SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
TEXTO DO DIA
"E não vos conformeis com este
mundo, mas transformai-vos pela
renovação do vosso entendimento,
para que experimenteis qual seja a
boa, agradável e perfeita vontade de
Deus."
(Rm 12.2)
SÍNTESE
Desenvolver uma visão de
mundo essencialmente cristã é
crucial para discernir a vontade
de Deus em uma época cheia de
ideologias vãs.
LEITURA BÍBLICA
Romanos 12.1-2;
Colossenses 2.4-8
Romanos 12
1 Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus,
que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo,
santo e agradável a Deus, que é o vosso culto
racional.
2 E não vos conformeis com este mundo, mas
transformai-vos pela renovação do vosso
entendimento, para que experimenteis qual seja a
boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
Colossenses 2
4 E digo isto para que ninguém vos engane com palavras
persuasivas.
5 Porque, ainda que esteja ausente quanto ao corpo,
contudo, em espírito, estou convosco, regozijando-me e
vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo.
6 Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim
também andai nele,
7 arraigados e edificados nele e confirmados na fé, assim
como fostes ensinados, crescendo em ação de graças.
8 Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por
meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos
homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo
Cristo;
• Algumas ideologias são incompatíveis com o
cristianismo, pois negam a soberania de Cristo e
tentam substituir os valores cristãos por
concepções secularizadas do mundo.
• Saber, portanto, como elas funcionam e quais são
os seus fundamentos é crucial para o crente não
ser enredado por engodos e vãs sutilezas.
• Nesta lição veremos as características de
ideologias que contradizem a fé cristã, como
formar uma mentalidade essencialmente cristã e
refutar as ideologias incompatíveis com as
Escrituras.
INTRODUÇÃO
I - UM MUNDO MOVIDO
POR IDEIAS E IDEAIS
• Diariamente, as pessoas são compelidas a decidir
sobre uma série de coisas ou a se pronunciar a
respeito dos mais variados temas que emergem
na sociedade.
• Tais ações não são adotadas em completa
neutralidade.
• Ideologia - conjunto de ideias, convicções e
princípios filosóficos, sociais, políticos que
caracterizam o pensamento de um indivíduo ou
grupo social.
• A ideologia fornece as crenças básicas e
estabelece os ideais de vida de uma pessoa.
1. Ideologia e seu sentido
• "Ideias têm consequências". Jesus afirmou que
uma árvore é conhecida pelos seus frutos (Mt
7.15-20).
• Assim como árvores ruins não podem dar bons
frutos, ideologias maléficas trazem prejuízos e
levam ao caos social.
• Devemos ter cautela e discernimento para não
nos tornarmos presas de ideologias desvirtuadas,
por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a
tradição dos homens, segundo os rudimentos do
mundo (Cl 2.8).
2. Ideias e consequências
Pense
Ideologia não é algo puramente
teórico. Tem consequência
prática na vida das pessoas.
Ponto Importante
A ideologia é um elemento
crucial em qualquer
cosmovisão, pois fornece as
crenças básicas e estabelece os
ideais de vida.
II - CARACTERÍSTICAS DAS
IDEOLOGIAS CONTRÁRIAS
AO EVANGELHO
• O ponto comum = ênfase excessiva a algum
aspecto da criação, o que faz surgir um tipo de
idolatria (Êx 20.3; Rm 1.25; 1 Co 10.7).
• Individualismo, nacionalismo, capitalismo,
socialismo e ambientalismo acima de Deus =
idolatria.
• Desejos legítimos, mas com devoção demasiada.
• A idolatria se expressa não somente pela
adoração aos deuses feitos de pedra ou madeira
(Sl 115.8).
• Foge da idolatria (1 Co 10.14) e ideias que só têm
aparência de piedade (2 Tm 3.5; Jo 8.44).
1. Idolatram algo dentro da criação
• As ideologias mundanas negam os efeitos do
pecado, ao dizer que a natureza humana é
essencialmente boa.
• O filósofo francês do Século XVIII Jean-Jacques
Rousseau dizia que o homem nasce bom, mas a
sociedade o corrompe, inclusive família e igreja.
• Os problemas deste mundo, embora possam ser
remediados nunca serão solucionados
completamente, diante da falibilidade humana.
• O teólogo holandês Jacó Armínio afirmou ser
necessária uma renovação do nosso intelecto,
afeições ou vontade.
