SlideShare uma empresa Scribd logo
Ortografia
Redação
ACENTUAÇÃO GRÁFICA
• Monossílabos:
Levam acento agudo ou circunflexo os
monossílabos terminados em :
• A, as: já, lá, vás;
• E, es: fé, lê, pés;
• O, os: pó, dó, pós, sós.
• Vocábulos de mais de uma sílaba:
1) OXÍTONOS ( ou agudos)
Levam acento agudo ou circunflexo os oxítonos
terminados em :
A, AS: cajás, vatapás, ananás, carajás;
E, ES: você, café, pontapés;
O, OS: cipó, jiló, avô, carijós;
EM, ENS: também, ninguém, vinténs, armazéns.
• Daí sem acento: aqui, caqui, poti, caju,
urubus.
• PAROXÍTONOS:
Levam acento agudo ou circunflexo os
paroxítonos terminados em:
I, IS: júri, cáqui, beribéri, lápis, tênis;
US: vênus, vírus, bônus;
R: caráter, revólver, éter;
L: útil, amável, nível, têxtil;
X: tórax, fênix, ônix;
N: éden, hífen ( mas edens e hifens sem acento);
UM, UNS: álbum, álbuns, médium;
• ÃO, ÃOS: órgão, órfão, órgãos, órfãos;
• Ã, ÃS: órfã, ímã, órfãs, ímãs;
• PS: bíceps, fórceps;
• ON(S):rádon, rádons.
• PROPAROXÍTONOS
Todos devem ser acentuados:
Cálido, tépido, cátedra, sólido, líquido, límpido,
cômodo.
Casos especiais
• Serão acentuadas as palavras oxítonas com
os ditongos abertos grafados –éis,-ói(s),-
éu(s):
• Anéis, papéis, fiéis, ilhéu(s), véu(s), corrói(s),
herói(s), sóis (pl. de sol)
• Não são acentuadas as palavras paroxítonas
com ditongos abertos:
• Assembleia, baleia, ideia, cadeia, meia, cheia,
proteico, alcaloide, jiboia, heroico, introito.
• Não se acentuam os encontros vocálicos
fechados:
• Pessoa, patroa, coroa, boa, canoa, judeu,
camafeu, voo, enjoo, perdoo, coroo.
• Levam acento agudo o i e o u, quando
representam a segunda vogal tônica de um
hiato, desde que não formem sílaba com r, l,
m, n, z ou não estejam seguidos de nh:
• Saúde, viúva, saída, caído, faísca, aí, Grajaú;
• raiz, paul, ruim, ruins, rainha, moinho.
• Não serão acentuadas as vogais tônicas i e u
das palavras paroxítonas, quando estas vogais
estiverem precedidas de ditongo decrescente:
• Baiuca, feiura, taoismo, tauismo.
• Serão acentuadas as vogais tônicas i e u das
palavras oxítonas, quando mesmo precedidas
de ditongo decrescente estão em posição
final, sozinhas na sílaba ou seguidas de s:
• Piauí, teiú, teiús, tuiuiús.
• A 3ª pessoa de alguns verbos se grafa da
seguinte maneira:
• Quando se termina em –em monossílabos:
3ª pessoa do singular 3ª pessoa do plural
-em -êm
Ele tem Eles têm
Ele vem Eles vêm
• Quando se termina em –ém:
3ª pessoa do singular 3ª pessoa do plural
- ém -êm
Ele contém Eles contêm
Ele convém Eles convêm
• Quando termina em -ê ( crê, lê, dê, vê e
derivados):
3ª pessoa do singular 3ª pessoa do plural
-ê -eem
Ele crê Eles creem
Ele revê Eles reveem
O EMPREGO DO ACENTO GRAVE
• Emprega-se o acento grave nos casos de crase
e também nos seguintes casos:
• a) na contração da preposição a com as
formas femininas do artigo ou pronome
demonstrativo:
• À ( de a + a), às ( de a + as).
• Na contração da preposição a com o a inicial
dos demonstrativos aquele, aquela, aqueles,
aquelas e aquilo:
• Àquele(s), àquela(s), àquilo.
