SlideShare uma empresa Scribd logo
O uso de softwares na
Engenharia Civil
Instituto Luterano de Ensino Superior – ULBRA
Curso de Engenharia Civil. 5º Período “A”
Alunos (as): Andresa Martins Souza
Débora Vieira Souza Silva
Lorena Cardoso
Matheus Dias
Itumbiara, 2018
RESUMO
• O desenvolvimento da tecnologia é responsável por grandes
transformações, onde a informação passou a ser um importante recurso
• Novos meios de comunicação, aplicativos e softwares, possibilitaram o
maior armazenamento de dados e o gerenciamento dos mesmos;
• A tecnologia ajuda a evitar alguns erros humanos ocasionados pelo cansaço
de trabalhos que antes eram manuais;
• Permite uso mais racional de tempo, material e mão de obra;
• Implica em gastos, mas é também investimento, com excelentes
oportunidades de melhorar a produtividade;
• É preciso se dedicar em novos conhecimentos para utilizar e ter domínio da
tecnologia.
• Computer Aided Design (Desenho Assistido por Computador);
• Usado para a elaboração de peças de desenho técnico em 2D e 3D;
• Explosão dos softwares CAD: década de 80, época que surgiu os computadores
pessoais. Apple e IBM contribuíram para que as empresas começassem a
apresentar soluções para computares menos potentes que empresas menores
poderiam pagar.
• Em 1982, a Autodesk impulsionou o software CAD, tornou conhecido e
acessível.
• Nessa época era um desafio desenhar no CAD. om o passar dos anos, e o
desenvolvimento do MS-DOS (Sistemas operacionais), o AutoCAD foi
melhorando.
• Em 1986, o AutoCAD começou a trabalhar
com 3D.
• Em 1987, surge o pull-down menu no
AutoCAD Release 9.0, começando a deixar o
AutoCAD mais interativo para o usuário.
• A release 10 deixava o AutoCAD ainda melhor
com novidades em comandos 3D e a
possibilidade do usuário definir um novo
sistema de coordenadas, o famoso UCS (User
Coordinates System), que é usado nos dias de
hoje.
• O AutoCAD R12 passa a ter caixas de diálogo.
Até então todos os comandos tinham que se
executados exclusivamente no prompt de
comando. O AutoCAD Release 12 para MS-
DOS foi lançado em 1992.
• Em 1993, nasce o R12 para Windows, o AutoCAD mais prático, contando
com caixas de comandos flutuantes. O usuário poderia habilitar ou
desabilitar barras de ferramentas personalizadas mais facilmente a sua área
de trabalho. Surge também nesse ano uma versão LT (Light), para as
empresas que não podiam investir muito, sendo com menos ferramentas.
• O R13 foi a versão que trouxe melhoras usadas até hoje, com ela também a
instabilidade do programa, foi o grande problema. Por conta disso os
usuários preferiam a versão R12.
• Em 1997 aparecia uma das melhores versões o R14, era estável como o
R12 e com as melhorias do R13. A partir daqui a Autodesk trabalharia
apenas com o AutoCAD para o Windows.
• Em 2002, a Autodesk comprou o software concorrente, da Revit Technologies,
empresa com sede em Massachussets (fundada em 1997), no valor de 133 milhões
de dólares.
• Trabalha com planos, volumes e componentes pré-setados (paredes, portas, janelas,
vigas, pilares, louças e acessórios), desenha todos os componentes do projeto em 3D
o que facilita na execução de um corte ou elevação (gerados automaticamente).
• Inclui recursos para projeto de arquitetura, engenharia de sistemas mecânicos,
elétricos e hidráulicos, engenharia estrutural e construção.
• Permite levar uma ideia do projeto conceitual até a documentação da construção,
dentro de um único ambiente de software. Otimize o desempenho da construção e
crie visualizações impressionantes, “render”.
• Possui ferramentas específicas para projetos estruturais para criar modelos
inteligentes de estrutura, de forma coordenada com outros componentes de
construção. Permite avaliar se eles estarão em conformidade com as normas de
segurança e de construção;
• Projeta sistemas mecânicos, elétricos
e hidráulicos na construção com
maior precisão e de maneira
coordenada com componentes
arquitetônicos e estruturais, usando
as informações consistentes e
coordenadas inerentes do modelo
inteligente.
• Valor de investimento:
• Permite visualizar a viabilidade da
construção e a intenção do projeto
antes do início das obras. Obtenha
um melhor entendimento dos meios,
métodos e materiais, e como eles se
combinam.
• Há incrível ganho de produtividade
e excelência em relação às formas
