SlideShare uma empresa Scribd logo
O PERÍODO REGENCIAL (1831-1840)
Prof. Wendell Guedes
Grupamentos Políticos:
• Partido Liberal Exaltado ou Partido Farroupilha ou Jurujuba: defendiam a
República e o nacionalismo e pretendiam proporcionar melhores condições
econômicas e sociais ao povo brasileiro. Representados pela classe média
urbana e latifundiários;
• Partido Liberal Moderado ou Chimango, defensor dos interesses da
aristocracia rural. Seus membros detinham o poder de decisão política e
estavam satisfeitos com a situação social vigente. Discordavam da
promoção de reformas e da democratização interna: queriam preservar o
status quo predominante no Brasil, desde a época colonial;
• Partido Restaurador ou Caramuru, último remanescente da facção
recolonizadora (comerciantes lusos) e da antiga influência política dos
Andradas (José Bonifácio em especial). Defendia a volta de D. Pedro I.
Partido
Progressista
Partido
Regressista
Partido
Português
Partido
Restaurador
Liberal
Moderado
Partido Liberal
Liberal Exaltado
Partido
Brasileiro
Partido
Conservador
Evolução dos Partidos:
Primeiro Reinado Segundo ReinadoPeríodo Regencial
REGÊNCIA TRINA PROVISÓRIA (ABRIL – JUNHO
DE 1831)
Constituída por Nicolau de Campos Vergueiro (liberal), José
Joaquim Carneiro de Campos (conservador) e o militar
Francisco de Lima e Silva (equilíbrio das tendências).
Dentre as realizações da Regência, podem ser destacadas:
• Manutenção da Constituição de 1824;
• Anistia a presos políticos;
• Reintegração do "Ministério dos Brasileiros", exonerado;
• A Lei Regencial, através da qual se restringiu o Poder
Moderador e se proibiu o direito dos regentes de dissolver a
Câmara e de conceder títulos de nobreza.
REGÊNCIA TRINA PERMANENTE (1831-1835):
Constituída por critério político-geográfico: o Norte foi representado pelo deputado
Bráulio Muniz; o Sul, pelo deputado Costa Carvalho; o brigadeiro Lima e Silva, da
Regência Provisória, permaneceu.
Padre Diogo Antônio Feijó, então Ministro
da Justiça, criou a Guarda Nacional que
mais tarde deu origem ao chamado
“coronelismo” tão marcante na República
Velha.
Código de Processo Criminal:
Determinava que os juízes das províncias seriam eleitos localmente.
Esta disposição permitiu, pelo menos em termos jurídicos, uma
relativa autonomia provincial, de acordo com os ideais federalistas
dos exaltados.
Ato Adicional de 1834:
• Extinção do Conselho do Estado;
• Substituição dos Conselhos Provinciais por Assembleias Provinciais ;
• A criação de um município neutro, com jurisdição independente, para
funcionar como a capital do Brasil (a cidade de São Sebastião do Rio
de Janeiro);
• A extinção da Regência Trina e criação da Regência Una. Essa medida,
que objetivava dar melhor organização ao governo central, estipulava
que o Regente seria eleito pela Assembleia Nacional e seu mandato
teria a duração de quatro anos.
REGÊNCIA UNA DE FEIJÓ (1835-1837):
Cisão do Partido Moderado em Progressistas e Regressistas;
Falta de apoio da Câmara;
Morte de seu principal aliado: Evaristo da Veiga;
Revoltas que estouraram pelo Brasil;
A REGÊNCIA DE ARAÚJO LIMA (1838-1840):
O Brasil regressou ao conservadorismo;
Formação do Ministério das Capacidades de tendências
regressistas; Criação do Imperial Colégio D. Pedro II e do
Instituto Histórico e Geográfico;
Lei Interpretativa do Ato Adicional.
O GOLPE DA MAIORIDADE (1840):
Liderado pelo “Clube da Maioridade” (liberais), Pedro de Alcântara foi
aclamado Imperador do Brasil.
REVOLTAS REGENCIAIS
REVOLTA DOS MALÊS (BAHIA/1835)
• Formada por africanos de formação muçulmana, que falavam e
escreviam em árabe;
• Planejavam libertar os escravos de Salvador.
CABANAGEM (PARÁ/1835-1840)
• Esperavam a libertação dos escravos e a distribuição das terras
para os trabalhadores;
• Um dos episódios mais violentos, pois morreram mais de 30 mil
pessoas.
SABINADA (BAHIA/1837-1838)
Liderada por Dr. Sabino Álvares da Rocha Vieira;
Apoiado pela classe média soteropolitana funda uma República
provisória na Bahia.
BALAIADA (MARANHÃO/1838-1841)
Ampla participação popular, com participação de escravos;
Disputas políticas entre os “bem-te-vis” e os “cabanos” deram início ao
conflito;
Luís Alves de Lima e Silva (futuro Duque de Caxias) pôs fim ao conflito.
FARRAPOS (RIO GRANDE DO SUL/1835-1845
O principal motivo do conflito foi o controle do comércio do charque na
região e a pouca ajuda do Governo Regencial aos produtores;
Marcados por ideais federalistas;
Fundam a República Piratini e, mais tarde, em constantes batalhas
acabaram por tomar e fundar a República Juliana na Batalha de
Laguna;
Acordo de Poncho Verde: incorporação dos soldados farrapos ao
exército brasileiro, libertação dos escravos que participaram do
conflito, taxação do charque platino e anistia geral dos revoltosos.
O saber não basta,
Temos de o aplicar.
A vontade não basta,
Temos de atuar.
Goethe

