SlideShare uma empresa Scribd logo
PAPEL DO E-FORMADOR Formação de E-Formadores Carlos Pimenta  Célia Pereira  Jorge Martins  Marisa Ramoa  [ Maio 2010 ]
A noção de E-Formador
Em e-learning, os termos:  Professor ,  Formador ,  Tutor ,  Moderador , são associados ao prefixo  E-   ou às palavras  virtual  ou  online . Dão assim origem a: E- Formador     E- Moderador   Formador  Virtual , … A noção de E-Formador O QUE É UM E-FORMADOR?
Funções formativas no contexto do e-learning:  Concepção das acções Implementação e condução,  Criação de conteúdos, etc. A noção de E-Formador Essas funções podem ser distribuídas por uma equipa de formação, ou executadas pela mesma pessoa: O  E-Formador
Papel essencialmente de Tutor;  O E-Formador não ensina, facilita a aprendizagem;  Os “actos docentes” são centrados no formando; Faz a mediação entre os conteúdos e o formando através da tecnologia. A noção de E-Formador O QUE DISTINGUE O E-FORMADOR?
Pessoa responsável por:  planear, implementar, orientar, monitorar e avaliar uma acção de formação em regime de e-learning. A noção de E-Formador NOÇÃO DE E-FORMADOR (RESUMO):
“ Na educação tradicional  o professor ensina, na educação à distância  uma instituição ensina. Esta é uma diferença radical” A noção de E-Formador FORMADOR TRADICIONAL  VS   E-FORMADOR Keegan (1988)
O Papel e as tarefas do  E-Formador
O Papel e as tarefas do  E-Formador
O Papel e as tarefas do  E-Formador
No processo de formação e que, de acordo com Mason (1998), tem três dimensões: Alguns autores acrescentam um quarto tipo de interacção: interacção entre o formando e a interface ou plataforma O Papel e as tarefas do  E-Formador
Collison et al. (2000) dividem o papel do e-formador (que designam por e-moderator) em três categorias: O Papel e as tarefas do  E-Formador
O Papel e as tarefas do  E-Formador Por seu lado Berge (1995), classifica a intervenção dos moderadores em quatro áreas
“ Para poderem desempenhar a variedade das funções atrás referidas, os e-formadores devem possuir um conjunto de características pessoais, e habilidades e competências pedagógicas, tecnológicas e comunicacionais”. Eloy Rodrigues O Papel e as tarefas do  E-Formador Corolário
O Papel e as tarefas do  E-Formador Hywel Thomas da Training Foundation,  sintetizou, numa mnemónica de 4 P’s, as qualidades que os e-formadores devem possuir:
O Papel e as tarefas do  E-Formador Tarefas dos e-formadores Acolhimento Criar e animar grupos Encorajar e motivar Promover a colaboração entre os Participantes Promover a interacção, participação e orientação Facilitar as discussões Fornecer retorno/resposta (feedback) rápido Monitorar o progresso Fornecer conselhos e apoio técnico Garantir o sucesso das conferências
O Papel e as tarefas do  E-Formador Tarefas dos e-formadores Definir trabalhos e tarefas Controlar o ritmo Assegurar-se que os alunos estão a trabalhar ao ritmo certo Assegurar que os objectivos do curso são atingidos Dar informação e acrescentar conhecimento o Fornecer informação, desenvolver,  clarificar, explicar Avaliar os participantes Controlar os progressos obtidos Fornecer comentários aos trabalhos dos alunos Avaliar o curso Concluir o curso Tornar-se facilitador de uma comunidade de aprendizagem
O que muda, particularmente, no desempenho do formador em contexto virtual de aprendizagem é a relação de espaço, tempo e comunicação com os formandos. O Papel e as tarefas do  E-Formador
uma maior dedicação,  mais tempo na planificação,  preparação e acompanhamento do processo formativo   um maior apoio de uma equipa técnico- pedagógica O Papel e as tarefas do  E-Formador Do E-Formador é necessário
Em suma  as tecnologias da informação e comunicação desencadearam novas estratégias de difusão da informação e novos modelos de comunicação, modificando atitudes e comportamentos face à formação O Papel e as tarefas do  E-Formador
Os desafios do E-Formador
Com a terceira geração de ensino a distância, a interacção diversifica-se e multiplica-se, através da emergência de uma comunidade de aprendizagem que lhe confere a dimensão social até então ausente permitindo  novas abordagens pedagógicas  e  redefinindo o papel do professor  e  do estudante de ensino a distância.  Os desafios do E-Formador Papel do tutor/ E- Formador no ensino
Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online Esta é uma mudança que se considera a vários níveis, radical.
O papel do tutor no ensino  online complexifica-se e ganha um maior destaque  relativamente àquele que desempenhou noutras gerações de ensino a distância.  O tutor  online foi  re-investido de muitas funções que habitualmente são atribuídas a um professor no ensino presencial e que, no ensino a distância, se procurava que fossem preenchidas pelos materiais de aprendizagem.  Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online
O ensino  online implica mudanças importantes na concepção do papel do tutor . Ao introduzir o grupo como nova dimensão da interacção no ensino a distância, o ensino  online permite que diferentes  tipos de interacção se concretizem no mesmo contexto e realiza, no mesmo passo, uma  viragem para a dimensão social da comunicação e da aprendizagem.  Os desafios do E-Formador SUBTITULO
Nesta base, o tutor de  ensino a distância regressa ao paradigma da sala de aula, embora a uma sala de aula com novas características. Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online
Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online Papel do formador em contexto presencial  Tutor online Embora se assista a uma certa aproximação ao papel do professor em contexto presencial, ser tutor  online é diferente de ser professor do ensino presencial.
Os desafios do E-Formador A tutoria  online exige competências específicas, incluindo competências técnicas e, até, características pessoais especiais. Competências do tutor no ensino online
Os desafios do E-Formador Fonte:. Salmon (2000a: 40)  Competências do tutor no ensino online Características Qualidades  Compreensão do processo  online,  Confiança;  Competências  técnicas,  Espírito Construtivo;  Competências de comunicação  online,  Capacidade para  Estimular o Desenvolvimento Domínio dos conteúdos  Talento de Facilitação Características pessoais;  Aptidão para Partilhar Conhecimento Criatividade.
As  competências e abordagens pedagógicas necessárias neste novo contexto de ensino-aprendizagem não são automaticamente transferíveis para o ambiente  online.  Requerendo, uma formação concreta que, idealmente, deverá passar por uma experiência de aprendizagem  online prévia. Os desafios do E-Formador - Competências do tutor no ensino online
Ivan Illich (2001) “  A medida que eu domino  a ferramenta, eu preencho o mundo com sentido; mas à medida que a ferramenta me domina, ela molda a sua estrutura e impõem-me um ideia de mim mesmo ”. Os desafios do E-Formador
A relevância futura da  função de E-Formador
Ao analisar o mercado de  e-learning há que não esquecer a sua relação com a tecnologia, que apresenta algumas características específicas extremamente interessantes: A tecnologia é cada vez mais flexivel, variável e adaptável; A tecnologia é cada vez mais um bem comum, quase uma  commodity; As aplicações de  software crescem a um ritmo alucinante; Tem-se assistido nos últimos anos a uma rápida mudança nos  standards  da tecnologia e na concorrência em termos mundiais. A relevância futura da função de E-Formador O E-learning, uma área de actividade em plena expansão
Em 2010 a Europa deverá ser "a economia baseada no conhecimento mais competitivo do mundo, capaz de um crescimento económico sustentável com mais e melhores postos de trabalho e maior coesão social". (Conselho Europeu. Lisboa, Março de 2000)  A relevância futura da função de E-Formador O E-formador é um agente económico competitivo.
"Até o ano 2010, o mercado do e-Learning poderá alcançar 50 milhões de dólares anuais", revelou o artigo "e-Learning",  divulgado pela consultora especializada em tecnologias emergentes, com o apoio de estudos realizados pelas empresas Cortona Consulting, Market Data Retrieval, e pela organização American Society for Training and Development. A relevância futura da função de E-Formador As oportunidades de negócio para o E-formador
60% dos fornecedores de formação portugueses oferecem serviços de e-learning; A formação via web é utilizada maioritariamente em empresas com mais de 500 trabalhadores; A taxa de utilização da aprendizagem mediada por recursos electrónicos nas acções formativas é somente de 20% Existe um hiato de 40% entre a oferta e a procura A relevância futura da função de E-Formador A SITUAÇÃO DO E-LEARNING EM PORTUGAL
Principais Barreiras iniciais: Iliteracia da população portuguesa Fraca capacidade de investimento do tecido empresarial português Implementação débil e pouco estruturada de projectos de formação a distância Fraca qualidade dos conteúdos formativos Elevado descrédito das reais virtualidades desta modalidade formativa A relevância futura da função de E-Formador A SITUAÇÃO DO E-LEARNING EM PORTUGAL
“ O e-Learning é apenas uma versão do uso das novas tecnologias de informação e comunicação para ajudar a transformar o mundo da educação e da formação, tendo Portugal de vencer este desafio para se tornar mais competitivo” ,  Roberto Carneiro, antigo ministro da educação,  à margem da Conferência Europeia de e-Learning em Lisboa. A relevância futura da função de E-Formador O FUTURO DO E-LEARNING EM PORTUGAL
O E-formador deve transmitir aos seus formandos as seguintes qualidades: Adaptação Comunicação Flexibilidade Motivação Competência técnica Competência Humana A relevância futura da função de E-Formador O E-FORMADOR, ACTOR PRINCIPAL DO FUTURO DO E-LEARNING
O Formador destaca-se como o principal agente para: Melhorar o interesse dos formandos em relação ao E-LEARNING Desenvolver o Mercado do E-LEARNING EM PORTUGAL Desenvolver as qualificações técnicas dos formandos Facilitar a aprendizagem através destas novas ferramentas. A relevância futura da função de E-Formador O E-FORMADOR, ACTOR PRINCIPAL DO FUTURO DO E-LEARNING
Portugal ainda está no inicio de uma nova aventura que ira proceder ao melhoramento global da produtividade e competitividade dos portugueses e do tecido empresarial nacional. Neste contexto evolutivo,  o E-formador aparece como um actor essencial na transmissão e melhoramento das competências técnico-pedagógicas da população em geral. A relevância futura da função de E-Formador Conclusão
www.portaldos formadores .com www.zona-s.pt https://repositorium.sdum.uminho.pt/ O papel do e-formador (formador a distância) deEloy Rodrigues da Universidade do Minho - Serviços de Documentação Webgrafia
Papel do E-Formador Carlos Pimenta Célia Pereira  Jorge Martins  Marisa Ramoa  Maio/2010