2. Negam a realidade do pecado
• A ideologia materialista não concebe a existência
de algo além da matéria, assim como rejeita a
concepção bíblica sobre os eventos
escatológicos, tais como:
• a volta de Jesus (1 Ts 4.16,17),
• o julgamento dos pecadores (Ap 20.11); e
• a eternidade (Êx 15.18).
• Pense no perigo que essa ideia representa.
• Fiódor Dostoiévski escreveu: "Se Deus não
existe, tudo é permitido".
3. Descrêem no mundo espiritual
• Contradizendo a natureza e a narrativa bíblica
(Gn 1.27), a "ideologia de gênero“ apregoa que os
dois sexos são construções culturais e sociais.
• Paulo vaticinou que o "fim deles é a perdição, o
deus deles é o ventre, e a glória deles é para
confusão deles mesmos, que só pensam nas
coisas terrenas" (Fp 3.19). Pense nas coisas que
são de cima! (Cl 3.2).
3. Descrêem no mundo espiritual
Pense
Enquanto as ideologias são
concebidas pelos homens, as
verdades da fé cristã são
reveladas por Deus. O
cristianismo, por isso, não é
uma ideologia
Ponto Importante
Se não existe nada além do que
podemos enxergar, a vida não
tem propósito e o ser humano
não deve prestar contas de seus
atos a ninguém.
III - MENTES RENOVADAS
PARA UM MUNDO CHEIO
DE IDEOLOGIAS VÃS
• Paulo recomenda para não “tomarmos a forma”
deste mundo (Rm 12.2a).
• Nesta passagem, a palavra "mundo" não se
refere às pessoas ou ao universo físico, e sim ao
sistema filosófico, ideológico e espiritual
predominante.
• Nesse aspecto, expressou A. W Tozer:
"A cruz ergue-se em ousada oposição ao homem natural.
Sua filosofia é contrária aos processos da mente não
regenerada".
• Mantenha a sua identidade, ainda que a maioria o
ridicularize por suas convicções cristãs!
1. Inconformados com o mundo
• Além de rejeitar o costume do mundo, o salvo em
Cristo deve ser transformado (gr. metamorphos).
• Isto ocorre primeiramente com a nova vida (Rm
6.4), mas deve prosseguir como uma prática
constante (2 Co 3.18).
• É um processo contínuo.
• Em vez de ser influenciado, ter uma vida
transformada que influencie o meio em que está
inserido(a).
2. Transformação permanente
• A transformação a que Paulo alude se dá pela
renovação da mente.
• Mentalidade eminentemente cristã = visão de
mundo direcionada pelo pensamento de Deus.
• Em uma sociedade cada vez mais secularizada,
renovar a mente, moldando-a aos valores do
Reino, é algo crucial (1 Co 2.16).
• Mente (gr. nous) significa o lugar da consciência
reflexiva, compreendendo as faculdades de
percepção e entendimento, e do sentimento,
julgamento e determinação.
3. Em direção a uma cosmovisão cristã.
Pense
"No âmago do sistema cristão está a
cruz de Cristo com o seu divino
paradoxo. O poder do cristianismo
aparece em sua antipatia pelos
caminhos do homem decaído, jamais
em seu acordo com ele" ( A. W.
Tozer).
Ponto Importante
A vida de Jesus é o paradigma de
todo cristão, por isso raciocinar
como Ele não é uma questão de
escolha, mas de obediência.
1. A ideologia não é neutra e fornece as crenças
básicas e estabelece os ideais de vida de uma
pessoa.
2. As ideologias anticristãs priorizam mais as coisas
do que Deus, negam o efeito do pecado e o
mundo espiritual.
3. Paulo adverte sobre o perigo de “tomar a forma”
do mundo. Recomenda uma vida transformada
por uma mentalidade eminentemente cristã (visão
de mundo direcionada pelo pensamento de Deus)
CONSIDERAÇÕES FINAIS
AYRES, Antônio Tadeu. 1.ed. Reflexos da Globalização Sobre a
Igreja: Até que ponto as últimas tendências mundiais afetam o
Corpo de Cristo. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2001.
COLSON, C.; PEARCEY. E Agora, Como Viveremos? 2.ed., Rio de
Janeiro: CPAD, 2000.
LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Seguidores de Cristo: testemunhando
uma sociedade em ruinas. 4º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro,
CPAD, 2017.
NASCIMENTO, Valmir. Seguidores de Cristo: testemunhando uma
sociedade em ruinas. Rio de Janeiro: CPAD, 2017.
REFERÊNCIAS
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Facebook:
www.facebook.com/natalino.neves
Contatos:
natalino6612@gmail.com
(41) 98409 8094 (TIM)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média CristãAula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média CristãAdriano Pascoa
 
Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2Jose Ventura
 
Filosofia medieval e cristianismo
Filosofia medieval e cristianismoFilosofia medieval e cristianismo
Filosofia medieval e cristianismoKeiler Vasconcelos
 
Periodo interbiblico
Periodo interbiblicoPeriodo interbiblico
Periodo interbiblicoMagrão Silva
 
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Natalino das Neves Neves
 
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religiãoFé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religiãoLeandro Nazareth Souto
 
História da igreja antiga
História da igreja antigaHistória da igreja antiga
História da igreja antigaAlberto Simonton
 
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vidaUma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vidaRobson Tavares Fernandes
 
Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologiamagnao2
 
COSMOVISÃO CRISTÃ.pptx
COSMOVISÃO CRISTÃ.pptxCOSMOVISÃO CRISTÃ.pptx
COSMOVISÃO CRISTÃ.pptxosmanmoreira1
 
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deusUsos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deusjonasfreitasdejesus
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIAndre Nascimento
 
Resenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraResenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraMarcus Leal
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamentofaculdadeteologica
 
A Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de Ser
A Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de SerA Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de Ser
A Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de SerHenrique Dezidério
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristãFilipe
 

Mais procurados (20)

Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média CristãAula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã
 
Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2
 
HERMENÊUTICA
HERMENÊUTICAHERMENÊUTICA
HERMENÊUTICA
 
Filosofia medieval e cristianismo
Filosofia medieval e cristianismoFilosofia medieval e cristianismo
Filosofia medieval e cristianismo
 
Periodo interbiblico
Periodo interbiblicoPeriodo interbiblico
Periodo interbiblico
 
Introdução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamentoIntrodução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamento
 
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
 
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religiãoFé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
Fé e razão, uma conversa entre a ciência e a religião
 
História da igreja antiga
História da igreja antigaHistória da igreja antiga
História da igreja antiga
 
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vidaUma introdução ao estudo da Teologia:  sua importância e aplicação para a vida
Uma introdução ao estudo da Teologia: sua importância e aplicação para a vida
 
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
 
Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologia
 
COSMOVISÃO CRISTÃ.pptx
COSMOVISÃO CRISTÃ.pptxCOSMOVISÃO CRISTÃ.pptx
COSMOVISÃO CRISTÃ.pptx
 
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deusUsos e costmes defendidos pela igreja  a assembleia de deus
Usos e costmes defendidos pela igreja a assembleia de deus
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
 
Resenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraResenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - Ágora
 
