SlideShare uma empresa Scribd logo
LISTA 01 – QUIMICA.
“Não importa o quão devagar você vá, desde que você não pare”
Confúcio
1. (UFF-RJ) Assinale a opção que apresenta
apenas substâncias simples:
a) H2, Cl2, N2, CH4
b) MgCl2, H2O, H2O2, CCl4
c) Na2O, NaCl, H2, O2
d) CCl4, H2O, Cl2, HCl
e) H2, Cl2, O2, N2
2. Qual das alternativas abaixo apresenta
somente substâncias compostas:
a) N2, P4, S8.
b) CO, He, NH3.
c) CO2, H2O, C6H12O6.
d) N2, O3, H2O.
e) H2O, I2, Cl2
3. (UFSM) Considere as misturas:
I. areia e água
II. sangue
III. água e acetona
IV. iodo dissolvido em álcool etílico
Classificam-se como homogêneas:
a) apenas I e II.
b) apenas I e III.
c) apenas II e IV.
d) apenas III e IV.
e) apenas I, II e III.
4. (Ufes) Em um sistema, bem misturado,
constituído de areia, sal, açúcar, água e
gasolina, o número de fases é:
a) 2
b) 3
c) 4
d) 5
e) 6
5. (UGF-GO) No sistema representado pela
figura a seguir, os números de fases e
componentes são, respectivamente:
a) 2 e 2
b) 2 e 3
c) 3 e 2
d) 3 e 3
e) 3 e 4
6. (Univali-SC) Resfriando-se
progressivamente água destilada, quando
começar a passagem do estado líquido
para o sólido, a temperatura:
a) permanecerá constante,nquanto houver
líquido presente.
b) permanecerá constante, sendo igual ao
ponto de condensação da substância.
c) diminuirá gradativamente.
d) permanecerá constante, mesmo depois de
todo líquidodesaparecer.
e) aumentará gradativamente.
7. (Vunesp) O naftaleno, comercialmente
conhecido comonaftalina, empregado para
evitar baratas em roupas, fundeem
temperaturas superiores a 80 °C. Sabe-se
que bolinhasde naftalina, à temperatura
ambiente, têm suasmassas
constantemente diminuídas, terminando
por desaparecersem deixar resíduo. Essa
observação pode serexplicada pelo
fenômeno da:
a) fusão.
b) sublimação.
c) solidificação.
d) liquefação.
e) ebulição.
8. (UCDB-MS) Uma substância sólida é
aquecida continuamente.O gráfico a
seguir mostra a variação da
temperatura(ordenada) com o tempo
(abscissa):
O ponto de fusão, o ponto de
ebulição e o tempo duran- éter
etílico.te o qual a substância
permanece no estado líquido
são,respectivamente:
a) 150, 65 e5
b) 65, 150 e 5
c) 65, 150 e 25
d) 65, 150 e 10
e) 150, 65 e 25
9. (UFPA) Dado o diagrama de aquecimento
de ummaterial:
A alternativa correta é:
a) o diagrama representa o aquecimento de
uma substânciapura.
b) a temperatura no tempo zero representa o
aquecimentode um líquido.
c) 210 °C é a temperatura de fusão do
material.
d) a transformação de X para Y é um
fenômeno químico.
e) 80 °C é a temperatura de fusão do
material.
10. (Mackenzie-SP)
Pela análise dos dados da tabela, medidos a
1atm,podemos afirmar que, à temperatura de
40 °C e 1 atm:
a) o éter e o etanol encontram-se na fase
gasosa.
b) o éter encontra-se na fase gasosa e o
etanol nafase líquida.
c) ambos encontram-se na fase líquida.
d) o éter encontra-se na fase líquida e o
etanol nafase gasosa.
e) ambos encontram-se na fase sólida
11. (Cesgranrio-RJ) Um cientista recebeu
uma substância desconhecida,no estado
sólido, para ser analisada. O gráficoabaixo
representa o processo de aquecimento de
umaamostra dessa substância.
Analisando o gráfico, podemos concluir que a
amostraapresenta:
a) duração da ebulição de 10 min.
b) duração da fusão de 40 min.
c) ponto de fusão de 40 °C.
d) ponto de fusão de 70 °C.
e) ponto de ebulição de 50 °C.
12. (Mackenzie-SP) As fases de agregação
para as substânciasabaixo, quando
