcelo Gomes
 
Os Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da AtmosferaOs Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da Atmosfera
guest6226ea1
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
BIOGERALDO
 
Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera causas e ...
Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera   causas e ...Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera   causas e ...
Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera causas e ...
zeopas
 
SUCESSÃO ECOLÓGICA
SUCESSÃO ECOLÓGICASUCESSÃO ECOLÓGICA
SUCESSÃO ECOLÓGICA
Alexandre Pusaudse
 
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresIntervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
margaridabt
 
1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente
Margarida Cardoso
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Cecel Barros
 

Mais procurados (20)

Ambiente
AmbienteAmbiente
Ambiente
 
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E EcossistemasC:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
C:\Fakepath\1 CiêNcias Do Ambiente Programa E Ecossistemas
 
Fontes de energia slideshare
Fontes de energia slideshareFontes de energia slideshare
Fontes de energia slideshare
 
Energias renovaveis
Energias renovaveisEnergias renovaveis
Energias renovaveis
 
1 intervenção do homem ...
1   intervenção do homem ...1   intervenção do homem ...
1 intervenção do homem ...
 
Energia e matéria nos ecossistemas
Energia e matéria nos ecossistemasEnergia e matéria nos ecossistemas
Energia e matéria nos ecossistemas
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Sucessões ecológicas
Sucessões ecológicasSucessões ecológicas
Sucessões ecológicas
 
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
4. perturbações no equilibrio dos ecossistemas
 
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemasConceitos em-ecologia-e-ecossitemas
Conceitos em-ecologia-e-ecossitemas
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Introdução a geoengenharia
Introdução a geoengenhariaIntrodução a geoengenharia
Introdução a geoengenharia
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas Mudanças climáticas
Mudanças climáticas
 
Os Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da AtmosferaOs Gases vestigiais da Atmosfera
Os Gases vestigiais da Atmosfera
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera causas e ...
Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera   causas e ...Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera   causas e ...
Alteração da concentração dos componentes vestigiais da atmosfera causas e ...
 
SUCESSÃO ECOLÓGICA
SUCESSÃO ECOLÓGICASUCESSÃO ECOLÓGICA
SUCESSÃO ECOLÓGICA
 
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestresIntervenção do homem nos subsistemas terrestres
Intervenção do homem nos subsistemas terrestres
 
1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 

Destaque

Escola Porto Seguro - 6B Marcelo
Escola Porto Seguro - 6B MarceloEscola Porto Seguro - 6B Marcelo
Escola Porto Seguro - 6B Marcelo
Marcelo Gomes
 
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2  principais causas de perda de biodiversidadeAula 2  principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
Marcelo Gomes
 
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Marcelo Gomes
 
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4   efeito estufa alterações climáticas globaisAula 4   efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
Marcelo Gomes
 
Aula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambientalAula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambiental
Marcelo Gomes
 
Aula 3 poluição atmosférica
Aula 3   poluição atmosféricaAula 3   poluição atmosférica
Aula 3 poluição atmosférica
Marcelo Gomes
 

Destaque (6)

Escola Porto Seguro - 6B Marcelo
Escola Porto Seguro - 6B MarceloEscola Porto Seguro - 6B Marcelo
Escola Porto Seguro - 6B Marcelo
 
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2  principais causas de perda de biodiversidadeAula 2  principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
 
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
 
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4   efeito estufa alterações climáticas globaisAula 4   efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
 
Aula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambientalAula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambiental
 
Aula 3 poluição atmosférica
Aula 3   poluição atmosféricaAula 3   poluição atmosférica
Aula 3 poluição atmosférica
 

Semelhante a Apresentação gees 05.02

Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
Claudiney C. Rodrigues
 
Ciclo do carbono e mudanças climáticas
Ciclo do carbono e mudanças climáticasCiclo do carbono e mudanças climáticas
Ciclo do carbono e mudanças climáticas
Luciana Camargo
 
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptxNosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
PauloDeTarsoFonseca2
 
348 an 06_setembro_2011.ok
348 an 06_setembro_2011.ok348 an 06_setembro_2011.ok
348 an 06_setembro_2011.ok
Roberto Rabat Chame
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011
mlfmlopes
 