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planos de sessão
Planos de sessãoPlanos de sessão
Planos de sessão
Ana Narciso
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Debora_Marques
 
Planos de Formação
Planos de FormaçãoPlanos de Formação
Planos de Formação
Rosario Cação
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
Cassia Dias
 
O Plano de Sessão
O Plano de SessãoO Plano de Sessão
Metodos e tecnicas_pedagogicos
Metodos e tecnicas_pedagogicosMetodos e tecnicas_pedagogicos
Metodos e tecnicas_pedagogicos
Veronica Gur Be
 
Plano de sessão 0754 1
Plano de sessão 0754   1Plano de sessão 0754   1
Plano de sessão 0754 1
Vanda Godinho
 
O papel do e-formador
O papel do e-formadorO papel do e-formador
O papel do e-formador
Helena Freixo
 
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - FlyerFormação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Dianova
 
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Biblioteca Escolar Ourique
 
Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).
Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).
Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).
wilkerfilipel
 
Teoria das organizações
Teoria das organizaçõesTeoria das organizações
Teoria das organizações
Juliana Siqueira
 
Recursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimediaRecursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimedia
Ana Martins
 
Apresentação da Empresa
Apresentação da EmpresaApresentação da Empresa
Apresentação da Empresa
Assistebem
 
Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...
Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...
Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...
joao rodrigues
 
Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)
Isabel Grazina
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
Carina Duarte
 
48 slides rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis
48 slides  rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis48 slides  rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis
48 slides rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis
delano chaves gurgel do amaral
 
[slides] Comunicação Oral e Escrita
[slides] Comunicação Oral e Escrita[slides] Comunicação Oral e Escrita
[slides] Comunicação Oral e Escrita
Alessandro Almeida
 
Aula -gestão_por_competências
Aula  -gestão_por_competênciasAula  -gestão_por_competências
Aula -gestão_por_competências
Cicero Feitosa
 

Mais procurados (20)

