SlideShare uma empresa Scribd logo
O CUIDAR DO CUIDADOR  EM CUIDADOS PALIATIVOS
Doutora em Administração Hospitalar FSP - Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) Mestre em Psicologia Social (Pontifícia Universidade Católica - PUC)  Especialista em Qualidade pela FGV – Faculdade Getúlio Vargas  e Coach Empresarial  Professora da FIA – Fundação Instituto de Administração /USP Professora do Curso de Especialização em Administração Hospitalar da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo da  Faculdade São Camilo e da  FAAP  - Fundação Armando Álvares Penteado  Psicóloga Clínica e Institucional  Supervisora Didata em Psicodrama pela ABPS – Associação Brasileira de Psicodrama Gestora do Sistema Integrado da Qualidade - InCor-HC-FMUSP -  Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Consultora na Área da Saúde  Autora de artigos em revistas e livros especializados. Livros: Gestão em Saúde: Programas de Qualidade em Hospitais – 2007 e Gestão Hospitalar – Administrando e Hospital Moderno – 2006 (capítulos 2 e 3) Participação no curso Accreditation Study Tour for the Consortium for Brazilian Accreditation - Joint Comission International - Chicago - EUA
Morrer com dignidade significa que eu tenha permissão de morrer com meu caráter, com minha personalidade Kubler - Ross
“ Talvez não tenhamos conseguido fazer o melhor mas lutamos para que o melhor fosse feito...Não somos o que deveriamos ser, não somos o que iremos ser, mas graças a Deus não somos o que éramos”  Martin Luther King
Definição  OMS ,[object Object],[object Object],[object Object]
Princípios Básicos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Princípios Básicos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Modelo Antigo de Assistência Tratamento Curativo Paliativo Diagnóstico Morte
Modelo de Assistência Atual ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Bases Terapêuticas do Modelo atual ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Fundadora do moderno movimento hospice, Dame Cecily Saunders, faleceu em 2005 em Londres.  Sua vocação foi cuidar de doentes em fase terminal.  Ela percebeu que ela só podereria ser eficaz se ela obteve-se um grau médico, e começou seus estudos na idade de 33.  Em 1967 ela abriu St Christopher's Hospice, agora uma das muitas em todo o mundo
Premissas do Modelo Atual  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PARADIGMA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
MUDANÇAS DE PARADIGMA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],MODELOS MENTAIS
Modelos Mentais ,[object Object]
[object Object]
Confortos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Conforto Físico ,[object Object]
Conforto Social ,[object Object],[object Object]
Conforto Psíquico ,[object Object]
Conforto Espiritual ,[object Object]
[object Object],Cuidar -  Esfera Coletiva ,[object Object],[object Object]
Cuidar -  Esfera individual A qualidade de nossas vidas depende do cuidado que dispensamos a ela. Se estivermos de bem – de bem com a vida – sentimos prazer de estarmos vivos e, nessas condições, temos espaço interno para acolher e cuidar ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],Cuidar ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CUIDADOR
O cuidador familiar ,[object Object],[object Object],[object Object]
O cuidador familiar ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O cuidador familiar ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Um familiar doente altera a dinâmica familiar, podendo causar desequilíbrios emocionais, financeiros e nos relacionamentos
Estrutura familiar Modelo familiar tradicional dá espaço a uma nova configuração na sua estrutura: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O cuidador familiar É mais comum o cuidador familiar desempenhar seu encargo sozinho, sem a ajuda de outros familiares ou de profissionais
O cuidador familiar O “cuidador leigo ” O “cuidador técnico” Em doenças mais graves, além do cuidado leigo, são necessários conhecimentos mais complexos, comuns ao profissional da saúde, para cuidar de seu familiar Desempenha atividades da vida diária, como cuidados com a higiene, além de ter boa vontade, disposição, respeito à vida humana, bom senso e solidariedade
A vida do cuidador ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Quem cuida do cuidador? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PROGRAMA NACIONAL DE CUIDADORES DE IDOSOS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O cuidador em serviços de saúde: ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O cuidador em serviços de saúde: ,[object Object],[object Object],Manifestam-se na forma de: Ansiedade na relação com as chefias, irritação, nervosismo,falta de ânimo para o trabalho, desejo de transferência, dificuldade na relação com os colegas
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O cuidador em serviços de saúde: 1 . Coesão interna entre a equipe baseada numa ajuda mútua 2.  Hiperatividade verbal ou cinética como modo de afastar a angústia
[object Object],[object Object],O cuidador em serviços de saúde: 4 . A verbalização de questões não vinculadas ao trabalho - chistes e anedotas como válvula de escape 5 . Agressividade reativa contra o paciente através de zombarias, ridicularizações, para encobrir sentimentos de culpa pelo sofrimento do outro, evitando que se coloquem numa posição de fragilidade, sensibilidade
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object],A ética na relação com a instituição de saúde: ,[object Object]
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object],Causadores de stress ao profissional da saúde ,[object Object]
O cuidador em serviços de saúde O CUIDADO AO PACIENTE SUJEITO Profissional OBJETO Paciente Decide Determina Conduz Sente? Deseja? Afastamento
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],A familiarização com a dor e o sofrimento dificulta que o profissional de saúde veja o paciente além de seu corpo
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],“ Se pudermos ter claro o referencial do CUIDAR SEMPRE em lugar da obstinação em CURAR SEMPRE, poderemos ter uma diminuição de um fator de risco para estresse do cuidador.”   (Carvalho, 2003, p. 141)
O cuidador em serviços de saúde ANTES DE TENTAR ELIMINAR A DOR DO PACIENTE, PRECISAMOS ACOLHÊ-LO E ESCUTÁ-LO COM SENSIBILIDADE E SOLIDARIEDADE “ Estamos mais preparados, aparentemente, para trabalhar com a vida do que com as suas possibilidades de interrupção e morte.”  (Lunardi et al, 2004, p. 937)
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object]
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CUIDANDO DE SI...
O cuidador em serviços de saúde ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
“  Quem tem do doente, uma visão holística e o aceita como ser humano em todas as suas dimensões, encontra muitos e sólidos motivos, força e apoio para uma assistência digna, realmente humanizada.”  (Mezzomo et alii, 2003) Obrigado pela participação de todos!!
Bibliografia ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
Estephane ingrid Souza Pessoa
 
