SlideShare uma empresa Scribd logo
Cristiana Ferreira Assis Xavier 1
CIAPE
Cuidadores de IdososCuidadores de Idosos
Cristiana Ferreira Assis Xavier2
“O cuidado deve ser construído em um
processo de interação interpessoal,
pressupondo, co-participação de
experiências e crescimento do esforço
comum em conhecer a realidade que se
busca mudar, não permitindo uma relação
de dominação e manipulação do que
cuida sobre o que é cuidado.”
Paulo Freire apud Netto (1996)
Cristiana Ferreira Assis Xavier3
Introdução
A longevidade do ser humano estáA longevidade do ser humano está
aumentando e em nosso país ela esbarra nosaumentando e em nosso país ela esbarra nos
diversos problemas sociais. Os fatores sóciodiversos problemas sociais. Os fatores sócio
econômicos exercem importante influênciaeconômicos exercem importante influência
tanto nos aspectos psicológicos comotanto nos aspectos psicológicos como
físicos do envelhecimento.físicos do envelhecimento.
Cristiana Ferreira Assis Xavier4
Desafio Público!!!
 O crescimento de idosos portadores de
incapacidades. Causas são a freqüência
das doenças crônicas e a longevidade
atual dos brasileiros.
 Novos Desafios para o sistema de saúde
instalado no Brasil:a prevenção das
doenças crônicas e degenerativas, a
assistência à saúde dos idosos
dependentes e o suporte aos cuidadores
familiares.
Cristiana Ferreira Assis Xavier5
 Neste país, a velhice sem independência e
autonomia ainda faz parte de uma face
oculta da opinião pública, porque vem
sendo mantida no âmbito familiar dos
domicílios ou nas instituições asilares,
impedindo qualquer visibilidade e,
conseqüentemente, qualquer
preocupação política de proteção social.
 Estudos revelam que cerca de 40% dos
indivíduos com 65 anos ou mais de idade
precisam de algum tipo de ajuda para
realizar pelo menos uma tarefa como
fazer compras, cuidar das finanças,
preparar refeições e limpar a casa.
Cristiana Ferreira Assis Xavier6
O Cuidador
 Trata-se da pessoa que chama a si
a incumbência de realizar as
tarefas para as quais o doente
lesado pelo episódio mórbido não
tem mais possibilidade; tarefas
que vão desde a higiene pessoal
até a administração financeira da
família.
Cristiana Ferreira Assis Xavier7
De acordo com Gonçalves e col (1997):
 O cuidado humano ou “cuidar de si”O cuidado humano ou “cuidar de si”
representa a essência do viver humano, assimrepresenta a essência do viver humano, assim
exercer o autocuidado é uma condiçãoexercer o autocuidado é uma condição
humana. E ainda “cuidar do Outro” semprehumana. E ainda “cuidar do Outro” sempre
representa condição temporária erepresenta condição temporária e
circunstancial, na medida em que o ouro estácircunstancial, na medida em que o ouro está
impossibilitado de se cuidar”.impossibilitado de se cuidar”.
 O CUIDADORO CUIDADOR é uma pessoa, envolvida noé uma pessoa, envolvida no
processo de “cuidar do outro” – o idoso, comprocesso de “cuidar do outro” – o idoso, com
quem vivencia uma experiência contínua dequem vivencia uma experiência contínua de
aprendizagem e que resulta na descoberta deaprendizagem e que resulta na descoberta de
potencialidades mútuas.potencialidades mútuas.
Cristiana Ferreira Assis Xavier8
De acordo com a RDC nº 283:
CUIDADOR DE IDOSOS
Pessoa capacitada para auxiliar o
idoso que apresenta limitações
para realizar atividades da vida
diária.
Cristiana Ferreira Assis Xavier9
Fundamentação Legal
 Portaria Nº 73, de 2001 - Normas de
Funcionamento de Serviços de Atenção
ao Idoso;
 Estatuto do Idoso – Lei Nº 10.741, deEstatuto do Idoso – Lei Nº 10.741, de
outubro de 2003;outubro de 2003;
 LEI Nº 11819 DE 12/2003 - ClassificaçãoLEI Nº 11819 DE 12/2003 - Classificação
segundo as modalidades de atendimentosegundo as modalidades de atendimento
e dá outras providências;e dá outras providências;
 Resolução - RDC Nº 283, DE 26 09/2005 -
Normas de Funcionamento para ILPIs
Cristiana Ferreira Assis Xavier10
 O Ministério do Trabalho e Emprego
reconhece essa ocupação desde 2001,
considerada relevante para um país como o
Brasil, que tem 15 milhões de pessoas
idosas, com estimativa de 31,8 milhões em
2025. CO: 5162-10
 Ele está capacitado a atuar em diversas
instâncias junto aos idosos no cuidado e
assistência, nas atividades de convivência e
lazer; aspectos da cidadania e das políticas
públicas e criação de negócios direcionados
para a população da terceira idade.
Cristiana Ferreira Assis Xavier11
 Esse profissional está capacitado para
auxiliar o idoso que apresenta ou não
limitações nas atividades da vida cotidiana.
Oferece cuidado e/ou suporte ao idoso,
desempenhando atividades relacionadas ao
seu bem-estar físico, mental, social e legal,
diretamente ou por meio de empresas
voltadas a esse público.
Cristiana Ferreira Assis Xavier12
Perfil do Cuidador
 98% dos casos pesquisados, o cuidador era
alguém da família, predominantemente do
sexo feminino (92,9%). A maior parte era
formada de esposas (44,1%), seguidas pelas