Planos de sessão
Planos de sessãoPlanos de sessão
Planos de sessão
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
 
Planos de Formação
Planos de FormaçãoPlanos de Formação
Planos de Formação
 
Comunicação apresentação
Comunicação apresentaçãoComunicação apresentação
Comunicação apresentação
 
O Plano de Sessão
O Plano de SessãoO Plano de Sessão
O Plano de Sessão
 
Metodos e tecnicas_pedagogicos
Metodos e tecnicas_pedagogicosMetodos e tecnicas_pedagogicos
Metodos e tecnicas_pedagogicos
 
Plano de sessão 0754 1
Plano de sessão 0754   1Plano de sessão 0754   1
Plano de sessão 0754 1
 
O papel do e-formador
O papel do e-formadorO papel do e-formador
O papel do e-formador
 
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - FlyerFormação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
 
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
 
Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).
Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).
Plano de aula ( seus elementos) e plano de avaliaçao (seus elementos).
 
Teoria das organizações
Teoria das organizaçõesTeoria das organizações
Teoria das organizações
 
Recursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimediaRecursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimedia
 
Apresentação da Empresa
Apresentação da EmpresaApresentação da Empresa
Apresentação da Empresa
 
Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...
Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...
Apresentaao ufcd 10746_segurana_e_saude_no_trabalho-_situaoes_epidemicas_pand...
 
Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)
 
Processos de comunicação
Processos de comunicaçãoProcessos de comunicação
Processos de comunicação
 
48 slides rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis
48 slides  rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis48 slides  rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis
48 slides rh gestão das competências e habilidades dos ativos intangíveis
 
[slides] Comunicação Oral e Escrita
[slides] Comunicação Oral e Escrita[slides] Comunicação Oral e Escrita
[slides] Comunicação Oral e Escrita
 
Aula -gestão_por_competências
Aula  -gestão_por_competênciasAula  -gestão_por_competências
Aula -gestão_por_competências
 

Semelhante a Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)

Papel do eformador
Papel do eformadorPapel do eformador
Papel do eformador
e.ferreira
 
A relação entre a formação de professores e
A relação entre a formação de professores eA relação entre a formação de professores e
A relação entre a formação de professores e
Sobralas
 
Manual e formador
Manual e formadorManual e formador
Manual e formador
Maria Raimundo
 
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre TicPrograma Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
TEODORO SOARES
 
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes onlinePerfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
banheira
 
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes onlinePerfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
banheira
 
Seminário de projecto 2º trimestre susana alentejano
Seminário de projecto 2º trimestre   susana alentejanoSeminário de projecto 2º trimestre   susana alentejano
Seminário de projecto 2º trimestre susana alentejano
Susana Alentejano
 
Cursos online
Cursos online Cursos online
Cursos online
Marta Capote
 
Apresentação SEMIC 2011
Apresentação SEMIC 2011 Apresentação SEMIC 2011
Apresentação SEMIC 2011
Gabriela Gonçalves
 
Redes
RedesRedes
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-linePedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Aparecida Dias
 
A pedagogia do Elearnig e o papel do
A pedagogia do Elearnig e o papel doA pedagogia do Elearnig e o papel do
A pedagogia do Elearnig e o papel do
milite correia
 
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
João Paz
 
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_ceciliaApresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
introdutecdigital
 
PPI 2014
PPI 2014PPI 2014
PPI 2014
Sonia Souza
 
Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...
Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...
Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...
lucianagrof1
 
Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...
Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...
Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...
Natane Ribeiro de Carvalho
 
Trabalho Ead
Trabalho EadTrabalho Ead
Trabalho Ead
pauloricardo36
 
Educação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafiosEducação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafios
teresamaria83
 
COIED2_Recursos Educativos com o Google Earth
COIED2_Recursos Educativos com o Google EarthCOIED2_Recursos Educativos com o Google Earth
COIED2_Recursos Educativos com o Google Earth
COIED
 

Semelhante a Papel do E-Formador (Curso E-Formadores) (20)

Papel do eformador
Papel do eformadorPapel do eformador
Papel do eformador
 
A relação entre a formação de professores e
A relação entre a formação de professores eA relação entre a formação de professores e
A relação entre a formação de professores e
 
Manual e formador
Manual e formadorManual e formador
Manual e formador
 
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre TicPrograma Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
 
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes onlinePerfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
 
