SlideShare uma empresa Scribd logo
O BRINCAR E O BRINQUEDO COMO ELEMENTOS ESSENCIAIS NO
DESENVOLVIMENTO DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL
Elizangela Viana dos Santos
Kênia Renata Silvia Lima Guerrero
Erika Karla Barros da Costa
Eixo temático: Educação da infância: Brincar e criar nos espaços institucionais.
Categoria: Comunicação Oral
RESUMO
O presente artigo intitulado “O brincar e o brinquedo como elementos essenciais no
desenvolvimento de alunos da Educação Infantil” visa analisar qual a importância dada
pelas escolas ao brincar e aos brinquedos e se os professores reconhecem a importância
destes elementos e ainda o que feito em sala de aula para valorizar o brincar e as
brincadeiras. A pesquisa também visou o levantamento dos locais apropriados para o
exercício das brincadeiras dentro das escolas. Para a o início da pesquisa, foi realizada
uma análise bibliográfica sobre o assunto, em seguida apresentamos o projeto às
instituições nas quais os professores responderam um questionário que constatou a
relevância que as escolas estão dando ao brincar e se durante a formação acadêmica dos
professores, tiveram direcionamento e estudos aprofundados sobre o referido tema.
Palavras- chaves: Brincar, brinquedo, desenvolvimento e aluno.
INTRODUÇÃO
O presente trabalho intitulado “O brincar e o brinquedo como elementos
essenciais no desenvolvimento de alunos da Educação Infantil” apresenta uma
proposta de pesquisa que visa mostrar a relevância que o brinquedo e a brincadeira
possuem no processo de aprendizagem desses indivíduos. Na atualidade essa
importância já é reconhecida pelos educadores e pela escola, mas apesar disso, ainda
encontramos crianças que por possuírem uma rotina extremamente atarefada, não
consegue praticar o ato de brincar. Devido a essa rotina que na maioria das vezes é
imposta pelos adultos, esquecendo de enxergar esse criança como criança,
projetando nela um adulto em miniatura que muitas vezes lhe é privado o direito de
brincar. Com o ato de brincar o sujeito consegue ir além da sua realidade, através da
imaginação, de reprodução daquilo que vivencia no seu dia a dia, facilitando assim a
construção da aprendizagem, estimulando a reflexão e estabelecendo uma forma de
se relacionar com o meio em que está inserido. A brincadeira é uma linguagem
natural que estimula a tomada de decisões, nas quais a criança tem autonomia para
revelar como ela entende o mundo em que vive, ajudando assim a enfrentar
situações que a fazem sofrer, dessa forma podemos perceber o brincar como algo
essencial para o desenvolvimento humano nos aspectos físicos, social, cultural,
afetivo, emocional e cognitivo, portanto disponibilizar espaços e tempo para
brincadeiras é contribuir para o desenvolvimento saudável da criança.
A maioria das escolas se preocupa com a alfabetização das crianças nas
séries iniciais. Valorizam o saber ler e escrever e sentem orgulho quando elas
aprendem logo nas primeiras séries. Não dão valor no brincar e não compreendem
que brincando a criança também aprende.
Assim é importante reafirmar que a criança precisa ter espaço para se
movimentar e brincar livremente, e brinquedo para que elas possam desenvolver a
sua criatividade e imaginação. O professor e a escola devem estar atentos e observar
os espaços, se é suficiente e adequado para a realização das brincadeiras.
É importante que a criança possa ter iniciativa nas atividades lúdicas conquistando
assim a sua autonomia, mas o professor precisa estabelecer regras, que eles possam
compreender e aceita-las de uma forma divertida.
As crianças inda não conhecem brincadeiras, com tanta tecnologia, ela não sabe o
que é brincar, passa muito tempo em frente ao computador, ou outras mídias, que se
perdeu a alegria de correr, jogar bola, brincar de faz-de-conta e outras brincadeiras
tão importantes para o seu crescimento, tanto físicos quanto cognitivo, além de
serem divertidas. Os pais estão sempre ocupados, não podem brincar com seus
filhos, portanto isso reforça o brincar na Educação Infantil.
Não é bom para criança ficar muito tempo sentado em casa, chegar á escola e ficar
só escrevendo, a criança precisa se movimentar, não somente para o seu
divertimento, mas para se desenvolver, pois precisam do toque, do agir para
interagir com o meio. Se não for assim, perdem a vontade de ir à escola.
Muitas delas têm na instituição escolar o único espaço para interagir em, onde elas
possam se movimentar e usar a sua imaginação com as brincadeiras.
A formação dos professores precisa trabalhar mais o processo do brincar,
criar novas brincadeiras e resgatar as tradicionais que possam estimular o
desenvolvimento em todas as áreas.
A conscientização de pais, educadores, e sociedade em geral de que a
vivencia de brincadeiras na infância não é apenas um lazer e sim uma forma de
aprendizagem prazerosa é significativa, é algo ainda a ser alcançado, o problema é
que esse brincar muitas vezes é visto apenas como um momento de distração onde
na verdade é um instrumento muito poderoso para o professor obter informações
sobre seus alunos e com a nossa pesquisa esperamos contribuir para que isso
aconteça.
OBJETIVO GERAL
Demonstrar através da pesquisa, que as crianças se desenvolvem melhor
brincando, com as brincadeiras ela aprende a se comunicar, desenvolvendo o
processo de aprendizagem.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Reconhecer os benefícios e a influência que o brincar possui no
desenvolvimento da criança.
 Identificar as vantagens e benefícios que a brincadeira proporciona ao
aluno na construção do conhecimento.
 Sugerir como o professor pode utilizar a brincadeira e o brinquedo
como ferramenta pedagógica.
 Investigar qual a importância que as escolas dão para as brincadeiras e
ao brinquedo.
 Reconhecer a importância do brincar.
A IDEIA DA PESQUISA
A ideia desta pesquisa surgiu a partir da realização de um estagio em uma
escola particular, observando a rotina de uma sala de maternal, no qual percebemos a
ausência de brincadeiras, que são de extrema importância para o desenvolvimento dos
pequenos; o que nos levou a concluir que essa ausência era devido à rotina da escola, os