expostas a uma temperatura de 30
°C,são, respectivamente:
a) sólido, líquido, gasoso e líquido.
b) líquido, sólido, líquido e gasoso.
c) líquido, gasoso, líquido e sólido.
d) gasoso, líquido, gasoso e sólido.
e) sólido, gasoso, líquido e gasoso.
13. O cientista Ernest Rutherford, baseando-
se em experimentos com radioatividade.
propôs um modelo atômico, conforme
imagem abaixo.
Usando os conhecimentos sobre o
modelo atômico, marque a alternatica
que apresenta corretamente os nomes
das regiões I e II e da partícula
III, respectivamente:
I II III
a
)
eletrosfe
ra
nucleo eletro
n
b
)
nucleo eletrosfe
ra
eletro
n
c
)
eletron neutron proton
d
)
nucleo eletrosfe
ra
proton
e
)
eletrosfe
ra
nucleo neutro
n
14. (UFPI) O sulfeto de zinco (ZnS) tem a
propriedade denominada fosforescência,
capaz de emitir um brilho amarelo esverdeado
depois de exposto à luz. Analise as
afirmativas abaixo, todas relativas ao ZnS, e
indique a opção correta:
a) salto de núcleos provoca fosforescência.
b) salto de nêutrons provoca fosforescência.
c) salto de elétrons provoca fosforescência.
d) elétrons que absorvem fótons aproximam-
se do núcleo.
e) ao apagar a luz, os elétrons adquirem
maior conteúdo
energético.
15. (UFRGS-RS) crianças é colecionar figurinhas
que brilham no escuro. Essas figuras
apresentam em sua constituição a substância
sulfeto de zinco.O fenômeno ocorre porque
alguns elétrons que compõem os átomos
dessa substância absorvem energia luminosa
e saltam para níveis de energia mais
externos. No escuro, esses elétrons retornam
aos seus níveis de origem, liberando energia
luminosa e fazendo a figurinha brilhar. Essa
característica pode ser explicada
considerando o modelo atômico proposto por:
a) Dalton.
c) Lavoisier.
e) Bohr.
b) Thomson.
d) Rutherford
16. (FMTM-MG) Fogos de artíficio utilizam sais de
diferentes íons metálicos misturados com um
material explosivo. Quando incendiados,
emitem diferentes colorações. Por exemplo:
sais de sódio emitem cor amarela, de bário,
cor verde e de cobre, cor azul. Essas cores
são produzidas quando os elétrons excitados
dos íons metálicos retornam para níveis de
menor energia. O modelo atômico mais
adequado para explicar esse fenômeno é o
modelo de:
a) Rutherford
d) Dalton
b) Rutherford-Bohr
e) Millikan
c) Thomson
17. (Pucrs) O átomo, na visão de Thomson, é
constituído de
a) níveis e subníveis de energia.
b) cargas positivas e negativas.
c) núcleo e eletrosfera.
d) grandes espaços vazios.
e) orbitais.
18. UFG GO) Em um determinado momento
histórico, o modelo atômico vigente e que
explicava parte da constituição da matéria
considerava que o átomo era composto de
um núcleo com carga positiva. Ao redor
deste, haviam partículas negativas
uniformemente distribuídas. A experiência
investigativa que levou à proposição desse
modelo foi aquela na qual
a) realizou-se uma série de descargas
elétricas em tubos de gases rarefeitos.
b) determinou-se as leis ponderais das
combinações químicas.
c) analisou-se espectros atômicos com
emissão de luz com cores características para
cada elemento.
d) caracterizou-se estudos sobre
radioatividade e dispersão e reflexão de
partículas alfa.
e) providenciou-se a resolução de uma
equação para determinação dos níveis de
energia da camada eletrônica.
19. (PUC RS)
Leia o texto a seguir.
A aceitação histórica da ideia de que a
matéria é composta de átomos foi lenta e
gradual. Na Grécia antiga, Leucipo e