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes onlinePerfil e competências dos formadores em ambientes online
Perfil e competências dos formadores em ambientes online
 
Seminário de projecto 2º trimestre susana alentejano
Seminário de projecto 2º trimestre   susana alentejanoSeminário de projecto 2º trimestre   susana alentejano
Seminário de projecto 2º trimestre susana alentejano
 
Cursos online
Cursos online Cursos online
Cursos online
 
Apresentação SEMIC 2011
Apresentação SEMIC 2011 Apresentação SEMIC 2011
Apresentação SEMIC 2011
 
Redes
RedesRedes
Redes
 
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-linePedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-line
 
A pedagogia do Elearnig e o papel do
A pedagogia do Elearnig e o papel doA pedagogia do Elearnig e o papel do
A pedagogia do Elearnig e o papel do
 
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
Elearning: virtualidades e pontos críticos Congresso Aprendizagem/Desenvolvim...
 
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_ceciliaApresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
 
PPI 2014
PPI 2014PPI 2014
PPI 2014
 
Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...
Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...
Apresentação (defesa) do Trabalho de Conclusão do curso de pós-graduação, int...
 
Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...
Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...
Apresentação X encontro de iniciação científica e I encontro de iniciação a d...
 
Trabalho Ead
Trabalho EadTrabalho Ead
Trabalho Ead
 
Educação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafiosEducação e formação de adultos: Novos desafios
Educação e formação de adultos: Novos desafios
 
COIED2_Recursos Educativos com o Google Earth
COIED2_Recursos Educativos com o Google EarthCOIED2_Recursos Educativos com o Google Earth
COIED2_Recursos Educativos com o Google Earth
 

Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)

