SlideShare uma empresa Scribd logo
Desenvolvimento de uma Ferramenta deDesenvolvimento de uma Ferramenta de
Colaboração On-line para otimizar aColaboração On-line para otimizar a
comunicação com fornecedores e reduzircomunicação com fornecedores e reduzir
custos nos processos de obtenção decustos nos processos de obtenção de
materiais diretos e indiretos.materiais diretos e indiretos.
porpor
Marcos Bispo de OliveiraMarcos Bispo de Oliveira
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SULUNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE DOURADOSCENTRO UNIVERSITÁRIO DE DOURADOS
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATASDEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS
BACHARELADO EM ANÁLISE DE SISTEMASBACHARELADO EM ANÁLISE DE SISTEMAS
22/09/15 2
Roteiro
 Introdução
 Objetivos
 Metodologia
 Justificativa
 Marketing Reverso
 E-procurement
22/09/15 3
Roteiro (continuação)
 Solução Proposta
 Objetivos
 Análise de dados e funções
 Aspectos de tecnologia

PHP & PostgreSQL
 Modelagem da Solução Proposta
 Casos de uso
 Classes
22/09/15 4
Roteiro (continuação)
 Seqüências
 Componentes
 Modelagem dos dados

Lógica

Física
 Interface da Solução Proposta
 Cronograma de trabalho
 Considerações finais
22/09/15 5
Introdução
 Necessidade de economia (racionalização da
produção, melhor aproveitamento de
recursos humanos, melhor gerenciamento
das compras ) nas organizações;
 Comprar bem faz parte de um conjunto de
ações que fará com que a organização se
torne mais competitiva e rentável, ou mais
eficiente (no caso de organizações públicas);
 Estratégias para comprar bem: marketing
reverso e e-procurement;
22/09/15 6
Introdução (continuação)
 Objetivo Geral
 Propor um sistema de colaboração on-line via
internet, baseando-se nos conceitos de marketing
reverso e e-procurement, para ser usado por
empresas ou instituições públicas, cujos objetivos
são: reduzir os custos operacionais e
administrativos nos processos de licitação e/ou
compra de materiais diretos e indiretos (materiais
de consumo ou matéria prima), aumentar a
eficiência destes processos, promover a
competição entre os fornecedores destes
materiais e reduzir os custos de obtenção.
22/09/15 7
Introdução (continuação)
 Objetivo Específico
 Conceitos: marketing reverso e e-
procurement;
 Dados sobre a adoção do e-procurement;
 Propor uma solução de e-procurement;
 Elaborar o projeto da solução;
22/09/15 8
Introdução (continuação)
 Metodologia
 Pesquisas bibliográficas;
 Coleta de dados estatísticos;
 Elaboração do projeto;
 Relatório final;
22/09/15 9
Introdução (continuação)
 Justificativa
 Justifica-se este trabalho ao percebermos que a
utilização de sistemas de e-procurement, tanto no
Brasil quanto no mundo, ainda é pequena, e que,
diante da necessidade crescente de otimização
dos processos de compra e redução de custos
operacionais, a popularização deste tipo de
solução só traria benefícios para as partes
interessadas (organizações públicas ou privadas).
22/09/15 10
Marketing reverso
 Devemos ressaltar a importância da
estratégia de suprimentos em uma
organização;
 Organização: sistema de transformação
insumo-produto;
 Controle da aquisição de insumos é de alta
importância para o bom funcionamento do
sistema como um todo;
22/09/15 11
Marketing reverso (continuação)
 Marketing tradicional:
 Fornecedor em busca de consumidores (Vender,
vender e vender);
 Exemplos: campanhas da Nike, Nestlé e Coca-
Cola;
 Marketing Reverso:
 Inversão de papéis;
 Comprador sai a procura de boas oportunidades
de compra (Comprar, comprar e comprar);
22/09/15 12
Marketing reverso (continuação)
 Método agressivo e criativo, que faz parte da
estratégia de suprimentos da organização (o
comprador toma a iniciativa);
 Inclui:
 Pesquisas de preços com vários fornecedores;
 Parcerias com fornecedores estratégicos;
 Criação de sub-divisões responsáveis pela
produção e fornecimento de insumos;
22/09/15 13
E-procurement
 e = eletrônico, procurement = obtençao;
 Surgiu após a explosão da internet e
está diretamente relacionado ao
marketing reverso;
 Procura integrar de forma eficiente os
departamentos de compras das
empresas com seus fornecedores;
22/09/15 14
E-procurement (continuação)
 O processo de seleção e aprovação das
compras é automatizado na internet;
 O custo de cotação e compra de um produto
fica muito mais baixo, pois o trabalho de cotar
com dois ou 100 fornecedores é o mesmo;
 Maior possibilidade de encontrar melhores
preços e prazos, além de obter redução nos
custos do processo de compra;
22/09/15 15
E-procurement (continuação)
 Dentre as vantagens, podemos citar:
 Redução de custos nos processos de compra
(papel, deslocamento, telefone, fax, etc);
 Maior controle (comparações de preços e prazos
de atendimento, desempenho de fornecedores,
histórico de compras, etc);
 Redução de nível de estoques;
 Agilização dos processos de cotação, aprovação
de requisições de compra e fechamento de
pedidos;
 Maior competição entre fornecedores (redução do
preço final);
22/09/15 16
E-procurement (continuação)
 Tipos de soluções de e-procurement:
 Software para e-procurement (integração
de sistemas do comprador com