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil Republica Primeiros Anos[1]
Brasil Republica Primeiros Anos[1]Brasil Republica Primeiros Anos[1]
Brasil Republica Primeiros Anos[1]
monica10
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Pérysson Nogueira
 
A República Velha
A República VelhaA República Velha
A República Velha
Paulo Alexandre
 
O Advento Da RepúBlica No Brasil
O Advento Da RepúBlica No BrasilO Advento Da RepúBlica No Brasil
O Advento Da RepúBlica No Brasil
Marcelo Oliveira
 
Republica Brasileira
Republica BrasileiraRepublica Brasileira
Republica Brasileira
guesta48e0f
 
Periodo regencia ll.ppt aula 2⺠ano
Periodo regencia ll.ppt aula 2⺠anoPeriodo regencia ll.ppt aula 2⺠ano
Periodo regencia ll.ppt aula 2⺠ano
Isadora Alves
 
3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha
3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha
3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha
Lela Leite
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
Portal do Vestibulando
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Lucas Cardoso
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
Luiz Valentim
 
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
Diego Bian Filo Moreira
 
Hb hg 3
Hb hg 3Hb hg 3
Brasil RepúBlica I
Brasil RepúBlica IBrasil RepúBlica I
Brasil RepúBlica I
ecsette
 
A República da Espada
A República da EspadaA República da Espada
A República da Espada
dayanbotelho2
 
República da Espada
República da EspadaRepública da Espada
República da Espada
Lú Carvalho
 
História do brasil 8
História do brasil 8História do brasil 8
História do brasil 8
fernandacarolinestang
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
Má Bartzen
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
Guilherme Drumond
 
República da espada (aula)blogger
República da espada (aula)bloggerRepública da espada (aula)blogger
República da espada (aula)blogger
Norberto Correa
 

Mais procurados (20)

Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
 
Brasil Republica Primeiros Anos[1]
Brasil Republica Primeiros Anos[1]Brasil Republica Primeiros Anos[1]
Brasil Republica Primeiros Anos[1]
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
A República Velha
A República VelhaA República Velha
A República Velha
 
O Advento Da RepúBlica No Brasil
O Advento Da RepúBlica No BrasilO Advento Da RepúBlica No Brasil
O Advento Da RepúBlica No Brasil
 
Republica Brasileira
Republica BrasileiraRepublica Brasileira
Republica Brasileira
 
Periodo regencia ll.ppt aula 2⺠ano
Periodo regencia ll.ppt aula 2⺠anoPeriodo regencia ll.ppt aula 2⺠ano
Periodo regencia ll.ppt aula 2⺠ano
 
3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha
3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha
3° Ano Aula 16 A 19 Brasil RepúBlica RepúBlica Velha
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
 
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
BRASIL 04- PRIMEIRA REPÚBLICA
 
Hb hg 3
Hb hg 3Hb hg 3
Hb hg 3
 
Brasil RepúBlica I
Brasil RepúBlica IBrasil RepúBlica I
Brasil RepúBlica I
 
A República da Espada
A República da EspadaA República da Espada
A República da Espada
 
República da Espada
República da EspadaRepública da Espada
República da Espada
 
História do brasil 8
História do brasil 8História do brasil 8
História do brasil 8
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
 