filhas (31,3%); as noras e as irmãs não foram
freqüentes. O cuidador familiar revelou-se o
ator social principal na dinâmica dos cuidados
pessoais necessários às atividades de vida
diária dos portadores de lesões que lhe tiraram
a independência; contudo, 67,9% dos
cuidadores entrevistados prestavam estes
cuidados sem nenhum tipo de ajuda.
Cristiana Ferreira Assis Xavier13
Porque preparar os cuidadores de
idosos?
 Considerando a relevância da integralidade doConsiderando a relevância da integralidade do
sujeito (Todo)sujeito (Todo)
 Importância das políticas que contemplam osImportância das políticas que contemplam os
aspectos globais do envelhecimentoaspectos globais do envelhecimento
 Atuação dos profissionais, seja na área assistencialAtuação dos profissionais, seja na área assistencial
ou de planejamento (dificuldade em assistir oou de planejamento (dificuldade em assistir o
idoso)idoso)
 Na perspectiva de contribuir para umNa perspectiva de contribuir para um
envelhecimento digno, melhorando a assistênciaenvelhecimento digno, melhorando a assistência
ao idoso (em especial o fragilizado), criamos oao idoso (em especial o fragilizado), criamos o
curso.curso.
Cristiana Ferreira Assis Xavier14
Estresse do Cuidador
 As condições físicas dos cuidadores
levam a inferir que os cuidadores são
doentes em potencial e que sua
capacidade funcional está
constantemente em risco. Os dados
sobre a saúde dos cuidadores reforçam
essa hipótese: dos casos entrevistados,
40,7% tinham dores lombares, 39,0%,
depressão, 37,3% sofriam de pressão
alta, 37,3% tinham artrite e
reumatismo, 10,2%, problemas
cardíacos, e 5,1%, diabete.
Cristiana Ferreira Assis Xavier15
Competências pessoais
 Manter capacidade e preparo fisico,
emocional e espiritual
 Cuidar da sua aparência e higiene pessoal
 Demonstrar educação e boas maneiras
 Adaptar-se a diferentes estruturas e padrões
familiares e comunitários
 Respeitar a privacidade da Família e
cuidado
 Demonstrar sensibilidade e paciência
Cristiana Ferreira Assis Xavier16
 Saber ouvir
 Perceber e suprir carências afetivas
 Manter a calma em situações críticas
 Demonstrar discrição
 Observar e tomar resoluções
 Em situações especiais, superar seus limites
físicos e emocionais
 Manter otimismo em situações adversas
 Reconhecer suas limitações e quando e
onde procurar ajuda
Cristiana Ferreira Assis Xavier17
 Demonstrar criatividade
 Lidar com a agressividade
 Lidar com seus sentimentos negativos e
frustações
 Lidar com perdas e mortes
 Buscar informações e orientações técnicas
 Obedecer normas e estatutos
 Reciclar-se e atualizar-se por meio de
encontros, palestras, cursos e seminários
Cristiana Ferreira Assis Xavier18
 Dominar noções primárias de saúde
 Dominar técnicas de movimentação para
não se machucar
 Dominar noções de economia e atividade
doméstica
 Transmitir valores a partir do próprio
exemplo e pela fala
 Conciliar tempo de trabalho com tempo de
folga
 Doar-se
 Demonstrar honestidade
 Conduta moral
Cristiana Ferreira Assis Xavier19
Objetivo do curso de cuidadores
Capacitar o cuidador para queCapacitar o cuidador para que
esteeste Assista adequadamente aoAssista adequadamente ao
idosoidoso
Cristiana Ferreira Assis Xavier20
Competências e habilidades do
cuidador de idosos
 Ter conhecimento das principais adaptaçõesTer conhecimento das principais adaptações
ambientais necessárias à segurança do idosoambientais necessárias à segurança do idoso
 Garantir lazer e evitar ociosidade do idosoGarantir lazer e evitar ociosidade do idoso
 Interpretar melhor as atitudes de seuInterpretar melhor as atitudes de seu
pacientepaciente
Cristiana Ferreira Assis Xavier21
 Compreender um pouco doCompreender um pouco do
processo de envelhecimentoprocesso de envelhecimento
fisiológico e suas peculiaridadesfisiológico e suas peculiaridades
 Conhecer as principais alteraçõesConhecer as principais alterações
patológicas observadas no processopatológicas observadas no processo
de envelhecimentode envelhecimento
 Conhecer as políticas e programasConhecer as políticas e programas
de atenção ao idosode atenção ao idoso
Cristiana Ferreira Assis Xavier 22
Conclusão
È necessário preparar e orientarÈ necessário preparar e orientar
quem cuida diretamente dos nossosquem cuida diretamente dos nossos
pacientes, considerando a situaçãopacientes, considerando a situação
sócio-econômica e a dificuldade dossócio-econômica e a dificuldade dos
idosos e/ou família em manter umidosos e/ou família em manter um
profissional especializado ou peloprofissional especializado ou pelo
menos adequado à sua situação,menos adequado à sua situação,
melhorando significativamente suamelhorando significativamente sua
qualidade de vida.qualidade de vida.
Cristiana Ferreira Assis Xavier 23
O Cuidador é sempre o principal
personagem em garantir a efetivação
das recomendações para a
manutenção da saúde do nosso
paciente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
luzienne moraes
 
Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso
Ana Hollanders
 
O envelhecimento saudável
O envelhecimento saudávelO envelhecimento saudável
O envelhecimento saudável
Rubens Junior
 
Idoso
IdosoIdoso
Estatuto do Idoso - vamos descomplicar?
Estatuto do Idoso - vamos  descomplicar?Estatuto do Idoso - vamos  descomplicar?
Estatuto do Idoso - vamos descomplicar?
Rosane Domingues
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
Direito do idosos
Direito do idososDireito do idosos
Direito do idosos
Cristina de Souza
 
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimentoAtençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Centro Universitário Ages
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
Carla Couto
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
Marcos Figueiredo
 
Humanizar o Cuidado
Humanizar o CuidadoHumanizar o Cuidado
Humanizar o Cuidado
Márcio Borges
 
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria   Saúde do IdosoEnfermagem em Geriatria   Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Maria Dias
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes Geriatricas
João Paulo França
 
A família do idoso dependente
A família do idoso dependenteA família do idoso dependente
A família do idoso dependente
Cuidar de Idosos
 
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com IdososPrevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Carlos Lima
 
Manual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idososManual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idosos
gcmrs
 
Atendimento domiciliar do idoso
Atendimento domiciliar do idosoAtendimento domiciliar do idoso
Atendimento domiciliar do idoso
Natha Fisioterapia
 
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do século
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do séculoGestão do envelhecimento ativo: desafio do século
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do século
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)
Ana Hollanders
 
Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
Sonia Sousa
 

Mais procurados (20)

Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
 
Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso Cuidador de Idoso
Cuidador de Idoso
 
O envelhecimento saudável
O envelhecimento saudávelO envelhecimento saudável
O envelhecimento saudável
 
Idoso
IdosoIdoso
Idoso
 
Estatuto do Idoso - vamos descomplicar?
Estatuto do Idoso - vamos  descomplicar?Estatuto do Idoso - vamos  descomplicar?
Estatuto do Idoso - vamos descomplicar?
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
Direito do idosos
Direito do idososDireito do idosos
Direito do idosos
 
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimentoAtençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
Atençao a saude da pessoa idosa e envelhecimento
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
 
Humanizar o Cuidado
Humanizar o CuidadoHumanizar o Cuidado
Humanizar o Cuidado
 
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria   Saúde do IdosoEnfermagem em Geriatria   Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes Geriatricas
 
A família do idoso dependente
A família do idoso dependenteA família do idoso dependente
A família do idoso dependente
 
Prevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com IdososPrevenção de Acidentes Com Idosos
Prevenção de Acidentes Com Idosos
 
Manual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idososManual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idosos
 
Atendimento domiciliar do idoso
Atendimento domiciliar do idosoAtendimento domiciliar do idoso
Atendimento domiciliar do idoso
 
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do século
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do séculoGestão do envelhecimento ativo: desafio do século
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do século
 
Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)Curso Cuidador de Idoso (slides)
Curso Cuidador de Idoso (slides)
 
Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
 

Semelhante a Cuidador idoso

Artigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados b
Artigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados bArtigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados b
Artigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados b
nefer_amarna
 
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...
Susana Costa
 
Apostila de cuidador
Apostila de cuidador Apostila de cuidador
Apostila de cuidador
Gilberto de Jesus
 
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdfAULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
LviaParanaguNevesdeL
 
Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde
Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúdeComo trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde
Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde
Associação Viva e Deixe Viver
 
As Várias Maneiras de Cuidar
As Várias Maneiras de CuidarAs Várias Maneiras de Cuidar
As Várias Maneiras de Cuidar
Cuidar de Idosos
 
Test Drive CURSO DE DEMÊNCIAS
Test Drive CURSO DE DEMÊNCIASTest Drive CURSO DE DEMÊNCIAS
Test Drive CURSO DE DEMÊNCIAS
Cuidar de Idosos
 
Inserindo a velhice na comunidade
Inserindo a velhice na comunidadeInserindo a velhice na comunidade
Inserindo a velhice na comunidade
inclusao.eficiente
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Jessica Monteiro
 
Envelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenau
Envelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenauEnvelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenau
Envelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenau
Alícia Souza
 
Ana Pimentel
Ana PimentelAna Pimentel
Ana Pimentel
BetaBetuxa
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
Jose Roberto
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
GlendaRegoSoares1
 
A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina
A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina
A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina
Roosevelt F. Abrantes
 
O cuidador
O cuidadorO cuidador
O cuidador
Susana Palma
 
O cuidador
O cuidadorO cuidador
O cuidador
Susana Palma
 
Joana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoaJoana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoa
comunidadedepraticas
 
Cuidador de idoso_2
Cuidador de idoso_2Cuidador de idoso_2
Cuidador de idoso_2
Liberty Ensino
 
Qualidade de vida
Qualidade de vidaQualidade de vida
Qualidade de vida
Dalvânia Santos
 
CUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptx
CUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptxCUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptx
CUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptx
RafaelPereira518015
 

Semelhante a Cuidador idoso (20)

Artigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados b
Artigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados bArtigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados b
Artigo intervenção-em-grupo-com-idosos-institucionalizados b
 
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...
Respostas sociais e educativas para crianças e jovens_Tempo de estudo vs temp...
 