fornecedor);
 Mercado de troca na internet (comércio
eletrônico entre empresas);
 Leilão reverso;
 Consórcio de compra (união de muitos
compradores e agrupamento de volumes
de compra);
22/09/15 17
E-procurement (continuação)
 Alguns utilizadores de soluções de e-
procurement no Brasil:
 Prefeitura de Curitiba, no Paraná;
 AGCO (líder mundial em fabricação e
distribuição de equipamentos agrícolas e
peças de reposição);
 Grupo Electrolux (líder mundial na
produção e comercialização de
eletrodomésticos);
22/09/15 18
E-procurement (continuação)
 Pesquisa realizada por Antonio Davila,
Mahendra Gupta e Richard J. Palmer
(Stanford University), com 168
organizações dos Estados Unidos e
Canadá, traça o estado atual da
adoção e utilização das tecnologias de
e-procurement na América do Norte.
22/09/15 19
Estratégias de adoção das tecnologias de E-Procurement
22/09/15 20
Estratégias de adoção das tecnologias de E-Procurement
Observam, sem
experimentações.
Observam, sem
experimentações.
Estão cientes do
estágio atual do e-
procurement, mas não
destinam maiores
recursos.
Estão cientes do
estágio atual do e-
procurement, mas não
destinam maiores
recursos.
Investem seletivamente
até que o melhor
modelo de e-
procurement possa ser
identificado e adotado.
Investem seletivamente
até que o melhor
modelo de e-
procurement possa ser
identificado e adotado.
Movem-se
rapidamente para o e-
procurement.
Movem-se
rapidamente para o e-
procurement.
Investem pesadamente
para ganhar liderança
competitiva no setor.
Investem pesadamente
para ganhar liderança
competitiva no setor.
22/09/15 21
Eficiências geradas com a adoção de tecnologias de E-procurement
22/09/15 22
Solução Proposta
 Ferramenta do tipo web-application,
aplicação desenvolvida para a internet;
 Roda em um servidor de internet;
 Acessada através do navegador
(browser) via internet, utilizando
protocolo HTTP;
22/09/15 23
Modelo de Aplicação
22/09/15 24
Solução Proposta (continuação)
 Objetivos:
 Permitir ao administrador do sistema gerenciar
todos os dados de compradores, fornecedores,
transportadores, processos de compra, lances de
transporte e de fornecimento, incluindo dados
auxiliares, dados de usuários e controle de
acesso;
 Permitir ao comprador criar listas de compras,
constando os itens de produtos e suas respectivas
categorias;
22/09/15 25
Solução Proposta (continuação)
 Objetivos (continuação):
 Permitir ao comprador especificar uma
programação de entrega, constando local e data
de entrega, para cada item do processo de
compra;
 Permitir ao comprador, ao criar listas de compras,
especificar quais fornecedores ou quais
categorias de fornecedores deverão ser avisados
sobre a abertura de novo processo de compra;
22/09/15 26
Solução Proposta (continuação)
 Objetivos (continuação):
 Permitir ao fornecedor visualizar listas de compras
e itens de listas de compras;
 Permitir ao fornecedor enviar lances contendo
preço do produto e condições de pagamento e
entrega para itens de listas de compras;
 Permitir ao transportador visualizar listas de
compras e itens de listas de compras, incluindo a
programação de entrega do produto;
22/09/15 27
Solução Proposta (continuação)
 Objetivos (continuação):
 Permitir ao transportador enviar lances contendo
preço do frete e condições de pagamento para
itens de listas de compras;
 Permitir ao comprador visualizar os lances
enviados por fornecedores e transportadores;
 Permitir ao comprador selecionar os melhores
lances de fornecimento e transporte;
 Permitir ao comprador, após eleger os melhores
lances de fornecimento e transporte, enviar o
pedido de compra ao fornecedor e o pedido de
transporte ao transportador;
22/09/15 28
Solução Proposta (continuação)
 Módulos:
 Gerenciamento geral;
 Gerenciamento de processos de compra;
 Gerenciamento de lances de fornecimento;
 Gerenciamento de lances transporte;
22/09/15 29
Solução Proposta (continuação)
 Módulo de gerenciamento geral:
 Será utilizado pelo usuário administrador
do Sistema, e fornecerá acesso a todos os
cadastros do sistema, e também o controle
de usuários e de permissões de acesso.
22/09/15 30
Solução Proposta (continuação)
 Módulo de gerenciamento de
processos de compra:
 Será utilizado pelo usuário comprador,
permitindo a abertura e encerramento de
processos de compra, aprovação de
lances de fornecimento e de lances de
transporte, envio de pedidos de compra e
de transporte.
22/09/15 31
Solução Proposta (continuação)
 Módulo de gerenciamento de lances de
fornecimento:
 Será utilizado pelo usuário fornecedor, e
permitirá ao fornecedor visualizar
processos de compras, enviar ou cancelar
lances de fornecimento, visualizar o
ranking de lances e estabelecer
comunicação com outros usuários do
sistema.
22/09/15 32
Solução Proposta (continuação)
 Módulo de gerenciamento de lances de
transporte:
 Será utilizado pelo usuário transportador e
permitirá a este visualizar processos de
compras, gerenciar seus lances de
transporte, visualizar o ranking de lances
de transporte e estabelecer comunicação
com outros usuários do sistema.
22/09/15 33
Solução Proposta (continuação)
 Análise de dados e funções:
 Dados (principais entidades):

