SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Fluxo de Caixa
(Teoria e Prática)
Elmano Ramalho Cavalcant i
2006
Objetivos da apresentação
Motivá-lo a ter interesse sobre Fluxo de
Caixa;
O que é e para que serve o FC;
Comprender como ele funciona;
Convecê-los a usar um FC pessoal
para controle financeiro.
Realizar um exercício de fixação.
Motivação
“86% das MPE sem noção clara dos
custos”
(1)
Instituições financeiras geralmente exigem a
apresentação do FC antes de realizarem
empréstimos.
Definição do problema
Como administrar (planejar e controlar)
as finanças da empresa de forma a
aplicar as sobras de caixa, e evitar a
falta de dinheiro?
O que é?
Instrumento de controle financeiro.
Planilha/gráfico contendo informações
sobre entradas e saídas de capital,
realizadas em determinados períodos.
FC – Objetivos Principais
Auxiliar o empresário a tomar decisões
sobre a situação financeira da
empresa.
(guia do empreendedor – Sebrae)
Sua administração tem por objetivo
preservar uma liquidez imediata
essencial à manutenção das atividades
da empresa.(3)
FC – Objetivos específicos
Saber se a empresa tem estado no azul ou
vermelho e por que;
Planejar melhores políticas de prazos de
pagamentos e recebimentos;
Auxiliar a decidir onde aplicar os recursos;
Facilitar o cálculo do IRR;
Avaliar o momento certo para realizar
promoções, reposição de estoques, etc.
Evitar excessos e falta de recursos (liquidez
imediata).
FC - Para quem serve?
Empresários
Administradores
Contadores
Investidores
Você
Exemplo Inicial (empréstimo)
Entrad
a
tempo
Saíd
a
dias
semanas
meses
anos
Exemplo Inicial (empréstimo)
Outro exemplo
Um aluno de computação comprou hoje de manhã
um carro em 1+19 por R$220.000,00 e pagará em
20 parcelas que começam com R$ 500,00 e vão
aumentando em R$100,00 a cada mês.
0+N: Sn = S0 + (n – 1).r1+N: Sn = S0 + n.r
Sessão Revisão
Alguns dos próximos slides já foram
vistos na disciplina. O objetivo é
contextualizar o FC nos exercícios
apresentados.
Revisão 1: Juros simples
 Calcular o montante obtido pela
aplicação de um capital de 200 mil
reais pelo prazo de um ano, a juros
simples de 5% ao mês
P = R$200.000,00
n = 1ano  12 meses
i = 5%ao mês  5/100  0,05
Solução [com fluxo de caixa]?
i = 0,05
Ek = Jk = n.i
S0 = investimento
Mk = montante no mês k
FCI: Fluxo de Caixa de Investimento
Solução: M12 = S0.(1 + Ek)
Revisão 1: Juros
simples
Revisão 2: Juros Compostos
 Exercício: determinar o montante devido
em função de um empréstimo de 100 mil
reais, pelo prazo de um ano, a juros de
2.5% am. [Apresente o fluxo de caixa]
FCF: Fluxo de Caixa Financeiro
i = 0,025
E0 = Empréstimo
Sk = Pk (pagamento k)
Mk = montante pago até o mês k
Revisão 2: Juros Compostos
Revisão 3: Valor Futuro de fluxos
de caixa múltiplos
 Exercício: Se você aplicar R$ 100 daqui a um
ano, 200 daqui a 2 anos e 300 daqui a 3 anos,
quanto terá em 3 anos, a uma taxa de 7%a.a.?
Quanto do montante é formado por juros?
Quanto você terá em 5 anos?
[Qual o tipo de FC neste caso?]
100+7,0
200
100+14,49
200+14,0
300
100+22,50
200+28,98
300+21,0
100+31,08
200+45,0
300+43,47
7,0 28,49 72,48 119,55
Revisão 3: Valor Futuro de fluxos de
caixa múltiplos
FCI: Fluxo de Caixa de Investimento
Total de juros:
100FC (100)
FC (200)
FC (300)
307,0 628,49 672,48 6119,55Montante total:
Revisão 4: Avaliação de
investimentos (NPV)
Valor Presente de fluxos de caixa múltiplos
 Um investimento promete três pagamentos
de 5.000. O primeiro daqui a quatro anos, o
segundo daqui a cinco e o terceiro daqui a
6 anos. Se você espera conseguir
rendimentos de 11%, qual é o valor máximo
deste investimento hoje? Qual o valor futuro
desses fluxos de caixa?
Revisão 4: Avaliação de
investimentos (NPV)
FCI: Fluxo de Caixa de Investimento
5.000 5.000+550
5.000
11%
5.000+1.160,5
5.000+550
5.000
FV = 15.000 + 1.710,50 = 16.710,50
NPV = S0 = 8.934,12
S0 x 1,116
= FV
M1 = 9.914,65
M2 = 11.005,26
M3 = 12.215,84
M4 = 8.562,62
M5 = 4.504,51
M6 = 0,0
Análise de Investimento ou
Financiamento




