SlideShare uma empresa Scribd logo
Justiça e Graça
Um estudo da Doutrina da Salvação na carta aos Romanos
Lição 9
28 de
Fevereiro
de 2016
Mortos para o pecado
CONSCIENTIZAR
de que após a
justificação o
crente deve
manter uma vida
de santificação;
SABER que após a
justificação o
crente assume uma
nova posição
diante de Deus;
RECONHECER que
após a justificação
o crente deve viver
em novidade de
vida.
alvo
Texto Bíblico
Romanos 6.1-8.
1 — Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça seja mais abundante?
2 — De modo nenhum! Nós que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?
3 — Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua
morte?
4 — De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo
ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.
5 — Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o
seremos na da sua ressurreição;
6 — sabendo isto: que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado
seja desfeito, a fim de que não sirvamos mais ao pecado.
7 — Porque aquele que está morto está justificado do pecado.
8 — Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos;
INTRODUÇÃO
No texto a ser estudado, Paulo apresenta um problema que pode surgir
dependendo da interpretação da nova posição diante de Deus,
perdoado gratuitamente e livre em Cristo. Nesta lição vamos refletir a
respeito das mudanças que ocorrem com o crente após a justificação.
Veremos que após a justificação, o salvo: deve morrer para o pecado e
ocuparumanovaposiçãodiantedeDeus,andandoemnovidadede vida.
I. O JUSTIFICADO DEVE MORRER PARA O PECADO (vv.1-4,6,7)
A má interpretação da justificação pela fé (v.1).
A doutrina da justificação pela fé não era tão fácil de ser assimilada por
alguém que viveu anos debaixo do jugo da Lei. Imagine um judeu que
viveu a vida toda sendo ensinado que a observância da Lei deveria ser
rigorosa, pois era o único meio para se justificar diante de Deus. Coloque-
se no lugar dele. De repente, aparece um judeu que há pouco tempo
havia se convertido para uma nova religião (cristianismo), anunciando que
Deus enviou o seu Filho como ser humano, permitindo que Ele morresse
em uma cruz, levando a maldição de toda a humanidade sobre si e
oferecendo o perdão gratuito a todas as pessoas que o reconheça como
Deus. Praticamente tudo o que ele havia aprendido e tentado praticar é
colocado por terra. Considere, então, ele aceitando esta pregação do
Evangelho. Alguns conversos ao cristianismo, considerando a “facilidade”
da vida na graça, continuavam ou acham que poderiam continuar na
prática do pecado, confiando no perdão imerecido de Deus.
Advertência contra o abuso da graça (v.2).
O comportamento libertino apontado no tópico é a preocupação do
apóstolo: “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a
graça seja mais abundante?” (v.1). Este problema não é exclusivo da
época da Igreja Primitiva, ainda hoje alguns cristãos interpretam
equivocadamente a ação da graça de Cristo. Estes afirmam que uma vez
justificados pela fé em Cristo, justificados para sempre. Para eles, a vida
que a pessoa leva não interferirá mais em sua salvação, pois Deus não
retiraria o dom da salvação já dado ao crente. Paulo é incisivo em sua
resposta: “De modo nenhum!” (v.2). O fato de ser justificado
gratuitamente não dá o direito de abusar da graça de Cristo (Gl 5.1,13),
contrariamente, devemos ser cada vez mais grato pela sua graciosidade e
se espelhar no seu exemplo de vida. A liberdade que Cristo nos dá não é
para fazermos o que quisermos, mas para viver uma vida genuinamente
cristã.
Justificados e mortos para o pecado.
Conforme já visto anteriormente, o crente em Cristo é declarado justo
no tribunal de Deus, mas ao mesmo tempo o velho homem morre
legalmente, crucificado com Cristo, e ressurge como uma nova vida em
sua ressurreição (2Co 5.17). Na morte de Cristo Deus demonstra o
julgamento justo e na sua ressurreição prova sua justiça. Alguns
teólogos defendem que o crente morre e ressurge no batismo nas
águas, como um sacramento obrigatório para salvação, entretanto o
crente é crucificado e morto na justificação (v.7). O batismo nas águas é
um ato público para atender uma ordenança que formaliza
simbolicamente o que já ocorreu, seu sepultamento (Cl 2.12).
Entretanto, aqui não se trata especificamente da obra do Espírito Santo
(1Co 12.13; Gl 3.27). O salvo não pode mais servir ao pecado, pois a
morte do escravo o liberta de sua escravidão (v.6).
O fato de estarmos justificados pela graça de Cristo,
Não nos dá o direito de abusarmos da liberdade em
Cristo, mas sim seguirmos o exemplo de vida de
Jesus.
O apóstolo Paulo parece ser repetitivo no ensino sobre a
doutrina da justificação pela fé, entretanto, o que pode ser
percebido é a dedicação do apóstolo para não deixar brecha
para más interpretações ou abusos dos crentes.
II. MORTOS PARA O PECADO (vv.3-11)
Conhecendo a nova posição em Cristo (vv.3,5-7,9).
O batismo nas águas já citado, é uma bela representação da nova posição
do salvo em Cristo (v.3), morto para o pecado (debaixo da água)
justificado e reconciliado com Deus (ao sair da água). O crente justificado
sendo sepultado pela morte para o pecado e surgindo para uma nova vida
em Cristo, uma nova disposição na relação com Deus. Esta nova posição
assegura a vida eterna com Deus, mas também exige uma aproximação
com a vida de obediência de Cristo, não priorizando a si mesmo e seus
desejos, mas o bem da coletividade, o Reino de Deus. Uma nova
identidade, não mais relacionada ao primeiro Adão, mas da descendência
de Cristo, o segundo Adão, e membro de sua família. Esta nova vida, não
significa que o crente nunca mais irá pecar, mas que não viverá na prática
do pecado, como seu escravo. Portanto, uma vez justificados
(instantaneamente), sigamos a santificação (processo contínuo) durante
toda a vida ou até o arrebatamento da Igreja.
Vivificados em Cristo (vv.8-11).
A nova vida com Cristo é uma vida separada e de intimidade, vivida com o
propósito de nunca mais morrer espiritualmente. Identificados com a
