SlideShare uma empresa Scribd logo
Escola Básica e Secundária de Canelas  Área de projecto Agrupamento vertical de canelas  Tecnologias de informação e comunicação
Comunidade virtual Professora:  Lili Ano/turma:  8ºH  Trabalho realizado por: pocas bouás Tribo: quadrilha H Data:  14/01/2009 Segurança informática
Uma comunidade virtual é uma comunidade que estabelece relações num espaço virtual através de meios de comunicação a distância. Uma comunidade virtual é a aglutinação de um grupo de indivíduos com interesses comuns que trocam experiências e informações no ambiente virtual.  Introdução:
O que é uma comunidade virtual? Howard Rheingold, seguindo a sua ideia,  comunidade virtual são agregações sociais que utilizam a Rede quando existem  pessoas suficientes , em discussões suficientemente longas, com suficientes emoções humanas , para formar “relações” pessoais em ambientes virtuais, mudando  de alguma forma o “Eu”  dos que neles participam.
Howard Rheingold
A existência  da comunidade  virtual vem da junção de três tecnologias: o computador, o telefone e o software conhecido como Internet - que é, na realidade, o sistema operativo para a rede telefónica digitalizada.  As três tecnologias da  comunidade  virtual
O telefone fornece  comunicações em dois sentidos e uma infra-estrutura para ligar globalmente; o computador digitaliza e armazena informação, e providencia um interface ao utilizador; a Internet permite aos computadores utilizarem o sistema telefónico.  (continuação)
(continuação)   À medida que o sistema telefónico se torna também digital, links de grande largura de banda estão também acessíveis por todo o lado, aumentando o potencial deste novo híbrido tecnológico.
Comunidade virtual simula comunidades que só existem no ciberespaços. Implicando , um novo elo  de ligação que passa a existir no meio de, ou entre, comunidades no espaço real, biológico, ligando-as e estendendo-as, trazendo mesmo novas comunidades reais para o seu contacto.   A comunidade e o espaço virtual
(continuação) É um alargamento da comunidade pela adição de um novo espaço de interacção, espaço virtual onde fluxos expandidos de relações solidárias podem ser criados. É um curto passo a fusão do espaço mental de indivíduos de um modo que expande o próprio conceito de comunidade.
 
Ciberespaço
A ideia  de comunidade tem evoluído ao longo do tempo. Ideias de pertencer, de localização numa mesma área geográfica, ou de uma estrutura social formada, já revelaram o seu significado. Hoje esse conceito já abrange outro significado, o das comunidades virtuais.  A evolução da comunidade
(continuação)  Com o incremento das redes telemáticas (a união das telecomunicações com a informática), essas novas comunidades puderam surgir, trazendo a união dos seus participantes não por localização geográfica, mas pela conexão com a rede.
 
As proximidades intelectuais passam a ser mais importantes do que proximidades físicas. “  As pessoas que usam computadores para comunicar, formam amizades que por vezes criam  o fundamento de comunidades, devendo  ter cuidado  para não confundir a ferramenta com  a tarefa e pensar que por escrever palavras  num computador  é a mesma coisa que uma comunidade real” (Rheingold, 1993).  As proximidades intelectuais e físicas
(Continuação) Nesse ponto o autor quer mostrar que nem tudo o que se faz nos computadores pode ser considerado uma comunidade. A ferramenta por si só não caracteriza o aparecimento das comunidades virtuais.
 