Apostila de cuidador
Apostila de cuidador Apostila de cuidador
Apostila de cuidador
 
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdfAULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
AULA 01 CUIDADOR DE IDOSOS - Fundamentos da profissão.pdf
 
Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde
Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúdeComo trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde
Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde
 
As Várias Maneiras de Cuidar
As Várias Maneiras de CuidarAs Várias Maneiras de Cuidar
As Várias Maneiras de Cuidar
 
Test Drive CURSO DE DEMÊNCIAS
Test Drive CURSO DE DEMÊNCIASTest Drive CURSO DE DEMÊNCIAS
Test Drive CURSO DE DEMÊNCIAS
 
Inserindo a velhice na comunidade
Inserindo a velhice na comunidadeInserindo a velhice na comunidade
Inserindo a velhice na comunidade
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
 
Envelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenau
Envelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenauEnvelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenau
Envelhecimento, saúde e qualidade de vida blumenau
 
Ana Pimentel
Ana PimentelAna Pimentel
Ana Pimentel
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
 
A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina
A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina
A Beleza e o Bem-esta na Saúde Feminina
 
O cuidador
O cuidadorO cuidador
O cuidador
 
O cuidador
O cuidadorO cuidador
O cuidador
 
Joana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoaJoana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoa
 
Cuidador de idoso_2
Cuidador de idoso_2Cuidador de idoso_2
Cuidador de idoso_2
 
Qualidade de vida
Qualidade de vidaQualidade de vida
Qualidade de vida
 
CUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptx
CUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptxCUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptx
CUIDADO EM SAÚDE DA PESSOA IDOSA.pptx
 

Mais de Joaquim Wilmar

908 odu
908 odu908 odu
Agir adeilson-salles
Agir adeilson-sallesAgir adeilson-salles
Agir adeilson-salles
Joaquim Wilmar
 
Treinamento c nova-pd
Treinamento c nova-pdTreinamento c nova-pd
Treinamento c nova-pd
Joaquim Wilmar
 
Treinamento bella oggipd
Treinamento bella oggipdTreinamento bella oggipd
Treinamento bella oggipd
Joaquim Wilmar
 
mercado de saúde suplementar
mercado de saúde suplementarmercado de saúde suplementar
mercado de saúde suplementar
Joaquim Wilmar
 
cuidados de longa duração para a população idosa
cuidados de longa duração para a população idosacuidados de longa duração para a população idosa
cuidados de longa duração para a população idosa
Joaquim Wilmar
 
Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]
Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]
Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]
Joaquim Wilmar
 
Tiss
TissTiss
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardosoSaúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Joaquim Wilmar
 
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
Joaquim Wilmar
 
Palestradrvanderleymoya1
Palestradrvanderleymoya1Palestradrvanderleymoya1
Palestradrvanderleymoya1
Joaquim Wilmar
 
Apresentacao telix
Apresentacao telixApresentacao telix
Apresentacao telix
Joaquim Wilmar
 
2010 drogas anti-vegf intraoculares
2010   drogas anti-vegf intraoculares2010   drogas anti-vegf intraoculares
2010 drogas anti-vegf intraoculares
Joaquim Wilmar
 
Candomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidadeCandomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidade
Joaquim Wilmar
 
Alterações nas guias tiss 3.01.00
Alterações nas guias tiss 3.01.00   Alterações nas guias tiss 3.01.00
Alterações nas guias tiss 3.01.00
Joaquim Wilmar
 
Amb92 ciefas2000
Amb92 ciefas2000Amb92 ciefas2000
Amb92 ciefas2000
Joaquim Wilmar
 
aula comunicacao_interna
aula comunicacao_internaaula comunicacao_interna
aula comunicacao_interna
Joaquim Wilmar
 
criterios seleccao_cirurgia_bariatrica
 criterios seleccao_cirurgia_bariatrica criterios seleccao_cirurgia_bariatrica
criterios seleccao_cirurgia_bariatrica
Joaquim Wilmar
 
ROL ANS 2014
ROL ANS 2014ROL ANS 2014
ROL ANS 2014
Joaquim Wilmar
 
GARANTIAS FINANCEIRAS ANS
GARANTIAS FINANCEIRAS ANSGARANTIAS FINANCEIRAS ANS
GARANTIAS FINANCEIRAS ANS
Joaquim Wilmar
 

Mais de Joaquim Wilmar (20)

908 odu
908 odu908 odu
908 odu
 
Agir adeilson-salles
Agir adeilson-sallesAgir adeilson-salles
Agir adeilson-salles
 
Treinamento c nova-pd
Treinamento c nova-pdTreinamento c nova-pd
Treinamento c nova-pd
 
