SlideShare uma empresa Scribd logo
1
Dúvidas Temporárias
•Quais as atividades que podemos usar para cada nível em que o aluno se encontra?
•Quando a criança pode ser considerada alfabetizada?
•Como diferenciar os níveis que os alunos se encontram?
Aprendizagem é um processo de apropriação do conhecimento que só é possível com o pensar
e o agir do sujeito sobre o objeto que ele quer conhecer.
A criança busca a aprendizagem na medida em que constrói o raciocino lógico.
A alfabetização é um processo no qual o indivíduo assimila o aprendizado e a sua utilização
como código de comunicação.
Esse processo não se deve resumir apenas na aquisição dessas habilidades mecânicas do ato
de ler, mas na capacidade de interpretar, compreender, criticar e produzir conhecimento. A
alfabetização envolve também o desenvolvimento de novas formas de compreensão e uso da
linguagem de uma maneira geral.
O processo evolutivo de aprender a ler e escrever passa por níveis de conceitualização que
revelam as hipóteses a que chegou a criança.
 não estabelece vínculo entre a fala e a escrita;
representa coisas e usa desenhos, garatujas para escrever;
 supõe que a escrita representa o nome dos objetos e não os objetos;coisas grandes (nomes
grandes), coisa pequenas(nomes pequenos);
usa letras do próprio nome ou letras e números na mesma palavra;
pode conhecer ou não os sons de algumas letras;
caracteriza uma palavra com uma letra inicial; só ela sabe o que quis escrever;
HIPÓTESES DE ESCRITA
Certezas Provisórias
• Todas as crianças passam por níveis de hipóteses conceituais de escrita até
atingirem a alfabetização:
• Uns alunos são mais rápidos que outros para se alfabetizarem;
• Precisamos distinguir os níveis que cada criança se encontra para proporcionar
atividades adequadas com seu grau de dificuldade.
Nível 1- Hipótese Pré- Silábica
2
Qual é o significado dos sinais escritos?
 Começa a ter consciência de que existe alguma relação entre a pronúncia e a escrita;
 Começa a desvincular a escrita das imagens e números das letras;
 Só demonstra estabilidade ao escrever seu nome ou palavras que teve oportunidade e interesse de
gravar. Esta estabilidade independe da estruturação do sistema de escrita;
Conserva as hipóteses da quantidade mínima e da variedade de caracteres.
Ednilda 7 anos
Desafio:
3
Desafio:
Como resolver a hipótese de que a escrita se vincula com a pronúncia das partes
da palavra?
Hipótese Silábica
Já supõe que a escrita representa a fala;
Tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras;
Pode ter adquirido, ou não, a compreensão do valor sonoro convencional das letras;
Já supõe que a menor unidade da língua seja a sílaba;
 Supõe que para cada sílaba oral corresponde uma letra ou um sinal;
 Em frases, pode escrever uma letra para cada palavra.
4
5
Desafio:
Como compatibilizar, na escrita ou na leitura das palavras monossílabas e dissílabas, a idéia de
quantidade mínima e de variedade de caracteres, se ela supõe que as palavras podem ser escritas
com uma ou com duas letras?
Ao ler as palavras que escreveu, o que fazer com as letras que sobraram no meio das palavras
(almofada) ou no final (sobrantes)?
Se coisas diferentes devem ser escritas de maneira diferente, como organizar as letras na palavra?
6
Hipótese Silábico- Alfabética
Inicia a superação da hipótese silábica;
Compreende que a escrita representa o som da fala;
Pode combinar vogais e consoantes numa mesma palavra, numa tentativa de combinar sons, sem
tornar, ainda, sua escrita socializável. Por exemplo, CVLO para cavalo;
Passa a fazer uma leitura termo a termo (não global).
Desafio:
Como conciliar a hipótese silábica com a hipótese da quantidade mínima de caracteres?
 Como adequar as formas gráficas que o meio lhe propõe à leitura dessas formas?
 Como separar palavras ao escrever, quando elas não são separadas na fala?
Como tornar a escrita socializável, possível de ser lida por outras pessoas?
7
Hipótese Alfabética
Compreende que a escrita tem uma função social: a comunicação;
Compreende o modo de construção do código da escrita
Compreende que cada um dos caracteres da escrita corresponde a valores menores que a sílaba;
 Conhece o valor sonoro de todas as letras ou de quase todas;
Pode ainda não separar todas as palavras nas frases;
Omite letras quando mistura as hipóteses alfabética e silábica;
Não tem problemas de escrita no que se refere a conceito;
Não é ortográfica nem léxica.
Desafio:
Como entender que falamos de um jeito e escrevemos de outro?
Como aprender as convenções da língua?
Como distinguir letras, sílabas e frases?
8
CONCLUSÃO
Entende-se por alfabetizada a criança que dominou a base alfabética do sistema de escrita, que lê
com compreensão e escreve textos com sentido possíveis de serem lidos, mesmo que apresentem
erros de ortografia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
Bruna Braga
 