Pessoa jurídica, Comprador, Fornecedor,
Transportador, Processo de compra, Item de
processo de compra, Lance de fornecedor,
Lance de transportador, Endereço, Local de
entrega, Programação de entrega, Usuário,
Módulo de sistema, Categoria de produto, Sub-
categoria de produto;
22/09/15 34
Solução Proposta (continuação)
 Análise de dados e funções (continuação):
 Funções (principais funções):

Para todas as entidades: inclusão, alteração, exclusão,
emissão de relatórios, consultas e geração de gráficos
estatísticos;

Envio de avisos de abertura e encerramento de
processos de compras;

Avisos (por e-mail) de lances vencedores para os
usuários transportadores ou fornecedores;

Envio de lances de transporte e fornecimento;

Abertura e encerramento de processos de compra;

Seleção de lances;

Obtenção de fornecedores compatíveis;
22/09/15 35
Solução Proposta (continuação)
 Aspectos de tecnologia
 PHP (Hipertext pre-processor)

Linguagem parecida com “C”, embutida em HTML;

Pré-compilada;

Facilidades: conversão automática de tipos, declaração
automática de variáveis;

Multi-plataforma (Windows, Unix, Linux);

Compatível com grande número de servidores de banco
de dados;

Livre distribuição de fontes e binários (software livre);

Suporte parcial a OOP na versão 4 (melhorado na
versão 5);
22/09/15 36
Solução Proposta (continuação)
 Aspectos de tecnologia (continuação)
 PostgreSQL

Sistema de gerenciamento de banco de dados objeto-
relacional (ORDBMS);

Desenvolvido nos Estados Unidos, na universidade da
Califórnia no depto. de Ciências da Computação de
Berkeley;

Suporta SQL 92 e 99, herança, tipos de dados,
constraints, triggers, regras, integridade transacional;

Livre distribuição;
22/09/15 37
Modelagem da Solução
Proposta
 Feita com base na notação UML (Unified
Modeling Language);
 Diagramas usados:
 Casos de uso;
 Classes;
 Seqüências;
 Componentes;
 Também foram utilizados o DER e o MER;
22/09/15 38
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Casos de uso
 Visão geral do sistema, incluindo atores e
interações que deverão ocorrer entre estes
atores e o sistema.
22/09/15 39
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Primeiro caso de uso:
 Administrador do sistema define
permissões de acesso para o usuário
(comprador, transportador ou fornecedor)
e gerencia todos os cadastros do sistema
(cadastra, altera, exclui).
22/09/15 40
Primeiro caso de uso
22/09/15 41
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Segundo caso de uso:
 Interação que deverá ocorrer quando o
usuário comprador, transportador ou
fornecedor, neste caso representado pelo
ator “Pessoa jurídica”, obtêm informações
complementares, como informações
bancárias e contatos.
22/09/15 42
Segundo caso de uso
22/09/15 43
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Terceiro caso de uso:
 Mostra todas as interações que deverão
ocorrer entre o sistema e o usuário
comprador, como por exemplo, o ato de
eleger um lance de fornecimento para um
item de um processo de compra.
22/09/15 44
Terceiro caso de uso
22/09/15 45
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Quarto caso de uso:
 Mostra as interações entre o usuário
fornecedor ou transportador e o sistema.
22/09/15 46
Quarto caso de uso
22/09/15 47
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Classes
 Todas as entidades, de acordo com o
paradigma da orientação a objetos,
contendo atributos e métodos.
22/09/15 48
Diagrama de classes
22/09/15 49
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Seqüências
 Para cada caso de uso foi elaborado um
diagrama de seqüência, que mostra as
operações correspondentes às classes,
sendo iniciadas pelos atores, mostrando
também os parâmetros que deverão ser
recebidos por cada operação e os valores
de retorno.
22/09/15 50
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Seqüência 1
 Relacionado ao primeiro caso de uso,
onde mostramos a interação que deverá
ocorrer no momento em que o
administrador do sistema define
permissões de acesso para o usuário
(comprador, transportador ou fornecedor)
e gerencia todos os cadastros do sistema.
22/09/15 51
Seqüência 1
22/09/15 52
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Seqüência 2
 Relacionado ao segundo caso de uso,
onde representamos a interação que
deverá ocorrer quando o usuário
comprador, transportador ou fornecedor,
neste caso representado pelo ator “Pessoa
jurídica”, obtêm informações
complementares, como informações
bancárias e contatos.
22/09/15 53
Seqüência 2
22/09/15 54
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Seqüência 3
 Relacionado ao terceiro caso de uso, onde
mostramos todas as interações que
deverão ocorrer entre o sistema e o
usuário comprador, como por exemplo, o
ato de eleger um lance de fornecimento
para um item de produto constante de um
processo de compra.
22/09/15 55
Seqüência 3
22/09/15 56
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Seqüência 4
 Relacionado ao quarto caso de uso,
mostra as relações que devem ocorrer
entre o usuário fornecedor ou
transportador e o sistema.
22/09/15 57
Seqüência 4
22/09/15 58
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Componentes
 Visão de como o sistema deverá estar
organizado;
 Cada componente representa uma divisão do
sistema, onde podemos ver que a interface do
usuário, contida no componente “Front-end”
necessita dos componentes “Gerenciamento”,
“Processos de compra”, “Lances de transporte” e
“Lances de fornecimento”, e estes por sua vez
necessitam do componente “Classes” que utiliza o
componente “Utilitários” para fazer acesso a
banco de dados, validações e leitura de
configurações;
22/09/15 59
Componentes
Front-end
Utilitarios
classes*
Gerenciamento Lances de fornecimentoLances de transporteProcessos de compra
index.php
gerenciamento.php pcompra.php ltransporte.php lfornecimento.php
db.php
config.php
erro.php
valida.class.php
*Classes:
bairro.class.php
categoria_produto.class.php
cidade.class.php
comprador.class.php
contato.class.php
direito_acesso.class.php
endereco.class.php
estado.class.php
fornecedor.class.php
fornecedor_sub_categoria_produto.class.php
inf_bancaria.class.php
item_processo_compra.class.php
lance_fornecedor.class.php
lance_transportador.class.php
logradouro.class.php
modulo.class.php
pessoa_juridica.class.php
processo_compra.class.php
programacao_entrega.class.php
sub_categoria_produto.class.php
transportador.class.php
usuario.class.php
22/09/15 60
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Modelagem dos dados
 Lógica

DER (Diagrama de entidade-relacionamento);

Apresenta a estrutura lógica de
armazenamento dos dados que o sistema
deverá tratar;

Mostra apenas a estrutura de entidades (que
futuramente se tornarão tabelas de banco de
dados) e os seus relacionamentos;
22/09/15 61
DER (Diagrama de entidade-relacionamento)
22/09/15 62
Modelagem da Solução
Proposta (continuação)
 Modelagem dos dados (continuação)
 Física

MER (Modelo de entidade-relacionamento), enfatiza a
estrutura física das entidades e seus relacionamentos,
mostrando para cada entidade, todos os seus campos e
tipos de dados e para cada relacionamento, o nome
físico do mesmo, e ainda todas as chaves primárias e
estrangeiras de cada entidade;