tradicionais de elaboração de
projetos arquitetônicos baseados em
sistemas CAD;
• É um aplicativo móvel que
gera o quantitativo e o preço
dos materiais, mão de obra e
encargos complementares para
diversos serviços de
Construção ou Reforma, cujos
preços atualizamos
mensalmente para todos os
estados, conforme publicado
nas tabelas SINAPI.
• Investimento: R$19,90
REFORMA SIMPLES
• O aplicativo gera o orçamento detalhado contendo todos os serviços informados
pelo usuário, além da lista total de insumos do projeto (Curva ABC). Essas
informações podem ser salvas no aplicativo ou enviadas para o email escolhido,
já sendo convertidas em planilha do Excel.
• O Reforma Simples utiliza como referência o Sistema Nacional de Pesquisa de
Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI), a qual publica periodicamente
os preços para cada estado do Brasil.
Essa aplicação não visa substituir um profissional capacitado, pelo contrário, visa
auxiliar. Sempre procure mão de obra especializada.
• Software de gestão, ou ERP (Enterprise Resource Planning), desenvolvido
pela sofplan para a indústria da construção. A Softplan é uma das empresas
de tecnologia pioneiras e líderes em Florianópolis e no país: desenvolvem
softwares de gestão desde 1990.
• Substitui planilhas e pequenos softwares por uma única solução com
integração de dados;
Permite que a Engenharia desenvolva seu trabalho de forma organizada,
mantendo total controle de:
• Custos unitários;
• Orçamentos;
• Planejamento;
• Acompanhamento;
• Diário de Obras;
• Controle de Mão de Obra;
FTOOL
• Criado na década de 90, desenvolvido na PUC-Rio.
• Investimento: R$ 60,00 (sessenta reais) por ano.
• A versão básica para fins acadêmicos segue gratuita.
FTOOL
SAP2000
SAP2000
• Investimento: A partir de US$ 2.900
• O Microsoft Office Excel é um editor de planilhas produzido
pela Microsoft para computadores que utilizam o sistema
operacional Microsoft Windows, além de
computadores Macintosh da Apple Inc. e dispositivos móveis como
o Windows Phone, Android ou o iOS.
• Seus recursos incluem uma interface intuitiva e capacitadas ferramentas de
cálculo e de construção de gráficos.
VANTAGENS DE USO DO EXCEL:
• Disponibilidade;
• Facilidade de uso;
• Variáveis nomeadas;
• Biblioteca de funções;
• Portabilidade;
• Integração;
• Expansibilidade;
• Abrangência;
• Simplicidade.
• Eberick é um software para projeto estrutural em concreto armado moldado in-
loco e concreto pré-moldado que engloba as etapas de lançamento, análise da
estrutura, dimensionamento e o detalhamento final dos elementos, além da
visualização tridimensional da estrutura modelada.
• De acordo com a NBR 6118:2014 e alinhado com o conceito BIM.
PRINCIPAIS RECURSOS:
• Inclusão de vigas e pilares de outros materiais na estrutura de concreto;
• Algoritmo para otimização das seções de vigas e pilares;
• Visualização 3d conjunta e integrada com o QiBuilder;
• Verificação do estado-limite de vibrações do pavimento;
• Alta performance nas operações de análise e dimensionamento;
• Lançamento automatizado de cargas em lajes;
• Relatório de diagnóstico da estrutura;
• Relatórios de custo de edificação;
• Redefinição automática da viga invertida;
CONCLUSÃO
• Para empresas é necessário dedicar tempo e equipe para implantação destes
softwares;
• Pode impactar na estrutura organizacional e nas habilidades requeridas dos
profissionais. A adoção da tecnologia pode alterar também as relações de
trabalho entre os profissionais;
• Há incrível ganho de produtividade e excelência em relação às formas
tradicionais de trabalho;
REFERÊNCIAS
• RIBEIRO, Marcel. <https://maiscontroleerp.com.br/tecnologia-na-construcao-
civil/> Abril, 2017.
• NAKAMURA, J. Como anda o BIM nas incorporadoras. Construção Mercado,
[S.l.], ed. 143, jun. 2013. Disponível em: <
http://construcaomercado.kubbix.com/negocios-
incorporacaoconstrucao/143/artigo290692-1.aspx>. Acesso em: 02 out. 2013.
• PICCIANO, Alexandre. <http://www.hp3d.com.br/blog/autocad-revit/> 2018.
• AUTODESK
<http://www.autodesk.com.br/adsk/servlet/item?siteID=1003425&id=11098507>
• https://www.sienge.com.br/engenharia/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercicios resolvidos hidraulica
Exercicios resolvidos hidraulicaExercicios resolvidos hidraulica
Exercicios resolvidos hidraulicafernando correa
 
Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)Lais Ferraz
 
Exercicios resolvidos de_hidraulica
Exercicios resolvidos de_hidraulicaExercicios resolvidos de_hidraulica
Exercicios resolvidos de_hidraulicaSérgio Lessa
 
ENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMAN
ENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMANENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMAN
ENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMANRayane Anchieta
 
Nbr 08.545 1984 - alvenarias de vedação
Nbr 08.545 1984 - alvenarias de vedaçãoNbr 08.545 1984 - alvenarias de vedação
Nbr 08.545 1984 - alvenarias de vedaçãoRodrigo Wink
 
Apresentação ppt sobre o Gesso
Apresentação ppt sobre o GessoApresentação ppt sobre o Gesso
Apresentação ppt sobre o Gessoprismatica
 
Mec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidosMec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidosAdriana Inokuma
 
tesouras de madeira
 tesouras de madeira tesouras de madeira
tesouras de madeiraricardojaru
 
O mundo das plantas
O mundo das plantasO mundo das plantas
O mundo das plantasAna Gmail
 
Ensaio de limite de liquidez e plasticidade
Ensaio de limite de liquidez e plasticidadeEnsaio de limite de liquidez e plasticidade
Ensaio de limite de liquidez e plasticidadeEzequiel Borges
 
Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)Amália Ribeiro
 
Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)
Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)
Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)Sílvio Júnior
 
NBR 10844/1989
NBR 10844/1989NBR 10844/1989
NBR 10844/1989UNIFIA
 

Mais procurados (20)

Exercicios resolvidos hidraulica
Exercicios resolvidos hidraulicaExercicios resolvidos hidraulica
Exercicios resolvidos hidraulica
 
Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)
 
Exercicios resolvidos de_hidraulica
Exercicios resolvidos de_hidraulicaExercicios resolvidos de_hidraulica
Exercicios resolvidos de_hidraulica
 
ENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMAN
ENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMANENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMAN
ENSAIO DE DETERMINAÇÃO DE MASSA ESPECÍFICA POR MEIO DO FRASCO CHAPMAN
 
Nbr 08.545 1984 - alvenarias de vedação
Nbr 08.545 1984 - alvenarias de vedaçãoNbr 08.545 1984 - alvenarias de vedação
Nbr 08.545 1984 - alvenarias de vedação
 
Subtração
SubtraçãoSubtração
Subtração
 
Apresentação ppt sobre o Gesso
Apresentação ppt sobre o GessoApresentação ppt sobre o Gesso
Apresentação ppt sobre o Gesso
 