professores se preocupava em seguir horários, pois não queriam se atrasar em relação ao
cronograma escolar. Essa rotina é muito reduzida, impossibilitando que o educador
proporcione aos seus alunos essa interação do aluno com o brinquedo, para tentar
resolver esse problema à escola deve dar autonomia para o professor elaborar a sua
própria rotina, facilitando assim a realização de atividades lúdicas.
Na relação entre o aluno e o brinquedo, o professor tem o papel de mediador,
onde deve estimular o raciocínio, proporcionar situações problemas, construir um
ambiente que reforce o aprendizado, respeitando sempre a individualidade de cada um,
suas habilidades e dificuldades visando sempre a superação e o desenvolvimento do
educando.
A ESCOLA E OS MOMENTOS LÚDICOS
A escola é o primeiro ambiente no qual a criança aprenderá a interagir e a
conviver com outras pessoas, é o seu primeiro contato com as pessoas adulto ou
crianças, que não integram sua família ou que estejam em seu cotidiano, mas que
contribuem para a sua formação, desenvolvendo aspectos intelectuais, emocionais,
sociais e motoras.
O lúdico, a brincadeira e o brinquedo são importantes aliados do professor, para
que esse primeiro contato seja significativo e prazeroso para essa criança, pois a
brincadeira proporciona o desenvolvimento das múltiplas inteligências: musical
linguístico, espacial, corporal, existencial, interpessoal, existencialista entre outros.
A qualidade na educação infantil vem sendo cada vez mais valorizada pela
sociedade, devido à transformação que o ensino geral vem sofrendo. Essa qualidade na
educação dos pequenos vem se tornando importantíssima, por esse motivo a educação
infantil vem sendo um dos assuntos mais discutidos nos encontros de professores e
pesquisadores sobre o assunto.
A preocupação em relação ao ensino que vem sendo oferecido nessa etapa deve-
se a importância e influencia que ele tem na vida do indivíduo, pois e nele que se
formará a personalidade do aluno.
Buscar prática e estratégias inovadoras para a prática docente éo grande desafio dos
professores, para que o ensino tenha qualidade e consiga suprir as necessidades do
aluno, nem sempre as escolas e os professores conseguem ensinar os conteúdos de
maneira adequada, por ainda haver muitos problemas na educação infantil, devido a não
utilização do lúdico, de brincadeiras e jogos que auxilia e muito o educador no
desenvolvimento pedagógico.
O desenvolvimento de atividades lúdicas nas séries iniciais, além de proporcionar uma
aprendizagem significativa e prazerosa para o aluno, faz com que ele se interesse e
goste de estar na escola, o professor tem o papel de incentivador nessa fase, ele deve
incentivá-los, a ouvir música a pintar, brincar, despertando a sua imaginação.
Outro ponto importante no qual o professor deve ter um carinho especial é a sala de
aula, pois ela é um ponto de referência para a criança e onde ela passar a maior parte do
seu tempo, ela deve ser colorida, harmoniosa e aconchegante para que favoreça a
aprendizagem.
O ensino deve ser sempre lúdico, com muita diversão e materiais concretos para
que os pequenos possam manusear, sentir texturas, e participarem efetivamente do seu
aprendizado, a sala deve haver cantinhos como de leitura, de pintura, de montar entre
outros para que a criança fiquem livres para escolher o que quer fazer. Os livros são
indispensáveis em uma sala de educação infantil, livros de pano, de plásticos,
tridimensional ajuda a estimular a imaginação, além de conseguirem despertar o prazer
em ler, isso tudo contribui para a perda de timidez, a interação com os colegas e
construção de diálogo.
Ao preparar os materiais a ser utilizado, o educador deve planejar, pois
influenciam e muito na formação da identidade por se identificarem com os brinquedos
e livros. Histórias de princesa, guerreiros, príncipes e heróis são muito válidos, não
apenas pelo fato de ser lúdico e sim por proporcionar ensinamentos sobre a vida, as
histórias não devem ser contadas, apenas pelo contar, deve ser vista como uma maneira
de fazer um trabalho de reflexão sobre o contexto, por exemplo a história do Pinóquio
ensina que não se deve mentir essas discussões devem ser feitas na sala de aula para que
os pequenos possam fazer assimilações com a história e a vida real proporcionando um
ensino significativo para eles.
Segundo Piaget afirma; desde os primeiros anos de vida é necessário que a criança
receba estimulação visual, auditiva e tato e que eles tenham uma variedade de objetos
para manipular e da possibilidade para se movimentar. Sua atividade intelectual, nos
primeiros anos é sensório-motor isso consiste em perceber o ambiente e agir sobre ele.
A interação entre o organismo é o ambiente, é necessário para despertá-lo de certas
relações lógicas entre os objetos que e, portanto para a compreensão, no futuro de vários
conceitos. E vendo, ouvindo, manipulando objetos que a criança vai lentamente
formando suas noções de objeto, espaço, causalidade e tempo.
(Piaget 1990).
Mesmo sem falarem os bebês adora escutar histórias, segurar os livros, olhar as
figuras coloridas que trazem os livros infantis, a leitura para os bebês devem ser
realizadas em conjunto com as músicas, dessa forma ele conseguirá saber o que irá
acontecer, quando se conta antes de iniciar a história, por exemplo, e quando acaba
também.
E possível alfabetizar uma criança na educação infantil, desde que seja um
aprendizado prazeroso e divertido e não torturante e obrigatório, a curiosidade deve ser
algo constante nesse processo, pois as brincadeiras proporcionam isso, quando a criança
tem contato com esse mundo de brincadeiras, com o escrito, coma a leitura, desde cedo
sua alfabetização será mais fácil, a leitura é muito importante, pois desenvolvem a
inteligência, as sensibilidade, a potencialidade, a criatividade e principalmente a
afetividade.
A brincadeira e uma linguagem natural no qual a criança consegue se expressar e
comunicar com o meio em que vive, ao brincar elas reproduzem suas relações com as
pessoas que convivem, interagem com os envolvidos na brincadeira, constrói a sua
identidade, compreende melhor o mundo, as pessoas e os sentimentos.
