SlideShare uma empresa Scribd logo
Gessos Odontológicos 
Fatores Abordados: 
1. Utilização 
2. Classificação Indicações 
3. Relação água/pó Manipulação - Espatulação 
4. Fatores que influen presa e a resistência 
UTILIZAÇÃO 
Os gessos são utilizados para confeccionar modelos após a realização das 
moldagens e classificados por tipos, conforme seu uso e suas propriedades 
físicas e mecânicas, para as diversas modalidades de protéticos. 
CLASSIFICAÇÃO E INDICAÇÃO 
Tipo I (Paris acrescido de partículas) 
Gesso para moldagem. Não utilizado. 
Substituído por hidrocolóides irreversíveis. 
Tipo II (comum ou Paris) 
Baixa resistência, bom para fazer modelos de estudo. 
Tipo III (gesso pedra) 
Modelos de estudo, antagonista, para confecção próteses total e modelos 
ortodônticos 
Tipo IV (pedra melhorado) 
Alta resistência. Para próteses fixas ou removíveis
MANIPULAÇÃO DO GESSO 
Relação água/pó 
Calculando a relação A/P... 
Se 100g de GESSO COMUM são misturados com 50 ml de A/P = 50/100 = 0,5 
Se 100g de GESSO PEDRA são misturados com 28 ml de á A/P = 28/100 = 0,28 
Relação água/pó (A/P) - geralmente especificada pelo fabricante mas em média 
estas relações são: 
TIPO Relação água-pó ml/g 
I 0,50 a 0,75 
II 0,45 a 0,50 
III 0,28 a 0,30 
IV 0,22 a 0,24 
V 0,18 a 0,22 
MENOR RESISTÊNCIA 
Quanto maior a relação água pó (A/P), mais prolongado será o tempo de 
manipulação e menos resistente será o produto final. 
TEMPO 
15 segundos incorporando pó à água 
Tempo de espatulação mecânica: 20 a 30 seg 
Tempo de espatulação manual: 1 min. 
Tempo de trabalho: 3 min. 
Tempo de presa: 30 min 
Tipos de Espatulação 
Manual: 
Com o auxílio de uma cuba de borracha e espátula, repita procedimento do 
alginato, porém com mais vigor, esmagando a mistura contra a parede da cuba e 
por mais tempo, até conseguir uma consistência cremosa e macia/lisinha (como
a pele da Xuxa quando ela passa monange) e até que a mistura esteja 
homogênea. 
Mecânica (feita dentro de uma máquina): 
Manipulação a vácuo, resultando numa mistura sem bolhas e bem homogênea. 
O uso de um vibrador (não o que vc tem em casa, por favor...) é muito útil para 
evitar a formação de bolhas, as quais diminuem a resistência e produzem 
superfícies sem precisão. 
Processo pra vazar a moldagem 
1o) Deposita-se uma pequena quantidade de gesso em um dos bordos da 
moldagem, fazendo-se escoar para o interior do molde através de uma mudança 
gradativa da posição da moldeira sobre o vibrador ou batendo na bancada 
mesmo de forma bruta como qualquer dentista/secretária normal. 
2o) Após o total preenchimento das superfícies das coroas (dentados totais e 
parciais), porções maiores de gesso poderão ser adicionadas. 
3o) Aguardar a presa conforme o tipo de gesso utilizado. 
REAÇÕES DURANTE A PRESA DO GESSO 
Perda de brilho 
Liberação de calor, provocando o aumento de temperatura 
Fatores que influenciam na PRESA 
Temperatura da água: 
Quanto maior a tempertura da água menor o tempo). Se a temperatura for maior 
que 50oC, o tempo de presa aumentará (deu pra entender?). 
Agentes Químicos (Aceleradores e Retardador) 
Acelerador: quando o agente químico adicionado di de presa. Ex: cloreto 
de sódio 2% e sulfato de potás 
Retardador: quando o agente químico adicionado a de presa. Ex: citratos, 
acetatos e boratos.
Fatores que influenciam na RESISTÊNCIA do gesso como modelo final ou molde 
Relação Agua/Pó: 
Quanto maior a quantidade de água, menor a resistência 
Vibração: 
Uma vibração bem executada, diminui o aparecimento de bolhas e aumenta a 
resistência do gesso. 
Ao adicionarmos água ou gesso durante a espatulação contribuindo para a 
diminuição da resistência do gesso (espatular enquanto adiciona agua e/ou pó. 
Respeitado o tempo de presa do gesso, os modelos deverão ser retirados com 
cuidado a fim de evitar fraturas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
Valdemir Junior
 
Preparo biomecânico
Preparo biomecânico  Preparo biomecânico
Preparo biomecânico
Camilla Bringel
 
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Guilherme Terra
 
Principios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitárioPrincipios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitário
profcelsoklein
 
Proteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulparProteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulpar
profguilhermeterra
 
Principios de oclusão
Principios de oclusãoPrincipios de oclusão
Principios de oclusão
Italo Gabriel
 
óXido de zinco e eugenol para moldagem camilla bringel
óXido de zinco e eugenol para moldagem  camilla bringelóXido de zinco e eugenol para moldagem  camilla bringel
óXido de zinco e eugenol para moldagem camilla bringel
Camilla Bringel
 
Anatomia do Periodonto
Anatomia do PeriodontoAnatomia do Periodonto
Anatomia do Periodonto
Zidane Rabelo
 
Alginato Odontológico
Alginato OdontológicoAlginato Odontológico
Alginato Odontológico
Marcos Paulo Hutchison
 
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXAAPOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
Rayssa Mendonça
 
Cariologia
CariologiaCariologia
Aula 1 bases forradoras
Aula 1  bases forradorasAula 1  bases forradoras
Aula 1 bases forradoras
Odonto ufrj
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Camilla Bringel
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
profguilhermeterra
 
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgamaPreparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
profguilhermeterra
 
Nomenclatura e classificação de cavidades
Nomenclatura e classificação de cavidadesNomenclatura e classificação de cavidades
Nomenclatura e classificação de cavidades
profcelsoklein
 
Isolamento do campo operatório2010 02
Isolamento do campo operatório2010 02Isolamento do campo operatório2010 02
Isolamento do campo operatório2010 02
Lucas Almeida Sá
 
Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos
DidaticaMPCO
 
Considerações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalConsiderações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese Total
Italo Gabriel
 
Silicone de condensação- Slide
Silicone de condensação- SlideSilicone de condensação- Slide
Silicone de condensação- Slide
Marcos Paulo Hutchison
 

Mais procurados (20)

1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
1 aula - Moldagem, Molde e Modelo
 
Preparo biomecânico
Preparo biomecânico  Preparo biomecânico
Preparo biomecânico
 
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
Proteção do complexo dentino pulpar 2012-1
 
Principios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitárioPrincipios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitário
 
Proteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulparProteção do complexo dentino-pulpar
Proteção do complexo dentino-pulpar
 
Principios de oclusão
Principios de oclusãoPrincipios de oclusão
Principios de oclusão
 
óXido de zinco e eugenol para moldagem camilla bringel
óXido de zinco e eugenol para moldagem  camilla bringelóXido de zinco e eugenol para moldagem  camilla bringel
óXido de zinco e eugenol para moldagem camilla bringel
 
Anatomia do Periodonto
Anatomia do PeriodontoAnatomia do Periodonto
Anatomia do Periodonto
 
Alginato Odontológico
Alginato OdontológicoAlginato Odontológico
Alginato Odontológico
 
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXAAPOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
 
Cariologia
CariologiaCariologia
Cariologia
 
Aula 1 bases forradoras
Aula 1  bases forradorasAula 1  bases forradoras
Aula 1 bases forradoras
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
 
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgamaPreparo e restauração classes II e V em amálgama
Preparo e restauração classes II e V em amálgama
 
Nomenclatura e classificação de cavidades
Nomenclatura e classificação de cavidadesNomenclatura e classificação de cavidades
Nomenclatura e classificação de cavidades
 
Isolamento do campo operatório2010 02
Isolamento do campo operatório2010 02Isolamento do campo operatório2010 02
Isolamento do campo operatório2010 02
 
Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos
 
Considerações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalConsiderações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese Total
 
Silicone de condensação- Slide
Silicone de condensação- SlideSilicone de condensação- Slide
Silicone de condensação- Slide
 

Destaque

CERAS ODONTOLOGICAS
CERAS ODONTOLOGICAS CERAS ODONTOLOGICAS
CERAS ODONTOLOGICAS
Jhon Bryant Toro Ponce
 
Ceramicas
CeramicasCeramicas
Ceramicas
Artedesorrir
 
Cerâmicas Odontológicas
Cerâmicas OdontológicasCerâmicas Odontológicas
Cerâmicas Odontológicas
Marcos Paulo Hutchison
 