República da espada (aula)blogger
República da espada (aula)bloggerRepública da espada (aula)blogger
República da espada (aula)blogger
 

Destaque

Guerra ao Terror
Guerra ao TerrorGuerra ao Terror
Guerra ao Terror
eiprofessor
 
Nova Ordem Mundial
Nova Ordem MundialNova Ordem Mundial
Nova Ordem Mundial
eiprofessor
 
A Invenção do Oriente Médio
A Invenção do Oriente MédioA Invenção do Oriente Médio
A Invenção do Oriente Médio
eiprofessor
 
Invasões Estrangeiras e Expansão Territorial
Invasões Estrangeiras e Expansão TerritorialInvasões Estrangeiras e Expansão Territorial
Invasões Estrangeiras e Expansão Territorialeiprofessor
 
Nicaraguan revolution
Nicaraguan revolutionNicaraguan revolution
Nicaraguan revolution
Gisele Finatti Baraglio
 
Governos Populistas
Governos PopulistasGovernos Populistas
Governos Populistas
eiprofessor
 
As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste AsiáticoAs Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiáticoeiprofessor
 
II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)
eiprofessor
 
Primavera Árabe
Primavera ÁrabePrimavera Árabe
Primavera Árabe
eiprofessor
 
Sociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da HumanidadeSociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da Humanidade
José Augusto Fiorin
 
PeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcialPeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcial
YANBGA
 
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopoliticaOriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Gisele Finatti Baraglio
 
Revolução Chinesa
Revolução ChinesaRevolução Chinesa
Revolução Chinesa
eiprofessor
 
História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)
eiprofessor
 
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no BrasilDa Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
eiprofessor
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
eiprofessor
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
eiprofessor
 
II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)
eiprofessor
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
eiprofessor
 
História da TV no mundo
História da TV no mundoHistória da TV no mundo
História da TV no mundo
Daniel Hora
 

Destaque (20)

Guerra ao Terror
Guerra ao TerrorGuerra ao Terror
Guerra ao Terror
 
Nova Ordem Mundial
Nova Ordem MundialNova Ordem Mundial
Nova Ordem Mundial
 
A Invenção do Oriente Médio
A Invenção do Oriente MédioA Invenção do Oriente Médio
A Invenção do Oriente Médio
 
Invasões Estrangeiras e Expansão Territorial
Invasões Estrangeiras e Expansão TerritorialInvasões Estrangeiras e Expansão Territorial
Invasões Estrangeiras e Expansão Territorial
 
Nicaraguan revolution
Nicaraguan revolutionNicaraguan revolution
Nicaraguan revolution
 
Governos Populistas
Governos PopulistasGovernos Populistas
Governos Populistas
 
As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste AsiáticoAs Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
 
II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)
 
Primavera Árabe
Primavera ÁrabePrimavera Árabe
Primavera Árabe
 
Sociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da HumanidadeSociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da Humanidade
 
PeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcialPeríOdo RegêNcial
PeríOdo RegêNcial
 
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopoliticaOriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
 
Revolução Chinesa
Revolução ChinesaRevolução Chinesa
Revolução Chinesa
 
História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)
 
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no BrasilDa Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
 
II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
 
História da TV no mundo
História da TV no mundoHistória da TV no mundo
História da TV no mundo
 

Semelhante a Período Regencial

Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Bruno E Geyse Ornelas
 
Crise no primeiro reinado e período regencial
Crise no primeiro reinado e período regencialCrise no primeiro reinado e período regencial
Crise no primeiro reinado e período regencial
Marcos Mamute
 
AULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdf
AULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdfAULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdf
AULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdf
FlviaCristina51
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Rodrigo HistóriaGeografia
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
Daniel Alves Bronstrup
 
Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345
Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345
Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345
Marco Andrade
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
seixasmarianas
 
A Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VIA Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VI
guest923616
 
A Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VIA Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VI
guest923616
 
Crtl V Crtl C
Crtl V Crtl CCrtl V Crtl C
Crtl V Crtl C
historiaduzentosedois
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
Marcia Klein
 
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espadaPrimeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
ArthurRomanof1
 
imperio-brasileiro-1822-1889.ppt
imperio-brasileiro-1822-1889.pptimperio-brasileiro-1822-1889.ppt
imperio-brasileiro-1822-1889.ppt
KrishPatel433809
 
011509 periodo regencial_modificado
011509 periodo regencial_modificado011509 periodo regencial_modificado
011509 periodo regencial_modificado
alexroro15
 
Período regencial no Brasil
Período regencial no BrasilPeríodo regencial no Brasil
Período regencial no Brasil
Edenilson Morais
 
Os caminhos da política imperial brasileira
Os caminhos da política imperial brasileiraOs caminhos da política imperial brasileira
Os caminhos da política imperial brasileira
Washington Souza
 
Imperio periodoregencial
Imperio periodoregencialImperio periodoregencial
Imperio periodoregencial
Carlos Zaranza
 
Aula Invertida 2
Aula Invertida 2Aula Invertida 2
Aula Invertida 2
Fulano Silva
 
Brasil Império2018
Brasil Império2018Brasil Império2018
Brasil Império2018
Zeze Silva
 
Período regencial (17 05-10)
Período regencial (17 05-10)Período regencial (17 05-10)
Período regencial (17 05-10)
Bruna Sanchez
 

Semelhante a Período Regencial (20)

Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Crise no primeiro reinado e período regencial
Crise no primeiro reinado e período regencialCrise no primeiro reinado e período regencial
Crise no primeiro reinado e período regencial
 
AULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdf
AULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdfAULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdf
AULA 9 - O PERÍDO REGENCIAL (1831-1840).pdf
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
 
Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345
Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345
Perodo Regencial(1831 1840) Histria12345
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
 
A Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VIA Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VI
 
A Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VIA Partir De D. Joao VI
A Partir De D. Joao VI
 
Crtl V Crtl C
Crtl V Crtl CCrtl V Crtl C
Crtl V Crtl C
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espadaPrimeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
 
imperio-brasileiro-1822-1889.ppt
imperio-brasileiro-1822-1889.pptimperio-brasileiro-1822-1889.ppt
imperio-brasileiro-1822-1889.ppt
 
011509 periodo regencial_modificado
011509 periodo regencial_modificado011509 periodo regencial_modificado
011509 periodo regencial_modificado
 
Período regencial no Brasil
Período regencial no BrasilPeríodo regencial no Brasil
Período regencial no Brasil
 
Os caminhos da política imperial brasileira
Os caminhos da política imperial brasileiraOs caminhos da política imperial brasileira
Os caminhos da política imperial brasileira
 
Imperio periodoregencial
Imperio periodoregencialImperio periodoregencial
Imperio periodoregencial
 
Aula Invertida 2
Aula Invertida 2Aula Invertida 2
Aula Invertida 2
 
Brasil Império2018
Brasil Império2018Brasil Império2018
Brasil Império2018
 
Período regencial (17 05-10)
Período regencial (17 05-10)Período regencial (17 05-10)
Período regencial (17 05-10)
 

Mais de eiprofessor

Período Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I ReinadoPeríodo Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I Reinado
eiprofessor
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
eiprofessor
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
eiprofessor
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
eiprofessor
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
eiprofessor
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
eiprofessor
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
eiprofessor
 
República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)
eiprofessor
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
eiprofessor
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
eiprofessor
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
eiprofessor
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
eiprofessor
 
Revolucão Industrial
Revolucão IndustrialRevolucão Industrial
Revolucão Industrial
eiprofessor
 
EUA no século XIX
EUA no século XIXEUA no século XIX
EUA no século XIX
eiprofessor
 
República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)
eiprofessor
 
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na AméricaIndependência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
eiprofessor
 
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
eiprofessor
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
eiprofessor
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
eiprofessor
 
Civilização Inca
Civilização IncaCivilização Inca
Civilização Inca
eiprofessor
 

Mais de eiprofessor (20)

Período Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I ReinadoPeríodo Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I Reinado
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Revolucão Industrial
Revolucão IndustrialRevolucão Industrial
Revolucão Industrial
 
EUA no século XIX
EUA no século XIXEUA no século XIX
EUA no século XIX
 
República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)
 
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na AméricaIndependência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
 
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
 
Civilização Inca
Civilização IncaCivilização Inca
Civilização Inca
 

Período Regencial

  • 1. O PERÍODO REGENCIAL (1831-1840) Prof. Wendell Guedes
  • 2. Grupamentos Políticos: • Partido Liberal Exaltado ou Partido Farroupilha ou Jurujuba: defendiam a República e o nacionalismo e pretendiam proporcionar melhores condições econômicas e sociais ao povo brasileiro. Representados pela classe média urbana e latifundiários; • Partido Liberal Moderado ou Chimango, defensor dos interesses da aristocracia rural. Seus membros detinham o poder de decisão política e estavam satisfeitos com a situação social vigente. Discordavam da promoção de reformas e da democratização interna: queriam preservar o status quo predominante no Brasil, desde a época colonial; • Partido Restaurador ou Caramuru, último remanescente da facção recolonizadora (comerciantes lusos) e da antiga influência política dos Andradas (José Bonifácio em especial). Defendia a volta de D. Pedro I.
  • 4. REGÊNCIA TRINA PROVISÓRIA (ABRIL – JUNHO DE 1831) Constituída por Nicolau de Campos Vergueiro (liberal), José Joaquim Carneiro de Campos (conservador) e o militar Francisco de Lima e Silva (equilíbrio das tendências). Dentre as realizações da Regência, podem ser destacadas: • Manutenção da Constituição de 1824; • Anistia a presos políticos; • Reintegração do "Ministério dos Brasileiros", exonerado; • A Lei Regencial, através da qual se restringiu o Poder Moderador e se proibiu o direito dos regentes de dissolver a Câmara e de conceder títulos de nobreza.
  • 5. REGÊNCIA TRINA PERMANENTE (1831-1835): Constituída por critério político-geográfico: o Norte foi representado pelo deputado Bráulio Muniz; o Sul, pelo deputado Costa Carvalho; o brigadeiro Lima e Silva, da Regência Provisória, permaneceu. Padre Diogo Antônio Feijó, então Ministro da Justiça, criou a Guarda Nacional que mais tarde deu origem ao chamado “coronelismo” tão marcante na República Velha.
  • 6. Código de Processo Criminal: Determinava que os juízes das províncias seriam eleitos localmente. Esta disposição permitiu, pelo menos em termos jurídicos, uma relativa autonomia provincial, de acordo com os ideais federalistas dos exaltados. Ato Adicional de 1834: • Extinção do Conselho do Estado; • Substituição dos Conselhos Provinciais por Assembleias Provinciais ; • A criação de um município neutro, com jurisdição independente, para funcionar como a capital do Brasil (a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro); • A extinção da Regência Trina e criação da Regência Una. Essa medida, que objetivava dar melhor organização ao governo central, estipulava que o Regente seria eleito pela Assembleia Nacional e seu mandato teria a duração de quatro anos.
  • 7. REGÊNCIA UNA DE FEIJÓ (1835-1837): Cisão do Partido Moderado em Progressistas e Regressistas; Falta de apoio da Câmara; Morte de seu principal aliado: Evaristo da Veiga; Revoltas que estouraram pelo Brasil; A REGÊNCIA DE ARAÚJO LIMA (1838-1840): O Brasil regressou ao conservadorismo; Formação do Ministério das Capacidades de tendências regressistas; Criação do Imperial Colégio D. Pedro II e do Instituto Histórico e Geográfico; Lei Interpretativa do Ato Adicional. O GOLPE DA MAIORIDADE (1840): Liderado pelo “Clube da Maioridade” (liberais), Pedro de Alcântara foi aclamado Imperador do Brasil.
  • 9. REVOLTA DOS MALÊS (BAHIA/1835) • Formada por africanos de formação muçulmana, que falavam e escreviam em árabe; • Planejavam libertar os escravos de Salvador. CABANAGEM (PARÁ/1835-1840) • Esperavam a libertação dos escravos e a distribuição das terras para os trabalhadores; • Um dos episódios mais violentos, pois morreram mais de 30 mil pessoas. SABINADA (BAHIA/1837-1838) Liderada por Dr. Sabino Álvares da Rocha Vieira; Apoiado pela classe média soteropolitana funda uma República provisória na Bahia.
  • 10. BALAIADA (MARANHÃO/1838-1841) Ampla participação popular, com participação de escravos; Disputas políticas entre os “bem-te-vis” e os “cabanos” deram início ao conflito; Luís Alves de Lima e Silva (futuro Duque de Caxias) pôs fim ao conflito. FARRAPOS (RIO GRANDE DO SUL/1835-1845 O principal motivo do conflito foi o controle do comércio do charque na região e a pouca ajuda do Governo Regencial aos produtores; Marcados por ideais federalistas; Fundam a República Piratini e, mais tarde, em constantes batalhas acabaram por tomar e fundar a República Juliana na Batalha de Laguna; Acordo de Poncho Verde: incorporação dos soldados farrapos ao exército brasileiro, libertação dos escravos que participaram do conflito, taxação do charque platino e anistia geral dos revoltosos.
  • 11. O saber não basta, Temos de o aplicar. A vontade não basta, Temos de atuar. Goethe