Os ciclos biogeoquímicos
Os ciclos biogeoquímicosOs ciclos biogeoquímicos
Os ciclos biogeoquímicos
Evelyn Fernandes
 
Simuladoenem1 dia
Simuladoenem1 diaSimuladoenem1 dia
Simuladoenem1 dia
RobertoFilho72
 
Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...
Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...
Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...
Marcelo Gomes
 
CiclosAguaCarbonoNitrogenio.ppt
CiclosAguaCarbonoNitrogenio.pptCiclosAguaCarbonoNitrogenio.ppt
CiclosAguaCarbonoNitrogenio.ppt
AntnioAlves72
 
Diversidade da Terra e Estudos Ambientais
Diversidade da Terra e Estudos AmbientaisDiversidade da Terra e Estudos Ambientais
Diversidade da Terra e Estudos Ambientais
Alex Santiago Nina
 
Questõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docxQuestõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docx
ssuser9666b0
 
Créditos de carbono
Créditos de carbonoCréditos de carbono
Créditos de carbono
Cesar Abreu
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Guilherme Orlandi Goulart
 
Mudanças Climáticas - Governo do Estado de SP
Mudanças Climáticas - Governo do Estado de SPMudanças Climáticas - Governo do Estado de SP
Mudanças Climáticas - Governo do Estado de SP
Guellity Marcel
 
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologiaAula 1. ecologia
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologiaAula 1. ecologia
Efeito estufa
Efeito estufaEfeito estufa
Efeito estufa
RefletindoGeografia
 
AULA 1 - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptx
AULA 1  - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptxAULA 1  - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptx
AULA 1 - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptx
DAMIAOJAILSONDASILVA
 

Semelhante a Apresentação gees 05.02 (20)

Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
 
Ciclo do carbono e mudanças climáticas
Ciclo do carbono e mudanças climáticasCiclo do carbono e mudanças climáticas
Ciclo do carbono e mudanças climáticas
 
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptxNosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
 
348 an 06_setembro_2011.ok
348 an 06_setembro_2011.ok348 an 06_setembro_2011.ok
348 an 06_setembro_2011.ok
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011
 
Os ciclos biogeoquímicos
Os ciclos biogeoquímicosOs ciclos biogeoquímicos
Os ciclos biogeoquímicos
 
Simuladoenem1 dia
Simuladoenem1 diaSimuladoenem1 dia
Simuladoenem1 dia
 
Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...
Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...
Projeto emissão de metano em banhado subtropical pgbac (final) cleber e marce...
 
CiclosAguaCarbonoNitrogenio.ppt
CiclosAguaCarbonoNitrogenio.pptCiclosAguaCarbonoNitrogenio.ppt
CiclosAguaCarbonoNitrogenio.ppt
 
Diversidade da Terra e Estudos Ambientais
Diversidade da Terra e Estudos AmbientaisDiversidade da Terra e Estudos Ambientais
Diversidade da Terra e Estudos Ambientais
 
Questõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docxQuestõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docx
 
Créditos de carbono
Créditos de carbonoCréditos de carbono
Créditos de carbono
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
 
Mudanças Climáticas - Governo do Estado de SP
Mudanças Climáticas - Governo do Estado de SPMudanças Climáticas - Governo do Estado de SP
Mudanças Climáticas - Governo do Estado de SP
 
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologiaAula 1. ecologia
Aula 1. ecologia
 
Aula 1. ecologia
Aula 1. ecologiaAula 1. ecologia
Aula 1. ecologia
 
Efeito estufa
Efeito estufaEfeito estufa
Efeito estufa
 
AULA 1 - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptx
AULA 1  - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptxAULA 1  - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptx
AULA 1 - CICLOS BIOGEOQUIMICO 2024.pptx
 

Mais de Marcelo Gomes

Aproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia Humana
Aproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia HumanaAproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia Humana
Aproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia Humana
Marcelo Gomes
 
Pré vestibulares populares
Pré vestibulares popularesPré vestibulares populares
Pré vestibulares populares
Marcelo Gomes
 