Cerâmicas oscar
Cerâmicas   oscarCerâmicas   oscar
Cerâmicas oscar
Bruno Rafael
 
Resina composta
Resina compostaResina composta
Resina composta
Adriana Mércia
 
Sistemas cerâmicos livres de metal
Sistemas cerâmicos livres de metalSistemas cerâmicos livres de metal
Sistemas cerâmicos livres de metal
Thaline Eveli Martins
 
Classificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostasClassificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostas
profguilhermeterra
 
4 - materiais de moldagem
 4 - materiais de moldagem 4 - materiais de moldagem
4 - materiais de moldagem
Euber E Silmara
 
Aula dia 14 de agosto Materiais Dentarios
Aula dia 14 de agosto Materiais DentariosAula dia 14 de agosto Materiais Dentarios
Aula dia 14 de agosto Materiais Dentarios
rafaelalourenco
 
Cerasdeusoodontologico
CerasdeusoodontologicoCerasdeusoodontologico
Cerasdeusoodontologico
Luisa Fernanda Murillo Moreno
 

Destaque (10)

CERAS ODONTOLOGICAS
CERAS ODONTOLOGICAS CERAS ODONTOLOGICAS
CERAS ODONTOLOGICAS
 
Ceramicas
CeramicasCeramicas
Ceramicas
 
Cerâmicas Odontológicas
Cerâmicas OdontológicasCerâmicas Odontológicas
Cerâmicas Odontológicas
 
Cerâmicas oscar
Cerâmicas   oscarCerâmicas   oscar
Cerâmicas oscar
 
Resina composta
Resina compostaResina composta
Resina composta
 
Sistemas cerâmicos livres de metal
Sistemas cerâmicos livres de metalSistemas cerâmicos livres de metal
Sistemas cerâmicos livres de metal
 
Classificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostasClassificações das resinas compostas
Classificações das resinas compostas
 
4 - materiais de moldagem
 4 - materiais de moldagem 4 - materiais de moldagem
4 - materiais de moldagem
 
Aula dia 14 de agosto Materiais Dentarios
Aula dia 14 de agosto Materiais DentariosAula dia 14 de agosto Materiais Dentarios
Aula dia 14 de agosto Materiais Dentarios
 
Cerasdeusoodontologico
CerasdeusoodontologicoCerasdeusoodontologico
Cerasdeusoodontologico
 

Semelhante a Gessos odontológicos- Tipo I

Trabalho de aditivos para concreto e argamassa grupo 1
Trabalho de aditivos para concreto e argamassa   grupo 1Trabalho de aditivos para concreto e argamassa   grupo 1
Trabalho de aditivos para concreto e argamassa grupo 1
Marcio Wres
 
breve resumo sobre aitivos do concreto
breve resumo sobre aitivos do concretobreve resumo sobre aitivos do concreto
breve resumo sobre aitivos do concreto
profNICODEMOS
 
MATERIAIS DE MOLDAGEM.pptx
MATERIAIS DE MOLDAGEM.pptxMATERIAIS DE MOLDAGEM.pptx
MATERIAIS DE MOLDAGEM.pptx
EmiliRaynna1
 
Filme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobáFilme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobá
Ludmila Souza
 
GESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologia
GESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologiaGESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologia
GESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologia
SaimonDantas
 
apostila trabalhos com gesso
apostila trabalhos com gessoapostila trabalhos com gesso
apostila trabalhos com gesso
William Paula
 
Trabalho eng. civil
Trabalho eng. civilTrabalho eng. civil
Trabalho eng. civil
Sarah_02
 
E book01 2016-ehn
E book01 2016-ehnE book01 2016-ehn
E book01 2016-ehn
Egydio Hervé Neto
 
concretos1.pdf
concretos1.pdfconcretos1.pdf
concretos1.pdf
KEZIABRASILINODESOUZ
 
Pastilha vidro fabiola
Pastilha vidro fabiolaPastilha vidro fabiola
Pastilha vidro fabiola
Ambiente Construído II
 
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
VITORHUGOSANTANADASI
 
Sistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdfSistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdf
JussaraFelipe2
 