Homilética lição - 01
Homilética   lição - 01Homilética   lição - 01
Homilética lição - 01
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
A Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de Ser
A Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de SerA Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de Ser
A Metafísica Realista de São Tomás de Aquino - o Ato de Ser
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
 

Semelhante a LBJ LIÇÃO 2 - A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias

Crer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John StottCrer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John StottIgreja Vitória
 
Crer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stottCrer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stottFabio Araujo
 
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )Carlos Silva
 
O que é uma Cosmovisão - Atos29.pptx
O que é uma Cosmovisão - Atos29.pptxO que é uma Cosmovisão - Atos29.pptx
O que é uma Cosmovisão - Atos29.pptxCleiton Melo
 
EBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visãoEBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visãoWiltonLima20
 
Características e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na IgrejaCaracterísticas e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na IgrejaIPB706Sul
 
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptxEBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptxValdineyRodriguesBez1
 
Ética Cristã (Medieval)
Ética Cristã (Medieval)Ética Cristã (Medieval)
Ética Cristã (Medieval)Rene Lins
 
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...Helena Serrão
 
INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINAS
INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINASINTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINAS
INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINASDavi Helon Andrade
 

Semelhante a LBJ LIÇÃO 2 - A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias (20)

Crer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John StottCrer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John Stott
 
Crer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stottCrer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stott
 
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
Cosmovisão cristã ( As Lentes da Fé )
 
O que é uma Cosmovisão - Atos29.pptx
O que é uma Cosmovisão - Atos29.pptxO que é uma Cosmovisão - Atos29.pptx
O que é uma Cosmovisão - Atos29.pptx
 
Vida cristã 2
Vida cristã 2Vida cristã 2
Vida cristã 2
 
Cosmovisão
CosmovisãoCosmovisão
Cosmovisão
 
EBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visãoEBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visão
 
Crerã©tambã©mpensar john stott
Crerã©tambã©mpensar john stottCrerã©tambã©mpensar john stott
Crerã©tambã©mpensar john stott
 
LIÇÃO - 12 A INTEGRIDADE DA DOUTRINA CRISTÃ
LIÇÃO - 12 A INTEGRIDADE DA DOUTRINA CRISTÃLIÇÃO - 12 A INTEGRIDADE DA DOUTRINA CRISTÃ
LIÇÃO - 12 A INTEGRIDADE DA DOUTRINA CRISTÃ
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Características e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na IgrejaCaracterísticas e consequências do Secularismo na Igreja
Características e consequências do Secularismo na Igreja
 
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptxEBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
EBD - O comportamento do Crente para ser luze.pptx
 
Ética Cristã (Medieval)
Ética Cristã (Medieval)Ética Cristã (Medieval)
Ética Cristã (Medieval)
 
Ética e Teologia
Ética e TeologiaÉtica e Teologia
Ética e Teologia
 
Filosofia Medieval
Filosofia MedievalFilosofia Medieval
Filosofia Medieval
 
Artigo 1 - Deus existe?
Artigo 1 - Deus existe?Artigo 1 - Deus existe?
Artigo 1 - Deus existe?
 
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
A religião. Trabalho realizado pelos alunos António Fernandes, Diogo Mendonça...
 
éTica cristão
éTica cristãoéTica cristão
éTica cristão
 
INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINAS
INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINASINTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINAS
INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS DE DOUTRINAS
 
VENCENDO A ANSIEDADE.pptx
VENCENDO A ANSIEDADE.pptxVENCENDO A ANSIEDADE.pptx
VENCENDO A ANSIEDADE.pptx
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 

Último (20)

