SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
História do MS
Formação das Primeiras Cidades
   Conforme o Tratado de Tordesilhas, a região que pertence ao estado de Mato
    Grosso do Sul pertencia a Espanha. Jesuítas espanhóis ali presentes desde o início
    do século XVII fundaram missões entre os rios Paraná e Paraguai. Descobriu-se
    ouro na região, fato que atraiu muitos desbravadores e acelerou o povoamento
    local. Até a definição das fronteiras a cargo de Portugal e Espanha através dos
    Tratados de Madri (1750) e Santo Ildefonso (1777), Portugal expandiu seus
    domínios construindo vilas e fortes visando proteger as terras de ataques
    espanhóis e originando a capitania de Mato Grosso.
   Para melhor administrar seu território na América o rei espanhol dividiu em
    Adelantados, região administrada por um capitão militar e, depois dividiu em
    vice-reinos e capitanias gerais.
   Em 1534, foi fundado o Adelantado da Província do Rio do Prata que abrangia os
    atuais estados de MT, MS, GO, RS e grande parte do PR, SC, MG, SP e ainda regiões
    da Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.
   No início do século do século XVII, a província foi dividida em Província do Rio do
    Prata, com sede em Buenos Aires, e a Província do Paraguai, com sede em
    Assunção. Assim as terras atuais do MS passaram a pertencer a província do
    Paraguai, até 1750, quando mudaram para o domínio de Portugal pelo Tratado de
    Madri e a pertencer ao Brasil a partir da segunda metade do século XVIII.
   Nos anos de 1537 e 1538, o espanhol Juan Ayolas e seu acompanhante Domingos
    Martínez de Irala também estiveram na região de Corumbá, navegando pelo rio
    Paraguai, e denominaram Puerto de los Reyes à lagoa Gayva. Por entre 1542 e
    1543, Álvaro Nunes Cabeza de Vaca, aventureiro espanhol, também por Corumbá
    passou para seguir para o Peru. Outro visitante foi o governador de
    Assunção, Domingos Martinez de Irala, que marchou até os Andes.
   Em 24/03/1593, foi fundada pelo espanhol Ruy Diaz Guzman, a que
    é considerada a primeira cidade de MS, Santiago de Xerez, capital da
    Província Nova Andaluzia. Segundo o professor Gilson Martins, ela
    foi construída primeiramente as margens do rio Ivinhema, onde
    permaneceu até 1599, devido as condições climáticas e de solo, ela
    teria sida transferida para as proximidades dos rios Miranda e
    Aquidauana, em 1600 e aí permanecido até 1632, quando um
    fulminante ataque de bandeirantes ao Itatim capturou os colonos
    xerezanos e a região foi esvaziada. Hoje resta apenas a ruínas da
    cidade.
   Na década de 1610 uma missão jesuítica já se expandia de
    Assunção, no Paraguai, ao sul de Mato Grosso, tendo aldeado as
    comunidades indígenas do Itatim em território sul-matogrossense.
    Apoiada pela Espanha e pela Igreja Católica, a intenção era
    assegurar o controle do vale do Rio Paraguai e articular as missões
    do Itatim com as de Mojos e Chiquitos, de modo a assegurar
    proteção ao altiplano das minas na atual Bolívia. Ao longo das
    décadas de 1630 e 1640, no entanto, estas missões foram
    brutalmente destruídas pelos bandeirantes, tendo partido de
    Antônio Raposo Tavares, em novembro de 1648, o golpe final.
   De fato, a região sudoeste do atual estado de Mato Grosso do Sul
    por longos anos esteve sob a influência espanhola. Quanto ao
    restante do estado, desenvolvia-se muito
    lentamente, principalmente devido às dificuldades de
    comunicação com o restante do país, apesar de, desde 1617, a
    região leste sul-matogrossense ter recebido visitas de
    bandeirantes paulistas, e de em 8 de abril de 1719 ter sido
    criada Cuiabá. O sul-matogrossense era uma área de difícil
    acesso, para não se dizer isolada, e suas cidades do período
    colonial foram se fundando lentamente.
   Na atual área de Coxim, nasceu em 1729, sob o nome de