Caderno de receitas do Guerreiro da Luz
Caderno de receitas do Guerreiro da LuzCaderno de receitas do Guerreiro da Luz
Caderno de receitas do Guerreiro da Luz
Marcelo Gomes
 
Futuyma evolução ciência e sociedade
Futuyma   evolução ciência e sociedadeFutuyma   evolução ciência e sociedade
Futuyma evolução ciência e sociedade
Marcelo Gomes
 
Areias do Albardão
Areias do AlbardãoAreias do Albardão
Areias do Albardão
Marcelo Gomes
 
Percepção Ambiental TAIM (marcelo)
Percepção Ambiental TAIM   (marcelo)Percepção Ambiental TAIM   (marcelo)
Percepção Ambiental TAIM (marcelo)
Marcelo Gomes
 
Fritjof capra a teia da vida (pdf)
Fritjof capra   a teia da vida (pdf)Fritjof capra   a teia da vida (pdf)
Fritjof capra a teia da vida (pdf)
Marcelo Gomes
 
Estudo 2 (phytoplankton)
Estudo 2 (phytoplankton)Estudo 2 (phytoplankton)
Estudo 2 (phytoplankton)
Marcelo Gomes
 
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...
A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...
Marcelo Gomes
 
Reflexões do estágio 2011 marcelo
Reflexões do estágio 2011   marceloReflexões do estágio 2011   marcelo
Reflexões do estágio 2011 marcelo
Marcelo Gomes
 
Aula 1 fundamentos de genética
Aula 1   fundamentos de genética  Aula 1   fundamentos de genética
Aula 1 fundamentos de genética
Marcelo Gomes
 
Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011
Marcelo Gomes
 
Análise de livros didáticos de biologia
Análise de livros didáticos de biologia Análise de livros didáticos de biologia
Análise de livros didáticos de biologia
Marcelo Gomes
 
Escola Porto seguro pdf
Escola Porto seguro pdfEscola Porto seguro pdf
Escola Porto seguro pdf
Marcelo Gomes
 
Unidade Didática
Unidade DidáticaUnidade Didática
Unidade Didática
Marcelo Gomes
 

Mais de Marcelo Gomes (15)

Aproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia Humana
Aproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia HumanaAproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia Humana
Aproximações teóricas entre a prática do Surf e Ecologia Humana
 
Pré vestibulares populares
Pré vestibulares popularesPré vestibulares populares
Pré vestibulares populares
 
Caderno de receitas do Guerreiro da Luz
Caderno de receitas do Guerreiro da LuzCaderno de receitas do Guerreiro da Luz
Caderno de receitas do Guerreiro da Luz
 
Futuyma evolução ciência e sociedade
Futuyma   evolução ciência e sociedadeFutuyma   evolução ciência e sociedade
Futuyma evolução ciência e sociedade
 
Areias do Albardão
Areias do AlbardãoAreias do Albardão
Areias do Albardão
 
Percepção Ambiental TAIM (marcelo)
Percepção Ambiental TAIM   (marcelo)Percepção Ambiental TAIM   (marcelo)
Percepção Ambiental TAIM (marcelo)
 
Fritjof capra a teia da vida (pdf)
Fritjof capra   a teia da vida (pdf)Fritjof capra   a teia da vida (pdf)
Fritjof capra a teia da vida (pdf)
 
Estudo 2 (phytoplankton)
Estudo 2 (phytoplankton)Estudo 2 (phytoplankton)
Estudo 2 (phytoplankton)
 
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...
A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...A importância  do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas   li...
A importância do estágio supervisionado no curso de ciências biológicas li...
 
