SlideShare uma empresa Scribd logo
Estudos do Evangelho 
Capítulo 8 – Pecado Por Pensamento e Adultério 
Leonardo Pereira
Questões de 
“O Livro 
dos 
Espíritos e 
A Gênese”
5 – Ouvistes que foi dito aos antigos: Não 
adulterarás. Eu, porém, vos digo que todo 
o que olhar para uma mulher, cobiçando-a, 
já no seu coração adulterou com ela. (Mateus, V: 
27-28).
6 – A palavra adultério não 
deve ser aqui entendida no 
sentido exclusivo de sua 
acepção própria, mas com 
sentido mais amplo.
Adultério é uma palavra que derivou 
da expressão em Latim ad alterum 
torum que significa literalmente na 
cama de outro(a)que designava a 
prática da infidelidade conjugal e 
com o tempo se estendeu ao sentido 
de fraudar ou falsificar adjeta ao 
verbo "adulterar".WikipédA.
Jesus a empregou 
frequentemente por extensão, 
para designar o mal, o pecado, e 
todos os maus pensamentos...
“Porque, se nesta geração 
adúltera e pecadora alguém se 
envergonhar de mim e de minhas 
palavras, também o Filho do 
Homem se envergonhará dele, 
quando vierem na glória de seu 
Pai, acompanhado dos santos 
anjos”. (Marcos, VIII: 38).
A palavra Pecado é um termo 
comumente utilizado em contexto 
religioso, descrevendo qualquer 
desobediência à vontade de Deus; 
em especial, qualquer 
desconsideração deliberada das Leis 
Divinas.
No hebraico e no grego comum, as 
formas verbais (em hebr. hhatá; em 
gr.hamartáno) significam "errar", no 
sentido de errar ou não atingir um 
alvo, ideal ou padrão. Em latim, o 
termo é vertido por peccátu. Na 
própriaBíblia é dada a expecificação 
de pecado. WikipédA.
Veem os Espíritos tudo o que 
fazemos ? 
Em . 456
— “Podem ver, pois que 
constantemente vos rodeiam. 
Cada um, porém, só vê aquilo a 
que dá atenção. Não se ocupam 
com o que lhes é indiferente.”...
15. - Sendo os fluidos o veículo do 
pensamento, este atua sobre os fluidos 
como o som sobre o ar; eles nos trazem o 
pensamento, como o ar nos traz o som..A 
Gênese Cap. XlV
Pode-se pois dizer, sem receio de 
errar, que há, nesses fluidos, 
ondas e raios de pensamentos, 
que se cruzam sem se 
confundirem, como há no ar 
ondas e raios sonoros...
...criando imagens fluídicas, o 
pensamento se reflete no 
envoltório perispirítico, como 
num espelho; toma nele 
corpo e aí de certo modo se 
fotografa...
...Desse modo é que os mais 
secretos movimentos da alma 
repercutem no envoltório 
fluídico; que uma alma pode 
ler noutra alma como num 
livro e ver o que não é 
perceptível aos olhos do 
corpo...
Atraímos os Espíritos que se 
afinam conosco?
A verdadeira pureza não 
está apenas nos atos, mas 
também Não vos no ensoberbais pensamento, 
do que sabeis, 
porquanto esse saber tem limites muito 
pois estreitos aquele no mundo em que habitais. 
Suponhamos sejais que sumidades tem em 
o 
inteligência neste planeta: nenhum 
coração direito tendes puro de envaidecer-nem vos. 
sequer 
pensa no mal.
Da boca sai o que está cheio o 
coração!
Foi isso que Jesus quis 
dizer, condenando o pecado, 
mesmo em pensamento, 
porque ele é um sinal de 
Não vos ensoberbais do que sabeis, 
porquanto esse saber tem limites muito 
estreitos no mundo em que habitais. 
Suponhamos sejais sumidades em 
inteligência neste planeta: nenhum 
direito tendes de envaidecer-vos. 
impureza.
7 – Este princípio leva-nos 
naturalmente a esta questão: 
Sofrem-se as 
consequências de um mau 
pensamento que não se 
efetivou?
Tenha um homem, por exemplo, a 
ideia de matar a outro: embora o 
corpo material se lhe conserve 
impassível, seu corpo fluídico é posto 
em ação pelo pensamento e reproduz
todos os matizes deste último; 
executa fluidicamente o gesto, o 
ato que intentou praticar. 
O pensamento cria a imagem da 