As brincadeiras nas quais as crianças fingem ser pessoas que não são, pois era
mamãe, papais, professor, médico, vendedor, são brincadeiras que partem da memória e
da imaginação delas, elas repetem aquilo que veem em casa, na escola, na realidade que
a cerca, por exemplo, a criança vai ao dentista e quando chega a casa faz de conta é um
dentista isso e uma reprodução do que ele vivenciou. Muitas vezes utilizam objetos para
representarem outro, como, bonecas para representar alguém de sua família, caixapara
representar um carro etc. Nessas atividades que muitas vezes podem ser vistas como
apenas coisa de criança, elas utilizam operações mentais, desenvolvendo assim seu lado
cognitivo dessa forma de brincar também é de aprender. Cantar, montar, imitar, inventar
além de ajudarem no desenvolvimento motor e cognitivo, contribui para a afetividade,
elas imitam, e realizam atividades de maneira espontânea e por vontade própria,
mostrando como entende o mundo e as pessoas que a cercam.
Para Santos:
“O período educação infantil é uma nova fase da vida da criança, fase está de grande
importância. O professor é responsável pelas primeiras experiências das crianças com um
grupo social estruturado fora do lar, onde relacionamento dos membros é diferente do qual
era acostumado, com regras hábitos e atitudes convenientes. Por tanto uma das finalidades
primordiais é adaptar o aluno a situação escolar. Durante este período devem-se trabalhar
os pré-requisitos, percepção visual, auditiva, tato e coordenação motora da criança”
(Santos, 2002).
Antes de iniciar qualquer jogo ou brincadeira e necessário explicar as regras e
como se faz, uma explicação sem gritos e firma para mostrar os limites, a criança
precisa respeitar as regras e entender que se não cumpri-las perderá o jogo, e que em
outra partida poderá ganhar se respeitar as regras e que aceita perde e ganhar.
Segundo Kishimoto (1994) o jogo, vincula-se ao sonho, à imaginação, ao
pensamento e ao símbolo. É uma proposta para a educação de crianças (e educadores de
crianças) com base no jogo e nas linguagens artísticas. A concepção de Kishimoto sobre
o homem como ser simbólico, que se constrói coletivamente e cuja capacidade de
pensar está ligada à capacidade de sonhar, imaginar e jogar com a realidade, é
fundamental para propor uma nova "pedagogia da criança". Kishimoto vê o jogar como
gênese da "metáfora" humana. Ou, talvez, aquilo que nos torna realmente humanos.
Já para Piaget (1998) Com relação ao jogo, acredita que ele é essencial na vida
da criança. De início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete
uma determinada situação por puro prazer, por ter apreciado seus efeitos. Em torno dos
2-3 anos nota-se a ocorrência dos jogos simbólicos, que satisfazem a necessidade da
criança de não somente relembrar o mentalmente o acontecido, mas de executar a
representação.
METODOLOGIA APLICADA
Inicialmente realizamos uma pesquisa bibliográfica sobre o assunto,
entrevistamos professores da educação infantil, coordenadores pedagógicos e diretor, a
análise foi realizada em duas escolas sendo uma pública e outra privada.
O questionário foi aplicado aos docentes e em seguida foi ministrada uma
palestra com o intuito de discutir o assunto e trocar experiências, após as discussões foi
realizado juntamente com os professores uma gincana com os alunos da educação
infantil onde eles perceberam a real importância do brincar e do brinquedo.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A pesquisa realizada permitiu perceber que o uso de brincadeiras e jogos como fermenta
de ensino nas series iniciais, é de grande valia para o desenvolvimento do aluno tanto no
cognitivo quanto no motor, emocional e social, já que o lúdico proporciona essa
interação da criança com o brinquedo. O uso dessa ferramenta permite que o aluno
tenha um aprendizado significativo e prazeroso, onde ele aprende e se desenvolve
fazendo aquilo que ele mais gosta é brincar, assim o aprendizado se torna mais
divertido.
Sendo assim, o brincar e um recurso que auxilia o professor da educação infantil
a estimular e desenvolver as potencialidades e habilidades das crianças. Deste modo,
Cordazzo e Vieira (2008) defendem que a utilização das brincadeiras no processo de
ensino aprendizagem é de suma importância, onde os objetivos da escola de acordo com
o PCNs, não é apenas passar conteúdos escolares mas também a construção do saber e o
desenvolvimento de forma integral do aluno.
Segundo Vygosky (1989) o brincar no cotidiano das crianças é algo essencial para a sua
aprendizagem. Pra ele a evolução do aprendizado está relacionado a partir do primeiro
dia de vida do indivíduo, considerando assim um aspecto importante e indispensável no
desenvolvimento psicológico infantil.
A realização desse projeto proporcionou tanto aos acadêmicos como os participantes,
um enriquecimento de saberes sobre o assunto proposto pelo projeto.
Com a pesquisa podemos perceber que os professores recém-formados tiveram uma
base maior a respeito da importância que a brincadeira possui no desenvolvimento da
criança e que na escola da rede pública esse brincar vem sendo mais valorizado.
REFERÊNCIAS
CORDAZZO, S. T. D.; VIEIRA, L. M. Caracterização de Brincadeiras de Crianças em
Idade Escolar. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.21, n.3, p.365-373, 2008.
DHIEL, A.; TATIM, D.C..Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas: métodos e técnicas.
São Paulo: Prentice Hall, 2004.
KISHIMOTO, T. Jogos tradicionais infantis: o jogo, a criança, a Educação. Petrópolis:
Vozes,
1993.
KISHIMOTO, T. O jogo e a Educação Infantil. São Paulo: Pioneira, 1994.
KISHIMOTO, T. (org.) O brincar e suas teorias. São Paulo Pioneira, 1998.
PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imitação e
representação. Rio de Janeiro: LTC, 1990.
SANTOS, V. L. B. Brincadeira e conhecimento: do faz-de-conta à representação teatral.
Porto Alegre: Mediação, 2002. (Coleção Educação e Arte, 1)
VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989.
VYGOTSKY, L. S. O papel do brinquedo no desenvolvimento. In: ---. A formação
social da mente. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991. p. 105-118

