SlideShare uma empresa Scribd logo
MAR PORTUGUÊS
Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.
in Mensagem, de Fernando Pessoa
O INFANTE
Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma.
E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.
Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!
in Mensagem, de Fernando Pessoa
Horizonte
Ó mar anterior a nós, teus medos
Tinham coral e praias e arvoredos.
Desvendadas a noite e a cerração,
As tormentas passadas e o mistério,
Abria em flor o Longe, e o Sul sidério
‘Splendia sobre as naus da iniciação.
Linha severa da longínqua costa –
Quando a nau se aproxima ergue-se a encosta
Em árvores onde o Longe nada tinha;
Mais perto, abre-se a terra em sons e cores:
E, no desembarcar, há aves, flores,
Onde era só, de longe a abstracta linha.
O sonho é ver as formas invisíveis
Da distância imprecisa, e, com sensíveis
Movimentos da esp’rança e da vontade,
Buscar na linha fria do horizonte
A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte –
Os beijos merecidos da Verdade.
in Mensagem, de Fernando Pessoa
OS COLOMBOS
Outros haverão de ter
O que houvermos de perder.
Outros poderão achar
O que, no nosso encontrar,
Foi achado, ou não achado,
Segundo o destino dado.
Mas o que a eles não toca
É a Magia que evoca
O Longe e faz dele história.
E por isso a sua glória
É justa auréola dada
Por uma luz emprestada.
in Mensagem, de Fernando Pessoa
PADRÃO
O esforço é grande e o homem é pequeno.
Eu, Diogo Cão, navegador, deixei
Este padrão ao pé do areal moreno
E para diante naveguei.
A alma é divina e a obra é imperfeita.
Este padrão sinala ao vento e aos céus
Que, da obra ousada, é minha a parte feita:
O por-fazer é só com Deus.
E ao imenso e possível oceano
Ensinam estas Quinas, que aqui vês,
Que o mar com fim será grego ou romano:
O mar sem fim é português.
E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma
E faz a febre em mim de navegar
Só encontrará de Deus na eterna calma
O porto sempre por achar.
in Mensagem, de Fernando Pessoa
PRECE
Senhor, a noite veio e a alma é vil.
Tanta foi a tormenta e a vontade!
Restam-nos hoje, no silencio hostil,
O mar universal e a saudade.
Mas a chama, que a vida em nós criou,
Se ainda há vida ainda não é finda.
O frio morto em cinzas a ocultou:
A mão do vento pode erguê-la ainda.
Dá o sopro, a aragem – ou desgraça ou ânsia –,
Com que a chama do esforço se remoça,
E outra vez conquistemos a Distância –
Do mar ou outra, mas que seja nossa!
in Mensagem, de Fernando Pessoa
Sónia Schmorantz

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31
luisprista
 
O que significa caralho
O que significa caralhoO que significa caralho
O que significa caralho
Mensagens Virtuais
 
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
QSEJAETERNO
 
E Do Caralho
E Do CaralhoE Do Caralho
E Do Caralho
Capacete
 
Vários significados de Caralho
Vários significados de CaralhoVários significados de Caralho
Vários significados de Caralho
Filipe di Filippo
 
Amigo do caralho
Amigo do caralhoAmigo do caralho
Amigo do caralho
Bruno Dinardi
 
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
Nuno Costa
 
3 paragem todos aler_junho2015_final
3 paragem todos aler_junho2015_final3 paragem todos aler_junho2015_final
3 paragem todos aler_junho2015_final
filofrei
 
Ok
OkOk
Os Lusíadas O Velho do Restelo - IV Canto
Os Lusíadas   O Velho do Restelo -  IV CantoOs Lusíadas   O Velho do Restelo -  IV Canto
Os Lusíadas O Velho do Restelo - IV Canto
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 

Mais procurados (12)

ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 31
 
O que significa caralho
O que significa caralhoO que significa caralho
O que significa caralho
 
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
 
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
 
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
 
E Do Caralho
E Do CaralhoE Do Caralho
E Do Caralho
 
Vários significados de Caralho
Vários significados de CaralhoVários significados de Caralho
Vários significados de Caralho
 
Amigo do caralho
Amigo do caralhoAmigo do caralho
Amigo do caralho
 
Caralho
CaralhoCaralho
Caralho
 
3 paragem todos aler_junho2015_final
3 paragem todos aler_junho2015_final3 paragem todos aler_junho2015_final
3 paragem todos aler_junho2015_final
 
