SlideShare uma empresa Scribd logo
ABSOLUTISMO
     E
 EXPANSÃO
 MARÍTIMA
 EUROPÉIA.
FORMAÇÃO DOS ESTADOS
            NACIONAIS
• Séc. XIV - > Mudança política, surgem os
  Estados Nacionais Modernos.

  – Antes (Idade Média) a Europa era uma colcha de
    retalhos.
    • Impostos;
    • Moedas;
    • Cada feudo com seu exército particular.
FORMAÇÃO DOS ESTADOS
              NACIONAIS
• Fatores para a formação dos Estados:
  – A união Rei e Burguesia
     • O Feudalismo prejudicava os dois, então o rei “unificava o
       reino” com um bom exército patrocinado pela burguesia.
  – Crise Geral do Feudalismo
     • A Fome, a Peste e a Guerra.
  – Reforma Protestante;
     • Enfraqueceu o poder da Igreja Católica e fortaleceu a
       autoridade dos reis.
  – As Revoltas Camponesas;
     • Com o Estado Nacional nas mãos dos reis, teriam mais poder
       para contê-las.
ABSOLUTISMO MONÁRQUICO.
• Todo poder concentrado nas mãos do Rei.
ABSOLUTISMO MONÁRQUICO
• Teóricos do Absolutismo:
   – Filósofos que defendiam o absolutismo.
• Nicolau Maquiavel (1469-1527)
   – Livro: O príncipe.
   – Frase: “Os fins justificam os meios”.
   – significa que os governantes e outros poderes devem
     estar acima da ética e da moral dominante para
     alcançar seus objetivos ou realizar seus planos.
• Thomas Hobbes (1588-1679)
   – Livro: Leviatã.
   – Frase: “O homem é o Lobo do próprio homem”.
   – Os governados deveriam renunciar a todos os direitos
     em favor do monarca para que este acabasse com a
     agressividade humana.
ABSOLUTISMO MONÁRQUICO
• Jaques Bossuet (1627-1704)
   – Teoria do direito divino.
   – “O poder real emana de Deus”.


• Principais reis absolutistas:
• Luis XIV, o rei Sol (1661-1715).
   – França.
   – “O estado sou eu”.
• Rainha Elizabeth I (1558-1603).
   – Inglaterra.
   – Durante 45 anos de governo, convocou o parlamento
     apenas 13 vezes.
Mercantilismo:
• Conjunto de práticas econômicas adotadas
  pelos países absolutistas.
• Tinha como objetivo: organizar recursos para
  o Estado.
CARACTERISTICAS DO
                MERCANTILISMO:
• Característica básica: intervenção do Estado na economia.
• Protecionismo: restrições e proibições às mercadorias
  importadas e estímulo à exportação de produtos nacionais.

• Monopólio:
  – Concessão de monopólio à burguesia sobre a produção ou a
    venda de um produto, ou sobre produção ou sobre uma
    região.
  – No mercantilismo não existia concorrência, havia o
    monopólio colonial ou exclusivo colonial (a colônia só podia
    manter relações com a metrópole).

• Balança comercial Favorável:
   – O país deveria exportar mais do que importar, a fim de que a
     entrada de moeda fosse sempre
CARACTERISTICAS DO
               MERCANTILISMO:
• Metalismo:
  – A riqueza era dada pela capacidade de acumulação
    de metais preciosos que o Estado pudesse realizar.

• Sistema Colonial:
   – Peça chave da política mercantilista,       foram
     exploradas de diversas formas:
      •   Monoculturas (sistema plantation)
      •   Extrativismo mineral e vegetal;
      •   Consumo de manufaturas da metrópole;
      •   Comércio de escravos.
EXPANSÃO
MARÍTIMA
EUROPÉIA.
GUERRA DA RECONQUISTA.
• No ano de 711, a península Ibérica foi ocupada pelos
  árabes.

• A partir do século XI, começou a guerra da
  Reconquista.
   – Habitantes da região iniciaram a retomada do território.
   – A medida que conseguiam retomar, criavam novos estados
     (Aragão, Astúrias e Castela).