morte de Cristo, da mesma forma que Ele sofreu pelo evangelho, o salvo
também passará por aflições (Jo 16.33). Todavia, acima de tudo, também
identificados com sua ressurreição (v.5-7), em que teve a vitória decisiva
sobre o pecado e retorna com o corpo glorificado de igual modo garante
ao salvo a transformação do corpo corruptível em um corpo incorruptível,
como o de Cristo (1Co 15.54; 1Ts 4.16-18). Mas a promessa não é
somente para o futuro, o presente também é contemplado, pois a nova
vida não é conquistada pela própria força, mas pela graça de Cristo que
sustenta o fiel, até o ponto de suportar as diversas adversidades (Rm
8.35). Como instrui a palavra do apóstolo para Timóteo, quando este se
achava só no ministério: “fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus”
(2Tm 2.1).
Embaixadores de Cristo na Terra.
Cristo cumpriu sua missão e retornou ao Pai, porém, como Igreja não
nos retirou do mundo (Jo 17), mas deixou-nos para representar-lhe,
anunciando seu evangelho. Morto e vivificado com Cristo, o cristão vive
agora guiado pelo Espírito Santo, como embaixador de Cristo, conforme
Paulo afirma à igreja de Corinto: “isto é, Deus estava em Cristo
reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e
pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos
embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse.
Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus”
(2Co 5.19,20). Quem era condenado e sem esperança, passa a ser
embaixador de Deus, anunciando o poder do Evangelho, revelação da
justiça de Deus que transforma o ser humano e o prepara para a vida
eterna.
Você tem sido grato pela sua nova posição
diante de Deus?
O batismo é a formalização pública que simboliza o
sepultamento do crente, que já morreu para o pecado em sua
justificação.
III. MORTO PARA O PECADO E EM NOVIDADE DE VIDA (vv.12-14)
Quem reina na nova vida não é mais o pecado (v.12).
O cristão ao receber a nova natureza durante o processo da justificação
não aceita mais o reinado do pecado, não sente mais prazer em se
submeter aos seus próprios desejos, mas sua consciência é orientada
pelo Espírito Santo que o convence do pecado, da justiça e do juízo (Jo
16.8-11). Na época do apóstolo, se dizer cristão era risco de morte e de,
no mínimo, preconceito. Atualmente, tem se tornado em determinados
meios até “chique” se dizer evangélico ou “gospel”. Algumas pessoas
têm se infiltrado na comunidade evangélica, se dizendo convertidas,
mas com propósito de explorar as ovelhas do aprisco de Jesus. Fazem
toda a pose teatral nas igrejas, mas fora delas continuam com a mesma
vida de antes. No entanto, a orientação bíblica é que, uma vez
justificado, o crente deve andar em novidade de vida, embora ainda
com o corpo de pecado e morte (Rm 6.11; 7.24).
Libertando os membros do corpo do domínio do pecado (vv.13,14a).
A intimidade com Cristo leva a uma mudança de mentalidade, em que
as coisas que agradam a Deus são as que passam a orientar a vontade e
as atitudes do crente. No nosso corpo físico, os membros atendem os
comandos do cérebro (mente). No sentido espiritual não é diferente,
pois uma vez tendo a mente de Cristo conduz-nos por completo à
vontade de Deus. A pessoa que tem a mente de Cristo discerne as
coisas espirituais, mesmo no mundo material e usa os membros do
corpo a serviço da justiça (2Co 2.14,15). O “velho homem” tinha uma
mente insubmissa ao Espírito Santo e entregue ao domínio do pecado,
mas o salvo submete sua mente ao controle do Espírito Santo, assim a
paz de Deus, que excede todo entendimento, guarda seu coração e
seus sentimentos (Fp 4.6-7) e, consequentemente, conduz seus
membros para a prática da justiça.
Quem está reinando em sua vida? Ao analisar as características
de quem vive uma vida vitoriosa debaixo da graça, você
consegue se incluir nesta forma de vida?
A mente do crente justificado é renovada e
dirigida pela intuição do Espírito, que passa a
conduzir a emoção, a vontade e os membros
do seu corpo físico para a prática da justiça.
Nesta lição, aprendemos que o apóstolo tinha uma
preocupação que o incomodava: a possibilidade de má
interpretação da doutrina da justificação pela fé e a prática
da libertinagem. Por isso, reforça a necessidade da
santidade.
1. Qual a preocupação do apóstolo quanto à má interpretação sobre a doutrina da justificação pela fé expressada em Romanos 6.1,2?
A preocupação do apóstolo é que as pessoas, em especial os judeu-cristãos, pudessem entender que a “facilidade” da justificação pela fé, sem
obras, liberasse o crente para pecar, confiante no perdão gratuito de Deus.
2. A nova posição do crente justificado significa que ele não mais pecará? Explique:
A nova posição do crente justificado diante de Deus não significa que o crente nunca mais irá pecar, mas que não viverá na prática do pecado,
como seu escravo.
3. Qual o texto bíblico em que Paulo afirma que somos embaixadores de Cristo?
Paulo afirma que somos embaixadores de Cristo em 2 Coríntios 5.20: “isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes
imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós
rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus”.
4. De acordo com a lição, o que acontece quando uma pessoa tem a mente de Cristo?
A pessoa que tem a mente de Cristo, permite que o Espírito Santo conduza sua emoção, sua vontade e os membros do corpo físico. A pessoa
discerne as coisas espirituais, mesmo no mundo material e usa os membros do corpo a serviço da justiça (2Co 2.14-15).
5. Qual a orientação dada na lição para as pessoas que querem viver uma vida vitoriosa debaixo da graça de Cristo?
Quem quer viver uma vida vitoriosa debaixo da graça de Cristo precisa aprender a primar por um bom testemunho (Cl 4.5), seguir a paz com
todos, santificação e sem raiz de amargura (Hb 12.14,15), perdoar (Ef 4.32), amar com amor fraternal e dar honra aos outros (Rm 12.10), dentre
outras atitudes incentivadas pela Bíblia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo
talmidimted
 