Ok
OkOk
Ok
 
Os Lusíadas O Velho do Restelo - IV Canto
Os Lusíadas   O Velho do Restelo -  IV CantoOs Lusíadas   O Velho do Restelo -  IV Canto
Os Lusíadas O Velho do Restelo - IV Canto
 

Destaque

Origem do teatro / Vida e Obra de Gil Vicente
Origem do teatro / Vida e Obra de Gil VicenteOrigem do teatro / Vida e Obra de Gil Vicente
Origem do teatro / Vida e Obra de Gil Vicente
João Duarte
 
Gil Vicente
Gil VicenteGil Vicente
Gil Vicente
Cláudia Heloísa
 
Vida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil VicenteVida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil Vicente
Tiago Barata
 
Gil vicente ok
Gil vicente okGil vicente ok
Gil vicente ok
Claudia Lazarini
 
Gil vicente
Gil vicenteGil vicente
Gil vicente
Vanda Marques
 
Caderno poemas
Caderno poemasCaderno poemas
Caderno poemas
be_age_mdouro
 
Interpretação de um soneto de bocage
Interpretação de um soneto de bocageInterpretação de um soneto de bocage
Interpretação de um soneto de bocage
Profmaria
 
Trabalho sobre gil vicente
Trabalho sobre gil vicenteTrabalho sobre gil vicente
Trabalho sobre gil vicente
paulafidalgo
 
Poemas concurso de leitura 2013 14 1
Poemas concurso de leitura 2013 14 1Poemas concurso de leitura 2013 14 1
Poemas concurso de leitura 2013 14 1
Zaara Miranda
 
Mural na eb irene lisboa
Mural na eb irene lisboaMural na eb irene lisboa
Mural na eb irene lisboa
Biblioteca IreneLisboa
 
C:\José Gomes Ferreira
C:\José Gomes Ferreira C:\José Gomes Ferreira
C:\José Gomes Ferreira
Rosário Cunha
 
Caderno poemas português
Caderno poemas portuguêsCaderno poemas português
Caderno poemas português
Biblioteca Esbocage
 
Biografia De Gil Vicente
Biografia De Gil VicenteBiografia De Gil Vicente
Biografia De Gil Vicente
silvateresa
 
Barca bela
Barca belaBarca bela
Gil vicente
Gil vicente Gil vicente
Gil vicente
Paula Oliveira Cruz
 
Gil vicente
Gil vicenteGil vicente
Gil vicente
gran94
 
Teatro vicentino
Teatro vicentinoTeatro vicentino
Teatro vicentino
Myarony Domingos
 
Gil Vicente - a vida e obra
Gil Vicente - a vida e obraGil Vicente - a vida e obra
Gil Vicente - a vida e obra
Rosalina Simão Nunes
 
Analise de poemas
Analise de poemasAnalise de poemas
Analise de poemas
Paula CAA
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
Helena Coutinho
 

Destaque (20)

Origem do teatro / Vida e Obra de Gil Vicente
Origem do teatro / Vida e Obra de Gil VicenteOrigem do teatro / Vida e Obra de Gil Vicente
Origem do teatro / Vida e Obra de Gil Vicente
 
Gil Vicente
Gil VicenteGil Vicente
Gil Vicente
 
Vida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil VicenteVida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil Vicente
 
Gil vicente ok
Gil vicente okGil vicente ok
Gil vicente ok
 
Gil vicente
Gil vicenteGil vicente
Gil vicente
 
Caderno poemas
Caderno poemasCaderno poemas
Caderno poemas
 
Interpretação de um soneto de bocage
Interpretação de um soneto de bocageInterpretação de um soneto de bocage
Interpretação de um soneto de bocage
 
Trabalho sobre gil vicente
Trabalho sobre gil vicenteTrabalho sobre gil vicente
Trabalho sobre gil vicente
 
Poemas concurso de leitura 2013 14 1
Poemas concurso de leitura 2013 14 1Poemas concurso de leitura 2013 14 1
Poemas concurso de leitura 2013 14 1
 
Mural na eb irene lisboa
Mural na eb irene lisboaMural na eb irene lisboa
Mural na eb irene lisboa
 
C:\José Gomes Ferreira
C:\José Gomes Ferreira C:\José Gomes Ferreira
C:\José Gomes Ferreira
 
Caderno poemas português
Caderno poemas portuguêsCaderno poemas português
Caderno poemas português
 
Biografia De Gil Vicente
Biografia De Gil VicenteBiografia De Gil Vicente
Biografia De Gil Vicente
 
