SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Instalações para eqüinos 
Grupo:Jessica 
Jheneffer 
Núbia 
Rafael 
Centro Universitário do Cerrado de Patrocínio
Introdução 
 A criação dos cavalos depende muito das qualidades da instalação. 
 Toda a criador deve dispor de instalações para confinamento desses 
animais, em baias ou boxes. 
 Este tipo de instalação, conhecida como estábulo, é de grande importância 
para o bom desenvolvimento e a manutenção da saúde dos cavalos . 
 O planejamento da construção ou adaptação deve obedecer à máxima 
simplicidade, sem gastos ou embelezamento . 
 Todos os detalhes visarão o maior conforto para os animais, assim como 
a facilidade para o trato.
Fonte:google imagem
Escolha do terreno 
 O terreno deverá ser seco e de solo silicoso para que a água das chuvas 
seque rapidamente . 
 E a construção deve estar localizada em locais alto, protegida dos ventos 
por arvores em volta.
Fonte:google imagem
Baias 
 É na baia que os cavalos deverão ser cuidados e tratados mais 
diretamente por seus proprietários ou tratadores . 
 Deve ter no mínimo 3 x 4 m, sendo ideal 4 x 4 ( 12m2). 
 Baias com tamanhos inferiores a 3 x 4m, trarão um desconforto muito 
grande para o animal. 
 Deve conter janelas 
 Dentro das baias, são colocados os cochos, devendo estar a uma altura de 
30 a 60cm e os potes devem ter 20 cm de profundidade, para que os 
cavalos tenham acesso fácil, ficando em uma posição confortável .
Fonte:google imagem
 Tendo mais de uma baia no mesmo estábulo,e recomendado a separação 
entre os boxes . 
 Podendo ser de alvenaria,galpão,madeira,individuais.
Tipos de baias: 
Alvenaria 
Fonte:google imagem
Fonte:google imagem
Galpão 
Fonte:google imagem
Individuais 
Fonte:google imagem
Fonte:google imagem
Fonte:google imagem
Piso 
 Deve ter uma inclinação suave para fora, de 1 cm em cada metro (até em 
cada 70 cm) a fim de facilitar o escoamento da urina e água de lavagem, 
se for o caso. 
 Ter-se-á cuidado de não tornar esta inclinação muito forte, pois afetaria os 
aprumos dos animais, forçados constantemente a uma posição defeituosa, 
fazendo-os adquirir taras nas articulações, manqueira e deformação das 
extremidades
Cama 
 Item muito importante para dar maior conforto para o animal 
 Podendo ser usado:Pó de Serra , Feno , Capim , Palha de Arroz , Areia 
Maravalha ,borracha etc. 
Fonte:google imagem
Comedouros e Mangedouras 
 Os comedouros, destinados a alimentos e concentrados, são colocados a 
um metro do solo na parede fronteira ao animal, ou num dos cantos dessa 
parede; Deve ser de ferro, preferivelmente móvel 
 As mangedouras são colocadas à mesma altura do comedouro. 
 condenável o uso de mangedouras altas e inclinadas 
 Quando se fazem comedouros de madeira, esta deve ser bem dura, de 1,5 
a 2 polegadas de grossura, com 44 cm de largura em cima e 22,5 em 
baixo, e cerca de 75 cm de comprimento (medidas internas), e 20 a 30 cm 
de "profundidade. 
 Usa-se mais cochos de ferro, havendo alguns tipos fabricados cuja suas 
dimensões devem ser 75 X 35 X 30 cm, estreitando-se no fundo.Usam-se 
também comedouros de cimento armado que podem ser feitos na mesma 
ocasião da construção das paredes.
Fonte:google imagem
Fonte:google imagem
Bebedouros 
 Geralmente esse recipiente é encaixado em um anel preso à parede, num 
dos cantos posteriores do boxe e a uma altura de 90 cm a um. 
 O bebedouro externo é feito de alvenaria ou concreto com uma altura de 
90 cm, colocado longe da porteira para evitar poeira. Pode-se construir 
junto a uma caixa de alimentação com bóia, que mantenha o nível 
constante. É melhor fazê-lo pequeno, facilitando sua limpeza diária. 
Alguns consideram-no pouco higiênico, mas não o é tanto, a menos que 
apareça uma doença respiratória, quando se deve suspender o seu uso
Fonte:google imagem
Fonte:google imagem
Contenção 
 Deve existir, em toda baia, um dispositivo de contenção que permita 
prender os animais de maneira que não haja risco de machucar seus 
vizinhos, mas que ao mesmo tempo permita-o alimentar-se e mesmo 
deitar-se apoiando a cabeça sobre o chão, sem risco de enforcar-se na 
corda. 
 Nas cocheiras sem divisões, geralmente usadas para animais mansos e de 
trabalho (montaria ou tração), colocam-se convenientemente espaçadas na 
parede ( 1,5 m mais ou menos), argolões de ferro, onde se amarram os 
animais.
Quarto de Arreios 
 Deve ser uma sala seca , ventilada 
 Alguns usam gavetas ao longo das paredes. 
 Em cima de cada gaveta haverá esteios ou suportes de madeira para a 
sela, bridão, coleira, etc. 
 Uma altura conveniente para esses suportes é de 1,50 para o da sela e 2 
m para a coalheira, sobre as gavetas. 
 Os suportes das selas (porta-selas) devem ficar a 90 cm um do outro e o 
da coalheira no meio deles. Em algumas cocheiras usam-se cavaletes, 
descobertos ou protegidos.
Depósito 
 Podendo ser de: 
 forragem, 
 Ração:Deve ser um local ventilado, com estrados a 20 cm do solo, onde a 
ração deve ser empilhada ao menos a 10 cm das paredes, protegido do sol 
direto e da chuva 
 e farmácias
Fonte:google imagem
Referencias 
 Agronegócio / Pecuária - Equinos / Notícia .Disponível 
em:http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php? 
id=10149.Data:20092002 Acesso em:19 out 2011. 
 Desempenho o Instituto Homo-Caballus. Disponível em: 
http://www.desempenho.esp.br/geral/get_geral.cfm?id=400&sessao=2.Acesso 
em:19 out 2011 
 INSTALAÇÕES PARA EQUINOS . DISPONÍVEL 
EM:http://www.arquitetando.xpg.com.br/instal%20equinos.htm.Acesso em :19 de 
out 2011.
Obrigada!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)Jacqueline Gomes
 