Demócrito são lembrados por terem introdu-
zido o conceito de átomo, mas suas
propostas foram rejeitadas por outros filósofos
e caíram no esquecimento. No final do século
XVIII e início do século XIX, quando as ideias
de Lavoisier ganhavam aceitação
generalizada, surgiu a primeira
teoria atômica moderna, proposta
por _______. Essa teoria postulava que os
elementos eram constituídos de um único tipo
de átomo, enquanto que as substâncias
compostas eram combinações de diferentes
átomos segundo proporções determinadas.
Quase cem anos depois, estudos com raios
catódicos levaram J. J. Thomson à
descoberta do _______, uma partícula de
massa muito pequena e carga elétrica
_______, presente em todos os materiais
conhecidos. Alguns anos depois, por meio de
experimentos em que uma fina folha de ouro
foi bombardeada com partículas alfa,
Rutherford chegou à conclusão de que o
átomo possui em seu centro um _______
pequeno, porém de massa considerável.
As palavras que preenchem as lacunas
correta e respectivamente estão reunidas em
a) Dalton – elétron – negativa – núcleo
b) Bohr – cátion – positiva – elétron
c) Dalton – nêutron – neutra – próton
d) Bohr – fóton – negativa – ânion
e) Dalton – próton – positiva – núcleo
20. (UNICAMP SP) Glow sticks ou light sticks são
pequenos tubos plásticos utilizados em festas
por causa da luz que eles emitem. Ao serem
pressionados, ocorre uma mistura de
peróxido de hidrogênio com um éster
orgânico e um corante. Com o tempo, o
peróxido e o éster vão reagindo, liberando
energia que excita o corante, que está em
excesso. O corante excitado, ao voltar para a
condição não excitada, emite luz. Quanto
maior a quantidade de moléculas excitadas,
mais intensa é a luz emitida. Esse processo é
contínuo, enquanto o dispositivo funciona.
Com base no conhecimento químico, é
possível afirmar que o funcionamento do
dispositivo, numa temperatura mais baixa,
mostrará uma luz
a) mais intensa e de menor duração que
numa temperatura mais alta.
b) mais intensa e de maior duração que numa
temperatura mais alta.
c) menos intensa e de maior duração que
numa temperatura mais alta.
d) menos intensa e de menor duração que
numa temperatura mais alta.
21. (UPE PE) Um laboratório brasileiro
desenvolveu uma técnica destinada à
identificação da origem de “balas perdidas”,
comuns nos confrontos entre policiais e
bandidos. Trata-se de uma munição especial,
fabricada com a adição de corantes
fluorescentes, visíveis apenas sob luz
ultravioleta. Ao se disparar a arma carregada
com essa munição, são liberados os
pigmentos no atirador, no alvo e em tudo o
que atravessar, permitindo rastrear a trajetória
do tiro.
Qual dos modelos atômicos a seguir oferece
melhores fundamentos para a escolha de um
equipamento a ser utilizado na busca por
evidências dos vestígios desse tipo de bala?
a) Modelo de Dalton.
b) Modelo de Thompson.
c) Modelo de Rutherford-Bohr.
d) Modelo de Dalton-Thompson.
e) Modelo de Rutherford- Thompson.
22. ((Unifor-CE) Dentre as espécies químicas:
as que representam átomos cujos núcleos
possuem 6 nêutronssão:
23. (UFMA) Em um átomo com 22 elétrons e
26 nêutrons,seu número atômico e
número de massa são,respectivamente:
a) 22 e 26
b) 48 e 22
c) 26 e 48
d) 22 e 48
e) 26 e 22
24. (Mackenzie-SP) O número de prótons, de
elétrons e de nêutrons do átomo 17Cl35
é,
respectivamente:
a) 17, 17, 18
b) 17, 18, 18
c) 52, 35, 17
d) 35, 17, 18
e) 17, 35, 35