Barca bela
Barca belaBarca bela
Barca bela
 
Gil vicente
Gil vicente Gil vicente
Gil vicente
 
Gil vicente
Gil vicenteGil vicente
Gil vicente
 
Teatro vicentino
Teatro vicentinoTeatro vicentino
Teatro vicentino
 
Gil Vicente - a vida e obra
Gil Vicente - a vida e obraGil Vicente - a vida e obra
Gil Vicente - a vida e obra
 
Analise de poemas
Analise de poemasAnalise de poemas
Analise de poemas
 
Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 

Semelhante a Fernando pessoa mensagem

Mar Português
Mar PortuguêsMar Português
Mar Português
Ana Cruz
 
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Ana Cristina Matias
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima
Lú Carvalho
 
Final De Curso
Final De CursoFinal De Curso
Final De Curso
guest614bbd
 
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
AndreiaFilipa63
 
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.pptAnálise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Sandra Pina
 
Mensagem, Fernando Pessoa
Mensagem, Fernando PessoaMensagem, Fernando Pessoa
Mensagem, Fernando Pessoa
beatrizpereiraaa
 
8_mar_portugues (1).pptx
8_mar_portugues (1).pptx8_mar_portugues (1).pptx
8_mar_portugues (1).pptx
anasimoes49
 
Mensagem de Fernando Pessoa
Mensagem de Fernando Pessoa Mensagem de Fernando Pessoa
Mensagem de fernando pessoa
Mensagem de fernando pessoaMensagem de fernando pessoa
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante""Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
VniaRodrigues30
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Seduc/AM
 
Fernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdfFernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdf
JeanLima84
 
Mar português e velho do restelo
Mar português e velho do resteloMar português e velho do restelo
Mar português e velho do restelo
Maria Hogan Teves
 
Mensagem fernando pessoa
Mensagem   fernando pessoaMensagem   fernando pessoa
Mensagem fernando pessoa
Leandro Doras
 
Mensagem fernando pessoa
Mensagem fernando pessoaMensagem fernando pessoa
Mensagem fernando pessoa
prof_daniela
 
Mar na literatura
Mar na literaturaMar na literatura
Mar na literatura
Maria Paredes
 
Português
PortuguêsPortuguês
Português
Karyn XP
 
"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis
"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis
"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis
FilipeReis48
 
Ainda nao e o fim
Ainda nao e o fimAinda nao e o fim
Ainda nao e o fim
Fer Nanda
 

Semelhante a Fernando pessoa mensagem (20)

Mar Português
Mar PortuguêsMar Português
Mar Português
 
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
Comemoração dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique - Mensagem, de Ferna...
 
Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima  Contexto e fatores da expansão marítima
Contexto e fatores da expansão marítima
 
Final De Curso
Final De CursoFinal De Curso
Final De Curso
 
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
Poemas de Mensagem ( O infante) ( Prece)
 
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.pptAnálise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
Análise do poema "O Infante", de Fernando Pessoa.ppt
 
Mensagem, Fernando Pessoa
Mensagem, Fernando PessoaMensagem, Fernando Pessoa
Mensagem, Fernando Pessoa
 
8_mar_portugues (1).pptx
8_mar_portugues (1).pptx8_mar_portugues (1).pptx
8_mar_portugues (1).pptx
 
Mensagem de Fernando Pessoa
Mensagem de Fernando Pessoa Mensagem de Fernando Pessoa
Mensagem de Fernando Pessoa
 
Mensagem de fernando pessoa
Mensagem de fernando pessoaMensagem de fernando pessoa
Mensagem de fernando pessoa
 
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante""Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Fernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdfFernando Pessoa- Mensagens.pdf
Fernando Pessoa- Mensagens.pdf
 
Mar português e velho do restelo
Mar português e velho do resteloMar português e velho do restelo
Mar português e velho do restelo
 
Mensagem fernando pessoa
Mensagem   fernando pessoaMensagem   fernando pessoa
Mensagem fernando pessoa
 
Mensagem fernando pessoa
Mensagem fernando pessoaMensagem fernando pessoa
Mensagem fernando pessoa
 
Mar na literatura
Mar na literaturaMar na literatura
Mar na literatura
 
Português
PortuguêsPortuguês
Português
 
"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis
"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis
"Mar Português" e " Ascensão de Vasco da Gama" por Filipe Reis
 
Ainda nao e o fim
Ainda nao e o fimAinda nao e o fim
Ainda nao e o fim
 

Mais de Maria Manuela Torres Paredes

Concurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdf
Concurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdfConcurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdf
Concurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdf
Maria Manuela Torres Paredes
 
