SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
“Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças
a Deus no tocante a vós outros, como é
justo, pois a vossa fé cresce
sobremaneira, e o vosso mútuo amor de
uns para com os outros vai
aumentando, a tal ponto que nós
mesmos nos gloriamos de vós nas
igrejas de Deus, à vista da vossa
constância e fé, em todas as vossas
perseguições e nas tribulações que
suportais.” (2 Tessalonicenses 1.3,4)
A santidade não consiste em nenhum
ato único de obediência a Deus, embora
sejam bons em sua própria natureza e
aceitáveis para ele. Porque na verdade,
muitos desses atos podem ser
realizados por pessoas ímpias, das
quais as Escrituras estão repletas de
exemplos. O sacrifício de Caim e o
arrependimento de Acabe foram sinais,
atos únicos de obediência
materialmente; e ainda não eram atos
de santidade formalmente, nem fizeram
ou designaram esses homens como
2
santos. Nosso apóstolo nos diz que os
homens podem "dar todos os seus bens
para alimentar os pobres, e seus corpos
para serem queimados, e ainda assim
nada serem," 1 Cor 13.3; no entanto,
quem pode ir mais longe em atos
individuais? Esses frutos podem brotar
de sementes que não têm raiz. Atos
isolados podem evidenciar santidade,
como a obediência de Abraão fez em
sacrificar seu filho; mas nenhum é
constituído santo por eles; nem uma
série, um curso, ou uma multiplicação
de atos e deveres de obediência, ou
constituem ou designam qualquer um
como santo, Is 1.11-15. Todas as funções
- uma série e multiplicação dos quais,
naquela passagem, foram rejeitados por
falta de santidade - eram bons em si
mesmos e designados por Deus.
Nem consiste em uma disposição
habitual da mente para quaisquer
deveres externos de piedade, devoção
ou obediência, embora obtida ou
adquirida. Existem tais hábitos, tanto
3
intelectuais como morais. Existem
algumas sementes e centelhas de
virtude moral remanescentes nas ruínas
de natureza depravada, como justiça,
temperança, fortaleza e coisas do
gênero. Portanto, Deus chama os
pecadores perdulários para se
lembrarem e "se mostrarem homens",
ou não agir de forma contrária aos
princípios e à luz da natureza, que são
indissociáveis de nós como humanos, Is
46.8. Esses princípios podem ser
estimulados no exercício de luz natural,
ou melhorados por educação, instrução
e exemplo, ou por um cumprimento
assíduo e diligente de seus atos e
atribuições. Alguns podem assim,
atingir tal prontidão para eles, e tal
facilidade neles, que não é facilmente
alterado ou desviado por qualquer meio
externo - e este é um hábito moral. Da
mesma forma, nos deveres de piedade e
religião - em atos externos de
obediência a Deus - os homens podem
se acostumar a esses deveres por meio
desses mesmos hábitos, e significa que
4
eles têm uma disposição habitual para o
seu exercício. Eu não duvido que seja
assim, em alto grau, com muitas
pessoas supersticiosas.
Todo ato de verdadeira santidade deve
ter algo sobrenatural nele de um
princípio interno renovado da graça; e o
que não o possui, seja o que for, não é
um ato ou dever de verdadeira
santidade. Eu chamo esse princípio de
santidade de hábito. Não é como se
fosse absolutamente ou igual aos
hábitos adquiridos, e corresponderia
em todas as coisas às nossas concepções
e descrições deles. Mas só o chamamos
de hábito porque, em seus efeitos e
modo de operação, concorda em várias
coisas com o intelectual adquirido ou
hábitos morais. Mas está muito mais de
acordo com um instinto natural e
imutável do que com qualquer hábito
adquirido. É por isso que Deus acusa os
homens, que em sua obediência a ele,
eles não agiram de acordo com aquele
instinto que outras criaturas têm para
5
seus senhores e benfeitores, Is 1.3; Jer
8.7. Mas nisso Deus "nos ensina mais
do que os animais da terra, e nos torna
mais sábios do que as aves do céu", Jó
35.11.
Este hábito de santidade se encontra
sempre em todos os que são
santificados. É por isso que eles estão
sempre santos, e não santos apenas
quando são realmente exercidos nas
funções de santidade. Por este
princípio, eles são preparados,
dispostos e habilitados para todos os
deveres de obediência.
(1.) Hábitos que são adquiridos por
muitas ações têm uma eficácia natural
para se preservarem, até alguma
oposição que é muito dura para eles,
prevalece contra eles. Mas este
princípio de santidade é preservado em
nós pelos constantes atos poderosos e
influência do Espírito Santo. Ele que
trabalha em nós, também o preserva em
6
nós. E a razão para isso é porque a fonte
está em Cristo Jesus, nossa Cabeça; é
apenas uma emanação de virtude e
poder dele para nós, pelo Espírito
Santo. Se isso não for realmente e
sempre continuado, tanto faz estar em
nós, morreria e murcharia por si
mesmo. Veja Ef 4.15,16; Col 3.3; João
4.14. Está em nós como a seiva
frutificante está em um ramo de videira
ou oliveira. Está aí real e formalmente,
e é a causa da produção de frutos do
ramo. No entanto, ele não vive e
permanece por si mesmo, mas apenas
por uma emanação contínua e
comunicação da raiz; deixe essa
comunicação ser interceptada, e o ramo
murcha rapidamente.
(2.) Embora este princípio ou hábito de
santidade seja do mesmo tipo ou
natureza em todos os crentes, em todos
os que são santificados, ainda existem
graus muito distintos disso neles. Em
alguns é mais forte, mais vivo, mais
vigoroso e florescente; em outros isso é
7
mais fraco e menos ativo; isto é em uma
variedade tão grande, e em tantas
ocasiões, que não pode ser falado aqui.
(3.) Mesmo que este hábito e princípio
não seja adquirido por qualquer ou
muitos atos de dever ou obediência,
mas é preservado, aumentado,
fortalecido e melhorado por meio do
dever. Deus designou que devemos
viver no exercício deste hábito. E na e
pela multiplicação de seus atos e
deveres, é mantido vivo e despertado,
sem o qual será enfraquecido e
decadente.
Nós vemos assim que a realidade e o
valor da santificação está na sua
continuidade em operar em graus nos
crentes para levá-los à plena
maturidade. Quão essencial é isto para
a manutenção da vida espiritual e
sobrenatural recebida de Deus na
regeneração (conversão inicial)!
Imaginar a regeneração sem a
8
santificação, seria o mesmo que plantar
uma semente e não regá-la e não cercá-
la de tratos culturais até que se
transforme em um ser adulto habilitado
a dar frutos. Você vê então como a
santificação é a razão de ser da
regeneração?
9

