SlideShare uma empresa Scribd logo

Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem

1 de 25
Baixar para ler offline
Formação Pedagógica Inicial de Formadores



Módulo 7
Plataformas Colaborativas e de
Aprendizagem




                              Formadora: Carina Mano
                              carinamano@gmail.com
Objetivos:



   Compreender as mudanças evolutivas do Ensino à Distância;
   Identificar as características e as vantagens do e-learning;
   Compreender o funcionamento das Plataformas de suporte da formação
    à distância;
   Identificar regras de formação através da internet;
   Reconhecer a importância do e-formador/e-mediador no processo
    formativo a distância;
   Identificar os mecanismos/softwares de comunicação Online;
   Desenvolver uma formação utilizando as Plataformas Colaborativas e de
    Aprendizagem para suporte de materiais.
A Evolução da Internet


Vivemos tempos de mudança…




  Os modelos tradicionais de ensino



                            Estão a ser pressionados pela “net generation”!
Ensino à Distância: breve história


1.   Primeira geração de EAD – Ensino por correspondência

2.   Segunda geração de EAD – Tele-ensino

3.   Terceira geração de EAD – Serviços Telemáticos

4.   Quarta geração de EAD – Comunidades Virtuais de Aprendizagem
Da Web 1.0 para a Web 2.0

   A primeira geração da internet, conhecida como Web 1.0
    tinha como principal atributo a quantidade imensa de
                    informação a que todos podiam aceder.



    Web 2.0 é a mudança da internet para uma imensa
    plataforma onde qualquer utilizador pode ter o seu espaço
    online e publicar conteúdos.

    A Web social emerge como a característica mais relevante
    da Web 2.0 possibilitando que a rede global seja usada de
    forma colaborativa, descentralizada da autoridade e em
    total liberdade.
Da Web 1.0 para a Web 2.0
Anúncio

Recomendados

Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Debora_Marques
 
Planos de sessão
Planos de sessãoPlanos de sessão
Planos de sessãoAna Narciso
 
Recursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimediaRecursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimediaAna Martins
 
Metodos e tecnicas_pedagogicos
Metodos e tecnicas_pedagogicosMetodos e tecnicas_pedagogicos
Metodos e tecnicas_pedagogicosVeronica Gur Be
 
Plano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPPlano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPDebora_Marques
 
Plano de sessão 0754 1
Plano de sessão 0754   1Plano de sessão 0754   1
Plano de sessão 0754 1Vanda Godinho
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem Sandra Oliveira
 
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - FlyerFormação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - FlyerDianova
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Cátia Elias
 
Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)
Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)
Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)carlospimentacom
 
Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica Thacia Carpenter
 
Exercicios Empreendedorismo - Plano de Negócio
Exercicios Empreendedorismo - Plano de NegócioExercicios Empreendedorismo - Plano de Negócio
Exercicios Empreendedorismo - Plano de NegócioLaisa Mariana
 
Definição de Objetivos - construção
Definição de Objetivos - construçãoDefinição de Objetivos - construção
Definição de Objetivos - construçãoRonaldo Otero
 
Plano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia FinalPlano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia FinalDebora_Marques
 
ética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAGética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAGMaria Raimundo
 
ReflexãO Individual Ana Santos
ReflexãO Individual   Ana SantosReflexãO Individual   Ana Santos
ReflexãO Individual Ana SantosAnaSAnaO
 
Formação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo JuvenilFormação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo JuvenilSandraRombi
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensinoDeia Araujo
 
Metodos Pedagogicos PPT
Metodos Pedagogicos PPTMetodos Pedagogicos PPT
Metodos Pedagogicos PPTguest6e2200
 
Manual comunicação em formação inicial e formadores
Manual comunicação em formação inicial e formadoresManual comunicação em formação inicial e formadores
Manual comunicação em formação inicial e formadoresPatrícia Ervilha
 

Mais procurados (20)

Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
 
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - FlyerFormação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
 
O Plano de Sessão
O Plano de SessãoO Plano de Sessão
O Plano de Sessão
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
 
Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)
Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)
Papel do E-Formador (Curso E-Formadores)
 