Cuidados Paliativos - Morrer com dignidade
Cuidados Paliativos - Morrer com dignidadeCuidados Paliativos - Morrer com dignidade
Cuidados Paliativos - Morrer com dignidade
Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda (ESTGA)
 
Cuidados paliativos
Cuidados paliativosCuidados paliativos
Cuidados paliativos
Eliane Santos
 
0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela 0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela
laiscarlini
 
Cuidados Paliativos
Cuidados PaliativosCuidados Paliativos
Cuidados Paliativos
Oncoguia
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
Célia Costa
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
ilanaseixasladeia
 
SAÚDE DO IDOSO
SAÚDE DO IDOSOSAÚDE DO IDOSO
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Laíz Coutinho
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
Shirley Kellen Ferreira
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
Ruth Milhomem
 
O profissional da saúde diante da morte
O profissional da  saúde diante da morteO profissional da  saúde diante da morte
O profissional da saúde diante da morte
Marian de Souza
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
Vanessa Farias
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
Aliny Lima
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Tuanny Sampaio - Estética Avançada
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
Wanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar HortaWanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar Horta
brunafreitas543908
 
Atenção Primária à Saúde
Atenção Primária à SaúdeAtenção Primária à Saúde
Conceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados Paliativos
Conceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados PaliativosConceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados Paliativos
Conceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados Paliativos
Mariana Valle Gusmão
 
Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos" Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos"
areacuidadospaliativos
 

Mais procurados (20)

Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
 
Cuidados Paliativos - Morrer com dignidade
Cuidados Paliativos - Morrer com dignidadeCuidados Paliativos - Morrer com dignidade
Cuidados Paliativos - Morrer com dignidade
 
Cuidados paliativos
Cuidados paliativosCuidados paliativos
Cuidados paliativos
 
0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela 0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela
 
