SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Deus Requer Santificação aos Cristãos 32
“Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e
espaçoso, o caminho que conduz para a perdição,
e são muitos os que entram por ela), porque
estreita é a porta, e apertado, o caminho que
conduz para a vida, e são poucos os que acertam
com ela. Acautelai-vos dos falsos profetas, que se
vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por
dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os
conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos
espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda
árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má
produz frutos maus. Não pode a árvore boa
produzir frutos maus, nem a árvore má produzir
frutos bons. Toda árvore que não produz bom
fruto é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois,
pelos seus frutos os conhecereis.” (Mateus 7.13-
20)
Muitos pensam erroneamente que tudo quanto
necessitam é entrar pela porta estreita e é
somente isto tudo o que se refere à sua salvação e
garantia de ir para o céu.
Dizemos que há um erro nesta forma de pensar
porque entra-se pela porta estreita para que se
possa progredir no caminho apertado que conduz
para a vida eterna que Jesus veio nos trazer.
2
A entrada pela porta se refere à justificação e à
regeneração, mas a salvação não pára aí, pois há
ainda a santificação que corresponde ao
caminhar no caminho estreito da vontade de
Deus.
Como a justificação e a regeneração ocorrem
simultaneamente em um só momento em que
que nos convertemos pela primeira vez a Cristo, é
de se esperar que muito mais se espere daqueles
que passaram pela porta estreita, quanto ao
desenvolvimento de todas as graças que
receberam em semente quando entraram pela
mesma.
A salvação não é um único ato, mas um programa
de vida que entra pela eternidade afora na nossa
contínua e real transformação à imagem e
semelhança de Cristo.
A conversão inicial corresponde ao ato de nos
matricularmos na Escola de Cristo, para
aprendermos em experiências práticas e reais
tudo o que se refere à plenitude que Ele recebeu
de Deus Pai para comunicar a nós.
Assim como alguém não pode aprender a tocar
por partitura musical, senão depois de muito
tempo dedicado a estudo e prática, muito mais,
nós, que estamos sendo chamados a ser formados
na perfeita semelhança do caráter e santidade de
Jesus, devemos ser diligentes para aprender o que
3
nos convém a sermos bem-sucedidos naquilo que
devemos ser e fazer para a glória de Deus.
“Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha
voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a
minha propriedade peculiar dentre todos os
povos; porque toda a terra é minha.” (Êxodo 19.5)
“Diligentemente, guardarás os mandamentos do
SENHOR, teu Deus, e os seus testemunhos, e os
seus estatutos que te ordenou.” (Deuteronômio
6.17)
“13 Se diligentemente obedecerdes a meus
mandamentos que hoje vos ordeno, de amar o
SENHOR, vosso Deus, e de o servir de todo o vosso
coração e de toda a vossa alma,
14 darei as chuvas da vossa terra a seu tempo, as
primeiras e as últimas, para que recolhais o vosso
cereal, e o vosso vinho, e o vosso azeite.
15 Darei erva no vosso campo aos vossos gados, e
comereis e vos fartareis.” (Deuteronômio 11.13-15)
“5 por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa
diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a
virtude, o conhecimento;
6 com o conhecimento, o domínio próprio; com o
domínio próprio, a perseverança; com a perseverança,
a piedade;
7 com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o
amor.
4
8 Porque estas coisas, existindo em vós e em vós
aumentando, fazem com que não sejais nem inativos,
nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso
Senhor Jesus Cristo.
9 Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes
é cego, vendo só o que está perto, esquecido da
purificação dos seus pecados de outrora.
10 Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada
vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição;
porquanto, procedendo assim, não tropeçareis
em tempo algum.” (II Pedro 1.5-10)
“11 Desejamos, porém, continue cada um de vós
mostrando, até ao fim, a mesma diligência para a
plena certeza da esperança;
12 para que não vos torneis indolentes, mas
imitadores daqueles que, pela fé e pela
longanimidade, herdam as promessas.”
Ser diligente é aplicar-se com todo o empenho e
incansavelmente até que um determinado
objetivo seja alcançado. No caso do crente, o
grande objetivo que lhe é proposto por Deus é o da
santificação, o qual ele deve seguir
constantemente sabendo que esta santificação
consiste em graus de graça cada vez maiores a
serem obtidos por uma caminhada em
persevrante fé e amor ao Senhor.
5

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

10 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp01
10 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp0110 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp01
10 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp01
netirfreitas
 
Epistolaaos Colossenses
Epistolaaos ColossensesEpistolaaos Colossenses
Epistolaaos Colossenses
JNR
 

Mais procurados (20)

Compreender a graça!
Compreender a graça!Compreender a graça!
Compreender a graça!
 