EM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docxEM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docx
Maria Manuela Torres Paredes
 
EM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docxEM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docx
Maria Manuela Torres Paredes
 
Food Campaign for Ukraine.2.ppsx
Food Campaign for Ukraine.2.ppsxFood Campaign for Ukraine.2.ppsx
Food Campaign for Ukraine.2.ppsx
Maria Manuela Torres Paredes
 
ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptxALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
Maria Manuela Torres Paredes
 
Au revoir les enfants.pptx
Au revoir les enfants.pptxAu revoir les enfants.pptx
Au revoir les enfants.pptx
Maria Manuela Torres Paredes
 
2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
Maria Manuela Torres Paredes
 
1. Au revoir les enfants.pptx
1. Au revoir les enfants.pptx1. Au revoir les enfants.pptx
1. Au revoir les enfants.pptx
Maria Manuela Torres Paredes
 
Literacia dos média fake news
Literacia dos média   fake newsLiteracia dos média   fake news
Literacia dos média fake news
Maria Manuela Torres Paredes
 
Ohomemqueplantavarvores iv e v caps
Ohomemqueplantavarvores  iv e v capsOhomemqueplantavarvores  iv e v caps
Ohomemqueplantavarvores iv e v caps
Maria Manuela Torres Paredes
 
Ohomemqueplantavarvores ii e iii caps
Ohomemqueplantavarvores  ii e iii capsOhomemqueplantavarvores  ii e iii caps
Ohomemqueplantavarvores ii e iii caps
Maria Manuela Torres Paredes
 
Página de um diário melody
Página de um diário   melodyPágina de um diário   melody
Página de um diário melody
Maria Manuela Torres Paredes
 
Avaliação da fluência da leitura e compreensão do texto
Avaliação da fluência da leitura e compreensão do textoAvaliação da fluência da leitura e compreensão do texto
Avaliação da fluência da leitura e compreensão do texto
Maria Manuela Torres Paredes
 
Ficha de trabalho e conto integral
Ficha de trabalho e conto integralFicha de trabalho e conto integral
Ficha de trabalho e conto integral
Maria Manuela Torres Paredes
 
Ficha de trabalho - As emoções
Ficha de trabalho - As emoçõesFicha de trabalho - As emoções
Ficha de trabalho - As emoções
Maria Manuela Torres Paredes
 
A menina do chapelinho vermelho
 A menina do chapelinho vermelho A menina do chapelinho vermelho
A menina do chapelinho vermelho
Maria Manuela Torres Paredes
 
Os sapatinhos encantados
Os sapatinhos encantadosOs sapatinhos encantados
Os sapatinhos encantados
Maria Manuela Torres Paredes
 
Jogo de memória
Jogo de memóriaJogo de memória
Avaliação fluência e compreensão da leitura
Avaliação fluência e compreensão da leituraAvaliação fluência e compreensão da leitura
Avaliação fluência e compreensão da leitura
Maria Manuela Torres Paredes
 
O rapaz do caixote de madeira
O rapaz do caixote de madeiraO rapaz do caixote de madeira
O rapaz do caixote de madeira
Maria Manuela Torres Paredes
 

Mais de Maria Manuela Torres Paredes (20)

Concurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdf
Concurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdfConcurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdf
Concurso-Nacional-de-Leitura-Regulamento-interno-2022-2023.pdf
 
EM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docxEM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docx
 
EM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docxEM BUSCA DE PAZ.docx
EM BUSCA DE PAZ.docx
 
Food Campaign for Ukraine.2.ppsx
Food Campaign for Ukraine.2.ppsxFood Campaign for Ukraine.2.ppsx
Food Campaign for Ukraine.2.ppsx
 
ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptxALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
 
Au revoir les enfants.pptx
Au revoir les enfants.pptxAu revoir les enfants.pptx
Au revoir les enfants.pptx
 
2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
2. ALISTADESCHINDLER_PPTFINAL.pptx
 
1. Au revoir les enfants.pptx
1. Au revoir les enfants.pptx1. Au revoir les enfants.pptx
1. Au revoir les enfants.pptx
 
Literacia dos média fake news
Literacia dos média   fake newsLiteracia dos média   fake news
Literacia dos média fake news
 
Ohomemqueplantavarvores iv e v caps
Ohomemqueplantavarvores  iv e v capsOhomemqueplantavarvores  iv e v caps
Ohomemqueplantavarvores iv e v caps
 
Ohomemqueplantavarvores ii e iii caps
Ohomemqueplantavarvores  ii e iii capsOhomemqueplantavarvores  ii e iii caps
Ohomemqueplantavarvores ii e iii caps
 