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 

LBJ LIÇÃO 2 - A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias

  • 1.
  • 2.
  • 3. TEXTO DO DIA "E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Rm 12.2)
  • 4. SÍNTESE Desenvolver uma visão de mundo essencialmente cristã é crucial para discernir a vontade de Deus em uma época cheia de ideologias vãs.
  • 6. Romanos 12 1 Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2 E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
  • 7. Colossenses 2 4 E digo isto para que ninguém vos engane com palavras persuasivas. 5 Porque, ainda que esteja ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito, estou convosco, regozijando-me e vendo a vossa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo. 6 Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, 7 arraigados e edificados nele e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, crescendo em ação de graças. 8 Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo;
  • 8. • Algumas ideologias são incompatíveis com o cristianismo, pois negam a soberania de Cristo e tentam substituir os valores cristãos por concepções secularizadas do mundo. • Saber, portanto, como elas funcionam e quais são os seus fundamentos é crucial para o crente não ser enredado por engodos e vãs sutilezas. • Nesta lição veremos as características de ideologias que contradizem a fé cristã, como formar uma mentalidade essencialmente cristã e refutar as ideologias incompatíveis com as Escrituras. INTRODUÇÃO
  • 9. I - UM MUNDO MOVIDO POR IDEIAS E IDEAIS
  • 10. • Diariamente, as pessoas são compelidas a decidir sobre uma série de coisas ou a se pronunciar a respeito dos mais variados temas que emergem na sociedade. • Tais ações não são adotadas em completa neutralidade. • Ideologia - conjunto de ideias, convicções e princípios filosóficos, sociais, políticos que caracterizam o pensamento de um indivíduo ou grupo social. • A ideologia fornece as crenças básicas e estabelece os ideais de vida de uma pessoa. 1. Ideologia e seu sentido
  • 11. • "Ideias têm consequências". Jesus afirmou que uma árvore é conhecida pelos seus frutos (Mt 7.15-20). • Assim como árvores ruins não podem dar bons frutos, ideologias maléficas trazem prejuízos e levam ao caos social. • Devemos ter cautela e discernimento para não nos tornarmos presas de ideologias desvirtuadas, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo (Cl 2.8). 2. Ideias e consequências
  • 12. Pense Ideologia não é algo puramente teórico. Tem consequência prática na vida das pessoas.
  • 13. Ponto Importante A ideologia é um elemento crucial em qualquer cosmovisão, pois fornece as crenças básicas e estabelece os ideais de vida.
  • 14. II - CARACTERÍSTICAS DAS IDEOLOGIAS CONTRÁRIAS AO EVANGELHO
  • 15. • O ponto comum = ênfase excessiva a algum aspecto da criação, o que faz surgir um tipo de idolatria (Êx 20.3; Rm 1.25; 1 Co 10.7). • Individualismo, nacionalismo, capitalismo, socialismo e ambientalismo acima de Deus = idolatria. • Desejos legítimos, mas com devoção demasiada. • A idolatria se expressa não somente pela adoração aos deuses feitos de pedra ou madeira (Sl 115.8). • Foge da idolatria (1 Co 10.14) e ideias que só têm aparência de piedade (2 Tm 3.5; Jo 8.44). 1. Idolatram algo dentro da criação
  • 16. • As ideologias mundanas negam os efeitos do pecado, ao dizer que a natureza humana é essencialmente boa. • O filósofo francês do Século XVIII Jean-Jacques Rousseau dizia que o homem nasce bom, mas a sociedade o corrompe, inclusive família e igreja. • Os problemas deste mundo, embora possam ser remediados nunca serão solucionados completamente, diante da falibilidade humana. • O teólogo holandês Jacó Armínio afirmou ser necessária uma renovação do nosso intelecto, afeições ou vontade. 2. Negam a realidade do pecado