Cuidados Paliativos
Cuidados PaliativosCuidados Paliativos
Cuidados Paliativos
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
 
SAÚDE DO IDOSO
SAÚDE DO IDOSOSAÚDE DO IDOSO
SAÚDE DO IDOSO
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
 
O profissional da saúde diante da morte
O profissional da  saúde diante da morteO profissional da  saúde diante da morte
O profissional da saúde diante da morte
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
 
Wanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar HortaWanda de Aguiar Horta
Wanda de Aguiar Horta
 
Atenção Primária à Saúde
Atenção Primária à SaúdeAtenção Primária à Saúde
Atenção Primária à Saúde
 
Conceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados Paliativos
Conceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados PaliativosConceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados Paliativos
Conceito, Fundamentos e Princípios dos Cuidados Paliativos
 
Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos" Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos"
 

Destaque

O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociaisO papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
Alinebrauna Brauna
 
O cuidador
O cuidadorO cuidador
O cuidador
Susana Palma
 
CUIDADOS PALIATIVOS
CUIDADOS PALIATIVOSCUIDADOS PALIATIVOS
CUIDADOS PALIATIVOS
Ana Balcarce
 
Manual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto finalManual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto final
gcmrs
 
Ética em cuidados paliativos
Ética em cuidados paliativosÉtica em cuidados paliativos
Cuidados Paliativos em Pediatria
Cuidados Paliativos em PediatriaCuidados Paliativos em Pediatria
Cuidados Paliativos em Pediatria
Mônica Firmida
 
Cuidados paliativos 2012
Cuidados paliativos 2012Cuidados paliativos 2012
Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?
Juliana Calixto
 
Cuidados Paliativos
Cuidados PaliativosCuidados Paliativos
Cuidados Paliativos
MrKokamus
 
PPT Cuidados paliativos
PPT Cuidados paliativosPPT Cuidados paliativos
PPT Cuidados paliativos
mokitocriminal
 
Cuidados paliativos
Cuidados paliativosCuidados paliativos
Cuidados paliativos
Ana Ríos
 
CUIDADOS DEL ENFERMO TERMINAL
CUIDADOS DEL ENFERMO TERMINALCUIDADOS DEL ENFERMO TERMINAL
CUIDADOS DEL ENFERMO TERMINAL
prometeo39
 
Paciente terminal
Paciente terminalPaciente terminal
Paciente terminal
marte03
 
Cuadados paliativos
Cuadados paliativosCuadados paliativos
Cuadados paliativos
Blankis Bonni
 
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gicaPapel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
Augusto Senna
 
O papel da família ou outros cuidadores informais
O papel da família ou outros cuidadores informaisO papel da família ou outros cuidadores informais
O papel da família ou outros cuidadores informais
Daniela
 
Img033
Img033Img033
Img033
Vila Salete
 
CóPia De 2ºPeriodo Completo
CóPia De 2ºPeriodo  CompletoCóPia De 2ºPeriodo  Completo
CóPia De 2ºPeriodo Completo
guesta9bf7d
 
Cuidados paliativos en pediatría
Cuidados paliativos en pediatríaCuidados paliativos en pediatría
Cuidados paliativos en pediatría
Roberto Lanza
 
PSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDAR
PSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDARPSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDAR
PSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDAR
Márcio Borges
 

Destaque (20)

O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociaisO papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
 
O cuidador
O cuidadorO cuidador
O cuidador
 
CUIDADOS PALIATIVOS
CUIDADOS PALIATIVOSCUIDADOS PALIATIVOS
CUIDADOS PALIATIVOS
 
Manual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto finalManual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto final
 
Ética em cuidados paliativos
Ética em cuidados paliativosÉtica em cuidados paliativos
Ética em cuidados paliativos
 
Cuidados Paliativos em Pediatria
Cuidados Paliativos em PediatriaCuidados Paliativos em Pediatria
Cuidados Paliativos em Pediatria
 
Cuidados paliativos 2012
Cuidados paliativos 2012Cuidados paliativos 2012
Cuidados paliativos 2012
 
Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?
 