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Deus requer santificação aos cristãos 19
Deus requer santificação aos cristãos 19Deus requer santificação aos cristãos 19
Deus requer santificação aos cristãos 19Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 13
Deus requer santificação aos cristãos 13Deus requer santificação aos cristãos 13
Deus requer santificação aos cristãos 13Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 57
Deus requer santificação aos cristãos 57Deus requer santificação aos cristãos 57
Deus requer santificação aos cristãos 57Silvio Dutra
 
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John OwernSantificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John OwernSilvio Dutra
 
Santificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viverSantificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viverESTUDANTETEOLOGIA
 
Deus requer santificação aos cristãos 60
Deus requer santificação aos cristãos 60Deus requer santificação aos cristãos 60
Deus requer santificação aos cristãos 60Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 11
Deus requer santificação aos cristãos 11Deus requer santificação aos cristãos 11
Deus requer santificação aos cristãos 11Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 20
Deus requer santificação aos cristãos 20Deus requer santificação aos cristãos 20
Deus requer santificação aos cristãos 20Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 56
Deus requer santificação aos cristãos 56Deus requer santificação aos cristãos 56
Deus requer santificação aos cristãos 56Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 17
Deus requer santificação aos cristãos 17Deus requer santificação aos cristãos 17
Deus requer santificação aos cristãos 17Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 18
Deus requer santificação aos cristãos 18Deus requer santificação aos cristãos 18
Deus requer santificação aos cristãos 18Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 40
Deus requer santificação aos cristãos 40Deus requer santificação aos cristãos 40
Deus requer santificação aos cristãos 40Silvio Dutra
 

Mais procurados (20)

Deus requer santificação aos cristãos 19
Deus requer santificação aos cristãos 19Deus requer santificação aos cristãos 19
Deus requer santificação aos cristãos 19
 
Deus requer santificação aos cristãos 13
Deus requer santificação aos cristãos 13Deus requer santificação aos cristãos 13
Deus requer santificação aos cristãos 13
 