  • 17. • A ideologia materialista não concebe a existência de algo além da matéria, assim como rejeita a concepção bíblica sobre os eventos escatológicos, tais como: • a volta de Jesus (1 Ts 4.16,17), • o julgamento dos pecadores (Ap 20.11); e • a eternidade (Êx 15.18). • Pense no perigo que essa ideia representa. • Fiódor Dostoiévski escreveu: "Se Deus não existe, tudo é permitido". 3. Descrêem no mundo espiritual
  • 18. • Contradizendo a natureza e a narrativa bíblica (Gn 1.27), a "ideologia de gênero“ apregoa que os dois sexos são construções culturais e sociais. • Paulo vaticinou que o "fim deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles é para confusão deles mesmos, que só pensam nas coisas terrenas" (Fp 3.19). Pense nas coisas que são de cima! (Cl 3.2). 3. Descrêem no mundo espiritual
  • 19. Pense Enquanto as ideologias são concebidas pelos homens, as verdades da fé cristã são reveladas por Deus. O cristianismo, por isso, não é uma ideologia
  • 20. Ponto Importante Se não existe nada além do que podemos enxergar, a vida não tem propósito e o ser humano não deve prestar contas de seus atos a ninguém.
  • 21. III - MENTES RENOVADAS PARA UM MUNDO CHEIO DE IDEOLOGIAS VÃS
  • 22. • Paulo recomenda para não “tomarmos a forma” deste mundo (Rm 12.2a). • Nesta passagem, a palavra "mundo" não se refere às pessoas ou ao universo físico, e sim ao sistema filosófico, ideológico e espiritual predominante. • Nesse aspecto, expressou A. W Tozer: "A cruz ergue-se em ousada oposição ao homem natural. Sua filosofia é contrária aos processos da mente não regenerada". • Mantenha a sua identidade, ainda que a maioria o ridicularize por suas convicções cristãs! 1. Inconformados com o mundo
  • 23. • Além de rejeitar o costume do mundo, o salvo em Cristo deve ser transformado (gr. metamorphos). • Isto ocorre primeiramente com a nova vida (Rm 6.4), mas deve prosseguir como uma prática constante (2 Co 3.18). • É um processo contínuo. • Em vez de ser influenciado, ter uma vida transformada que influencie o meio em que está inserido(a). 2. Transformação permanente
  • 24. • A transformação a que Paulo alude se dá pela renovação da mente. • Mentalidade eminentemente cristã = visão de mundo direcionada pelo pensamento de Deus. • Em uma sociedade cada vez mais secularizada, renovar a mente, moldando-a aos valores do Reino, é algo crucial (1 Co 2.16). • Mente (gr. nous) significa o lugar da consciência reflexiva, compreendendo as faculdades de percepção e entendimento, e do sentimento, julgamento e determinação. 3. Em direção a uma cosmovisão cristã.
  • 25. Pense "No âmago do sistema cristão está a cruz de Cristo com o seu divino paradoxo. O poder do cristianismo aparece em sua antipatia pelos caminhos do homem decaído, jamais em seu acordo com ele" ( A. W. Tozer).
  • 26. Ponto Importante A vida de Jesus é o paradigma de todo cristão, por isso raciocinar como Ele não é uma questão de escolha, mas de obediência.
  • 27. 1. A ideologia não é neutra e fornece as crenças básicas e estabelece os ideais de vida de uma pessoa. 2. As ideologias anticristãs priorizam mais as coisas do que Deus, negam o efeito do pecado e o mundo espiritual. 3. Paulo adverte sobre o perigo de “tomar a forma” do mundo. Recomenda uma vida transformada por uma mentalidade eminentemente cristã (visão de mundo direcionada pelo pensamento de Deus) CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 28. AYRES, Antônio Tadeu. 1.ed. Reflexos da Globalização Sobre a Igreja: Até que ponto as últimas tendências mundiais afetam o Corpo de Cristo. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2001. COLSON, C.; PEARCEY. E Agora, Como Viveremos? 2.ed., Rio de Janeiro: CPAD, 2000. LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Seguidores de Cristo: testemunhando uma sociedade em ruinas. 4º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro, CPAD, 2017. NASCIMENTO, Valmir. Seguidores de Cristo: testemunhando uma sociedade em ruinas. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. REFERÊNCIAS
  • 29. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM)