SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação
                                Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática
                                                   Inês Fialho Brandão

                                                            TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MULTIPLAS

Desenvolvida por Howard Gardner e a sua equipa sustém que todos aprendemos recorrendo a uma combinação dos
tipos de inteligência aqui descritos (descrições retiradas do Wikipedia):

Lógico-matemática

Capacidade de confrontar e avaliar objectos e abstracções, discernindo as suas relações e princípios subjacentes.
Possuem esta característica: matemáticos, cientistas e filósofos como Albert Einstein, Marie Curie.

Linguística

Domínio e gosto pelos idiomas e pelas palavras e por um desejo em explorá-los. É predominante em poetas,
escritores, e linguistas, como Fernando Pessoa, Rosa Lobato de Faria.

Musical

Identificável pela habilidade para compor e executar padrões musicais, executando pedaços de ouvido, em termos de
ritmo e timbre. É predominante em compositores, maestros, músicos, críticos de música como por exemplo, Ludwig
van Beethoven, Amália Rodrigues.

Espacial

Expressa-se pela capacidade de compreender o mundo visual com precisão, permitindo transformar, modificar
percepções e recriar experiências visuais até mesmo sem estímulos físicos. É predominante em arquitectos, artistas,
escultores, cartógrafos, navegadores e jogadores de xadrez, como por exemplo Miguelângelo, Siza Vieira, Sebastião
Salgado.

Corporal-cinestésica

Traduz-se na maior capacidade de controlar e orquestrar movimentos do corpo. É predominante entre actores e
aqueles que praticam a dança ou desporto, como por exemplo Maurice Béjart, Olga Roriz, Cristiano Ronaldo, Fernanda
Ribeiro.

Intrapessoal

Expressa a capacidade de se conhecer a si próprio, estando mais desenvolvida em escritores, psicoterapeutas e
conselheiros, como por exemplo, Sigmund Freud, Sophia de Mello Breyner, José Luís Peixoto.

Interpessoal

Expressa pela habilidade de entender as intenções, motivações e desejos dos outros. Encontra-se mais desenvolvida
em políticos, religiosos e professores, como por exemplo Mahatma Gandhi, Martin Luther King, Mário Soares, Álvaro
Cunhal.

Naturalista

Traduz-se na sensibilidade para compreender e organizar os objectos, fenómenos e padrões da natureza, como
reconhecer e classificar plantas, animais, minerais, incluindo rochas e gramíneas e toda a variedade de fauna, flora,
meio-ambiente e seus componentes. É característica de paisagistas, arquitectos, por exemplo. São exemplos deste tipo
de inteligência Charles Darwin, John James Audubon, Prof. Galopim de Carvalho.

Quadro explicativo e mais informações: http://colegiogardner.com.br/inteligencias/inteligencias_menu.php
Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação
                      Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática
                                         Inês Fialho Brandão

EXEMPLOS DE PERGUNTAS E/OU EXERCÍCIOS SUJEITOS À TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS APLICADOS NA
                                        OBSERVÇÃO DE

                                      NATUREZA MORTA DE JOSEFA D’OBIDOS




Lógico-matemática

Exercício simples: O que vês? Quantos (cogumelos/abóboras/romãs…) vês? Qual é a forma que aqui predomina?

Exercício complexo: ter uma mesa com formas geométricas e reconstruir o quadro através dessas formas

Linguística

Exercício simples:

“Escolhe palavras para descrever esta pintura e o que vês”. (ainda mais simples: oferecer alternativas, entre grande e
pequeno, bonito e feio, bem feito e mal feito). Pedir ao participante que justifique a sua informação.

Exercício complexo:

Escrever um cadavre exquis em texto e lê-lo no final; fazer um poema colectivo (cada pessoa escolhe um nome um
verbo e um adjectivo sobre o quadro, que são escritos em cartões, depois compõem-se versos)
Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação
                      Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática
                                         Inês Fialho Brandão

Intrapessoal

Exercício simples:

“Destes frutos e legumes, de qual gostas mais? Gostas desta pintura? Porquê?”

Exercício complexo:

“Se fosses um fruto ou um legume qual serias? Porquê?”