Reflexões do estágio 2011 marcelo
Reflexões do estágio 2011   marceloReflexões do estágio 2011   marcelo
Reflexões do estágio 2011 marcelo
 
Aula 1 fundamentos de genética
Aula 1   fundamentos de genética  Aula 1   fundamentos de genética
Aula 1 fundamentos de genética
 
Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011
 
Análise de livros didáticos de biologia
Análise de livros didáticos de biologia Análise de livros didáticos de biologia
Análise de livros didáticos de biologia
 
Escola Porto seguro pdf
Escola Porto seguro pdfEscola Porto seguro pdf
Escola Porto seguro pdf
 
Unidade Didática
Unidade DidáticaUnidade Didática
Unidade Didática
 

Apresentação gees 05.02

  • 1. Serviço Público Federal Universidade Federal do Rio Grande – FURG Instituto de Ciências Biológicas - ICB Semana Acadêmica Biologia CABIO FURG Rio Grande 5 de fevereiro de 2013 Marcelo Gomes marcelobiosul@hotmail.com Programa de Pós Graduação em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais
  • 2. Fluxograma da apresentação: Introdução geral Conceitos específicos Efeito estufa IPCC Métodos de estudo Projeto de mestrado Alguns artigos científicos Mitigações e questionamentos
  • 3.
  • 5. CFCs CH4 CO2 N2 O Mudanças climáticas Liberação GEEs. Balanço entre emissão e absorção desses gases.
  • 6.
  • 7. ABSORÇÃO EMISSÃO Fonte: Adaptado de google
  • 9. Mudanças climáticas são decorrentes da liberação dos GEEs, ou seja desequilíbrio no balanço entre emissão e absorção desses gases (ODUM, 2007). (KHALIL, 19994)
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14. 4 mudanças básicas na evolução dos hominídeo: 1 Aumento do cérebro. 2. Mudança nas mandíbulas e dentes. 3. Bipedalismo. 4. Mudança no comportamento Social e Cultural (RIDLEY – Evolução, 2008)
  • 15.
  • 16. Antes da revolução Industrial (1985), a concentração de CO2 na atmosfera era da ordem de 280ppm, durante os útimos 150 anos, o CO2 atmosférico aumentou para 370ppm. (ODUM, 2007) (KHALIL, 19994)
  • 17. A população humana continua a aumentar em todo o mundo numa taxa de quase 2% ao ano. As taxas mais altas de aumento estão em alguns países mais pobres. (RICKLEFS – A economia da Natureza 2003)
  • 18. Nos Estado Unidos para cada quilojoule de energia alimentar que nós consumimos, 10 quilojoule de combustíveis fósseis foram queimados em fertilizantes, máquinas de fazenda, empacotamento e transporte. (RICKLEFS – A economia da Natureza 2003) (RICKLEFS – A economia da Natureza 2003)
  • 19. (RICKLEFS – A economia da Natureza 2003)
  • 20.
  • 21. “oikos + logos” que significa estudo da casa. Portanto estudo da casa ambiental, inclui todos os organismos dentro dela e todos os processos funcionais que tornam a casa habitável”. Literalmente estuda a vida em casa. E a Economia? Que significa gerenciamento da casa. ... A ecologia e a economia deveriam ser disciplinas relacionadas (Odum, 2008)
  • 22. Out put, ou In put, ambiente entrada de saída, SISTEMA energia Energia e materiais materiaia processados
  • 23. Video temperatura global ao longo do tempo Fonte: nasa.com
  • 24.
  • 25. Agricultura Convencional Agricultura de base ecológica Exposição do dos solos Aparato industrial, Agrotóxicos Aparato industrial Monoculturas Desfragmentarão dos habitats, queimadas Conservação da Biodiversidade Balanço, + ,- do Carbono, estocagem, emissão de GGEs e C global.
  • 26. IPCC – Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas: Estabelecido em 1888 pela Organização Meteorológica e Programa das Nações Unidas sobre o Clima. -IPPC, 1º Relatório (1990) - Criação da Convenção do Quadro das Nações Unidas para a Mudança do Clima. -IPCC, 2º Relatório (1995) – Protocolo de Kyoto. -IPCC, 3º Relatório (2001) – Evidencia Efeito estufa. -IPCC, 4º Relatório (2007) -(GT I) – Evidências científicas que de que a mudança climática se deve à ação do homem. -(GT II) –Trata da consequência da mudança para o meio ambiente e saúde da humanidade. -(GT III) - Estuda maneiras de combater, alternativas, adaptações.
