SlideShare uma empresa Scribd logo
EZOOGNÓSIA
O estudo do exterior dos animais domésticos
(ezoognósia; de exterior animal conhecimento)
constitui parte da Zootecnia que permite a avaliação
do animal, utilizando princípios fundamentais de
anatomia, fisiologia, mecânica e patologia, tendo
em vista sua aplicação funcional e,
conseqüentemente sua importância econômica.
Definição
A apreciação da APTIDÃO DO ANIMAL pela sua
conformação exterior apresenta algumas
dificuldades devido a complexidade das suas
FUNÇÕES ECONÔMICAS e as indicações fornecidas
pelas SUAS FORMAS EXTERNAS podendo ser
prejudicadas ou anuladas pela desarmonia, por
certos defeitos, pela idade, raça, temperamento,
estado de saúde, etc., exigindo de quem a isso se
propõe CONHECIMENTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS,
aliados a critérios impecáveis.
Para adquirir o conhecimento
¯
ter espírito observador.
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
ANIMAL SADIO
QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
Pêlo fino;
Brilhante;
Pele macia;
Movimentos gerais livres e fáceis;
Está atento a tudo;
Cabeça em posição normal, levantada;
Orelhas bem dirigidas e atentas;
Olhos limpos brilhantes e vivos;
Conjuntiva rósea;
Ponta do nariz úmida e fresca;
Ventas limpas, abertas e com mucosas róseas.
ANIMAL SADIO
Pêlos arrepiados e ásperos;
Pele seca;
Movimentos pesados, andar vagaroso e vacilante;
Indiferente aos ruídos;
Mantém a cabeça abaixada;
Orelhas caídas e desatentas;
Olhos tristes, parados e lacrimejantes;
Mucosas pálidas ou congestionadas;
Ponta do nariz quente e seca;
Ventas com corrimento ou secas.
ANIMAL DOENTE
CONCEITOS ZOOTÉCNICOS
Beleza
Defeitos
Vícios
Empregado para determinar a eficiência das partes
do animal em relação com sua utilidade.
Beleza aqui é sinônimo de bondade e para ser bom
é necessário que fisiologicamente seja perfeito.
Ex: tendões de um cavalo, bem dirigidos, grossos e
bem ligados, são belos pois fazem com que os
membros funcionem eficientemente.
BELEZA
Absoluta: requisitos essenciais para todos os casos,
todas as idades, todos os serviços e TODAS AS
RAÇAS: boas patas, bons aprumos, etc.
Relativa: quando refere-se a particularidades que
determinam, dentro de espécies, CARACTERÍSTICAS
FUNCIONAIS: úberes bem irrigados e bem
conformados, para vacas produtoras de leite.
Convencional: capricho da moda.
Inexistência de aptidão de uma região
ou órgão a determinada função
econômica.
DEFEITOS
Absolutos: são os defeitos QUE NÃO SE
COMPENSAM, inutilizando o animal sob vários
aspectos como membros defeituosos, defeito no
aparelho respiratório, garupa estreita.
Relativos: são os defeitos QUE SE COMPENSAM,
segundo a utilização do animal e prejudicam
somente num aspecto secundário: quebra de
articulação coxo-femural.
Congênito: são os defeitos presumivelmente
hereditários, que SE MANIFESTAM AO NASCER ou
logo após e que prejudicam o animal sob o ponto de
vista reprodutivo e de produção, como cascos
deformados, hérnia umbelical, jarretes ganchudos.
Adquiridos: são os defeitos adquiridos pelo animal,
no decurso de sua vida, como taras ósseas,
derrames sinoviais.
Sobrecana: Tara dura; excrescência óssea que se forma junto
dos ossos longos das canelas e que se calha situarem-se por
baixo de um tendão podem provocar tendinites e claudicações no
cavalo.
DERRAME SINOVIAL
Congênitos: animal apresenta desde os
primeiros dias de vida, como morder,
coicear.
Adquiridos: os que se manifestam depois de
certa idade, como varar cerca, tique de urso,
engolir ar.
VÍCIOS: CONGÊNITOS E
ADQUIRIDOS
Aula 1 ezoognósia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Killer Max
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
Felisberto Fmuandissa
 
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leiteManejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
Marília Gomes
 
Raças de suínos
Raças de suínosRaças de suínos
Raças de suínos
Michel Oliveira
 
Introdução e planos anatômicos - anatomia animal I
Introdução e planos anatômicos - anatomia animal IIntrodução e planos anatômicos - anatomia animal I
Introdução e planos anatômicos - anatomia animal I
Marília Gomes
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Lucas Camilo
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
Evaldo Potma
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
HenriqueKanada
 
Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1
Marília Gomes
 
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Marília Gomes
 
Panorama da avicultura
Panorama da aviculturaPanorama da avicultura
Panorama da avicultura
Marília Gomes
 
Sistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosSistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínos
Marília Gomes
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
Killer Max
 
Aula 1 fermentação ruminal
Aula 1  fermentação ruminalAula 1  fermentação ruminal
Aula 1 fermentação ruminal
Glaucia Moraes
 
Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinos
Killer Max
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
Fabrício Farias
 
Aula avaliação de animais para aquisição
Aula   avaliação de animais para aquisiçãoAula   avaliação de animais para aquisição
Aula avaliação de animais para aquisição
Cutrim Junior
 
Produção de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corteProdução de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corte
Rômulo Alexandrino Silva
 
Melhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínosMelhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínos
Brunna Silva Moreira
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
Sheila Cassenotte
 

Mais procurados (20)

Sistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinosSistemas de criação para ovinos e caprinos
Sistemas de criação para ovinos e caprinos
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
 
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leiteManejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
 
Raças de suínos
Raças de suínosRaças de suínos
Raças de suínos
 
Introdução e planos anatômicos - anatomia animal I
Introdução e planos anatômicos - anatomia animal IIntrodução e planos anatômicos - anatomia animal I
Introdução e planos anatômicos - anatomia animal I
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃONUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
NUTRIÇÃO ANIMAL INTRODUÇÃO
 
Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1
 
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
 
Panorama da avicultura
Panorama da aviculturaPanorama da avicultura
Panorama da avicultura
 
Sistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínosSistemas de produção de suínos
Sistemas de produção de suínos
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
 
Aula 1 fermentação ruminal
Aula 1  fermentação ruminalAula 1  fermentação ruminal
Aula 1 fermentação ruminal
 
Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinos
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
 
Aula avaliação de animais para aquisição
Aula   avaliação de animais para aquisiçãoAula   avaliação de animais para aquisição
Aula avaliação de animais para aquisição
 
Produção de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corteProdução de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corte
 
Melhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínosMelhoramento genético de suínos
Melhoramento genético de suínos
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
 

Último

anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
FlorAzaleia1
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 

Último (8)

anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 

Aula 1 ezoognósia

  • 2. O estudo do exterior dos animais domésticos (ezoognósia; de exterior animal conhecimento) constitui parte da Zootecnia que permite a avaliação do animal, utilizando princípios fundamentais de anatomia, fisiologia, mecânica e patologia, tendo em vista sua aplicação funcional e, conseqüentemente sua importância econômica. Definição
  • 3. A apreciação da APTIDÃO DO ANIMAL pela sua conformação exterior apresenta algumas dificuldades devido a complexidade das suas FUNÇÕES ECONÔMICAS e as indicações fornecidas pelas SUAS FORMAS EXTERNAS podendo ser prejudicadas ou anuladas pela desarmonia, por certos defeitos, pela idade, raça, temperamento, estado de saúde, etc., exigindo de quem a isso se propõe CONHECIMENTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS, aliados a critérios impecáveis.
  • 4. Para adquirir o conhecimento ¯ ter espírito observador.
  • 5. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 6. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 7. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 8. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 9. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 10. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 11. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 12. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 13. ANIMAL SADIO QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS?
  • 14. Pêlo fino; Brilhante; Pele macia; Movimentos gerais livres e fáceis; Está atento a tudo; Cabeça em posição normal, levantada; Orelhas bem dirigidas e atentas; Olhos limpos brilhantes e vivos; Conjuntiva rósea; Ponta do nariz úmida e fresca; Ventas limpas, abertas e com mucosas róseas. ANIMAL SADIO
  • 15. Pêlos arrepiados e ásperos; Pele seca; Movimentos pesados, andar vagaroso e vacilante; Indiferente aos ruídos; Mantém a cabeça abaixada; Orelhas caídas e desatentas; Olhos tristes, parados e lacrimejantes; Mucosas pálidas ou congestionadas; Ponta do nariz quente e seca; Ventas com corrimento ou secas. ANIMAL DOENTE
  • 17. Empregado para determinar a eficiência das partes do animal em relação com sua utilidade. Beleza aqui é sinônimo de bondade e para ser bom é necessário que fisiologicamente seja perfeito. Ex: tendões de um cavalo, bem dirigidos, grossos e bem ligados, são belos pois fazem com que os membros funcionem eficientemente. BELEZA
  • 18. Absoluta: requisitos essenciais para todos os casos, todas as idades, todos os serviços e TODAS AS RAÇAS: boas patas, bons aprumos, etc. Relativa: quando refere-se a particularidades que determinam, dentro de espécies, CARACTERÍSTICAS FUNCIONAIS: úberes bem irrigados e bem conformados, para vacas produtoras de leite. Convencional: capricho da moda.
  • 19. Inexistência de aptidão de uma região ou órgão a determinada função econômica. DEFEITOS
  • 20. Absolutos: são os defeitos QUE NÃO SE COMPENSAM, inutilizando o animal sob vários aspectos como membros defeituosos, defeito no aparelho respiratório, garupa estreita. Relativos: são os defeitos QUE SE COMPENSAM, segundo a utilização do animal e prejudicam somente num aspecto secundário: quebra de articulação coxo-femural.
  • 21. Congênito: são os defeitos presumivelmente hereditários, que SE MANIFESTAM AO NASCER ou logo após e que prejudicam o animal sob o ponto de vista reprodutivo e de produção, como cascos deformados, hérnia umbelical, jarretes ganchudos. Adquiridos: são os defeitos adquiridos pelo animal, no decurso de sua vida, como taras ósseas, derrames sinoviais.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. Sobrecana: Tara dura; excrescência óssea que se forma junto dos ossos longos das canelas e que se calha situarem-se por baixo de um tendão podem provocar tendinites e claudicações no cavalo.
  • 27. Congênitos: animal apresenta desde os primeiros dias de vida, como morder, coicear. Adquiridos: os que se manifestam depois de certa idade, como varar cerca, tique de urso, engolir ar. VÍCIOS: CONGÊNITOS E ADQUIRIDOS