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercícios - ref. Aulas 1 a 5
Exercícios - ref. Aulas 1 a 5Exercícios - ref. Aulas 1 a 5
Exercícios - ref. Aulas 1 a 5
Maiquel Vieira
 
Pucmg2007
Pucmg2007Pucmg2007
Pucmg2007
Junior Dou
 
Dependência de química 1ª ano do ensino médio
Dependência de química 1ª ano do ensino médioDependência de química 1ª ano do ensino médio
Dependência de química 1ª ano do ensino médio
Escola Pública/Particular
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Ap quimica modulo 01 exercicios
Ap quimica modulo 01 exerciciosAp quimica modulo 01 exercicios
Ap quimica modulo 01 exercicios
comentada
 
Atividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 anoAtividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 ano
Escola Pública/Particular
 
Aula 01 química
Aula 01   químicaAula 01   química
Aula 01 química
Karina Novaes
 
Gabarito da segunda avaliação
Gabarito da segunda avaliaçãoGabarito da segunda avaliação
Gabarito da segunda avaliação
professoraludmila
 
Claudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabarito
Claudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabaritoClaudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabarito
Claudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabarito
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3
Maiquel Vieira
 
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Lista de vestibulares 03
Lista de vestibulares 03Lista de vestibulares 03
Lista de vestibulares 03
Leonardo Carneiro
 
1osimulado propriedades
1osimulado propriedades1osimulado propriedades
1osimulado propriedades
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Profª Rosana
 
Estrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiro
Estrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiroEstrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiro
Estrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiro
Flavio Monteiro
 
Revisão 1ano
Revisão 1anoRevisão 1ano
Revisão 1ano
borisnunes
 
Introducao a quimica
Introducao a quimicaIntroducao a quimica
Introducao a quimica
Camila Naianna Chan
 

Mais procurados (18)

Exercícios - ref. Aulas 1 a 5
Exercícios - ref. Aulas 1 a 5Exercícios - ref. Aulas 1 a 5
Exercícios - ref. Aulas 1 a 5
 
Pucmg2007
Pucmg2007Pucmg2007
Pucmg2007
 
Dependência de química 1ª ano do ensino médio
Dependência de química 1ª ano do ensino médioDependência de química 1ª ano do ensino médio
Dependência de química 1ª ano do ensino médio
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
 
Ap quimica modulo 01 exercicios
Ap quimica modulo 01 exerciciosAp quimica modulo 01 exercicios
Ap quimica modulo 01 exercicios
 
Atividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 anoAtividade progressão parcial 3 ano
Atividade progressão parcial 3 ano
 
Aula 01 química
Aula 01   químicaAula 01   química
Aula 01 química
 
Gabarito da segunda avaliação
Gabarito da segunda avaliaçãoGabarito da segunda avaliação
Gabarito da segunda avaliação
 
Claudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabarito
Claudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabaritoClaudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabarito
Claudiacinara exercíciosrevisão 08072013_gabarito
 
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 1, 2 e 3
 
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
 
Lista de vestibulares 03
Lista de vestibulares 03Lista de vestibulares 03
Lista de vestibulares 03
 
1osimulado propriedades
1osimulado propriedades1osimulado propriedades
1osimulado propriedades
 
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
Unidade5 2012 csa_v2_gabarit_op171a175
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
 
Estrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiro
Estrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiroEstrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiro
Estrutura atômica aula 01 etjrs_2015_1ºano_prof. flavio monteiro
 
Revisão 1ano
Revisão 1anoRevisão 1ano
Revisão 1ano
 
Introducao a quimica
Introducao a quimicaIntroducao a quimica
Introducao a quimica
 

Semelhante a Lista 01 quimica

Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
ExercciosderevisoparaavaliaosuplementarExercciosderevisoparaavaliaosuplementar
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Exercícios de revisão para avaliação suplementar
Exercícios de revisão para avaliação suplementarExercícios de revisão para avaliação suplementar
Exercícios de revisão para avaliação suplementar
Claudia Cinara Braga
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTARGABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
Claudia Cinara Braga
 
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTARGABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
Claudia Cinara Braga
 
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela PeriódicaLista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Hebertty Dantas
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Leonardo Carneiro
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Leonardo Carneiro
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Leonardo Carneiro
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Leonardo Carneiro
 
Meterial de férias 3º
Meterial de férias 3ºMeterial de férias 3º
Meterial de férias 3º
profronaldopompeu
 
Meterial de férias 3º
Meterial de férias 3ºMeterial de férias 3º
Meterial de férias 3º
profronaldopompeu
 
Exercicios gerais
Exercicios geraisExercicios gerais
Exercicios gerais
SEED
 
Revisão: átomos e moléculas
Revisão: átomos e moléculasRevisão: átomos e moléculas
Revisão: átomos e moléculas
Estude Mais
 
Exercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsx
Exercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsxExercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsx
Exercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsx
TomMendona
 
Modelos+atã micos
Modelos+atã micosModelos+atã micos
Modelos+atã micos
Marcela Villa
 
1º ano
1º ano1º ano
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
lista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COClista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COC
Rodrigo Sampaio
 
Aula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicosAula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicos
Colegio CMC
 

Semelhante a Lista 01 quimica (20)

Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
ExercciosderevisoparaavaliaosuplementarExercciosderevisoparaavaliaosuplementar
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar
 