Mec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidosMec solos exercícios resolvidos
Mec solos exercícios resolvidos
 
tesouras de madeira
 tesouras de madeira tesouras de madeira
tesouras de madeira
 
O mundo das plantas
O mundo das plantasO mundo das plantas
O mundo das plantas
 
Ensaio de limite de liquidez e plasticidade
Ensaio de limite de liquidez e plasticidadeEnsaio de limite de liquidez e plasticidade
Ensaio de limite de liquidez e plasticidade
 
Solos 4
Solos 4Solos 4
Solos 4
 
Estadios e domínios
Estadios e domíniosEstadios e domínios
Estadios e domínios
 
Aula 4 vigas
Aula 4   vigasAula 4   vigas
Aula 4 vigas
 
Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)
 
Ensaios e limites do solo
Ensaios e limites do soloEnsaios e limites do solo
Ensaios e limites do solo
 
O Concreto Na Construção Civil
O Concreto Na Construção CivilO Concreto Na Construção Civil
O Concreto Na Construção Civil
 
Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)
Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)
Madeira (Propriedades, Processos de Fabricação e Aplicações)
 
3.2 índices físicos
3.2 índices físicos3.2 índices físicos
3.2 índices físicos
 
NBR 10844/1989
NBR 10844/1989NBR 10844/1989
NBR 10844/1989
 

Semelhante a O uso de softwares na engenharia civil

Informatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. CivilInformatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. Civiljcarlosfb
 
Apresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo FalcãoApresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo FalcãoJoão Nogueira
 
Portfólio PLM Raihsa Siemens
Portfólio PLM Raihsa SiemensPortfólio PLM Raihsa Siemens
Portfólio PLM Raihsa SiemensRaihsa
 
10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoads
10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoads10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoads
10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoadsCarlos Galeano
 
Apostila PipeNetwork - Civil 3D
Apostila PipeNetwork - Civil 3DApostila PipeNetwork - Civil 3D
Apostila PipeNetwork - Civil 3DOsvaldo Júnior
 
CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)
CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)
CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)Carlos Calácio
 
Aula 14 cad - conceitos básicos
Aula 14   cad - conceitos básicosAula 14   cad - conceitos básicos
Aula 14 cad - conceitos básicosRenaldo Adriano
 
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabeceProjeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabeceIST (Univ of Lisbon)
 
Retorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em UsabilidadeRetorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em UsabilidadeBernardo Mattos
 

Semelhante a O uso de softwares na engenharia civil (20)

Informatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. CivilInformatica softwares para Eng. Civil
Informatica softwares para Eng. Civil
 
C poli c definitivo
C poli c definitivoC poli c definitivo
C poli c definitivo
 
Credes e CEsg
Credes e CEsgCredes e CEsg
Credes e CEsg
 
AutoCAD
AutoCADAutoCAD
AutoCAD
 
Sistema de informação - Cad na engenharia
Sistema de informação - Cad na engenhariaSistema de informação - Cad na engenharia
Sistema de informação - Cad na engenharia
 
ArquiteturaSoftware
ArquiteturaSoftwareArquiteturaSoftware
ArquiteturaSoftware
 
Aula1 dia 22 02 2022.pdf
Aula1  dia 22 02 2022.pdfAula1  dia 22 02 2022.pdf
Aula1 dia 22 02 2022.pdf
 
Apresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo FalcãoApresentação do Eng. Rodrigo Falcão
Apresentação do Eng. Rodrigo Falcão
 
Portfólio PLM Raihsa Siemens
Portfólio PLM Raihsa SiemensPortfólio PLM Raihsa Siemens
Portfólio PLM Raihsa Siemens
 
As Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia Civil
As Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia CivilAs Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia Civil
As Tecnologias de Informação na Prática da Engenharia Civil
 
10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoads
10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoads10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoads
10 Razões para usar a Tecnologia OpenRoads
 
Apostila PipeNetwork - Civil 3D
Apostila PipeNetwork - Civil 3DApostila PipeNetwork - Civil 3D
Apostila PipeNetwork - Civil 3D
 
CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)
CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)
CAD/CAE/CAM (CAD,CAE,CAM; CAD-CAE-CAM)
 
Aula 14 cad - conceitos básicos
Aula 14   cad - conceitos básicosAula 14   cad - conceitos básicos
Aula 14 cad - conceitos básicos
 
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabeceProjeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
Projeto estrutural no_ambiente_bim_tqsabece
 
Apresentação RUP
Apresentação RUPApresentação RUP
Apresentação RUP
 
Bim - Revit
Bim - RevitBim - Revit
Bim - Revit
 
Aubr 83 apostila
Aubr 83 apostilaAubr 83 apostila
Aubr 83 apostila
 
Bim
BimBim
Bim
 
Retorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em UsabilidadeRetorno do Investimento em Usabilidade
Retorno do Investimento em Usabilidade
 

Mais de debvieir

PAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANAS
PAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANASPAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANAS
PAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANASdebvieir
 
Ensaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia Civil
Ensaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia CivilEnsaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia Civil
Ensaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia Civildebvieir
 
Alvenaria - Curso de Engenharia civil
Alvenaria - Curso de Engenharia civilAlvenaria - Curso de Engenharia civil
Alvenaria - Curso de Engenharia civildebvieir
 
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmicaAula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmicadebvieir
 
Esquadrias - Construção civil
Esquadrias - Construção civilEsquadrias - Construção civil
Esquadrias - Construção civildebvieir
 
Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...
Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...
Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...debvieir
 
Estruturas, plasticidade e consistência dos solos
Estruturas, plasticidade e consistência dos solosEstruturas, plasticidade e consistência dos solos
Estruturas, plasticidade e consistência dos solosdebvieir
 
Código de edificações lei complementar nº 026/2.002
Código de edificações lei complementar nº 026/2.002Código de edificações lei complementar nº 026/2.002
Código de edificações lei complementar nº 026/2.002debvieir
 
Pena de morte - Cultura Religiosa
Pena de morte - Cultura ReligiosaPena de morte - Cultura Religiosa
Pena de morte - Cultura Religiosadebvieir
 
Aula de topografia 1 - módulo 3
Aula de topografia 1 - módulo 3Aula de topografia 1 - módulo 3
Aula de topografia 1 - módulo 3debvieir
 
Aula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civil
Aula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civilAula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civil
Aula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civildebvieir
 
Aula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civil
Aula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civilAula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civil
Aula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civildebvieir
 
Casas ecológicas e estudo de caso
Casas ecológicas e estudo de casoCasas ecológicas e estudo de caso
Casas ecológicas e estudo de casodebvieir
 
Ácidos nucleicos - DNA e RNA
 Ácidos nucleicos - DNA e RNA Ácidos nucleicos - DNA e RNA
Ácidos nucleicos - DNA e RNAdebvieir
 
Composição dos seres vivos e elementos químicos
Composição dos seres vivos e elementos químicosComposição dos seres vivos e elementos químicos
Composição dos seres vivos e elementos químicosdebvieir
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigodebvieir
 

Mais de debvieir (16)

PAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANAS
PAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANASPAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANAS
PAVIMENTOS PERMEÁVEIS PARA O CONTROLE DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL EM ÁREAS URBANAS
 
Ensaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia Civil
Ensaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia CivilEnsaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia Civil
Ensaios da madeira e telhas fibrocimento - Curso de Engenharia Civil
 
Alvenaria - Curso de Engenharia civil
Alvenaria - Curso de Engenharia civilAlvenaria - Curso de Engenharia civil
Alvenaria - Curso de Engenharia civil
 
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmicaAula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
 
Esquadrias - Construção civil
Esquadrias - Construção civilEsquadrias - Construção civil
Esquadrias - Construção civil
 
Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...
Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...
Projeto e anteprojeto, escoramentos, cortinas, paredes diafragma e muros de a...
 