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aline naiany erika
Aline naiany erikaAline naiany erika
Aline naiany erika
Fernando Pissuto
 
Jessica jucilene nair
Jessica jucilene nairJessica jucilene nair
Jessica jucilene nair
Fernando Pissuto
 
Flavia vanuza monica
Flavia vanuza monicaFlavia vanuza monica
Flavia vanuza monica
Fernando Pissuto
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
Fernando Pissuto
 
Priscila maria jehnnifer_simone
Priscila maria jehnnifer_simonePriscila maria jehnnifer_simone
Priscila maria jehnnifer_simone
Fernando Pissuto
 
Alinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzziAlinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzzi
Fernando Pissuto
 
Marlene monica
Marlene monicaMarlene monica
Marlene monica
Fernando Pissuto
 
Edna isabel erika
Edna isabel erikaEdna isabel erika
Edna isabel erika
Fernando Pissuto
 
Laura simone
Laura simoneLaura simone
Laura simone
Fernando Pissuto
 
Kelly
KellyKelly
Adriana franciellen erika
Adriana  franciellen erikaAdriana  franciellen erika
Adriana franciellen erika
Fernando Pissuto
 
Rosana rosimara erika
Rosana rosimara erikaRosana rosimara erika
Rosana rosimara erika
Fernando Pissuto
 
Ana carla gisela
Ana carla giselaAna carla gisela
Ana carla gisela
Fernando Pissuto
 
Aline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_vivianyAline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_viviany
Fernando Pissuto
 
Andressa jessica erika
Andressa jessica erikaAndressa jessica erika
Andressa jessica erika
Fernando Pissuto
 
Leticia erika
Leticia erikaLeticia erika
Leticia erika
Fernando Pissuto
 
Fernanda otilia jose flavio
Fernanda otilia jose flavioFernanda otilia jose flavio
Fernanda otilia jose flavio
Fernando Pissuto
 
INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surda
INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surdaINCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surda
INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surda
Fernando Pissuto
 
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTILTRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Fernando Pissuto
 
Francielle gustavo neide
Francielle gustavo neideFrancielle gustavo neide
Francielle gustavo neide
Fernando Pissuto
 

Mais procurados (20)

Aline naiany erika
Aline naiany erikaAline naiany erika
Aline naiany erika
 
Jessica jucilene nair
Jessica jucilene nairJessica jucilene nair
Jessica jucilene nair
 
Flavia vanuza monica
Flavia vanuza monicaFlavia vanuza monica
Flavia vanuza monica
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
 
Priscila maria jehnnifer_simone
Priscila maria jehnnifer_simonePriscila maria jehnnifer_simone
Priscila maria jehnnifer_simone
 
Alinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzziAlinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzzi
 
Marlene monica
Marlene monicaMarlene monica
Marlene monica
 
Edna isabel erika
Edna isabel erikaEdna isabel erika
Edna isabel erika
 
Laura simone
Laura simoneLaura simone
Laura simone
 
Kelly
KellyKelly
Kelly
 
Adriana franciellen erika
Adriana  franciellen erikaAdriana  franciellen erika
Adriana franciellen erika
 
Rosana rosimara erika
Rosana rosimara erikaRosana rosimara erika
Rosana rosimara erika
 
Ana carla gisela
Ana carla giselaAna carla gisela
Ana carla gisela
 
Aline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_vivianyAline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_viviany
 
Andressa jessica erika
Andressa jessica erikaAndressa jessica erika
Andressa jessica erika
 
Leticia erika
Leticia erikaLeticia erika
Leticia erika
 
Fernanda otilia jose flavio
Fernanda otilia jose flavioFernanda otilia jose flavio
Fernanda otilia jose flavio
 
INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surda
INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surdaINCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surda
INCLUSÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL A inserção da criança surda
 
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTILTRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Francielle gustavo neide
Francielle gustavo neideFrancielle gustavo neide
Francielle gustavo neide
 

Semelhante a Elizangela kenia erika

Brinquedos e brincadeiras lúdicas
Brinquedos e brincadeiras lúdicasBrinquedos e brincadeiras lúdicas
Brinquedos e brincadeiras lúdicas
Danusinha87
 
Adaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidadeAdaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidade
cefaprodematupa
 
13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf
13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf
13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf
SimoneHelenDrumond
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
SimoneHelenDrumond
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
SimoneHelenDrumond
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
SimoneHelenDrumond
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
SimoneHelenDrumond
 