    Belliago, alcunha de seu fundador, um povoado que servia de
    apoio às monções que iam de São Paulo ao norte de Mato
    Grosso. Anos mais tarde, visando a um tratado de limites
    existente, foi fundado pelos espanhóis, em 1774, um povoado
    na foz de Ipané, e em 13 de setembro de 1775 foi oficialmente
    fundado o Forte Coimbra para a defesa da região.
   Ainda na década de 1770, o Capitão João Leme do Prado, ao
    desbravar os rios Miranda e Aquidauana, encontrou as ruínas
    da antiga comunidade de Xerez. Seguindo ordens do Capitão
    Caetano Pinto de Miranda Montenegro, governador da então
    capitania de Mato Grosso, fundou lá, em 16 de julho de
    1778, os alicerces do Presídio Nossa Senhora do Carmo do
    Mondego, mais tarde conhecido por Presídio de Miranda.
    Miranda, o povoado que nasceu aos pés da fortificação e que
    levava o nome de Presídio, no entanto, era de difícil acesso
    por serem precários os meios de navegação pelo Rio
    Mondego (hoje Rio Miranda), e somente os fundadores do
    local lá permaneciam.
   Em 1778, efetuou-se a ocupação da área onde hoje se
    localiza Corumbá. Em 21 de setembro desse mesmo ano, a
    mando do governador da Capitania de Mato Grosso, o
    Capitão-General Luís de Albuquerque de Melo Pereira e
    Cáceres, o Sargento-mor Marcelino Rois Camponês, que
    comandava uma expedição militar, adquiriu a posse da região
    para a Coroa Portuguesa, fundando o local e batizando-o
    com o nome de Nossa Senhora da Conceição de
    Albuquerque, sendo então lavrado o termo de fundação.
   A história colonial sul-matogrossense, entretanto, permanecia
    muito ligada à busca pela prata no Peru. Com a destruição do
    Império Inca e o sucesso da exploração da prata em território
    peruano através do porto de Lima, a região do Rio da Prata do
    império espanhol encontrava-se decadente e suscetível aos
    portugueses. Uma vez que estes se expandiam ao Uruguai, em
    abril de 1776 o rei Carlos III de Espanha ordenou que o
    governador do Rio da Prata, Pedro Antônio de Cevallos, pensasse
    em uma maneira de desenvolver a região de Buenos Aires. A
    resposta foi a tomada da Colônia do Sacramento dos
    portugueses e a criação do Vice-reinado do rio da Prata, que
    continha os territórios acima citados.
   Com as guerras napoleônicas, no entanto, e o ataque inglês a
    Buenos Aires, no início da década de 1810, o vice-reinado do Rio
    da Prata se desfez. O sudoeste sul-matogrossense, por sua
    vez, passou a fazer parte do Paraguai, que declarou sua
    independência da Espanha em 15 de maio de 1811.
   No ano de 1829, uma expedição enviada por
    João da Silva Machado, Barão de Antonieta, e
    chefiada por Joaquim Francisco Lopes, visando a
    expansão dos campos de pecuária do vale do Rio
    São Francisco, atravessou o Rio Paraná e fez
    contato com os índios Ofaiés, que eram dóceis, à
    altura da atual Três Lagoas. Também faziam
    parte dessa entrada Januário Garcia Leal
    Sobrinho, seus irmãos e outros sertanistas.
    Januário Garcia Leal Sobrinho e sua família
    permaneceram, aproveitando a oportunidade, no
    leste sul-matogrossense, fundando o Arraial de
    Sete Fogos, que mais tarde se tornaria Paranaíba.
   Quanto à família Lopes, dos irmãos Joaquim
    Francisco e José Francisco Lopes, adentrou com
    outros colonizadores o sul de Mato Grosso.
    Iniciou-se, assim, em 1830, o povoamento de
    fato das terras que hoje constituem o atual Mato
    Grosso do Sul, dando um novo impulso a antigas
    povoações como Miranda, Corumbá e ao Arraial
    de Belliago, que se tornou Coxim. Data dessa
    época, também, o primeiro movimento
    migratório para a região da colônia de Dourados
    - Rio Brilhante, nos “Campos de Vacaria”, seria
    inicialmente ocupada em 1835 por Antônio
    Gonçalves Barbosa.
   Professoras:
   Lucimar Ratier
   Maria Pleutim