• Na contração da preposição a com os
pronomes relativos a qual, as quais: à qual, às
quais.
• Fui à cidade. Entregou o livro à professora.
Não se dirigiu àquele homem.
• O verbo ir pede a preposição a; o substantivo
cidade pede o artigo feminino a:
• Fui a a cidade. Fui à cidade.
Observação
• Se o substantivo estiver sendo usado em
sentido indeterminado, não estará precedido
de artigo definido e, portanto, não ocorrerá à,
mas sim a, que será mera preposição:
• Ipanema perderá mais uma casa à beira-mar.
O imóvel já foi vendido a construtora e será
demolido para dar lugar a prédio.
• Quando representa a pura preposição a que
rege um substantivo feminino singular,
formando uma locução adverbial que, por
motivo de clareza, vem assinalada com acento
diferencial:
• À força, à mingua, à bala, à espada, à fome, à
pressa, à noite, à tarde, etc.
Principais casos
• 1) diante de palavra feminina , clara ou oculta
que não repele artigo:
• Fui à cidade. Voltei às dez horas.
• Dirigia-se à Bahia e depois a Paris.
• ( antes do subs. Fem. Utilizar preposição, se
tivermos puras preposições – de, em, por_ o
nome dispensa artigos; se tivermos
necessidade de usar da, na e pela, o artigo
será obrigatório)
• Fui à Gávea Venho da Gávea.
• Moro na Gávea.
• Passo pela Gávea.
• Fui a Copacabana Venho de Copacabana.
• Moro em Copacabana.
• Passo por Copacabana.
Não ocorre crase nos seguintes casos
principais:
1) Diante de palavra masculina:
Graças a Deus. Foi a Ribeirão. Pediu um bife a
cavalo.
2) Diante de palavra de sentido indefinido:
Falou a uma- certa - qualquer pessoa- cada-
toda.
( Há acento antes do numeral uma: Irei vê-la à
uma hora.)
• 3) diante dos pronomes relativos que (
quando o a anterior for preposição), quem,
cuja:
• Está aí a pessoa a que fizeste alusão.
• O autor cuja a obra a crítica se referiu é pouco
conhecido.
• Ali vai a criança a quem disseste a notícia.
• 4) diante de verbo no infinitivo:
• Ficou a ver navios.
• Livro a sair em breve.
• Diante de pronome pessoal e expressões de
tratamento com V. Exª, VSª, etc.
• Não disseram a ela e a você toda a verdade.
• Requeiro a V. Exª com razão.
• Mas:
• Requeiro à senhora.
• Falei à Dona Margarida.
• 6) nas expressões formadas com a repetição
do mesmo termo, por se tratar de pura
preposição:
• frente a frente, cara a cara, face a face, gota a
gota.
CRASE FACULTATIVA
• Antes de pronome possessivo com substantivo
feminino claro e no singular, já que no plural é
obrigatória a crase.
Mas sempre: Dirigiu-se às minhas irmãs.
Dirigiu-se à minha casa e não à sua.
a
2) Antes de nome próprio feminino
As alusões eram feitas à Fátima.
a
3) Antes da palavra casa quando acompanhada de
expressão que denota o dono ou morador ou qualquer
qualificação
Irei à casa de meus pais
a
A e HÁ
• A para o tempo que ainda vem.
• Daqui a três dias serão os exames.
• Daqui a pouco sairei de casa.
• Há para o tempo passado.
• Há três dias começaram os exames.
• Ainda há pouco estava em casa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
nixsonmachado
 