vítima e a cena inteira é pintada, 
como num quadro, tal qual se 
lhe desenrola no espírito...
Podem os Espíritos conhecer 
os nossos mais secretos 
pensamentos? 
LE Q - 457.
_“Muitas vezes chegam a 
conhecer o que desejaríeis 
ocultar de vós mesmos. Nem 
atos, nem pensamentos se lhes 
podem dissimular.”
a) - Assim, mais fácil nos seria ocultar 
de uma pessoa viva qualquer coisa, 
do que a esconder dessa mesma 
pessoa depois de morta? LE Q - 457.
“Certamente. Quando vos 
julgais muito ocultos, é 
comum terdes ao vosso lado 
uma multidão de Espíritos 
que vos observam.”
Pensamentos que nos 
adoecem!
Não consigo, 
não posso, 
não sou capaz, 
não aguento, 
não posso, 
não tenho força 
não suporto não....
... 
Eu sabia que não ia dar certo, 
tudo de ruim me acontece, 
tenho medo de não conseguir, 
ninguém me quer bem, 
ninguém presta...etc...
O que devemos fazer para 
evitar o mal pensamento?
Poderia sempre o homem, pelos seus 
esforços, vencer as suas más 
inclinações? 
LE Q - 909.
“Sim, e, frequentemente, 
fazendo esforços muito 
insignificantes. O que lhe 
falta é a vontade ! Ah, quão 
poucos dentre vós fazem 
esforços!”
Temos de fazer aqui uma 
importante distinção. 
À medida que a alma, 
comprometida no mau 
caminho, avança na vida 
Não vos ensoberbais do que sabeis, 
porquanto esse saber tem limites muito 
estreitos no mundo em que habitais. 
Suponhamos sejais sumidades em 
inteligência neste planeta: nenhum 
direito tendes de envaidecer-vos. 
espiritual, vai-se esclarecendo, 
e pouco a pouco se liberta de 
suas imperfeições,
....segundo a maior ou 
menor boa-vontade que 
emprega, em virtude do seu 
Não vos ensoberbais do que sabeis, 
porquanto esse saber tem limites muito 
estreitos no mundo em que habitais. 
Suponhamos sejais sumidades em 
inteligência neste planeta: nenhum 
direito tendes de envaidecer-vos. 
livre arbítrio.
Todo mau pensamento é portanto o 
resultado da imperfeição da alma?
Mas, de acordo com o desejo 
que tiver de se purificar, até 
mesmo esse mau pensamento 
se torna para ela um motivo de 
progresso, porque o repele com 
Não vos ensoberbais do que sabeis, 
porquanto esse saber tem limites muito 
estreitos no mundo em que habitais. 
Suponhamos sejais sumidades em 
inteligência neste planeta: nenhum 
direito tendes de envaidecer-vos. 
energia..
É o sinal de uma mancha que 
ela se esforça por apagar. 
Assim, não cederá à tentação de 
Não vos ensoberbais do que sabeis, 
satisfazer porquanto um esse saber mau tem limites desejo, muito 
e 
estreitos no mundo em que habitais. 
após haver Suponhamos resistido, sejais sumidades sentir-em 
se-á 
inteligência neste planeta: nenhum 
mais forte direito tendes e contente de envaidecer-vos. 
com a sua 
vitória.
Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela 
sua transformação moral, e pelos esforços 
que faz para domar suas más 
inclinações.(Allan Kardec, ESE., XVII, 4)
Aquela que, pelo contrário, não 
tomou boas resoluções, ainda 
busca a ocasião de praticar o 
mau ato, e se não o fizer, não 
será por não querer, mas apenas 
por falta de circunstâncias 
favoráveis.
Ela é, portanto, tão 
culpada, como se o 
houvesse praticado.
Resumindo....
A pessoa que nem sequer concebe o mau 
pensamento, já realizou o progresso...
Aquela que ainda tem esse pensamento, 
mas o repele, está em vias de realizá-lo...
E por fim, aquela que tem esse 
pensamento e nele se compraz, ainda está 
sob toda a força do mal...
Numa, o trabalho está feito; 
nas outras, está por fazer. 
Deus, que é justo, leva em conta todas 
essas diferenças, na responsabilidade 
dos atos e dos pensamentos do 
homem.
Uma linda noite e uma Feliz Semana!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