Conexão entre NPV e IRR
NPVA > NPVB então InvestA é melhor do que InvestB
NPVA > NPVB então FinancA é pior do que FinancB
Fonte: (6)
Valor Presente Líquido no contexto
do Fluxo de Caixa
1. Parcelas iguais (begin):
2. Parcelas iguais (end):
3. Parcelas diferentes:
Fim...
da Revisão.
Diagrama Geral de um FC
empresarial
Fonte: Adaptado de Assaf Neto e Silva (1995).
Contexto do FC nas finanças da
empresa
Relação da Demonstração do Fluxo de Caixa com a Demonstração
de Resultado e o Balanço Patrimonial.
Fonte: referência (4)
Classificação das E/S do FC
Operacional: todas as que envolvem a
produção e venda de produtos e a prestação
de serviços;
Investimento: Compra equipamentos,
imóveis, instalações fabris, treinamento de
funcionários, etc.
Financeiro: valores relativos à obtenção de
recursos para a empresa, quer de terceiros,
quer dos próprios sócios. Empréstimos, taxas
de juros.
Tipos de Fluxos
Fluxo de Caixa Operacional
 
 R$
R$
Tipos de Fluxos
Fluxo de Caixa de Investimento
 
 R$
R$
Tipos de Fluxos
Fluxo de Caixa Financeiro
 
 R$
R$
Transações que não afetam o
caixa
Fluxo de Caixa “Neutro” - Movimentações
 
 R$
R$
FC Previsto x Realizado
EMPRESA E.R.C. FLUXO DE CAIXA
SEMANAS 1
ITENS Previsto Realizado % R/P  
A - Existência: caixa/bancos 1.500,00 1.000,00 66,67 *
B - Entradas        
Vendas a Vista 15.000,00 14.000,00 93,33 *
Recebimentos 2.500,00 3.500,00 140,00  
Empréstimos        
Outras 750,00 500,00 66,67 *
Total de Entradas (B) 18.250,00 18.000,00    
C - Disponível (A + B) 19.750,00 19.000,00    
D - Saídas        
Fornecedores 4.000,00 4.000,00 100,00  
Pagamentos 1.500,00 1.750,00 116,67 *
Pessoal 2.000,00 2.500,00 125,00 *
Impostos e Encargos 4.500,00 4.200,00 93,33  
Total de Saídas (D) 12.000,00 12.450,00    
E - Saldo Final (C - D) 7.750,00 6.550,00    
Verificação do aprendizado
Questõe
s
Sessão prática
Referências
(1) Pesquisa de Conjuntura das Micro e Pequenas Empresas
(MPE) do Estado de São Paulo (Pecompe) do Sebrae, Marco
Aurélio Bedê e Pedro João Gonçalves, 2002.
(2) Fluxo de Caixa e Custos na Pequena Indústria - Guia do
Empreendedor, Sebrae.
(3) DALBELLO, L. A relevância do uso do fluxo de caixa como
ferramenta de gestão financeira para avaliação da liquidez e
capaicade de financiamento de empresas. Florianópolis, 1999
Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), PPGEP,
UFSC.
(4): Ferreira, N. S. A importância da gestão do fluxo de caixa no
processo decisório das empresas. João Pessoa, 2003.
(Monografia do curso de especialização em controladoria da
UFPB).
Referências
(5): Wikipédia: Cash Flow (http://en.wikipedia.org/wiki/Cash_flow)
(6): Material de Matemática Financeira de Ulisses Sodré
(http://pessoal.sercomtel.com.br/matematica/financeira/matfin.htm)
(7) Saiba mais - Fluxo de Caixa. Sebrae.
Glossário
 Ativo: Em contabilidade, o Ativo se constitui de bens
e direitos do Patrimônio.
 Debêntures: é um título de crédito representativo de
empréstimo que uma companhia faz junto a terceiros
e que assegura a seus detentores direito contra a
emissora, nas condições constantes da escritura de
emissão.
 Hipoteca: uma forma de garantir um valor
emprestado tendo como base um imóvel