Biodigestor na suinocultura
Biodigestor na suinoculturaBiodigestor na suinocultura
Biodigestor na suinoculturaEvangela Gielow
 
Aula prática 2 determinação da matéria seca dos
Aula prática 2    determinação da matéria seca dosAula prática 2    determinação da matéria seca dos
Aula prática 2 determinação da matéria seca dosstefanie alvarenga
 
Instalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinoculturaInstalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinoculturavelton12
 
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de SuínosHigiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de SuínosLucas Maciel Gomes Olini
 
Aula 1 - Introdução - Ruminantes.ppt
Aula 1 - Introdução - Ruminantes.pptAula 1 - Introdução - Ruminantes.ppt
Aula 1 - Introdução - Ruminantes.pptMirianFernandes15
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃOHenriqueKanada
 
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinosMarília Gomes
 
Ambiência em edificações rurais
Ambiência em edificações ruraisAmbiência em edificações rurais
Ambiência em edificações ruraisJosimar Oliveira
 
Sistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em pisciculturaSistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em pisciculturaAnderson Santana
 
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxAula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxJoilsonEcheverria
 
Manejo da ordenha e qualidade do leite
Manejo da ordenha e qualidade do leite Manejo da ordenha e qualidade do leite
Manejo da ordenha e qualidade do leite LarissaFerreira258
 
Aula instalacoes aves
Aula instalacoes avesAula instalacoes aves
Aula instalacoes avesnice1961
 
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári..."Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...UNDP Policy Centre
 

Mais procurados (20)

Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)
 
Biodigestor na suinocultura
Biodigestor na suinoculturaBiodigestor na suinocultura
Biodigestor na suinocultura
 
Aula prática 2 determinação da matéria seca dos
Aula prática 2    determinação da matéria seca dosAula prática 2    determinação da matéria seca dos
Aula prática 2 determinação da matéria seca dos
 
Forragicultura aula1
Forragicultura aula1Forragicultura aula1
Forragicultura aula1
 
Instalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinoculturaInstalações e construções para suinocultura
Instalações e construções para suinocultura
 
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de SuínosHigiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
 
Aula 1 - Introdução - Ruminantes.ppt
Aula 1 - Introdução - Ruminantes.pptAula 1 - Introdução - Ruminantes.ppt
Aula 1 - Introdução - Ruminantes.ppt
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
 
Instalações para aves
Instalações para avesInstalações para aves
Instalações para aves
 
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
 
Ambiência em edificações rurais
Ambiência em edificações ruraisAmbiência em edificações rurais
Ambiência em edificações rurais
 
Sistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em pisciculturaSistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em piscicultura
 
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxAula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
 
Métodos de pastejo
Métodos de pastejoMétodos de pastejo
Métodos de pastejo
 
Manejo da ordenha e qualidade do leite
Manejo da ordenha e qualidade do leite Manejo da ordenha e qualidade do leite
Manejo da ordenha e qualidade do leite
 
Slide suínos
Slide suínosSlide suínos
Slide suínos
 
Aula instalacoes aves
Aula instalacoes avesAula instalacoes aves
Aula instalacoes aves
 
Aula ezoogenosia
Aula ezoogenosia Aula ezoogenosia
Aula ezoogenosia
 
Manejo de pastagem
Manejo de pastagemManejo de pastagem
Manejo de pastagem
 
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári..."Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
 

Destaque

Aula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaAula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaUFSC
 
Pelagem de Equinos
Pelagem de EquinosPelagem de Equinos
Pelagem de EquinosKiller Max
 
Conceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de ProduçãoConceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de ProduçãoPhilippe Elias
 
Criação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeosCriação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeosRenato de Paula
 
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e MensuraçõesAula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e MensuraçõesElaine
 

Destaque (6)

Aula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaAula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósia
 
Pelagem de Equinos
Pelagem de EquinosPelagem de Equinos
Pelagem de Equinos
 
Conceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de ProduçãoConceito de Sistemas e Sistemas de Produção
Conceito de Sistemas e Sistemas de Produção
 
Criação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeosCriação e exploração dos equídeos
Criação e exploração dos equídeos
 
Cavalos
CavalosCavalos
Cavalos
 
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e MensuraçõesAula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
 

Semelhante a Instalações para eqüinos

Frango caipira avifran
Frango caipira avifranFrango caipira avifran
Frango caipira avifranLenildo Araujo
 
Drenagem piso partes de madeira
Drenagem piso partes de madeiraDrenagem piso partes de madeira
Drenagem piso partes de madeiraRenato Villela
 
Aula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptx
Aula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptxAula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptx
Aula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptxDeniseGuerreiro4
 
Instalações para caprinos e ovinos
Instalações para caprinos e ovinosInstalações para caprinos e ovinos
Instalações para caprinos e ovinosmmaob
 
Fossa septica i 13
Fossa septica i   13Fossa septica i   13
Fossa septica i 13anadrika
 
Instalações para ovinos
Instalações para ovinosInstalações para ovinos
Instalações para ovinosmmaob
 
Como fazer um minhocário campeiro
Como fazer um minhocário campeiroComo fazer um minhocário campeiro
Como fazer um minhocário campeiroPortal Canal Rural
 
Fossas sépticas
Fossas sépticasFossas sépticas
Fossas sépticasNubia Lopes
 
Cobertura de cocho econômica
Cobertura de cocho econômicaCobertura de cocho econômica
Cobertura de cocho econômicaRenato Villela
 
Manual da sauna socalor
Manual da sauna socalorManual da sauna socalor
Manual da sauna socalorworldpiscinas
 
Pet como-cuidar-de-um-coelho
Pet como-cuidar-de-um-coelhoPet como-cuidar-de-um-coelho
Pet como-cuidar-de-um-coelhosbentoduarte
 
05 instalacoes caprinos
05 instalacoes caprinos05 instalacoes caprinos
05 instalacoes caprinosElton Mendes
 
aula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptx
aula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptxaula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptx
aula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptxDeniseGuerreiro4
 

Semelhante a Instalações para eqüinos (20)

Inst gado leit_bio_digest_apres
Inst gado leit_bio_digest_apresInst gado leit_bio_digest_apres
Inst gado leit_bio_digest_apres
 
Frango caipira avifran
Frango caipira avifranFrango caipira avifran
Frango caipira avifran
 
Drenagem piso partes de madeira
Drenagem piso partes de madeiraDrenagem piso partes de madeira
Drenagem piso partes de madeira
 
Aula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptx
Aula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptxAula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptx
Aula 8 - instalações na ovinocaprinocultura.pptx
 
Instalações para caprinos e ovinos
Instalações para caprinos e ovinosInstalações para caprinos e ovinos
Instalações para caprinos e ovinos
 
Fossa septica i 13
Fossa septica i   13Fossa septica i   13
Fossa septica i 13
 
Instalações para ovinos
Instalações para ovinosInstalações para ovinos
Instalações para ovinos
 