Espiritualidade crista
Espiritualidade cristaEspiritualidade crista
Espiritualidade crista
 
Deus requer santificação aos cristãos 57
Deus requer santificação aos cristãos 57Deus requer santificação aos cristãos 57
Deus requer santificação aos cristãos 57
 
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John OwernSantificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
 
Santificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viverSantificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viver
 
Deus requer santificação aos cristãos 60
Deus requer santificação aos cristãos 60Deus requer santificação aos cristãos 60
Deus requer santificação aos cristãos 60
 
Deus requer santificação aos cristãos 11
Deus requer santificação aos cristãos 11Deus requer santificação aos cristãos 11
Deus requer santificação aos cristãos 11
 
Deus requer santificação aos cristãos 20
Deus requer santificação aos cristãos 20Deus requer santificação aos cristãos 20
Deus requer santificação aos cristãos 20
 
Deus requer santificação aos cristãos 56
Deus requer santificação aos cristãos 56Deus requer santificação aos cristãos 56
Deus requer santificação aos cristãos 56
 
A GRAÇA SANTIFICADORA
A GRAÇA SANTIFICADORAA GRAÇA SANTIFICADORA
A GRAÇA SANTIFICADORA
 
Deus requer santificação aos cristãos 17
Deus requer santificação aos cristãos 17Deus requer santificação aos cristãos 17
Deus requer santificação aos cristãos 17
 
Família de Discipulos
Família de DiscipulosFamília de Discipulos
Família de Discipulos
 
Santidade
SantidadeSantidade
Santidade
 
A GRAÇA TRANSFORMADORA
A GRAÇA TRANSFORMADORAA GRAÇA TRANSFORMADORA
A GRAÇA TRANSFORMADORA
 
Obediência
ObediênciaObediência
Obediência
 
Deus requer santificação aos cristãos 18
Deus requer santificação aos cristãos 18Deus requer santificação aos cristãos 18
Deus requer santificação aos cristãos 18
 
A GRAÇA JUSTIFICADORA
A GRAÇA JUSTIFICADORAA GRAÇA JUSTIFICADORA
A GRAÇA JUSTIFICADORA
 
Deus requer santificação aos cristãos 40
Deus requer santificação aos cristãos 40Deus requer santificação aos cristãos 40
Deus requer santificação aos cristãos 40
 
O prêmio da renovação
O prêmio da renovaçãoO prêmio da renovação
O prêmio da renovação
 

Semelhante a A natureza do hábito de santidade

5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docx
5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docx5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docx
5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docxCleberMantegaBatista
 
É possível ser santo
É possível ser santoÉ possível ser santo
É possível ser santojb1955
 
Tratado sobre o Espirito Santo livro v - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo   livro v - John OwenTratado sobre o Espirito Santo   livro v - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo livro v - John OwenSilvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 26
Deus requer santificação aos cristãos 26Deus requer santificação aos cristãos 26
Deus requer santificação aos cristãos 26Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 23
Deus requer santificação aos cristãos 23Deus requer santificação aos cristãos 23
Deus requer santificação aos cristãos 23Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73Silvio Dutra
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdfSilvio Dutra
 
Conselhos sobre o regime alimentar
Conselhos sobre o regime alimentarConselhos sobre o regime alimentar
Conselhos sobre o regime alimentariasdvilaveronica
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiroWander Sousa
 
VIRTUDE (Portuguese).pptx
VIRTUDE (Portuguese).pptxVIRTUDE (Portuguese).pptx
VIRTUDE (Portuguese).pptxMartin M Flynn
 
Tratado sobre o Espirito Santo livro iv - parte 3 - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo   livro iv - parte 3 - John OwenTratado sobre o Espirito Santo   livro iv - parte 3 - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo livro iv - parte 3 - John OwenSilvio Dutra
 
SLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptx
SLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptxSLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptx
SLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptxALEXDELIMAGOMES
 
Crescer em cristo juniores
Crescer em cristo   junioresCrescer em cristo   juniores
Crescer em cristo junioresSandra Fuso
 
Explorando o Poder da Fé na Vida Cotidiana
Explorando o Poder da Fé na Vida CotidianaExplorando o Poder da Fé na Vida Cotidiana
Explorando o Poder da Fé na Vida CotidianaHeverson Luiz
 