As comunidades modernas nascem num processo de continuidades e rupturas em relação às comunidades tradicionais. Também, o que seria da modernidade se não fosse a tradição? Como é que a modernidade iria romper tradições se elas nem existissem? As comunidades passam a ser pensadas durante a modernidade, e deixam de ser apenas vivenciadas como ambientes sociais (Palácios, 1995).  Comunidades virtuais x comunidades modernas x comunidades  tradicionais
É por isso que Palácios utiliza no seu texto as ideias de Michel Maffesoli, ao dizer que o conceito de comunidade surge na modernidade, no período em que novas formas sociais surgem e fazem perceber as anteriores. (continuação)
Michel Maffesoli
As sociedades modernas são sociedades de mudança constante, rápida e permanente. Esta é a principal distinção entre as sociedades ‘tradicionais’ e as sociedades ‘modernas’. Esse processo de rápida mudança e transformação também se constitui nas sociedades pós-modernas, e está ligado directamente a globalização.  (continuação)
(continuação) Na tradição os símbolos são formas de manifestar a experiência através das gerações, e o passado é valorizado. Já a pós-modernidade é uma forma de vida mais ponderada, mais reflexiva. Nela as práticas sociais estão sendo sempre examinadas e alteradas, os seus valores estão sempre em contestação.
Nas sociedades pós-modernas há uma interconexão entre as diferentes partes do globo, onde as mudanças na vida social atingem toda a superfície da Terra. Há uma importante transformação no tempo e no espaço, a partir de uma globalização do mundo, onde as fronteiras que separam os países vão sendo destruídas. A velocidade das relações sociais não é mais a mesma do passado. O tempo e o espaço não são mais barreiras contra a comunicação mundial, e o quotidiano acaba por se  alterar. (continuação)
Para Palácios, as comunidades na modernidade deveriam ter alguns elementos básicos: o sentimento de pertencimento;  uma territorialidade (geográfica e/ou simbólica); a permanência; a ligação entre sentimento de comunidade; carácter cooperativo e emergência de um projecto comum; a existência de formas próprias para a comunicação; a tendência à institucionalização.
Ter o sentido de pertencimento é a característica básica para se constituir qualquer tipo de comunidade. Entre os seus participantes é preciso esse sentimento de ligação, de participação. Isso caracteriza uma comunidade, diferente de um simples agrupamento. A partir daí, esse sentimento leva a um carácter cooperativo, podendo surgir acções organizadas e projectos comuns. Caracterização da comunidade
Nas comunidades tradicionais o indivíduo estava destinado àquele território em que nasceu, sem poder escolher outro grupo que lhe agradasse mais. Diferente dos dias de hoje, o habitante estava condicionado ao seu espaço e ao seu tempo.  As comunidades tradicionais e os dias de hoje
Na modernidade esta situação muda quando a pessoa já não se sente tão presa às suas raízes. As informações são bombardeadas de tal modo, com a evolução dos meios de comunicação e o aumento da distância que eles abrangem, que o indivíduo pode escolher a que comunidade  quer pertencer, mesmo sofrendo influências da localidade em que nasceu. As influências da modernidade
Para poder acabar com os seus projectos, uma comunidade não deve ser transitória , por isso é preciso a permanência. Já o sentido de territorialidade pode ser tanto geográfico ou simbólico, apenas como um elo para fortalecer ou unir os participantes; outra característica importante para a formação de uma comunidade, que vai perdendo o seu domínio como território físico ao longo das comunidades modernas.  (continuação)
( continuação ) A   existência de um meio próprio de comunicação entre os  seus membros – como murais e boletins, ajuda na integração e na distribuição de informações para todos.
As comunidades virtuais caracterizam-se como comunidades? Mesmo perdendo algumas características das comunidades modernas, ela não perde o essencial: o sentimento de pertença  e uma territorialidade.  Comunidades virtuais – será que é mesmo uma comunidade?
A formação das tribos pós-modernas traz essa sensação de ligação, de pertencer a uma comunidade, mesmo que ela só exista no espaço imaginário e invisível do ciberespaço. E o aspecto da territorialidade é do ponto de vista simbólico, não geográfico. Outro ponto análogo entre as novas tribos e as comunidades modernas é a existência de um meio de comunicação próprio – que de facto é a própria Internet . (continuação)
A permanência é um factor relativo nas comunidades virtuais, que tendem em grande parte a ser efémeras. Por causa desse carácter efémero é que há também a falta de projectos comuns na maioria das novas tribos, que são mais caracterizadas pelo estar junto, pela convivência actual, numa vivência do presente sem maiores perspectivas futuras. (continuação)
Conclusão: Com este trabalho concluímos que as comunidades são grupos de pessoas que  comunicam através da Internet.
F  I M
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Cibercultura de Pierre Lévy
A Cibercultura de Pierre LévyA Cibercultura de Pierre Lévy
A Cibercultura de Pierre Lévy
Hélder Pereira
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
Ligiane Malfatti
 
