SlideShare uma empresa Scribd logo
Métodos e Técnicas de
    Aprendizagem


   Formação Pedagógica Inicial de Formadores

            A Formadora: Sónia Lopes
MÉTODOS PEDAGÓGICOS

      Conjunto de meios, considerados os mais

apropriados, para atingir determinados objectivos

                  educativos.
   Não se tornar escravo de
    um método!

   O Formador deve adequar
    e experimentar vários, de
    acordo com todas as
    condicionantes do
    processo de formação.
Caracterização dos métodos

         Método    Expositivo

         Método    Demonstrativo

            Método Interrogativo

            Método Activo
Método Expositivo

   Centrado nos conteúdos (saber-saber);

   Comunicação unilateral;

   Relação rígida e formal;

   Formandos passivos.
Método Expositivo
                    Vantagens

   O formador domina por completo o rumo da
    sessão.

   Permite transmitir múltiplos conteúdos.

   Adequado a turmas numerosas.
Método Expositivo
               Desvantagens

 Pode   tornar-se cansativo;

 Não  permite aos formandos qualquer
 iniciativa;

O feedback não é feito de uma forma
 parcial e contínua.
Método Expositivo

                  Usar em caso de:

   Necessidade de expor as suas ideias ao grupo;

   Explicar conceitos de maneira indutiva;

   Transmitir directrizes para a execução de uma
    actividade;

   Apresentação de um novo tema.
Método Expositivo
Na preparação da exposição, o formador deve:

   Seleccionar as informações a transmitir;

   Identificar e/ou criar exemplos;

   Organizar a sequência de ideias;

   Resumir os tópicos da exposição.
Método Demonstrativo
   Baseado no conhecimento do formador e na
    sua competência para exemplificar uma prática
    que se deseja repetida e depois apreendida
    (saber-fazer);

   Possibilita o ensino individual ou em grupo.

“O QUE OUÇO ESQUEÇO,
O QUE VEJO LEMBRO,
O QUE FAÇO APRENDO”.
Método Demonstrativo

                      Vantagens

   Permite a participação dos formandos discutindo,
    dialogando, observando e realizando;

   Dado o contacto pessoal, provoca uma atenção de
    parte a parte;

   Provoca uma grande motivação dos formandos com
    bases sólidas;
Método Demonstrativo

            Vantagens (Continuação)

 Individualização   da aprendizagem

 Adequa-se   às diferentes realidades.
Método Demonstrativo
                Desvantagens

   Não adequado a grandes grupos;

   Exige uma maior disponibilidade de tempo;

   Exige muito equipamento e materiais;

   Necessita de material pedagógico especifico;
Método Interrogativo

   Promove o saber-saber e saber-fazer;

   Formandos motivados e participativos;

   Relação menos formal;

   Reforço positivo ao formando;

   Controlo da aprendizagem pelo formando.
Método Interrogativo
                     Vantagens

   Os conhecimentos essenciais são evidenciados
    pelos formandos;

   Subordinação lógica: possibilita a aprendizagem
    estruturada e significativa;

   Feedback constante;

   Motiva e facilita a comunicação;
Método Interrogativo
               Vantagens (Continuação)

   Obriga a pensar, planificar e gerir a
    aprendizagem na globalidade;



   Método individualizado;
Método Interrogativo

                Desvantagens

 Pode   bloquear a criatividade e a iniciativa;

 Despersonaliza
               a comunicação
 formando/formador e os formandos entre
 si;

A   construção dos módulos é morosa.
TIPOS DE PERGUNTAS
   MEMÓRIA (implicam o relembrar de informação específica);

   RACIOCÍNIO (levam o formando a pensar e a desenvolver a sua
    informação);


   CRIATIVAS (exigem do formando soluções novas e originais);

   PESSOAIS (suscitam no formando a expressão de opiniões, sentimentos
    e valores pessoais);


   ABERTAS (as respostas conseguem-se através de uma elaboração
    diferente de indivíduo para indivíduo e podem ter várias respostas aceitáveis);


   FECHADAS (apenas têm uma única resposta correcta).
Método Activo


    O formando organiza o seu próprio

programa e forma-se através de
  actividades de

aprendizagem orientadas pelo formador.
Método Activo
   Condensa os três saberes:
           saber-saber, o saber-fazer e o saber-estar;
   Desenvolve potencialidades e atitudes;