13
1313
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILA IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILcefaprodematupa
 
Thaynara e vanuza
Thaynara e vanuzaThaynara e vanuza
Thaynara e vanuza
Fernando Pissuto
 
07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf
07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf
07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf
AlinePereira959821
 
Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)
Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)
Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)
Aline free
 
Artigo7
Artigo7Artigo7
Ludicidade infantil artigo
Ludicidade infantil artigoLudicidade infantil artigo
Ludicidade infantil artigo
Márcia Santos
 
Prática docente Educação Infantil
Prática docente Educação InfantilPrática docente Educação Infantil
Prática docente Educação Infantil
Rosinara Azeredo
 
A ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumond
A ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumondA ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumond
A ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Tcc
TccTcc
Combinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetiva
Combinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetivaCombinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetiva
Combinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetiva
AlanWillianLeonioSil
 
Curso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e LetramentoCurso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e Letramento
alfaletra
 

Semelhante a Elizangela kenia erika (20)

Brinquedos e brincadeiras lúdicas
Brinquedos e brincadeiras lúdicasBrinquedos e brincadeiras lúdicas
Brinquedos e brincadeiras lúdicas
 
Adaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidadeAdaptação e socialização através da ludicidade
Adaptação e socialização através da ludicidade
 
13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf
13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf
13 O LUDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ISCHKANIAN.pdf
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
 
O lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantilO lúdico na educação infantil
O lúdico na educação infantil
 
13
1313
13
 
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILA IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Thaynara e vanuza
Thaynara e vanuzaThaynara e vanuza
Thaynara e vanuza
 
07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf
07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf
07 A importância do Lúdico na Educação Infantil.pdf
 
Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)
Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)
Trabalho grupo artes na abnt mandar (1)
 
Artigo7
Artigo7Artigo7
Artigo7
 
Ludicidade infantil artigo
Ludicidade infantil artigoLudicidade infantil artigo
Ludicidade infantil artigo
 
Prática docente Educação Infantil
Prática docente Educação InfantilPrática docente Educação Infantil
Prática docente Educação Infantil
 
A ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumond
A ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumondA ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumond
A ludicidade do século xxi ainda na visão de dom bosco simone helen drumond
 
Projeto ludico simone drumond
Projeto ludico simone drumondProjeto ludico simone drumond
Projeto ludico simone drumond
 
Tcc
TccTcc
Tcc
 
Combinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetiva
Combinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetivaCombinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetiva
Combinando jogo e escola promovendo aprendizagem efetiva
 
Curso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e LetramentoCurso 2 - Alfabetização e Letramento
Curso 2 - Alfabetização e Letramento
 

Mais de Fernando Pissuto

Talita
TalitaTalita
Suelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzesSuelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzes
Fernando Pissuto
 
Rubens arguelho
Rubens arguelhoRubens arguelho
Rubens arguelho
Fernando Pissuto
 
Neidi monica
Neidi monicaNeidi monica
Neidi monica
Fernando Pissuto
 
Maria solange
Maria solangeMaria solange
Maria solange
Fernando Pissuto
 
Maria claudionora
Maria claudionoraMaria claudionora
Maria claudionora
Fernando Pissuto
 
Luzia
LuziaLuzia
Luana aparecida monica
Luana aparecida monicaLuana aparecida monica
Luana aparecida monica
Fernando Pissuto
 
Jucilene priscila
Jucilene priscilaJucilene priscila
Jucilene priscila
Fernando Pissuto
 
Jose flavio 2
Jose flavio 2Jose flavio 2
Jose flavio 2
Fernando Pissuto
 
Jennifer alyne maria
Jennifer alyne mariaJennifer alyne maria
Jennifer alyne maria
Fernando Pissuto
 
Hellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebecaHellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebeca
Fernando Pissuto
 
Elaine jessica jose
Elaine jessica joseElaine jessica jose
Elaine jessica jose
Fernando Pissuto
 

Mais de Fernando Pissuto (13)

Talita
TalitaTalita
Talita
 
Suelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzesSuelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzes
 
Rubens arguelho
Rubens arguelhoRubens arguelho
Rubens arguelho
 
Neidi monica
Neidi monicaNeidi monica
Neidi monica
 
Maria solange
Maria solangeMaria solange
Maria solange
 
Maria claudionora
Maria claudionoraMaria claudionora
Maria claudionora
 
Luzia
LuziaLuzia
Luzia
 
Luana aparecida monica
Luana aparecida monicaLuana aparecida monica
Luana aparecida monica
 
Jucilene priscila
Jucilene priscilaJucilene priscila
Jucilene priscila
 
Jose flavio 2
Jose flavio 2Jose flavio 2
Jose flavio 2
 
Jennifer alyne maria
Jennifer alyne mariaJennifer alyne maria
Jennifer alyne maria
 
Hellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebecaHellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebeca
 