Solidão e redes sociais
Solidão e redes sociaisSolidão e redes sociais
Solidão e redes sociais
Ricardo Murer
 
O conceito e a importância da cultura digital
O conceito e a importância da cultura digitalO conceito e a importância da cultura digital
O conceito e a importância da cultura digital
Aline Corso
 
Zeferino garcia
Zeferino garcia Zeferino garcia
Zeferino garcia
equipetics
 
Recensão equipa capa 2015
Recensão  equipa capa 2015Recensão  equipa capa 2015
Recensão equipa capa 2015
Hélder Pereira
 
Marcio henriques
Marcio henriquesMarcio henriques
Marcio henriques
Maracy Guimaraes
 
A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*
Rosemary Santos
 
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Inês Amaral
 
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livroCibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Carlos Nepomuceno (Nepô)
 
Cibercultura e sociedade em rede
Cibercultura e sociedade em redeCibercultura e sociedade em rede
Cibercultura e sociedade em rede
Eduardo Matheus
 
Redes sociais na internet e as novas formas de sociabilidade
Redes sociais na internet e as novas formas de sociabilidadeRedes sociais na internet e as novas formas de sociabilidade
Redes sociais na internet e as novas formas de sociabilidade
Aline Corso
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
celyassis
 
A Cibercultura no Cotidiano
A Cibercultura no CotidianoA Cibercultura no Cotidiano
A Cibercultura no Cotidiano
Liscagnolato
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
Andrea Alves
 
Em direção a uma ciberdemocracia planetária
Em direção a uma ciberdemocracia planetáriaEm direção a uma ciberdemocracia planetária
Em direção a uma ciberdemocracia planetária
Jose Mendes
 
Em busca de uma ciberantropologia
Em busca de uma ciberantropologiaEm busca de uma ciberantropologia
Em busca de uma ciberantropologia
silvadelina
 
Redes Sociais
Redes SociaisRedes Sociais
Redes Sociais
profBeth
 
Redes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em Rede
Redes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em RedeRedes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em Rede
Redes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em Rede
Elizabeth Fantauzzi
 

Mais procurados (19)

A Cibercultura de Pierre Lévy
A Cibercultura de Pierre LévyA Cibercultura de Pierre Lévy
A Cibercultura de Pierre Lévy
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
 
Solidão e redes sociais
Solidão e redes sociaisSolidão e redes sociais
Solidão e redes sociais
 
O conceito e a importância da cultura digital
O conceito e a importância da cultura digitalO conceito e a importância da cultura digital
O conceito e a importância da cultura digital
 
Zeferino garcia
Zeferino garcia Zeferino garcia
Zeferino garcia
 
Recensão equipa capa 2015
Recensão  equipa capa 2015Recensão  equipa capa 2015
Recensão equipa capa 2015
 
Marcio henriques
Marcio henriquesMarcio henriques
Marcio henriques
 
A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*A mutação das Mídias*
A mutação das Mídias*
 
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
Redes Sociais na Internet: a desterritorialização da sociedade?
 
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livroCibercultura -   Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
Cibercultura - Pierre LÉvy - Decupando e comentando o livro
 
Cibercultura e sociedade em rede
Cibercultura e sociedade em redeCibercultura e sociedade em rede
Cibercultura e sociedade em rede
 
Redes sociais na internet e as novas formas de sociabilidade
Redes sociais na internet e as novas formas de sociabilidadeRedes sociais na internet e as novas formas de sociabilidade
Redes sociais na internet e as novas formas de sociabilidade
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
 
A Cibercultura no Cotidiano
A Cibercultura no CotidianoA Cibercultura no Cotidiano
A Cibercultura no Cotidiano
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Em direção a uma ciberdemocracia planetária
Em direção a uma ciberdemocracia planetáriaEm direção a uma ciberdemocracia planetária
Em direção a uma ciberdemocracia planetária
 