   Espírito de iniciativa e criatividade;

   Favorece o trabalho de grupo;

   Relação informal e aberta;

   Comunicação multilateral.
Método Activo

                    Vantagens

   Deixa lugar à iniciativa e autonomia;

   Permite exercer actividades variáveis;

   Promove espírito de equipa;

   Aumenta a capacidade de autonomia.
Método Activo
                  Desvantagens



   Nem sempre se corrige de imediato os
    desvios;

   Não é aplicável a populações muito
    heterogéneas;

   Pode levar a conflitos causados por diferentes
    opiniões
Técnica Pedagógica:

  Aplicação prática de um
conhecimento científico.
Técnicas de exposição participativa

   Distribuição aos grupos de uma lista de problemas
    ou questões-desafio para que no final possam
    classificá-los pela sua importância.

   Utilizar um filme e pedir aos formandos que
    analisem as informações adquiridas.

   Propor aos formandos que em grupos de dois
    formulem um problema, uma questão ou um
    comentário sugeridos pela exposição.
Simulação
   O formando constrói a sua própria aprendizagem e
    realiza a sua própria avaliação.

   Baseada na aplicação de uma situação
    experimental, com todas as características
    estruturais das condições reais.

   Os formandos aprendem, pela prática, os
    comportamentos adequados correspondentes à
    situação real.
Estudo de Casos

 Os participantes são confrontados com
    uma situação / problema.

   Fazem uma análise conjunta,

    Identificam a solução mais adequada e
    determinam os princípios da sua
    justificação.
Estudo de Casos
Objectivos:

     Criticar os dados, opiniões e hipóteses;

     Provocar o contacto real e a
      consciencialização exacta e ajustada de uma
      situação;

     Descobrir novas perspectivas na apreciação
      dos problemas e da tomada de decisões.
Características de um Caso:

                Real
 Problemático          Desencadeador
  Polivalente            Pedagógico
   Adaptado              Envolvente
Brainstorming

   Também Tempestade Cerebral ou Chuva de Ideias.



   Técnica de dinâmica de grupos, que tem como
    objectivo gerar o maior número de soluções
    criativas para um problema.
Brainstorming


 Ideiasexpressas em frases curtas ou
  palavras;
 Não se permite juízos críticos;
 A imaginação é livre e soberana;
 Quantidade de ideias;
 Agrupamentos, adaptações de ideias e
  combinações.
Role-Playing
   Também chamado jogo de papéis.

   Maneira de aprender princípios gerais de
    acção numa situação particular que é
    vivida dramaticamente, mas que pode
    ocorrer na vida real.
Trabalho de Grupo
   Dividir os formandos em grupo, com o objectivo de cada
    grupo produzir o seu próprio trabalho.

   Os grupos devem ser pequenos para a técnica ser
    eficaz.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DO
       MÉTODO / TÉCNICA


       Adequação aos objectivos;
   Respeito pelo ritmo de aprendizagem;
                Mudança;
 Capacidade de aprendizagem autónoma;
         Variedade de estímulos;
             Pôr em situação.
Metodos e tecnicas_pedagogicos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPPlano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIP
Debora_Marques
 
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de AprendizagemPlataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Carina Mano
 
Plano de sessão 0754 1
Plano de sessão 0754   1Plano de sessão 0754   1
Plano de sessão 0754 1
Vanda Godinho
 
Planos de Formação
Planos de FormaçãoPlanos de Formação
Planos de Formação
Rosario Cação
 
Submodulo 8.1
Submodulo 8.1Submodulo 8.1
Método expositivo
Método expositivoMétodo expositivo
Método expositivo
2046800
 
Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica
Thacia Carpenter
 
Relatório final reflexão critica
Relatório final reflexão criticaRelatório final reflexão critica
Relatório final reflexão critica
Manuel Sequeira
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Cátia Elias
 
Sistema Nacional de Educação de Moçambique
Sistema Nacional de Educação de MoçambiqueSistema Nacional de Educação de Moçambique
Sistema Nacional de Educação de Moçambique
FILIPE NERI
 
Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)
Isabel Grazina
 
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na AtividadeGrelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
Luisa Lamas
 