Para o vigor da juventude
Para o vigor da juventudePara o vigor da juventude
Para o vigor da juventudeMoroni Barbosa
 

Semelhante a A natureza do hábito de santidade (20)

5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docx
5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docx5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docx
5 Valores cristãos para ensinar aos seus filhos.docx
 
É possível ser santo
É possível ser santoÉ possível ser santo
É possível ser santo
 
Tratado sobre o Espirito Santo livro v - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo   livro v - John OwenTratado sobre o Espirito Santo   livro v - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo livro v - John Owen
 
Deus requer santificação aos cristãos 26
Deus requer santificação aos cristãos 26Deus requer santificação aos cristãos 26
Deus requer santificação aos cristãos 26
 
Deus requer santificação aos cristãos 23
Deus requer santificação aos cristãos 23Deus requer santificação aos cristãos 23
Deus requer santificação aos cristãos 23
 
Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73Deus requer santificação aos cristãos 73
Deus requer santificação aos cristãos 73
 
Boletim IPC Limeira 240917
Boletim IPC Limeira 240917Boletim IPC Limeira 240917
Boletim IPC Limeira 240917
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 76.pdf
 
Conselhos sobre o regime alimentar
Conselhos sobre o regime alimentarConselhos sobre o regime alimentar
Conselhos sobre o regime alimentar
 
Boletim ippi 05.07.2015
Boletim ippi 05.07.2015Boletim ippi 05.07.2015
Boletim ippi 05.07.2015
 
Romanos 12
Romanos   12Romanos   12
Romanos 12
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
 
Amadurecimento cristão
Amadurecimento cristãoAmadurecimento cristão
Amadurecimento cristão
 
VIRTUDE (Portuguese).pptx
VIRTUDE (Portuguese).pptxVIRTUDE (Portuguese).pptx
VIRTUDE (Portuguese).pptx
 
Tratado sobre o Espirito Santo livro iv - parte 3 - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo   livro iv - parte 3 - John OwenTratado sobre o Espirito Santo   livro iv - parte 3 - John Owen
Tratado sobre o Espirito Santo livro iv - parte 3 - John Owen
 
SLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptx
SLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptxSLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptx
SLIDES DA ESCOLA DE LÍDERES DA EBGET MESTRE ALESANDRO.pptx
 
Crescer em cristo juniores
Crescer em cristo   junioresCrescer em cristo   juniores
Crescer em cristo juniores
 
Explorando o Poder da Fé na Vida Cotidiana
Explorando o Poder da Fé na Vida CotidianaExplorando o Poder da Fé na Vida Cotidiana
Explorando o Poder da Fé na Vida Cotidiana
 
Para o vigor da juventude
Para o vigor da juventudePara o vigor da juventude
Para o vigor da juventude
 
Células Apostólicas-Aula 8.pdf
Células Apostólicas-Aula 8.pdfCélulas Apostólicas-Aula 8.pdf
Células Apostólicas-Aula 8.pdf
 

Mais de Silvio Dutra

A Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma AliançaA Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma AliançaSilvio Dutra
 
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...Silvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdfSilvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdfSilvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2Silvio Dutra
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdfSilvio Dutra
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdfSilvio Dutra
 
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz MundialO Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz MundialSilvio Dutra
 
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenA firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenSilvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 66
Deus requer santificação aos cristãos 66Deus requer santificação aos cristãos 66
Deus requer santificação aos cristãos 66Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 65
Deus requer santificação aos cristãos 65Deus requer santificação aos cristãos 65
Deus requer santificação aos cristãos 65Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 64
Deus requer santificação aos cristãos 64Deus requer santificação aos cristãos 64
Deus requer santificação aos cristãos 64Silvio Dutra
 
Deus requer santificação aos cristãos 63
Deus requer santificação aos cristãos 63Deus requer santificação aos cristãos 63
Deus requer santificação aos cristãos 63Silvio Dutra
 

Mais de Silvio Dutra (20)

Poder
PoderPoder
Poder
 
A Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma AliançaA Vida Alcançada por uma Aliança
A Vida Alcançada por uma Aliança
 
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
AJUSTE CRONOLÓGICO DAS VISÕES DO APOCALIPSE (segunda edição corrigida e ampli...
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 4.pdf
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 3.pdf
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 2
 