Treinamento bella oggipd
Treinamento bella oggipdTreinamento bella oggipd
Treinamento bella oggipd
 
mercado de saúde suplementar
mercado de saúde suplementarmercado de saúde suplementar
mercado de saúde suplementar
 
cuidados de longa duração para a população idosa
cuidados de longa duração para a população idosacuidados de longa duração para a população idosa
cuidados de longa duração para a população idosa
 
Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]
Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]
Treinamento atendimento-clientes 23072014 [modo de compatibilidade]
 
Tiss
TissTiss
Tiss
 
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardosoSaúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
 
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
 
Palestradrvanderleymoya1
Palestradrvanderleymoya1Palestradrvanderleymoya1
Palestradrvanderleymoya1
 
Apresentacao telix
Apresentacao telixApresentacao telix
Apresentacao telix
 
2010 drogas anti-vegf intraoculares
2010   drogas anti-vegf intraoculares2010   drogas anti-vegf intraoculares
2010 drogas anti-vegf intraoculares
 
Candomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidadeCandomblé modo-de-compatibilidade
Candomblé modo-de-compatibilidade
 
Alterações nas guias tiss 3.01.00
Alterações nas guias tiss 3.01.00   Alterações nas guias tiss 3.01.00
Alterações nas guias tiss 3.01.00
 
Amb92 ciefas2000
Amb92 ciefas2000Amb92 ciefas2000
Amb92 ciefas2000
 
aula comunicacao_interna
aula comunicacao_internaaula comunicacao_interna
aula comunicacao_interna
 
criterios seleccao_cirurgia_bariatrica
 criterios seleccao_cirurgia_bariatrica criterios seleccao_cirurgia_bariatrica
criterios seleccao_cirurgia_bariatrica
 
ROL ANS 2014
ROL ANS 2014ROL ANS 2014
ROL ANS 2014
 
GARANTIAS FINANCEIRAS ANS
GARANTIAS FINANCEIRAS ANSGARANTIAS FINANCEIRAS ANS
GARANTIAS FINANCEIRAS ANS
 

Último

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 

Último (20)