Em busca de uma ciberantropologia
Em busca de uma ciberantropologiaEm busca de uma ciberantropologia
Em busca de uma ciberantropologia
 
Redes Sociais
Redes SociaisRedes Sociais
Redes Sociais
 
Redes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em Rede
Redes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em RedeRedes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em Rede
Redes Sociais, Midias Sociais e Colaboracao em Rede
 

Destaque

Diario Resumen 20141122
Diario Resumen 20141122Diario Resumen 20141122
Diario Resumen 20141122
Diario Resumen
 
Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3
Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3
Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3
Fábio Fonseca de Castro
 
G325 b michel maffesoli-
G325 b michel maffesoli-G325 b michel maffesoli-
G325 b michel maffesoli-
gdsteacher
 
O Conceito de Cultura & O Imaginário é uma Realidade
O Conceito de Cultura & O Imaginário é uma RealidadeO Conceito de Cultura & O Imaginário é uma Realidade
O Conceito de Cultura & O Imaginário é uma Realidade
Luiza Araujo
 
Trab classes sociais apresentação
Trab classes sociais   apresentaçãoTrab classes sociais   apresentação
Trab classes sociais apresentação
geugouvea
 
Cultura e tribos urbanas - ppt
Cultura e tribos urbanas - pptCultura e tribos urbanas - ppt
Cultura e tribos urbanas - ppt
Mara Godinho
 
Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.
Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.
Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.
Julia Maldonado Garcia
 
Sociologia:qual a sua tribo?
Sociologia:qual a sua tribo?Sociologia:qual a sua tribo?
Sociologia:qual a sua tribo?
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
baena producao
 
Qual é a sua tribo
Qual é a sua triboQual é a sua tribo
Qual é a sua tribo
Aldenei Barros
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
Ludmila Moura
 

Destaque (11)

Diario Resumen 20141122
Diario Resumen 20141122Diario Resumen 20141122
Diario Resumen 20141122
 
Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3
Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3
Introdução à Obra de Michel Maffesoli 3
 
G325 b michel maffesoli-
G325 b michel maffesoli-G325 b michel maffesoli-
G325 b michel maffesoli-
 
O Conceito de Cultura & O Imaginário é uma Realidade
O Conceito de Cultura & O Imaginário é uma RealidadeO Conceito de Cultura & O Imaginário é uma Realidade
O Conceito de Cultura & O Imaginário é uma Realidade
 
Trab classes sociais apresentação
Trab classes sociais   apresentaçãoTrab classes sociais   apresentação
Trab classes sociais apresentação
 
Cultura e tribos urbanas - ppt
Cultura e tribos urbanas - pptCultura e tribos urbanas - ppt
Cultura e tribos urbanas - ppt
 
Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.
Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.
Sociologia - Grupos e tribos, cultura e família.
 
Sociologia:qual a sua tribo?
Sociologia:qual a sua tribo?Sociologia:qual a sua tribo?
Sociologia:qual a sua tribo?
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
 
Qual é a sua tribo
Qual é a sua triboQual é a sua tribo
Qual é a sua tribo
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
 

Semelhante a Comunidade

A emergência das comunidades virtuais
A emergência das comunidades virtuaisA emergência das comunidades virtuais
A emergência das comunidades virtuais
Alex Primo
 
Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)
Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)
Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)
Editora
 
Comunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publico
Comunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publicoComunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publico
Comunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publico
Inês Amaral
 
Definição de sociedade em rede
Definição de sociedade em redeDefinição de sociedade em rede
Definição de sociedade em rede
Adelaide Dias
 
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...
AcessaSP
 
Artigo sociedade em rede
Artigo sociedade em rede   Artigo sociedade em rede
Artigo sociedade em rede
Renata Duarte
 
Sociologia civ aula 2
Sociologia civ   aula 2Sociologia civ   aula 2
Sociologia civ aula 2
DiedNuenf
 
Sociologia civ 2
Sociologia civ   2Sociologia civ   2
Sociologia civ 2
DiedNuenf
 
Tema contemporâneo 10 ano.pptx
Tema contemporâneo 10 ano.pptxTema contemporâneo 10 ano.pptx
Tema contemporâneo 10 ano.pptx
pedroarrifano
 