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdfSinais e Ameaças de Julgamentos  de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
Sinais e Ameaças de Julgamentos de um Povo, Igreja ou Nação – Parte 1.pdf
 
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdfDeus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
Deus Requer Santificação aos Cristãos 75.pdf
 
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz MundialO Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
O Pecado Inviabiliza a Paz Mundial
 
O Começo e o Fim
O Começo e o FimO Começo e o Fim
O Começo e o Fim
 
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenA firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
 
Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74Deus requer santificação aos cristãos 74
Deus requer santificação aos cristãos 74
 
Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70Deus requer santificação aos cristãos 70
Deus requer santificação aos cristãos 70
 
Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69Deus requer santificação aos cristãos 69
Deus requer santificação aos cristãos 69
 
Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68Deus requer santificação aos cristãos 68
Deus requer santificação aos cristãos 68
 
Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67Deus requer santificação aos cristãos 67
Deus requer santificação aos cristãos 67
 
Deus requer santificação aos cristãos 66
Deus requer santificação aos cristãos 66Deus requer santificação aos cristãos 66
Deus requer santificação aos cristãos 66
 
Deus requer santificação aos cristãos 65
Deus requer santificação aos cristãos 65Deus requer santificação aos cristãos 65
Deus requer santificação aos cristãos 65
 
Deus requer santificação aos cristãos 64
Deus requer santificação aos cristãos 64Deus requer santificação aos cristãos 64
Deus requer santificação aos cristãos 64
 
Deus requer santificação aos cristãos 63
Deus requer santificação aos cristãos 63Deus requer santificação aos cristãos 63
Deus requer santificação aos cristãos 63
 

Último

AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfnatzarimdonorte
 
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 199ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19PIB Penha
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaDenisRocha28
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .natzarimdonorte
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............Nelson Pereira
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).natzarimdonorte
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadofreivalentimpesente
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequeseanamdp2004
 
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusTaoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusVini Master
 

Último (12)

AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
 
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 199ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
9ª aula - livro de Atos dos apóstolos Cap 18 e 19
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significado
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
 
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina EspíritaMediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
Mediunidade e Obsessão - Doutrina Espírita
 
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos viniciusTaoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
Taoismo (Origem e Taoismo no Brasil) - Carlos vinicius
 