Elaine jessica jose
Elaine jessica joseElaine jessica jose
Elaine jessica jose
 

Último

APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 

Elizangela kenia erika

  • 1. O BRINCAR E O BRINQUEDO COMO ELEMENTOS ESSENCIAIS NO DESENVOLVIMENTO DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Elizangela Viana dos Santos Kênia Renata Silvia Lima Guerrero Erika Karla Barros da Costa Eixo temático: Educação da infância: Brincar e criar nos espaços institucionais. Categoria: Comunicação Oral RESUMO O presente artigo intitulado “O brincar e o brinquedo como elementos essenciais no desenvolvimento de alunos da Educação Infantil” visa analisar qual a importância dada pelas escolas ao brincar e aos brinquedos e se os professores reconhecem a importância destes elementos e ainda o que feito em sala de aula para valorizar o brincar e as brincadeiras. A pesquisa também visou o levantamento dos locais apropriados para o exercício das brincadeiras dentro das escolas. Para a o início da pesquisa, foi realizada uma análise bibliográfica sobre o assunto, em seguida apresentamos o projeto às instituições nas quais os professores responderam um questionário que constatou a relevância que as escolas estão dando ao brincar e se durante a formação acadêmica dos professores, tiveram direcionamento e estudos aprofundados sobre o referido tema. Palavras- chaves: Brincar, brinquedo, desenvolvimento e aluno.
  • 2. INTRODUÇÃO O presente trabalho intitulado “O brincar e o brinquedo como elementos essenciais no desenvolvimento de alunos da Educação Infantil” apresenta uma proposta de pesquisa que visa mostrar a relevância que o brinquedo e a brincadeira possuem no processo de aprendizagem desses indivíduos. Na atualidade essa importância já é reconhecida pelos educadores e pela escola, mas apesar disso, ainda encontramos crianças que por possuírem uma rotina extremamente atarefada, não consegue praticar o ato de brincar. Devido a essa rotina que na maioria das vezes é imposta pelos adultos, esquecendo de enxergar esse criança como criança, projetando nela um adulto em miniatura que muitas vezes lhe é privado o direito de brincar. Com o ato de brincar o sujeito consegue ir além da sua realidade, através da imaginação, de reprodução daquilo que vivencia no seu dia a dia, facilitando assim a construção da aprendizagem, estimulando a reflexão e estabelecendo uma forma de se relacionar com o meio em que está inserido. A brincadeira é uma linguagem natural que estimula a tomada de decisões, nas quais a criança tem autonomia para revelar como ela entende o mundo em que vive, ajudando assim a enfrentar situações que a fazem sofrer, dessa forma podemos perceber o brincar como algo essencial para o desenvolvimento humano nos aspectos físicos, social, cultural, afetivo, emocional e cognitivo, portanto disponibilizar espaços e tempo para brincadeiras é contribuir para o desenvolvimento saudável da criança. A maioria das escolas se preocupa com a alfabetização das crianças nas séries iniciais. Valorizam o saber ler e escrever e sentem orgulho quando elas aprendem logo nas primeiras séries. Não dão valor no brincar e não compreendem que brincando a criança também aprende. Assim é importante reafirmar que a criança precisa ter espaço para se movimentar e brincar livremente, e brinquedo para que elas possam desenvolver a sua criatividade e imaginação. O professor e a escola devem estar atentos e observar os espaços, se é suficiente e adequado para a realização das brincadeiras. É importante que a criança possa ter iniciativa nas atividades lúdicas conquistando assim a sua autonomia, mas o professor precisa estabelecer regras, que eles possam compreender e aceita-las de uma forma divertida.
  • 3. As crianças inda não conhecem brincadeiras, com tanta tecnologia, ela não sabe o que é brincar, passa muito tempo em frente ao computador, ou outras mídias, que se perdeu a alegria de correr, jogar bola, brincar de faz-de-conta e outras brincadeiras tão importantes para o seu crescimento, tanto físicos quanto cognitivo, além de serem divertidas. Os pais estão sempre ocupados, não podem brincar com seus filhos, portanto isso reforça o brincar na Educação Infantil. Não é bom para criança ficar muito tempo sentado em casa, chegar á escola e ficar só escrevendo, a criança precisa se movimentar, não somente para o seu divertimento, mas para se desenvolver, pois precisam do toque, do agir para interagir com o meio. Se não for assim, perdem a vontade de ir à escola. Muitas delas têm na instituição escolar o único espaço para interagir em, onde elas possam se movimentar e usar a sua imaginação com as brincadeiras. A formação dos professores precisa trabalhar mais o processo do brincar, criar novas brincadeiras e resgatar as tradicionais que possam estimular o desenvolvimento em todas as áreas. A conscientização de pais, educadores, e sociedade em geral de que a vivencia de brincadeiras na infância não é apenas um lazer e sim uma forma de aprendizagem prazerosa é significativa, é algo ainda a ser alcançado, o problema é que esse brincar muitas vezes é visto apenas como um momento de distração onde na verdade é um instrumento muito poderoso para o professor obter informações sobre seus alunos e com a nossa pesquisa esperamos contribuir para que isso aconteça. OBJETIVO GERAL Demonstrar através da pesquisa, que as crianças se desenvolvem melhor brincando, com as brincadeiras ela aprende a se comunicar, desenvolvendo o processo de aprendizagem.