   PROGETEC: Rafael Matos



   E. E. Antonio Pinto Pereira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Absolutismo monárquico
Absolutismo  monárquico Absolutismo  monárquico
Absolutismo monárquico Mary Alvarenga
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoFrederico Marques Sodré
 
Historia da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos FarraposHistoria da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos FarraposThaís Bozz
 
Avaliação de história (3) 8º ano 2º bim
Avaliação de história (3) 8º ano   2º bimAvaliação de história (3) 8º ano   2º bim
Avaliação de história (3) 8º ano 2º bimPriscila Silva Andrade
 
Primeira GuerraMundial e Neocolonialismo
Primeira GuerraMundial e NeocolonialismoPrimeira GuerraMundial e Neocolonialismo
Primeira GuerraMundial e NeocolonialismoLuis Silva
 
Avaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasilAvaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasilmirianfernandes
 
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacinaAvaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacinaAcrópole - História & Educação
 
Estudo dirigido revisao_prova_historia
Estudo dirigido revisao_prova_historiaEstudo dirigido revisao_prova_historia
Estudo dirigido revisao_prova_historiaSol Stabile
 
Cruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroCruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroTalita Barreto
 
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇOO TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇOAna Selma Sena Santos
 
A ocupação humana na América
A ocupação  humana na América    A ocupação  humana na América
A ocupação humana na América Mary Alvarenga
 
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Atividades Diversas Cláudia
 

Mais procurados (20)

Caça palavras brasil pre colonial
Caça palavras brasil pre colonialCaça palavras brasil pre colonial
Caça palavras brasil pre colonial
 
Absolutismo monárquico
Absolutismo  monárquico Absolutismo  monárquico
Absolutismo monárquico
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
História de Santa Catarina
História de Santa CatarinaHistória de Santa Catarina
História de Santa Catarina
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
 
Historia da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos FarraposHistoria da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos Farrapos
 
Avaliação de história (3) 8º ano 2º bim
Avaliação de história (3) 8º ano   2º bimAvaliação de história (3) 8º ano   2º bim
Avaliação de história (3) 8º ano 2º bim
 
Primeira GuerraMundial e Neocolonialismo
Primeira GuerraMundial e NeocolonialismoPrimeira GuerraMundial e Neocolonialismo
Primeira GuerraMundial e Neocolonialismo
 
7 ano -_07.07
7 ano -_07.077 ano -_07.07
7 ano -_07.07
 
Avaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasilAvaliação de história per historia do brasil
Avaliação de história per historia do brasil
 
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacinaAvaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
Avaliação 9º ano república velha, guerra de canudos, revolta da vacina
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
Estudo dirigido revisao_prova_historia
Estudo dirigido revisao_prova_historiaEstudo dirigido revisao_prova_historia
Estudo dirigido revisao_prova_historia
 
História do ceará
História do cearáHistória do ceará
História do ceará
 
Cruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroCruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouro
 
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇOO TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
 
A ocupação humana na América
A ocupação  humana na América    A ocupação  humana na América
A ocupação humana na América
 
501
501501
501
 
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
 
História do Paraná
História do ParanáHistória do Paraná
História do Paraná
 

Semelhante a História do MS - Formação das Primeiras Cidades

História de mato grosso do sul brasil colônia
História de mato grosso do sul    brasil colôniaHistória de mato grosso do sul    brasil colônia
História de mato grosso do sul brasil colôniahistoriando
 