Estruturas, plasticidade e consistência dos solos
Estruturas, plasticidade e consistência dos solosEstruturas, plasticidade e consistência dos solos
Estruturas, plasticidade e consistência dos solos
 
Código de edificações lei complementar nº 026/2.002
Código de edificações lei complementar nº 026/2.002Código de edificações lei complementar nº 026/2.002
Código de edificações lei complementar nº 026/2.002
 
Pena de morte - Cultura Religiosa
Pena de morte - Cultura ReligiosaPena de morte - Cultura Religiosa
Pena de morte - Cultura Religiosa
 
Aula de topografia 1 - módulo 3
Aula de topografia 1 - módulo 3Aula de topografia 1 - módulo 3
Aula de topografia 1 - módulo 3
 
Aula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civil
Aula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civilAula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civil
Aula topografia 1 - módulo 2 - Engenharia civil
 
Aula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civil
Aula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civilAula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civil
Aula de topografia 1 - módulo 1 - Engenharia civil
 
Casas ecológicas e estudo de caso
Casas ecológicas e estudo de casoCasas ecológicas e estudo de caso
Casas ecológicas e estudo de caso
 
Ácidos nucleicos - DNA e RNA
 Ácidos nucleicos - DNA e RNA Ácidos nucleicos - DNA e RNA
Ácidos nucleicos - DNA e RNA
 
Composição dos seres vivos e elementos químicos
Composição dos seres vivos e elementos químicosComposição dos seres vivos e elementos químicos
Composição dos seres vivos e elementos químicos
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 

Último

ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VFST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VFmarketing18485
 
Checklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdf
Checklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdfChecklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdf
Checklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdfVandersonOliveira39
 
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdfATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdfColaborar Educacional
 
Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...
Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...
Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...JairGaldino4
 
AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024
AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024
AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024Consultoria Acadêmica
 
AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...
AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...
AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...Consultoria Acadêmica
 
AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...Consultoria Acadêmica
 

Último (7)

ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VFST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
ST 2024 Statum Apresentação Comercial - VF
 
Checklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdf
Checklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdfChecklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdf
Checklist de renovação de AVCB -Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.pdf
 
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdfATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
ATIVIDADE 2 - PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL - ok.pdf
 
Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...
Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...
Aula 03 - Gestão da Manutenção - OS e Software de Gerenciamento de Manutenção...
 
AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024
AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024
AE02 - MAQUINAS TÉRMICAS UNICESUMAR 52/2024
 
AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...
AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...
AE01 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL RELACOES DE CONSUMO E SUSTENTABILI...
 
AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE01 -ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL -COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 