Cuidados Paliativos
Cuidados PaliativosCuidados Paliativos
Cuidados Paliativos
 
PPT Cuidados paliativos
PPT Cuidados paliativosPPT Cuidados paliativos
PPT Cuidados paliativos
 
Cuidados paliativos
Cuidados paliativosCuidados paliativos
Cuidados paliativos
 
CUIDADOS DEL ENFERMO TERMINAL
CUIDADOS DEL ENFERMO TERMINALCUIDADOS DEL ENFERMO TERMINAL
CUIDADOS DEL ENFERMO TERMINAL
 
Paciente terminal
Paciente terminalPaciente terminal
Paciente terminal
 
Cuadados paliativos
Cuadados paliativosCuadados paliativos
Cuadados paliativos
 
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gicaPapel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
 
O papel da família ou outros cuidadores informais
O papel da família ou outros cuidadores informaisO papel da família ou outros cuidadores informais
O papel da família ou outros cuidadores informais
 
Img033
Img033Img033
Img033
 
CóPia De 2ºPeriodo Completo
CóPia De 2ºPeriodo  CompletoCóPia De 2ºPeriodo  Completo
CóPia De 2ºPeriodo Completo
 
Cuidados paliativos en pediatría
Cuidados paliativos en pediatríaCuidados paliativos en pediatría
Cuidados paliativos en pediatría
 
PSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDAR
PSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDARPSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDAR
PSICOLOGIA - AS VÁRIAS MANEIRAS DE CUIDAR
 

Semelhante a Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde

UFCD - 6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD -  6579 Cuidados na Saúde MentalUFCD -  6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD - 6579 Cuidados na Saúde Mental
Nome Sobrenome
 
Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2
Ivone Laurentino Dos Santos
 
A familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativosA familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativos
Raquel Camelo
 
A familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativosA familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativos
Raquel Mendes e Camelo
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
GlendaRegoSoares1
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
Jose Roberto
 
Cuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.ppt
Cuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.pptCuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.ppt
Cuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.ppt
GabrielaCordeiro26
 
Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...
Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...
Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...
Escola de Biodanza Rio de Janeiro
 
Cartilha de orientação em saúde mental
Cartilha de orientação em saúde mentalCartilha de orientação em saúde mental
Cartilha de orientação em saúde mental
Pedro Henrique
 
Vamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-online
Vamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-onlineVamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-online
Vamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-online
Márcio Cristiano de Melo
 
5656 17308-1-pb
5656 17308-1-pb5656 17308-1-pb
5656 17308-1-pb
Jaciany
 
Aula6 01 2015
Aula6 01 2015Aula6 01 2015
Aula6 01 2015
Inaiara Bragante
 
09
0909
0Cuidador de idoso
0Cuidador de idoso0Cuidador de idoso
0Cuidador de idoso
Bruna Rodrigues
 
Aula 1 - Saúde e Sociedade
Aula 1 - Saúde e SociedadeAula 1 - Saúde e Sociedade
Aula 1 - Saúde e Sociedade
Ghiordanno Bruno
 
Cartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fimCartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fim
Tarlla
 
Cartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fimCartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fim
Tarlla
 
Trabalho em Power Point
Trabalho em Power PointTrabalho em Power Point
Trabalho em Power Point
BetaBetuxa
 
saúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamento
saúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamentosaúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamento
saúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamento
annekahpsico00
 
Aconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemica
Aconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemicaAconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemica
Aconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemica
Natanael Ribeiro de Sousa
 

Semelhante a Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde (20)

UFCD - 6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD -  6579 Cuidados na Saúde MentalUFCD -  6579 Cuidados na Saúde Mental
UFCD - 6579 Cuidados na Saúde Mental
 
Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2Cuidado ao cuidador2
Cuidado ao cuidador2
 
A familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativosA familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativos
 
A familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativosA familia em cuidados paliativos
A familia em cuidados paliativos
 
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdfenfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
enfermagempsiquiatrica-160804165253.pdf
 
Enfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatricaEnfermagem psiquiatrica
Enfermagem psiquiatrica
 
Cuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.ppt
Cuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.pptCuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.ppt
Cuidado_Transcultural_de_Madeleine_Leini.ppt
 
Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...
Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...
Biodança: Sistema de Regulação do Organismo e Seus Efeitos em Pacientes Inter...
 