Empoderados para Liberdade
Empoderados para LiberdadeEmpoderados para Liberdade
Empoderados para Liberdade
 
Deus requer santificação aos cristãos 49
Deus requer santificação aos cristãos 49Deus requer santificação aos cristãos 49
Deus requer santificação aos cristãos 49
 
Deus requer santificação aos cristãos 46
Deus requer santificação aos cristãos 46Deus requer santificação aos cristãos 46
Deus requer santificação aos cristãos 46
 
Deus requer santificação aos cristãos 47
Deus requer santificação aos cristãos 47Deus requer santificação aos cristãos 47
Deus requer santificação aos cristãos 47
 
Como Lidar com o Sofrimento?
Como Lidar com o Sofrimento?Como Lidar com o Sofrimento?
Como Lidar com o Sofrimento?
 
Deus requer santificação aos cristãos 44
Deus requer santificação aos cristãos 44Deus requer santificação aos cristãos 44
Deus requer santificação aos cristãos 44
 
Deus requer santificação aos cristãos 18
Deus requer santificação aos cristãos 18Deus requer santificação aos cristãos 18
Deus requer santificação aos cristãos 18
 
Deus requer santificação aos cristãos 62
Deus requer santificação aos cristãos 62Deus requer santificação aos cristãos 62
Deus requer santificação aos cristãos 62
 
Deus requer santificação aos cristãos 45
Deus requer santificação aos cristãos 45Deus requer santificação aos cristãos 45
Deus requer santificação aos cristãos 45
 
Sacuda o pó
Sacuda o póSacuda o pó
Sacuda o pó
 
Deus requer santificação aos cristãos 63
Deus requer santificação aos cristãos 63Deus requer santificação aos cristãos 63
Deus requer santificação aos cristãos 63
 
Deus requer santificação aos cristãos 64
Deus requer santificação aos cristãos 64Deus requer santificação aos cristãos 64
Deus requer santificação aos cristãos 64
 
Deus requer santificação aos cristãos 60
Deus requer santificação aos cristãos 60Deus requer santificação aos cristãos 60
Deus requer santificação aos cristãos 60
 
Quinta 15-03-12
Quinta 15-03-12Quinta 15-03-12
Quinta 15-03-12
 
10 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp01
10 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp0110 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp01
10 podemosserperfeitos-111028202507-phpapp01
 
Epistolaaos Colossenses
Epistolaaos ColossensesEpistolaaos Colossenses
Epistolaaos Colossenses
 
As batalhas espirituais finais - parte 6
As batalhas espirituais finais  - parte 6As batalhas espirituais finais  - parte 6
As batalhas espirituais finais - parte 6
 
Deus requer santificação aos cristãos 16
Deus requer santificação aos cristãos 16Deus requer santificação aos cristãos 16
Deus requer santificação aos cristãos 16
 
Deus requer santificação aos cristãos 19
Deus requer santificação aos cristãos 19Deus requer santificação aos cristãos 19
Deus requer santificação aos cristãos 19
 

Semelhante a Deus requer santificação aos cristãos 32

Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
dearl1
 
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
dearl1
 
A VIDA ETERNA
A VIDA ETERNAA VIDA ETERNA
A VIDA ETERNA
regiana10
 
Primeira Epistolade Pedro
Primeira Epistolade PedroPrimeira Epistolade Pedro
Primeira Epistolade Pedro
JNR
 
Mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus man
Mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus manMas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus man
Mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus man
fabiana Izabel
 
Eclesiastes 5
Eclesiastes 5Eclesiastes 5
Eclesiastes 5
Enerliz
 
Suplica dos dons do espírito santo
Suplica dos dons do espírito santoSuplica dos dons do espírito santo
Suplica dos dons do espírito santo
JMVSobreiro
 

Semelhante a Deus requer santificação aos cristãos 32 (20)

Relacionamentos Familiares
Relacionamentos FamiliaresRelacionamentos Familiares
Relacionamentos Familiares
 
O Que É Vida Eterna
O Que É Vida EternaO Que É Vida Eterna
O Que É Vida Eterna
 
Voz da Paróquia - Julho 2014
Voz da Paróquia - Julho 2014Voz da Paróquia - Julho 2014
Voz da Paróquia - Julho 2014
 
O Propósito do Fruto do Espírito
O Propósito do Fruto do EspíritoO Propósito do Fruto do Espírito
O Propósito do Fruto do Espírito
 
02 preparacao
02 preparacao02 preparacao
02 preparacao
 
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
 
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
 
Bem estar temporal
Bem estar temporalBem estar temporal
Bem estar temporal
 
Primeira eucaristia_01
Primeira eucaristia_01Primeira eucaristia_01
Primeira eucaristia_01
 
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
❉ Respostas_712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito_GGR
 
A VIDA ETERNA
A VIDA ETERNAA VIDA ETERNA
A VIDA ETERNA
 
Eu sou Ramo da Videira - #IDENTIDADE - #1 - Pr. Manoel - Abrigo R15
Eu sou Ramo da Videira - #IDENTIDADE - #1 - Pr. Manoel - Abrigo R15Eu sou Ramo da Videira - #IDENTIDADE - #1 - Pr. Manoel - Abrigo R15
Eu sou Ramo da Videira - #IDENTIDADE - #1 - Pr. Manoel - Abrigo R15
 