Sondagem
SondagemSondagem
Sondagem
silvinha331
 
Relatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-EscritaRelatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-Escrita
Graça Sousa
 
Sequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovóSequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovó
Andreá Perez Leinat
 
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Alexsandro Menezes da Silva
 
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiroComo fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Carilusa Branchi
 
Plano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigidoPlano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigido
simonclark
 
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Vera Marlize Schröer
 
Oficina consciência fonológica (apostila)
Oficina  consciência fonológica (apostila)Oficina  consciência fonológica (apostila)
Oficina consciência fonológica (apostila)
Edeil Reis do Espírito Santo
 
Sequencia receita culinaria
Sequencia receita culinariaSequencia receita culinaria
Sequencia receita culinaria
Fernando Faustino
 
Sequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º anoSequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º ano
André Moraes
 
Oficina leitura e escrita
Oficina leitura e escritaOficina leitura e escrita
Oficina leitura e escrita
Luciana Sá
 
Oficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 anoOficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 ano
pedagogicosjdelrei
 
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escritaHipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
orientacoesdidaticas
 
Como trabalhar com a hipótese silábico alfabético
Como trabalhar com a hipótese silábico alfabéticoComo trabalhar com a hipótese silábico alfabético
Como trabalhar com a hipótese silábico alfabético
Edinei Messias
 
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacaoDitado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
Marisa Galdi Lapa
 
Planejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 anoPlanejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
Fabiana Lopes
 
Sondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escritaSondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escrita
Maristela Couto
 
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
augustafranca7
 

Mais procurados (20)

Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
 
Sondagem
SondagemSondagem
Sondagem
 
Relatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-EscritaRelatorio Sondagem-Escrita
Relatorio Sondagem-Escrita
 
Sequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovóSequência didática a casinha da vovó
Sequência didática a casinha da vovó
 
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
Hipóteses de Escrita: como fazer a sondagem inicial
 
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiroComo fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
 
Plano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigidoPlano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigido
 
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
 
Oficina consciência fonológica (apostila)
Oficina  consciência fonológica (apostila)Oficina  consciência fonológica (apostila)
Oficina consciência fonológica (apostila)
 
Sequencia receita culinaria
Sequencia receita culinariaSequencia receita culinaria
Sequencia receita culinaria
 
Sequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º anoSequência didática 1º ao 5º ano
Sequência didática 1º ao 5º ano
 
Oficina leitura e escrita
Oficina leitura e escritaOficina leitura e escrita
Oficina leitura e escrita
 
Oficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 anoOficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 ano
 
Hipoteses de escrita
Hipoteses de escritaHipoteses de escrita
Hipoteses de escrita
 
Como trabalhar com a hipótese silábico alfabético
Como trabalhar com a hipótese silábico alfabéticoComo trabalhar com a hipótese silábico alfabético
Como trabalhar com a hipótese silábico alfabético
 
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacaoDitado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
 
Planejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 anoPlanejamento anual 1 ano
Planejamento anual 1 ano
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
 
Sondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escritaSondagem de hipótese de escrita
Sondagem de hipótese de escrita
 
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro
 

Semelhante a Peb i hipóteses de escrita texto

Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escrita
chagasl
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
henriqueocarvalho
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
Jessica Nuvens
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Magda Marques
 
Alfabetização e letramento psicogenese
Alfabetização e letramento   psicogeneseAlfabetização e letramento   psicogenese
Alfabetização e letramento psicogenese
Ananda Lima
 
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdfhipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
Renata479659
 
unidade 1
unidade 1unidade 1
unidade 1
Olívia Oliveira
 
Hipóteses
HipótesesHipóteses
Hipóteses
purusiaco
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
Lais Renata
 
Trabalho c.f.p. ituiutaba
Trabalho c.f.p. ituiutabaTrabalho c.f.p. ituiutaba
Trabalho c.f.p. ituiutaba
José da Silva
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
Jean Carvalho
 
Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
 Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
♥Marcinhatinelli♥
 
Processo E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da AlfabetizaçãoProcesso E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da Alfabetização
J. C.
 
Apresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escritaApresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escrita
Ana Paula Epifanio
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Naysa Taboada
 
hipóteses da escrita
 hipóteses da escrita hipóteses da escrita
hipóteses da escrita
Latife Frota
 
Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escrita
Latife Frota
 
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdfCOMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
marcos oliveira
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
LianeMagnolia
 
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).pptun-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
Bonfim Queiroz Lima
 

Semelhante a Peb i hipóteses de escrita texto (20)

Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escrita
 
AlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E LetramentoAlfabetizaçãO E Letramento
AlfabetizaçãO E Letramento
 
Psicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua EscritaPsicogênese da Língua Escrita
Psicogênese da Língua Escrita
 
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escritaAlfabetização-Psicogênese da Língua escrita
Alfabetização-Psicogênese da Língua escrita
 
Alfabetização e letramento psicogenese
Alfabetização e letramento   psicogeneseAlfabetização e letramento   psicogenese
Alfabetização e letramento psicogenese
 
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdfhipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
hipotesesdeescrita-120704121619-phpapp01.pdf
 
unidade 1
unidade 1unidade 1
unidade 1
 
Hipóteses
HipótesesHipóteses
Hipóteses
 
Slides unidade 3 texto 1
Slides unidade 3   texto 1Slides unidade 3   texto 1
Slides unidade 3 texto 1
 
Trabalho c.f.p. ituiutaba
Trabalho c.f.p. ituiutabaTrabalho c.f.p. ituiutaba
Trabalho c.f.p. ituiutaba
 
Processo e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacaoProcesso e objetivos da alfabetizacao
Processo e objetivos da alfabetizacao
 
Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
 Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
 
Processo E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da AlfabetizaçãoProcesso E Objetivos Da Alfabetização
Processo E Objetivos Da Alfabetização
 
Apresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escritaApresentação psicogênese da língua escrita
Apresentação psicogênese da língua escrita
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
hipóteses da escrita
 hipóteses da escrita hipóteses da escrita
hipóteses da escrita
 
Hipóteses da escrita
Hipóteses da escritaHipóteses da escrita
Hipóteses da escrita
 
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdfCOMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).pptun-3-e-4-ano-2 (1).ppt
un-3-e-4-ano-2 (1).ppt
 

Mais de marcaocampos

Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
marcaocampos
 
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanalTardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
marcaocampos
 
Sousa. sandra m. zakia avaliacao na organizacao do ensino
Sousa. sandra m. zakia   avaliacao na organizacao do ensino Sousa. sandra m. zakia   avaliacao na organizacao do ensino
Sousa. sandra m. zakia avaliacao na organizacao do ensino
marcaocampos
 
Soares, magda linguagem e escola
Soares, magda   linguagem e escolaSoares, magda   linguagem e escola
Soares, magda linguagem e escola
marcaocampos
 
Sawaia, bader as artimanhas da exclusao
Sawaia, bader   as artimanhas da exclusaoSawaia, bader   as artimanhas da exclusao
Sawaia, bader as artimanhas da exclusao
marcaocampos
 
Saul, ana maria paulo freire e a formacao de educadores
Saul, ana maria   paulo freire e a formacao de educadoresSaul, ana maria   paulo freire e a formacao de educadores
Saul, ana maria paulo freire e a formacao de educadores
marcaocampos
 
Sacristan, jose g., a educacao que temos
Sacristan, jose g., a educacao que temosSacristan, jose g., a educacao que temos
Sacristan, jose g., a educacao que temos
marcaocampos
 
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
marcaocampos
 
Piaget, jean para onde vai a educação
Piaget, jean para onde vai a educaçãoPiaget, jean para onde vai a educação
Piaget, jean para onde vai a educação
marcaocampos
 
Perrenoud, phillipie ensinando competencias
Perrenoud, phillipie   ensinando competenciasPerrenoud, phillipie   ensinando competencias
Perrenoud, phillipie ensinando competencias
marcaocampos
 
Perrenoud, phillipie dez competencias para ensinar
Perrenoud, phillipie   dez competencias para ensinarPerrenoud, phillipie   dez competencias para ensinar
Perrenoud, phillipie dez competencias para ensinar
marcaocampos
 
Perrenoud, phillipe pedagogia diferenciada- da inteção a a
Perrenoud, phillipe   pedagogia diferenciada- da inteção a aPerrenoud, phillipe   pedagogia diferenciada- da inteção a a
Perrenoud, phillipe pedagogia diferenciada- da inteção a a
marcaocampos
 
Peb i hipotese leitura texto
Peb i hipotese leitura   textoPeb i hipotese leitura   texto
Peb i hipotese leitura texto
marcaocampos
 
PEB l analise de texto
PEB l analise de textoPEB l analise de texto
PEB l analise de texto
marcaocampos
 