  • 28. EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL SUMMARY FOR POLICYMAKERS: -1) O aquecimento do sistema climático é inequívoco. -2) A média da temperatura mundial poderá aumentar de 1,1ºC e 6,4ºC durante o século XXI. -3) Há um nível de confiança de 90% que haverá derretimento glacial, ondas de calor e chuvas torrenciais. -4) Concentrações atmosféricas globais de CO2, CH4, NO3, tem aumentado significativamente. Rio Grande 2012
  • 29. Fonte: EPA United States Environmental Protection Agency Rio Grande 2012
  • 30.
  • 31. Distribuição geral das zonas úmidas no mundo. Zonas úmidas, wetlands. Áreas alagadiças, ou banhados. Sedimento anóxico. Bactérias metanogênicas (MITSCH 2000).
  • 33. EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL Os banhados correspondem aproximadamente a 40% do total do metano emitido na atmosfera (DLUGOKENKY 1994). De acordo com CAO 1998 145Tg/ano e essa taxa tem aumentado 1% ao ano A emissão de metano: BOLHAS E DIFUSÃO através da lâmina d’água. Fonte: nasa.com (temperatura da água, substrato, velocidade dos ventos, pH, O2 dissolvido)
  • 34. EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL Zonas úmidas e banhados são formados de diversas maneiras (FORD, 1993 ): 1) Através de rios, lagos e até mesmo oceanos, que ao retornarem a seu nível natural, deixam porção significativa de água nessas terras. 2) Onde a drenagem do solo é ruim devido a impermeabilidade da rocha, ou camada de argila, ou quando a taxas de precipitação excedem a evaporação. 3) Devido a acumulação de matéria orgânica no sedimento de lagos ou como consequência da atividade humana.
  • 35. EMISSÃO DE METANO EM BANHADO SUBTROPICAL A Internacional Union for the Conservation of Nature and Natural Resources (IUCN), adotou a seguinte definição: “Áreas alagadas são regiões com solos saturados de água, ou submersas, naturais ou artificiais, permanentes ou temporárias, onde a água pode ser estática ou com fluxo, salinas, salobras ou água doce”. IMPORTANTES COMPONETES DA BIOSFERA CICLAGEM E BALANÇO DO CARBONO GLOBAL TIPOLOGIA: GEOLOGIA, TOPOGRAFIA E CLIMAS REGIONAIS Fonte: google
  • 36. ESTIMAR A EMISSÃO DE METANO ATRAVÉS DA TÉCNICA DAS CAMARAS ESTÁVEIS EM UM BANHADO DE CLIMA SUBTROPICAL. PORTANTO, CONTRIBUIR PARA ELEBORAÇÃO DE UMA ESTIMATIVA DE EMISSÃO DE METANO EM BANHADO PARA ESTE CLIMA.
  • 37. DESENHO EXPERIMENTAL (PALMA e OLIVEIRA, 2012) Projeto: Emissão de metano no verão e inverno em um pequeno banhado subtropical Objetivo: estimar emissão de metano em um pequeno banhado. Resultados esperados: coleta do gás através do hatspace das bambonas: Horário: primeira horas da manhã. M gomes, BAC 2012
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49.
  • 50. A hipótese Gaia, também denominada como hipótese biogeoquímica, é hipótese controversa em ecologia profunda que propõe que a biosfera e os componentes físicos da Terra (atmosfera, criosfera, hidrosfera e litosfera) são intimamente integrados de modo a formar um complexo sistema interagente que mantêm as condições climáticas e biogeoquímicas preferivelmente em homeostase.
  • 51. SURGIMENTO DA HIPÓTESE DE QUE A TERRA FORMA UM ÚNICO SISTEMA, UM SUPERORGANISMO VIVO, chamado... GAIA
  • 52. Serviço Público Federal Universidade Federal do Rio Grande – FURG Instituto de Ciências Biológicas - ICB Semana Acadêmica Biologia CABIO FURG Rio Grande 5 de fevereiro de 2013 Marcelo Gomes marcelobiosul@hotmail.com Programa de Pós Graduação em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais
  • 53. “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” CORA CORALINA ITAIMBÉSINHO – SERRA GAÚCHA 2010 M.