Plano salvação
Plano salvaçãoPlano salvação
Plano salvação
 
Primeira Epistolade Pedro
Primeira Epistolade PedroPrimeira Epistolade Pedro
Primeira Epistolade Pedro
 
Mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus man
Mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus manMas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus man
Mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus man
 
Eclesiastes 5
Eclesiastes 5Eclesiastes 5
Eclesiastes 5
 
Palavras de verdade_912015_GGR
Palavras de verdade_912015_GGRPalavras de verdade_912015_GGR
Palavras de verdade_912015_GGR
 
Educação de Pais (Grupo de Estudo Paulo & Priscila 1 of 3)
Educação de Pais (Grupo de Estudo Paulo & Priscila 1 of 3)Educação de Pais (Grupo de Estudo Paulo & Priscila 1 of 3)
Educação de Pais (Grupo de Estudo Paulo & Priscila 1 of 3)
 
Obra Missionária
Obra MissionáriaObra Missionária
Obra Missionária
 
Suplica dos dons do espírito santo
Suplica dos dons do espírito santoSuplica dos dons do espírito santo
Suplica dos dons do espírito santo
 

Mais de Silvio Dutra

Mais de Silvio Dutra (20)

Poder
PoderPoder
Poder
 
A Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma AliançaA Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma Aliança
 
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
 
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz MundialO Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
 
O Começo e o Fim
O Começo e o FimO Começo e o Fim
O Começo e o Fim
 
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenA firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
 
Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74
 
Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73
 
Deus requer santificação aos cristãos 72
Deus requer santificação aos cristãos 72Deus requer santificação aos cristãos 72
Deus requer santificação aos cristãos 72
 
Deus requer santificação aos cristãos 71
Deus requer santificação aos cristãos 71Deus requer santificação aos cristãos 71
Deus requer santificação aos cristãos 71
 
Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70
 
Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69
 
Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68
 
Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67
 

Último

Último (7)

Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 

Deus requer santificação aos cristãos 32

  • 1.
  • 2. Deus Requer Santificação aos Cristãos 32 “Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela. Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis.” (Mateus 7.13- 20) Muitos pensam erroneamente que tudo quanto necessitam é entrar pela porta estreita e é somente isto tudo o que se refere à sua salvação e garantia de ir para o céu. Dizemos que há um erro nesta forma de pensar porque entra-se pela porta estreita para que se possa progredir no caminho apertado que conduz para a vida eterna que Jesus veio nos trazer. 2
  • 3. A entrada pela porta se refere à justificação e à regeneração, mas a salvação não pára aí, pois há ainda a santificação que corresponde ao caminhar no caminho estreito da vontade de Deus. Como a justificação e a regeneração ocorrem simultaneamente em um só momento em que que nos convertemos pela primeira vez a Cristo, é de se esperar que muito mais se espere daqueles que passaram pela porta estreita, quanto ao desenvolvimento de todas as graças que receberam em semente quando entraram pela mesma. A salvação não é um único ato, mas um programa de vida que entra pela eternidade afora na nossa contínua e real transformação à imagem e semelhança de Cristo. A conversão inicial corresponde ao ato de nos matricularmos na Escola de Cristo, para aprendermos em experiências práticas e reais tudo o que se refere à plenitude que Ele recebeu de Deus Pai para comunicar a nós. Assim como alguém não pode aprender a tocar por partitura musical, senão depois de muito tempo dedicado a estudo e prática, muito mais, nós, que estamos sendo chamados a ser formados na perfeita semelhança do caráter e santidade de Jesus, devemos ser diligentes para aprender o que 3
  • 4. nos convém a sermos bem-sucedidos naquilo que devemos ser e fazer para a glória de Deus. “Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é minha.” (Êxodo 19.5) “Diligentemente, guardarás os mandamentos do SENHOR, teu Deus, e os seus testemunhos, e os seus estatutos que te ordenou.” (Deuteronômio 6.17) “13 Se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos que hoje vos ordeno, de amar o SENHOR, vosso Deus, e de o servir de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, 14 darei as chuvas da vossa terra a seu tempo, as primeiras e as últimas, para que recolhais o vosso cereal, e o vosso vinho, e o vosso azeite. 15 Darei erva no vosso campo aos vossos gados, e comereis e vos fartareis.” (Deuteronômio 11.13-15) “5 por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; 6 com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; 7 com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor. 4
  • 5. 8 Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. 9 Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da purificação dos seus pecados de outrora. 10 Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum.” (II Pedro 1.5-10) “11 Desejamos, porém, continue cada um de vós mostrando, até ao fim, a mesma diligência para a plena certeza da esperança; 12 para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas.” Ser diligente é aplicar-se com todo o empenho e incansavelmente até que um determinado objetivo seja alcançado. No caso do crente, o grande objetivo que lhe é proposto por Deus é o da santificação, o qual ele deve seguir constantemente sabendo que esta santificação consiste em graus de graça cada vez maiores a serem obtidos por uma caminhada em persevrante fé e amor ao Senhor. 5