Como fazer um minhocário campeiro
Como fazer um minhocário campeiroComo fazer um minhocário campeiro
Como fazer um minhocário campeiro
 
Fossas sépticas
Fossas sépticasFossas sépticas
Fossas sépticas
 
Caderno silo
Caderno siloCaderno silo
Caderno silo
 
Cobertura de cocho econômica
Cobertura de cocho econômicaCobertura de cocho econômica
Cobertura de cocho econômica
 
Publicacaoh2k38z7g
Publicacaoh2k38z7gPublicacaoh2k38z7g
Publicacaoh2k38z7g
 
gado deLeite
gado deLeitegado deLeite
gado deLeite
 
Manual da sauna socalor
Manual da sauna socalorManual da sauna socalor
Manual da sauna socalor
 
Pet como-cuidar-de-um-coelho
Pet como-cuidar-de-um-coelhoPet como-cuidar-de-um-coelho
Pet como-cuidar-de-um-coelho
 
Acampamento
AcampamentoAcampamento
Acampamento
 
001 avicultura-aviario-500-aves
001 avicultura-aviario-500-aves001 avicultura-aviario-500-aves
001 avicultura-aviario-500-aves
 
Aviario 300
Aviario 300Aviario 300
Aviario 300
 
05 instalacoes caprinos
05 instalacoes caprinos05 instalacoes caprinos
05 instalacoes caprinos
 
aula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptx
aula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptxaula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptx
aula-4_instalacoes_equipamentos_frangos_de_corte_2013.pptx
 

Mais de UFVJM - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Mais de UFVJM - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (12)

Poluiçao
PoluiçaoPoluiçao
Poluiçao
 
Pessegueiro
PessegueiroPessegueiro
Pessegueiro
 
Blackcurrant
BlackcurrantBlackcurrant
Blackcurrant
 
Sistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestaisSistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestais
 
Propagação de plantas ornamentais
Propagação  de plantas ornamentaisPropagação  de plantas ornamentais
Propagação de plantas ornamentais
 
Podridões de órgãos de reserva
Podridões de órgãos de reservaPodridões de órgãos de reserva
Podridões de órgãos de reserva
 
Produção de sementes hibridas de milho
Produção de sementes hibridas de milhoProdução de sementes hibridas de milho
Produção de sementes hibridas de milho
 
Trabalho Brassinosteroides
Trabalho BrassinosteroidesTrabalho Brassinosteroides
Trabalho Brassinosteroides
 
Aplicativo android –cálculo de fim de escala
Aplicativo android –cálculo de  fim de escalaAplicativo android –cálculo de  fim de escala
Aplicativo android –cálculo de fim de escala
 
Lutas e desafios quilombolas no brasil
Lutas e desafios quilombolas no brasilLutas e desafios quilombolas no brasil
Lutas e desafios quilombolas no brasil
 
Analise do mercado de citrus no utimos 4 anos e mercado futuro
Analise do mercado de citrus no utimos 4 anos e mercado  futuroAnalise do mercado de citrus no utimos 4 anos e mercado  futuro
Analise do mercado de citrus no utimos 4 anos e mercado futuro
 