  • 4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Reconhecer os benefícios e a influência que o brincar possui no desenvolvimento da criança.  Identificar as vantagens e benefícios que a brincadeira proporciona ao aluno na construção do conhecimento.  Sugerir como o professor pode utilizar a brincadeira e o brinquedo como ferramenta pedagógica.  Investigar qual a importância que as escolas dão para as brincadeiras e ao brinquedo.  Reconhecer a importância do brincar. A IDEIA DA PESQUISA A ideia desta pesquisa surgiu a partir da realização de um estagio em uma escola particular, observando a rotina de uma sala de maternal, no qual percebemos a ausência de brincadeiras, que são de extrema importância para o desenvolvimento dos pequenos; o que nos levou a concluir que essa ausência era devido à rotina da escola, os professores se preocupava em seguir horários, pois não queriam se atrasar em relação ao cronograma escolar. Essa rotina é muito reduzida, impossibilitando que o educador proporcione aos seus alunos essa interação do aluno com o brinquedo, para tentar resolver esse problema à escola deve dar autonomia para o professor elaborar a sua própria rotina, facilitando assim a realização de atividades lúdicas. Na relação entre o aluno e o brinquedo, o professor tem o papel de mediador, onde deve estimular o raciocínio, proporcionar situações problemas, construir um ambiente que reforce o aprendizado, respeitando sempre a individualidade de cada um, suas habilidades e dificuldades visando sempre a superação e o desenvolvimento do educando.
  • 5. A ESCOLA E OS MOMENTOS LÚDICOS A escola é o primeiro ambiente no qual a criança aprenderá a interagir e a conviver com outras pessoas, é o seu primeiro contato com as pessoas adulto ou crianças, que não integram sua família ou que estejam em seu cotidiano, mas que contribuem para a sua formação, desenvolvendo aspectos intelectuais, emocionais, sociais e motoras. O lúdico, a brincadeira e o brinquedo são importantes aliados do professor, para que esse primeiro contato seja significativo e prazeroso para essa criança, pois a brincadeira proporciona o desenvolvimento das múltiplas inteligências: musical linguístico, espacial, corporal, existencial, interpessoal, existencialista entre outros. A qualidade na educação infantil vem sendo cada vez mais valorizada pela sociedade, devido à transformação que o ensino geral vem sofrendo. Essa qualidade na educação dos pequenos vem se tornando importantíssima, por esse motivo a educação infantil vem sendo um dos assuntos mais discutidos nos encontros de professores e pesquisadores sobre o assunto. A preocupação em relação ao ensino que vem sendo oferecido nessa etapa deve- se a importância e influencia que ele tem na vida do indivíduo, pois e nele que se formará a personalidade do aluno. Buscar prática e estratégias inovadoras para a prática docente éo grande desafio dos professores, para que o ensino tenha qualidade e consiga suprir as necessidades do aluno, nem sempre as escolas e os professores conseguem ensinar os conteúdos de maneira adequada, por ainda haver muitos problemas na educação infantil, devido a não utilização do lúdico, de brincadeiras e jogos que auxilia e muito o educador no desenvolvimento pedagógico. O desenvolvimento de atividades lúdicas nas séries iniciais, além de proporcionar uma aprendizagem significativa e prazerosa para o aluno, faz com que ele se interesse e goste de estar na escola, o professor tem o papel de incentivador nessa fase, ele deve incentivá-los, a ouvir música a pintar, brincar, despertando a sua imaginação. Outro ponto importante no qual o professor deve ter um carinho especial é a sala de aula, pois ela é um ponto de referência para a criança e onde ela passar a maior parte do seu tempo, ela deve ser colorida, harmoniosa e aconchegante para que favoreça a aprendizagem.
  • 6. O ensino deve ser sempre lúdico, com muita diversão e materiais concretos para que os pequenos possam manusear, sentir texturas, e participarem efetivamente do seu aprendizado, a sala deve haver cantinhos como de leitura, de pintura, de montar entre outros para que a criança fiquem livres para escolher o que quer fazer. Os livros são indispensáveis em uma sala de educação infantil, livros de pano, de plásticos, tridimensional ajuda a estimular a imaginação, além de conseguirem despertar o prazer em ler, isso tudo contribui para a perda de timidez, a interação com os colegas e construção de diálogo. Ao preparar os materiais a ser utilizado, o educador deve planejar, pois influenciam e muito na formação da identidade por se identificarem com os brinquedos e livros. Histórias de princesa, guerreiros, príncipes e heróis são muito válidos, não apenas pelo fato de ser lúdico e sim por proporcionar ensinamentos sobre a vida, as histórias não devem ser contadas, apenas pelo contar, deve ser vista como uma maneira de fazer um trabalho de reflexão sobre o contexto, por exemplo a história do Pinóquio ensina que não se deve mentir essas discussões devem ser feitas na sala de aula para que os pequenos possam fazer assimilações com a história e a vida real proporcionando um ensino significativo para eles. Segundo Piaget afirma; desde os primeiros anos de vida é necessário que a criança receba estimulação visual, auditiva e tato e que eles tenham uma variedade de objetos para manipular e da possibilidade para se movimentar. Sua atividade intelectual, nos primeiros anos é sensório-motor isso consiste em perceber o ambiente e agir sobre ele. A interação entre o organismo é o ambiente, é necessário para despertá-lo de certas relações lógicas entre os objetos que e, portanto para a compreensão, no futuro de vários conceitos. E vendo, ouvindo, manipulando objetos que a criança vai lentamente formando suas noções de objeto, espaço, causalidade e tempo. (Piaget 1990). Mesmo sem falarem os bebês adora escutar histórias, segurar os livros, olhar as figuras coloridas que trazem os livros infantis, a leitura para os bebês devem ser realizadas em conjunto com as músicas, dessa forma ele conseguirá saber o que irá acontecer, quando se conta antes de iniciar a história, por exemplo, e quando acaba também. E possível alfabetizar uma criança na educação infantil, desde que seja um aprendizado prazeroso e divertido e não torturante e obrigatório, a curiosidade deve ser algo constante nesse processo, pois as brincadeiras proporcionam isso, quando a criança