A @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuais
A @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuaisA @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuais
A @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuais
Inês Amaral
 
9034 36858-1-pb
9034 36858-1-pb9034 36858-1-pb
9034 36858-1-pb
Mariana Tavernari
 
Comunidades vituais e aprendizagem colaborativa
Comunidades vituais e aprendizagem colaborativaComunidades vituais e aprendizagem colaborativa
Comunidades vituais e aprendizagem colaborativa
Prefeitura Municipal de Fortaleza
 
CCM cultura e internet
CCM cultura e internet CCM cultura e internet
CCM cultura e internet
UNIP. Universidade Paulista
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
Joanirse
 
Holística e a cibercultura
Holística e a ciberculturaHolística e a cibercultura
Holística e a cibercultura
Jéssica Luna
 
slides de futebol
slides de futebolslides de futebol
slides de futebol
futeboldeareia
 
Redes sociais livro Santaella
Redes sociais livro SantaellaRedes sociais livro Santaella
Redes sociais livro Santaella
Rosemary Santos
 
Redes sociais livro santaella
Redes sociais livro santaellaRedes sociais livro santaella
Redes sociais livro santaella
Rosemary Santos
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
Elizeu Nascimento Silva
 
Comunidades virtuais de aprendizagem
Comunidades virtuais de aprendizagemComunidades virtuais de aprendizagem
Comunidades virtuais de aprendizagem
AndreiaZilber
 

Semelhante a Comunidade (20)

A emergência das comunidades virtuais
A emergência das comunidades virtuaisA emergência das comunidades virtuais
A emergência das comunidades virtuais
 
Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)
Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)
Fernando Maviuco - Nova Forma de Fazer Política na era digital (artigo)
 
Comunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publico
Comunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publicoComunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publico
Comunidades virtuais: activismo e militancia num novo espaco publico
 
Definição de sociedade em rede
Definição de sociedade em redeDefinição de sociedade em rede
Definição de sociedade em rede
 
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Da idéia de “impacto” a de “viver...
 
Artigo sociedade em rede
Artigo sociedade em rede   Artigo sociedade em rede
Artigo sociedade em rede
 
Sociologia civ aula 2
Sociologia civ   aula 2Sociologia civ   aula 2
Sociologia civ aula 2
 
Sociologia civ 2
Sociologia civ   2Sociologia civ   2
Sociologia civ 2
 
Tema contemporâneo 10 ano.pptx
Tema contemporâneo 10 ano.pptxTema contemporâneo 10 ano.pptx
Tema contemporâneo 10 ano.pptx
 
A @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuais
A @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuaisA @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuais
A @migração para o ciberespaço - a dimensão social dos mundos virtuais
 
9034 36858-1-pb
9034 36858-1-pb9034 36858-1-pb
9034 36858-1-pb
 
Comunidades vituais e aprendizagem colaborativa
Comunidades vituais e aprendizagem colaborativaComunidades vituais e aprendizagem colaborativa
Comunidades vituais e aprendizagem colaborativa
 
CCM cultura e internet
CCM cultura e internet CCM cultura e internet
CCM cultura e internet
 
Cibercultura
CiberculturaCibercultura
Cibercultura
 
Holística e a cibercultura
Holística e a ciberculturaHolística e a cibercultura
Holística e a cibercultura
 
slides de futebol
slides de futebolslides de futebol
slides de futebol
 
Redes sociais livro Santaella
Redes sociais livro SantaellaRedes sociais livro Santaella
Redes sociais livro Santaella
 
Redes sociais livro santaella
Redes sociais livro santaellaRedes sociais livro santaella
Redes sociais livro santaella
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
 
Comunidades virtuais de aprendizagem
Comunidades virtuais de aprendizagemComunidades virtuais de aprendizagem
Comunidades virtuais de aprendizagem
 