Slides módulo 4
Slides módulo 4Slides módulo 4
Slides módulo 4
 
Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica
 
Exercicios Empreendedorismo - Plano de Negócio
Exercicios Empreendedorismo - Plano de NegócioExercicios Empreendedorismo - Plano de Negócio
Exercicios Empreendedorismo - Plano de Negócio
 
Definição de Objetivos - construção
Definição de Objetivos - construçãoDefinição de Objetivos - construção
Definição de Objetivos - construção
 
Projeto de intervenção
Projeto de intervençãoProjeto de intervenção
Projeto de intervenção
 
Planificação
PlanificaçãoPlanificação
Planificação
 
Plano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia FinalPlano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia Final
 
Submodulo 8.2
Submodulo 8.2Submodulo 8.2
Submodulo 8.2
 
ética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAGética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAG
 
ReflexãO Individual Ana Santos
ReflexãO Individual   Ana SantosReflexãO Individual   Ana Santos
ReflexãO Individual Ana Santos
 
Formação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo JuvenilFormação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
Formação para os professores Premissa Protagonismo Juvenil
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
 
Metodos Pedagogicos PPT
Metodos Pedagogicos PPTMetodos Pedagogicos PPT
Metodos Pedagogicos PPT
 
Manual comunicação em formação inicial e formadores
Manual comunicação em formação inicial e formadoresManual comunicação em formação inicial e formadores
Manual comunicação em formação inicial e formadores
 
Planos de Formação
Planos de FormaçãoPlanos de Formação
Planos de Formação
 

Semelhante a Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem

Pedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-linePedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-lineAparecida Dias
 
Entrevistas j3 a oradores
Entrevistas j3 a oradoresEntrevistas j3 a oradores
Entrevistas j3 a oradoresNuno Maria
 
Aula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM
Aula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEMAula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM
Aula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEMDennys Leite Maia
 
E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100Faria Viegas
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagemAmbientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagemJuFRodrigues
 
Conhecimentos básicos dos professores
Conhecimentos básicos dos professoresConhecimentos básicos dos professores
Conhecimentos básicos dos professoresAntonio Mendes Ribeiro
 
Sistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de ConteúdosSistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de Conteúdosrubendacosta
 
As tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docenteAs tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docenteCarlos Marcelo
 
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTESEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTEregist
 
Docente Independente Empreendedor
Docente Independente EmpreendedorDocente Independente Empreendedor
Docente Independente EmpreendedorMessias Matusse
 
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao pauloAmbientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao pauloMARA DAISY ALVES RIBEIRO
 
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educação
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educaçãoDesafios para o uso de TICs aplicadas à educação
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educaçãoUFPE
 
Elearning, b- d-m-learning
Elearning, b- d-m-learningElearning, b- d-m-learning
Elearning, b- d-m-learningricaselmavera
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem  Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem Marcos Ribeiro
 
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoMediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoUFPE
 
Conceitos de Educação e-Learning, Aberta e a Distância
Conceitos de Educação e-Learning, Aberta e a DistânciaConceitos de Educação e-Learning, Aberta e a Distância
Conceitos de Educação e-Learning, Aberta e a DistânciaElsaS13
 

Semelhante a Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem (20)

Slider Cobesc
Slider CobescSlider Cobesc
Slider Cobesc
 
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-linePedagogia do e learning e o papel do professor on-line
Pedagogia do e learning e o papel do professor on-line
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
 
Entrevistas j3 a oradores
Entrevistas j3 a oradoresEntrevistas j3 a oradores
Entrevistas j3 a oradores
 
Aula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM
Aula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEMAula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM
Aula INTA - AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM
 
E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100
 
Tutor
TutorTutor
Tutor
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagemAmbientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem
 
Conhecimentos básicos dos professores
Conhecimentos básicos dos professoresConhecimentos básicos dos professores
Conhecimentos básicos dos professores
 
Sistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de ConteúdosSistemas de Gestão de Conteúdos
Sistemas de Gestão de Conteúdos
 
As tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docenteAs tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docente
 
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTESEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
SEIS COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA DOCÊNCIA ONLINE INDEPENDENTE
 
Docente Independente Empreendedor
Docente Independente EmpreendedorDocente Independente Empreendedor
Docente Independente Empreendedor
 
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao pauloAmbientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais  joao paulo
Ambientes virtuais de aprendizagem (ava) e redes sociais joao paulo
 