A estrutura física dos dados foi formatada e especificada
para ser compatível com o gerenciador de banco de
dados PostgreSQL;
22/09/15 63
MER (Modelo de entidade-relacionamento)
22/09/15 64
Interface da Solução Proposta
 Serão mostrados os desenhos de
algumas das principais telas de
interface com o usuário;
 As telas foram elaboradas usando
ferramentas de edição de HTML. Todas
as telas foram capturadas a partir do
navegador de internet;
22/09/15 65
Tela de entrada do sistema
22/09/15 66
Tela exibida após a entrada do usuário administrador
22/09/15 67
Tela exibida após a entrada do usuário fornecedor
22/09/15 68
Visualização da lista de processos de compra ativos
22/09/15 69
Visualização de detalhes do processo de compra
22/09/15 70
Envio de lances de fornecimento
22/09/15 71
Visualização de lances de fornecimento
22/09/15 72
Cronograma de Trabalho
 Para que o protótipo do sistema esteja
disponível e possa ser colocado “em
produção”, é necessário desenvolver,
além das classes, a interface do
usuário e os módulos de
gerenciamento, e ainda realizar todos
os testes de implementação.
22/09/15 73
Cronograma de trabalho
Etapas do cronograma:
 
1) Desenvolvimento do código das classes;
2) Desenvolvimento da interface do usuário;
3) Desenvolvimento dos módulos de gerenciamento e módulos utilitários;
4) Testes de implementação e correção de erros;
22/09/15 74
Considerações Finais
 Procurou-se, com este trabalho, propor o
desenvolvimento de uma ferramenta de e-
procurement, do tipo leilão-reverso, através
da análise e a modelagem do sistema.
Espera-se que o trabalho contribua para a
popularização deste tipo de ferramenta,
uma vez que a popularização e o aumento
da utilização das tecnologias de e-
procurement no Brasil, tanto em
organizações privadas, quanto públicas,
pode trazer benefícios significativos.
22/09/15 75
Perguntas?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Visão geral sobre e-commerce
Visão geral sobre e-commerceVisão geral sobre e-commerce
Visão geral sobre e-commerce
JET e-Commerce
 
Modelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégias
Modelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégiasModelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégias
Modelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégias
E-commerce Class
 
Conceitos de e-commerce
Conceitos de e-commerceConceitos de e-commerce
Conceitos de e-commerce
Claudio Barbosa
 
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_ptBiz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
EmanuelePristera
 
Workshop E-business Parte II
Workshop E-business Parte IIWorkshop E-business Parte II
Workshop E-business Parte II
Posmktdigital Fit
 
E business
E businessE business
E business
Thiago Oliveira
 
Modelos de negocios Digitais
Modelos de negocios DigitaisModelos de negocios Digitais
Modelos de negocios Digitais
Bruno Shimizu
 
E commerce x e-business
E commerce x e-businessE commerce x e-business
E commerce x e-business
costafranklin
 
Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
César Augusto Pereira
 
Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
Milton Henrique do Couto Neto
 
Modelos de e business final
Modelos de e business finalModelos de e business final
Modelos de e business final
liraandre
 
Comercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado Eletronico
Comercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado EletronicoComercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado Eletronico
Comercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado Eletronico
Ueliton da Costa Leonidio
 
Comércio eletrônico
Comércio eletrônicoComércio eletrônico
Comércio eletrônico
Rodrigo Gomes da Silva
 
Marketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme Mazzola
Marketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme MazzolaMarketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme Mazzola
Marketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme Mazzola
E-Commerce Brasil
 
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitaisCapítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Everton Souza
 
Comercio eletronico
Comercio eletronicoComercio eletronico
Comercio eletronico
Camipf
 
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
ochatope
 
O comércio eletrônico
O comércio eletrônicoO comércio eletrônico
O comércio eletrônico
Carlos Rogerio Pereira Pereira
 
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-CommerceIntrodução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Adriano Maranhão
 
ComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNicoComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNico
ricardo marinheiro
 

Mais procurados (20)

Visão geral sobre e-commerce
Visão geral sobre e-commerceVisão geral sobre e-commerce
Visão geral sobre e-commerce
 
Modelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégias
Modelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégiasModelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégias
Modelo de negócios no e-commerce - diferenciais e estratégias
 
Conceitos de e-commerce
Conceitos de e-commerceConceitos de e-commerce
Conceitos de e-commerce
 
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_ptBiz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
 
Workshop E-business Parte II
Workshop E-business Parte IIWorkshop E-business Parte II
Workshop E-business Parte II
 
E business
E businessE business
E business
 
Modelos de negocios Digitais
Modelos de negocios DigitaisModelos de negocios Digitais
Modelos de negocios Digitais
 
E commerce x e-business
E commerce x e-businessE commerce x e-business
E commerce x e-business
 
Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
 
Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
 
Modelos de e business final
Modelos de e business finalModelos de e business final
Modelos de e business final
 
Comercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado Eletronico
Comercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado EletronicoComercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado Eletronico
Comercio Eletronico - Aula 5 - Leitura Mercado Eletronico
 
Comércio eletrônico
Comércio eletrônicoComércio eletrônico
Comércio eletrônico
 
Marketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme Mazzola
Marketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme MazzolaMarketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme Mazzola
Marketing ágil para e-business: uma visão de resultados. Guilherme Mazzola
 
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitaisCapítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
 
Comercio eletronico
Comercio eletronicoComercio eletronico
Comercio eletronico
 
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
Aula 2d -_visao_geral_do_e-business (1)
 
O comércio eletrônico
O comércio eletrônicoO comércio eletrônico
O comércio eletrônico
 
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-CommerceIntrodução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
 
ComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNicoComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNico
 

Semelhante a Projeto

Anteprojeto de graduação
Anteprojeto de graduaçãoAnteprojeto de graduação
Anteprojeto de graduação
Marcos Bispo de Oliveira
 
Administração da Produção - Supply Chain e Logistica
Administração da Produção - Supply Chain e LogisticaAdministração da Produção - Supply Chain e Logistica
Administração da Produção - Supply Chain e Logistica
douglas
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
Beatriz123Letras
 