  • 7. tem contato com esse mundo de brincadeiras, com o escrito, coma a leitura, desde cedo sua alfabetização será mais fácil, a leitura é muito importante, pois desenvolvem a inteligência, as sensibilidade, a potencialidade, a criatividade e principalmente a afetividade. A brincadeira e uma linguagem natural no qual a criança consegue se expressar e comunicar com o meio em que vive, ao brincar elas reproduzem suas relações com as pessoas que convivem, interagem com os envolvidos na brincadeira, constrói a sua identidade, compreende melhor o mundo, as pessoas e os sentimentos. As brincadeiras nas quais as crianças fingem ser pessoas que não são, pois era mamãe, papais, professor, médico, vendedor, são brincadeiras que partem da memória e da imaginação delas, elas repetem aquilo que veem em casa, na escola, na realidade que a cerca, por exemplo, a criança vai ao dentista e quando chega a casa faz de conta é um dentista isso e uma reprodução do que ele vivenciou. Muitas vezes utilizam objetos para representarem outro, como, bonecas para representar alguém de sua família, caixapara representar um carro etc. Nessas atividades que muitas vezes podem ser vistas como apenas coisa de criança, elas utilizam operações mentais, desenvolvendo assim seu lado cognitivo dessa forma de brincar também é de aprender. Cantar, montar, imitar, inventar além de ajudarem no desenvolvimento motor e cognitivo, contribui para a afetividade, elas imitam, e realizam atividades de maneira espontânea e por vontade própria, mostrando como entende o mundo e as pessoas que a cercam. Para Santos: “O período educação infantil é uma nova fase da vida da criança, fase está de grande importância. O professor é responsável pelas primeiras experiências das crianças com um grupo social estruturado fora do lar, onde relacionamento dos membros é diferente do qual era acostumado, com regras hábitos e atitudes convenientes. Por tanto uma das finalidades primordiais é adaptar o aluno a situação escolar. Durante este período devem-se trabalhar os pré-requisitos, percepção visual, auditiva, tato e coordenação motora da criança” (Santos, 2002). Antes de iniciar qualquer jogo ou brincadeira e necessário explicar as regras e como se faz, uma explicação sem gritos e firma para mostrar os limites, a criança precisa respeitar as regras e entender que se não cumpri-las perderá o jogo, e que em outra partida poderá ganhar se respeitar as regras e que aceita perde e ganhar.
  • 8. Segundo Kishimoto (1994) o jogo, vincula-se ao sonho, à imaginação, ao pensamento e ao símbolo. É uma proposta para a educação de crianças (e educadores de crianças) com base no jogo e nas linguagens artísticas. A concepção de Kishimoto sobre o homem como ser simbólico, que se constrói coletivamente e cuja capacidade de pensar está ligada à capacidade de sonhar, imaginar e jogar com a realidade, é fundamental para propor uma nova "pedagogia da criança". Kishimoto vê o jogar como gênese da "metáfora" humana. Ou, talvez, aquilo que nos torna realmente humanos. Já para Piaget (1998) Com relação ao jogo, acredita que ele é essencial na vida da criança. De início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete uma determinada situação por puro prazer, por ter apreciado seus efeitos. Em torno dos 2-3 anos nota-se a ocorrência dos jogos simbólicos, que satisfazem a necessidade da criança de não somente relembrar o mentalmente o acontecido, mas de executar a representação. METODOLOGIA APLICADA Inicialmente realizamos uma pesquisa bibliográfica sobre o assunto, entrevistamos professores da educação infantil, coordenadores pedagógicos e diretor, a análise foi realizada em duas escolas sendo uma pública e outra privada. O questionário foi aplicado aos docentes e em seguida foi ministrada uma palestra com o intuito de discutir o assunto e trocar experiências, após as discussões foi realizado juntamente com os professores uma gincana com os alunos da educação infantil onde eles perceberam a real importância do brincar e do brinquedo. CONSIDERAÇÕES FINAIS A pesquisa realizada permitiu perceber que o uso de brincadeiras e jogos como fermenta de ensino nas series iniciais, é de grande valia para o desenvolvimento do aluno tanto no cognitivo quanto no motor, emocional e social, já que o lúdico proporciona essa interação da criança com o brinquedo. O uso dessa ferramenta permite que o aluno tenha um aprendizado significativo e prazeroso, onde ele aprende e se desenvolve fazendo aquilo que ele mais gosta é brincar, assim o aprendizado se torna mais divertido.
  • 9. Sendo assim, o brincar e um recurso que auxilia o professor da educação infantil a estimular e desenvolver as potencialidades e habilidades das crianças. Deste modo, Cordazzo e Vieira (2008) defendem que a utilização das brincadeiras no processo de ensino aprendizagem é de suma importância, onde os objetivos da escola de acordo com o PCNs, não é apenas passar conteúdos escolares mas também a construção do saber e o desenvolvimento de forma integral do aluno. Segundo Vygosky (1989) o brincar no cotidiano das crianças é algo essencial para a sua aprendizagem. Pra ele a evolução do aprendizado está relacionado a partir do primeiro dia de vida do indivíduo, considerando assim um aspecto importante e indispensável no desenvolvimento psicológico infantil. A realização desse projeto proporcionou tanto aos acadêmicos como os participantes, um enriquecimento de saberes sobre o assunto proposto pelo projeto. Com a pesquisa podemos perceber que os professores recém-formados tiveram uma base maior a respeito da importância que a brincadeira possui no desenvolvimento da criança e que na escola da rede pública esse brincar vem sendo mais valorizado.
  • 10. REFERÊNCIAS CORDAZZO, S. T. D.; VIEIRA, L. M. Caracterização de Brincadeiras de Crianças em Idade Escolar. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.21, n.3, p.365-373, 2008. DHIEL, A.; TATIM, D.C..Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas: métodos e técnicas. São Paulo: Prentice Hall, 2004. KISHIMOTO, T. Jogos tradicionais infantis: o jogo, a criança, a Educação. Petrópolis: Vozes, 1993. KISHIMOTO, T. O jogo e a Educação Infantil. São Paulo: Pioneira, 1994. KISHIMOTO, T. (org.) O brincar e suas teorias. São Paulo Pioneira, 1998. PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imitação e representação. Rio de Janeiro: LTC, 1990. SANTOS, V. L. B. Brincadeira e conhecimento: do faz-de-conta à representação teatral. Porto Alegre: Mediação, 2002. (Coleção Educação e Arte, 1) VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989. VYGOTSKY, L. S. O papel do brinquedo no desenvolvimento. In: ---. A formação social da mente. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991. p. 105-118