 Liquidez: conceito econômico que considera a
facilidade com que um ativo pode ser convertido no
meio de troca da economia
 Montante: o valor emprestado acrescido dos juros
cobrados.
 NPV (Net Present Value): O Valor Presente Líquido
de um fluxo de caixa de uma operação é o somatório
de todos os valores atuais calculados no instante t=0
para cada elemento isolado da operação.
 IRR (Internal Rate Return): A Taxa Interna de
Retorno (IRR=Internal Rate Return) de um fluxo de
caixa da operação é a taxa real de juros da operação
financeira.
Glossário

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05contacontabil
 
Fluxo de caixa apresentação
Fluxo de caixa   apresentaçãoFluxo de caixa   apresentação
Fluxo de caixa apresentaçãoAna Marques
 
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de CapitaisAula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de CapitaisProf. Paulo Marques
 
Aula 1 Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011
Aula 1   Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011Aula 1   Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011
Aula 1 Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011Rafael Gonçalves
 
Do Fluxo de Caixa ao Planejamento Financeiro
Do Fluxo de Caixa ao Planejamento FinanceiroDo Fluxo de Caixa ao Planejamento Financeiro
Do Fluxo de Caixa ao Planejamento FinanceiroGranatum
 
Introdução às finanças
Introdução às finançasIntrodução às finanças
Introdução às finançasFelipe Pontes
 
Metodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradasMetodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradassimuladocontabil
 
Administração Financeira
Administração FinanceiraAdministração Financeira
Administração Financeiraelliando dias
 
Exercício contabilidade débito e crédito
Exercício contabilidade débito e créditoExercício contabilidade débito e crédito
Exercício contabilidade débito e créditoRaimundo Filho
 
Aula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontalAula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontalReginaldo Santana
 
Gestão Financeira
Gestão FinanceiraGestão Financeira
Gestão FinanceiraCadernos PPT
 

Mais procurados (20)

Balanço Patrimonial
Balanço PatrimonialBalanço Patrimonial
Balanço Patrimonial
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
 
Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
 
Fluxo de caixa apresentação
Fluxo de caixa   apresentaçãoFluxo de caixa   apresentação
Fluxo de caixa apresentação
 
Aula 8 - Fluxo de caixa
Aula 8 - Fluxo de caixaAula 8 - Fluxo de caixa
Aula 8 - Fluxo de caixa
 
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de CapitaisAula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
 
Aula 1 Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011
Aula 1   Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011Aula 1   Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011
Aula 1 Introdução à Gestão Financeira 06.04.2011
 
Do Fluxo de Caixa ao Planejamento Financeiro
Do Fluxo de Caixa ao Planejamento FinanceiroDo Fluxo de Caixa ao Planejamento Financeiro
Do Fluxo de Caixa ao Planejamento Financeiro
 
Fluxo de caixa
Fluxo de caixaFluxo de caixa
Fluxo de caixa
 
Introdução às finanças
Introdução às finançasIntrodução às finanças
Introdução às finanças
 
Metodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradasMetodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradas
 
Administração Financeira
Administração FinanceiraAdministração Financeira
Administração Financeira
 
Tesouraria
TesourariaTesouraria
Tesouraria
 
Exercício contabilidade débito e crédito
Exercício contabilidade débito e créditoExercício contabilidade débito e crédito
Exercício contabilidade débito e crédito
 
Aula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontalAula 4-analise-vertical-e-horizontal
Aula 4-analise-vertical-e-horizontal
 
Contabilidade conceitos básicos
Contabilidade   conceitos básicosContabilidade   conceitos básicos
Contabilidade conceitos básicos
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
 
DRE
DREDRE
DRE
 
Contabilidade geral ppt
Contabilidade geral   pptContabilidade geral   ppt
Contabilidade geral ppt
 
Gestão Financeira
Gestão FinanceiraGestão Financeira
Gestão Financeira
 

Destaque

Oficina Fluxo de Caixa
Oficina Fluxo de CaixaOficina Fluxo de Caixa
Oficina Fluxo de Caixasebraeleste1
 
A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...
A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...
A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...gesplan
 
Como calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaComo calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaEduardo Vilas Boas
 
Aula de movimento de caixa cebrac
Aula de movimento de caixa cebracAula de movimento de caixa cebrac
Aula de movimento de caixa cebracValéria Lins
 
Dfc minicurso fluxo de caixa
Dfc minicurso   fluxo de caixaDfc minicurso   fluxo de caixa
Dfc minicurso fluxo de caixaalunocontabil
 
Manual do Fluxo de Caixa - IOB e-Store
Manual do Fluxo de Caixa - IOB e-StoreManual do Fluxo de Caixa - IOB e-Store
Manual do Fluxo de Caixa - IOB e-StoreIOB News
 

Destaque (8)

Oficina Fluxo de Caixa
Oficina Fluxo de CaixaOficina Fluxo de Caixa
Oficina Fluxo de Caixa
 
A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...
A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...
A Arte da Administração do Caixa - A Gestão Integrada da Tesouraria e Fluxo d...
 
Como calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaComo calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresa
 
Aula de movimento de caixa cebrac
Aula de movimento de caixa cebracAula de movimento de caixa cebrac
Aula de movimento de caixa cebrac
 
Dfc minicurso fluxo de caixa
Dfc minicurso   fluxo de caixaDfc minicurso   fluxo de caixa
Dfc minicurso fluxo de caixa
 
Manual do Fluxo de Caixa - IOB e-Store
Manual do Fluxo de Caixa - IOB e-StoreManual do Fluxo de Caixa - IOB e-Store
Manual do Fluxo de Caixa - IOB e-Store
 
Slide fluxo caixa aj
Slide fluxo caixa ajSlide fluxo caixa aj
Slide fluxo caixa aj
 
Palestra sobre fluxo de caixa
Palestra sobre fluxo de caixaPalestra sobre fluxo de caixa
Palestra sobre fluxo de caixa
 

Semelhante a Fluxo de Caixa: Teoria e Prática

Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8J M
 
Gestão de fluxo de caixa
Gestão de fluxo de caixaGestão de fluxo de caixa
Gestão de fluxo de caixaRoberto Toledo
 
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...Ueliton da Costa Leonidio
 
Atps analise de investimento
Atps analise de investimentoAtps analise de investimento
Atps analise de investimentoMai Reginato
 
Atps analise de credito em risco de investimento
Atps analise de credito em risco de investimentoAtps analise de credito em risco de investimento
Atps analise de credito em risco de investimentoRosangela Santos
 
183 cpc 03_r2_rev 10
183 cpc 03_r2_rev 10183 cpc 03_r2_rev 10
183 cpc 03_r2_rev 10acmartins9
 