O uso de softwares na engenharia civil

  • 1. O uso de softwares na Engenharia Civil Instituto Luterano de Ensino Superior – ULBRA Curso de Engenharia Civil. 5º Período “A” Alunos (as): Andresa Martins Souza Débora Vieira Souza Silva Lorena Cardoso Matheus Dias Itumbiara, 2018
  • 2. RESUMO • O desenvolvimento da tecnologia é responsável por grandes transformações, onde a informação passou a ser um importante recurso • Novos meios de comunicação, aplicativos e softwares, possibilitaram o maior armazenamento de dados e o gerenciamento dos mesmos; • A tecnologia ajuda a evitar alguns erros humanos ocasionados pelo cansaço de trabalhos que antes eram manuais; • Permite uso mais racional de tempo, material e mão de obra; • Implica em gastos, mas é também investimento, com excelentes oportunidades de melhorar a produtividade; • É preciso se dedicar em novos conhecimentos para utilizar e ter domínio da tecnologia.
  • 3. • Computer Aided Design (Desenho Assistido por Computador); • Usado para a elaboração de peças de desenho técnico em 2D e 3D; • Explosão dos softwares CAD: década de 80, época que surgiu os computadores pessoais. Apple e IBM contribuíram para que as empresas começassem a apresentar soluções para computares menos potentes que empresas menores poderiam pagar. • Em 1982, a Autodesk impulsionou o software CAD, tornou conhecido e acessível. • Nessa época era um desafio desenhar no CAD. om o passar dos anos, e o desenvolvimento do MS-DOS (Sistemas operacionais), o AutoCAD foi melhorando.
  • 4. • Em 1986, o AutoCAD começou a trabalhar com 3D. • Em 1987, surge o pull-down menu no AutoCAD Release 9.0, começando a deixar o AutoCAD mais interativo para o usuário. • A release 10 deixava o AutoCAD ainda melhor com novidades em comandos 3D e a possibilidade do usuário definir um novo sistema de coordenadas, o famoso UCS (User Coordinates System), que é usado nos dias de hoje. • O AutoCAD R12 passa a ter caixas de diálogo. Até então todos os comandos tinham que se executados exclusivamente no prompt de comando. O AutoCAD Release 12 para MS- DOS foi lançado em 1992.
  • 5. • Em 1993, nasce o R12 para Windows, o AutoCAD mais prático, contando com caixas de comandos flutuantes. O usuário poderia habilitar ou desabilitar barras de ferramentas personalizadas mais facilmente a sua área de trabalho. Surge também nesse ano uma versão LT (Light), para as empresas que não podiam investir muito, sendo com menos ferramentas. • O R13 foi a versão que trouxe melhoras usadas até hoje, com ela também a instabilidade do programa, foi o grande problema. Por conta disso os usuários preferiam a versão R12. • Em 1997 aparecia uma das melhores versões o R14, era estável como o R12 e com as melhorias do R13. A partir daqui a Autodesk trabalharia apenas com o AutoCAD para o Windows.
  • 6. • Em 2002, a Autodesk comprou o software concorrente, da Revit Technologies, empresa com sede em Massachussets (fundada em 1997), no valor de 133 milhões de dólares. • Trabalha com planos, volumes e componentes pré-setados (paredes, portas, janelas, vigas, pilares, louças e acessórios), desenha todos os componentes do projeto em 3D o que facilita na execução de um corte ou elevação (gerados automaticamente).
  • 7. • Inclui recursos para projeto de arquitetura, engenharia de sistemas mecânicos, elétricos e hidráulicos, engenharia estrutural e construção. • Permite levar uma ideia do projeto conceitual até a documentação da construção, dentro de um único ambiente de software. Otimize o desempenho da construção e crie visualizações impressionantes, “render”.
  • 8. • Possui ferramentas específicas para projetos estruturais para criar modelos inteligentes de estrutura, de forma coordenada com outros componentes de construção. Permite avaliar se eles estarão em conformidade com as normas de segurança e de construção;
  • 9. • Projeta sistemas mecânicos, elétricos e hidráulicos na construção com maior precisão e de maneira coordenada com componentes arquitetônicos e estruturais, usando as informações consistentes e coordenadas inerentes do modelo inteligente. • Valor de investimento:
  • 10. • Permite visualizar a viabilidade da construção e a intenção do projeto antes do início das obras. Obtenha um melhor entendimento dos meios, métodos e materiais, e como eles se combinam. • Há incrível ganho de produtividade e excelência em relação às formas tradicionais de elaboração de projetos arquitetônicos baseados em sistemas CAD;