História de mato grosso do sul brasil colônia
História de mato grosso do sul    brasil colôniaHistória de mato grosso do sul    brasil colônia
História de mato grosso do sul brasil colôniaNelia Salles Nantes
 
Uma breve história da Província do Amazonas
Uma breve história da Província do Amazonas Uma breve história da Província do Amazonas
Uma breve história da Província do Amazonas Durango Duarte
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoPaticx
 
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptxHISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptxMarsellus Cardousous
 
Estudos regionais primeiras comunidades do maranhão
Estudos regionais   primeiras comunidades do maranhãoEstudos regionais   primeiras comunidades do maranhão
Estudos regionais primeiras comunidades do maranhãoprofmarloncardozo
 
Resumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa CatarinaResumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa CatarinaElton Zanoni
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1nefthales
 
04 historia de_mato_grosso-1
04 historia de_mato_grosso-104 historia de_mato_grosso-1
04 historia de_mato_grosso-1solange caldeira
 
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...Marco Aurélio Gondim
 
Trabalho Final de Didática - 2013.1
Trabalho Final de Didática - 2013.1Trabalho Final de Didática - 2013.1
Trabalho Final de Didática - 2013.1Bruno Benevides
 
História de ms povoamento
História de ms   povoamentoHistória de ms   povoamento
História de ms povoamentohistoriando
 

Semelhante a História do MS - Formação das Primeiras Cidades (20)

História de mato grosso do sul brasil colônia
História de mato grosso do sul    brasil colôniaHistória de mato grosso do sul    brasil colônia
História de mato grosso do sul brasil colônia
 
História de mato grosso do sul brasil colônia
História de mato grosso do sul    brasil colôniaHistória de mato grosso do sul    brasil colônia
História de mato grosso do sul brasil colônia
 
Pc mt história e geografia
Pc mt   história e geografiaPc mt   história e geografia
Pc mt história e geografia
 
Historia de miranda (Professora Vanda Segato)
Historia de miranda (Professora Vanda Segato)Historia de miranda (Professora Vanda Segato)
Historia de miranda (Professora Vanda Segato)
 
Uma breve história da Província do Amazonas
Uma breve história da Província do Amazonas Uma breve história da Província do Amazonas
Uma breve história da Província do Amazonas
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
 
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptxHISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
 
Estudos regionais primeiras comunidades do maranhão
Estudos regionais   primeiras comunidades do maranhãoEstudos regionais   primeiras comunidades do maranhão
Estudos regionais primeiras comunidades do maranhão
 
História do paraná
História do paranáHistória do paraná
História do paraná
 
Resumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa CatarinaResumo - História de Santa Catarina
Resumo - História de Santa Catarina
 
Mato Grosso do Sul
Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul
Mato Grosso do Sul
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
04 historia de_mato_grosso-1
04 historia de_mato_grosso-104 historia de_mato_grosso-1
04 historia de_mato_grosso-1
 
CONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASIL
CONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASILCONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASIL
CONNSTRUÇÃO DAS FRONTEIRAS DO BRASIL
 
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
História do Mato Grosso do Sul - Ocupação do território - 2ª parte - Final do...
 
Historia regional MS
Historia regional MSHistoria regional MS
Historia regional MS
 
Guerra do contestado
Guerra do contestadoGuerra do contestado
Guerra do contestado
 
Trabalho Final de Didática - 2013.1
Trabalho Final de Didática - 2013.1Trabalho Final de Didática - 2013.1
Trabalho Final de Didática - 2013.1
 
História de ms povoamento
História de ms   povoamentoHistória de ms   povoamento
História de ms povoamento
 
História de ms povoamento
História de ms   povoamentoHistória de ms   povoamento
História de ms povoamento
 

Mais de Antonio Pinto Pereira

Anelídeos - 2º Ano Ensino Médio - Biologia
Anelídeos - 2º Ano Ensino Médio - BiologiaAnelídeos - 2º Ano Ensino Médio - Biologia
Anelídeos - 2º Ano Ensino Médio - BiologiaAntonio Pinto Pereira
 