Pub 1291082475
Pub 1291082475Pub 1291082475
Pub 1291082475
 
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educação
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educaçãoDesafios para o uso de TICs aplicadas à educação
Desafios para o uso de TICs aplicadas à educação
 
Elearning, b- d-m-learning
Elearning, b- d-m-learningElearning, b- d-m-learning
Elearning, b- d-m-learning
 
Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem  Ambientes virtuais de aprendizagem
Ambientes virtuais de aprendizagem
 
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediadoMediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
Mediação tecnológica dos ensino e aprendizagem mediado
 
Conceitos de Educação e-Learning, Aberta e a Distância
Conceitos de Educação e-Learning, Aberta e a DistânciaConceitos de Educação e-Learning, Aberta e a Distância
Conceitos de Educação e-Learning, Aberta e a Distância
 

Último

Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 

Último (20)

Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 

Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem

  • 1. Formação Pedagógica Inicial de Formadores Módulo 7 Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem Formadora: Carina Mano carinamano@gmail.com
  • 2. Objetivos:  Compreender as mudanças evolutivas do Ensino à Distância;  Identificar as características e as vantagens do e-learning;  Compreender o funcionamento das Plataformas de suporte da formação à distância;  Identificar regras de formação através da internet;  Reconhecer a importância do e-formador/e-mediador no processo formativo a distância;  Identificar os mecanismos/softwares de comunicação Online;  Desenvolver uma formação utilizando as Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem para suporte de materiais.
  • 3. A Evolução da Internet Vivemos tempos de mudança… Os modelos tradicionais de ensino Estão a ser pressionados pela “net generation”!
  • 4. Ensino à Distância: breve história 1. Primeira geração de EAD – Ensino por correspondência 2. Segunda geração de EAD – Tele-ensino 3. Terceira geração de EAD – Serviços Telemáticos 4. Quarta geração de EAD – Comunidades Virtuais de Aprendizagem
  • 5. Da Web 1.0 para a Web 2.0  A primeira geração da internet, conhecida como Web 1.0 tinha como principal atributo a quantidade imensa de informação a que todos podiam aceder.  Web 2.0 é a mudança da internet para uma imensa plataforma onde qualquer utilizador pode ter o seu espaço online e publicar conteúdos.  A Web social emerge como a característica mais relevante da Web 2.0 possibilitando que a rede global seja usada de forma colaborativa, descentralizada da autoridade e em total liberdade.
  • 6. Da Web 1.0 para a Web 2.0
  • 7. Ensino à Distância … “num futuro próximo acontecerá uma mudança mais radical. O fim do “e” do e-learning”… (Rosenberg, 2001) e-learning m-learning b-learning d-learning
  • 8. Net-etiqueta A Net-etiqueta define todo o tipo de comportamento de um usuário dentro da Internet, nomeadamente na comunicação virtual: Não utilizar apenas as letras maiúsculas, isso significa gritar; Respeitar para ser respeitado;  Tratar os outros como gostamos que nos tratem; Usar os Smiles ou Emoticons para evitar mal entendidos;  Evitar comentários sobre sexo, religião e política, a menos que estes sejam os assuntos em discussão. Não expulsar alguém da conversa, por inconveniência; Não responder de forma agressiva, mesmo que sejam agressivos connosco. Afinal, pessoas inteligentes privilegiam os argumentos contra a falta deles... Apesar do ambiente virtual, não somos obrigados a suportar faltas de educação ou agressividade. e-mail: brevidade, objetividade, ter atenção aos anexos.
  • 9. Ensino à Distância: características da aprendizagem  Tutoriaativa  Interação  Percurso de aprendizagem individual ou em grupo  Conteúdos  Calendarização das tarefas e atividades  Momentos de avaliação diversos
  • 10. Ensino à Distância: Dimensões pedagógicas Pedagógica Institucional Tecnológica Ética e net- E-learning Interface etiqueta Apoio de Avaliação Recursos Gestão
  • 11. Ensino à Distância: Organização das Sessões Sessões Síncronas Sessões Assíncronas
  • 12. Ensino à Distância: Intervenientes Tutor Agentes da Coordenador Formando formação online Autor de conteúdos