Crase
CraseCrase
Explicacao crase portugues
Explicacao crase portuguesExplicacao crase portugues
Explicacao crase portugues
Luisa Cristina Rothe Mayer
 
A Crase
 A Crase   A Crase
Crase
CraseCrase
Crase
CrisBiagio
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
Jaiza Nobre
 
Crase
CraseCrase
Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
Miraldo Ohse
 
Crase
CraseCrase
Quando usar à crase
Quando usar à craseQuando usar à crase
Quando usar à crase
Emanuel Hallef
 
Regras praticas de crase
Regras praticas de craseRegras praticas de crase
Regras praticas de crase
maria edineuma marreira
 
Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
sandra
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
guest2efcd1
 
Regência nominal
Regência nominalRegência nominal
Regência nominal
Lilian Hodgson
 
Usando a crase
Usando a craseUsando a crase
Usando a crase
Francisco
 
A crase
A craseA crase
A crase
Roberto Luiz
 
Crase
CraseCrase
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
Ayla De Sá Marques
 
O pronome indefinido
O pronome indefinidoO pronome indefinido
O pronome indefinido
António Fernandes
 
Crase
CraseCrase

Mais procurados (20)

O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Explicacao crase portugues
Explicacao crase portuguesExplicacao crase portugues
Explicacao crase portugues
 
A Crase
 A Crase   A Crase
A Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Quando usar à crase
Quando usar à craseQuando usar à crase
Quando usar à crase
 
Regras praticas de crase
Regras praticas de craseRegras praticas de crase
Regras praticas de crase
 
Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
 
Regência nominal
Regência nominalRegência nominal
Regência nominal
 
Usando a crase
Usando a craseUsando a crase
Usando a crase
 
A crase
A craseA crase
A crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
O pronome indefinido
O pronome indefinidoO pronome indefinido
O pronome indefinido
 
Crase
CraseCrase
Crase
 

Semelhante a Ortografia

ACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptx
ACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptxACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptx
ACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptx
AlineMonteiro244162
 
Fonologia.ppt
Fonologia.pptFonologia.ppt
Acentuação Gráfica
Acentuação GráficaAcentuação Gráfica
Acentuação Gráfica
Lisdafne Junia
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
Keilla Ramos
 
LP - ACENTUAÇÃO.pptx
LP - ACENTUAÇÃO.pptxLP - ACENTUAÇÃO.pptx
LP - ACENTUAÇÃO.pptx
BerlaPaiva
 
Crase
CraseCrase
Apresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominalApresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominal
laboratório de informática cef15
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
ManuBarreto3
 
AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.
AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.
AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.
AlexPaulaAmaral
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
professorakathia
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
Joemille Leal
 
classes-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptx
classes-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptxclasses-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptx
classes-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptx
ElizabethFreitas20
 
Aula--Crase.pptx
Aula--Crase.pptxAula--Crase.pptx
Aula--Crase.pptx
PabloGabrielKdabra
 
pronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdf
pronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdfpronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdf
pronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdf
Aluno180Espro
 
COLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptx
COLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptxCOLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptx
COLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptx
GabrielySilvaSchwinn
 
Pronome.pdf
Pronome.pdfPronome.pdf
Pronome.pdf
ElizabethFreitas20
 
Rta aula 6 - 2010
Rta   aula 6 - 2010Rta   aula 6 - 2010
Rta aula 6 - 2010
LeYa
 
Português sem complicação dominando a nova ortografia
Português sem complicação   dominando a nova ortografiaPortuguês sem complicação   dominando a nova ortografia
Português sem complicação dominando a nova ortografia
Paulo Vitor Carneiro
 
Resumos gramática inglês
Resumos gramática inglêsResumos gramática inglês
Resumos gramática inglês
Luciana Viter
 
verbos.ppt
verbos.pptverbos.ppt
verbos.ppt
AliceSoares89
 

Semelhante a Ortografia (20)

ACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptx
ACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptxACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptx
ACENTUAÇÃO GRÁFICA.pptx
 