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RHHigiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RHAntonio Pinto Pereira
 
Divisão do estado de Mato Grosso do Sul
Divisão do estado de Mato Grosso do SulDivisão do estado de Mato Grosso do Sul
Divisão do estado de Mato Grosso do SulAntonio Pinto Pereira
 
Darwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APP
Darwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APPDarwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APP
Darwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APPAntonio Pinto Pereira
 
Reino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - Jardim
Reino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - JardimReino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - Jardim
Reino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - JardimAntonio Pinto Pereira
 
Pontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EF
Pontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EFPontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EF
Pontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EFAntonio Pinto Pereira
 

Mais de Antonio Pinto Pereira (20)

Bibliotecas pelo Mundo - Histórico
Bibliotecas pelo Mundo - HistóricoBibliotecas pelo Mundo - Histórico
Bibliotecas pelo Mundo - Histórico
 
Jardim MS - Sua História
Jardim MS - Sua HistóriaJardim MS - Sua História
Jardim MS - Sua História
 
Janjão o Grandão - Bullying
Janjão o Grandão - BullyingJanjão o Grandão - Bullying
Janjão o Grandão - Bullying
 
Manual de Conduta Hoteleira
Manual de Conduta HoteleiraManual de Conduta Hoteleira
Manual de Conduta Hoteleira
 
Divisão celular I
Divisão celular IDivisão celular I
Divisão celular I
 
Lei de Coulomb - 3º Ano EM
Lei de Coulomb - 3º Ano EMLei de Coulomb - 3º Ano EM
Lei de Coulomb - 3º Ano EM
 
Ondas e sua caracterização
Ondas e sua caracterizaçãoOndas e sua caracterização
Ondas e sua caracterização
 
O átomo e sua estrutura -
O átomo e sua estrutura - O átomo e sua estrutura -
O átomo e sua estrutura -
 
Anelídeos - 2º Ano Ensino Médio - Biologia
Anelídeos - 2º Ano Ensino Médio - BiologiaAnelídeos - 2º Ano Ensino Médio - Biologia
Anelídeos - 2º Ano Ensino Médio - Biologia
 
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RHHigiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
Higiene e Segurança no Trabalho - Técnico em RH
 
Divisão do estado de Mato Grosso do Sul
Divisão do estado de Mato Grosso do SulDivisão do estado de Mato Grosso do Sul
Divisão do estado de Mato Grosso do Sul
 
Planejamento em RH - Técnico em RH
Planejamento em RH - Técnico em RHPlanejamento em RH - Técnico em RH
Planejamento em RH - Técnico em RH
 
Reino Animalia
Reino Animalia Reino Animalia
Reino Animalia
 
Foclore brasileiro - 3º Ano EF
Foclore brasileiro - 3º Ano EFFoclore brasileiro - 3º Ano EF
Foclore brasileiro - 3º Ano EF
 
Darwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APP
Darwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APPDarwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APP
Darwin - 3º Ano E. M. - Biologia - APP
 
Reino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - Jardim
Reino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - JardimReino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - Jardim
Reino animalia - Biologia - 2º Ano E. M. - APP - Jardim
 
Traffic signs in english
Traffic signs in englishTraffic signs in english
Traffic signs in english
 
Arte Grega - 6º Ano E.F.
Arte Grega - 6º Ano E.F. Arte Grega - 6º Ano E.F.
Arte Grega - 6º Ano E.F.
 