Exercícios de revisão para avaliação suplementar
Exercícios de revisão para avaliação suplementarExercícios de revisão para avaliação suplementar
Exercícios de revisão para avaliação suplementar
 
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabaritoExercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
Exercciosderevisoparaavaliaosuplementar gabarito
 
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTARGABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
 
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTARGABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
GABARITO EXERCÍCIOS SUPLEMENTAR
 
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela PeriódicaLista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
Lista de Exercícios: Distribuição Eletrônica e Tabela Periódica
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
 
Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1Lista de exercícios básicos para simulado 1
Lista de exercícios básicos para simulado 1
 
Meterial de férias 3º
Meterial de férias 3ºMeterial de férias 3º
Meterial de férias 3º
 
Meterial de férias 3º
Meterial de férias 3ºMeterial de férias 3º
Meterial de férias 3º
 
Exercicios gerais
Exercicios geraisExercicios gerais
Exercicios gerais
 
Revisão: átomos e moléculas
Revisão: átomos e moléculasRevisão: átomos e moléculas
Revisão: átomos e moléculas
 
Exercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsx
Exercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsxExercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsx
Exercícios Olimpíadas 14.03.2022.ppsx
 
Modelos+atã micos
Modelos+atã micosModelos+atã micos
Modelos+atã micos
 
1º ano
1º ano1º ano
1º ano
 
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
Unidade6 a 2014_csa_v3_gabaritop269a275
 
lista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COClista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COC
 
Aula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicosAula 4 modelos atômicos
Aula 4 modelos atômicos
 

Último

28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
adequacaocontabil
 

Último (20)