Logística Aula 2
Logística Aula 2Logística Aula 2
Logística Aula 2
robsonnasc
 
BRAVA KIT Suprimentos Protheus
BRAVA KIT Suprimentos ProtheusBRAVA KIT Suprimentos Protheus
BRAVA KIT Suprimentos Protheus
BRAVA Tecnologia
 
PALESTRA ERP
PALESTRA ERPPALESTRA ERP
PALESTRA ERP
Fabio Pimenta
 
UAIZO - pt
UAIZO - ptUAIZO - pt
UAIZO - pt
uaizo
 
Aula 2 - SCM.pdf
Aula 2 - SCM.pdfAula 2 - SCM.pdf
Aula 2 - SCM.pdf
julianocorrea17
 
123 qfd software
123 qfd software123 qfd software
123 qfd software
achyrucas
 
Apresentação do portal_de_cotações_e-compras
Apresentação do portal_de_cotações_e-comprasApresentação do portal_de_cotações_e-compras
Apresentação do portal_de_cotações_e-compras
Ednaldo Junior
 
Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010
Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010
Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010
Miguel Guimaraes
 
Aulacompras 121219095712-phpapp02
Aulacompras 121219095712-phpapp02Aulacompras 121219095712-phpapp02
Aulacompras 121219095712-phpapp02
Gbison Almeida
 
Gestodecompras
GestodecomprasGestodecompras
Gestodecompras
Daisy Bernardo
 
Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
HealthMinds Academy
 
Portfólio de Treinamentos Vorätte 2020
Portfólio de Treinamentos Vorätte   2020Portfólio de Treinamentos Vorätte   2020
Portfólio de Treinamentos Vorätte 2020
Renato Honorato
 
EZ Pass
EZ PassEZ Pass
EZ Pass
Marco Coghi
 
Viabilidade de abertura de uma nova empresa
Viabilidade de abertura de uma nova empresaViabilidade de abertura de uma nova empresa
Viabilidade de abertura de uma nova empresa
Felipe Leo
 
Ecr - Cadeia de abastecimento
Ecr - Cadeia de abastecimentoEcr - Cadeia de abastecimento
Ecr - Cadeia de abastecimento
Willian Murakami
 
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
Luiz Fabiano Bonetti
 
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
Andre Lucena
 

Semelhante a Projeto (20)

Anteprojeto de graduação
Anteprojeto de graduaçãoAnteprojeto de graduação
Anteprojeto de graduação
 
Administração da Produção - Supply Chain e Logistica
Administração da Produção - Supply Chain e LogisticaAdministração da Produção - Supply Chain e Logistica
Administração da Produção - Supply Chain e Logistica
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
 
Logística Aula 2
Logística Aula 2Logística Aula 2
Logística Aula 2
 
BRAVA KIT Suprimentos Protheus
BRAVA KIT Suprimentos ProtheusBRAVA KIT Suprimentos Protheus
BRAVA KIT Suprimentos Protheus
 
PALESTRA ERP
PALESTRA ERPPALESTRA ERP
PALESTRA ERP
 
UAIZO - pt
UAIZO - ptUAIZO - pt
UAIZO - pt
 
Aula 2 - SCM.pdf
Aula 2 - SCM.pdfAula 2 - SCM.pdf
Aula 2 - SCM.pdf
 
123 qfd software
123 qfd software123 qfd software
123 qfd software
 
Apresentação do portal_de_cotações_e-compras
Apresentação do portal_de_cotações_e-comprasApresentação do portal_de_cotações_e-compras
Apresentação do portal_de_cotações_e-compras
 
Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010
Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010
Apresentacao da Cost and Profitability Consulting Novembro 2010
 
Aulacompras 121219095712-phpapp02
Aulacompras 121219095712-phpapp02Aulacompras 121219095712-phpapp02
Aulacompras 121219095712-phpapp02
 
Gestodecompras
GestodecomprasGestodecompras
Gestodecompras
 
Gestão de compras
Gestão de comprasGestão de compras
Gestão de compras
 
Portfólio de Treinamentos Vorätte 2020
Portfólio de Treinamentos Vorätte   2020Portfólio de Treinamentos Vorätte   2020
Portfólio de Treinamentos Vorätte 2020
 
EZ Pass
EZ PassEZ Pass
EZ Pass
 
Viabilidade de abertura de uma nova empresa
Viabilidade de abertura de uma nova empresaViabilidade de abertura de uma nova empresa
Viabilidade de abertura de uma nova empresa
 
Ecr - Cadeia de abastecimento
Ecr - Cadeia de abastecimentoEcr - Cadeia de abastecimento
Ecr - Cadeia de abastecimento
 
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos[Planejamento e controle da produ -o - tubino]  lista de exerc-cios resolvidos
[Planejamento e controle da produ -o - tubino] lista de exerc-cios resolvidos
 
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
7 Passos para um e-Commerce de Sucesso
 