VONTADE
VONTADEVONTADE
VONTADE
Marina Sahium
 
Eae 75 - pensamento e vontade rev 01
Eae   75 - pensamento e vontade rev 01Eae   75 - pensamento e vontade rev 01
Eae 75 - pensamento e vontade rev 01
Norberto Scavone Augusto
 
O Poder do Pensamento
O Poder do PensamentoO Poder do Pensamento
O Poder do Pensamento
Ricardo Azevedo
 
Palestra Espírita - Horizontes da mente
Palestra Espírita - Horizontes da mentePalestra Espírita - Horizontes da mente
Palestra Espírita - Horizontes da mente
Divulgador do Espiritismo
 
Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
Fórum Espírita
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
Ceile Bernardo
 
Aprentacao o poder do pensamento versao ampliada
Aprentacao   o poder do pensamento versao ampliadaAprentacao   o poder do pensamento versao ampliada
Aprentacao o poder do pensamento versao ampliada
LEONARDO MAC DOWELL
 
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Patricia Farias
 
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Patricia Farias
 
Pensamento E Vida
Pensamento E VidaPensamento E Vida
Pensamento E Vida
Iracema Perin
 
Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46
Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46
Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46
Patricia Farias
 
Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3
Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3
Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3
Patricia Farias
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
Leonardo Pereira
 
Influências espirituais Sutis
Influências espirituais Sutis Influências espirituais Sutis
Influências espirituais Sutis
Leonardo Pereira
 
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - PensamentoAula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Mocidade Espírita União Fraternal
 
Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67
Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67
Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71
Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71
Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71
Patricia Farias
 
Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71
Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71
Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71
Patricia Farias
 
Vigiai e orai!
Vigiai e orai!Vigiai e orai!
Vigiai e orai!
Helio Cruz
 

Mais procurados (20)

VONTADE
VONTADEVONTADE
VONTADE
 
Eae 75 - pensamento e vontade rev 01
Eae   75 - pensamento e vontade rev 01Eae   75 - pensamento e vontade rev 01
Eae 75 - pensamento e vontade rev 01
 
O Poder do Pensamento
O Poder do PensamentoO Poder do Pensamento
O Poder do Pensamento
 
Palestra Espírita - Horizontes da mente
Palestra Espírita - Horizontes da mentePalestra Espírita - Horizontes da mente
Palestra Espírita - Horizontes da mente
 
Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
 
Aprentacao o poder do pensamento versao ampliada
Aprentacao   o poder do pensamento versao ampliadaAprentacao   o poder do pensamento versao ampliada
Aprentacao o poder do pensamento versao ampliada
 
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
 
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
 
Pensamento E Vida
Pensamento E VidaPensamento E Vida
Pensamento E Vida
 
Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46
Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46
Livro dos espiritos Q377e 378 ESE cap 28 item46
 
Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3
Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3
Livro dos Espíritos Q456 ESE cap 3 item3
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
 
Influências espirituais Sutis
Influências espirituais Sutis Influências espirituais Sutis
Influências espirituais Sutis
 
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
091014 possessos-pressentimentos-influência dos espíritos-livro ii,cap9
 
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - PensamentoAula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
 
Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67
Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67
Livro dos Espíritos Q.387 Evangelho cap.28 item 67
 
Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71
Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71
Livro dos Espiritos Q. 376 ESE 28 item 71
 
Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71
Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71
Livro dos Espíritos - Q.392 ESE cap.28 item71
 
Vigiai e orai!
Vigiai e orai!Vigiai e orai!
Vigiai e orai!
 