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do EspiritoAs Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
Márcio Martins
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
Pastor Natalino Das Neves
 
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidosLBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
Natalino das Neves Neves
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
Márcio Martins
 
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
Lourinaldo Serafim
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
Pastor Natalino Das Neves
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
Natalino das Neves Neves
 
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderadaEbd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Obras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do EspíritoObras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do Espírito
Luciana Evangelista
 
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
Pastor Natalino Das Neves
 
LBA Lição 9 - A nova vida em cristo
LBA Lição 9 - A nova vida em cristoLBA Lição 9 - A nova vida em cristo
LBA Lição 9 - A nova vida em cristo
Natalino das Neves Neves
 
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
yosseph2013
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
Moisés Sampaio
 
Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]
Marcio Daudt
 
Lição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentiosLição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentios
Natalino das Neves Neves
 
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
Natalino das Neves Neves
 

Mais procurados (18)

E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo
 
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do EspiritoAs Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidosLBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
 
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
 
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderadaEbd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
 
Obras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do EspíritoObras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do Espírito
 
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LBA Lição 9 - A nova vida em cristo
LBA Lição 9 - A nova vida em cristoLBA Lição 9 - A nova vida em cristo
LBA Lição 9 - A nova vida em cristo
 
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
 
Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]
 
Lição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentiosLição 2 - A necessidade dos gentios
Lição 2 - A necessidade dos gentios
 
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
 

Destaque

TREINAMENTO DE CIPA EM SALVADOR
TREINAMENTO DE CIPA EM SALVADORTREINAMENTO DE CIPA EM SALVADOR
"Creatives"
"Creatives""Creatives"
"Creatives"
Rod Begbie
 
Digital Marketing
Digital MarketingDigital Marketing
Digital Marketing
Nikshithas R
 
заувек
заувекзаувек
заувек
Zeljkaaa
 
12ºGPSI - 1º Jantar de Turma
12ºGPSI - 1º Jantar de Turma12ºGPSI - 1º Jantar de Turma
12ºGPSI - 1º Jantar de Turma
Daniel Alves
 
Consagración sacerdotal y del pueblo
Consagración sacerdotal y del puebloConsagración sacerdotal y del pueblo
Consagración sacerdotal y del pueblo
Jorge Tinoco
 
utpal
utpalutpal
Adarsh_Pandey_Resume
Adarsh_Pandey_ResumeAdarsh_Pandey_Resume
Adarsh_Pandey_Resume
Adarsh Pandey
 