Interpessoal

Exercício simples: Trabalho de grupo (como o exercício de musica ou o poema)

Exercício complexo: Promover um debate sobre ponto que tenha sido discutido durante a sessão (ou, por exemplo,
“Esta pintura é bonita?”, ou “A pintura é melhor do que a fotografia”…)

Musical

Exercício simples:

Tocar excertos de músicas e pedir aos participantes que identifiquem excertos que condizem com a pintura, explicando
porquê. É mais interessante escolher música sem letra, já que uma identificação com o seu conteúdo apela à
inteligência linguística. Para apelar a três inteligências, este exercício pode ser desdobrado primeiro na versão sem
palavras e depois na versão com palavras e examinar as opiniões que mudaram e o seu porquê (inteligência
intrapessoal).

Exercício complexo:

“Vamos pensar nos sons que podem vir desta pintura – o que temos?” (ideias: apanhar as flores, frutos e legumes;
cortá-los; pô-los na mesa… ou imaginar o som de uma flor comparado ao de uma abóbora, por exemplo…)

à medida que os sons vão surgindo, repeti-los em grupo – a ritmos diferentes a ser definidos pelo orientador. Sobrepor
os sons e ritmos, resultando na banda banda sonora do quadro.

Espacial

Exercício simples:

“O que está colocado à frente? O que está colocado atrás? O que está pendurado? Quais são os frutos maiores? E os
mais pequenos?”

Exercício complexo:

“Os objectos estão proporcionais em tamanho? Como é que a pintora sugere a ideia de profundidade?”
Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação
                      Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática
                                         Inês Fialho Brandão

Corporal-cinética

Exercício simples:

Imitar os movimentos das pinceladas na execução do quadro.

Exercício complexo:

Jogar às charadas: os participantes têm que adivinhar um elemento do quadro através de indícios dados pelo
movimento (flores: cheirar, colhê-las; abóboras: pegar nelas…)

Naturalista:

Exercício simples:

“Quais são os elementos da Natureza que aqui vemos?”

Exercício complexo:

“Quantos tipos de flores, frutos e legumes aqui vemos? Há pelo menos dois elementos naturais que não aparecem aqui
como saídos da Natureza mas sim tratados pelo homem – quais são?” (utilizar o quadro de identificação no catálogo
Olmos para identificar cada um…)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 3 paradigma funcionalista
Aula 3   paradigma funcionalistaAula 3   paradigma funcionalista
Aula 3 paradigma funcionalistaEd Marcos
 
Paradigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacaoParadigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacaoCauã Taborda
 
Elementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da ImagemElementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da Imagemelizetearantes
 
Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica nanasimao
 
Hipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicação
Hipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicaçãoHipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicação
Hipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicaçãoIväny Junior Barros Lucena
 
Apreciação crítica
Apreciação críticaApreciação crítica
Apreciação críticaMaria Sousa
 
SEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNO
SEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNOSEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNO
SEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNOAndrea Dalforno
 
Urbanismo durante a revolução industrial
Urbanismo durante a revolução industrialUrbanismo durante a revolução industrial
Urbanismo durante a revolução industrialHerminio Banze
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesElizeu Nascimento Silva
 
Aula 3 antropologia urbana e metodo etnografico
Aula 3 antropologia urbana e metodo etnograficoAula 3 antropologia urbana e metodo etnografico
Aula 3 antropologia urbana e metodo etnograficoglauci coelho
 
Arquitetura de Brasília
Arquitetura de BrasíliaArquitetura de Brasília
Arquitetura de BrasíliaMorgana Brasil
 

Mais procurados (20)

Aula 3 paradigma funcionalista
Aula 3   paradigma funcionalistaAula 3   paradigma funcionalista
Aula 3 paradigma funcionalista
 
Paradigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacaoParadigmas da comunicacao
Paradigmas da comunicacao
 
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart HallAula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
Aula 9c Estudos Culturais - Stuart Hall
 
Elementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da ImagemElementos Para Leitura Da Imagem
Elementos Para Leitura Da Imagem
 
Aula 02 linguagem visual
Aula 02   linguagem visualAula 02   linguagem visual
Aula 02 linguagem visual
 
Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica
 
Aula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria FuncionalistaAula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria Funcionalista
 
Hipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicação
Hipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicaçãoHipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicação
Hipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicação
 
Dte perspectiva quadricula
Dte perspectiva quadriculaDte perspectiva quadricula
Dte perspectiva quadricula
 
Apreciação crítica
Apreciação críticaApreciação crítica
Apreciação crítica
 
Aula 3 arte - 2º ano
Aula 3   arte - 2º anoAula 3   arte - 2º ano
Aula 3 arte - 2º ano
 
Abstraccionismo
AbstraccionismoAbstraccionismo
Abstraccionismo
 
SEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNO
SEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNOSEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNO
SEMIÓTICA | CONCEITOS DE SIGNO
 
Urbanismo durante a revolução industrial
Urbanismo durante a revolução industrialUrbanismo durante a revolução industrial
Urbanismo durante a revolução industrial
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
 
Aula 3 antropologia urbana e metodo etnografico
Aula 3 antropologia urbana e metodo etnograficoAula 3 antropologia urbana e metodo etnografico
Aula 3 antropologia urbana e metodo etnografico
 
História do Design
História do DesignHistória do Design
História do Design
 
T4 g2 - mudar a cidade
T4   g2 - mudar a cidadeT4   g2 - mudar a cidade
T4 g2 - mudar a cidade
 
Espaço e expressão
Espaço e expressãoEspaço e expressão
Espaço e expressão
 
Arquitetura de Brasília
Arquitetura de BrasíliaArquitetura de Brasília
Arquitetura de Brasília
 

Semelhante a Handout Gardner Inês Fialho Brandão

ARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docx
ARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docxARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docx
ARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docxBRENDAMAYLASOARES
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoRose Silva
 
Congresso de blumanau
Congresso de blumanauCongresso de blumanau
Congresso de blumanauffkuster
 
Congresso de blumanau
Congresso de blumanauCongresso de blumanau
Congresso de blumanauffkuster
 
Congresso de Blumenau
Congresso de BlumenauCongresso de Blumenau
Congresso de Blumenauffkuster
 
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagemInteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagemÉlida Catarino
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoRose Silva
 
Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...
Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...
Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlApresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlVinicius de Nepomuceno
 
Apresentacao Tmi Gardner
Apresentacao Tmi GardnerApresentacao Tmi Gardner
Apresentacao Tmi Gardnerguestb911cf
 
Estágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmann
Estágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmannEstágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmann
Estágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmannsoniamarys
 
História, Arte e Criatividade
História, Arte e CriatividadeHistória, Arte e Criatividade
História, Arte e CriatividadeJoão Lima
 
Portfólio de fotos sobre diversidade
Portfólio de fotos sobre diversidadePortfólio de fotos sobre diversidade
Portfólio de fotos sobre diversidadeMaristela Roos
 
Portfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol MendozaPortfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol MendozaCarol Mendoza
 
3ª etapa 1° ciclo.docx
3ª etapa 1° ciclo.docx3ª etapa 1° ciclo.docx
3ª etapa 1° ciclo.docxIvete Diniz
 

Semelhante a Handout Gardner Inês Fialho Brandão (20)

Arte Pcop Sergio
Arte Pcop SergioArte Pcop Sergio
Arte Pcop Sergio
 
ARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docx
ARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docxARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docx
ARTES - 3° ANO - ALINHADO A BNCC.docx
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
 
Congresso de blumanau
Congresso de blumanauCongresso de blumanau
Congresso de blumanau
 
Congresso de blumanau
Congresso de blumanauCongresso de blumanau
Congresso de blumanau
 
Congresso de Blumenau
Congresso de BlumenauCongresso de Blumenau
Congresso de Blumenau
 
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagemInteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
 
Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...
Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...
Oficina: Por uma compreensão do letramento visual e seus suportes - Profª Dra...
 