Oliveira, marta kholl vigostski - aprendizado e desenvolvi
Oliveira, marta kholl   vigostski - aprendizado e desenvolviOliveira, marta kholl   vigostski - aprendizado e desenvolvi
Oliveira, marta kholl vigostski - aprendizado e desenvolvi
marcaocampos
 
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defiMantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
marcaocampos
 
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosMacedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
marcaocampos
 
Linhares, célia os professores e a reinvencao da escola
Linhares, célia   os professores e a reinvencao da escolaLinhares, célia   os professores e a reinvencao da escola
Linhares, célia os professores e a reinvencao da escola
marcaocampos
 
Lerner,delia ler e escrever na escola 3
Lerner,delia   ler e escrever na escola 3Lerner,delia   ler e escrever na escola 3
Lerner,delia ler e escrever na escola 3
marcaocampos
 
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundoLajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
marcaocampos
 

Mais de marcaocampos (20)

Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8Vigotsky, a formacao social da mente  cap. 6, 7 e 8
Vigotsky, a formacao social da mente cap. 6, 7 e 8
 
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanalTardif, maurice   saberes docentes e formação profissioanal
Tardif, maurice saberes docentes e formação profissioanal
 
Sousa. sandra m. zakia avaliacao na organizacao do ensino
Sousa. sandra m. zakia   avaliacao na organizacao do ensino Sousa. sandra m. zakia   avaliacao na organizacao do ensino
Sousa. sandra m. zakia avaliacao na organizacao do ensino
 
Soares, magda linguagem e escola
Soares, magda   linguagem e escolaSoares, magda   linguagem e escola
Soares, magda linguagem e escola
 
Sawaia, bader as artimanhas da exclusao
Sawaia, bader   as artimanhas da exclusaoSawaia, bader   as artimanhas da exclusao
Sawaia, bader as artimanhas da exclusao
 
Saul, ana maria paulo freire e a formacao de educadores
Saul, ana maria   paulo freire e a formacao de educadoresSaul, ana maria   paulo freire e a formacao de educadores
Saul, ana maria paulo freire e a formacao de educadores
 
Sacristan, jose g., a educacao que temos
Sacristan, jose g., a educacao que temosSacristan, jose g., a educacao que temos
Sacristan, jose g., a educacao que temos
 
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da Sacristan, josé e gomes, peres, a.i   as funções sociais da
Sacristan, josé e gomes, peres, a.i as funções sociais da
 
Piaget, jean para onde vai a educação
Piaget, jean para onde vai a educaçãoPiaget, jean para onde vai a educação
Piaget, jean para onde vai a educação
 
Perrenoud, phillipie ensinando competencias
Perrenoud, phillipie   ensinando competenciasPerrenoud, phillipie   ensinando competencias
Perrenoud, phillipie ensinando competencias
 
Perrenoud, phillipie dez competencias para ensinar
Perrenoud, phillipie   dez competencias para ensinarPerrenoud, phillipie   dez competencias para ensinar
Perrenoud, phillipie dez competencias para ensinar
 
Perrenoud, phillipe pedagogia diferenciada- da inteção a a
Perrenoud, phillipe   pedagogia diferenciada- da inteção a aPerrenoud, phillipe   pedagogia diferenciada- da inteção a a
Perrenoud, phillipe pedagogia diferenciada- da inteção a a
 
Peb i hipotese leitura texto
Peb i hipotese leitura   textoPeb i hipotese leitura   texto
Peb i hipotese leitura texto
 
PEB l analise de texto
PEB l analise de textoPEB l analise de texto
PEB l analise de texto
 
Oliveira, marta kholl vigostski - aprendizado e desenvolvi
Oliveira, marta kholl   vigostski - aprendizado e desenvolviOliveira, marta kholl   vigostski - aprendizado e desenvolvi
Oliveira, marta kholl vigostski - aprendizado e desenvolvi
 
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defiMantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
 
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosMacedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
 
Linhares, célia os professores e a reinvencao da escola
Linhares, célia   os professores e a reinvencao da escolaLinhares, célia   os professores e a reinvencao da escola
Linhares, célia os professores e a reinvencao da escola
 
Lerner,delia ler e escrever na escola 3
Lerner,delia   ler e escrever na escola 3Lerner,delia   ler e escrever na escola 3
Lerner,delia ler e escrever na escola 3
 
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundoLajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
Lajolo, marisa do mundo da leitura para a leitura do mundo
 