Destaque

Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
Graça Maciel
 
O que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismoO que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismo
Fatoze
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
Wagner Júnior
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
Degas de Ravel
 
Pensamento e adultério
Pensamento e adultérioPensamento e adultério
Pensamento e adultério
Fatoze
 
Ano novo, vida nova!
Ano novo, vida nova!Ano novo, vida nova!
Ano novo, vida nova!
Leonardo Pereira
 
Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18
Leonardo Pereira
 
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira). Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
Query by Humming
Query by HummingQuery by Humming
txaparroa
txaparroatxaparroa
Surat jemputan
Surat jemputanSurat jemputan
Surat jemputan
Ct Hussen
 
Reglas Fifa 2009 2010
Reglas Fifa 2009 2010Reglas Fifa 2009 2010
Reglas Fifa 2009 2010
Kuroneko Castañeda Verdugo
 
Lets focus on business value
Lets focus on business valueLets focus on business value
Lets focus on business value
Einar Ingebrigtsen
 
Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...
Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...
Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...
eMadrid network
 
Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014
Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014
Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014
euroamericanapr
 
Föreläsning om medicinska appar
Föreläsning om medicinska apparFöreläsning om medicinska appar
Föreläsning om medicinska appar
Fredrik Hed
 
N M Series Daq 623 X
N  M Series Daq 623 XN  M Series Daq 623 X
N M Series Daq 623 X
National Instruments Taiwan
 
Arc hydro gp tools 2.0 tutorial
Arc hydro gp tools 2.0   tutorialArc hydro gp tools 2.0   tutorial
Arc hydro gp tools 2.0 tutorial
fouedatlas
 
Trabajo Ecologia Ambiental
Trabajo Ecologia AmbientalTrabajo Ecologia Ambiental
Trabajo Ecologia Ambiental
johnbadell
 

Destaque (20)

Pecado por pensamento
Pecado por pensamentoPecado por pensamento
Pecado por pensamento
 
O que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismoO que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismo
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
 
Pensamento e adultério
Pensamento e adultérioPensamento e adultério
Pensamento e adultério
 
Ano novo, vida nova!
Ano novo, vida nova!Ano novo, vida nova!
Ano novo, vida nova!
 
Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18Estudos do evangelho18
Estudos do evangelho18
 
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira). Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
Deus mamom e o evangelho ( Leonardo Pereira).
 
Query by Humming
Query by HummingQuery by Humming
Query by Humming
 
txaparroa
txaparroatxaparroa
txaparroa
 
Surat jemputan
Surat jemputanSurat jemputan
Surat jemputan
 
Reglas Fifa 2009 2010
Reglas Fifa 2009 2010Reglas Fifa 2009 2010
Reglas Fifa 2009 2010
 
Lets focus on business value
Lets focus on business valueLets focus on business value
Lets focus on business value
 
Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...
Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...
Seminario eMadrid 2015 05 22 sobre MOOCs on Campus (UAM) Gonzalo Martínez, Es...
 
Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014
Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014
Catalogo de Psicología y Pruebas Psicológicas Octubre 2014
 
Föreläsning om medicinska appar
Föreläsning om medicinska apparFöreläsning om medicinska appar
Föreläsning om medicinska appar
 
N M Series Daq 623 X
N  M Series Daq 623 XN  M Series Daq 623 X
N M Series Daq 623 X
 
Arc hydro gp tools 2.0 tutorial
Arc hydro gp tools 2.0   tutorialArc hydro gp tools 2.0   tutorial
Arc hydro gp tools 2.0 tutorial
 
Trabajo Ecologia Ambiental
Trabajo Ecologia AmbientalTrabajo Ecologia Ambiental
Trabajo Ecologia Ambiental
 

Semelhante a Estudos do evangelho 14

Evangelho Cap 8 item 5
Evangelho Cap 8 item 5Evangelho Cap 8 item 5
Evangelho Cap 8 item 5
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Patricia Farias
 
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada
Claudio Macedo
 
Espiritismo a Escola do mestre
Espiritismo a Escola do mestreEspiritismo a Escola do mestre
Espiritismo a Escola do mestre
Claudio Macedo
 