Aula 01 Projeto Introdução.pptx
Aula  01 Projeto Introdução.pptxAula  01 Projeto Introdução.pptx
Aula 01 Projeto Introdução.pptxssusere9e7d1
 
Análise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãs
Análise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãsAnálise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãs
Análise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãsM2M Escola de Negócios
 
Cap 1 Fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1   Fundamentos da gestao do capital de giroCap 1   Fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1 Fundamentos da gestao do capital de giroFEARP/USP
 
Cap 1 fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1   fundamentos da gestao do capital de giroCap 1   fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1 fundamentos da gestao do capital de giroadrielmfbranco
 
Estrutura das dem contabeis aula 1
Estrutura das dem contabeis   aula 1Estrutura das dem contabeis   aula 1
Estrutura das dem contabeis aula 1joseesade
 
PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFC
PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFCPRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFC
PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFCbarbarameneghetti
 
Aula 3 nivelamento
Aula 3   nivelamentoAula 3   nivelamento
Aula 3 nivelamentopferraresi
 
Apresentação de Nelito Maia e Ntoya.pptxh
Apresentação de Nelito Maia  e Ntoya.pptxhApresentação de Nelito Maia  e Ntoya.pptxh
Apresentação de Nelito Maia e Ntoya.pptxhJoaoNelito
 

Semelhante a Fluxo de Caixa: Teoria e Prática (20)

Avaliação projetos investimento_Fernando Bueno
Avaliação projetos investimento_Fernando BuenoAvaliação projetos investimento_Fernando Bueno
Avaliação projetos investimento_Fernando Bueno
 
Contab 8
Contab 8Contab 8
Contab 8
 
Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8Contabilidade geral exerc 8
Contabilidade geral exerc 8
 
Gestão de fluxo de caixa
Gestão de fluxo de caixaGestão de fluxo de caixa
Gestão de fluxo de caixa
 
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...Gestão financeira   introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
Gestão financeira introdução e matemática financeira - juros simples e comp...
 
Atps analise de investimento
Atps analise de investimentoAtps analise de investimento
Atps analise de investimento
 
K219093
K219093K219093
K219093
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Atps analise de credito em risco de investimento
Atps analise de credito em risco de investimentoAtps analise de credito em risco de investimento
Atps analise de credito em risco de investimento
 
183 cpc 03_r2_rev 10
183 cpc 03_r2_rev 10183 cpc 03_r2_rev 10
183 cpc 03_r2_rev 10
 
Aula 01 Projeto Introdução.pptx
Aula  01 Projeto Introdução.pptxAula  01 Projeto Introdução.pptx
Aula 01 Projeto Introdução.pptx
 
Análise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãs
Análise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãsAnálise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãs
Análise concorrencial: Petrobrás e as quatro irmãs
 
Cap 1 Fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1   Fundamentos da gestao do capital de giroCap 1   Fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1 Fundamentos da gestao do capital de giro
 
Cap 1 fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1   fundamentos da gestao do capital de giroCap 1   fundamentos da gestao do capital de giro
Cap 1 fundamentos da gestao do capital de giro
 
Estrutura das dem contabeis aula 1
Estrutura das dem contabeis   aula 1Estrutura das dem contabeis   aula 1
Estrutura das dem contabeis aula 1
 
Lição 2
Lição 2Lição 2
Lição 2
 
PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFC
PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFCPRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFC
PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 - DFC
 
A Importância do Planejamento Financeiro para Micro e Pequenas Empresas.
A Importância do Planejamento Financeiro para Micro e Pequenas Empresas.A Importância do Planejamento Financeiro para Micro e Pequenas Empresas.
A Importância do Planejamento Financeiro para Micro e Pequenas Empresas.
 