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 

Cuidador idoso

  • 1. Cristiana Ferreira Assis Xavier 1 CIAPE Cuidadores de IdososCuidadores de Idosos
  • 2. Cristiana Ferreira Assis Xavier2 “O cuidado deve ser construído em um processo de interação interpessoal, pressupondo, co-participação de experiências e crescimento do esforço comum em conhecer a realidade que se busca mudar, não permitindo uma relação de dominação e manipulação do que cuida sobre o que é cuidado.” Paulo Freire apud Netto (1996)
  • 3. Cristiana Ferreira Assis Xavier3 Introdução A longevidade do ser humano estáA longevidade do ser humano está aumentando e em nosso país ela esbarra nosaumentando e em nosso país ela esbarra nos diversos problemas sociais. Os fatores sóciodiversos problemas sociais. Os fatores sócio econômicos exercem importante influênciaeconômicos exercem importante influência tanto nos aspectos psicológicos comotanto nos aspectos psicológicos como físicos do envelhecimento.físicos do envelhecimento.
  • 4. Cristiana Ferreira Assis Xavier4 Desafio Público!!!  O crescimento de idosos portadores de incapacidades. Causas são a freqüência das doenças crônicas e a longevidade atual dos brasileiros.  Novos Desafios para o sistema de saúde instalado no Brasil:a prevenção das doenças crônicas e degenerativas, a assistência à saúde dos idosos dependentes e o suporte aos cuidadores familiares.
  • 5. Cristiana Ferreira Assis Xavier5  Neste país, a velhice sem independência e autonomia ainda faz parte de uma face oculta da opinião pública, porque vem sendo mantida no âmbito familiar dos domicílios ou nas instituições asilares, impedindo qualquer visibilidade e, conseqüentemente, qualquer preocupação política de proteção social.  Estudos revelam que cerca de 40% dos indivíduos com 65 anos ou mais de idade precisam de algum tipo de ajuda para realizar pelo menos uma tarefa como fazer compras, cuidar das finanças, preparar refeições e limpar a casa.
  • 6. Cristiana Ferreira Assis Xavier6 O Cuidador  Trata-se da pessoa que chama a si a incumbência de realizar as tarefas para as quais o doente lesado pelo episódio mórbido não tem mais possibilidade; tarefas que vão desde a higiene pessoal até a administração financeira da família.
  • 7. Cristiana Ferreira Assis Xavier7 De acordo com Gonçalves e col (1997):  O cuidado humano ou “cuidar de si”O cuidado humano ou “cuidar de si” representa a essência do viver humano, assimrepresenta a essência do viver humano, assim exercer o autocuidado é uma condiçãoexercer o autocuidado é uma condição humana. E ainda “cuidar do Outro” semprehumana. E ainda “cuidar do Outro” sempre representa condição temporária erepresenta condição temporária e circunstancial, na medida em que o ouro estácircunstancial, na medida em que o ouro está impossibilitado de se cuidar”.impossibilitado de se cuidar”.  O CUIDADORO CUIDADOR é uma pessoa, envolvida noé uma pessoa, envolvida no processo de “cuidar do outro” – o idoso, comprocesso de “cuidar do outro” – o idoso, com quem vivencia uma experiência contínua dequem vivencia uma experiência contínua de aprendizagem e que resulta na descoberta deaprendizagem e que resulta na descoberta de potencialidades mútuas.potencialidades mútuas.
  • 8. Cristiana Ferreira Assis Xavier8 De acordo com a RDC nº 283: CUIDADOR DE IDOSOS Pessoa capacitada para auxiliar o idoso que apresenta limitações para realizar atividades da vida diária.
  • 9. Cristiana Ferreira Assis Xavier9 Fundamentação Legal  Portaria Nº 73, de 2001 - Normas de Funcionamento de Serviços de Atenção ao Idoso;  Estatuto do Idoso – Lei Nº 10.741, deEstatuto do Idoso – Lei Nº 10.741, de outubro de 2003;outubro de 2003;  LEI Nº 11819 DE 12/2003 - ClassificaçãoLEI Nº 11819 DE 12/2003 - Classificação segundo as modalidades de atendimentosegundo as modalidades de atendimento e dá outras providências;e dá outras providências;  Resolução - RDC Nº 283, DE 26 09/2005 - Normas de Funcionamento para ILPIs
  • 10. Cristiana Ferreira Assis Xavier10  O Ministério do Trabalho e Emprego reconhece essa ocupação desde 2001, considerada relevante para um país como o Brasil, que tem 15 milhões de pessoas idosas, com estimativa de 31,8 milhões em 2025. CO: 5162-10  Ele está capacitado a atuar em diversas instâncias junto aos idosos no cuidado e assistência, nas atividades de convivência e lazer; aspectos da cidadania e das políticas públicas e criação de negócios direcionados para a população da terceira idade.
  • 11. Cristiana Ferreira Assis Xavier11  Esse profissional está capacitado para auxiliar o idoso que apresenta ou não limitações nas atividades da vida cotidiana. Oferece cuidado e/ou suporte ao idoso, desempenhando atividades relacionadas ao seu bem-estar físico, mental, social e legal, diretamente ou por meio de empresas voltadas a esse público.