Projeto

  • 1. Desenvolvimento de uma Ferramenta deDesenvolvimento de uma Ferramenta de Colaboração On-line para otimizar aColaboração On-line para otimizar a comunicação com fornecedores e reduzircomunicação com fornecedores e reduzir custos nos processos de obtenção decustos nos processos de obtenção de materiais diretos e indiretos.materiais diretos e indiretos. porpor Marcos Bispo de OliveiraMarcos Bispo de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SULUNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO DE DOURADOSCENTRO UNIVERSITÁRIO DE DOURADOS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATASDEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM ANÁLISE DE SISTEMASBACHARELADO EM ANÁLISE DE SISTEMAS
  • 2. 22/09/15 2 Roteiro  Introdução  Objetivos  Metodologia  Justificativa  Marketing Reverso  E-procurement
  • 3. 22/09/15 3 Roteiro (continuação)  Solução Proposta  Objetivos  Análise de dados e funções  Aspectos de tecnologia  PHP & PostgreSQL  Modelagem da Solução Proposta  Casos de uso  Classes
  • 4. 22/09/15 4 Roteiro (continuação)  Seqüências  Componentes  Modelagem dos dados  Lógica  Física  Interface da Solução Proposta  Cronograma de trabalho  Considerações finais
  • 5. 22/09/15 5 Introdução  Necessidade de economia (racionalização da produção, melhor aproveitamento de recursos humanos, melhor gerenciamento das compras ) nas organizações;  Comprar bem faz parte de um conjunto de ações que fará com que a organização se torne mais competitiva e rentável, ou mais eficiente (no caso de organizações públicas);  Estratégias para comprar bem: marketing reverso e e-procurement;
  • 6. 22/09/15 6 Introdução (continuação)  Objetivo Geral  Propor um sistema de colaboração on-line via internet, baseando-se nos conceitos de marketing reverso e e-procurement, para ser usado por empresas ou instituições públicas, cujos objetivos são: reduzir os custos operacionais e administrativos nos processos de licitação e/ou compra de materiais diretos e indiretos (materiais de consumo ou matéria prima), aumentar a eficiência destes processos, promover a competição entre os fornecedores destes materiais e reduzir os custos de obtenção.
  • 7. 22/09/15 7 Introdução (continuação)  Objetivo Específico  Conceitos: marketing reverso e e- procurement;  Dados sobre a adoção do e-procurement;  Propor uma solução de e-procurement;  Elaborar o projeto da solução;
  • 8. 22/09/15 8 Introdução (continuação)  Metodologia  Pesquisas bibliográficas;  Coleta de dados estatísticos;  Elaboração do projeto;  Relatório final;
  • 9. 22/09/15 9 Introdução (continuação)  Justificativa  Justifica-se este trabalho ao percebermos que a utilização de sistemas de e-procurement, tanto no Brasil quanto no mundo, ainda é pequena, e que, diante da necessidade crescente de otimização dos processos de compra e redução de custos operacionais, a popularização deste tipo de solução só traria benefícios para as partes interessadas (organizações públicas ou privadas).
  • 10. 22/09/15 10 Marketing reverso  Devemos ressaltar a importância da estratégia de suprimentos em uma organização;  Organização: sistema de transformação insumo-produto;  Controle da aquisição de insumos é de alta importância para o bom funcionamento do sistema como um todo;
  • 11. 22/09/15 11 Marketing reverso (continuação)  Marketing tradicional:  Fornecedor em busca de consumidores (Vender, vender e vender);  Exemplos: campanhas da Nike, Nestlé e Coca- Cola;  Marketing Reverso:  Inversão de papéis;  Comprador sai a procura de boas oportunidades de compra (Comprar, comprar e comprar);
  • 12. 22/09/15 12 Marketing reverso (continuação)  Método agressivo e criativo, que faz parte da estratégia de suprimentos da organização (o comprador toma a iniciativa);  Inclui:  Pesquisas de preços com vários fornecedores;  Parcerias com fornecedores estratégicos;  Criação de sub-divisões responsáveis pela produção e fornecimento de insumos;
  • 13. 22/09/15 13 E-procurement  e = eletrônico, procurement = obtençao;  Surgiu após a explosão da internet e está diretamente relacionado ao marketing reverso;  Procura integrar de forma eficiente os departamentos de compras das empresas com seus fornecedores;
  • 14. 22/09/15 14 E-procurement (continuação)  O processo de seleção e aprovação das compras é automatizado na internet;  O custo de cotação e compra de um produto fica muito mais baixo, pois o trabalho de cotar com dois ou 100 fornecedores é o mesmo;  Maior possibilidade de encontrar melhores preços e prazos, além de obter redução nos custos do processo de compra;
  • 15. 22/09/15 15 E-procurement (continuação)  Dentre as vantagens, podemos citar:  Redução de custos nos processos de compra (papel, deslocamento, telefone, fax, etc);  Maior controle (comparações de preços e prazos de atendimento, desempenho de fornecedores, histórico de compras, etc);  Redução de nível de estoques;  Agilização dos processos de cotação, aprovação de requisições de compra e fechamento de pedidos;  Maior competição entre fornecedores (redução do preço final);
  • 16. 22/09/15 16 E-procurement (continuação)  Tipos de soluções de e-procurement:  Software para e-procurement (integração de sistemas do comprador com fornecedor);  Mercado de troca na internet (comércio eletrônico entre empresas);  Leilão reverso;  Consórcio de compra (união de muitos compradores e agrupamento de volumes de compra);
  • 17. 22/09/15 17 E-procurement (continuação)  Alguns utilizadores de soluções de e- procurement no Brasil:  Prefeitura de Curitiba, no Paraná;  AGCO (líder mundial em fabricação e distribuição de equipamentos agrícolas e peças de reposição);  Grupo Electrolux (líder mundial na produção e comercialização de eletrodomésticos);
  • 18. 22/09/15 18 E-procurement (continuação)  Pesquisa realizada por Antonio Davila, Mahendra Gupta e Richard J. Palmer (Stanford University), com 168 organizações dos Estados Unidos e Canadá, traça o estado atual da adoção e utilização das tecnologias de e-procurement na América do Norte.
  • 19. 22/09/15 19 Estratégias de adoção das tecnologias de E-Procurement
  • 20. 22/09/15 20 Estratégias de adoção das tecnologias de E-Procurement Observam, sem experimentações. Observam, sem experimentações. Estão cientes do estágio atual do e- procurement, mas não destinam maiores recursos. Estão cientes do estágio atual do e- procurement, mas não destinam maiores recursos. Investem seletivamente até que o melhor modelo de e- procurement possa ser identificado e adotado. Investem seletivamente até que o melhor modelo de e- procurement possa ser identificado e adotado. Movem-se rapidamente para o e- procurement. Movem-se rapidamente para o e- procurement. Investem pesadamente para ganhar liderança competitiva no setor. Investem pesadamente para ganhar liderança competitiva no setor.