Fonologia.ppt
Fonologia.pptFonologia.ppt
Fonologia.ppt
 
Acentuação Gráfica
Acentuação GráficaAcentuação Gráfica
Acentuação Gráfica
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
 
LP - ACENTUAÇÃO.pptx
LP - ACENTUAÇÃO.pptxLP - ACENTUAÇÃO.pptx
LP - ACENTUAÇÃO.pptx
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Apresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominalApresentação de colocação pronominal
Apresentação de colocação pronominal
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
 
AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.
AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.
AULA EXPOSITIVA CRASE PARA ENSINO MÉDIO.
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
classes-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptx
classes-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptxclasses-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptx
classes-gramaticais-111118200509-phpapp01.pptx
 
Aula--Crase.pptx
Aula--Crase.pptxAula--Crase.pptx
Aula--Crase.pptx
 
pronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdf
pronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdfpronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdf
pronome-pessoais-e-colocacao-pronominal.pdf
 
COLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptx
COLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptxCOLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptx
COLOCAÇÃO PRONOMINAL.pptx
 
Pronome.pdf
Pronome.pdfPronome.pdf
Pronome.pdf
 
Rta aula 6 - 2010
Rta   aula 6 - 2010Rta   aula 6 - 2010
Rta aula 6 - 2010
 
Português sem complicação dominando a nova ortografia
Português sem complicação   dominando a nova ortografiaPortuguês sem complicação   dominando a nova ortografia
Português sem complicação dominando a nova ortografia
 
Resumos gramática inglês
Resumos gramática inglêsResumos gramática inglês
Resumos gramática inglês
 
verbos.ppt
verbos.pptverbos.ppt
verbos.ppt
 

Mais de Milena Silva

Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
Milena Silva
 
A pontuação
A pontuaçãoA pontuação
A pontuação
Milena Silva
 
O Substantivo
 O Substantivo O Substantivo
O Substantivo
Milena Silva
 
A linguagem do romantismo
A linguagem do romantismoA linguagem do romantismo
A linguagem do romantismo
Milena Silva
 
Introdução à Anatomia
Introdução à AnatomiaIntrodução à Anatomia
Introdução à Anatomia
Milena Silva
 
Sistema esquelético e articulações
Sistema esquelético e articulaçõesSistema esquelético e articulações
Sistema esquelético e articulações
Milena Silva
 
Prescrição do exercício
Prescrição do exercícioPrescrição do exercício
Prescrição do exercício
Milena Silva
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicas
Milena Silva
 
Medidas e avaliação fisica
Medidas e avaliação fisicaMedidas e avaliação fisica
Medidas e avaliação fisica
Milena Silva
 
Cronica
CronicaCronica
Cronica
Milena Silva
 
Fenomenologia
FenomenologiaFenomenologia
Fenomenologia
Milena Silva
 

Mais de Milena Silva (11)

Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
 
A pontuação
A pontuaçãoA pontuação
A pontuação
 
O Substantivo
 O Substantivo O Substantivo
O Substantivo
 
A linguagem do romantismo
A linguagem do romantismoA linguagem do romantismo
A linguagem do romantismo
 
Introdução à Anatomia
Introdução à AnatomiaIntrodução à Anatomia
Introdução à Anatomia
 
Sistema esquelético e articulações
Sistema esquelético e articulaçõesSistema esquelético e articulações
Sistema esquelético e articulações
 
Prescrição do exercício
Prescrição do exercícioPrescrição do exercício
Prescrição do exercício
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicas
 
Medidas e avaliação fisica
Medidas e avaliação fisicaMedidas e avaliação fisica
Medidas e avaliação fisica
 
Cronica
CronicaCronica
Cronica
 
Fenomenologia
FenomenologiaFenomenologia
Fenomenologia
 

Último

CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdfSequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
marcos oliveira
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdfO livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
dataprovider
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptxSlides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdf
EXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdfEXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdf
EXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdf
eltinhorg
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 

Último (20)

CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdfSequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
Sequência Didática de Matemática MatemáticaMatemática.pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdfO livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
O livro O Corpo Fala, a linguagem da comunicação não verbal.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptxSlides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
EXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdf
EXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdfEXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdf
EXERCÍCIOS ARTRÓPODES E EQUINODERMAS.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 

Ortografia

  • 2. ACENTUAÇÃO GRÁFICA • Monossílabos: Levam acento agudo ou circunflexo os monossílabos terminados em : • A, as: já, lá, vás; • E, es: fé, lê, pés; • O, os: pó, dó, pós, sós.
  • 3. • Vocábulos de mais de uma sílaba: 1) OXÍTONOS ( ou agudos) Levam acento agudo ou circunflexo os oxítonos terminados em : A, AS: cajás, vatapás, ananás, carajás; E, ES: você, café, pontapés; O, OS: cipó, jiló, avô, carijós; EM, ENS: também, ninguém, vinténs, armazéns. • Daí sem acento: aqui, caqui, poti, caju, urubus.
  • 4. • PAROXÍTONOS: Levam acento agudo ou circunflexo os paroxítonos terminados em: I, IS: júri, cáqui, beribéri, lápis, tênis; US: vênus, vírus, bônus; R: caráter, revólver, éter; L: útil, amável, nível, têxtil; X: tórax, fênix, ônix; N: éden, hífen ( mas edens e hifens sem acento); UM, UNS: álbum, álbuns, médium;
  • 5. • ÃO, ÃOS: órgão, órfão, órgãos, órfãos; • Ã, ÃS: órfã, ímã, órfãs, ímãs; • PS: bíceps, fórceps; • ON(S):rádon, rádons.
  • 6. • PROPAROXÍTONOS Todos devem ser acentuados: Cálido, tépido, cátedra, sólido, líquido, límpido, cômodo.
  • 7. Casos especiais • Serão acentuadas as palavras oxítonas com os ditongos abertos grafados –éis,-ói(s),- éu(s): • Anéis, papéis, fiéis, ilhéu(s), véu(s), corrói(s), herói(s), sóis (pl. de sol) • Não são acentuadas as palavras paroxítonas com ditongos abertos: • Assembleia, baleia, ideia, cadeia, meia, cheia, proteico, alcaloide, jiboia, heroico, introito.
  • 8. • Não se acentuam os encontros vocálicos fechados: • Pessoa, patroa, coroa, boa, canoa, judeu, camafeu, voo, enjoo, perdoo, coroo.
  • 9. • Levam acento agudo o i e o u, quando representam a segunda vogal tônica de um hiato, desde que não formem sílaba com r, l, m, n, z ou não estejam seguidos de nh: • Saúde, viúva, saída, caído, faísca, aí, Grajaú; • raiz, paul, ruim, ruins, rainha, moinho.
  • 10. • Não serão acentuadas as vogais tônicas i e u das palavras paroxítonas, quando estas vogais estiverem precedidas de ditongo decrescente: • Baiuca, feiura, taoismo, tauismo. • Serão acentuadas as vogais tônicas i e u das palavras oxítonas, quando mesmo precedidas de ditongo decrescente estão em posição final, sozinhas na sílaba ou seguidas de s: • Piauí, teiú, teiús, tuiuiús.
  • 11. • A 3ª pessoa de alguns verbos se grafa da seguinte maneira: • Quando se termina em –em monossílabos: 3ª pessoa do singular 3ª pessoa do plural -em -êm Ele tem Eles têm Ele vem Eles vêm
  • 12. • Quando se termina em –ém: 3ª pessoa do singular 3ª pessoa do plural - ém -êm Ele contém Eles contêm Ele convém Eles convêm
  • 13. • Quando termina em -ê ( crê, lê, dê, vê e derivados): 3ª pessoa do singular 3ª pessoa do plural -ê -eem Ele crê Eles creem Ele revê Eles reveem