  • 1. PAPEL DO E-FORMADOR Formação de E-Formadores Carlos Pimenta Célia Pereira Jorge Martins Marisa Ramoa [ Maio 2010 ]
  • 2. A noção de E-Formador
  • 3. Em e-learning, os termos: Professor , Formador , Tutor , Moderador , são associados ao prefixo E- ou às palavras virtual ou online . Dão assim origem a: E- Formador E- Moderador Formador Virtual , … A noção de E-Formador O QUE É UM E-FORMADOR?
  • 4. Funções formativas no contexto do e-learning: Concepção das acções Implementação e condução, Criação de conteúdos, etc. A noção de E-Formador Essas funções podem ser distribuídas por uma equipa de formação, ou executadas pela mesma pessoa: O E-Formador
  • 5. Papel essencialmente de Tutor; O E-Formador não ensina, facilita a aprendizagem; Os “actos docentes” são centrados no formando; Faz a mediação entre os conteúdos e o formando através da tecnologia. A noção de E-Formador O QUE DISTINGUE O E-FORMADOR?
  • 6. Pessoa responsável por: planear, implementar, orientar, monitorar e avaliar uma acção de formação em regime de e-learning. A noção de E-Formador NOÇÃO DE E-FORMADOR (RESUMO):
  • 7. “ Na educação tradicional o professor ensina, na educação à distância uma instituição ensina. Esta é uma diferença radical” A noção de E-Formador FORMADOR TRADICIONAL VS E-FORMADOR Keegan (1988)
  • 8. O Papel e as tarefas do E-Formador
  • 9. O Papel e as tarefas do E-Formador
  • 10. O Papel e as tarefas do E-Formador
  • 11. No processo de formação e que, de acordo com Mason (1998), tem três dimensões: Alguns autores acrescentam um quarto tipo de interacção: interacção entre o formando e a interface ou plataforma O Papel e as tarefas do E-Formador
  • 12. Collison et al. (2000) dividem o papel do e-formador (que designam por e-moderator) em três categorias: O Papel e as tarefas do E-Formador
  • 13. O Papel e as tarefas do E-Formador Por seu lado Berge (1995), classifica a intervenção dos moderadores em quatro áreas
  • 14. “ Para poderem desempenhar a variedade das funções atrás referidas, os e-formadores devem possuir um conjunto de características pessoais, e habilidades e competências pedagógicas, tecnológicas e comunicacionais”. Eloy Rodrigues O Papel e as tarefas do E-Formador Corolário
  • 15. O Papel e as tarefas do E-Formador Hywel Thomas da Training Foundation, sintetizou, numa mnemónica de 4 P’s, as qualidades que os e-formadores devem possuir:
  • 16. O Papel e as tarefas do E-Formador Tarefas dos e-formadores Acolhimento Criar e animar grupos Encorajar e motivar Promover a colaboração entre os Participantes Promover a interacção, participação e orientação Facilitar as discussões Fornecer retorno/resposta (feedback) rápido Monitorar o progresso Fornecer conselhos e apoio técnico Garantir o sucesso das conferências
  • 17. O Papel e as tarefas do E-Formador Tarefas dos e-formadores Definir trabalhos e tarefas Controlar o ritmo Assegurar-se que os alunos estão a trabalhar ao ritmo certo Assegurar que os objectivos do curso são atingidos Dar informação e acrescentar conhecimento o Fornecer informação, desenvolver, clarificar, explicar Avaliar os participantes Controlar os progressos obtidos Fornecer comentários aos trabalhos dos alunos Avaliar o curso Concluir o curso Tornar-se facilitador de uma comunidade de aprendizagem
  • 18. O que muda, particularmente, no desempenho do formador em contexto virtual de aprendizagem é a relação de espaço, tempo e comunicação com os formandos. O Papel e as tarefas do E-Formador
  • 19. uma maior dedicação, mais tempo na planificação, preparação e acompanhamento do processo formativo um maior apoio de uma equipa técnico- pedagógica O Papel e as tarefas do E-Formador Do E-Formador é necessário
  • 20. Em suma as tecnologias da informação e comunicação desencadearam novas estratégias de difusão da informação e novos modelos de comunicação, modificando atitudes e comportamentos face à formação O Papel e as tarefas do E-Formador
  • 21. Os desafios do E-Formador
  • 22. Com a terceira geração de ensino a distância, a interacção diversifica-se e multiplica-se, através da emergência de uma comunidade de aprendizagem que lhe confere a dimensão social até então ausente permitindo novas abordagens pedagógicas e redefinindo o papel do professor e do estudante de ensino a distância. Os desafios do E-Formador Papel do tutor/ E- Formador no ensino
  • 23. Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online Esta é uma mudança que se considera a vários níveis, radical.
  • 24. O papel do tutor no ensino online complexifica-se e ganha um maior destaque relativamente àquele que desempenhou noutras gerações de ensino a distância. O tutor online foi re-investido de muitas funções que habitualmente são atribuídas a um professor no ensino presencial e que, no ensino a distância, se procurava que fossem preenchidas pelos materiais de aprendizagem. Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online
  • 25. O ensino online implica mudanças importantes na concepção do papel do tutor . Ao introduzir o grupo como nova dimensão da interacção no ensino a distância, o ensino online permite que diferentes tipos de interacção se concretizem no mesmo contexto e realiza, no mesmo passo, uma viragem para a dimensão social da comunicação e da aprendizagem. Os desafios do E-Formador SUBTITULO
  • 26. Nesta base, o tutor de ensino a distância regressa ao paradigma da sala de aula, embora a uma sala de aula com novas características. Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online