Potenciadores e Inibidores
Potenciadores e InibidoresPotenciadores e Inibidores
Recursos audiovisuais nas acções de formação
Recursos audiovisuais nas acções de formaçãoRecursos audiovisuais nas acções de formação
Recursos audiovisuais nas acções de formação
@rte Digital
 
Autoscopia Final Miguel
Autoscopia Final MiguelAutoscopia Final Miguel
Autoscopia Final Miguel
miklops
 
Submodulo 8.2
Submodulo 8.2Submodulo 8.2
Reflexão+final
Reflexão+finalReflexão+final
Reflexão+final
alexandranuneslopes
 
2 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_2013
2 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_20132 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_2013
2 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_2013
Paula Fernandes
 
Guia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupo
Guia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupoGuia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupo
Guia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupo
etutorgrupo7
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
mtolentino1507
 

Mais procurados (20)

Plano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPPlano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIP
 
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de AprendizagemPlataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
 
Plano de sessão 0754 1
Plano de sessão 0754   1Plano de sessão 0754   1
Plano de sessão 0754 1
 
Planos de Formação
Planos de FormaçãoPlanos de Formação
Planos de Formação
 
Submodulo 8.1
Submodulo 8.1Submodulo 8.1
Submodulo 8.1
 
Método expositivo
Método expositivoMétodo expositivo
Método expositivo
 
Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica
 
Relatório final reflexão critica
Relatório final reflexão criticaRelatório final reflexão critica
Relatório final reflexão critica
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
 
Sistema Nacional de Educação de Moçambique
Sistema Nacional de Educação de MoçambiqueSistema Nacional de Educação de Moçambique
Sistema Nacional de Educação de Moçambique
 
Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)Slides módulo 3 (fpif)
Slides módulo 3 (fpif)
 
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na AtividadeGrelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
 
Potenciadores e Inibidores
Potenciadores e InibidoresPotenciadores e Inibidores
Potenciadores e Inibidores
 
Recursos audiovisuais nas acções de formação
Recursos audiovisuais nas acções de formaçãoRecursos audiovisuais nas acções de formação
Recursos audiovisuais nas acções de formação
 
Autoscopia Final Miguel
Autoscopia Final MiguelAutoscopia Final Miguel
Autoscopia Final Miguel
 
Submodulo 8.2
Submodulo 8.2Submodulo 8.2
Submodulo 8.2
 
Reflexão+final
Reflexão+finalReflexão+final
Reflexão+final
 
2 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_2013
2 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_20132 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_2013
2 edicao referencial_formacao_pedagogica_inicial_formadores_21_03_2013
 
Guia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupo
Guia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupoGuia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupo
Guia do e formador para operacionalização dinâmicas de grupo
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 

Semelhante a Metodos e tecnicas_pedagogicos

Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
Deia Araujo
 
Aula 2 unidade 1a
Aula 2 unidade 1aAula 2 unidade 1a
Aula 2 unidade 1a
Carlos Alberto Bonatto
 
Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012
SMEdeItabaianinha
 
Técnicas ensino
Técnicas  ensinoTécnicas  ensino
Técnicas ensino
Quesia Matiello
 
Modelo construtivista
Modelo construtivistaModelo construtivista
Modelo construtivista
Catia Ferreira
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
pedagogia para licenciados
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
pedagogia para licenciados
 
Estrategias de ensino
Estrategias de ensinoEstrategias de ensino
Estrategias de ensino
Rosângela Leão
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
pedagogia para licenciados
 
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no EnsinoEstratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Vera Zacharias
 
Dez novas competências para ensinar
Dez novas competências para ensinarDez novas competências para ensinar
Dez novas competências para ensinar
elianinha
 
Interatividade e tutoria
Interatividade e tutoriaInteratividade e tutoria
Interatividade e tutoria
Conceição Rosa
 
Metodos pedagogicos
Metodos pedagogicosMetodos pedagogicos
Estratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagemEstratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagem
Ivaristo Americo
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
Priscilla Binotto
 
Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensino
Mekinho20
 
14014
1401414014
LUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptx
LUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptxLUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptx
LUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptx
FernandoDaCosta20
 
Tecnicas de ensino
Tecnicas de ensinoTecnicas de ensino
Tecnicas de ensino
Alice Lirio
 
Metodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensinoMetodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensino
Alexsandro Souza Dos Santos
 

Semelhante a Metodos e tecnicas_pedagogicos (20)

Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
 
Aula 2 unidade 1a
Aula 2 unidade 1aAula 2 unidade 1a
Aula 2 unidade 1a
 
Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012
 
Técnicas ensino
Técnicas  ensinoTécnicas  ensino
Técnicas ensino
 
Modelo construtivista
Modelo construtivistaModelo construtivista
Modelo construtivista
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
 
Estrategias de ensino
Estrategias de ensinoEstrategias de ensino
Estrategias de ensino
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
 
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no EnsinoEstratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no Ensino
 
Dez novas competências para ensinar
Dez novas competências para ensinarDez novas competências para ensinar
Dez novas competências para ensinar
 
Interatividade e tutoria
Interatividade e tutoriaInteratividade e tutoria
Interatividade e tutoria
 
Metodos pedagogicos
Metodos pedagogicosMetodos pedagogicos
Metodos pedagogicos
 
Estratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagemEstratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagem
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
 
Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensino
 
14014
1401414014
14014
 
LUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptx
LUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptxLUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptx
LUISA SEMINARIO MET. DE ENSINO 2023.pptx
 
Tecnicas de ensino
Tecnicas de ensinoTecnicas de ensino
Tecnicas de ensino
 
Metodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensinoMetodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensino
 