  • 21. 22/09/15 21 Eficiências geradas com a adoção de tecnologias de E-procurement
  • 22. 22/09/15 22 Solução Proposta  Ferramenta do tipo web-application, aplicação desenvolvida para a internet;  Roda em um servidor de internet;  Acessada através do navegador (browser) via internet, utilizando protocolo HTTP;
  • 23. 22/09/15 23 Modelo de Aplicação
  • 24. 22/09/15 24 Solução Proposta (continuação)  Objetivos:  Permitir ao administrador do sistema gerenciar todos os dados de compradores, fornecedores, transportadores, processos de compra, lances de transporte e de fornecimento, incluindo dados auxiliares, dados de usuários e controle de acesso;  Permitir ao comprador criar listas de compras, constando os itens de produtos e suas respectivas categorias;
  • 25. 22/09/15 25 Solução Proposta (continuação)  Objetivos (continuação):  Permitir ao comprador especificar uma programação de entrega, constando local e data de entrega, para cada item do processo de compra;  Permitir ao comprador, ao criar listas de compras, especificar quais fornecedores ou quais categorias de fornecedores deverão ser avisados sobre a abertura de novo processo de compra;
  • 26. 22/09/15 26 Solução Proposta (continuação)  Objetivos (continuação):  Permitir ao fornecedor visualizar listas de compras e itens de listas de compras;  Permitir ao fornecedor enviar lances contendo preço do produto e condições de pagamento e entrega para itens de listas de compras;  Permitir ao transportador visualizar listas de compras e itens de listas de compras, incluindo a programação de entrega do produto;
  • 27. 22/09/15 27 Solução Proposta (continuação)  Objetivos (continuação):  Permitir ao transportador enviar lances contendo preço do frete e condições de pagamento para itens de listas de compras;  Permitir ao comprador visualizar os lances enviados por fornecedores e transportadores;  Permitir ao comprador selecionar os melhores lances de fornecimento e transporte;  Permitir ao comprador, após eleger os melhores lances de fornecimento e transporte, enviar o pedido de compra ao fornecedor e o pedido de transporte ao transportador;
  • 28. 22/09/15 28 Solução Proposta (continuação)  Módulos:  Gerenciamento geral;  Gerenciamento de processos de compra;  Gerenciamento de lances de fornecimento;  Gerenciamento de lances transporte;
  • 29. 22/09/15 29 Solução Proposta (continuação)  Módulo de gerenciamento geral:  Será utilizado pelo usuário administrador do Sistema, e fornecerá acesso a todos os cadastros do sistema, e também o controle de usuários e de permissões de acesso.
  • 30. 22/09/15 30 Solução Proposta (continuação)  Módulo de gerenciamento de processos de compra:  Será utilizado pelo usuário comprador, permitindo a abertura e encerramento de processos de compra, aprovação de lances de fornecimento e de lances de transporte, envio de pedidos de compra e de transporte.
  • 31. 22/09/15 31 Solução Proposta (continuação)  Módulo de gerenciamento de lances de fornecimento:  Será utilizado pelo usuário fornecedor, e permitirá ao fornecedor visualizar processos de compras, enviar ou cancelar lances de fornecimento, visualizar o ranking de lances e estabelecer comunicação com outros usuários do sistema.
  • 32. 22/09/15 32 Solução Proposta (continuação)  Módulo de gerenciamento de lances de transporte:  Será utilizado pelo usuário transportador e permitirá a este visualizar processos de compras, gerenciar seus lances de transporte, visualizar o ranking de lances de transporte e estabelecer comunicação com outros usuários do sistema.
  • 33. 22/09/15 33 Solução Proposta (continuação)  Análise de dados e funções:  Dados (principais entidades):  Pessoa jurídica, Comprador, Fornecedor, Transportador, Processo de compra, Item de processo de compra, Lance de fornecedor, Lance de transportador, Endereço, Local de entrega, Programação de entrega, Usuário, Módulo de sistema, Categoria de produto, Sub- categoria de produto;
  • 34. 22/09/15 34 Solução Proposta (continuação)  Análise de dados e funções (continuação):  Funções (principais funções):  Para todas as entidades: inclusão, alteração, exclusão, emissão de relatórios, consultas e geração de gráficos estatísticos;  Envio de avisos de abertura e encerramento de processos de compras;  Avisos (por e-mail) de lances vencedores para os usuários transportadores ou fornecedores;  Envio de lances de transporte e fornecimento;  Abertura e encerramento de processos de compra;  Seleção de lances;  Obtenção de fornecedores compatíveis;
  • 35. 22/09/15 35 Solução Proposta (continuação)  Aspectos de tecnologia  PHP (Hipertext pre-processor)  Linguagem parecida com “C”, embutida em HTML;  Pré-compilada;  Facilidades: conversão automática de tipos, declaração automática de variáveis;  Multi-plataforma (Windows, Unix, Linux);  Compatível com grande número de servidores de banco de dados;  Livre distribuição de fontes e binários (software livre);  Suporte parcial a OOP na versão 4 (melhorado na versão 5);
  • 36. 22/09/15 36 Solução Proposta (continuação)  Aspectos de tecnologia (continuação)  PostgreSQL  Sistema de gerenciamento de banco de dados objeto- relacional (ORDBMS);  Desenvolvido nos Estados Unidos, na universidade da Califórnia no depto. de Ciências da Computação de Berkeley;  Suporta SQL 92 e 99, herança, tipos de dados, constraints, triggers, regras, integridade transacional;  Livre distribuição;
  • 37. 22/09/15 37 Modelagem da Solução Proposta  Feita com base na notação UML (Unified Modeling Language);  Diagramas usados:  Casos de uso;  Classes;  Seqüências;  Componentes;  Também foram utilizados o DER e o MER;
  • 38. 22/09/15 38 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Casos de uso  Visão geral do sistema, incluindo atores e interações que deverão ocorrer entre estes atores e o sistema.
  • 39. 22/09/15 39 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Primeiro caso de uso:  Administrador do sistema define permissões de acesso para o usuário (comprador, transportador ou fornecedor) e gerencia todos os cadastros do sistema (cadastra, altera, exclui).