Página de um diário melody
Página de um diário   melodyPágina de um diário   melody
Página de um diário melody
 
Avaliação da fluência da leitura e compreensão do texto
Avaliação da fluência da leitura e compreensão do textoAvaliação da fluência da leitura e compreensão do texto
Avaliação da fluência da leitura e compreensão do texto
 
Ficha de trabalho e conto integral
Ficha de trabalho e conto integralFicha de trabalho e conto integral
Ficha de trabalho e conto integral
 
Ficha de trabalho - As emoções
Ficha de trabalho - As emoçõesFicha de trabalho - As emoções
Ficha de trabalho - As emoções
 
A menina do chapelinho vermelho
 A menina do chapelinho vermelho A menina do chapelinho vermelho
A menina do chapelinho vermelho
 
Os sapatinhos encantados
Os sapatinhos encantadosOs sapatinhos encantados
Os sapatinhos encantados
 
Jogo de memória
Jogo de memóriaJogo de memória
Jogo de memória
 
Avaliação fluência e compreensão da leitura
Avaliação fluência e compreensão da leituraAvaliação fluência e compreensão da leitura
Avaliação fluência e compreensão da leitura
 
O rapaz do caixote de madeira
O rapaz do caixote de madeiraO rapaz do caixote de madeira
O rapaz do caixote de madeira
 

Fernando pessoa mensagem

  • 1. MAR PORTUGUÊS Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu. in Mensagem, de Fernando Pessoa
  • 2. O INFANTE Deus quer, o homem sonha, a obra nasce. Deus quis que a terra fosse toda uma, Que o mar unisse, já não separasse. Sagrou-te, e foste desvendando a espuma. E a orla branca foi de ilha em continente, Clareou, correndo, até ao fim do mundo, E viu-se a terra inteira, de repente, Surgir, redonda, do azul profundo. Quem te sagrou criou-te português. Do mar e nós em ti nos deu sinal. Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez. Senhor, falta cumprir-se Portugal! in Mensagem, de Fernando Pessoa
  • 3. Horizonte Ó mar anterior a nós, teus medos Tinham coral e praias e arvoredos. Desvendadas a noite e a cerração, As tormentas passadas e o mistério, Abria em flor o Longe, e o Sul sidério ‘Splendia sobre as naus da iniciação. Linha severa da longínqua costa – Quando a nau se aproxima ergue-se a encosta Em árvores onde o Longe nada tinha; Mais perto, abre-se a terra em sons e cores: E, no desembarcar, há aves, flores, Onde era só, de longe a abstracta linha. O sonho é ver as formas invisíveis Da distância imprecisa, e, com sensíveis Movimentos da esp’rança e da vontade, Buscar na linha fria do horizonte A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte – Os beijos merecidos da Verdade. in Mensagem, de Fernando Pessoa
  • 4. OS COLOMBOS Outros haverão de ter O que houvermos de perder. Outros poderão achar O que, no nosso encontrar, Foi achado, ou não achado, Segundo o destino dado. Mas o que a eles não toca É a Magia que evoca O Longe e faz dele história. E por isso a sua glória É justa auréola dada Por uma luz emprestada. in Mensagem, de Fernando Pessoa
  • 5. PADRÃO O esforço é grande e o homem é pequeno. Eu, Diogo Cão, navegador, deixei Este padrão ao pé do areal moreno E para diante naveguei. A alma é divina e a obra é imperfeita. Este padrão sinala ao vento e aos céus Que, da obra ousada, é minha a parte feita: O por-fazer é só com Deus. E ao imenso e possível oceano Ensinam estas Quinas, que aqui vês, Que o mar com fim será grego ou romano: O mar sem fim é português. E a Cruz ao alto diz que o que me há na alma E faz a febre em mim de navegar Só encontrará de Deus na eterna calma O porto sempre por achar. in Mensagem, de Fernando Pessoa
  • 6. PRECE Senhor, a noite veio e a alma é vil. Tanta foi a tormenta e a vontade! Restam-nos hoje, no silencio hostil, O mar universal e a saudade. Mas a chama, que a vida em nós criou, Se ainda há vida ainda não é finda. O frio morto em cinzas a ocultou: A mão do vento pode erguê-la ainda. Dá o sopro, a aragem – ou desgraça ou ânsia –, Com que a chama do esforço se remoça, E outra vez conquistemos a Distância – Do mar ou outra, mas que seja nossa! in Mensagem, de Fernando Pessoa Sónia Schmorantz