Último

Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 

Metodos e tecnicas_pedagogicos

  • 1. Métodos e Técnicas de Aprendizagem Formação Pedagógica Inicial de Formadores A Formadora: Sónia Lopes
  • 2. MÉTODOS PEDAGÓGICOS Conjunto de meios, considerados os mais apropriados, para atingir determinados objectivos educativos.
  • 3. Não se tornar escravo de um método!  O Formador deve adequar e experimentar vários, de acordo com todas as condicionantes do processo de formação.
  • 4. Caracterização dos métodos Método Expositivo Método Demonstrativo  Método Interrogativo  Método Activo
  • 5. Método Expositivo  Centrado nos conteúdos (saber-saber);  Comunicação unilateral;  Relação rígida e formal;  Formandos passivos.
  • 6. Método Expositivo Vantagens  O formador domina por completo o rumo da sessão.  Permite transmitir múltiplos conteúdos.  Adequado a turmas numerosas.
  • 7. Método Expositivo Desvantagens  Pode tornar-se cansativo;  Não permite aos formandos qualquer iniciativa; O feedback não é feito de uma forma parcial e contínua.
  • 8. Método Expositivo  Usar em caso de:  Necessidade de expor as suas ideias ao grupo;  Explicar conceitos de maneira indutiva;  Transmitir directrizes para a execução de uma actividade;  Apresentação de um novo tema.
  • 9. Método Expositivo Na preparação da exposição, o formador deve:  Seleccionar as informações a transmitir;  Identificar e/ou criar exemplos;  Organizar a sequência de ideias;  Resumir os tópicos da exposição.
  • 10. Método Demonstrativo  Baseado no conhecimento do formador e na sua competência para exemplificar uma prática que se deseja repetida e depois apreendida (saber-fazer);  Possibilita o ensino individual ou em grupo. “O QUE OUÇO ESQUEÇO, O QUE VEJO LEMBRO, O QUE FAÇO APRENDO”.
  • 11. Método Demonstrativo Vantagens  Permite a participação dos formandos discutindo, dialogando, observando e realizando;  Dado o contacto pessoal, provoca uma atenção de parte a parte;  Provoca uma grande motivação dos formandos com bases sólidas;
  • 12. Método Demonstrativo Vantagens (Continuação)  Individualização da aprendizagem  Adequa-se às diferentes realidades.
  • 13. Método Demonstrativo Desvantagens  Não adequado a grandes grupos;  Exige uma maior disponibilidade de tempo;  Exige muito equipamento e materiais;  Necessita de material pedagógico especifico;
  • 14. Método Interrogativo  Promove o saber-saber e saber-fazer;  Formandos motivados e participativos;  Relação menos formal;  Reforço positivo ao formando;  Controlo da aprendizagem pelo formando.
  • 15. Método Interrogativo Vantagens  Os conhecimentos essenciais são evidenciados pelos formandos;  Subordinação lógica: possibilita a aprendizagem estruturada e significativa;  Feedback constante;  Motiva e facilita a comunicação;
  • 16. Método Interrogativo Vantagens (Continuação)  Obriga a pensar, planificar e gerir a aprendizagem na globalidade;  Método individualizado;
  • 17. Método Interrogativo Desvantagens  Pode bloquear a criatividade e a iniciativa;  Despersonaliza a comunicação formando/formador e os formandos entre si; A construção dos módulos é morosa.
  • 18. TIPOS DE PERGUNTAS  MEMÓRIA (implicam o relembrar de informação específica);  RACIOCÍNIO (levam o formando a pensar e a desenvolver a sua informação);  CRIATIVAS (exigem do formando soluções novas e originais);  PESSOAIS (suscitam no formando a expressão de opiniões, sentimentos e valores pessoais);  ABERTAS (as respostas conseguem-se através de uma elaboração diferente de indivíduo para indivíduo e podem ter várias respostas aceitáveis);  FECHADAS (apenas têm uma única resposta correcta).
  • 19. Método Activo O formando organiza o seu próprio programa e forma-se através de actividades de aprendizagem orientadas pelo formador.
  • 20. Método Activo  Condensa os três saberes:  saber-saber, o saber-fazer e o saber-estar;  Desenvolve potencialidades e atitudes;  Espírito de iniciativa e criatividade;  Favorece o trabalho de grupo;  Relação informal e aberta;  Comunicação multilateral.
  • 21. Método Activo Vantagens  Deixa lugar à iniciativa e autonomia;  Permite exercer actividades variáveis;  Promove espírito de equipa;  Aumenta a capacidade de autonomia.
  • 22. Método Activo Desvantagens  Nem sempre se corrige de imediato os desvios;  Não é aplicável a populações muito heterogéneas;  Pode levar a conflitos causados por diferentes opiniões
  • 23. Técnica Pedagógica: Aplicação prática de um conhecimento científico.
  • 24. Técnicas de exposição participativa  Distribuição aos grupos de uma lista de problemas ou questões-desafio para que no final possam classificá-los pela sua importância.  Utilizar um filme e pedir aos formandos que analisem as informações adquiridas.  Propor aos formandos que em grupos de dois formulem um problema, uma questão ou um comentário sugeridos pela exposição.
  • 25. Simulação  O formando constrói a sua própria aprendizagem e realiza a sua própria avaliação.  Baseada na aplicação de uma situação experimental, com todas as características estruturais das condições reais.  Os formandos aprendem, pela prática, os comportamentos adequados correspondentes à situação real.
  • 26. Estudo de Casos  Os participantes são confrontados com uma situação / problema.  Fazem uma análise conjunta,  Identificam a solução mais adequada e determinam os princípios da sua justificação.
  • 27. Estudo de Casos Objectivos:  Criticar os dados, opiniões e hipóteses;  Provocar o contacto real e a consciencialização exacta e ajustada de uma situação;  Descobrir novas perspectivas na apreciação dos problemas e da tomada de decisões.
  • 28. Características de um Caso: Real Problemático Desencadeador Polivalente Pedagógico Adaptado Envolvente
  • 29. Brainstorming  Também Tempestade Cerebral ou Chuva de Ideias.  Técnica de dinâmica de grupos, que tem como objectivo gerar o maior número de soluções criativas para um problema.
  • 30. Brainstorming  Ideiasexpressas em frases curtas ou palavras;  Não se permite juízos críticos;  A imaginação é livre e soberana;  Quantidade de ideias;  Agrupamentos, adaptações de ideias e combinações.
  • 31. Role-Playing  Também chamado jogo de papéis.  Maneira de aprender princípios gerais de acção numa situação particular que é vivida dramaticamente, mas que pode ocorrer na vida real.
  • 32. Trabalho de Grupo  Dividir os formandos em grupo, com o objectivo de cada grupo produzir o seu próprio trabalho.  Os grupos devem ser pequenos para a técnica ser eficaz.
  • 33. CRITÉRIOS DE ESCOLHA DO MÉTODO / TÉCNICA  Adequação aos objectivos;  Respeito pelo ritmo de aprendizagem;  Mudança;  Capacidade de aprendizagem autónoma;  Variedade de estímulos;  Pôr em situação.