  • 41. 22/09/15 41 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Segundo caso de uso:  Interação que deverá ocorrer quando o usuário comprador, transportador ou fornecedor, neste caso representado pelo ator “Pessoa jurídica”, obtêm informações complementares, como informações bancárias e contatos.
  • 43. 22/09/15 43 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Terceiro caso de uso:  Mostra todas as interações que deverão ocorrer entre o sistema e o usuário comprador, como por exemplo, o ato de eleger um lance de fornecimento para um item de um processo de compra.
  • 45. 22/09/15 45 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Quarto caso de uso:  Mostra as interações entre o usuário fornecedor ou transportador e o sistema.
  • 47. 22/09/15 47 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Classes  Todas as entidades, de acordo com o paradigma da orientação a objetos, contendo atributos e métodos.
  • 49. 22/09/15 49 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Seqüências  Para cada caso de uso foi elaborado um diagrama de seqüência, que mostra as operações correspondentes às classes, sendo iniciadas pelos atores, mostrando também os parâmetros que deverão ser recebidos por cada operação e os valores de retorno.
  • 50. 22/09/15 50 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Seqüência 1  Relacionado ao primeiro caso de uso, onde mostramos a interação que deverá ocorrer no momento em que o administrador do sistema define permissões de acesso para o usuário (comprador, transportador ou fornecedor) e gerencia todos os cadastros do sistema.
  • 52. 22/09/15 52 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Seqüência 2  Relacionado ao segundo caso de uso, onde representamos a interação que deverá ocorrer quando o usuário comprador, transportador ou fornecedor, neste caso representado pelo ator “Pessoa jurídica”, obtêm informações complementares, como informações bancárias e contatos.
  • 54. 22/09/15 54 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Seqüência 3  Relacionado ao terceiro caso de uso, onde mostramos todas as interações que deverão ocorrer entre o sistema e o usuário comprador, como por exemplo, o ato de eleger um lance de fornecimento para um item de produto constante de um processo de compra.
  • 56. 22/09/15 56 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Seqüência 4  Relacionado ao quarto caso de uso, mostra as relações que devem ocorrer entre o usuário fornecedor ou transportador e o sistema.
  • 58. 22/09/15 58 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Componentes  Visão de como o sistema deverá estar organizado;  Cada componente representa uma divisão do sistema, onde podemos ver que a interface do usuário, contida no componente “Front-end” necessita dos componentes “Gerenciamento”, “Processos de compra”, “Lances de transporte” e “Lances de fornecimento”, e estes por sua vez necessitam do componente “Classes” que utiliza o componente “Utilitários” para fazer acesso a banco de dados, validações e leitura de configurações;
  • 59. 22/09/15 59 Componentes Front-end Utilitarios classes* Gerenciamento Lances de fornecimentoLances de transporteProcessos de compra index.php gerenciamento.php pcompra.php ltransporte.php lfornecimento.php db.php config.php erro.php valida.class.php *Classes: bairro.class.php categoria_produto.class.php cidade.class.php comprador.class.php contato.class.php direito_acesso.class.php endereco.class.php estado.class.php fornecedor.class.php fornecedor_sub_categoria_produto.class.php inf_bancaria.class.php item_processo_compra.class.php lance_fornecedor.class.php lance_transportador.class.php logradouro.class.php modulo.class.php pessoa_juridica.class.php processo_compra.class.php programacao_entrega.class.php sub_categoria_produto.class.php transportador.class.php usuario.class.php
  • 60. 22/09/15 60 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Modelagem dos dados  Lógica  DER (Diagrama de entidade-relacionamento);  Apresenta a estrutura lógica de armazenamento dos dados que o sistema deverá tratar;  Mostra apenas a estrutura de entidades (que futuramente se tornarão tabelas de banco de dados) e os seus relacionamentos;
  • 61. 22/09/15 61 DER (Diagrama de entidade-relacionamento)
  • 62. 22/09/15 62 Modelagem da Solução Proposta (continuação)  Modelagem dos dados (continuação)  Física  MER (Modelo de entidade-relacionamento), enfatiza a estrutura física das entidades e seus relacionamentos, mostrando para cada entidade, todos os seus campos e tipos de dados e para cada relacionamento, o nome físico do mesmo, e ainda todas as chaves primárias e estrangeiras de cada entidade;  A estrutura física dos dados foi formatada e especificada para ser compatível com o gerenciador de banco de dados PostgreSQL;
  • 63. 22/09/15 63 MER (Modelo de entidade-relacionamento)
  • 64. 22/09/15 64 Interface da Solução Proposta  Serão mostrados os desenhos de algumas das principais telas de interface com o usuário;  As telas foram elaboradas usando ferramentas de edição de HTML. Todas as telas foram capturadas a partir do navegador de internet;
  • 65. 22/09/15 65 Tela de entrada do sistema
  • 66. 22/09/15 66 Tela exibida após a entrada do usuário administrador
  • 67. 22/09/15 67 Tela exibida após a entrada do usuário fornecedor
  • 68. 22/09/15 68 Visualização da lista de processos de compra ativos
  • 69. 22/09/15 69 Visualização de detalhes do processo de compra
  • 70. 22/09/15 70 Envio de lances de fornecimento
  • 71. 22/09/15 71 Visualização de lances de fornecimento
  • 72. 22/09/15 72 Cronograma de Trabalho  Para que o protótipo do sistema esteja disponível e possa ser colocado “em produção”, é necessário desenvolver, além das classes, a interface do usuário e os módulos de gerenciamento, e ainda realizar todos os testes de implementação.
  • 73. 22/09/15 73 Cronograma de trabalho Etapas do cronograma:   1) Desenvolvimento do código das classes; 2) Desenvolvimento da interface do usuário; 3) Desenvolvimento dos módulos de gerenciamento e módulos utilitários; 4) Testes de implementação e correção de erros;
  • 74. 22/09/15 74 Considerações Finais  Procurou-se, com este trabalho, propor o desenvolvimento de uma ferramenta de e- procurement, do tipo leilão-reverso, através da análise e a modelagem do sistema. Espera-se que o trabalho contribua para a popularização deste tipo de ferramenta, uma vez que a popularização e o aumento da utilização das tecnologias de e- procurement no Brasil, tanto em organizações privadas, quanto públicas, pode trazer benefícios significativos.