Ensaio de Tração
 Ensaio de Tração  Ensaio de Tração
Ensaio de Tração
Fernando Bruno Dovichi Filho
 
9 Bem Aventuraças e os 9 Fruto Espírito
9 Bem Aventuraças  e  os  9 Fruto  Espírito9 Bem Aventuraças  e  os  9 Fruto  Espírito
9 Bem Aventuraças e os 9 Fruto Espírito
Jair de Barros
 
Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17
Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17
Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17
Jair de Barros
 
Mobile app design document
Mobile app design documentMobile app design document
Mobile app design document
Neeru Seth
 
Clase 15 donde salen los 7 sacramentos en la biblia
Clase 15 donde salen los 7 sacramentos en la bibliaClase 15 donde salen los 7 sacramentos en la biblia
Clase 15 donde salen los 7 sacramentos en la biblia
Ruben Soto Cornejo
 
2º Aula do Pentateuco
2º Aula do Pentateuco2º Aula do Pentateuco
2º Aula do Pentateuco
Jefferson Evangelista
 
Improving Your LinkedIn® Profile
Improving Your LinkedIn® ProfileImproving Your LinkedIn® Profile
Improving Your LinkedIn® Profile
Mikel Jorgensen
 
Diagrama de veen
Diagrama de veenDiagrama de veen
Diagrama de veen
EdithGOVE
 
La consagración sacerdotal
La consagración sacerdotalLa consagración sacerdotal
La consagración sacerdotal
noyra lis cordova piñango
 

Destaque (17)

TREINAMENTO DE CIPA EM SALVADOR
TREINAMENTO DE CIPA EM SALVADORTREINAMENTO DE CIPA EM SALVADOR
TREINAMENTO DE CIPA EM SALVADOR
 
"Creatives"
"Creatives""Creatives"
"Creatives"
 
Digital Marketing
Digital MarketingDigital Marketing
Digital Marketing
 
заувек
заувекзаувек
заувек
 
12ºGPSI - 1º Jantar de Turma
12ºGPSI - 1º Jantar de Turma12ºGPSI - 1º Jantar de Turma
12ºGPSI - 1º Jantar de Turma
 
Consagración sacerdotal y del pueblo
Consagración sacerdotal y del puebloConsagración sacerdotal y del pueblo
Consagración sacerdotal y del pueblo
 
utpal
utpalutpal
utpal
 
Adarsh_Pandey_Resume
Adarsh_Pandey_ResumeAdarsh_Pandey_Resume
Adarsh_Pandey_Resume
 
Ensaio de Tração
 Ensaio de Tração  Ensaio de Tração
Ensaio de Tração
 
9 Bem Aventuraças e os 9 Fruto Espírito
9 Bem Aventuraças  e  os  9 Fruto  Espírito9 Bem Aventuraças  e  os  9 Fruto  Espírito
9 Bem Aventuraças e os 9 Fruto Espírito
 
Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17
Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17
Os 10 Mandametos da Lei e Graça de Deus - Bíblia / Exodo Cap. 20.1-17
 
Mobile app design document
Mobile app design documentMobile app design document
Mobile app design document
 
Clase 15 donde salen los 7 sacramentos en la biblia
Clase 15 donde salen los 7 sacramentos en la bibliaClase 15 donde salen los 7 sacramentos en la biblia
Clase 15 donde salen los 7 sacramentos en la biblia
 
2º Aula do Pentateuco
2º Aula do Pentateuco2º Aula do Pentateuco
2º Aula do Pentateuco
 
Improving Your LinkedIn® Profile
Improving Your LinkedIn® ProfileImproving Your LinkedIn® Profile
Improving Your LinkedIn® Profile
 
Diagrama de veen
Diagrama de veenDiagrama de veen
Diagrama de veen
 
La consagración sacerdotal
La consagración sacerdotalLa consagración sacerdotal
La consagración sacerdotal
 

Semelhante a Lição 9 mortos para o pecado

Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 3 - A vida do Novo Convertido
Lição 3 - A vida do Novo ConvertidoLição 3 - A vida do Novo Convertido
Lição 3 - A vida do Novo Convertido
Nilton Cesar Marcelino
 
Lição 3
Lição 3Lição 3
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Claudio Marcio
 
136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6
136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6
136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6
Robson Tavares Fernandes
 
137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7
137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7
137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7
Robson Tavares Fernandes
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
Luan Almeida
 
9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL
9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL
9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL
FlvioSantos943546
 
O chamado para o discipulado
O chamado para o discipuladoO chamado para o discipulado
O chamado para o discipulado
Pastor Wanderley
 
A importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdfA importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdf
JooAlbertoSoaresdaSi
 
A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................
A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................
A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................
Nelson Pereira
 
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docxApostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
JooAlbertoSoaresdaSi
 
A Conversão
A ConversãoA Conversão
A Conversão
mcredentorista
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
Joel Silva
 