  • 12. Cristiana Ferreira Assis Xavier12 Perfil do Cuidador  98% dos casos pesquisados, o cuidador era alguém da família, predominantemente do sexo feminino (92,9%). A maior parte era formada de esposas (44,1%), seguidas pelas filhas (31,3%); as noras e as irmãs não foram freqüentes. O cuidador familiar revelou-se o ator social principal na dinâmica dos cuidados pessoais necessários às atividades de vida diária dos portadores de lesões que lhe tiraram a independência; contudo, 67,9% dos cuidadores entrevistados prestavam estes cuidados sem nenhum tipo de ajuda.
  • 13. Cristiana Ferreira Assis Xavier13 Porque preparar os cuidadores de idosos?  Considerando a relevância da integralidade doConsiderando a relevância da integralidade do sujeito (Todo)sujeito (Todo)  Importância das políticas que contemplam osImportância das políticas que contemplam os aspectos globais do envelhecimentoaspectos globais do envelhecimento  Atuação dos profissionais, seja na área assistencialAtuação dos profissionais, seja na área assistencial ou de planejamento (dificuldade em assistir oou de planejamento (dificuldade em assistir o idoso)idoso)  Na perspectiva de contribuir para umNa perspectiva de contribuir para um envelhecimento digno, melhorando a assistênciaenvelhecimento digno, melhorando a assistência ao idoso (em especial o fragilizado), criamos oao idoso (em especial o fragilizado), criamos o curso.curso.
  • 14. Cristiana Ferreira Assis Xavier14 Estresse do Cuidador  As condições físicas dos cuidadores levam a inferir que os cuidadores são doentes em potencial e que sua capacidade funcional está constantemente em risco. Os dados sobre a saúde dos cuidadores reforçam essa hipótese: dos casos entrevistados, 40,7% tinham dores lombares, 39,0%, depressão, 37,3% sofriam de pressão alta, 37,3% tinham artrite e reumatismo, 10,2%, problemas cardíacos, e 5,1%, diabete.
  • 15. Cristiana Ferreira Assis Xavier15 Competências pessoais  Manter capacidade e preparo fisico, emocional e espiritual  Cuidar da sua aparência e higiene pessoal  Demonstrar educação e boas maneiras  Adaptar-se a diferentes estruturas e padrões familiares e comunitários  Respeitar a privacidade da Família e cuidado  Demonstrar sensibilidade e paciência
  • 16. Cristiana Ferreira Assis Xavier16  Saber ouvir  Perceber e suprir carências afetivas  Manter a calma em situações críticas  Demonstrar discrição  Observar e tomar resoluções  Em situações especiais, superar seus limites físicos e emocionais  Manter otimismo em situações adversas  Reconhecer suas limitações e quando e onde procurar ajuda
  • 17. Cristiana Ferreira Assis Xavier17  Demonstrar criatividade  Lidar com a agressividade  Lidar com seus sentimentos negativos e frustações  Lidar com perdas e mortes  Buscar informações e orientações técnicas  Obedecer normas e estatutos  Reciclar-se e atualizar-se por meio de encontros, palestras, cursos e seminários
  • 18. Cristiana Ferreira Assis Xavier18  Dominar noções primárias de saúde  Dominar técnicas de movimentação para não se machucar  Dominar noções de economia e atividade doméstica  Transmitir valores a partir do próprio exemplo e pela fala  Conciliar tempo de trabalho com tempo de folga  Doar-se  Demonstrar honestidade  Conduta moral
  • 19. Cristiana Ferreira Assis Xavier19 Objetivo do curso de cuidadores Capacitar o cuidador para queCapacitar o cuidador para que esteeste Assista adequadamente aoAssista adequadamente ao idosoidoso
  • 20. Cristiana Ferreira Assis Xavier20 Competências e habilidades do cuidador de idosos  Ter conhecimento das principais adaptaçõesTer conhecimento das principais adaptações ambientais necessárias à segurança do idosoambientais necessárias à segurança do idoso  Garantir lazer e evitar ociosidade do idosoGarantir lazer e evitar ociosidade do idoso  Interpretar melhor as atitudes de seuInterpretar melhor as atitudes de seu pacientepaciente
  • 21. Cristiana Ferreira Assis Xavier21  Compreender um pouco doCompreender um pouco do processo de envelhecimentoprocesso de envelhecimento fisiológico e suas peculiaridadesfisiológico e suas peculiaridades  Conhecer as principais alteraçõesConhecer as principais alterações patológicas observadas no processopatológicas observadas no processo de envelhecimentode envelhecimento  Conhecer as políticas e programasConhecer as políticas e programas de atenção ao idosode atenção ao idoso
  • 22. Cristiana Ferreira Assis Xavier 22 Conclusão È necessário preparar e orientarÈ necessário preparar e orientar quem cuida diretamente dos nossosquem cuida diretamente dos nossos pacientes, considerando a situaçãopacientes, considerando a situação sócio-econômica e a dificuldade dossócio-econômica e a dificuldade dos idosos e/ou família em manter umidosos e/ou família em manter um profissional especializado ou peloprofissional especializado ou pelo menos adequado à sua situação,menos adequado à sua situação, melhorando significativamente suamelhorando significativamente sua qualidade de vida.qualidade de vida.
  • 23. Cristiana Ferreira Assis Xavier 23 O Cuidador é sempre o principal personagem em garantir a efetivação das recomendações para a manutenção da saúde do nosso paciente.