• 1479 = Casamento entre Isabel (rainha Castela e Leão)
  e Fernando (Rei de Aragão).
• 1492 = Expulsão definitiva dos mouros.
PORTUGAL... Hábeis navegadores..
• O Reino tem suas origens como um prêmio
  para a Família de Borgonha na lutas da
  Reconquista contra os mouros. O nome da
  região era Condado de Portucalense.

             Em 1139 o reino, já denominado
                 Portugal conquista sua
                    independência.
Geografia: de frente para o Mar!
Navegações...
• Inicialmente a navegação era voltada para a
  pesca.
• Distribuição do comércio de especiarias para o
  norte da Europa (via marítima) – associação
  com as cidades Italianas.
Revolução de Avis – 1383-1385
• Reis da dinastia de Borgonha conservadora +
  próxima dos grandes proprietários rurais.

                                        Sem
• 1383 = morte de D. Fernando I.        herdeiros.


             Boa parte da nobreza queria
             incorporar Portugal ao reino
             espanhol de Castela.
                                 Foi posto no Trono o D. João
Reação Popular + Burguesia       de Avis, irmão bastardo de D.
                                 Fernando, mais interessado
nacional.                        no comércio.
OS FINANCIADORES:
• BURGUESIA:
  – No final do século XIV, ganharam importância
    política e passaram a financiar viagens em busca
    de novas rotas comerciais.
PROJETO NAVAL PORTUGUÊS.
• O maior do século XV.
• Objetivo: a busca pelo caminho marítimo para
  as índias.
  – Buscar o caminho partindo pela rota
    Oriental, contornando o continente africano
    (périplo Africano).
ESCOLA DE SAGRES.
 Seria esta uma escola náutica lendária, fundada
 pelo infante D. Henrique no século XV.

• Teria servido para a preparação
  técnica dos navegadores e pilotos
  que estavam ao serviço do Infante,
  constando de sábios nacionais e
  estrangeiros     versados        em
  astronomia, geografia e cartografia
  que dedicavam o seu tempo a um
  apurado estudo de todas estas
  matérias e a inventar toda a sorte
  de instrumentos de mapear que
  pudessem vir a ser úteis à náutica.
Calicute



  PÉRIPLO AFRICANO
1415 – Tomada de
Ceuta.
1434– Gil Eanes cruza o
cabo do Bojador.
1488– Bartolomeu Dias
Chega ao Cabo das
Tormentas/ da Boa
Esperança.
1498 – Vasco da Gama
chega a Calicute.
PROJETO ESPANHOL
• Em fins do século XV, os reinos que formavam
  a Espanha reuniram-se, formando um estado
  unificado.
          Só possível pelo casamento dos reis católicos D.
          Fernando (Reino Aragão) e D. Isabel (Reino Castela)
          em1469.

• Após a união, até 1492, os espanhóis
  expulsaram os árabes que ocupavam o
  extremo sul da Espanha (região de Granada).
PROJETO ESPANHOL
• Objetivo: idealizado pelo navegador italiano
  Cristóvão Colombo, buscar um caminho
  marítimo para as Índias, navegando rumo ao
  Ocidente.
• Viajem: Colombo e seus homens (em três
  caravelas) partiram em Agosto de 1492.
  – chegaram três meses depois na Ilha das Bahamas
    (San Salvador).
VIAGEM DE COLOMBO - 1492.


                                      vídeo




Na noite de 3 de agosto de 1492, Colombo partiu de Palos de la Frontera, com três
navios:    uma      nau      maior,     Santa    María,    apelidada     Gallega,    e
duas caravelas menores, Pinta e Santa Clara, apelidada de Niña Colombo navegou
inicialmente para as ilhas Canárias, que eram propriedade da Castela, onde reabasteceu
as provisões e fez reparos. Em 6 de setembro, partiu de San Sebastián de la
Gomera para o que acabou por ser uma viagem de cinco semanas através do oceano.
A terra foi avistada às duas horas da manhã de 12 de outubro de 1492, por um
marinheiro chamado Rodrigo de Triana.
VIAGEM DE COLOMBO - 1492.
Por que América???
                                                            Isto não é a Índia!
                                                                 É um novo
                                                                continente!
                                                                 Em minha
                                                             homenagem, vai
                                 Chegamos em                     se chamar
                                 algumas Ilhas..                  América.
                                 Estamos perto
                                 das Índias...