Mundo da arte - 5º Ano
Mundo da arte - 5º AnoMundo da arte - 5º Ano
Mundo da arte - 5º Ano
 
Pontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EF
Pontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EFPontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EF
Pontos e linhas - Arte - Escola APP - 3º Ano EF
 

Último

Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 

Último (20)

Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 

História do MS - Formação das Primeiras Cidades

  • 1. História do MS Formação das Primeiras Cidades
  • 2. Conforme o Tratado de Tordesilhas, a região que pertence ao estado de Mato Grosso do Sul pertencia a Espanha. Jesuítas espanhóis ali presentes desde o início do século XVII fundaram missões entre os rios Paraná e Paraguai. Descobriu-se ouro na região, fato que atraiu muitos desbravadores e acelerou o povoamento local. Até a definição das fronteiras a cargo de Portugal e Espanha através dos Tratados de Madri (1750) e Santo Ildefonso (1777), Portugal expandiu seus domínios construindo vilas e fortes visando proteger as terras de ataques espanhóis e originando a capitania de Mato Grosso.  Para melhor administrar seu território na América o rei espanhol dividiu em Adelantados, região administrada por um capitão militar e, depois dividiu em vice-reinos e capitanias gerais.  Em 1534, foi fundado o Adelantado da Província do Rio do Prata que abrangia os atuais estados de MT, MS, GO, RS e grande parte do PR, SC, MG, SP e ainda regiões da Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.  No início do século do século XVII, a província foi dividida em Província do Rio do Prata, com sede em Buenos Aires, e a Província do Paraguai, com sede em Assunção. Assim as terras atuais do MS passaram a pertencer a província do Paraguai, até 1750, quando mudaram para o domínio de Portugal pelo Tratado de Madri e a pertencer ao Brasil a partir da segunda metade do século XVIII.  Nos anos de 1537 e 1538, o espanhol Juan Ayolas e seu acompanhante Domingos Martínez de Irala também estiveram na região de Corumbá, navegando pelo rio Paraguai, e denominaram Puerto de los Reyes à lagoa Gayva. Por entre 1542 e 1543, Álvaro Nunes Cabeza de Vaca, aventureiro espanhol, também por Corumbá passou para seguir para o Peru. Outro visitante foi o governador de Assunção, Domingos Martinez de Irala, que marchou até os Andes.
  • 3. Em 24/03/1593, foi fundada pelo espanhol Ruy Diaz Guzman, a que é considerada a primeira cidade de MS, Santiago de Xerez, capital da Província Nova Andaluzia. Segundo o professor Gilson Martins, ela foi construída primeiramente as margens do rio Ivinhema, onde permaneceu até 1599, devido as condições climáticas e de solo, ela teria sida transferida para as proximidades dos rios Miranda e Aquidauana, em 1600 e aí permanecido até 1632, quando um fulminante ataque de bandeirantes ao Itatim capturou os colonos xerezanos e a região foi esvaziada. Hoje resta apenas a ruínas da cidade.  Na década de 1610 uma missão jesuítica já se expandia de Assunção, no Paraguai, ao sul de Mato Grosso, tendo aldeado as comunidades indígenas do Itatim em território sul-matogrossense. Apoiada pela Espanha e pela Igreja Católica, a intenção era assegurar o controle do vale do Rio Paraguai e articular as missões do Itatim com as de Mojos e Chiquitos, de modo a assegurar proteção ao altiplano das minas na atual Bolívia. Ao longo das décadas de 1630 e 1640, no entanto, estas missões foram brutalmente destruídas pelos bandeirantes, tendo partido de Antônio Raposo Tavares, em novembro de 1648, o golpe final.