Comunidade

  • 1. Escola Básica e Secundária de Canelas Área de projecto Agrupamento vertical de canelas Tecnologias de informação e comunicação
  • 2. Comunidade virtual Professora: Lili Ano/turma: 8ºH Trabalho realizado por: pocas bouás Tribo: quadrilha H Data: 14/01/2009 Segurança informática
  • 3. Uma comunidade virtual é uma comunidade que estabelece relações num espaço virtual através de meios de comunicação a distância. Uma comunidade virtual é a aglutinação de um grupo de indivíduos com interesses comuns que trocam experiências e informações no ambiente virtual. Introdução:
  • 4. O que é uma comunidade virtual? Howard Rheingold, seguindo a sua ideia, comunidade virtual são agregações sociais que utilizam a Rede quando existem pessoas suficientes , em discussões suficientemente longas, com suficientes emoções humanas , para formar “relações” pessoais em ambientes virtuais, mudando de alguma forma o “Eu” dos que neles participam.
  • 6. A existência da comunidade virtual vem da junção de três tecnologias: o computador, o telefone e o software conhecido como Internet - que é, na realidade, o sistema operativo para a rede telefónica digitalizada. As três tecnologias da comunidade virtual
  • 7. O telefone fornece comunicações em dois sentidos e uma infra-estrutura para ligar globalmente; o computador digitaliza e armazena informação, e providencia um interface ao utilizador; a Internet permite aos computadores utilizarem o sistema telefónico. (continuação)
  • 8. (continuação) À medida que o sistema telefónico se torna também digital, links de grande largura de banda estão também acessíveis por todo o lado, aumentando o potencial deste novo híbrido tecnológico.
  • 9. Comunidade virtual simula comunidades que só existem no ciberespaços. Implicando , um novo elo de ligação que passa a existir no meio de, ou entre, comunidades no espaço real, biológico, ligando-as e estendendo-as, trazendo mesmo novas comunidades reais para o seu contacto. A comunidade e o espaço virtual
  • 10. (continuação) É um alargamento da comunidade pela adição de um novo espaço de interacção, espaço virtual onde fluxos expandidos de relações solidárias podem ser criados. É um curto passo a fusão do espaço mental de indivíduos de um modo que expande o próprio conceito de comunidade.
  • 11.  
  • 13. A ideia de comunidade tem evoluído ao longo do tempo. Ideias de pertencer, de localização numa mesma área geográfica, ou de uma estrutura social formada, já revelaram o seu significado. Hoje esse conceito já abrange outro significado, o das comunidades virtuais. A evolução da comunidade
  • 14. (continuação) Com o incremento das redes telemáticas (a união das telecomunicações com a informática), essas novas comunidades puderam surgir, trazendo a união dos seus participantes não por localização geográfica, mas pela conexão com a rede.
  • 15.  
  • 16. As proximidades intelectuais passam a ser mais importantes do que proximidades físicas. “ As pessoas que usam computadores para comunicar, formam amizades que por vezes criam o fundamento de comunidades, devendo ter cuidado para não confundir a ferramenta com a tarefa e pensar que por escrever palavras num computador é a mesma coisa que uma comunidade real” (Rheingold, 1993). As proximidades intelectuais e físicas
  • 17. (Continuação) Nesse ponto o autor quer mostrar que nem tudo o que se faz nos computadores pode ser considerado uma comunidade. A ferramenta por si só não caracteriza o aparecimento das comunidades virtuais.
  • 18.  
  • 19. As comunidades modernas nascem num processo de continuidades e rupturas em relação às comunidades tradicionais. Também, o que seria da modernidade se não fosse a tradição? Como é que a modernidade iria romper tradições se elas nem existissem? As comunidades passam a ser pensadas durante a modernidade, e deixam de ser apenas vivenciadas como ambientes sociais (Palácios, 1995). Comunidades virtuais x comunidades modernas x comunidades tradicionais
  • 20. É por isso que Palácios utiliza no seu texto as ideias de Michel Maffesoli, ao dizer que o conceito de comunidade surge na modernidade, no período em que novas formas sociais surgem e fazem perceber as anteriores. (continuação)