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlApresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
 
Plano de maio
Plano de maio Plano de maio
Plano de maio
 
Apresentacao Tmi Gardner
Apresentacao Tmi GardnerApresentacao Tmi Gardner
Apresentacao Tmi Gardner
 
Portfolio
PortfolioPortfolio
Portfolio
 
Estágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmann
Estágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmannEstágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmann
Estágio de docência em Arte Visuais_soniamarisrittmann
 
Inteligencias multiplas
Inteligencias multiplasInteligencias multiplas
Inteligencias multiplas
 
História, Arte e Criatividade
História, Arte e CriatividadeHistória, Arte e Criatividade
História, Arte e Criatividade
 
Portfólio de fotos sobre diversidade
Portfólio de fotos sobre diversidadePortfólio de fotos sobre diversidade
Portfólio de fotos sobre diversidade
 
Portfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol MendozaPortfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol Mendoza
 
3ª etapa 1° ciclo.docx
3ª etapa 1° ciclo.docx3ª etapa 1° ciclo.docx
3ª etapa 1° ciclo.docx
 
5.12.2013 Oficina Letramento visual: Matrizes de linguagem e seus suportes p...
5.12.2013 Oficina Letramento visual:  Matrizes de linguagem e seus suportes p...5.12.2013 Oficina Letramento visual:  Matrizes de linguagem e seus suportes p...
5.12.2013 Oficina Letramento visual: Matrizes de linguagem e seus suportes p...
 

Mais de João Lima

Ensaio sobre a fome
Ensaio sobre a fome Ensaio sobre a fome
Ensaio sobre a fome João Lima
 
Utopias 2014 Programa
Utopias 2014 ProgramaUtopias 2014 Programa
Utopias 2014 ProgramaJoão Lima
 
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem VelhoUm Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem VelhoJoão Lima
 
Aula Cenários e Silêncios
Aula Cenários e SilênciosAula Cenários e Silêncios
Aula Cenários e SilênciosJoão Lima
 
Prototype Present
Prototype PresentPrototype Present
Prototype PresentJoão Lima
 
Ideas and Choices
Ideas and ChoicesIdeas and Choices
Ideas and ChoicesJoão Lima
 
Empathy Map and Problem Statement
Empathy Map and Problem StatementEmpathy Map and Problem Statement
Empathy Map and Problem StatementJoão Lima
 
Roteiro de exploração pedagógica 5
Roteiro de exploração pedagógica 5Roteiro de exploração pedagógica 5
Roteiro de exploração pedagógica 5João Lima
 
Roteiro de exploração pedagógica 4
Roteiro de exploração pedagógica 4Roteiro de exploração pedagógica 4
Roteiro de exploração pedagógica 4João Lima
 
Roteiro de exploração pedagógica 3
Roteiro de exploração pedagógica 3Roteiro de exploração pedagógica 3
Roteiro de exploração pedagógica 3João Lima
 
Roteiro de exploração pedagógica 2
Roteiro de exploração pedagógica 2Roteiro de exploração pedagógica 2
Roteiro de exploração pedagógica 2João Lima
 
Arte e literatura cacgm
Arte e literatura cacgmArte e literatura cacgm
Arte e literatura cacgmJoão Lima
 
Roteiro de exploração pedagógica 1
Roteiro de exploração pedagógica 1Roteiro de exploração pedagógica 1
Roteiro de exploração pedagógica 1João Lima
 
Roteiro de exploração pedagógica 6
Roteiro de exploração pedagógica 6Roteiro de exploração pedagógica 6
Roteiro de exploração pedagógica 6João Lima
 
Museu das Comunicações Cristina Weber
Museu das Comunicações Cristina WeberMuseu das Comunicações Cristina Weber
Museu das Comunicações Cristina WeberJoão Lima
 
Da escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina WeberDa escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina WeberJoão Lima
 
Da escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina WeberDa escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina WeberJoão Lima
 

Mais de João Lima (20)

Ensaio sobre a fome
Ensaio sobre a fome Ensaio sobre a fome
Ensaio sobre a fome
 
Utopias 2014 Programa
Utopias 2014 ProgramaUtopias 2014 Programa
Utopias 2014 Programa
 
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem VelhoUm Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem Velho
 
Aula Cenários e Silêncios
Aula Cenários e SilênciosAula Cenários e Silêncios
Aula Cenários e Silêncios
 