  • 27. Os desafios do E-Formador Papel do tutor no ensino online Papel do formador em contexto presencial Tutor online Embora se assista a uma certa aproximação ao papel do professor em contexto presencial, ser tutor online é diferente de ser professor do ensino presencial.
  • 28. Os desafios do E-Formador A tutoria online exige competências específicas, incluindo competências técnicas e, até, características pessoais especiais. Competências do tutor no ensino online
  • 29. Os desafios do E-Formador Fonte:. Salmon (2000a: 40) Competências do tutor no ensino online Características Qualidades Compreensão do processo online, Confiança; Competências técnicas, Espírito Construtivo; Competências de comunicação online, Capacidade para Estimular o Desenvolvimento Domínio dos conteúdos Talento de Facilitação Características pessoais; Aptidão para Partilhar Conhecimento Criatividade.
  • 30. As competências e abordagens pedagógicas necessárias neste novo contexto de ensino-aprendizagem não são automaticamente transferíveis para o ambiente online. Requerendo, uma formação concreta que, idealmente, deverá passar por uma experiência de aprendizagem online prévia. Os desafios do E-Formador - Competências do tutor no ensino online
  • 31. Ivan Illich (2001) “ A medida que eu domino a ferramenta, eu preencho o mundo com sentido; mas à medida que a ferramenta me domina, ela molda a sua estrutura e impõem-me um ideia de mim mesmo ”. Os desafios do E-Formador
  • 32. A relevância futura da função de E-Formador
  • 33. Ao analisar o mercado de e-learning há que não esquecer a sua relação com a tecnologia, que apresenta algumas características específicas extremamente interessantes: A tecnologia é cada vez mais flexivel, variável e adaptável; A tecnologia é cada vez mais um bem comum, quase uma commodity; As aplicações de software crescem a um ritmo alucinante; Tem-se assistido nos últimos anos a uma rápida mudança nos standards da tecnologia e na concorrência em termos mundiais. A relevância futura da função de E-Formador O E-learning, uma área de actividade em plena expansão
  • 34. Em 2010 a Europa deverá ser "a economia baseada no conhecimento mais competitivo do mundo, capaz de um crescimento económico sustentável com mais e melhores postos de trabalho e maior coesão social". (Conselho Europeu. Lisboa, Março de 2000) A relevância futura da função de E-Formador O E-formador é um agente económico competitivo.
  • 35. "Até o ano 2010, o mercado do e-Learning poderá alcançar 50 milhões de dólares anuais", revelou o artigo "e-Learning", divulgado pela consultora especializada em tecnologias emergentes, com o apoio de estudos realizados pelas empresas Cortona Consulting, Market Data Retrieval, e pela organização American Society for Training and Development. A relevância futura da função de E-Formador As oportunidades de negócio para o E-formador
  • 36. 60% dos fornecedores de formação portugueses oferecem serviços de e-learning; A formação via web é utilizada maioritariamente em empresas com mais de 500 trabalhadores; A taxa de utilização da aprendizagem mediada por recursos electrónicos nas acções formativas é somente de 20% Existe um hiato de 40% entre a oferta e a procura A relevância futura da função de E-Formador A SITUAÇÃO DO E-LEARNING EM PORTUGAL
  • 37. Principais Barreiras iniciais: Iliteracia da população portuguesa Fraca capacidade de investimento do tecido empresarial português Implementação débil e pouco estruturada de projectos de formação a distância Fraca qualidade dos conteúdos formativos Elevado descrédito das reais virtualidades desta modalidade formativa A relevância futura da função de E-Formador A SITUAÇÃO DO E-LEARNING EM PORTUGAL
  • 38. “ O e-Learning é apenas uma versão do uso das novas tecnologias de informação e comunicação para ajudar a transformar o mundo da educação e da formação, tendo Portugal de vencer este desafio para se tornar mais competitivo” , Roberto Carneiro, antigo ministro da educação, à margem da Conferência Europeia de e-Learning em Lisboa. A relevância futura da função de E-Formador O FUTURO DO E-LEARNING EM PORTUGAL
  • 39. O E-formador deve transmitir aos seus formandos as seguintes qualidades: Adaptação Comunicação Flexibilidade Motivação Competência técnica Competência Humana A relevância futura da função de E-Formador O E-FORMADOR, ACTOR PRINCIPAL DO FUTURO DO E-LEARNING
  • 40. O Formador destaca-se como o principal agente para: Melhorar o interesse dos formandos em relação ao E-LEARNING Desenvolver o Mercado do E-LEARNING EM PORTUGAL Desenvolver as qualificações técnicas dos formandos Facilitar a aprendizagem através destas novas ferramentas. A relevância futura da função de E-Formador O E-FORMADOR, ACTOR PRINCIPAL DO FUTURO DO E-LEARNING
  • 41. Portugal ainda está no inicio de uma nova aventura que ira proceder ao melhoramento global da produtividade e competitividade dos portugueses e do tecido empresarial nacional. Neste contexto evolutivo, o E-formador aparece como um actor essencial na transmissão e melhoramento das competências técnico-pedagógicas da população em geral. A relevância futura da função de E-Formador Conclusão
  • 42. www.portaldos formadores .com www.zona-s.pt https://repositorium.sdum.uminho.pt/ O papel do e-formador (formador a distância) deEloy Rodrigues da Universidade do Minho - Serviços de Documentação Webgrafia
  • 43. Papel do E-Formador Carlos Pimenta Célia Pereira Jorge Martins Marisa Ramoa Maio/2010