Justificação estudo
Justificação estudoJustificação estudo
Justificação estudo
Sergio Silva Rosa
 
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deusInstitutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
Instituto Teológico Gamaliel
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
Márcio Martins
 
O batismo nas águas
O batismo nas águasO batismo nas águas
O batismo nas águas
Joselito Machado
 
Aula resumo batismo em águas
Aula resumo   batismo em águasAula resumo   batismo em águas
Aula resumo batismo em águas
Patrícia Souza
 

Semelhante a Lição 9 mortos para o pecado (20)

Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Lição 3 - A vida do Novo Convertido
Lição 3 - A vida do Novo ConvertidoLição 3 - A vida do Novo Convertido
Lição 3 - A vida do Novo Convertido
 
Lição 3
Lição 3Lição 3
Lição 3
 
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
 
136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6
136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6
136 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_6
 
137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7
137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7
137 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_romanos-parte_7
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL
9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL
9 MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL ESTUDO SEMANAL
 
O chamado para o discipulado
O chamado para o discipuladoO chamado para o discipulado
O chamado para o discipulado
 
A importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdfA importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdf
 
A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................
A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................
A AUTÊNTICA PÁSCOA .pdf.................
 
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docxApostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
 
A Conversão
A ConversãoA Conversão
A Conversão
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
 
Justificação estudo
Justificação estudoJustificação estudo
Justificação estudo
 
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deusInstitutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
 
O batismo nas águas
O batismo nas águasO batismo nas águas
O batismo nas águas
 
Aula resumo batismo em águas
Aula resumo   batismo em águasAula resumo   batismo em águas
Aula resumo batismo em águas
 

Mais de boasnovassena

LBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempo
LBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempoLBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempo
LBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempo
boasnovassena
 
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundoLição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
boasnovassena
 
Lbj lição 7 A ansiedade pela vida
Lbj lição 7   A ansiedade pela vidaLbj lição 7   A ansiedade pela vida
Lbj lição 7 A ansiedade pela vida
boasnovassena
 
Lbj lição 6 O pai-nosso
Lbj lição 6   O pai-nossoLbj lição 6   O pai-nosso
Lbj lição 6 O pai-nosso
boasnovassena
 
Lbj lição 5 As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesus
Lbj lição 5   As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesusLbj lição 5   As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesus
Lbj lição 5 As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesus
boasnovassena
 
Lbj lição 4 Jesus e sua interpretação da lei
Lbj lição 4    Jesus e sua interpretação da lei Lbj lição 4    Jesus e sua interpretação da lei
Lbj lição 4 Jesus e sua interpretação da lei
boasnovassena
 
Lbj lição 3 a lei e a justiça no reino
Lbj lição 3   a lei e a justiça no reinoLbj lição 3   a lei e a justiça no reino
Lbj lição 3 a lei e a justiça no reino
boasnovassena
 
Lbj lição 2 sal da terra e luz do mundo
Lbj lição 2   sal da terra e luz do mundoLbj lição 2   sal da terra e luz do mundo
Lbj lição 2 sal da terra e luz do mundo
boasnovassena
 
Lbj lição 11 a igreja e a política
Lbj lição 11    a igreja e a políticaLbj lição 11    a igreja e a política
Lbj lição 11 a igreja e a política
boasnovassena
 
Lbj lição 10 a missão social da igreja
Lbj lição 10    a missão social da igrejaLbj lição 10    a missão social da igreja
Lbj lição 10 a missão social da igreja
boasnovassena
 
Lbj liçao 8 a igreja e os dons espirituais
Lbj liçao 8   a igreja e os dons espirituaisLbj liçao 8   a igreja e os dons espirituais
Lbj liçao 8 a igreja e os dons espirituais
boasnovassena
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
boasnovassena
 
Lbj lição 6 O sustento da igreja
Lbj lição 6   O sustento da igrejaLbj lição 6   O sustento da igreja
Lbj lição 6 O sustento da igreja
boasnovassena
 
Lbj lição 5 Ordenanças da igreja
Lbj lição 5   Ordenanças da igrejaLbj lição 5   Ordenanças da igreja
Lbj lição 5 Ordenanças da igreja
boasnovassena
 
1 chuva de graça
1   chuva de graça1   chuva de graça
1 chuva de graça
boasnovassena
 
Lbj lição 4 - O ministério da igreja
Lbj lição 4 -  O ministério da igrejaLbj lição 4 -  O ministério da igreja
Lbj lição 4 - O ministério da igreja
boasnovassena
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
boasnovassena
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
boasnovassena
 
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhorLbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
boasnovassena
 
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVORLBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVOR
boasnovassena
 

Mais de boasnovassena (20)

LBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempo
LBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempoLBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempo
LBJ 2017 3 TRI Lição 5- Ansiedade, a antecipação do tempo
 
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundoLição 4  diga não ao ritmo de vida deste mundo
Lição 4 diga não ao ritmo de vida deste mundo
 