Aula 3 nivelamento
Aula 3   nivelamentoAula 3   nivelamento
Aula 3 nivelamento
 
Apresentação de Nelito Maia e Ntoya.pptxh
Apresentação de Nelito Maia  e Ntoya.pptxhApresentação de Nelito Maia  e Ntoya.pptxh
Apresentação de Nelito Maia e Ntoya.pptxh
 

Mais de Elmano Cavalcanti

Teste de software - aula 01 (motivação)
Teste de software - aula 01 (motivação)Teste de software - aula 01 (motivação)
Teste de software - aula 01 (motivação)Elmano Cavalcanti
 
Introdução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com AngularIntrodução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com AngularElmano Cavalcanti
 
Softwares usados por pesquisadores
Softwares usados por pesquisadoresSoftwares usados por pesquisadores
Softwares usados por pesquisadoresElmano Cavalcanti
 
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...Elmano Cavalcanti
 
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...Elmano Cavalcanti
 
Aplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc Móveis
Aplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc MóveisAplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc Móveis
Aplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc MóveisElmano Cavalcanti
 
Conectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem Fio
Conectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem FioConectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem Fio
Conectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem FioElmano Cavalcanti
 
O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?
O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?
O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?Elmano Cavalcanti
 
Minicurso google powersearching
Minicurso google powersearchingMinicurso google powersearching
Minicurso google powersearchingElmano Cavalcanti
 
Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)
Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)
Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)Elmano Cavalcanti
 

Mais de Elmano Cavalcanti (11)

Teste de software - aula 01 (motivação)
Teste de software - aula 01 (motivação)Teste de software - aula 01 (motivação)
Teste de software - aula 01 (motivação)
 
Introdução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com AngularIntrodução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com Angular
 
Softwares usados por pesquisadores
Softwares usados por pesquisadoresSoftwares usados por pesquisadores
Softwares usados por pesquisadores
 
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
 
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
Desenvolvimento de Aplicações para Dispositivos Móveis - Android Studio - Par...
 
Aplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc Móveis
Aplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc MóveisAplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc Móveis
Aplicabilidade de Métricas de Mobilidade em Redes ad hoc Móveis
 
Conectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem Fio
Conectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem FioConectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem Fio
Conectando-se ao Futuro: Tecnologias e Tendências da Comunicação Sem Fio
 
Aula magna IFPE 2016.2
Aula magna IFPE 2016.2Aula magna IFPE 2016.2
Aula magna IFPE 2016.2
 
O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?
O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?
O novo protocolo http 2.0: uma revolução na Internet?
 
Minicurso google powersearching
Minicurso google powersearchingMinicurso google powersearching
Minicurso google powersearching
 
Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)
Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)
Smart Sustainability: Aplicações das Redes ad hoc Móveis (MANETs)
 