Cartilha de orientação em saúde mental
Cartilha de orientação em saúde mentalCartilha de orientação em saúde mental
Cartilha de orientação em saúde mental
 
Vamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-online
Vamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-onlineVamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-online
Vamos falar-de-cuidados-paliativos-vers--o-online
 
5656 17308-1-pb
5656 17308-1-pb5656 17308-1-pb
5656 17308-1-pb
 
Aula6 01 2015
Aula6 01 2015Aula6 01 2015
Aula6 01 2015
 
09
0909
09
 
0Cuidador de idoso
0Cuidador de idoso0Cuidador de idoso
0Cuidador de idoso
 
Aula 1 - Saúde e Sociedade
Aula 1 - Saúde e SociedadeAula 1 - Saúde e Sociedade
Aula 1 - Saúde e Sociedade
 
Cartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fimCartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fim
 
Cartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fimCartilha cuidando bem até o fim
Cartilha cuidando bem até o fim
 
Trabalho em Power Point
Trabalho em Power PointTrabalho em Power Point
Trabalho em Power Point
 
saúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamento
saúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamentosaúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamento
saúde mental e CAPS sua epistemologia e funcionamento
 
Aconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemica
Aconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemicaAconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemica
Aconselhamento pastoral e da família uma proposta sistemica
 

Mais de Associação Viva e Deixe Viver

Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de HistóriasExposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Associação Viva e Deixe Viver
 
Sacola literária cch 2015
Sacola literária cch 2015Sacola literária cch 2015
Sacola literária cch 2015
Associação Viva e Deixe Viver
 
Pesquisa hospital menino jesus
Pesquisa hospital menino jesusPesquisa hospital menino jesus
Pesquisa hospital menino jesus
Associação Viva e Deixe Viver
 
Administando melhor o tempo
Administando melhor o tempoAdministando melhor o tempo
Administando melhor o tempo
Associação Viva e Deixe Viver
 
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Associação Viva e Deixe Viver
 
Aniversário 7 anos do rio de histórias 12.10.12
Aniversário 7 anos do rio de histórias   12.10.12Aniversário 7 anos do rio de histórias   12.10.12
Aniversário 7 anos do rio de histórias 12.10.12
Associação Viva e Deixe Viver
 
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
Associação Viva e Deixe Viver
 
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
Associação Viva e Deixe Viver
 
Cuidado de enfermagem doença cronica
Cuidado de enfermagem doença cronicaCuidado de enfermagem doença cronica
Cuidado de enfermagem doença cronica
Associação Viva e Deixe Viver
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
Associação Viva e Deixe Viver
 
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
Associação Viva e Deixe Viver
 
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Associação Viva e Deixe Viver
 
Tempo de despertar
Tempo de despertarTempo de despertar
Teleconsulta isis bertoncini
Teleconsulta   isis bertonciniTeleconsulta   isis bertoncini
Teleconsulta isis bertoncini
Associação Viva e Deixe Viver
 
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avcSituação de saúde em idosos acometidos pelo avc
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc
Associação Viva e Deixe Viver
 
Significado de humanização
Significado de humanizaçãoSignificado de humanização
Significado de humanização
Associação Viva e Deixe Viver
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Associação Viva e Deixe Viver
 
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanenteOs serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Associação Viva e Deixe Viver
 
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento maternoOs saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Associação Viva e Deixe Viver
 
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
Associação Viva e Deixe Viver
 

Mais de Associação Viva e Deixe Viver (20)

Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de HistóriasExposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
 
Sacola literária cch 2015
Sacola literária cch 2015Sacola literária cch 2015
Sacola literária cch 2015
 
Pesquisa hospital menino jesus
Pesquisa hospital menino jesusPesquisa hospital menino jesus
Pesquisa hospital menino jesus
 
Administando melhor o tempo
Administando melhor o tempoAdministando melhor o tempo
Administando melhor o tempo
 