Lbj lição 7 A ansiedade pela vida
Lbj lição 7   A ansiedade pela vidaLbj lição 7   A ansiedade pela vida
Lbj lição 7 A ansiedade pela vida
 
Lbj lição 6 O pai-nosso
Lbj lição 6   O pai-nossoLbj lição 6   O pai-nosso
Lbj lição 6 O pai-nosso
 
Lbj lição 5 As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesus
Lbj lição 5   As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesusLbj lição 5   As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesus
Lbj lição 5 As exigências básicas da justiça sob a ótica de jesus
 
Lbj lição 4 Jesus e sua interpretação da lei
Lbj lição 4    Jesus e sua interpretação da lei Lbj lição 4    Jesus e sua interpretação da lei
Lbj lição 4 Jesus e sua interpretação da lei
 
Lbj lição 3 a lei e a justiça no reino
Lbj lição 3   a lei e a justiça no reinoLbj lição 3   a lei e a justiça no reino
Lbj lição 3 a lei e a justiça no reino
 
Lbj lição 2 sal da terra e luz do mundo
Lbj lição 2   sal da terra e luz do mundoLbj lição 2   sal da terra e luz do mundo
Lbj lição 2 sal da terra e luz do mundo
 
Lbj lição 11 a igreja e a política
Lbj lição 11    a igreja e a políticaLbj lição 11    a igreja e a política
Lbj lição 11 a igreja e a política
 
Lbj lição 10 a missão social da igreja
Lbj lição 10    a missão social da igrejaLbj lição 10    a missão social da igreja
Lbj lição 10 a missão social da igreja
 
Lbj liçao 8 a igreja e os dons espirituais
Lbj liçao 8   a igreja e os dons espirituaisLbj liçao 8   a igreja e os dons espirituais
Lbj liçao 8 a igreja e os dons espirituais
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
 
Lbj lição 6 O sustento da igreja
Lbj lição 6   O sustento da igrejaLbj lição 6   O sustento da igreja
Lbj lição 6 O sustento da igreja
 
Lbj lição 5 Ordenanças da igreja
Lbj lição 5   Ordenanças da igrejaLbj lição 5   Ordenanças da igreja
Lbj lição 5 Ordenanças da igreja
 
1 chuva de graça
1   chuva de graça1   chuva de graça
1 chuva de graça
 
Lbj lição 4 - O ministério da igreja
Lbj lição 4 -  O ministério da igrejaLbj lição 4 -  O ministério da igreja
Lbj lição 4 - O ministério da igreja
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhorLbj lição 13   a igreja louvará eternamente ao senhor
Lbj lição 13 a igreja louvará eternamente ao senhor
 
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVORLBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVOR
LBJ LIÇÃO 12 - MODISMOS NA ADORAÇAO E NO LOUVOR
 

Último

Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 

Último (12)

Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 

Lição 9 mortos para o pecado

  • 1. Justiça e Graça Um estudo da Doutrina da Salvação na carta aos Romanos Lição 9 28 de Fevereiro de 2016 Mortos para o pecado
  • 2.
  • 3.
  • 4. CONSCIENTIZAR de que após a justificação o crente deve manter uma vida de santificação; SABER que após a justificação o crente assume uma nova posição diante de Deus; RECONHECER que após a justificação o crente deve viver em novidade de vida. alvo
  • 5. Texto Bíblico Romanos 6.1-8. 1 — Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça seja mais abundante? 2 — De modo nenhum! Nós que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? 3 — Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? 4 — De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. 5 — Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; 6 — sabendo isto: que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, a fim de que não sirvamos mais ao pecado. 7 — Porque aquele que está morto está justificado do pecado. 8 — Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos;
  • 6. INTRODUÇÃO No texto a ser estudado, Paulo apresenta um problema que pode surgir dependendo da interpretação da nova posição diante de Deus, perdoado gratuitamente e livre em Cristo. Nesta lição vamos refletir a respeito das mudanças que ocorrem com o crente após a justificação. Veremos que após a justificação, o salvo: deve morrer para o pecado e ocuparumanovaposiçãodiantedeDeus,andandoemnovidadede vida.
  • 7. I. O JUSTIFICADO DEVE MORRER PARA O PECADO (vv.1-4,6,7)
  • 8. A má interpretação da justificação pela fé (v.1). A doutrina da justificação pela fé não era tão fácil de ser assimilada por alguém que viveu anos debaixo do jugo da Lei. Imagine um judeu que viveu a vida toda sendo ensinado que a observância da Lei deveria ser rigorosa, pois era o único meio para se justificar diante de Deus. Coloque- se no lugar dele. De repente, aparece um judeu que há pouco tempo havia se convertido para uma nova religião (cristianismo), anunciando que Deus enviou o seu Filho como ser humano, permitindo que Ele morresse em uma cruz, levando a maldição de toda a humanidade sobre si e oferecendo o perdão gratuito a todas as pessoas que o reconheça como Deus. Praticamente tudo o que ele havia aprendido e tentado praticar é colocado por terra. Considere, então, ele aceitando esta pregação do Evangelho. Alguns conversos ao cristianismo, considerando a “facilidade” da vida na graça, continuavam ou acham que poderiam continuar na prática do pecado, confiando no perdão imerecido de Deus.
  • 9. Advertência contra o abuso da graça (v.2). O comportamento libertino apontado no tópico é a preocupação do apóstolo: “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça seja mais abundante?” (v.1). Este problema não é exclusivo da época da Igreja Primitiva, ainda hoje alguns cristãos interpretam equivocadamente a ação da graça de Cristo. Estes afirmam que uma vez justificados pela fé em Cristo, justificados para sempre. Para eles, a vida que a pessoa leva não interferirá mais em sua salvação, pois Deus não retiraria o dom da salvação já dado ao crente. Paulo é incisivo em sua resposta: “De modo nenhum!” (v.2). O fato de ser justificado gratuitamente não dá o direito de abusar da graça de Cristo (Gl 5.1,13), contrariamente, devemos ser cada vez mais grato pela sua graciosidade e se espelhar no seu exemplo de vida. A liberdade que Cristo nos dá não é para fazermos o que quisermos, mas para viver uma vida genuinamente cristã.
  • 10. Justificados e mortos para o pecado. Conforme já visto anteriormente, o crente em Cristo é declarado justo no tribunal de Deus, mas ao mesmo tempo o velho homem morre legalmente, crucificado com Cristo, e ressurge como uma nova vida em sua ressurreição (2Co 5.17). Na morte de Cristo Deus demonstra o julgamento justo e na sua ressurreição prova sua justiça. Alguns teólogos defendem que o crente morre e ressurge no batismo nas águas, como um sacramento obrigatório para salvação, entretanto o crente é crucificado e morto na justificação (v.7). O batismo nas águas é um ato público para atender uma ordenança que formaliza simbolicamente o que já ocorreu, seu sepultamento (Cl 2.12). Entretanto, aqui não se trata especificamente da obra do Espírito Santo (1Co 12.13; Gl 3.27). O salvo não pode mais servir ao pecado, pois a morte do escravo o liberta de sua escravidão (v.6).
  • 11. O fato de estarmos justificados pela graça de Cristo, Não nos dá o direito de abusarmos da liberdade em Cristo, mas sim seguirmos o exemplo de vida de Jesus. O apóstolo Paulo parece ser repetitivo no ensino sobre a doutrina da justificação pela fé, entretanto, o que pode ser percebido é a dedicação do apóstolo para não deixar brecha para más interpretações ou abusos dos crentes.
  • 12. II. MORTOS PARA O PECADO (vv.3-11)
  • 13. Conhecendo a nova posição em Cristo (vv.3,5-7,9). O batismo nas águas já citado, é uma bela representação da nova posição do salvo em Cristo (v.3), morto para o pecado (debaixo da água) justificado e reconciliado com Deus (ao sair da água). O crente justificado sendo sepultado pela morte para o pecado e surgindo para uma nova vida em Cristo, uma nova disposição na relação com Deus. Esta nova posição assegura a vida eterna com Deus, mas também exige uma aproximação com a vida de obediência de Cristo, não priorizando a si mesmo e seus desejos, mas o bem da coletividade, o Reino de Deus. Uma nova identidade, não mais relacionada ao primeiro Adão, mas da descendência de Cristo, o segundo Adão, e membro de sua família. Esta nova vida, não significa que o crente nunca mais irá pecar, mas que não viverá na prática do pecado, como seu escravo. Portanto, uma vez justificados (instantaneamente), sigamos a santificação (processo contínuo) durante toda a vida ou até o arrebatamento da Igreja.