Propagação de rosas
Propagação de rosasPropagação de rosas
Propagação de rosas
 

Instalações para eqüinos

  • 1. Instalações para eqüinos Grupo:Jessica Jheneffer Núbia Rafael Centro Universitário do Cerrado de Patrocínio
  • 2. Introdução  A criação dos cavalos depende muito das qualidades da instalação.  Toda a criador deve dispor de instalações para confinamento desses animais, em baias ou boxes.  Este tipo de instalação, conhecida como estábulo, é de grande importância para o bom desenvolvimento e a manutenção da saúde dos cavalos .  O planejamento da construção ou adaptação deve obedecer à máxima simplicidade, sem gastos ou embelezamento .  Todos os detalhes visarão o maior conforto para os animais, assim como a facilidade para o trato.
  • 4. Escolha do terreno  O terreno deverá ser seco e de solo silicoso para que a água das chuvas seque rapidamente .  E a construção deve estar localizada em locais alto, protegida dos ventos por arvores em volta.
  • 6. Baias  É na baia que os cavalos deverão ser cuidados e tratados mais diretamente por seus proprietários ou tratadores .  Deve ter no mínimo 3 x 4 m, sendo ideal 4 x 4 ( 12m2).  Baias com tamanhos inferiores a 3 x 4m, trarão um desconforto muito grande para o animal.  Deve conter janelas  Dentro das baias, são colocados os cochos, devendo estar a uma altura de 30 a 60cm e os potes devem ter 20 cm de profundidade, para que os cavalos tenham acesso fácil, ficando em uma posição confortável .
  • 8.
  • 9.  Tendo mais de uma baia no mesmo estábulo,e recomendado a separação entre os boxes .  Podendo ser de alvenaria,galpão,madeira,individuais.
  • 10. Tipos de baias: Alvenaria Fonte:google imagem
  • 16. Piso  Deve ter uma inclinação suave para fora, de 1 cm em cada metro (até em cada 70 cm) a fim de facilitar o escoamento da urina e água de lavagem, se for o caso.  Ter-se-á cuidado de não tornar esta inclinação muito forte, pois afetaria os aprumos dos animais, forçados constantemente a uma posição defeituosa, fazendo-os adquirir taras nas articulações, manqueira e deformação das extremidades
  • 17. Cama  Item muito importante para dar maior conforto para o animal  Podendo ser usado:Pó de Serra , Feno , Capim , Palha de Arroz , Areia Maravalha ,borracha etc. Fonte:google imagem
  • 18. Comedouros e Mangedouras  Os comedouros, destinados a alimentos e concentrados, são colocados a um metro do solo na parede fronteira ao animal, ou num dos cantos dessa parede; Deve ser de ferro, preferivelmente móvel  As mangedouras são colocadas à mesma altura do comedouro.  condenável o uso de mangedouras altas e inclinadas  Quando se fazem comedouros de madeira, esta deve ser bem dura, de 1,5 a 2 polegadas de grossura, com 44 cm de largura em cima e 22,5 em baixo, e cerca de 75 cm de comprimento (medidas internas), e 20 a 30 cm de "profundidade.  Usa-se mais cochos de ferro, havendo alguns tipos fabricados cuja suas dimensões devem ser 75 X 35 X 30 cm, estreitando-se no fundo.Usam-se também comedouros de cimento armado que podem ser feitos na mesma ocasião da construção das paredes.
  • 21. Bebedouros  Geralmente esse recipiente é encaixado em um anel preso à parede, num dos cantos posteriores do boxe e a uma altura de 90 cm a um.  O bebedouro externo é feito de alvenaria ou concreto com uma altura de 90 cm, colocado longe da porteira para evitar poeira. Pode-se construir junto a uma caixa de alimentação com bóia, que mantenha o nível constante. É melhor fazê-lo pequeno, facilitando sua limpeza diária. Alguns consideram-no pouco higiênico, mas não o é tanto, a menos que apareça uma doença respiratória, quando se deve suspender o seu uso
  • 24. Contenção  Deve existir, em toda baia, um dispositivo de contenção que permita prender os animais de maneira que não haja risco de machucar seus vizinhos, mas que ao mesmo tempo permita-o alimentar-se e mesmo deitar-se apoiando a cabeça sobre o chão, sem risco de enforcar-se na corda.  Nas cocheiras sem divisões, geralmente usadas para animais mansos e de trabalho (montaria ou tração), colocam-se convenientemente espaçadas na parede ( 1,5 m mais ou menos), argolões de ferro, onde se amarram os animais.
  • 25. Quarto de Arreios  Deve ser uma sala seca , ventilada  Alguns usam gavetas ao longo das paredes.  Em cima de cada gaveta haverá esteios ou suportes de madeira para a sela, bridão, coleira, etc.  Uma altura conveniente para esses suportes é de 1,50 para o da sela e 2 m para a coalheira, sobre as gavetas.  Os suportes das selas (porta-selas) devem ficar a 90 cm um do outro e o da coalheira no meio deles. Em algumas cocheiras usam-se cavaletes, descobertos ou protegidos.
  • 26. Depósito  Podendo ser de:  forragem,  Ração:Deve ser um local ventilado, com estrados a 20 cm do solo, onde a ração deve ser empilhada ao menos a 10 cm das paredes, protegido do sol direto e da chuva  e farmácias
  • 28. Referencias  Agronegócio / Pecuária - Equinos / Notícia .Disponível em:http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php? id=10149.Data:20092002 Acesso em:19 out 2011.  Desempenho o Instituto Homo-Caballus. Disponível em: http://www.desempenho.esp.br/geral/get_geral.cfm?id=400&sessao=2.Acesso em:19 out 2011  INSTALAÇÕES PARA EQUINOS . DISPONÍVEL EM:http://www.arquitetando.xpg.com.br/instal%20equinos.htm.Acesso em :19 de out 2011.