28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
 

Lista 01 quimica

  • 1. LISTA 01 – QUIMICA. “Não importa o quão devagar você vá, desde que você não pare” Confúcio 1. (UFF-RJ) Assinale a opção que apresenta apenas substâncias simples: a) H2, Cl2, N2, CH4 b) MgCl2, H2O, H2O2, CCl4 c) Na2O, NaCl, H2, O2 d) CCl4, H2O, Cl2, HCl e) H2, Cl2, O2, N2 2. Qual das alternativas abaixo apresenta somente substâncias compostas: a) N2, P4, S8. b) CO, He, NH3. c) CO2, H2O, C6H12O6. d) N2, O3, H2O. e) H2O, I2, Cl2 3. (UFSM) Considere as misturas: I. areia e água II. sangue III. água e acetona IV. iodo dissolvido em álcool etílico Classificam-se como homogêneas: a) apenas I e II. b) apenas I e III. c) apenas II e IV. d) apenas III e IV. e) apenas I, II e III. 4. (Ufes) Em um sistema, bem misturado, constituído de areia, sal, açúcar, água e gasolina, o número de fases é: a) 2 b) 3 c) 4 d) 5 e) 6 5. (UGF-GO) No sistema representado pela figura a seguir, os números de fases e componentes são, respectivamente: a) 2 e 2 b) 2 e 3 c) 3 e 2 d) 3 e 3 e) 3 e 4 6. (Univali-SC) Resfriando-se progressivamente água destilada, quando começar a passagem do estado líquido para o sólido, a temperatura: a) permanecerá constante,nquanto houver líquido presente. b) permanecerá constante, sendo igual ao ponto de condensação da substância. c) diminuirá gradativamente. d) permanecerá constante, mesmo depois de todo líquidodesaparecer. e) aumentará gradativamente. 7. (Vunesp) O naftaleno, comercialmente conhecido comonaftalina, empregado para evitar baratas em roupas, fundeem temperaturas superiores a 80 °C. Sabe-se que bolinhasde naftalina, à temperatura ambiente, têm suasmassas constantemente diminuídas, terminando por desaparecersem deixar resíduo. Essa observação pode serexplicada pelo fenômeno da: a) fusão. b) sublimação. c) solidificação. d) liquefação. e) ebulição. 8. (UCDB-MS) Uma substância sólida é aquecida continuamente.O gráfico a seguir mostra a variação da temperatura(ordenada) com o tempo (abscissa): O ponto de fusão, o ponto de ebulição e o tempo duran- éter etílico.te o qual a substância
  • 2. permanece no estado líquido são,respectivamente: a) 150, 65 e5 b) 65, 150 e 5 c) 65, 150 e 25 d) 65, 150 e 10 e) 150, 65 e 25 9. (UFPA) Dado o diagrama de aquecimento de ummaterial: A alternativa correta é: a) o diagrama representa o aquecimento de uma substânciapura. b) a temperatura no tempo zero representa o aquecimentode um líquido. c) 210 °C é a temperatura de fusão do material. d) a transformação de X para Y é um fenômeno químico. e) 80 °C é a temperatura de fusão do material. 10. (Mackenzie-SP) Pela análise dos dados da tabela, medidos a 1atm,podemos afirmar que, à temperatura de 40 °C e 1 atm: a) o éter e o etanol encontram-se na fase gasosa. b) o éter encontra-se na fase gasosa e o etanol nafase líquida. c) ambos encontram-se na fase líquida. d) o éter encontra-se na fase líquida e o etanol nafase gasosa. e) ambos encontram-se na fase sólida 11. (Cesgranrio-RJ) Um cientista recebeu uma substância desconhecida,no estado sólido, para ser analisada. O gráficoabaixo representa o processo de aquecimento de umaamostra dessa substância. Analisando o gráfico, podemos concluir que a amostraapresenta: a) duração da ebulição de 10 min. b) duração da fusão de 40 min. c) ponto de fusão de 40 °C. d) ponto de fusão de 70 °C. e) ponto de ebulição de 50 °C. 12. (Mackenzie-SP) As fases de agregação para as substânciasabaixo, quando expostas a uma temperatura de 30 °C,são, respectivamente: a) sólido, líquido, gasoso e líquido. b) líquido, sólido, líquido e gasoso. c) líquido, gasoso, líquido e sólido. d) gasoso, líquido, gasoso e sólido. e) sólido, gasoso, líquido e gasoso. 13. O cientista Ernest Rutherford, baseando- se em experimentos com radioatividade. propôs um modelo atômico, conforme imagem abaixo. Usando os conhecimentos sobre o modelo atômico, marque a alternatica que apresenta corretamente os nomes das regiões I e II e da partícula III, respectivamente: I II III
  • 3. a ) eletrosfe ra nucleo eletro n b ) nucleo eletrosfe ra eletro n c ) eletron neutron proton d ) nucleo eletrosfe ra proton e ) eletrosfe ra nucleo neutro n 14. (UFPI) O sulfeto de zinco (ZnS) tem a propriedade denominada fosforescência, capaz de emitir um brilho amarelo esverdeado depois de exposto à luz. Analise as afirmativas abaixo, todas relativas ao ZnS, e indique a opção correta: a) salto de núcleos provoca fosforescência. b) salto de nêutrons provoca fosforescência. c) salto de elétrons provoca fosforescência. d) elétrons que absorvem fótons aproximam- se do núcleo. e) ao apagar a luz, os elétrons adquirem maior conteúdo energético. 