   Cristóvão Colombo
       (1448-1506)

O      navegador     e   mercador
italiano, Américo Vespúcio, chegou
às terras americanas em 1504 e
constatou que estava em um novo
continente.      Pelas    riquezas       Américo Vespúcio
existentes no novo continente, os         (1454 – 1512)
espanhóis buscam explorá-lo.
Início da Exploração...
• Hernán Cortez invadiu a atual região do México e
  destruiu o Império Asteca.

• Francisco Pizarro fez o mesmo com os Incas, no
  Peru.

• Os Espanhóis saquearam esses impérios e
  arrancaram de lá quantidades inacreditáveis de
  ouro, prata e pedras preciosas, chamando a
  atenção da Europa para esse novo mundo. (Pág.
  10 apostila).
GRANDES NAVEGAÇÕES:
  PORTUGUESES E ESPANHÓIS SAEM NA FRENTE.

                     =

POSSUIAM UMA SÉRIE DE CONHECIMENTOS BÁSICOS

                     +

            TRADIÇÃO MARÍTIMA.
Em um século, portugueses e espanhóis contornaram a
África, chegaram à Ásia, “descobriram” a América e a
Oceania e deram a volta ao mundo”.
TRATADOS:
• Tratado de Toledo (1480): garantia a Portugal as terras
  a descobrir ao sul das ilhas canária, assegurando o
  interesse luso sobre as rotas do atlântico.

• Bula Inter Coetera (1493): domínio espanhol sobre
  terras que se encontrassem a oeste de um meridiano
  localizado a 100 léguas das ilhas de Cabo Verde.

• Tratado de Tordesilhas: (1494) Divisão do mundo.
  Terras até 370 léguas de Cabo Verde pertenceriam a
  Portugal. As terras além deste limite, seriam
  Espanholas.
Pedro Álvares Cabral: Descobridor ou
              Invasor?
• Dom Manuel, Rei de Portugal, decidiu enviar
  outra expedição para as Índias.
  – Conquista político-militar.
• 09 de março de 1500 partiu a expedição.
  – Dez naus.
  – Três caravelas.
  – 1200 homens.
• Duas hipóteses principais: Causal e da
  Intencionalidade.
Desembarque dos portugueses...




Oscar Pereira da Silva, Desembarque de Cabral em Porto Seguro.
Navegações inglesas, francesas e
            holandesas:
• Final do século XV, Inglaterra, França e
  Holanda começam a enviar expedições.

• Não realizaram grandes descobertas, mas
  chegaram ao Oriente e montaram colônias na
  América.

• Nos séculos XVI e XVII utilizaram a pirataria.
  Atividade altamente lucrativa.
Conseqüências da expansão
             marítima:
• Declínio das tradicionais rotas comerciais
  européias.
• Centro econômico da Europa deslocado para o
  Atlântico.
• Hábitos alimentares foram modificados.
• Na África, um esvaziamento demográfico.
• Surgiram novos instrumentos de crédito (notas
  promissórias, cheques...)
• A navegação oceânica ficou mais rápida e segura.
O planeta tornou-se mais conhecido.
• A valorização das ciências e tecnologias
  consolidou ainda mais a superioridade técnica
  e militar da Europa diante das outras
  civilizações e permitiu-lhe impor-se ao
  mundo.


                     vídeo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Crescente fértil
Crescente fértilCrescente fértil
Crescente fértil
Murilo Benevides
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Edenilson Morais
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 201501 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
Rafael Noronha
 
Roma
RomaRoma
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
Marcia Fernandes
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
Henrique Tobal Jr.
 