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28 Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Patricia Farias
 
Estudo do dia 09/06/10
Estudo do dia 09/06/10 Estudo do dia 09/06/10
Estudo do dia 09/06/10
bethmagalhaes
 
LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1
Patricia Farias
 
Resenha de estudos espiritas 10
Resenha de estudos espiritas 10Resenha de estudos espiritas 10
Resenha de estudos espiritas 10
MRS
 
Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13
Leonardo Pereira
 
Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espirita
Anselmo Heib
 
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEMA autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
jcevadro
 
Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9
Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9
Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9
Patricia Farias
 
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e AlucinacoesL Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
Fernando Pinto
 
O MAL DO MEDO.pptx
O MAL DO MEDO.pptxO MAL DO MEDO.pptx
O MAL DO MEDO.pptx
CENPACCentroEspritaN
 
Heranças do passado
Heranças do passadoHeranças do passado
Heranças do passado
Dalila Melo
 
Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11
Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11
Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11
Patricia Farias
 
Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
Leonardo Pereira
 
Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...
Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...
Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...
Antonio Braga
 
Mediuns_e_mediunidade - Divaldo Franco
Mediuns_e_mediunidade - Divaldo FrancoMediuns_e_mediunidade - Divaldo Franco
Mediuns_e_mediunidade - Divaldo Franco
zfrneves
 

Semelhante a Estudos do evangelho 14 (20)

Evangelho Cap 8 item 5
Evangelho Cap 8 item 5Evangelho Cap 8 item 5
Evangelho Cap 8 item 5
 
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
Livro dos Espiritos 530 e ESE -cap4 item24
 
Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada Obsessao _Divida agravada
Obsessao _Divida agravada
 
Espiritismo a Escola do mestre
Espiritismo a Escola do mestreEspiritismo a Escola do mestre
Espiritismo a Escola do mestre
 
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28 Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
 
Estudo do dia 09/06/10
Estudo do dia 09/06/10 Estudo do dia 09/06/10
Estudo do dia 09/06/10
 
LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1
 
Resenha de estudos espiritas 10
Resenha de estudos espiritas 10Resenha de estudos espiritas 10
Resenha de estudos espiritas 10
 
Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13Estudos do evangelho 13
Estudos do evangelho 13
 
Regressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espiritaRegressão terapêutica espirita
Regressão terapêutica espirita
 
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEMA autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
A autoanálise na procura das causas das aflições-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
 
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
 
Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9
Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9
Livro dos Espiritos Q237 ESE cap17 item9
 
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e AlucinacoesL Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
 
O MAL DO MEDO.pptx
O MAL DO MEDO.pptxO MAL DO MEDO.pptx
O MAL DO MEDO.pptx
 
Heranças do passado
Heranças do passadoHeranças do passado
Heranças do passado
 
Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11
Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11
Livro dos Espiritos 224 Evangelho 16; 11
 
Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
 
Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...
Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...
Anjos Guardioes Protetores - Livro dos Espiritos - Questoes 489-521 / O Evang...
 
Mediuns_e_mediunidade - Divaldo Franco
Mediuns_e_mediunidade - Divaldo FrancoMediuns_e_mediunidade - Divaldo Franco
Mediuns_e_mediunidade - Divaldo Franco
 

Mais de Leonardo Pereira

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
Leonardo Pereira
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Leonardo Pereira
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
Leonardo Pereira
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
Leonardo Pereira
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
Leonardo Pereira
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
Leonardo Pereira
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
Leonardo Pereira
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 

Mais de Leonardo Pereira (20)

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Último

7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
CAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdf
CAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdfCAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdf
CAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdf
tintcha62
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 

Último (20)

7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
CAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdf
CAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdfCAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdf
CAPACITAÇÃO MINISTÉRIO INFANTIL.pptx_20240413_005855_0000.pdf
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 