Fluxo de Caixa: Teoria e Prática

  • 1. Fluxo de Caixa (Teoria e Prática) Elmano Ramalho Cavalcant i 2006
  • 2. Objetivos da apresentação Motivá-lo a ter interesse sobre Fluxo de Caixa; O que é e para que serve o FC; Comprender como ele funciona; Convecê-los a usar um FC pessoal para controle financeiro. Realizar um exercício de fixação.
  • 3. Motivação “86% das MPE sem noção clara dos custos” (1) Instituições financeiras geralmente exigem a apresentação do FC antes de realizarem empréstimos.
  • 4. Definição do problema Como administrar (planejar e controlar) as finanças da empresa de forma a aplicar as sobras de caixa, e evitar a falta de dinheiro?
  • 5. O que é? Instrumento de controle financeiro. Planilha/gráfico contendo informações sobre entradas e saídas de capital, realizadas em determinados períodos.
  • 6. FC – Objetivos Principais Auxiliar o empresário a tomar decisões sobre a situação financeira da empresa. (guia do empreendedor – Sebrae) Sua administração tem por objetivo preservar uma liquidez imediata essencial à manutenção das atividades da empresa.(3)
  • 7. FC – Objetivos específicos Saber se a empresa tem estado no azul ou vermelho e por que; Planejar melhores políticas de prazos de pagamentos e recebimentos; Auxiliar a decidir onde aplicar os recursos; Facilitar o cálculo do IRR; Avaliar o momento certo para realizar promoções, reposição de estoques, etc. Evitar excessos e falta de recursos (liquidez imediata).
  • 8. FC - Para quem serve? Empresários Administradores Contadores Investidores Você
  • 11. Outro exemplo Um aluno de computação comprou hoje de manhã um carro em 1+19 por R$220.000,00 e pagará em 20 parcelas que começam com R$ 500,00 e vão aumentando em R$100,00 a cada mês. 0+N: Sn = S0 + (n – 1).r1+N: Sn = S0 + n.r
  • 12. Sessão Revisão Alguns dos próximos slides já foram vistos na disciplina. O objetivo é contextualizar o FC nos exercícios apresentados.
  • 13. Revisão 1: Juros simples  Calcular o montante obtido pela aplicação de um capital de 200 mil reais pelo prazo de um ano, a juros simples de 5% ao mês P = R$200.000,00 n = 1ano  12 meses i = 5%ao mês  5/100  0,05 Solução [com fluxo de caixa]?
  • 14. i = 0,05 Ek = Jk = n.i S0 = investimento Mk = montante no mês k FCI: Fluxo de Caixa de Investimento Solução: M12 = S0.(1 + Ek) Revisão 1: Juros simples
  • 15. Revisão 2: Juros Compostos  Exercício: determinar o montante devido em função de um empréstimo de 100 mil reais, pelo prazo de um ano, a juros de 2.5% am. [Apresente o fluxo de caixa]
  • 16. FCF: Fluxo de Caixa Financeiro i = 0,025 E0 = Empréstimo Sk = Pk (pagamento k) Mk = montante pago até o mês k Revisão 2: Juros Compostos
  • 17. Revisão 3: Valor Futuro de fluxos de caixa múltiplos  Exercício: Se você aplicar R$ 100 daqui a um ano, 200 daqui a 2 anos e 300 daqui a 3 anos, quanto terá em 3 anos, a uma taxa de 7%a.a.? Quanto do montante é formado por juros? Quanto você terá em 5 anos? [Qual o tipo de FC neste caso?]
  • 18. 100+7,0 200 100+14,49 200+14,0 300 100+22,50 200+28,98 300+21,0 100+31,08 200+45,0 300+43,47 7,0 28,49 72,48 119,55 Revisão 3: Valor Futuro de fluxos de caixa múltiplos FCI: Fluxo de Caixa de Investimento Total de juros: 100FC (100) FC (200) FC (300) 307,0 628,49 672,48 6119,55Montante total:
  • 19. Revisão 4: Avaliação de investimentos (NPV) Valor Presente de fluxos de caixa múltiplos  Um investimento promete três pagamentos de 5.000. O primeiro daqui a quatro anos, o segundo daqui a cinco e o terceiro daqui a 6 anos. Se você espera conseguir rendimentos de 11%, qual é o valor máximo deste investimento hoje? Qual o valor futuro desses fluxos de caixa?
  • 20. Revisão 4: Avaliação de investimentos (NPV) FCI: Fluxo de Caixa de Investimento 5.000 5.000+550 5.000 11% 5.000+1.160,5 5.000+550 5.000 FV = 15.000 + 1.710,50 = 16.710,50 NPV = S0 = 8.934,12 S0 x 1,116 = FV M1 = 9.914,65 M2 = 11.005,26 M3 = 12.215,84 M4 = 8.562,62 M5 = 4.504,51 M6 = 0,0