História (Roma)
História (Roma)História (Roma)
História (Roma)
Giorgia Marrone
 
Absolutismo 4
Absolutismo 4Absolutismo 4
Absolutismo 4
Jorge Basílio
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
carlosbidu
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
Eduard Henry
 
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º AnoOs Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Nefer19
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Munis Pedro
 
Povos bárbaros
Povos bárbarosPovos bárbaros
Povos bárbaros
Profernanda
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
Daniel Alves Bronstrup
 
A crise no império romano
A crise no império romanoA crise no império romano
A crise no império romano
Nilton Silva Jardim Junior
 
Idade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e FeudalismoIdade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Paulo Alexandre
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
Edenilson Morais
 
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaInvasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
Fatima Freitas
 
Guerra da cisplatina
Guerra da cisplatinaGuerra da cisplatina
Guerra da cisplatina
Lorena-Cerbino
 

Mais procurados (20)

Crescente fértil
Crescente fértilCrescente fértil
Crescente fértil
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 201501 história   rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
01 história rafael - roma antiga - super revisão - 6º ano 2015
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 
História (Roma)
História (Roma)História (Roma)
História (Roma)
 
Absolutismo 4
Absolutismo 4Absolutismo 4
Absolutismo 4
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º AnoOs Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
 
Povos bárbaros
Povos bárbarosPovos bárbaros
Povos bárbaros
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
A crise no império romano
A crise no império romanoA crise no império romano
A crise no império romano
 
Idade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e FeudalismoIdade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
 
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaInvasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
 
Guerra da cisplatina
Guerra da cisplatinaGuerra da cisplatina
Guerra da cisplatina
 

Destaque

Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
edna2
 
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismoExpansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
vr1a2011
 
Monarquias nacionais, absolutismo e Expansão Marítima
Monarquias nacionais, absolutismo e Expansão MarítimaMonarquias nacionais, absolutismo e Expansão Marítima
Monarquias nacionais, absolutismo e Expansão Marítima
Naiani Fenalti
 
2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial
Daniel Alves Bronstrup
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas - InglaterraRevoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Daniel Alves Bronstrup
 
2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha
Daniel Alves Bronstrup
 
1ºano - Renascimento Cultural
1ºano - Renascimento Cultural1ºano - Renascimento Cultural
1ºano - Renascimento Cultural
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano revolução francesa - parte 1
2º ano   revolução francesa - parte 12º ano   revolução francesa - parte 1
2º ano revolução francesa - parte 1
Daniel Alves Bronstrup
 
2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa
2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa
2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa
Daniel Alves Bronstrup
 
Aula expansão marítima
Aula expansão marítimaAula expansão marítima
Aula expansão marítima
seixasmarianas
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
Daniel Alves Bronstrup
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Claudenilson da Silva
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
Daniel Alves Bronstrup
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
Isabel Aguiar
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
victorjunio82
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
Daniel Alves Bronstrup
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
Niela Tuani
 
Grandes navegações dos séculos XV e XVI
Grandes navegações dos séculos XV e XVIGrandes navegações dos séculos XV e XVI
Grandes navegações dos séculos XV e XVI
Beth Paes
 
A Expansão marítima
A Expansão marítimaA Expansão marítima
A Expansão marítima
cattonia
 

Destaque (20)

Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismoExpansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
 
Monarquias nacionais, absolutismo e Expansão Marítima
Monarquias nacionais, absolutismo e Expansão MarítimaMonarquias nacionais, absolutismo e Expansão Marítima
Monarquias nacionais, absolutismo e Expansão Marítima
 
2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial
 
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas - InglaterraRevoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
 
2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha
 
1ºano - Renascimento Cultural
1ºano - Renascimento Cultural1ºano - Renascimento Cultural
1ºano - Renascimento Cultural
 
2º ano revolução francesa - parte 1
2º ano   revolução francesa - parte 12º ano   revolução francesa - parte 1
2º ano revolução francesa - parte 1
 
2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa
2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa
2ºano - Brasil colônia parte 2 - movimentos contra a coroa
 
Aula expansão marítima
Aula expansão marítimaAula expansão marítima
Aula expansão marítima
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítima
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c3° ano   Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
3° ano Brasil colônia - aula 1 e 2 - apostila 1 c
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
 