  • 11. • É um aplicativo móvel que gera o quantitativo e o preço dos materiais, mão de obra e encargos complementares para diversos serviços de Construção ou Reforma, cujos preços atualizamos mensalmente para todos os estados, conforme publicado nas tabelas SINAPI. • Investimento: R$19,90 REFORMA SIMPLES
  • 12. • O aplicativo gera o orçamento detalhado contendo todos os serviços informados pelo usuário, além da lista total de insumos do projeto (Curva ABC). Essas informações podem ser salvas no aplicativo ou enviadas para o email escolhido, já sendo convertidas em planilha do Excel. • O Reforma Simples utiliza como referência o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI), a qual publica periodicamente os preços para cada estado do Brasil. Essa aplicação não visa substituir um profissional capacitado, pelo contrário, visa auxiliar. Sempre procure mão de obra especializada.
  • 13. • Software de gestão, ou ERP (Enterprise Resource Planning), desenvolvido pela sofplan para a indústria da construção. A Softplan é uma das empresas de tecnologia pioneiras e líderes em Florianópolis e no país: desenvolvem softwares de gestão desde 1990. • Substitui planilhas e pequenos softwares por uma única solução com integração de dados;
  • 14. Permite que a Engenharia desenvolva seu trabalho de forma organizada, mantendo total controle de: • Custos unitários; • Orçamentos; • Planejamento; • Acompanhamento; • Diário de Obras; • Controle de Mão de Obra;
  • 15. FTOOL • Criado na década de 90, desenvolvido na PUC-Rio. • Investimento: R$ 60,00 (sessenta reais) por ano.
  • 16. • A versão básica para fins acadêmicos segue gratuita. FTOOL
  • 18. SAP2000 • Investimento: A partir de US$ 2.900
  • 19.
  • 20. • O Microsoft Office Excel é um editor de planilhas produzido pela Microsoft para computadores que utilizam o sistema operacional Microsoft Windows, além de computadores Macintosh da Apple Inc. e dispositivos móveis como o Windows Phone, Android ou o iOS. • Seus recursos incluem uma interface intuitiva e capacitadas ferramentas de cálculo e de construção de gráficos.
  • 21. VANTAGENS DE USO DO EXCEL: • Disponibilidade; • Facilidade de uso; • Variáveis nomeadas; • Biblioteca de funções; • Portabilidade; • Integração; • Expansibilidade; • Abrangência; • Simplicidade.
  • 22. • Eberick é um software para projeto estrutural em concreto armado moldado in- loco e concreto pré-moldado que engloba as etapas de lançamento, análise da estrutura, dimensionamento e o detalhamento final dos elementos, além da visualização tridimensional da estrutura modelada. • De acordo com a NBR 6118:2014 e alinhado com o conceito BIM.
  • 23. PRINCIPAIS RECURSOS: • Inclusão de vigas e pilares de outros materiais na estrutura de concreto; • Algoritmo para otimização das seções de vigas e pilares; • Visualização 3d conjunta e integrada com o QiBuilder; • Verificação do estado-limite de vibrações do pavimento; • Alta performance nas operações de análise e dimensionamento; • Lançamento automatizado de cargas em lajes; • Relatório de diagnóstico da estrutura; • Relatórios de custo de edificação; • Redefinição automática da viga invertida;
  • 24. CONCLUSÃO • Para empresas é necessário dedicar tempo e equipe para implantação destes softwares; • Pode impactar na estrutura organizacional e nas habilidades requeridas dos profissionais. A adoção da tecnologia pode alterar também as relações de trabalho entre os profissionais; • Há incrível ganho de produtividade e excelência em relação às formas tradicionais de trabalho;
  • 25. REFERÊNCIAS • RIBEIRO, Marcel. <https://maiscontroleerp.com.br/tecnologia-na-construcao- civil/> Abril, 2017. • NAKAMURA, J. Como anda o BIM nas incorporadoras. Construção Mercado, [S.l.], ed. 143, jun. 2013. Disponível em: < http://construcaomercado.kubbix.com/negocios- incorporacaoconstrucao/143/artigo290692-1.aspx>. Acesso em: 02 out. 2013. • PICCIANO, Alexandre. <http://www.hp3d.com.br/blog/autocad-revit/> 2018. • AUTODESK <http://www.autodesk.com.br/adsk/servlet/item?siteID=1003425&id=11098507> • https://www.sienge.com.br/engenharia/

Notas do Editor

  1. Permite a renderização de imagens, gerando uma imagem perspectiva realista;
  2. do orçamento, do planejamento e acompanhe a evolução do projeto com indicadores como Orçado x Realizado e cronograma Físico Financeiro em tempo real; Aumente o Controle de Custos com a Gestão de Estoque;