  • 21. Análise de Investimento ou Financiamento     Conexão entre NPV e IRR NPVA > NPVB então InvestA é melhor do que InvestB NPVA > NPVB então FinancA é pior do que FinancB Fonte: (6)
  • 22. Valor Presente Líquido no contexto do Fluxo de Caixa 1. Parcelas iguais (begin): 2. Parcelas iguais (end): 3. Parcelas diferentes:
  • 24. Diagrama Geral de um FC empresarial Fonte: Adaptado de Assaf Neto e Silva (1995).
  • 25. Contexto do FC nas finanças da empresa Relação da Demonstração do Fluxo de Caixa com a Demonstração de Resultado e o Balanço Patrimonial. Fonte: referência (4)
  • 26. Classificação das E/S do FC Operacional: todas as que envolvem a produção e venda de produtos e a prestação de serviços; Investimento: Compra equipamentos, imóveis, instalações fabris, treinamento de funcionários, etc. Financeiro: valores relativos à obtenção de recursos para a empresa, quer de terceiros, quer dos próprios sócios. Empréstimos, taxas de juros.
  • 27. Tipos de Fluxos Fluxo de Caixa Operacional    R$ R$
  • 28. Tipos de Fluxos Fluxo de Caixa de Investimento    R$ R$
  • 29. Tipos de Fluxos Fluxo de Caixa Financeiro    R$ R$
  • 30. Transações que não afetam o caixa Fluxo de Caixa “Neutro” - Movimentações    R$ R$
  • 31. FC Previsto x Realizado EMPRESA E.R.C. FLUXO DE CAIXA SEMANAS 1 ITENS Previsto Realizado % R/P   A - Existência: caixa/bancos 1.500,00 1.000,00 66,67 * B - Entradas         Vendas a Vista 15.000,00 14.000,00 93,33 * Recebimentos 2.500,00 3.500,00 140,00   Empréstimos         Outras 750,00 500,00 66,67 * Total de Entradas (B) 18.250,00 18.000,00     C - Disponível (A + B) 19.750,00 19.000,00     D - Saídas         Fornecedores 4.000,00 4.000,00 100,00   Pagamentos 1.500,00 1.750,00 116,67 * Pessoal 2.000,00 2.500,00 125,00 * Impostos e Encargos 4.500,00 4.200,00 93,33   Total de Saídas (D) 12.000,00 12.450,00     E - Saldo Final (C - D) 7.750,00 6.550,00    
  • 34. Referências (1) Pesquisa de Conjuntura das Micro e Pequenas Empresas (MPE) do Estado de São Paulo (Pecompe) do Sebrae, Marco Aurélio Bedê e Pedro João Gonçalves, 2002. (2) Fluxo de Caixa e Custos na Pequena Indústria - Guia do Empreendedor, Sebrae. (3) DALBELLO, L. A relevância do uso do fluxo de caixa como ferramenta de gestão financeira para avaliação da liquidez e capaicade de financiamento de empresas. Florianópolis, 1999 Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), PPGEP, UFSC. (4): Ferreira, N. S. A importância da gestão do fluxo de caixa no processo decisório das empresas. João Pessoa, 2003. (Monografia do curso de especialização em controladoria da UFPB).
  • 35. Referências (5): Wikipédia: Cash Flow (http://en.wikipedia.org/wiki/Cash_flow) (6): Material de Matemática Financeira de Ulisses Sodré (http://pessoal.sercomtel.com.br/matematica/financeira/matfin.htm) (7) Saiba mais - Fluxo de Caixa. Sebrae.
  • 36. Glossário  Ativo: Em contabilidade, o Ativo se constitui de bens e direitos do Patrimônio.  Debêntures: é um título de crédito representativo de empréstimo que uma companhia faz junto a terceiros e que assegura a seus detentores direito contra a emissora, nas condições constantes da escritura de emissão.  Hipoteca: uma forma de garantir um valor emprestado tendo como base um imóvel  Liquidez: conceito econômico que considera a facilidade com que um ativo pode ser convertido no meio de troca da economia
  • 37.  Montante: o valor emprestado acrescido dos juros cobrados.  NPV (Net Present Value): O Valor Presente Líquido de um fluxo de caixa de uma operação é o somatório de todos os valores atuais calculados no instante t=0 para cada elemento isolado da operação.  IRR (Internal Rate Return): A Taxa Interna de Retorno (IRR=Internal Rate Return) de um fluxo de caixa da operação é a taxa real de juros da operação financeira. Glossário