Grandes navegações dos séculos XV e XVI
Grandes navegações dos séculos XV e XVIGrandes navegações dos séculos XV e XVI
Grandes navegações dos séculos XV e XVI
 
A Expansão marítima
A Expansão marítimaA Expansão marítima
A Expansão marítima
 

Semelhante a 1º ano expansão marítima européia e absolutismo

1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
RobsonCamposdeAbreu
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
Nilton Sá
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Expansaomaritimaeuropeia
ExpansaomaritimaeuropeiaExpansaomaritimaeuropeia
Expansaomaritimaeuropeia
Alessandro Varela Dos Santos
 
Expansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 anoExpansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 ano
Gilvan Aragão
 
Plano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmpPlano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmp
Péricles Penuel
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
Colonização da América Espanhola
Colonização da América EspanholaColonização da América Espanhola
Colonização da América Espanhola
Edenilson Morais
 
Expansão maritima
Expansão maritimaExpansão maritima
Expansão maritima
Vinicius Oliveira Amaral
 
2 navegacoes
2 navegacoes2 navegacoes
2 navegacoes
Paulo Alexandre
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
asgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdf
asgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdfasgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdf
asgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdf
CamilaAmorim64
 
Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
Julia Selistre
 
Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
Julia Selistre
 
Expansão ultramarina
Expansão ultramarinaExpansão ultramarina
Expansão ultramarina
Fatima Freitas
 
Mercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão UltramarinaMercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão Ultramarina
Auxiliadora
 
Apresentação grandes navegações tmp
Apresentação grandes navegações tmpApresentação grandes navegações tmp
Apresentação grandes navegações tmp
Péricles Penuel
 
2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola
Paulo Alexandre
 
Cópia de Grandes Navegações II -2021 (1).ppt
Cópia de Grandes Navegações II -2021 (1).pptCópia de Grandes Navegações II -2021 (1).ppt
Cópia de Grandes Navegações II -2021 (1).ppt
DanielyRibeiroDosSan
 
Portugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - DescobrimentosPortugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - Descobrimentos
131121
 

Semelhante a 1º ano expansão marítima européia e absolutismo (20)

1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
1ano-expansomartimaeuropiaeabsolutismo-121025211657-phpapp01.pptx
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2017)
 
Expansaomaritimaeuropeia
ExpansaomaritimaeuropeiaExpansaomaritimaeuropeia
Expansaomaritimaeuropeia
 
Expansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 anoExpansão maritima 4 ano
Expansão maritima 4 ano
 
Plano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmpPlano grandes navegações tmp
Plano grandes navegações tmp
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
 
Colonização da América Espanhola
Colonização da América EspanholaColonização da América Espanhola
Colonização da América Espanhola
 
Expansão maritima
Expansão maritimaExpansão maritima
Expansão maritima
 
2 navegacoes
2 navegacoes2 navegacoes
2 navegacoes
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
 
asgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdf
asgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdfasgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdf
asgrandesnavegacoes-181023185127 (1).pdf
 
Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
 
Expansão mapas
Expansão mapasExpansão mapas
Expansão mapas
 
Expansão ultramarina
Expansão ultramarinaExpansão ultramarina
Expansão ultramarina
 
Mercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão UltramarinaMercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão Ultramarina
 
Apresentação grandes navegações tmp
Apresentação grandes navegações tmpApresentação grandes navegações tmp
Apresentação grandes navegações tmp
 
2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola2 conquista america espanhola
2 conquista america espanhola
 
Cópia de Grandes Navegações II -2021 (1).ppt
Cópia de Grandes Navegações II -2021 (1).pptCópia de Grandes Navegações II -2021 (1).ppt
Cópia de Grandes Navegações II -2021 (1).ppt
 
Portugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - DescobrimentosPortugal no século XV - Descobrimentos
Portugal no século XV - Descobrimentos
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
Daniel Alves Bronstrup
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
Daniel Alves Bronstrup
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
Daniel Alves Bronstrup
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Daniel Alves Bronstrup
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
Daniel Alves Bronstrup
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Daniel Alves Bronstrup
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
Daniel Alves Bronstrup
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais de Daniel Alves Bronstrup (20)

Idade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptxIdade media - Feudalismo.pptx
Idade media - Feudalismo.pptx
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
 
2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas2º ano - Período Regencial e Revoltas
2º ano - Período Regencial e Revoltas
 
2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa2ºano - Revolução Francesa
2ºano - Revolução Francesa
 
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E IDEOLOGIAS DO SEC. XIX.
 