A natureza do hábito de santidade

  • 1.
  • 2. “Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças a Deus no tocante a vós outros, como é justo, pois a vossa fé cresce sobremaneira, e o vosso mútuo amor de uns para com os outros vai aumentando, a tal ponto que nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus, à vista da vossa constância e fé, em todas as vossas perseguições e nas tribulações que suportais.” (2 Tessalonicenses 1.3,4) A santidade não consiste em nenhum ato único de obediência a Deus, embora sejam bons em sua própria natureza e aceitáveis para ele. Porque na verdade, muitos desses atos podem ser realizados por pessoas ímpias, das quais as Escrituras estão repletas de exemplos. O sacrifício de Caim e o arrependimento de Acabe foram sinais, atos únicos de obediência materialmente; e ainda não eram atos de santidade formalmente, nem fizeram ou designaram esses homens como 2
  • 3. santos. Nosso apóstolo nos diz que os homens podem "dar todos os seus bens para alimentar os pobres, e seus corpos para serem queimados, e ainda assim nada serem," 1 Cor 13.3; no entanto, quem pode ir mais longe em atos individuais? Esses frutos podem brotar de sementes que não têm raiz. Atos isolados podem evidenciar santidade, como a obediência de Abraão fez em sacrificar seu filho; mas nenhum é constituído santo por eles; nem uma série, um curso, ou uma multiplicação de atos e deveres de obediência, ou constituem ou designam qualquer um como santo, Is 1.11-15. Todas as funções - uma série e multiplicação dos quais, naquela passagem, foram rejeitados por falta de santidade - eram bons em si mesmos e designados por Deus. Nem consiste em uma disposição habitual da mente para quaisquer deveres externos de piedade, devoção ou obediência, embora obtida ou adquirida. Existem tais hábitos, tanto 3
  • 4. intelectuais como morais. Existem algumas sementes e centelhas de virtude moral remanescentes nas ruínas de natureza depravada, como justiça, temperança, fortaleza e coisas do gênero. Portanto, Deus chama os pecadores perdulários para se lembrarem e "se mostrarem homens", ou não agir de forma contrária aos princípios e à luz da natureza, que são indissociáveis de nós como humanos, Is 46.8. Esses princípios podem ser estimulados no exercício de luz natural, ou melhorados por educação, instrução e exemplo, ou por um cumprimento assíduo e diligente de seus atos e atribuições. Alguns podem assim, atingir tal prontidão para eles, e tal facilidade neles, que não é facilmente alterado ou desviado por qualquer meio externo - e este é um hábito moral. Da mesma forma, nos deveres de piedade e religião - em atos externos de obediência a Deus - os homens podem se acostumar a esses deveres por meio desses mesmos hábitos, e significa que 4
  • 5. eles têm uma disposição habitual para o seu exercício. Eu não duvido que seja assim, em alto grau, com muitas pessoas supersticiosas. Todo ato de verdadeira santidade deve ter algo sobrenatural nele de um princípio interno renovado da graça; e o que não o possui, seja o que for, não é um ato ou dever de verdadeira santidade. Eu chamo esse princípio de santidade de hábito. Não é como se fosse absolutamente ou igual aos hábitos adquiridos, e corresponderia em todas as coisas às nossas concepções e descrições deles. Mas só o chamamos de hábito porque, em seus efeitos e modo de operação, concorda em várias coisas com o intelectual adquirido ou hábitos morais. Mas está muito mais de acordo com um instinto natural e imutável do que com qualquer hábito adquirido. É por isso que Deus acusa os homens, que em sua obediência a ele, eles não agiram de acordo com aquele instinto que outras criaturas têm para 5
  • 6. seus senhores e benfeitores, Is 1.3; Jer 8.7. Mas nisso Deus "nos ensina mais do que os animais da terra, e nos torna mais sábios do que as aves do céu", Jó 35.11. Este hábito de santidade se encontra sempre em todos os que são santificados. É por isso que eles estão sempre santos, e não santos apenas quando são realmente exercidos nas funções de santidade. Por este princípio, eles são preparados, dispostos e habilitados para todos os deveres de obediência. (1.) Hábitos que são adquiridos por muitas ações têm uma eficácia natural para se preservarem, até alguma oposição que é muito dura para eles, prevalece contra eles. Mas este princípio de santidade é preservado em nós pelos constantes atos poderosos e influência do Espírito Santo. Ele que trabalha em nós, também o preserva em 6
  • 7. nós. E a razão para isso é porque a fonte está em Cristo Jesus, nossa Cabeça; é apenas uma emanação de virtude e poder dele para nós, pelo Espírito Santo. Se isso não for realmente e sempre continuado, tanto faz estar em nós, morreria e murcharia por si mesmo. Veja Ef 4.15,16; Col 3.3; João 4.14. Está em nós como a seiva frutificante está em um ramo de videira ou oliveira. Está aí real e formalmente, e é a causa da produção de frutos do ramo. No entanto, ele não vive e permanece por si mesmo, mas apenas por uma emanação contínua e comunicação da raiz; deixe essa comunicação ser interceptada, e o ramo murcha rapidamente. (2.) Embora este princípio ou hábito de santidade seja do mesmo tipo ou natureza em todos os crentes, em todos os que são santificados, ainda existem graus muito distintos disso neles. Em alguns é mais forte, mais vivo, mais vigoroso e florescente; em outros isso é 7
  • 8. mais fraco e menos ativo; isto é em uma variedade tão grande, e em tantas ocasiões, que não pode ser falado aqui. (3.) Mesmo que este hábito e princípio não seja adquirido por qualquer ou muitos atos de dever ou obediência, mas é preservado, aumentado, fortalecido e melhorado por meio do dever. Deus designou que devemos viver no exercício deste hábito. E na e pela multiplicação de seus atos e deveres, é mantido vivo e despertado, sem o qual será enfraquecido e decadente. Nós vemos assim que a realidade e o valor da santificação está na sua continuidade em operar em graus nos crentes para levá-los à plena maturidade. Quão essencial é isto para a manutenção da vida espiritual e sobrenatural recebida de Deus na regeneração (conversão inicial)! Imaginar a regeneração sem a 8
  • 9. santificação, seria o mesmo que plantar uma semente e não regá-la e não cercá- la de tratos culturais até que se transforme em um ser adulto habilitado a dar frutos. Você vê então como a santificação é a razão de ser da regeneração? 9