  • 22. As sociedades modernas são sociedades de mudança constante, rápida e permanente. Esta é a principal distinção entre as sociedades ‘tradicionais’ e as sociedades ‘modernas’. Esse processo de rápida mudança e transformação também se constitui nas sociedades pós-modernas, e está ligado directamente a globalização. (continuação)
  • 23. (continuação) Na tradição os símbolos são formas de manifestar a experiência através das gerações, e o passado é valorizado. Já a pós-modernidade é uma forma de vida mais ponderada, mais reflexiva. Nela as práticas sociais estão sendo sempre examinadas e alteradas, os seus valores estão sempre em contestação.
  • 24. Nas sociedades pós-modernas há uma interconexão entre as diferentes partes do globo, onde as mudanças na vida social atingem toda a superfície da Terra. Há uma importante transformação no tempo e no espaço, a partir de uma globalização do mundo, onde as fronteiras que separam os países vão sendo destruídas. A velocidade das relações sociais não é mais a mesma do passado. O tempo e o espaço não são mais barreiras contra a comunicação mundial, e o quotidiano acaba por se alterar. (continuação)
  • 25. Para Palácios, as comunidades na modernidade deveriam ter alguns elementos básicos: o sentimento de pertencimento; uma territorialidade (geográfica e/ou simbólica); a permanência; a ligação entre sentimento de comunidade; carácter cooperativo e emergência de um projecto comum; a existência de formas próprias para a comunicação; a tendência à institucionalização.
  • 26. Ter o sentido de pertencimento é a característica básica para se constituir qualquer tipo de comunidade. Entre os seus participantes é preciso esse sentimento de ligação, de participação. Isso caracteriza uma comunidade, diferente de um simples agrupamento. A partir daí, esse sentimento leva a um carácter cooperativo, podendo surgir acções organizadas e projectos comuns. Caracterização da comunidade
  • 27. Nas comunidades tradicionais o indivíduo estava destinado àquele território em que nasceu, sem poder escolher outro grupo que lhe agradasse mais. Diferente dos dias de hoje, o habitante estava condicionado ao seu espaço e ao seu tempo. As comunidades tradicionais e os dias de hoje
  • 28. Na modernidade esta situação muda quando a pessoa já não se sente tão presa às suas raízes. As informações são bombardeadas de tal modo, com a evolução dos meios de comunicação e o aumento da distância que eles abrangem, que o indivíduo pode escolher a que comunidade quer pertencer, mesmo sofrendo influências da localidade em que nasceu. As influências da modernidade
  • 29. Para poder acabar com os seus projectos, uma comunidade não deve ser transitória , por isso é preciso a permanência. Já o sentido de territorialidade pode ser tanto geográfico ou simbólico, apenas como um elo para fortalecer ou unir os participantes; outra característica importante para a formação de uma comunidade, que vai perdendo o seu domínio como território físico ao longo das comunidades modernas. (continuação)
  • 30. ( continuação ) A existência de um meio próprio de comunicação entre os seus membros – como murais e boletins, ajuda na integração e na distribuição de informações para todos.
  • 31. As comunidades virtuais caracterizam-se como comunidades? Mesmo perdendo algumas características das comunidades modernas, ela não perde o essencial: o sentimento de pertença e uma territorialidade. Comunidades virtuais – será que é mesmo uma comunidade?
  • 32. A formação das tribos pós-modernas traz essa sensação de ligação, de pertencer a uma comunidade, mesmo que ela só exista no espaço imaginário e invisível do ciberespaço. E o aspecto da territorialidade é do ponto de vista simbólico, não geográfico. Outro ponto análogo entre as novas tribos e as comunidades modernas é a existência de um meio de comunicação próprio – que de facto é a própria Internet . (continuação)
  • 33. A permanência é um factor relativo nas comunidades virtuais, que tendem em grande parte a ser efémeras. Por causa desse carácter efémero é que há também a falta de projectos comuns na maioria das novas tribos, que são mais caracterizadas pelo estar junto, pela convivência actual, numa vivência do presente sem maiores perspectivas futuras. (continuação)
  • 34. Conclusão: Com este trabalho concluímos que as comunidades são grupos de pessoas que comunicam através da Internet.
  • 35. F I M
  • 36.