2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira2ano - Inconfidência Mineira
2ano - Inconfidência Mineira
 
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
Brasil Colônia: Ciclo do Ouro.
 
2º ano - iluminismo
2º ano -  iluminismo2º ano -  iluminismo
2º ano - iluminismo
 
1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia1º ano E.M. - Mesopotâmia
1º ano E.M. - Mesopotâmia
 
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
Resumão do 3ão -  Alta Idade MédiaResumão do 3ão -  Alta Idade Média
Resumão do 3ão - Alta Idade Média
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
 
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
3ºano - Revolução Industrial e Ideologias do Séc. XIX
 
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
3º ano Revolução Francesa e outros movimentos franceses.
 
3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial3º ano Período Regencial
3º ano Período Regencial
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
 
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
3º ano - Mineração, expansão territorial e escravidão.
 
3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana 3º ano - Civilização Romana
3º ano - Civilização Romana
 

1º ano expansão marítima européia e absolutismo

  • 1. ABSOLUTISMO E EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPÉIA.
  • 2. FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS • Séc. XIV - > Mudança política, surgem os Estados Nacionais Modernos. – Antes (Idade Média) a Europa era uma colcha de retalhos. • Impostos; • Moedas; • Cada feudo com seu exército particular.
  • 3. FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS • Fatores para a formação dos Estados: – A união Rei e Burguesia • O Feudalismo prejudicava os dois, então o rei “unificava o reino” com um bom exército patrocinado pela burguesia. – Crise Geral do Feudalismo • A Fome, a Peste e a Guerra. – Reforma Protestante; • Enfraqueceu o poder da Igreja Católica e fortaleceu a autoridade dos reis. – As Revoltas Camponesas; • Com o Estado Nacional nas mãos dos reis, teriam mais poder para contê-las.
  • 4. ABSOLUTISMO MONÁRQUICO. • Todo poder concentrado nas mãos do Rei.
  • 5. ABSOLUTISMO MONÁRQUICO • Teóricos do Absolutismo: – Filósofos que defendiam o absolutismo. • Nicolau Maquiavel (1469-1527) – Livro: O príncipe. – Frase: “Os fins justificam os meios”. – significa que os governantes e outros poderes devem estar acima da ética e da moral dominante para alcançar seus objetivos ou realizar seus planos. • Thomas Hobbes (1588-1679) – Livro: Leviatã. – Frase: “O homem é o Lobo do próprio homem”. – Os governados deveriam renunciar a todos os direitos em favor do monarca para que este acabasse com a agressividade humana.
  • 6. ABSOLUTISMO MONÁRQUICO • Jaques Bossuet (1627-1704) – Teoria do direito divino. – “O poder real emana de Deus”. • Principais reis absolutistas: • Luis XIV, o rei Sol (1661-1715). – França. – “O estado sou eu”. • Rainha Elizabeth I (1558-1603). – Inglaterra. – Durante 45 anos de governo, convocou o parlamento apenas 13 vezes.
  • 7. Mercantilismo: • Conjunto de práticas econômicas adotadas pelos países absolutistas. • Tinha como objetivo: organizar recursos para o Estado.
  • 8. CARACTERISTICAS DO MERCANTILISMO: • Característica básica: intervenção do Estado na economia. • Protecionismo: restrições e proibições às mercadorias importadas e estímulo à exportação de produtos nacionais. • Monopólio: – Concessão de monopólio à burguesia sobre a produção ou a venda de um produto, ou sobre produção ou sobre uma região. – No mercantilismo não existia concorrência, havia o monopólio colonial ou exclusivo colonial (a colônia só podia manter relações com a metrópole). • Balança comercial Favorável: – O país deveria exportar mais do que importar, a fim de que a entrada de moeda fosse sempre