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
AnneCaroline961498
 
Relacão água e cimento materiais de construção
Relacão água e cimento   materiais de construçãoRelacão água e cimento   materiais de construção
Relacão água e cimento materiais de construção
Andre Amaral
 

Semelhante a Gessos odontológicos- Tipo I (14)

Trabalho de aditivos para concreto e argamassa grupo 1
Trabalho de aditivos para concreto e argamassa   grupo 1Trabalho de aditivos para concreto e argamassa   grupo 1
Trabalho de aditivos para concreto e argamassa grupo 1
 
breve resumo sobre aitivos do concreto
breve resumo sobre aitivos do concretobreve resumo sobre aitivos do concreto
breve resumo sobre aitivos do concreto
 
MATERIAIS DE MOLDAGEM.pptx
MATERIAIS DE MOLDAGEM.pptxMATERIAIS DE MOLDAGEM.pptx
MATERIAIS DE MOLDAGEM.pptx
 
Filme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobáFilme pastilhas jatobá
Filme pastilhas jatobá
 
GESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologia
GESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologiaGESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologia
GESSOS 2017 para estudo sobre gessos odontologia
 
apostila trabalhos com gesso
apostila trabalhos com gessoapostila trabalhos com gesso
apostila trabalhos com gesso
 
Trabalho eng. civil
Trabalho eng. civilTrabalho eng. civil
Trabalho eng. civil
 
E book01 2016-ehn
E book01 2016-ehnE book01 2016-ehn
E book01 2016-ehn
 
concretos1.pdf
concretos1.pdfconcretos1.pdf
concretos1.pdf
 
Pastilha vidro fabiola
Pastilha vidro fabiolaPastilha vidro fabiola
Pastilha vidro fabiola
 
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
2. Cap. II - Revest. em Gesso.ppt
 
Sistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdfSistemas Adesivos (1).pdf
Sistemas Adesivos (1).pdf
 
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
08b - Revestimento Cerâmico aula completa.pdf
 
Relacão água e cimento materiais de construção
Relacão água e cimento   materiais de construçãoRelacão água e cimento   materiais de construção
Relacão água e cimento materiais de construção
 

Mais de Marcos Paulo Hutchison

Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)
Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)
Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)
Marcos Paulo Hutchison
 
Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)
Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)
Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)
Marcos Paulo Hutchison
 
MD II - SIMULADO NP2
MD II - SIMULADO NP2MD II - SIMULADO NP2
MD II - SIMULADO NP2
Marcos Paulo Hutchison
 
MD I - SIMULADO NP2
MD I - SIMULADO NP2MD I - SIMULADO NP2
MD I - SIMULADO NP2
Marcos Paulo Hutchison
 
Ligas metálicas odontológicas
Ligas metálicas odontológicasLigas metálicas odontológicas
Ligas metálicas odontológicas
Marcos Paulo Hutchison
 
Exercícios silicones
Exercícios siliconesExercícios silicones
Exercícios silicones
Marcos Paulo Hutchison
 
Perguntas de Revisão mdnm (DP)
Perguntas de Revisão mdnm (DP)Perguntas de Revisão mdnm (DP)
Perguntas de Revisão mdnm (DP)
Marcos Paulo Hutchison
 
Exercícios de Revisão- MDI (DP)
Exercícios de Revisão- MDI (DP)Exercícios de Revisão- MDI (DP)
Exercícios de Revisão- MDI (DP)
Marcos Paulo Hutchison
 
Exercícios hidrocoloides- Alginato
Exercícios hidrocoloides- AlginatoExercícios hidrocoloides- Alginato
Exercícios hidrocoloides- Alginato
Marcos Paulo Hutchison
 
Silicone de adição- Slides
Silicone de adição- SlidesSilicone de adição- Slides
Silicone de adição- Slides
Marcos Paulo Hutchison
 
Exercícios MDNM- Completo (DP)
Exercícios MDNM- Completo (DP)Exercícios MDNM- Completo (DP)
Exercícios MDNM- Completo (DP)
Marcos Paulo Hutchison
 
Mdnm revisao slide com perguntas
Mdnm revisao slide com perguntasMdnm revisao slide com perguntas
Mdnm revisao slide com perguntas
Marcos Paulo Hutchison
 
Exercícios pasta zincoenolica
Exercícios pasta zincoenolicaExercícios pasta zincoenolica
Exercícios pasta zincoenolica
Marcos Paulo Hutchison
 