  • 14. Vivificados em Cristo (vv.8-11). A nova vida com Cristo é uma vida separada e de intimidade, vivida com o propósito de nunca mais morrer espiritualmente. Identificados com a morte de Cristo, da mesma forma que Ele sofreu pelo evangelho, o salvo também passará por aflições (Jo 16.33). Todavia, acima de tudo, também identificados com sua ressurreição (v.5-7), em que teve a vitória decisiva sobre o pecado e retorna com o corpo glorificado de igual modo garante ao salvo a transformação do corpo corruptível em um corpo incorruptível, como o de Cristo (1Co 15.54; 1Ts 4.16-18). Mas a promessa não é somente para o futuro, o presente também é contemplado, pois a nova vida não é conquistada pela própria força, mas pela graça de Cristo que sustenta o fiel, até o ponto de suportar as diversas adversidades (Rm 8.35). Como instrui a palavra do apóstolo para Timóteo, quando este se achava só no ministério: “fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus” (2Tm 2.1).
  • 15. Embaixadores de Cristo na Terra. Cristo cumpriu sua missão e retornou ao Pai, porém, como Igreja não nos retirou do mundo (Jo 17), mas deixou-nos para representar-lhe, anunciando seu evangelho. Morto e vivificado com Cristo, o cristão vive agora guiado pelo Espírito Santo, como embaixador de Cristo, conforme Paulo afirma à igreja de Corinto: “isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus” (2Co 5.19,20). Quem era condenado e sem esperança, passa a ser embaixador de Deus, anunciando o poder do Evangelho, revelação da justiça de Deus que transforma o ser humano e o prepara para a vida eterna.
  • 16. Você tem sido grato pela sua nova posição diante de Deus? O batismo é a formalização pública que simboliza o sepultamento do crente, que já morreu para o pecado em sua justificação.
  • 17. III. MORTO PARA O PECADO E EM NOVIDADE DE VIDA (vv.12-14)
  • 18. Quem reina na nova vida não é mais o pecado (v.12). O cristão ao receber a nova natureza durante o processo da justificação não aceita mais o reinado do pecado, não sente mais prazer em se submeter aos seus próprios desejos, mas sua consciência é orientada pelo Espírito Santo que o convence do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8-11). Na época do apóstolo, se dizer cristão era risco de morte e de, no mínimo, preconceito. Atualmente, tem se tornado em determinados meios até “chique” se dizer evangélico ou “gospel”. Algumas pessoas têm se infiltrado na comunidade evangélica, se dizendo convertidas, mas com propósito de explorar as ovelhas do aprisco de Jesus. Fazem toda a pose teatral nas igrejas, mas fora delas continuam com a mesma vida de antes. No entanto, a orientação bíblica é que, uma vez justificado, o crente deve andar em novidade de vida, embora ainda com o corpo de pecado e morte (Rm 6.11; 7.24).
  • 19. Libertando os membros do corpo do domínio do pecado (vv.13,14a). A intimidade com Cristo leva a uma mudança de mentalidade, em que as coisas que agradam a Deus são as que passam a orientar a vontade e as atitudes do crente. No nosso corpo físico, os membros atendem os comandos do cérebro (mente). No sentido espiritual não é diferente, pois uma vez tendo a mente de Cristo conduz-nos por completo à vontade de Deus. A pessoa que tem a mente de Cristo discerne as coisas espirituais, mesmo no mundo material e usa os membros do corpo a serviço da justiça (2Co 2.14,15). O “velho homem” tinha uma mente insubmissa ao Espírito Santo e entregue ao domínio do pecado, mas o salvo submete sua mente ao controle do Espírito Santo, assim a paz de Deus, que excede todo entendimento, guarda seu coração e seus sentimentos (Fp 4.6-7) e, consequentemente, conduz seus membros para a prática da justiça.
  • 20. Quem está reinando em sua vida? Ao analisar as características de quem vive uma vida vitoriosa debaixo da graça, você consegue se incluir nesta forma de vida? A mente do crente justificado é renovada e dirigida pela intuição do Espírito, que passa a conduzir a emoção, a vontade e os membros do seu corpo físico para a prática da justiça.
  • 21. Nesta lição, aprendemos que o apóstolo tinha uma preocupação que o incomodava: a possibilidade de má interpretação da doutrina da justificação pela fé e a prática da libertinagem. Por isso, reforça a necessidade da santidade.
  • 22. 1. Qual a preocupação do apóstolo quanto à má interpretação sobre a doutrina da justificação pela fé expressada em Romanos 6.1,2? A preocupação do apóstolo é que as pessoas, em especial os judeu-cristãos, pudessem entender que a “facilidade” da justificação pela fé, sem obras, liberasse o crente para pecar, confiante no perdão gratuito de Deus. 2. A nova posição do crente justificado significa que ele não mais pecará? Explique: A nova posição do crente justificado diante de Deus não significa que o crente nunca mais irá pecar, mas que não viverá na prática do pecado, como seu escravo. 3. Qual o texto bíblico em que Paulo afirma que somos embaixadores de Cristo? Paulo afirma que somos embaixadores de Cristo em 2 Coríntios 5.20: “isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus”. 4. De acordo com a lição, o que acontece quando uma pessoa tem a mente de Cristo? A pessoa que tem a mente de Cristo, permite que o Espírito Santo conduza sua emoção, sua vontade e os membros do corpo físico. A pessoa discerne as coisas espirituais, mesmo no mundo material e usa os membros do corpo a serviço da justiça (2Co 2.14-15). 5. Qual a orientação dada na lição para as pessoas que querem viver uma vida vitoriosa debaixo da graça de Cristo? Quem quer viver uma vida vitoriosa debaixo da graça de Cristo precisa aprender a primar por um bom testemunho (Cl 4.5), seguir a paz com todos, santificação e sem raiz de amargura (Hb 12.14,15), perdoar (Ef 4.32), amar com amor fraternal e dar honra aos outros (Rm 12.10), dentre outras atitudes incentivadas pela Bíblia.