  • 9. CARACTERISTICAS DO MERCANTILISMO: • Metalismo: – A riqueza era dada pela capacidade de acumulação de metais preciosos que o Estado pudesse realizar. • Sistema Colonial: – Peça chave da política mercantilista, foram exploradas de diversas formas: • Monoculturas (sistema plantation) • Extrativismo mineral e vegetal; • Consumo de manufaturas da metrópole; • Comércio de escravos.
  • 11. GUERRA DA RECONQUISTA. • No ano de 711, a península Ibérica foi ocupada pelos árabes. • A partir do século XI, começou a guerra da Reconquista. – Habitantes da região iniciaram a retomada do território. – A medida que conseguiam retomar, criavam novos estados (Aragão, Astúrias e Castela). • 1479 = Casamento entre Isabel (rainha Castela e Leão) e Fernando (Rei de Aragão). • 1492 = Expulsão definitiva dos mouros.
  • 12.
  • 13. PORTUGAL... Hábeis navegadores.. • O Reino tem suas origens como um prêmio para a Família de Borgonha na lutas da Reconquista contra os mouros. O nome da região era Condado de Portucalense. Em 1139 o reino, já denominado Portugal conquista sua independência.
  • 14. Geografia: de frente para o Mar!
  • 15. Navegações... • Inicialmente a navegação era voltada para a pesca. • Distribuição do comércio de especiarias para o norte da Europa (via marítima) – associação com as cidades Italianas.
  • 16. Revolução de Avis – 1383-1385 • Reis da dinastia de Borgonha conservadora + próxima dos grandes proprietários rurais. Sem • 1383 = morte de D. Fernando I. herdeiros. Boa parte da nobreza queria incorporar Portugal ao reino espanhol de Castela. Foi posto no Trono o D. João Reação Popular + Burguesia de Avis, irmão bastardo de D. Fernando, mais interessado nacional. no comércio.
  • 17. OS FINANCIADORES: • BURGUESIA: – No final do século XIV, ganharam importância política e passaram a financiar viagens em busca de novas rotas comerciais.
  • 18. PROJETO NAVAL PORTUGUÊS. • O maior do século XV. • Objetivo: a busca pelo caminho marítimo para as índias. – Buscar o caminho partindo pela rota Oriental, contornando o continente africano (périplo Africano).
  • 19. ESCOLA DE SAGRES. Seria esta uma escola náutica lendária, fundada pelo infante D. Henrique no século XV. • Teria servido para a preparação técnica dos navegadores e pilotos que estavam ao serviço do Infante, constando de sábios nacionais e estrangeiros versados em astronomia, geografia e cartografia que dedicavam o seu tempo a um apurado estudo de todas estas matérias e a inventar toda a sorte de instrumentos de mapear que pudessem vir a ser úteis à náutica.
  • 20. Calicute PÉRIPLO AFRICANO 1415 – Tomada de Ceuta. 1434– Gil Eanes cruza o cabo do Bojador. 1488– Bartolomeu Dias Chega ao Cabo das Tormentas/ da Boa Esperança. 1498 – Vasco da Gama chega a Calicute.
  • 21. PROJETO ESPANHOL • Em fins do século XV, os reinos que formavam a Espanha reuniram-se, formando um estado unificado. Só possível pelo casamento dos reis católicos D. Fernando (Reino Aragão) e D. Isabel (Reino Castela) em1469. • Após a união, até 1492, os espanhóis expulsaram os árabes que ocupavam o extremo sul da Espanha (região de Granada).
  • 22. PROJETO ESPANHOL • Objetivo: idealizado pelo navegador italiano Cristóvão Colombo, buscar um caminho marítimo para as Índias, navegando rumo ao Ocidente. • Viajem: Colombo e seus homens (em três caravelas) partiram em Agosto de 1492. – chegaram três meses depois na Ilha das Bahamas (San Salvador).