  • 14. O EMPREGO DO ACENTO GRAVE • Emprega-se o acento grave nos casos de crase e também nos seguintes casos: • a) na contração da preposição a com as formas femininas do artigo ou pronome demonstrativo: • À ( de a + a), às ( de a + as).
  • 15. • Na contração da preposição a com o a inicial dos demonstrativos aquele, aquela, aqueles, aquelas e aquilo: • Àquele(s), àquela(s), àquilo. • Na contração da preposição a com os pronomes relativos a qual, as quais: à qual, às quais.
  • 16. • Fui à cidade. Entregou o livro à professora. Não se dirigiu àquele homem. • O verbo ir pede a preposição a; o substantivo cidade pede o artigo feminino a: • Fui a a cidade. Fui à cidade.
  • 17. Observação • Se o substantivo estiver sendo usado em sentido indeterminado, não estará precedido de artigo definido e, portanto, não ocorrerá à, mas sim a, que será mera preposição: • Ipanema perderá mais uma casa à beira-mar. O imóvel já foi vendido a construtora e será demolido para dar lugar a prédio.
  • 18. • Quando representa a pura preposição a que rege um substantivo feminino singular, formando uma locução adverbial que, por motivo de clareza, vem assinalada com acento diferencial: • À força, à mingua, à bala, à espada, à fome, à pressa, à noite, à tarde, etc.
  • 19. Principais casos • 1) diante de palavra feminina , clara ou oculta que não repele artigo: • Fui à cidade. Voltei às dez horas. • Dirigia-se à Bahia e depois a Paris. • ( antes do subs. Fem. Utilizar preposição, se tivermos puras preposições – de, em, por_ o nome dispensa artigos; se tivermos necessidade de usar da, na e pela, o artigo será obrigatório)
  • 20. • Fui à Gávea Venho da Gávea. • Moro na Gávea. • Passo pela Gávea. • Fui a Copacabana Venho de Copacabana. • Moro em Copacabana. • Passo por Copacabana.
  • 21. Não ocorre crase nos seguintes casos principais: 1) Diante de palavra masculina: Graças a Deus. Foi a Ribeirão. Pediu um bife a cavalo. 2) Diante de palavra de sentido indefinido: Falou a uma- certa - qualquer pessoa- cada- toda. ( Há acento antes do numeral uma: Irei vê-la à uma hora.)
  • 22. • 3) diante dos pronomes relativos que ( quando o a anterior for preposição), quem, cuja: • Está aí a pessoa a que fizeste alusão. • O autor cuja a obra a crítica se referiu é pouco conhecido. • Ali vai a criança a quem disseste a notícia.
  • 23. • 4) diante de verbo no infinitivo: • Ficou a ver navios. • Livro a sair em breve. • Diante de pronome pessoal e expressões de tratamento com V. Exª, VSª, etc. • Não disseram a ela e a você toda a verdade. • Requeiro a V. Exª com razão.
  • 24. • Mas: • Requeiro à senhora. • Falei à Dona Margarida. • 6) nas expressões formadas com a repetição do mesmo termo, por se tratar de pura preposição: • frente a frente, cara a cara, face a face, gota a gota.
  • 25. CRASE FACULTATIVA • Antes de pronome possessivo com substantivo feminino claro e no singular, já que no plural é obrigatória a crase. Mas sempre: Dirigiu-se às minhas irmãs. Dirigiu-se à minha casa e não à sua. a
  • 26. 2) Antes de nome próprio feminino As alusões eram feitas à Fátima. a
  • 27. 3) Antes da palavra casa quando acompanhada de expressão que denota o dono ou morador ou qualquer qualificação Irei à casa de meus pais a
  • 28. A e HÁ • A para o tempo que ainda vem. • Daqui a três dias serão os exames. • Daqui a pouco sairei de casa. • Há para o tempo passado. • Há três dias começaram os exames. • Ainda há pouco estava em casa.