  • 4. De fato, a região sudoeste do atual estado de Mato Grosso do Sul por longos anos esteve sob a influência espanhola. Quanto ao restante do estado, desenvolvia-se muito lentamente, principalmente devido às dificuldades de comunicação com o restante do país, apesar de, desde 1617, a região leste sul-matogrossense ter recebido visitas de bandeirantes paulistas, e de em 8 de abril de 1719 ter sido criada Cuiabá. O sul-matogrossense era uma área de difícil acesso, para não se dizer isolada, e suas cidades do período colonial foram se fundando lentamente.  Na atual área de Coxim, nasceu em 1729, sob o nome de Belliago, alcunha de seu fundador, um povoado que servia de apoio às monções que iam de São Paulo ao norte de Mato Grosso. Anos mais tarde, visando a um tratado de limites existente, foi fundado pelos espanhóis, em 1774, um povoado na foz de Ipané, e em 13 de setembro de 1775 foi oficialmente fundado o Forte Coimbra para a defesa da região.
  • 5. Ainda na década de 1770, o Capitão João Leme do Prado, ao desbravar os rios Miranda e Aquidauana, encontrou as ruínas da antiga comunidade de Xerez. Seguindo ordens do Capitão Caetano Pinto de Miranda Montenegro, governador da então capitania de Mato Grosso, fundou lá, em 16 de julho de 1778, os alicerces do Presídio Nossa Senhora do Carmo do Mondego, mais tarde conhecido por Presídio de Miranda. Miranda, o povoado que nasceu aos pés da fortificação e que levava o nome de Presídio, no entanto, era de difícil acesso por serem precários os meios de navegação pelo Rio Mondego (hoje Rio Miranda), e somente os fundadores do local lá permaneciam.  Em 1778, efetuou-se a ocupação da área onde hoje se localiza Corumbá. Em 21 de setembro desse mesmo ano, a mando do governador da Capitania de Mato Grosso, o Capitão-General Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, o Sargento-mor Marcelino Rois Camponês, que comandava uma expedição militar, adquiriu a posse da região para a Coroa Portuguesa, fundando o local e batizando-o com o nome de Nossa Senhora da Conceição de Albuquerque, sendo então lavrado o termo de fundação.
  • 6. A história colonial sul-matogrossense, entretanto, permanecia muito ligada à busca pela prata no Peru. Com a destruição do Império Inca e o sucesso da exploração da prata em território peruano através do porto de Lima, a região do Rio da Prata do império espanhol encontrava-se decadente e suscetível aos portugueses. Uma vez que estes se expandiam ao Uruguai, em abril de 1776 o rei Carlos III de Espanha ordenou que o governador do Rio da Prata, Pedro Antônio de Cevallos, pensasse em uma maneira de desenvolver a região de Buenos Aires. A resposta foi a tomada da Colônia do Sacramento dos portugueses e a criação do Vice-reinado do rio da Prata, que continha os territórios acima citados.  Com as guerras napoleônicas, no entanto, e o ataque inglês a Buenos Aires, no início da década de 1810, o vice-reinado do Rio da Prata se desfez. O sudoeste sul-matogrossense, por sua vez, passou a fazer parte do Paraguai, que declarou sua independência da Espanha em 15 de maio de 1811.
  • 7. No ano de 1829, uma expedição enviada por João da Silva Machado, Barão de Antonieta, e chefiada por Joaquim Francisco Lopes, visando a expansão dos campos de pecuária do vale do Rio São Francisco, atravessou o Rio Paraná e fez contato com os índios Ofaiés, que eram dóceis, à altura da atual Três Lagoas. Também faziam parte dessa entrada Januário Garcia Leal Sobrinho, seus irmãos e outros sertanistas. Januário Garcia Leal Sobrinho e sua família permaneceram, aproveitando a oportunidade, no leste sul-matogrossense, fundando o Arraial de Sete Fogos, que mais tarde se tornaria Paranaíba.
  • 8. Quanto à família Lopes, dos irmãos Joaquim Francisco e José Francisco Lopes, adentrou com outros colonizadores o sul de Mato Grosso. Iniciou-se, assim, em 1830, o povoamento de fato das terras que hoje constituem o atual Mato Grosso do Sul, dando um novo impulso a antigas povoações como Miranda, Corumbá e ao Arraial de Belliago, que se tornou Coxim. Data dessa época, também, o primeiro movimento migratório para a região da colônia de Dourados - Rio Brilhante, nos “Campos de Vacaria”, seria inicialmente ocupada em 1835 por Antônio Gonçalves Barbosa.
  • 9. Professoras:  Lucimar Ratier  Maria Pleutim  PROGETEC: Rafael Matos  E. E. Antonio Pinto Pereira