Estudos do evangelho 14

  • 1. Estudos do Evangelho Capítulo 8 – Pecado Por Pensamento e Adultério Leonardo Pereira
  • 2. Questões de “O Livro dos Espíritos e A Gênese”
  • 3. 5 – Ouvistes que foi dito aos antigos: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo que todo o que olhar para uma mulher, cobiçando-a, já no seu coração adulterou com ela. (Mateus, V: 27-28).
  • 4. 6 – A palavra adultério não deve ser aqui entendida no sentido exclusivo de sua acepção própria, mas com sentido mais amplo.
  • 5. Adultério é uma palavra que derivou da expressão em Latim ad alterum torum que significa literalmente na cama de outro(a)que designava a prática da infidelidade conjugal e com o tempo se estendeu ao sentido de fraudar ou falsificar adjeta ao verbo "adulterar".WikipédA.
  • 6. Jesus a empregou frequentemente por extensão, para designar o mal, o pecado, e todos os maus pensamentos...
  • 7. “Porque, se nesta geração adúltera e pecadora alguém se envergonhar de mim e de minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vierem na glória de seu Pai, acompanhado dos santos anjos”. (Marcos, VIII: 38).
  • 8. A palavra Pecado é um termo comumente utilizado em contexto religioso, descrevendo qualquer desobediência à vontade de Deus; em especial, qualquer desconsideração deliberada das Leis Divinas.
  • 9. No hebraico e no grego comum, as formas verbais (em hebr. hhatá; em gr.hamartáno) significam "errar", no sentido de errar ou não atingir um alvo, ideal ou padrão. Em latim, o termo é vertido por peccátu. Na própriaBíblia é dada a expecificação de pecado. WikipédA.
  • 10. Veem os Espíritos tudo o que fazemos ? Em . 456
  • 11. — “Podem ver, pois que constantemente vos rodeiam. Cada um, porém, só vê aquilo a que dá atenção. Não se ocupam com o que lhes é indiferente.”...
  • 12. 15. - Sendo os fluidos o veículo do pensamento, este atua sobre os fluidos como o som sobre o ar; eles nos trazem o pensamento, como o ar nos traz o som..A Gênese Cap. XlV
  • 13. Pode-se pois dizer, sem receio de errar, que há, nesses fluidos, ondas e raios de pensamentos, que se cruzam sem se confundirem, como há no ar ondas e raios sonoros...
  • 14. ...criando imagens fluídicas, o pensamento se reflete no envoltório perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e aí de certo modo se fotografa...
  • 15. ...Desse modo é que os mais secretos movimentos da alma repercutem no envoltório fluídico; que uma alma pode ler noutra alma como num livro e ver o que não é perceptível aos olhos do corpo...
  • 16. Atraímos os Espíritos que se afinam conosco?
  • 17. A verdadeira pureza não está apenas nos atos, mas também Não vos no ensoberbais pensamento, do que sabeis, porquanto esse saber tem limites muito pois estreitos aquele no mundo em que habitais. Suponhamos sejais que sumidades tem em o inteligência neste planeta: nenhum coração direito tendes puro de envaidecer-nem vos. sequer pensa no mal.
  • 18. Da boca sai o que está cheio o coração!
  • 19. Foi isso que Jesus quis dizer, condenando o pecado, mesmo em pensamento, porque ele é um sinal de Não vos ensoberbais do que sabeis, porquanto esse saber tem limites muito estreitos no mundo em que habitais. Suponhamos sejais sumidades em inteligência neste planeta: nenhum direito tendes de envaidecer-vos. impureza.
  • 20. 7 – Este princípio leva-nos naturalmente a esta questão: Sofrem-se as consequências de um mau pensamento que não se efetivou?
  • 21. Tenha um homem, por exemplo, a ideia de matar a outro: embora o corpo material se lhe conserve impassível, seu corpo fluídico é posto em ação pelo pensamento e reproduz
  • 22. todos os matizes deste último; executa fluidicamente o gesto, o ato que intentou praticar. O pensamento cria a imagem da vítima e a cena inteira é pintada, como num quadro, tal qual se lhe desenrola no espírito...
  • 23. Podem os Espíritos conhecer os nossos mais secretos pensamentos? LE Q - 457.
  • 24. _“Muitas vezes chegam a conhecer o que desejaríeis ocultar de vós mesmos. Nem atos, nem pensamentos se lhes podem dissimular.”
  • 25. a) - Assim, mais fácil nos seria ocultar de uma pessoa viva qualquer coisa, do que a esconder dessa mesma pessoa depois de morta? LE Q - 457.