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
 
Aniversário 7 anos do rio de histórias 12.10.12
Aniversário 7 anos do rio de histórias   12.10.12Aniversário 7 anos do rio de histórias   12.10.12
Aniversário 7 anos do rio de histórias 12.10.12
 
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
 
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
 
Cuidado de enfermagem doença cronica
Cuidado de enfermagem doença cronicaCuidado de enfermagem doença cronica
Cuidado de enfermagem doença cronica
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
 
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
 
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
 
Tempo de despertar
Tempo de despertarTempo de despertar
Tempo de despertar
 
Teleconsulta isis bertoncini
Teleconsulta   isis bertonciniTeleconsulta   isis bertoncini
Teleconsulta isis bertoncini
 
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avcSituação de saúde em idosos acometidos pelo avc
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc
 
Significado de humanização
Significado de humanizaçãoSignificado de humanização
Significado de humanização
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
 
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanenteOs serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanente
 
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento maternoOs saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
 
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
 

Último

A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 

Último (8)

A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 

Como trabalhar com cuidados paliativos na atenção à saúde

  • 1. O CUIDAR DO CUIDADOR EM CUIDADOS PALIATIVOS
  • 2. Doutora em Administração Hospitalar FSP - Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) Mestre em Psicologia Social (Pontifícia Universidade Católica - PUC) Especialista em Qualidade pela FGV – Faculdade Getúlio Vargas e Coach Empresarial Professora da FIA – Fundação Instituto de Administração /USP Professora do Curso de Especialização em Administração Hospitalar da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo da Faculdade São Camilo e da FAAP - Fundação Armando Álvares Penteado Psicóloga Clínica e Institucional Supervisora Didata em Psicodrama pela ABPS – Associação Brasileira de Psicodrama Gestora do Sistema Integrado da Qualidade - InCor-HC-FMUSP - Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Consultora na Área da Saúde Autora de artigos em revistas e livros especializados. Livros: Gestão em Saúde: Programas de Qualidade em Hospitais – 2007 e Gestão Hospitalar – Administrando e Hospital Moderno – 2006 (capítulos 2 e 3) Participação no curso Accreditation Study Tour for the Consortium for Brazilian Accreditation - Joint Comission International - Chicago - EUA
  • 3. Morrer com dignidade significa que eu tenha permissão de morrer com meu caráter, com minha personalidade Kubler - Ross
  • 4. “ Talvez não tenhamos conseguido fazer o melhor mas lutamos para que o melhor fosse feito...Não somos o que deveriamos ser, não somos o que iremos ser, mas graças a Deus não somos o que éramos” Martin Luther King
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. Modelo Antigo de Assistência Tratamento Curativo Paliativo Diagnóstico Morte
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31. O cuidador familiar O “cuidador leigo ” O “cuidador técnico” Em doenças mais graves, além do cuidado leigo, são necessários conhecimentos mais complexos, comuns ao profissional da saúde, para cuidar de seu familiar Desempenha atividades da vida diária, como cuidados com a higiene, além de ter boa vontade, disposição, respeito à vida humana, bom senso e solidariedade
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43. O cuidador em serviços de saúde O CUIDADO AO PACIENTE SUJEITO Profissional OBJETO Paciente Decide Determina Conduz Sente? Deseja? Afastamento
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47. O cuidador em serviços de saúde ANTES DE TENTAR ELIMINAR A DOR DO PACIENTE, PRECISAMOS ACOLHÊ-LO E ESCUTÁ-LO COM SENSIBILIDADE E SOLIDARIEDADE “ Estamos mais preparados, aparentemente, para trabalhar com a vida do que com as suas possibilidades de interrupção e morte.” (Lunardi et al, 2004, p. 937)
  • 48.
  • 49.
  • 50.
  • 51. “ Quem tem do doente, uma visão holística e o aceita como ser humano em todas as suas dimensões, encontra muitos e sólidos motivos, força e apoio para uma assistência digna, realmente humanizada.” (Mezzomo et alii, 2003) Obrigado pela participação de todos!!
  • 52.
  • 53.
  • 54.