  • 13. Ensino à Distância: Vantagens  Eliminar barreiras de espaço e tempo;  Eliminar o problema da dispersão geográfica;  Otimizar recursos com redução de custos;  Conciliar a aprendizagem com a vida;  Igualar oportunidades de formação;  Permitir ritmos de estudo diferenciados;  Métodos e formatos de trabalho mais abertos;
  • 14. Ensino à Distância: Vantagens (continuação)  Experiência e a familiarização com a tecnologia e com os novos serviços telemáticos;  Escolha do método de aprendizagem;  Permitir repetições sucessivas;  Conteúdos dos cursos mais adequados e atraentes;  Estimular a autoaprendizagem;  Aquisição contínua de novos conhecimentos.
  • 15. Ensino à Distância: Desvantagens
  • 16. Ensino à Distância: Desvantagens  Não proporcionar relação humana;  Não gerir reações imprevistas e imediatas;  Dificultar a automotivação;  Exigir alguns conhecimentos tecnológicos (informática e multimédia);  Enfrentar alguns obstáculos relacionados com a reduzida confiança neste tipo de estratégia;
  • 17. Ensino à Distância: Desvantagens (continuação)  Poder ser visto como um potencial inimigo das tradicionais deslocações ao centro de formação;  Problemas com a maturidade, a autodisciplina, o isolamento e a motivação;.  Exigir equipas multidisciplinares;  Dever ser utilizada para cursos de índole mais generalista e com menor componente prática;  Exigir elevados investimentos iniciais.
  • 18. Ensino à Distância: Mitos e Realidade  Para aprender é preciso assistir às explicações do professor.  É impossível captar a atenção do formando num ambiente de aprendizagem virtual  Conteúdos de autoaprendizagem contribuem pouco para o saber.  A internet é uma ferramenta inacessível à maior parte da população.  No e-learning não há como avaliar os resultados e controlar a aprendizagem.  O e-learning pode substituir a formação presencial.  O e-learning é mais fácil porque outra pessoa pode fazer os exercícios por mim  O e-learning não funciona na área comportamental.  Apenas adolescentes ficam tanto tempo na web. Os adultos, profissionais e estudantes, não têm esse hábito, sobretudo para aprender.  O e-learning requer um estrutura própria e custos elevados.  Os cursos online não têm qualidade nem reconhecimento.  . Em e-learning o formador tem menos trabalho.  No curso online perde-se a riqueza da interação e da socialização.  Para frequentar um curso online é necessário estar ligado à internet todo o dia.  O formador em e-learning tem que ser um especialista em informática.  O formador pode utilizar os mesmos materiais da formação presencial para a formação online.  Num curso e-learning sem sessões presenciais não é possível promover partilha e interação através de trabalhos em grupo.
  • 19. Ensino à Distância: Casos Academia MIT EnterTech Cisco Evolui Global
  • 20. Ensino à Distância: Retenção de conteúdos  Variar os tipos de conteúdos  Criar interatividade que promova a atenção  Fornecer feedback rapidamente  Promover interação entre formandos e formandos-formador
  • 21. Ensino à Distância: Ferramentas de construção de conteúdos LMS LCMS “Learning “Learning Content Management Management System” System”
  • 22. Ensino à Distância: Ferramentas de construção de conteúdos interativos LMS LCMS Moodle eXeLearning Adobe Visual iTutor Communicator Adobe ATutor Captivate LAMS Hot Potatoes Sakai Courselab
  • 23. Ensino à Distância: SCORM “Reference Model”: referências para normas existentes (AICC, IMS e IEEE LTSC). SCORM “Sharable Content Object Reference Model” : conjunto de especificações técnicas standard na área do software de e- “Sharable learning. Content Object” (SCO): Objeto de Aprendizagem reutilizável.
  • 24. Ensino à Distância: SCORM O SCORM tem como objetivos:  Padronizar o modo como os conteúdos se relacionam com os sistemas que os suportam;  Reutilizar os objetos de aprendizagem;  Flexibilizar a aprendizagem uma vez que podem ser construídos vários percursos de aprendizagem;  Portabilidade/migração ao permitir que os SCO’s sejam independentes da plataforma de e-learning ou do repositório utilizados. Os objetos de aprendizagem podem assim ser transportados entre ambientes de e-learning de diferentes instituições.
  • 25. A nossa relação com a aprendizagem e o conhecimento está a modificar-se!