Prototype
PrototypePrototype
Prototype
 
Prototype Present
Prototype PresentPrototype Present
Prototype Present
 
Ideas and Choices
Ideas and ChoicesIdeas and Choices
Ideas and Choices
 
Empathy Map and Problem Statement
Empathy Map and Problem StatementEmpathy Map and Problem Statement
Empathy Map and Problem Statement
 
Roteiro de exploração pedagógica 5
Roteiro de exploração pedagógica 5Roteiro de exploração pedagógica 5
Roteiro de exploração pedagógica 5
 
Roteiro de exploração pedagógica 4
Roteiro de exploração pedagógica 4Roteiro de exploração pedagógica 4
Roteiro de exploração pedagógica 4
 
Roteiro de exploração pedagógica 3
Roteiro de exploração pedagógica 3Roteiro de exploração pedagógica 3
Roteiro de exploração pedagógica 3
 
Roteiro de exploração pedagógica 2
Roteiro de exploração pedagógica 2Roteiro de exploração pedagógica 2
Roteiro de exploração pedagógica 2
 
Arte e literatura cacgm
Arte e literatura cacgmArte e literatura cacgm
Arte e literatura cacgm
 
Roteiro de exploração pedagógica 1
Roteiro de exploração pedagógica 1Roteiro de exploração pedagógica 1
Roteiro de exploração pedagógica 1
 
Roteiro de exploração pedagógica 6
Roteiro de exploração pedagógica 6Roteiro de exploração pedagógica 6
Roteiro de exploração pedagógica 6
 
Op mni 2
Op mni 2Op mni 2
Op mni 2
 
Op mni 1
Op mni 1Op mni 1
Op mni 1
 
Museu das Comunicações Cristina Weber
Museu das Comunicações Cristina WeberMuseu das Comunicações Cristina Weber
Museu das Comunicações Cristina Weber
 
Da escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina WeberDa escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina Weber
 
Da escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina WeberDa escola ao museu das comunicações Cristina Weber
Da escola ao museu das comunicações Cristina Weber
 

Último

HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 

Último (20)

HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 

Handout Gardner Inês Fialho Brandão

  • 1. Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática Inês Fialho Brandão TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MULTIPLAS Desenvolvida por Howard Gardner e a sua equipa sustém que todos aprendemos recorrendo a uma combinação dos tipos de inteligência aqui descritos (descrições retiradas do Wikipedia): Lógico-matemática Capacidade de confrontar e avaliar objectos e abstracções, discernindo as suas relações e princípios subjacentes. Possuem esta característica: matemáticos, cientistas e filósofos como Albert Einstein, Marie Curie. Linguística Domínio e gosto pelos idiomas e pelas palavras e por um desejo em explorá-los. É predominante em poetas, escritores, e linguistas, como Fernando Pessoa, Rosa Lobato de Faria. Musical Identificável pela habilidade para compor e executar padrões musicais, executando pedaços de ouvido, em termos de ritmo e timbre. É predominante em compositores, maestros, músicos, críticos de música como por exemplo, Ludwig van Beethoven, Amália Rodrigues. Espacial Expressa-se pela capacidade de compreender o mundo visual com precisão, permitindo transformar, modificar percepções e recriar experiências visuais até mesmo sem estímulos físicos. É predominante em arquitectos, artistas, escultores, cartógrafos, navegadores e jogadores de xadrez, como por exemplo Miguelângelo, Siza Vieira, Sebastião Salgado. Corporal-cinestésica Traduz-se na maior capacidade de controlar e orquestrar movimentos do corpo. É predominante entre actores e aqueles que praticam a dança ou desporto, como por exemplo Maurice Béjart, Olga Roriz, Cristiano Ronaldo, Fernanda Ribeiro. Intrapessoal Expressa a capacidade de se conhecer a si próprio, estando mais desenvolvida em escritores, psicoterapeutas e conselheiros, como por exemplo, Sigmund Freud, Sophia de Mello Breyner, José Luís Peixoto. Interpessoal Expressa pela habilidade de entender as intenções, motivações e desejos dos outros. Encontra-se mais desenvolvida em políticos, religiosos e professores, como por exemplo Mahatma Gandhi, Martin Luther King, Mário Soares, Álvaro Cunhal. Naturalista Traduz-se na sensibilidade para compreender e organizar os objectos, fenómenos e padrões da natureza, como reconhecer e classificar plantas, animais, minerais, incluindo rochas e gramíneas e toda a variedade de fauna, flora, meio-ambiente e seus componentes. É característica de paisagistas, arquitectos, por exemplo. São exemplos deste tipo de inteligência Charles Darwin, John James Audubon, Prof. Galopim de Carvalho. Quadro explicativo e mais informações: http://colegiogardner.com.br/inteligencias/inteligencias_menu.php
  • 2. Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática Inês Fialho Brandão EXEMPLOS DE PERGUNTAS E/OU EXERCÍCIOS SUJEITOS À TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS APLICADOS NA OBSERVÇÃO DE NATUREZA MORTA DE JOSEFA D’OBIDOS Lógico-matemática Exercício simples: O que vês? Quantos (cogumelos/abóboras/romãs…) vês? Qual é a forma que aqui predomina? Exercício complexo: ter uma mesa com formas geométricas e reconstruir o quadro através dessas formas Linguística Exercício simples: “Escolhe palavras para descrever esta pintura e o que vês”. (ainda mais simples: oferecer alternativas, entre grande e pequeno, bonito e feio, bem feito e mal feito). Pedir ao participante que justifique a sua informação. Exercício complexo: Escrever um cadavre exquis em texto e lê-lo no final; fazer um poema colectivo (cada pessoa escolhe um nome um verbo e um adjectivo sobre o quadro, que são escritos em cartões, depois compõem-se versos)
  • 3. Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática Inês Fialho Brandão Intrapessoal Exercício simples: “Destes frutos e legumes, de qual gostas mais? Gostas desta pintura? Porquê?” Exercício complexo: “Se fosses um fruto ou um legume qual serias? Porquê?” Interpessoal Exercício simples: Trabalho de grupo (como o exercício de musica ou o poema) Exercício complexo: Promover um debate sobre ponto que tenha sido discutido durante a sessão (ou, por exemplo, “Esta pintura é bonita?”, ou “A pintura é melhor do que a fotografia”…) Musical Exercício simples: Tocar excertos de músicas e pedir aos participantes que identifiquem excertos que condizem com a pintura, explicando porquê. É mais interessante escolher música sem letra, já que uma identificação com o seu conteúdo apela à inteligência linguística. Para apelar a três inteligências, este exercício pode ser desdobrado primeiro na versão sem palavras e depois na versão com palavras e examinar as opiniões que mudaram e o seu porquê (inteligência intrapessoal). Exercício complexo: “Vamos pensar nos sons que podem vir desta pintura – o que temos?” (ideias: apanhar as flores, frutos e legumes; cortá-los; pô-los na mesa… ou imaginar o som de uma flor comparado ao de uma abóbora, por exemplo…) à medida que os sons vão surgindo, repeti-los em grupo – a ritmos diferentes a ser definidos pelo orientador. Sobrepor os sons e ritmos, resultando na banda banda sonora do quadro. Espacial Exercício simples: “O que está colocado à frente? O que está colocado atrás? O que está pendurado? Quais são os frutos maiores? E os mais pequenos?” Exercício complexo: “Os objectos estão proporcionais em tamanho? Como é que a pintora sugere a ideia de profundidade?”
  • 4. Observ@rte | 2013 – Criatividade | Museus | Educação Museu Nacional de Arte Antiga | Construir uma vista temática Inês Fialho Brandão Corporal-cinética Exercício simples: Imitar os movimentos das pinceladas na execução do quadro. Exercício complexo: Jogar às charadas: os participantes têm que adivinhar um elemento do quadro através de indícios dados pelo movimento (flores: cheirar, colhê-las; abóboras: pegar nelas…) Naturalista: Exercício simples: “Quais são os elementos da Natureza que aqui vemos?” Exercício complexo: “Quantos tipos de flores, frutos e legumes aqui vemos? Há pelo menos dois elementos naturais que não aparecem aqui como saídos da Natureza mas sim tratados pelo homem – quais são?” (utilizar o quadro de identificação no catálogo Olmos para identificar cada um…)