  • 23. VIAGEM DE COLOMBO - 1492. vídeo Na noite de 3 de agosto de 1492, Colombo partiu de Palos de la Frontera, com três navios: uma nau maior, Santa María, apelidada Gallega, e duas caravelas menores, Pinta e Santa Clara, apelidada de Niña Colombo navegou inicialmente para as ilhas Canárias, que eram propriedade da Castela, onde reabasteceu as provisões e fez reparos. Em 6 de setembro, partiu de San Sebastián de la Gomera para o que acabou por ser uma viagem de cinco semanas através do oceano. A terra foi avistada às duas horas da manhã de 12 de outubro de 1492, por um marinheiro chamado Rodrigo de Triana.
  • 24. VIAGEM DE COLOMBO - 1492.
  • 25. Por que América??? Isto não é a Índia! É um novo continente! Em minha homenagem, vai Chegamos em se chamar algumas Ilhas.. América. Estamos perto das Índias... Cristóvão Colombo (1448-1506) O navegador e mercador italiano, Américo Vespúcio, chegou às terras americanas em 1504 e constatou que estava em um novo continente. Pelas riquezas Américo Vespúcio existentes no novo continente, os (1454 – 1512) espanhóis buscam explorá-lo.
  • 26. Início da Exploração... • Hernán Cortez invadiu a atual região do México e destruiu o Império Asteca. • Francisco Pizarro fez o mesmo com os Incas, no Peru. • Os Espanhóis saquearam esses impérios e arrancaram de lá quantidades inacreditáveis de ouro, prata e pedras preciosas, chamando a atenção da Europa para esse novo mundo. (Pág. 10 apostila).
  • 27. GRANDES NAVEGAÇÕES: PORTUGUESES E ESPANHÓIS SAEM NA FRENTE. = POSSUIAM UMA SÉRIE DE CONHECIMENTOS BÁSICOS + TRADIÇÃO MARÍTIMA.
  • 28. Em um século, portugueses e espanhóis contornaram a África, chegaram à Ásia, “descobriram” a América e a Oceania e deram a volta ao mundo”.
  • 29. TRATADOS: • Tratado de Toledo (1480): garantia a Portugal as terras a descobrir ao sul das ilhas canária, assegurando o interesse luso sobre as rotas do atlântico. • Bula Inter Coetera (1493): domínio espanhol sobre terras que se encontrassem a oeste de um meridiano localizado a 100 léguas das ilhas de Cabo Verde. • Tratado de Tordesilhas: (1494) Divisão do mundo. Terras até 370 léguas de Cabo Verde pertenceriam a Portugal. As terras além deste limite, seriam Espanholas.
  • 30.
  • 31.
  • 32. Pedro Álvares Cabral: Descobridor ou Invasor? • Dom Manuel, Rei de Portugal, decidiu enviar outra expedição para as Índias. – Conquista político-militar. • 09 de março de 1500 partiu a expedição. – Dez naus. – Três caravelas. – 1200 homens. • Duas hipóteses principais: Causal e da Intencionalidade.
  • 33. Desembarque dos portugueses... Oscar Pereira da Silva, Desembarque de Cabral em Porto Seguro.
  • 34. Navegações inglesas, francesas e holandesas: • Final do século XV, Inglaterra, França e Holanda começam a enviar expedições. • Não realizaram grandes descobertas, mas chegaram ao Oriente e montaram colônias na América. • Nos séculos XVI e XVII utilizaram a pirataria. Atividade altamente lucrativa.
  • 35. Conseqüências da expansão marítima: • Declínio das tradicionais rotas comerciais européias. • Centro econômico da Europa deslocado para o Atlântico. • Hábitos alimentares foram modificados. • Na África, um esvaziamento demográfico. • Surgiram novos instrumentos de crédito (notas promissórias, cheques...) • A navegação oceânica ficou mais rápida e segura.
  • 36. O planeta tornou-se mais conhecido. • A valorização das ciências e tecnologias consolidou ainda mais a superioridade técnica e militar da Europa diante das outras civilizações e permitiu-lhe impor-se ao mundo. vídeo