  • 26. “Certamente. Quando vos julgais muito ocultos, é comum terdes ao vosso lado uma multidão de Espíritos que vos observam.”
  • 28. Não consigo, não posso, não sou capaz, não aguento, não posso, não tenho força não suporto não....
  • 29. ... Eu sabia que não ia dar certo, tudo de ruim me acontece, tenho medo de não conseguir, ninguém me quer bem, ninguém presta...etc...
  • 30. O que devemos fazer para evitar o mal pensamento?
  • 31. Poderia sempre o homem, pelos seus esforços, vencer as suas más inclinações? LE Q - 909.
  • 32. “Sim, e, frequentemente, fazendo esforços muito insignificantes. O que lhe falta é a vontade ! Ah, quão poucos dentre vós fazem esforços!”
  • 33. Temos de fazer aqui uma importante distinção. À medida que a alma, comprometida no mau caminho, avança na vida Não vos ensoberbais do que sabeis, porquanto esse saber tem limites muito estreitos no mundo em que habitais. Suponhamos sejais sumidades em inteligência neste planeta: nenhum direito tendes de envaidecer-vos. espiritual, vai-se esclarecendo, e pouco a pouco se liberta de suas imperfeições,
  • 34. ....segundo a maior ou menor boa-vontade que emprega, em virtude do seu Não vos ensoberbais do que sabeis, porquanto esse saber tem limites muito estreitos no mundo em que habitais. Suponhamos sejais sumidades em inteligência neste planeta: nenhum direito tendes de envaidecer-vos. livre arbítrio.
  • 35. Todo mau pensamento é portanto o resultado da imperfeição da alma?
  • 36. Mas, de acordo com o desejo que tiver de se purificar, até mesmo esse mau pensamento se torna para ela um motivo de progresso, porque o repele com Não vos ensoberbais do que sabeis, porquanto esse saber tem limites muito estreitos no mundo em que habitais. Suponhamos sejais sumidades em inteligência neste planeta: nenhum direito tendes de envaidecer-vos. energia..
  • 37. É o sinal de uma mancha que ela se esforça por apagar. Assim, não cederá à tentação de Não vos ensoberbais do que sabeis, satisfazer porquanto um esse saber mau tem limites desejo, muito e estreitos no mundo em que habitais. após haver Suponhamos resistido, sejais sumidades sentir-em se-á inteligência neste planeta: nenhum mais forte direito tendes e contente de envaidecer-vos. com a sua vitória.
  • 38. Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações.(Allan Kardec, ESE., XVII, 4)
  • 39. Aquela que, pelo contrário, não tomou boas resoluções, ainda busca a ocasião de praticar o mau ato, e se não o fizer, não será por não querer, mas apenas por falta de circunstâncias favoráveis.
  • 40. Ela é, portanto, tão culpada, como se o houvesse praticado.
  • 42. A pessoa que nem sequer concebe o mau pensamento, já realizou o progresso...
  • 43. Aquela que ainda tem esse pensamento, mas o repele, está em vias de realizá-lo...
  • 44. E por fim, aquela que tem esse pensamento e nele se compraz, ainda está sob toda a força do mal...
  • 45. Numa, o trabalho está feito; nas outras, está por fazer. Deus, que é justo, leva em conta todas essas diferenças, na responsabilidade dos atos e dos pensamentos do homem.
  • 46. Uma linda noite e uma Feliz Semana!

Notas do Editor

  1. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  2. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  3. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  4. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  5. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  6. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  7. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  8. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  9. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  10. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido
  11. Mas as missões são mais ou menos gerais e importantes. Aquele que cultiva a terra cumpre uma missão, como aquele que governa ou aquele que instrui. Tudo se encadeia na Natureza; ao mesmo tempo que o Espírito se depura pela encarnação, também concorre por essa forma para o cumprimento dos desígnios da Providencia. Cada um tem a sua missão neste mundo, porque cada um pode ser útil em algum sentido