Peb i hipóteses de escrita texto

  • 1. 1 Dúvidas Temporárias •Quais as atividades que podemos usar para cada nível em que o aluno se encontra? •Quando a criança pode ser considerada alfabetizada? •Como diferenciar os níveis que os alunos se encontram? Aprendizagem é um processo de apropriação do conhecimento que só é possível com o pensar e o agir do sujeito sobre o objeto que ele quer conhecer. A criança busca a aprendizagem na medida em que constrói o raciocino lógico. A alfabetização é um processo no qual o indivíduo assimila o aprendizado e a sua utilização como código de comunicação. Esse processo não se deve resumir apenas na aquisição dessas habilidades mecânicas do ato de ler, mas na capacidade de interpretar, compreender, criticar e produzir conhecimento. A alfabetização envolve também o desenvolvimento de novas formas de compreensão e uso da linguagem de uma maneira geral. O processo evolutivo de aprender a ler e escrever passa por níveis de conceitualização que revelam as hipóteses a que chegou a criança.  não estabelece vínculo entre a fala e a escrita; representa coisas e usa desenhos, garatujas para escrever;  supõe que a escrita representa o nome dos objetos e não os objetos;coisas grandes (nomes grandes), coisa pequenas(nomes pequenos); usa letras do próprio nome ou letras e números na mesma palavra; pode conhecer ou não os sons de algumas letras; caracteriza uma palavra com uma letra inicial; só ela sabe o que quis escrever; HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias • Todas as crianças passam por níveis de hipóteses conceituais de escrita até atingirem a alfabetização: • Uns alunos são mais rápidos que outros para se alfabetizarem; • Precisamos distinguir os níveis que cada criança se encontra para proporcionar atividades adequadas com seu grau de dificuldade. Nível 1- Hipótese Pré- Silábica
  • 2. 2 Qual é o significado dos sinais escritos?  Começa a ter consciência de que existe alguma relação entre a pronúncia e a escrita;  Começa a desvincular a escrita das imagens e números das letras;  Só demonstra estabilidade ao escrever seu nome ou palavras que teve oportunidade e interesse de gravar. Esta estabilidade independe da estruturação do sistema de escrita; Conserva as hipóteses da quantidade mínima e da variedade de caracteres. Ednilda 7 anos Desafio:
  • 3. 3 Desafio: Como resolver a hipótese de que a escrita se vincula com a pronúncia das partes da palavra? Hipótese Silábica Já supõe que a escrita representa a fala; Tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras; Pode ter adquirido, ou não, a compreensão do valor sonoro convencional das letras; Já supõe que a menor unidade da língua seja a sílaba;  Supõe que para cada sílaba oral corresponde uma letra ou um sinal;  Em frases, pode escrever uma letra para cada palavra.
  • 4. 4
  • 5. 5 Desafio: Como compatibilizar, na escrita ou na leitura das palavras monossílabas e dissílabas, a idéia de quantidade mínima e de variedade de caracteres, se ela supõe que as palavras podem ser escritas com uma ou com duas letras? Ao ler as palavras que escreveu, o que fazer com as letras que sobraram no meio das palavras (almofada) ou no final (sobrantes)? Se coisas diferentes devem ser escritas de maneira diferente, como organizar as letras na palavra?
  • 6. 6 Hipótese Silábico- Alfabética Inicia a superação da hipótese silábica; Compreende que a escrita representa o som da fala; Pode combinar vogais e consoantes numa mesma palavra, numa tentativa de combinar sons, sem tornar, ainda, sua escrita socializável. Por exemplo, CVLO para cavalo; Passa a fazer uma leitura termo a termo (não global). Desafio: Como conciliar a hipótese silábica com a hipótese da quantidade mínima de caracteres?  Como adequar as formas gráficas que o meio lhe propõe à leitura dessas formas?  Como separar palavras ao escrever, quando elas não são separadas na fala? Como tornar a escrita socializável, possível de ser lida por outras pessoas?
  • 7. 7 Hipótese Alfabética Compreende que a escrita tem uma função social: a comunicação; Compreende o modo de construção do código da escrita Compreende que cada um dos caracteres da escrita corresponde a valores menores que a sílaba;  Conhece o valor sonoro de todas as letras ou de quase todas; Pode ainda não separar todas as palavras nas frases; Omite letras quando mistura as hipóteses alfabética e silábica; Não tem problemas de escrita no que se refere a conceito; Não é ortográfica nem léxica. Desafio: Como entender que falamos de um jeito e escrevemos de outro? Como aprender as convenções da língua? Como distinguir letras, sílabas e frases?
  • 8. 8 CONCLUSÃO Entende-se por alfabetizada a criança que dominou a base alfabética do sistema de escrita, que lê com compreensão e escreve textos com sentido possíveis de serem lidos, mesmo que apresentem erros de ortografia.