Exercícios godiva
Exercícios godivaExercícios godiva
Exercícios godiva
Marcos Paulo Hutchison
 
Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)
Marcos Paulo Hutchison
 
Godivas- Materiais de Moldagem
Godivas- Materiais de MoldagemGodivas- Materiais de Moldagem
Godivas- Materiais de Moldagem
Marcos Paulo Hutchison
 
Pasta Zinco-Enólica- Materiais de Moldagem
Pasta Zinco-Enólica- Materiais de MoldagemPasta Zinco-Enólica- Materiais de Moldagem
Pasta Zinco-Enólica- Materiais de Moldagem
Marcos Paulo Hutchison
 
Silicone de adição- Materiais de Moldagem
Silicone de adição- Materiais de MoldagemSilicone de adição- Materiais de Moldagem
Silicone de adição- Materiais de Moldagem
Marcos Paulo Hutchison
 

Mais de Marcos Paulo Hutchison (18)

Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)
Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)
Revisão de Materiais dentários não metálicos (AULA)
 
Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)
Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)
Revisão de Materiais Dentários não metálicos (PERGUNTAS)
 
MD II - SIMULADO NP2
MD II - SIMULADO NP2MD II - SIMULADO NP2
MD II - SIMULADO NP2
 
MD I - SIMULADO NP2
MD I - SIMULADO NP2MD I - SIMULADO NP2
MD I - SIMULADO NP2
 
Ligas metálicas odontológicas
Ligas metálicas odontológicasLigas metálicas odontológicas
Ligas metálicas odontológicas
 
Exercícios silicones
Exercícios siliconesExercícios silicones
Exercícios silicones
 
Perguntas de Revisão mdnm (DP)
Perguntas de Revisão mdnm (DP)Perguntas de Revisão mdnm (DP)
Perguntas de Revisão mdnm (DP)
 
Exercícios de Revisão- MDI (DP)
Exercícios de Revisão- MDI (DP)Exercícios de Revisão- MDI (DP)
Exercícios de Revisão- MDI (DP)
 
Exercícios hidrocoloides- Alginato
Exercícios hidrocoloides- AlginatoExercícios hidrocoloides- Alginato
Exercícios hidrocoloides- Alginato
 
Silicone de adição- Slides
Silicone de adição- SlidesSilicone de adição- Slides
Silicone de adição- Slides
 
Exercícios MDNM- Completo (DP)
Exercícios MDNM- Completo (DP)Exercícios MDNM- Completo (DP)
Exercícios MDNM- Completo (DP)
 
Mdnm revisao slide com perguntas
Mdnm revisao slide com perguntasMdnm revisao slide com perguntas
Mdnm revisao slide com perguntas
 
Exercícios pasta zincoenolica
Exercícios pasta zincoenolicaExercícios pasta zincoenolica
Exercícios pasta zincoenolica
 
Exercícios godiva
Exercícios godivaExercícios godiva
Exercícios godiva
 
Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)Aula de Revisão MDNM (DP)
Aula de Revisão MDNM (DP)
 
Godivas- Materiais de Moldagem
Godivas- Materiais de MoldagemGodivas- Materiais de Moldagem
Godivas- Materiais de Moldagem
 
Pasta Zinco-Enólica- Materiais de Moldagem
Pasta Zinco-Enólica- Materiais de MoldagemPasta Zinco-Enólica- Materiais de Moldagem
Pasta Zinco-Enólica- Materiais de Moldagem
 
Silicone de adição- Materiais de Moldagem
Silicone de adição- Materiais de MoldagemSilicone de adição- Materiais de Moldagem
Silicone de adição- Materiais de Moldagem
 

Último

CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docxCORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
bentosst
 
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional ChinesaDiagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Misael Rabelo de Martins Custódio
 
anomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologiaanomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologia
SmeladeOliveira1
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
RAILANELIMAGOMES
 
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e TratamentosRejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Werberth Ladislau Rodrigues da Silveira
 
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdfALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
DentiKi
 

Último (6)

CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docxCORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
CORP SSMA PROC 01 Análise preliminar de riscos - APR revisada.docx
 
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional ChinesaDiagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
Diagnóstico de línga pela Medicina Tradicional Chinesa
 
anomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologiaanomalias dentárias imaginologia odontologia
anomalias dentárias imaginologia odontologia
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
 
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e TratamentosRejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
Rejuvenescimento da Pele- Dicas e Tratamentos
 