15. (UFRGS-RS) crianças é colecionar figurinhas que brilham no escuro. Essas figuras apresentam em sua constituição a substância sulfeto de zinco.O fenômeno ocorre porque alguns elétrons que compõem os átomos dessa substância absorvem energia luminosa e saltam para níveis de energia mais externos. No escuro, esses elétrons retornam aos seus níveis de origem, liberando energia luminosa e fazendo a figurinha brilhar. Essa característica pode ser explicada considerando o modelo atômico proposto por: a) Dalton. c) Lavoisier. e) Bohr. b) Thomson. d) Rutherford 16. (FMTM-MG) Fogos de artíficio utilizam sais de diferentes íons metálicos misturados com um material explosivo. Quando incendiados, emitem diferentes colorações. Por exemplo: sais de sódio emitem cor amarela, de bário, cor verde e de cobre, cor azul. Essas cores são produzidas quando os elétrons excitados dos íons metálicos retornam para níveis de menor energia. O modelo atômico mais adequado para explicar esse fenômeno é o modelo de: a) Rutherford d) Dalton b) Rutherford-Bohr e) Millikan c) Thomson 17. (Pucrs) O átomo, na visão de Thomson, é constituído de a) níveis e subníveis de energia. b) cargas positivas e negativas. c) núcleo e eletrosfera. d) grandes espaços vazios. e) orbitais. 18. UFG GO) Em um determinado momento histórico, o modelo atômico vigente e que explicava parte da constituição da matéria considerava que o átomo era composto de um núcleo com carga positiva. Ao redor deste, haviam partículas negativas uniformemente distribuídas. A experiência investigativa que levou à proposição desse modelo foi aquela na qual a) realizou-se uma série de descargas elétricas em tubos de gases rarefeitos. b) determinou-se as leis ponderais das combinações químicas. c) analisou-se espectros atômicos com emissão de luz com cores características para cada elemento. d) caracterizou-se estudos sobre radioatividade e dispersão e reflexão de partículas alfa. e) providenciou-se a resolução de uma equação para determinação dos níveis de energia da camada eletrônica. 19. (PUC RS) Leia o texto a seguir. A aceitação histórica da ideia de que a matéria é composta de átomos foi lenta e gradual. Na Grécia antiga, Leucipo e Demócrito são lembrados por terem introdu- zido o conceito de átomo, mas suas propostas foram rejeitadas por outros filósofos e caíram no esquecimento. No final do século XVIII e início do século XIX, quando as ideias de Lavoisier ganhavam aceitação generalizada, surgiu a primeira teoria atômica moderna, proposta
  • 4. por _______. Essa teoria postulava que os elementos eram constituídos de um único tipo de átomo, enquanto que as substâncias compostas eram combinações de diferentes átomos segundo proporções determinadas. Quase cem anos depois, estudos com raios catódicos levaram J. J. Thomson à descoberta do _______, uma partícula de massa muito pequena e carga elétrica _______, presente em todos os materiais conhecidos. Alguns anos depois, por meio de experimentos em que uma fina folha de ouro foi bombardeada com partículas alfa, Rutherford chegou à conclusão de que o átomo possui em seu centro um _______ pequeno, porém de massa considerável. As palavras que preenchem as lacunas correta e respectivamente estão reunidas em a) Dalton – elétron – negativa – núcleo b) Bohr – cátion – positiva – elétron c) Dalton – nêutron – neutra – próton d) Bohr – fóton – negativa – ânion e) Dalton – próton – positiva – núcleo 20. (UNICAMP SP) Glow sticks ou light sticks são pequenos tubos plásticos utilizados em festas por causa da luz que eles emitem. Ao serem pressionados, ocorre uma mistura de peróxido de hidrogênio com um éster orgânico e um corante. Com o tempo, o peróxido e o éster vão reagindo, liberando energia que excita o corante, que está em excesso. O corante excitado, ao voltar para a condição não excitada, emite luz. Quanto maior a quantidade de moléculas excitadas, mais intensa é a luz emitida. Esse processo é contínuo, enquanto o dispositivo funciona. Com base no conhecimento químico, é possível afirmar que o funcionamento do dispositivo, numa temperatura mais baixa, mostrará uma luz a) mais intensa e de menor duração que numa temperatura mais alta. b) mais intensa e de maior duração que numa temperatura mais alta. c) menos intensa e de maior duração que numa temperatura mais alta. d) menos intensa e de menor duração que numa temperatura mais alta. 21. (UPE PE) Um laboratório brasileiro desenvolveu uma técnica destinada à identificação da origem de “balas perdidas”, comuns nos confrontos entre policiais e bandidos. Trata-se de uma munição especial, fabricada com a adição de corantes fluorescentes, visíveis apenas sob luz ultravioleta. Ao se disparar a arma carregada com essa munição, são liberados os pigmentos no atirador, no alvo e em tudo o que atravessar, permitindo rastrear a trajetória do tiro. Qual dos modelos atômicos a seguir oferece melhores fundamentos para a escolha de um equipamento a ser utilizado na busca por evidências dos vestígios desse tipo de bala? a) Modelo de Dalton. b) Modelo de Thompson. c) Modelo de Rutherford-Bohr. d) Modelo de Dalton-Thompson. e) Modelo de Rutherford- Thompson. 22. ((Unifor-CE) Dentre as espécies químicas: as que representam átomos cujos núcleos possuem 6 nêutronssão: 23. (UFMA) Em um átomo com 22 elétrons e 26 nêutrons,seu número atômico e número de massa são,respectivamente: a) 22 e 26 b) 48 e 22 c) 26 e 48 d) 22 e 48 e) 26 e 22 24. (Mackenzie-SP) O número de prótons, de elétrons e de nêutrons do átomo 17Cl35 é, respectivamente: a) 17, 17, 18 b) 17, 18, 18 c) 52, 35, 17 d) 35, 17, 18 e) 17, 35, 35