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdfALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
ALOP-2020 revista de tratamiento odontopediatria.pdf
 

Gessos odontológicos- Tipo I

  • 1. Gessos Odontológicos Fatores Abordados: 1. Utilização 2. Classificação Indicações 3. Relação água/pó Manipulação - Espatulação 4. Fatores que influen presa e a resistência UTILIZAÇÃO Os gessos são utilizados para confeccionar modelos após a realização das moldagens e classificados por tipos, conforme seu uso e suas propriedades físicas e mecânicas, para as diversas modalidades de protéticos. CLASSIFICAÇÃO E INDICAÇÃO Tipo I (Paris acrescido de partículas) Gesso para moldagem. Não utilizado. Substituído por hidrocolóides irreversíveis. Tipo II (comum ou Paris) Baixa resistência, bom para fazer modelos de estudo. Tipo III (gesso pedra) Modelos de estudo, antagonista, para confecção próteses total e modelos ortodônticos Tipo IV (pedra melhorado) Alta resistência. Para próteses fixas ou removíveis
  • 2. MANIPULAÇÃO DO GESSO Relação água/pó Calculando a relação A/P... Se 100g de GESSO COMUM são misturados com 50 ml de A/P = 50/100 = 0,5 Se 100g de GESSO PEDRA são misturados com 28 ml de á A/P = 28/100 = 0,28 Relação água/pó (A/P) - geralmente especificada pelo fabricante mas em média estas relações são: TIPO Relação água-pó ml/g I 0,50 a 0,75 II 0,45 a 0,50 III 0,28 a 0,30 IV 0,22 a 0,24 V 0,18 a 0,22 MENOR RESISTÊNCIA Quanto maior a relação água pó (A/P), mais prolongado será o tempo de manipulação e menos resistente será o produto final. TEMPO 15 segundos incorporando pó à água Tempo de espatulação mecânica: 20 a 30 seg Tempo de espatulação manual: 1 min. Tempo de trabalho: 3 min. Tempo de presa: 30 min Tipos de Espatulação Manual: Com o auxílio de uma cuba de borracha e espátula, repita procedimento do alginato, porém com mais vigor, esmagando a mistura contra a parede da cuba e por mais tempo, até conseguir uma consistência cremosa e macia/lisinha (como
  • 3. a pele da Xuxa quando ela passa monange) e até que a mistura esteja homogênea. Mecânica (feita dentro de uma máquina): Manipulação a vácuo, resultando numa mistura sem bolhas e bem homogênea. O uso de um vibrador (não o que vc tem em casa, por favor...) é muito útil para evitar a formação de bolhas, as quais diminuem a resistência e produzem superfícies sem precisão. Processo pra vazar a moldagem 1o) Deposita-se uma pequena quantidade de gesso em um dos bordos da moldagem, fazendo-se escoar para o interior do molde através de uma mudança gradativa da posição da moldeira sobre o vibrador ou batendo na bancada mesmo de forma bruta como qualquer dentista/secretária normal. 2o) Após o total preenchimento das superfícies das coroas (dentados totais e parciais), porções maiores de gesso poderão ser adicionadas. 3o) Aguardar a presa conforme o tipo de gesso utilizado. REAÇÕES DURANTE A PRESA DO GESSO Perda de brilho Liberação de calor, provocando o aumento de temperatura Fatores que influenciam na PRESA Temperatura da água: Quanto maior a tempertura da água menor o tempo). Se a temperatura for maior que 50oC, o tempo de presa aumentará (deu pra entender?). Agentes Químicos (Aceleradores e Retardador) Acelerador: quando o agente químico adicionado di de presa. Ex: cloreto de sódio 2% e sulfato de potás Retardador: quando o agente químico adicionado a de presa. Ex: citratos, acetatos e boratos.
  • 4. Fatores que influenciam na RESISTÊNCIA do gesso como modelo final ou molde Relação Agua/Pó: Quanto maior a quantidade de água, menor a resistência Vibração: Uma vibração bem executada, diminui o aparecimento de bolhas e aumenta a resistência do gesso. Ao adicionarmos água ou gesso durante a espatulação contribuindo para a diminuição da resistência do gesso (espatular enquanto adiciona agua e/ou pó. Respeitado o tempo de presa do gesso, os modelos deverão ser retirados com cuidado a fim de evitar fraturas.